Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As Notas de Julius 2021/22 (01)

Julius Coelho, em 01.08.21

(Amigos leitores do Camarote Leonino, cá estamos de novo com as Notas de Julius, preparados para esta nova e longa temporada de jogos da Supertaça, Taça da Liga, Taça de Portugal, Campeonato e Liga dos Campeões.)

Nesta rubrica, o leitor tem a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que eu atribuí aos jogadores do Sporting e a outros intervenientes do jogo Sporting / Braga a contar para a Supertaça Cândido de Oliveira - que terminou com a vitória do Sporting por 2-1, golos marcados por Jovane Cabral 29' e Pedro Gonçalves 43'.

Grande jogo da equipa, depois de uma entrada frouxa. Quase meia hora a ver jogar o Braga, que com melhor dinâmica e com as linhas mais juntas chegou naturalmente ao primeiro golo do jogo. Foi o clique... porque a partir daí só deu Sporting. O resultado acaba por ser bastante escasso, face às oportunidades desperdiçadas. O Braga foi caindo físicamente e nunca mais incomodou a defesa dos leões até ao apito final do árbitro. A equipa do Sporting deu já bons indícios, parecendo bem preparada para o arranque do campeonato.

221134587_10157857253011555_7532793366213579273_n.

DESTAQUE NUNO MENDES - 5 - O futebol tem destas coisas, há uma semana no jogo treino contra o Olympique de Lyon, o Nuno Mendes pareceu ser o elemento da equipa mais atrasado na preparação, denotando ainda alguns problemas fisícos. Ontem, mostrou exactamente o contrário, sendo de longe o jogador que mais apresentou "andamento com altíssima rotação". Sempre impecável a defender, sem perder um único duelo individual, e ainda arrancou para cima do adversário várias vezes com excelentes combinações com o Jovane. Foi ele, a inspiração para todos os colegas da equipa.

ANTONIO ADÁN - 4 - Foi chamado a intervir mais vezes pelos colegas no jogo de pés nas saídas da equipa em que esteve sempre bem. No golo do Braga a defesa foi traída pelo bom lançamento para as suas costas e o Fransérgio apareceu na área bem colocado, a bola ainda bateu no poste mas acabou dentro da baliza. O Braga não mais incomodou até final, salvo alguns esporádicos cruzamentos que o espanhol resolveu sempre com facilidade e muita segurança.

RICARDO ESGAIO - 4 - Mostrou que é alternativa fortíssima ao espanhol Pedro Porro, está de facto com um futebol muito mais adulto, mais responsável. Ontem até que seria uma escolha possível do treinador por conhecer bem a sua ex-equipa principalmente o Galeno, um dos venenos mais motíferos dos bracarenses e na verdade anulou-o. Lê muito bem o jogo, sabe quando pode e deve subir, esteve sempre bem até final, apontando ao Pedro Porro, que ele está ali e que não vai facilitar.

GONÇALO INÁCIO - 4 - Exibição bastante segura e muito atenta sempre em crescendo, especialmente nas dobras ao Esgaio na ajuda a travar o Galeno. Tem responsabilidades no golo sofrido, o lançamento convidou o Fransérgio a desmarcar-se e o Gonçalo devia ter percebido de imediato. Quando deu conta "ya fuiste" era tarde, foi o seu único deslize em toda a partida.

SEBASTIÁN COATES (CAP) - 3.5 - Foi dos últimos a chegar das férias e não podia estar já no mesmo ritmo dos restantes colegas, aparte que sempre lhe foi difícil o arranque das épocas. Precisa sempre de tempo para trabalhar conveniente o físico, mas ainda assim surpreendeu pela positiva. Teve alguns passes mal medidos, mas neste dia foi a vez dele ser ajudado pelos colegas do lado e à sua frente. 

ZOUHAIR FEDDAL - 3.5 - Não está ainda na sua melhor condição física, mas mesmo assim o seu rendimento foi bastante positivo; facilitou em alguns lances que conseguiu depois resolver in extremis. Foi aos seus limites e acabou esgotado a implorar que o sacassem dali, o treinador percebeu e fez entrar o Matheus Reis.

JOÃO PALHINHA - 4 - Uma exibição também em crescendo, hesitante no início ainda à procura do seu ritmo e do timing nas entradas à bola nos cortes, mas o golo do Braga despertou-o e voltou a ser o polvo que abraçou todo o meio campo e a defesa da equipa, protegendo-a até ao final. O esvaziar do meio campo do Braga coincidiu precisamente com o seu crescimento no jogo.

image.jpg

MATHEUS NUNES - 4 - Aí está a nova versão do João Mário na equipa e saiu-se muito bem com a missão, sabendo que tinha em cima de si todos os olhares, não só dos adeptos do Sporting mas também dos adversários em geral. É óbvio que ainda cometeu vários erros, principalmente na primeira meia hora em que pareceu algumas vezes perdido no meio campo. Tal como o resto da equipa, sentiu o clique do golo do Braga e arregaçou as mangas concentrando-se melhor no que tinha que fazer. Necessita agora de aprender a ler melhor jogo e os timings quando é hora de segurar e largar a bola.

JOVANE CABRAL - 4 - Estreou oficialmente a sua nova camisola 10 e com um bom golo num momento importantíssimo do jogo. O Braga estava na mão de cima e já na frente do marcador e por isso sentiu que tinha que fazer algo e fez. Arrancou no momento certo em que o Nuno Mendes o lançou isolando-o e na cara do guarda redes do Braga fez o golo do empate. Mais participativo do que era normal vê-lo, terá nesta época a sua grande chance de mostrar que tem capacidade para ser titular.

PEDRO GONÇALVES - 5 - Marcou um golo extraordinário, à Quaresma. Com o passar de cada jogo deixa cada vez mais marca do grande jogador e goleador que é, sendo verdade que também surpreendeu ao falhar dois golos de forma escandalosa, mas era ele que estava lá. A época está agora a começar e o melhor acerto chegará em breve. Fisicamente está ainda longe do seu melhor, perdendo várias bolas que normalmente não perde.

PAULINHO - 3.5 - Também não entrou muito bem no jogo, esteve desligado algum tempo, demasiado sozinho numa luta deveras inglória contra os centrais do Braga. Com o golo do adversário veio o arregaçar das mangas dos colegas, juntaram-se todos mais e aí já se viu em bom plano participando sempre bem na construção. Lutou bastante até à exaustão e foi substituído pelo Tiago Tomás.

TIAGO TOMÁS - 3 - Entrou para os derradeiros vinte minutos a substituir o esgotado Paulinho, tentou trazer mais energia e velocidade ao ataque do Sporting, mas a equipa já atacava menos e entrava no período de conservar a bola em zonas mais recuadas.

NUNO SANTOS - 2.5 - Entrou nos dez minutos finais para o lugar do Jovane, ajudou a equipa a gerir o tempo, segurando a vantagem que tinha no marcador, não se aventurou porque já não era hora para isso.

MATHEUS REIS - 2 - Entrou para o lugar do esgotadíssimo Feddal, cometeu alguns erros provocando faltas em zonas próximas da área do Sporting, continua a não convencer, ainda não mostrou ser claramente superior ao Borja.

TABATA - 2 -Entrou a substituir o Pedro Gonçalves, fresco veio trazer mais equilíbrio no espaço entre o meio campo e o ataque, mas a ideia era gerir o resultado mantendo as linhas mais recuadas.

RÚBEN AMORIM - 5.5- Raramente comete falhas, prepara tudo ao detalhe, continua a crescer como treinador, estudando cada vez melhor o adversário e as características dos jogadores que tem no plantel. A equipa é praticamente a mesma que se tornou campeã. Todos eles já sabem  de cor e salteado o que ele pretende deles e do jogo. Há sempre coisas a melhorar, é um facto, mas a equipa fez uma excelente pré-época e apresentou-se nesta final preparadíssima para a ganhar e ganhou-a justamente. De todos os jogos contra o Braga, este foi de longe o mais conseguido em termos exibicionais, sem espinhas.

CARLOS CARVALHAL - 3 - Ficou finalmente convencido e que raro!!! Ouvimo-lo dizer várias vezes no final do jogo, que o Sporting é uma grande equipa e que foi um vencedor justo. Foi preciso perder quatro vezes seguidas para o reconhecer. Desta vez, nem quando viu a sua equipa marcar primeiro ficou confiante e tinha razões para isso, afinal salvou-se de uma goleada histórica. 

JOÃO PINHEIRO (Árbitro) - 3 - Um aglomerado de errozinhos pequenos mancharam a sua arbitragem. Assinalou várias vezes o que não era falta e deixou passar outros lances que eram faltosos. Depois, foram 8 minutos de descontos? Só acabava quando o Braga empatasse? Disciplinarmente esteve menos mal.

ANDRÉ NARCISO (VAR) - 3 - Sem casos para intervir, assistiu ao jogo tranquilo.

publicado às 06:19

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds