Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




As rivalidades históricas

Rui Gomes, em 18.11.14

 

4137_90a9e4feffac26aa654327ad316112a7.png

 

A propósito do encontro de hoje entre Portugal e Argentina, um artigo interessnte neste diário desportivo, no qual a já histórica rivalidade entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi é comparada à de lendas em diversas outras modalidades:

 

Pugilismo - Muhammad Ali e Joe Frazier

 

Fórmula 1 - Ayrton Senna e Alain Prost

 

Basquetebol - Larry Bird e Magic Johnson

 

Xadrez - Bobby Fischer e Boris Spassky

 

Atletismo - Carl Lewis e Ben Johnson

 

Ténis - Bjorn Borg e John McEnroe

 

Ciclismo - Greg Lamond e Bernard Hinault

 

publicado às 06:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


9 comentários

Sem imagem de perfil

De André Carreira de Figueiredo (ACF) a 18.11.2014 às 09:48

Meu caro Rui Gomes, permita-me,

Em vez do mediático Spassky Vs Fischer de 1972, sugiro antes Anataoly Karpov vs Garry Kasparov que durou essencialmente 15 anos (1984-1999), pode não ser tão mediático, nem tão transcendente, mas no Mundo do Xadrez foi uma rivalidade épica e com conotações sociais (que sãos as que muitas vezes ajudam a transcender o desporto e entrar na "Pop Culture") com o Soviético Karpov vs um jovem Kasparov que representava uma nova mentalidade em tempos em que Gorbachev se aproximava do poder.

No Boxe, que diga-se, é o meu desporto favorito. Sem dúvida que Ali Vs Frazier é o mais mediático porque transcendeu o desporto, mas dentro do desporto em si, há "Sugar" Ray Robinson (a "Perfeição" pugilistica) vs Jake Lamotta (a "Machismo" à moda antiga) que combateram 6 (Seis) vezes e Lamotta foi o primeiro homem a derrotar Robinson (de LONGE o melhor pugilista que alguma vez existiu).

Temos a trilogia entre Evander Holyfield (Coração de Leão) e Riddick Bowe (um grande talento, mas pouco disciplinado) que nos proporcionou um tanto coragem como qualidade técnica (algo raro naquela categoria de peso).

Temos a trilogia entre Marco Antonio Barrera (multifacetado) Vs Erik Morales (Coração de Leão) que também teve conotações sociais opondo o "citadino" Barrera contra o índio Azteca Morales, isto num país que tal como Porto Rico é "louco" por Boxe e por "Machismo".

Temos a trilogia entre Arturo Gatti vs Micky Ward, dois pugilistas limitados em termos de talento, mas com Corações de Leão, dois "gladiadores" da era moderna.

Shane Mosley Vs Oscar de La Hoya, entre os amadores e profissionais Mosley bateu De La Hoya 4 vezes, começou por o bater com 12 anos e muitos anos depois, em 2000 De La Hoya era o maior nome no Boxe e o melhor na categoria de 147 libras, enquanto Mosley era o melhor nas 135 libras. Mosley subiu duas divisões de peso (de 135, sem parar em 140 e competindo nas 147) e num memorável derby Californiano, o nativo de Pomona defrontou o nativo de East Los Angeles no Staples Center em 12 rounds de técnica e orgulho, com "Sugar Shane" a emergir vitorioso, uma grande noite para quem o seguia há muitos anos e aos 28 anos de idade Mosley finalmente tinha chegado ao topo da montanha.

"Sugar" Ray Leonard (dos melhor de sempre) Vs Thomas Hearns. Combateram em 1981 e 1989, mas é o de 1981 que fica na história. Leonard o menino bonito, o medalhista olímpico em Montereal em 1976, a "carinha" que atraía os sponsors, sorria e conseguia vender tudo, celebrado pela maioria da imprensa e pelo público, e além disso, era rápido, tinha poder concussivo e excelente técnica. Por outro lado, Tommy Hearns, alto, magro, feio, menos glorificado, mas, com um poder concussivo assustador e celebrado pelo "cogniscenti" do desporto. Era o contraste perfeito e creio que apesar de pesarem 147 libras, em 1981 foi o combate mais rico até então. Todos esperavam um Hearns destruidor Vs um Leonard Boxeador, mas, Hearns boxeou, e à distância foi dilacerando Leonard e estava a batê-lo aos pontos, até que na sua esquina, o lendário Angelo Dundee (DEP) ex-treinador de Muhammad Ali, disse a Leonard "you're blowing it, son, you're blowing it!". O menino bonito (mas intensamente orgulhoso) Leonard saiu do banco e foi para cima de Hearns com tudo numa demonstração de como o orgulho competitivo supera a dor e cansaço e impôs a sua vontade sobre Hearns obrigando o árbitro a parar o combate por TKO a favor de Leonard, memorável.

Por último, um combate que não foi uma rivalidade uma vez que foi apenas um e foi decisivo, mas, aconteceu no aftermath do 11 de Setembro em que uma nação estava de luto, Feliz Trinidad Vs Bernard Hopkins, um combate disputado em Nova Iorque e carregado de tensão entre os combatentes e ao mesmo tempo na sombra da tragédia que tinha acontecido na cidade e cujos cidadãos precisavam de algo para os distrair da sua tristeza, inesquecível.

Saudações Leoninas.

André Carreira de Figueiredo (ACF).
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 18.11.2014 às 23:37

Eu nao sou muito amigo da porrada...mas, este relato, levou-me até aos anos em estive totalmente fora do futebol (acidente, trauma) mas, nao fora do desporto (impossível) :)
Lembro-me bem de tudo isso que voce escreveu..
O que futebol faz !!! Ver um desporto do qual nao sou muito adepto

Abrazzo
Sem imagem de perfil

De André Carreira de Figueiredo (ACF). a 18.11.2014 às 10:37

Peço desculpa, mas a escrever à pressa comi algumas letras e até escrevi mal alguns nomes.

Max Schmeling Vs Joe Louis também é histórico, mais uma vez por questões sociais. O Alemão Schmeling bateu o negro Americano Louis numa altura em que o espectro nazi já ascendia na Alemanha (Schmeling não era simpatizante Nazi), mas, anos depois na revanche Louis vingou a derrota demolindo Schmeling em dois assaltos, ficando na história não apenas pelo 2º combate ser uma "inversão" tão radical em relação ao 1º, ma igualmente por causa da tensão entre Nazis e Americanos, Caucasianos Vs Negros. Em termos de semelhanças na qualidade de "inversão" só pode ser superado por Montell Griffin Vs Roy Jones Jr II em 1997, combate em que RJJ depois de perder (de forma estúpida) o 1º combate demoliu (mais literalmente do que figurativamente...) completamente Griffin em menos de 180 segundos, a diferença, é que do ponto de vista social não foi importante, do ponto de vista pugilistico foi "apenas" o melhor atleta (RJJ) da sua geração a demonstrar de forma enfática que a derrota no 1º combate tinha sido uma completa anomalia.

Marvin Hagler Vs Tommy Hearns em 1985, "A Guerra". Foi apenas um combate, mas, houve tanta animosidade durante anos antes do combate, e no combate em si, foram 3 rounds de "o Som e a Fúria". Nos últimos 150 anos poucos combates tiveram 3 rounds tão furiosos como aqueles, eram dois campeões imensamente orgulhosos e que não cederiam 1 milimetro, e o combate só podia terminar depressa ou muito depressa.

Tyson Vs Holyfield foi interessante, foi histórico, foi estratégia (de Evander) e coragem, mas, teve um final macabro e ambos estavam passados do seu auge, aliás, Tyson desde 1988 (22 anos de idade) que lentamente vinha a perder capacidade e motivação.

O "melhor" combate que já vi foi talvez o 1º da trilogia entre Marco Antonio Barrera Vs Erik Morales em 2000. Aquilo não pareciam seres humanos, pareciam cães de combate completamente dopados com PEDs e analgésicos, nunca vi nada assim. Energia inesgotável, não acusavam dores, agressividade incrível e um orgulho tão grande como a Cidade do México e a de Tijuana, um hino à testosterona e ao machismo, o tipo de combate em que o corpo humano envelhece 20 anos e fica com danos permanentes nos rins, fígado, grelha intercostal e com a coordenação motora alterada, "brutal" é o único adjectivo. Mostrei o vídeo a uma mulher e ela ficou agoniada, foi um "espectáculo" sobrehumano de puro machismo como os adeptos latinos bem apreciam e admiram nos seus guerreiros.

Mais rivalidades.

Chigaco Bulls de Jordan Vs os "Bad Boys" Detroit Pistons de Isiah Thomas.

Penso que Federer Vs Nadal também devia constar nas rivalidades históricas. Talvez também Peyton Manning Vs Tom Brady e Jack Nicklaus vs Arnold Palmer.

Joe Montana (o melhor QB de sempre) vs Steve Young, uma rivalidade "interna". Co-existiram durante 5 anos nos SF 49ers, o melhor de sempre a tentar manter o seu estatuto contra um QB 5 anos mais jovem e que viria a revelar-se um dos melhores da nova geração.

Saudações Leoninas.

André Carreira de Figueiredo (ACF).
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 18.11.2014 às 12:31

Antonio Carreira de Figueiredo fantasticas as suas passagens a recordar os grandes pugilistas e os grandes combates , outra guerra de facto e muito para contar.
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 18.11.2014 às 12:36

E o do Roky e o soviético tambem foi fantastico , lol
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 18.11.2014 às 12:41

Não é o Rambo ?
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 18.11.2014 às 12:43

lol sim claro
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 18.11.2014 às 12:33

Sena e Prost marcaram uma era de rivalidade de facto mas Lauda e Hunt a rivalidade atingiu outros patamares!!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 18.11.2014 às 12:42

Sim, concordo.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo