Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As Notas de Julius 2022/23 (17)

Julius Coelho, em 02.11.22

Nesta rubrica, o leitor tem a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que eu atribuí aos jogadores do Sporting CP e a outros intervenientes do jogo com E. Frankfurt, da 6.ª e última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões e que resultou numa derrota dos leões por 2-1, golo de Arthur Gomes 39'.

CAMPEÕES NA ATITUDE, MAS NO FINAL, GANHARAM.....OS ALEMÃES

Alvalade viveu uma noite louca, fria e cruel que terminou em grande decepção. A equipa chegou a estar na liderança do grupo com o golo de Arthur Gomes até aos 72', mas com a reviravolta dos alemães viram-se eliminados de tudo, até que no último minuto do jogo em Marselha, o golo inglês ofereceu o prémio que ninguém queria, a Liga Europa.  O Frankfurt a precisar de ganhar, entrou com tudo logo no início, com a agressividade por vezes excessiva em alguns lances, que roçaram a fronteira da violência e sempre com o beneplácito do árbitro,  os leões  responderam sempre com atitude muito competitiva e chegaram à vantagem justa de um golo ao intervalo. As saídas forçadas por lesão do Nuno Santos e principalmente do Ugarte a juntar a pelo menos dois erros clamorosos e graves da arbitragem precipitaram o jogo para uma segunda parte inclinada, os leões recuaram no terreno a que os alemães não se fizeram rogados e aproveitaram para fazer os dois golos da vitória. 

Screenshot (1466).png

DESTAQUE - ARTHUR GOMES - 4 - Acabou por ser a melhor notícia da noite, mostrou que é reforço. Lamenta-se que apareça só agora, com alguns dos objectivos principais já afastados, inalcançáveis. Fez uma bom jogo, marcou e carregou a equipa em vários lances.

ANTÓNIO ADÁN  - 3 - Sofreu 2 golos, um penálti bem marcado e um fuzilamento em que pouco podia fazer. De resto raramente teve que reagir a lances complicados. Os alemães exploraram os cruzamentos para a sua área, a que o guardião espanhol respondeu sempre bem.

PEDRO PORRO - 3 - Noite muito difícil do jovem espanhol perante um Pellegrini sempre agressivo (no osso) e com marcação muito apertada. Não fez a diferença dos outros jogos.

JEREMIAH ST.JUSTE - 4 - Foi dos melhores elementos da equipa. O primeiro jogo que faz sem se lesionar, sempre muito forte nos duelos (não perdeu nenhum) e deu qualidade à equipa na saída de bola.  

SEBASTIÁN COATES (Cap) - 3.5 - Que injustiça, ficar marcado na história do jogo pelo penálti mal assinalado que deu o primeiro golo ao Eintracht, um lance em que a falta é claramente do alemão. Fez um bom jogo perante a tremenda agressividade do adversário que usou e abusou do habitual 'chuveirinho', disputou nos céus uma luta de titãs, merecia a passagem aos oitavos.

GONÇALO INÁCIO - 3 - Estava a fazer uma excelente exibição quando comprometeu ao minuto 72', não leu bem o lance que se tornou capital da partida, consentiu que o poderoso Randal ao seu lado se antecipasse à bola, depois o físico e a velocidade do jogador alemão fizeram a diferença para se isolar e fuzilar o Adán, no golo da eliminação do Sporting.

NUNO SANTOS - 3 - Noite que não vai poder esquecer,  aos 30' torceu violentamente um pé que o impediu de continuar no jogo. O bravíssimo trofense que estava a fazer um bom jogo, principalmente a fechar o seu corredor, complicou com a sua saída forçada e muito prematura a estratégia que  o treinador tinha preparado.

MANUEL UGARTE - 4 - Foi um leão de juba, desde muito cedo que ficou fragilizado com um forte pisão, fruto da agressividade dos forasteiros, foi vê-lo a coxear todo o tempo que permaneceu em jogo, dos 18' aos 63' quando já não aguentou mais as dores e teve que sair. A coxear e com os dentes serrados correu para chegar primeiro parando vários ataques do adversário, foi ainda à frente assistir para o golo do Arthur e quase que consegue isolar-se na área alemã para poder fazer o segundo golo. Que tremendo sacrifício, não merecia a derrota, foi um herói e deve ser recordado na história. 

PEDRO GONÇALVES - 3.5 - Finalmente um ar da sua graça, voltou a jogar mais atrás, no meio campo e foi o jocker da equipa nas tentativas de ligar o jogo. Foram raras as vezes que conseguiu rasgar as linhas alemãs, optando a maior parte das vezes com futebol muito directo, mas lutou sempre de olhos nos olhos com o adversário. 

MARCUS EDWARDS - 2 - O mais fraco da equipa, nunca se libertou da marcação em cima e muito agressiva que os calmeirões alemães propositadamente lhe fizeram, foi inoperante e inconsequente e foi bem substituído, quiçá tardiamente.

PAULINHO - 4 - Atirou-se aos alemães como um leão sem medo, nunca fugiu aos duelos físicos e aéreos, sofreu um bom número de faltas, algumas a roçar o limite da violência e que estranhamente não foram sancionadas pelo árbitro esloveno. Correu muito por todo o campo atrás a ajudar a defender e ainda na pressão à primeira linha alemã. Na segunda parte já com o campo muito inclinado e esgotado foi perdendo fulgor.

MATHEUS REIS - 2.5 - Exibição muito tremida, entrou para o lugar do lesionado Nuno Santos mas não veio acrescentar muito, voltou a recorrer às faltinhas desnecessárias que lhe provocaram a amostragem do amarelo (35'), com ainda bastante tempo para se jogar.

DÁRIO ESSUGO - 2 - Entrou mal no jogo, mostrou que ainda não tem pedalada para estes desafios muito alucinantes, a forma como se posicionava no terreno foi um convite para os alemães avançarem ainda mais. Perdeu várias bolas na saída e uma delas resultou no lance do segundo golo alemão. Gonçalo Inácio também falhou a intercepção porque também foi surpreendido.

FRANCISCO TRINCÃO - 1.5 - Uma substituição com pólvora seca, o único momento positivo, quando engana dois adversários e obriga o Jakic a falta grosseira a que o árbitro estranhamente (ou talvez não) perdoou o segundo amarelo.

JOVANE CABRAL - 2.5 - Era a hora do tudo ou nada, Jovane foi lançado para o quarto de hora final. Houve alguns momentos em que conseguiu levar a bola e a equipa para perto da área alemã, mas os lances acabaram por ser inconsequentes. 

RÚBEN AMORIM - 3 - Mais um grande objectivo que caiu e se perdeu no lamaçal, este com tremendo estrondo pelo leque de consequências, incluindo as financeiras. A equipa até conseguiu na primeira parte o mais difícil, marcar primeiro e pensou-se que a partir daí poderia gerir melhor o jogo. Com a saída forçada do Nuno Santos e as dificuldades físicas do Ugarte a equipa perdeu claramente muita qualidade e foi obrigada a muito jogo directo, raramente conseguindo ligar as linhas e ter bola. Agora, só os ratos abandonam o navio e o Rúben é um grande comandante, tem capacidade para dar a volta e encontrar a melhor solução para a equipa. Verdade que se perdeu um jogo importante, mas nunca o futuro. 

OLIVER GLASNER - 3.5 -  Sem fazer uma grande exibição ao nível técnico, a sua equipa levou de vencida a partida quase pela força dos muitos panzers que tinha no campo, tremenda agressividade em cada lance, era uma final e foram mais competentes e eficazes, não se deixaram abanar pelo golo dos leões mas tiveram uma pequena/grande ajudinha na arbitragem, com consequências determinantes no resultado. 

img_467x599$2022_11_02_02_53_18_2058056 (2).jpg

(Foram ao bolso do leão)

SLAVKO VINCIC (Árbitro) - 1 - Deu o empurrão que os alemães necessitavam e na hora certa. Transforma uma falta clara sobre o capitão do Sporting num penálti, Kamada salta atirando-se de costas com costas contra o uruguaio Coates que tinha a posição ganha para dominar a bola. Depois novo erro, perdoa a expulsão (segundo amarelo) ao Jakic quando o Francisco Trincão se preparava para isolar na direcção da área alemã. Por último, mostrou ter alguma antipatia com o Paulinho que foi travado várias vezes com faltas duras e que não assinalou.

JUAN MARTÍNEZ MUNUERA (VAR) - (SEM  NOTA) - No lance do penálti onde estava o VAR? Não é para este tipo de lances que ele existe? Onde estava? Pelos vistos não havia, por isso não pode ter nota. 

NOTA ESPECIAL: As declarações do treinador alemão no final da partida...

"É incrível o rendimento dos jogadores e como conseguem lidar com o revés. Tivemos uma primeira parte má, com pouca presença. No intervalo, estávamos de cabeça baixa, disse-lhes para jogarem com convicção e a acreditar no que fazemos. Não queria nada a meio gás, era erguer a cabeça. Eles corresponderam e é incrível como se apoiaram uns aos outros. Jogámos muito no meio-campo do adversário. Tivemos sorte com o penálti, fizemos o 2-1 e conseguimos passar aos oitavos de final, ainda nem consigo acreditar".

publicado às 04:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


81 comentários

Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 05:08

Um bom dia de quarta feira para todos.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 02.11.2022 às 07:00

Cerrados, não serrados (a não ser que...)

Nada como uma boa arbitragem à Calheiros. Qual var...
O penalty é digno de um Leiros. Vira tudo.
Teria o resultado sido diferente? Nao se sabe, mas no Sporting aplica-se o dito de quando em baixo tudo lhe dá pontapés. E os outros mesmo jogando mal têm "sorte", o Sporting é o Murphy encarnado.

Confesso só ter visto 10 minutos da 1a parte, futebol penoso, sem chama ou alegria. Ou qualidade. Se calhar tive azar.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 09:18

Anonimus
Um jogo muito disputado em que o Sporting conseguiu conter os alemães até ao momento do lance caricato que foi transformado em pênalti, a partir daí os alemães ainda ficaram mais confiantes no tudo por tudo enquanto a equipa do Sporting sentiu o golo, recuou ainda mais o que lhes foi fatal, faltou energia para reagir de outra forma.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 02.11.2022 às 09:57

Vi entre os 20-30 minutos mais ou menos, e vi mau jogo, duas equipas a mostrar mau futebol, e sem grande intensidade.
Quem vê aquilo enquanto adepto de futebol não pode tirar dali grande prazer.
Se calhar apanhei a pior parte, mas realmente não deu vontade de seguir o resto...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:44

Não concordo Anonimus, pode estar a confundir com um jogo vistoso tecnicamente que de facto não foi, longe disso, mas na intensidade sim, quando se emprega o físico nos lances da forma como vimos é porque à muita intensidade, vi dureza na luta titânica em cada lance, em cada duelo, sacou a beleza técnica mas deu a rodos a incerteza do resultado, houve até largos momentos que o jogo se partiu.

As marcações foram muito apertadas e por isso viu um jogo pobre tecnicamente mas sempre muito disputado até à ultima gota, de suor e sangue.
Sem imagem de perfil

De RCL a 02.11.2022 às 08:09

O treinador alemão reconhece que teve sorte com o penalti. E se teve............. esse lance decidiu o jogo.
De bom, o aparecimento de Arthur que esteve a ser preparado para ser surpresa, e também o regresso de Jovane, mesmo que por poucos minutos.. Agora tentar fazer uma equipa para os 2 jogos da Liga antes do CM.
As lesões continuam e não tem nada a ver com a prparação física como dizem os "barrigudos do Teclado".
SL
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 09:26

Esta época, as lesões têm vergastado a equipa de forma bem pior que quando o ano do Covid.

Creio que dos titulares só o Marcus é que ainda não ficou impedido por lesão, todos os outros já tiveram a sua parte e só se jogaram 4 meses da época, muito atípico e raro caro RCL
Sem imagem de perfil

De De Perry a 02.11.2022 às 08:13

Uma frase

Está equipe não tem capacidade de resposta.

P S. - Ainda bem que isto não é o Porto, porque se fosse .... Com tantas derrotas era um descalabro
Sem imagem de perfil

De Lenhas a 02.11.2022 às 08:20

Se fosse o porto, já tinha havido tentativas de assassinato. Não estou a falar metaforicamente...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.11.2022 às 08:53

Comentário apagado.
Sem imagem de perfil

De Lenhas a 02.11.2022 às 09:39

No clube, hoje, não há esse nível de exigência nem de belicismo. Tem vantagens e desvantagens...

Apesar de o ataque à academia ter sido a ignomínia que foi, emboscadas individuais a árbitros ou jogadores, como se faz no porto, parece me ainda um caminho pior...
Sem imagem de perfil

De Lena a 02.11.2022 às 09:20

Equipa, com a. Como bicicleta. Equipe e biciclete não é bem em português
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 09:33

Bom, é um facto que quando a resposta tem que vir do banco fica mais complicado, vergastada com inúmeras ausências numa época anormal o treinador conseguiu ter sempre um onze competitivo mas não os 14/15 jogadores do nível exigido para os jogos.

Mas sejamos justos, ontem até ao lance do pênalti os alemães raramente conseguiram criar verdadeiro perigo na baliza do Sporting, esse lance mudou tudo, não se trata de desculpar mas sim um facto, um lance que caiu do céu aos alemães como se viu.
Sem imagem de perfil

De Lenhas a 02.11.2022 às 08:26

Já ontem vi aqui comentários a chamar lampião a RA e a deitar abaixo o seu trabalho. Se é verdade que parece esgotado e já com a cabeça nos Wolfs, comparar esta equipa com a que há meia duzia de anos era disponibilizada ao treinador (Patrício, Adrien, João Mário, WC, Carrilho, Gelson Martins, Slimani, Dost), só pode ter pena do atual treinador...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 09:43

A capacidade de analisar corretamente os fenômenos do futebol não está ao alcance de todos, no geral os adeptos sentem a obrigação de ganhar e ficam cegos e a ferver muito rapidamente quando não se ganha, quem é bom nas suas funções sê-lo-á sempre, quem é bom e já ganhou voltará certamente a ganhar, aprende-se com os erros que terão que ser corrigidos, alarmante será se não forem corrigidos na primeira oportunidade.
Teremos que ter a capacidade de compreender e esperar pelas correções, confiar que melhores dias virão. Quem lá está já mostrou capacidade de fazer muito com pouco e voltará a acontecer.
Sem imagem de perfil

De Lenhas a 02.11.2022 às 10:32

Concordo. Mas parcialmente. Até um relógio parado acerta duas vezes por dia. E como dizem os prospectos de investimento, "retornos passados" nao são garantia de retornos futuros
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:48

Não da mesma forma claro, tudo evolui, será de outras formas certamente, mas quem tem o dom da capacidade de ganhar voltará a ganhar.
Sem imagem de perfil

De Lenhas a 02.11.2022 às 11:32

Há exemplos de tudo. Mourinho nunca mais ganhou nada além do seu próprio salário...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 12:17

E que saláriooooo!!!
Sem imagem de perfil

De Juskowiak a 02.11.2022 às 08:50

Nunca pensei que este penalty passasse pelo VAR. Absolutamente inacreditável!

E esta frase "tivemos sorte com o penalty" ora bolas! É preciso ter lata!

Realidade dos factos: o Sporting dá sempre o estouro físico a partir dos 60 mns e os adversários sabem disso. E como as opções de banco são de fugir...

Esta época promete ser longa.. beeeeeem longa.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 02.11.2022 às 09:01

A sorte com o penalty, o azar com as lesões. Tudo acasos do destino, sem intervenção humana. O futebol é muito isto, a ciência por trás das transições e da posse, mas no fim resume-se a não passarem por baixo de uma escada à saída do balneário.
É chamar o padre Areias novamente.
Sem imagem de perfil

De Juskowiak a 02.11.2022 às 09:09

Claro que a sorte influencia tudo na vida.

A questão é que na Europa quase sempre são as equipas de campeonatos mediáticos que têm "sorte" nos lances controversos.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 11:35

Não serão os padres com areia ou sem areia que conseguem explicar porque Portugal não pode ter 3 equipas nos oitavos da Champion, possivelmente a questão passa por aí.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 09:55

Bom, creio que pior do que tem acontecido é impossível, tem existido um conjunto de circunstâncias algo raras que se alinharam em momentos cruciais, recordamos os jogos com o Marselha e agora o de ontem, creio que todos os adeptos do futebol que viram o jogo por esse mundo fora se interrogam porque o Pênalti não teve o filtro do VAR, e a pergunta que fica é afinal para que serve o VAR, a UEFA terá que responder.
O VAR de ontem perante as imagens confirma ao árbitro que é pênalti? Terá sido isso que aconteceu? Então esse espanhol um tal de Juan Munuera não tem condições para desempenhar essa função.

É um facto o lance do pênalti coincidiu com o momento em que a equipa começa a sentir o desgaste, mas os alemães também já o estavam a sentir, o próprio treinador alemão viu a sua equipa ao intervalo abatidos e resignados, o pênalti deu-lhes vida, a vitamina que necessitavam para irem buscar forças extras e que resultaram.
Sem imagem de perfil

De Anonimus a 02.11.2022 às 10:02

Sim, a uefa deve estar indignada e preocupada. Mais ou menos como a Liga quando o Moreirense se queixa de ter sido gamado na Luz ou no Ladrão. Abrem logo 3 inquéritos, que um não chega.

Já agora, sou só eu que noto alguma resignação e falta de alegria em comparação com o ano do título, sendo que isso era visível ja o ano passado? No do título os jogadores que saíam do banco (mesmo os que jogavam menos) iam com pelo na venta e riso nos lábios, mesmo quando entravam em circunstâncias adversas, o ano passado já havia cara de frete. Ou então era a minha disposição que era diferente...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:52

Não vi ninguém ontem entrar no relvado com cara de frete, pelo contrario, vi a todos muito focados no objetivo que acabou por não se alcançar, o que é um facto é a de alguma desconfiança que os jogadores sentem, os resultados na época, os vários erros cometidos sacaram confiança à equipa, ficaram mais desconfiados e temerosos, mas ontem entregaram-se à luta de coração e alma e quando assim acontece não podemos criticar.
Sem imagem de perfil

De Luis Carvalho a 02.11.2022 às 09:13

Creio que o Julius faz uma análise muito correcta do que se passou em campo. Vamos ser sinceros a equipa praticamente não rematou à baliza, mas conseguiu marcar um golo e a partir daí não soube gerir o jogo, porque perde a bola desnecessariamente muitas vezes, por falta de ter mais um jogador no meio, por ser uma equipa fisicamente muito débil. Há quem tenha escrito que lá ganhámos por 3 e jogámos neste sistema, uma verdade, a diferença é que o EF não jogou da mesma maneira e sobretudo foi fisicamente muito mais forte. No passado sábado critiquei muito Amorim por ter colocado uma equipa de suplentes e miúdos contra o Arouca, a derrota, espero estar enganado, tirou-nos o acesso à Champions na próxima época, Amorim cometeu um erro capital, um erro de análise. O acesso à Champions é essencial para a recuperação do Sporting SAD, o passar aos oitavos tendo um prémio chorudo, cerca de 10M€, é bom, mas ficar fora da Champions, a acontecer, custará à SAD pelo menos o triplo. Como diria o outro, é fazer as contas. A Liga como meio de chegar à Champions, deverá ser sempre o objectivo principal da época, com o foco óbvio no título, brilharetes na Champions pondo em causa a Liga é má estratégia.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:05

Luís, concordo convictamente que não devemos perder o comboio da Champion League, depois de sermos campões e lutarmos pelo título até ao final na época passada não podemos na terceira ficar de fora dos lugares de acesso á liga milionária, seria um enorme retrocesso e algo perigoso para o futuro do clube.

Obrigaria de novo a orçamentos mais curtos e a explorar novos milagres, sempre escrevi aqui desde o início desta época, que o objetivo principal é de facto conseguirmos o acesso e só depois pensaríamos nos outros objetivos. Caíram já a Taça de Portugal e a passagem aos oitavos de final da champeon league mas ainda está possível a luta pelos primeiros lugares da Liga e é aí que vão ter que se agarrar.
Sem imagem de perfil

De Luis Carvalho a 02.11.2022 às 10:45

Aprecio o seu otimismo, o meu está muito diminuído, não por qualquer estado de espírito, mas por uma análise muito concreta, que passa pelas inúmeras lesões, motivação dos jogadores, frescura física, plantel curto, baixo, etc.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:56

Fico de veras surpreendido com a enxurrada de lesões que têm vergastado a equipa, é surreal, ninguém esperaria uma situação assim e está a provocar muitos danos nos resultados e claro na fé dos adeptos.

Sou pragmático nas conclusões, sofro como todos os que gostam do clube nas derrotas, mas temos que olhar o que ainda existe para nos agarrarmos e não largar.
Sem imagem de perfil

De Luis Carvalho a 02.11.2022 às 16:03

As lesões traumáticas são o que são, resultam de diversos factores, como o Julius bem sabe, algumas também resultam de défice de força muscular, mas vamos aceitar que temos só tido azar. As musculares são diferentes, resultam essencialmente de má preparação física, de demasiado esforço, de picos de esforço, mas e muito da massa muscular, da estrutura muscular, até da qualidade do músculo. É algo já muito científico, onde eu creio o Sporting está bem apetrechado, mas que esta época tem sido um desastre. Também o sistema de jogo não protege os jogadores fisicamente, o facto de termos laterais/médios laterais que fazem muitos km num jogo, com muitos picos, quer defensivos, como ofensivos, é muito desgastante, o ter centrais obrigados a terem inúmeras vezes que serem médios no transporte de bola para o ataque, ontem isso viu-se várias vezes, traz muito desgaste na recuperação defensiva e também obriga o médio central mais recuado( que nem sempre sabemos qual é) a um esforço suplementar, se a isso somarmos um trio ofensivo que pouco defende, ou que não o sabe fazer, com a excepção de Paulinho, ontem de uma dedicação extrema a defender, mas que obviamente lhe retira frescura no ataque, creio que o sistema de jogo, a táctica, não sei o termo técnico adequado, na minha capacidade de “ treinador de sofá”, os tempos da bancada já foram, é propício a mais lesões, sobretudo se a época é muito exigente em termos de calendário e o plantel é curto( em número), curto em estrutura física( baixo e sem “ cabedal”) e com excesso de “ fintinhas”. As lesões, são também consequência do processo de jogo!
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 17:50

Ok vamos a factos,

St. Juste - jogou pouco a época passada e entrou a todo o gás na pré-época, naturalmente os músculos ressentiram-se com a nova exigência, necessitam de esticar para ficarem preparados.
Causa .... paragem prolongada

Daniel Bragança - Entorse traumática do joelho com rotura do ligamento
causa .... traumática, excesso de esforço num movimento incorreto

Sebastián Coates - problema crónico no joelho que obriga a parar de tempo em tempo, um problema muscular suplementar por ter esticado excessivamente a perna para chegar a uma bola.
Causa... Problema crónico e excesso de esforço num movimento incorreto.

Manuel Ugarte - lesão traumática, pisão fortíssimo num pé, inflamaçao dos tendões do pé.
Causa ... Ação violenta de um adversário

Nuno Santos - lesão traumática - um remate forte do adversário apanhou a bola no pé em movimento obrigando de seguida que o pisar tenha acontecido de forma incorreta provocando forte torção, tendões do pé inflamados.
Causa - Infortúnio casual traumático

Morita - Lesão muscular, gémeos
Causa - excesso de jogos com falta do tempo conveniente para recuperação do esforço-

Luís Neto - entorse do joelho sem rotura
causa - movimento brusco incorrecto com o peso do adversário a cair em cima com a perna em posição frágil.

Paulinho - lesão muscular, gemeos
Causa - excesso de esforço sem tempo para a devida recuperação.

Jovane Cabral - traumática, muscular,
Causa - karma crónico

Sem imagem de perfil

De Luis Carvalho a 02.11.2022 às 18:33

Não está muito longe do que escrevi, o plantel curto e as debilidades já conhecidas de outros de alguns, são causas de lesões: St. Juste, Coates, Morita, Paulinho, Porro, encaixam perfeitamente no que escrevi.
Sem imagem de perfil

De mike1906 a 02.11.2022 às 09:29

Caro Julius, concordo com as suas notas excepto com a nota de Ruben Amorim.

A nota de Ruben Amorim deveria ser 5!

É impossivel alguem fazer mais do que ele fez com os jogadores que tinha à disposição, com as contrariedades que sofreu durante o jogo e com um árbitro sempre a apitar em sentido contrário.

Alem disso voltou a estar corretissimo na conferência de imprensa após o jogo.

Esperemos que a Direção entenda que Ruben Amorim e os Sportinguistas merecem ter à disposição mais armas para se poder bater de igual para igual com os rivais.

A continuar assim, será o proprio Amorim a fartar-se deste projecto e depois é que vai ser o bom e o bonito...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:12

Até que concordo Mike, de verdade

Só não dei mais nota porque a equipa fez demasiado futebol direto que só deu vantagem aos alemães que vieram muito preparados mentalmente para a guerra física. Devia pensar em soluções para termos mais tempo com a bola no pé e fugir do contacto físico, fazer correr a bola, saiamos bem lá de trás, mas a ansiedade sacou o discernimento para jogarem com mais paciência no meio campo, caímos na patetice de partir muitas vezes o jogo, muito à conveniência do jogo muito físico alemão.
Sem imagem de perfil

De mike1906 a 02.11.2022 às 10:14

Eles não nos deixaram respirar...
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 11:00

Mas já estavam a dar sinais de poder ceder, nessa altura devíamos fazer correr mais a bola, verdade que o elemento físico excessivo ditou a lei, o árbitro permitiu e só ele saberá o motivo. Naquele cenário mais um elemento no meio campo dava um jeitaço.
Verdade que os alemães traziam a lição bem estudada, sabiam das fragilidades da equipa no jogo aéreo, bastava ver a diferença de altura e vergastaram a equipa com chuveirinho de cruzamentos o que desgasta bastante.
Sem imagem de perfil

De Tales a 02.11.2022 às 09:57


Espero que a equipe recupere o ânimo mais rápido possível antes de apanhar o Benfica. Não vou esconder, a intensidade, ataque e consistência dos lampiões me assusta. São muito fortes no ataque.

Estou com raiva até agora. Não consigo digerir está derrota.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:16

Caro Tales não tem que ficar assustado, a equipa nesse jogo seguro que estará preparada e motivada, motiva sempre, só receio o jogo anterior, que apareçam fenômenos raros e sobrenaturais que nos retirem jogadores chave para o derby, não me surpreenderia.
Sem imagem de perfil

De Zé Manel a 02.11.2022 às 10:07

Está na altura de o Varandas contratar os serviços do comandante Nhaga para afastar o mau olhado e os penalties fantasma! Fora de brincadeiras, tudo acontece ao Sporting esta época, as lesões nunca mais acabam, ontem mais uma vez ficamos com o meio campo diminuído (Ugarte) sem termos substituto à altura. O Nuno Santos também teve que sair por lesão, um jogador que tem sido dos melhores esta época. Como se não bastasse, tivemos um penalty fantasma e um duplo amarelo perdoado. Apesar de todo o azar, a direcção e equipa técnica têm que reflectir: acham que é com equipas curtinhas que conseguimos abordar tantas competições? Dizem os "experts" que os jogos se ganham a partir do meio-campo; Num sistema com apenas dois médios centro, é imprescindível que esses médios sejam altamente rotativos. Na época passada tinhamos Palhinha, M. Nunes, Ugarte, Daniel Bragança e mais algum miúdo se fosse necessário (Essugo). Este ano temos Ugarte (máquina!), Morita (bom jogador), Sotiris (incógnita), Essugo (ainda verdinho). Ou seja, na época passada tinhamos 4 jogadores que davam garantias, esta época temos dois. Mas que diferença! Não incluo o Pote porque ele deveria jogar onde faz mais diferença: no ataque. Com Morita já lesionado, com a lesão ontem do Ugarte, vamos ver como é que o Amorim de desenrasca desta para o próximo jogo. Resumindo, é claro que nos faltam opções, os campeonatos são longos, as competições são muitas, as lesões aparecem, os castigos também, sem mais opções em todos os sectores fica difícil. SL
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.11.2022 às 10:28

Zé Manel
Hoje já mais a frio tenhamos outra sensatez a analisar o que se passou no jogo de ontem, fiquei com a clara sensação que com o Morita tínhamos resolvido melhor o problema do meio campo, quer dizer, começamos a perder o jogo com a lesão do Morita no jogo anterior, depois veio a do Nuno num lance muito estúpido, o Ugarte ficou logo cedo arrumado, desde os 18' de jogo, viamos o árbitro a permitir a dureza alemã, bastava depois dos lances ao osso, os alemães jurarem a pés juntos que não fizeram nada de mal, o que as imagens contrariavam claramente, e por último o pênalti inacreditável, um cínico diria que o tipo do VAR estava borracho certamente. Quem marca aquele pênalti não iria expulsar nenhum jogador alemão, ficou claro.

Comentar post


Pág. 1/3





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D




Cristiano Ronaldo