Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As Notas de Julius 2023/24 (35)

Julius Coelho, em 26.02.24

Nesta rubrica, o leitor tem a oportunidade de apreciar - e se entender, criticar as notas (0-6) que eu atribuí aos jogadores do Sporting CP e a outros intervenientes do jogo com o Rio Ave da 23ª jornada da Liga Portugal Betclic, que resultou num empate 3-3. Golos de Morten Hjulmand 9', Viktor Gyokeres 44' e Sebastián Coates 73'.

FALTOU CABEÇA E COMPETÊNCIA !!!

Ao contrário do que prometeu o treinador do Sporting, afinal a equipa não se apresentou tão preparada para o embate em Vila do Conde, sendo surpreendida por um Rio Ave que teve a ousadia de dividir e discutir a posse e superiorizar-se a espaços na disputa dos lances. Os leões que entraram na partida praticamente a perder (3'), resultado de um erro grave do Geny Catamo que se deixou ultrapassar facilmente pelo marcador do golo, conseguiram depois a remontada, mas entraram numa espiral de erros grosseiros, alguns de difícil explicação, como as 2 grandes penalidades escusadas que ofereceram uma vitamina extra, a que os vilacondenses não se fizeram rogados. Coates ainda deu a esperança da vitória quando voltou a empatar a partida (3-3), mas faltou cabeça, organização e competência na zona de finalização. Um resultado que bem negativo na luta pelo título, mas só podem queixar-se de si próprios, independentemente dos erros grosseiros que a dupla árbitro/VAR cometeu, prejudicando o Sporting na influência directa do resultado final.

Screenshot (1333).png

DESTAQUE - HIDEMASA MORITA - 3.5 - Acabou por ser o elemento mais regular da equipa, o que menos erros cometeu. Esteve directamente envolvido no 1º (assistência) e 3º golos da equipa.

ANTONIO ADÁN - 1 - Voltou aos desempenhos catastróficos, exibição de um guardião "finito", numa clara linha descendente da sua carreira, nestes momentos que a equipa necessitava de um grande guarda redes. desiludiu, com péssimas abordagens. Provocou insegurança em quase todos os lances que interviu, um penálti escusado por chegar atrasado, uma bola que largou e que quase deu golo, somando várias outras decisões estranhas, como o arriscar fintar adversários junto à linha de golo.

GENY CATAMO - 1 - Entrou pessimamente mal na partida, como pode ser comido daquela forma tão facil no lance do primeiro golo? Acusou o erro e nunca mais se reencontrou, andou noutra frequência diferente da do jogo, ou se adiantava ou chegava atrasado aos lances.

OUSMANE DIOMANDE - 2 - Uma sombra do que tinha feito no jogo europeu anterior, teve dificuldades em acompanhar a velocidade dos avançados do Rio Ave por má leitura nos lances. Não deu a devida cobertura ao Geny na primeira parte e acumulou erros por faltas desnecessárias no segundo tempo, quando passou para a esquerda da defesa.

SEBASTIÁN COATES (Cap) - 3.5 - Seria também justo dar-lhe o destaque, impediu a derrota da equipa e deu o exemplo na raça e na concentração. Transmitiu sempre boa energia à equipa, empurrando-a por todos os meios para a muito desejada vitória que acabou por não acontecer.

GONÇALO INÁCIO - 2 - Muitas dificuldades em assentar o seu jogo, a acompanhar o ritmo alucinante da partida durante a primeira parte. Os demasiados espaços que o Nuno Santos deixava descobertos ainda lhe aumentaram os problemas. Acabou por sair com procupante lesão muscular.

NUNO SANTOS - 1 - Noite de pesadelo e inaceitável para um profissional do Sporting. Matou a equipa e no pior momento com um penálti inacreditável. O que é que lhe passou pela cabeça para atacar o lance quando só bastava fazer contenção? Além desse lance desastroso, acumulou uma série brutal de acções negativas. Terá as orelhas a arder, pelos raspanetes que levou do capitão Coates e do próprio Gyokeres. Uma atitude no jogo incompreensível, só ao nível de um juvenil e que teve consequências.

MORTEN HJULMAND - 3.5 - Esteve sempre por cima na luta pelo meio campo, pena a grande instabilidade que a defesa provocou em toda a equipa e que o tirou do sério. Com um bom remate de ressaca fez o 1-1 e tentou repetir o mesmo remate por mais 2 vezes, mas acertou mal na bola.

PEDRO GONÇALVES - 2.5 - Noite para esquecer, teve vários lances muito favoráveis para dar a vitória à equipa, mas esteve péssimo no remate e desastrado nas bolas paradas. Noutros lances no meio campo e com espaço raramente conseguiu dar a bola em boas condições aos colegas da frente.

FRANCISCO TRINCÃO - 3 - Estava a ser claramente o elemento mais desequilibrador da equipa até se lesionar fortemente, num lance de claro penálti e eventual expulsão (pé em riste de pitões do Miguel Nóbrega) a que o árbitro e VAR fizeram vista grossa. Antes voltou a estar à beirinha de marcar, numa recarga à boca da baliza que proporcionou a defesa da noite ao Jhonatan.

VIKTOR GYOKERES - 3.5 - Voltou a ser o elemento mais inconformado e que mais tentou levar a bola e a equipa até à área do Rio Ave, teve duas oportunidades, numa fez o golo da remontada quase a terminar a primeira parte e que podia ter galvanizado a equipa para a vitória, na outra o guarda-redes defendeu.

EDUARDO QUARESMA - 3 - O jogo rapidamente decifrou que devia ter sido ele o escolhido de início, conseguiu com melhor eficácia parar aquela ala direita supersónica do Rio Ave, mas também não ficou bem na fotografia quando deixou o Azis aparecer solto na área, com o Adán a provocar o penálti.

MARCUS EDWARDS - 1 - Entrou muitíssimo mal na partida, não se viu ganhar um único lance, apresentando-se particularmente inadaptado ao terreno e ao jogo do adversário, foi sempre um a menos na equipa.

MATHEUS REIS - 1 - Também não entrou nada bem no jogo, o que lhe valeu fortes reprimendas dos colegas especialmente do Hjulmand. lento e previsível no passe e quando parecia entrar finalmente no jogo, o árbitro apitou para o final.

RÚBEN AMORIM - 2 - Difícil traçar em poucas palavras o muito que deve ser dito da preparação deste jogo em Vila do Conde, queimou-se um tiro por culpa própria, vários jogadores da equipa não conseguiram apresentar a mentalidade competitiva que se exigia para as características do adversário, cometendo serie de acções de erros grosseiros que surpreenderam muito pela negativa. Quando as coisas no relvado não estão a correr bem e só se fazem três substituições, é porque a lição foi mal estudada por todos e o banco não previu soluções. Os corredores foram muito mal defendidos, fechados e nada trouxeram de útil no ataque e na profundidade. Faltou cabeça, organização e competência.

LUÍS CARLOS FREIRE - 5 - Voltou a mostrar o que já se sabia, um treinador da nova era, com futuro. Muita audácia na forma como montou a sua equipa e do pouco fez muito, olhou de frente sem medo a equipa que pratica o melhor futebol  em Portugal, dividiu o jogo, os lances e a posse de bola com mérito e lealdade. Travou o Sporting, mas também beneficiou claramente dos erros grosseiros das equipas de árbitros.

ANDRÉ NARCISO - 1 - Arbitragem manhosa com tendências de inclinação nas suas decisões, prejudicando claramente o Sporting no técnico e disciplinar, deixando depois à conveniência a batata quente nas mãos do VAR nos lances capitais. Viu claramente a joelhada na cara do Gyokeres que seria expulsão, viu o penálti sobre o Trincão e viu a falta clara sobre o Pote no lance que resultou no golo do Rio Ave, a sua intenção percebeu-se também na altura dos descontos, depois do tempo que o jogador expulso demorou a sair do relvado, apitou aos 5' exactos, a missão foi cumprida?

ANTÓNIO NOBRE - 1 - Se ao árbitro ainda se lhe pode dar algum benefício da dúvida nos lances descritos, ao VAR com toda aquela artilharia de camâras e vídeos não pode haver perdão para erros tão grosseiros e agora o que vai acontecer-lhe? No futebol português, o crime é um negócio rentável, compensa sempre !!!

publicado às 04:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


77 comentários

Imagem de perfil

De Julius Coelho a 26.02.2024 às 15:24

Se eu também o tivesse feito estaria lá de certeza, quem acompanha os meus comentários sabe o que penso da importância que o Quaresma veio dar à equipa, é surpreendente, mas é um facto

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo