Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 
 
 
Excelente oportunidade desperdiçada pelo Sporting !... Contrário àquilo que Jorge Jesus disse sobre o empate da sua equipa em Barcelos, o Sporting, na realidade, pode ter ganho um ponto em relação ao FC Porto, mas perdeu dois na classificação geral porque tinha a obrigação de vencer a Académica em Alvalade.
 
O Sporting cedo assumiu o controlo do jogo mas sem a intensidade necessária para derrubar a equipa dos "estudantes" a jogar em linhas baixas. Uma ou outra jogada de maior perigo, mas nunca se sentiu a eminência de golo nos primeiros 45 minutos. A segunda parte viu o cenário alterar-se, com o Sporting a exercer maior pressão no último terço do terreno e com um maior número de lances junto à baliza de Ricardo mas, no final das contas, faltou a finalização, à mistura com uma boa dose de mérito do guarda-redes da Académica. Como era expectável, Slimani entrou aos 58 minutos para o lugar de André Martins e teve duas ou três excelentes oportunidades para golo, que acabou por não concretizar.
 
Como sempre, a escolha de extremos por Leonardo Jardim é uma autêntica lotaria e hoje não fugiu à regra. Carlos Mané e Wilson Eduardo, com Capel a entrar apenas aos 71 minutos e André Carrillo a não sair do banco. A lesão de Jefferson aos 62' terá transtornado os planos do técnico, mas são eventualidades normais do jogo.
 
Antes de abordar aquilo que mais desejo comentar, reitero o que já aqui escrevi em diversas ocasiões: Wilson Eduardo oferece um rendimento superior quando sai do banco e exactamente o inverso acontece com Diego Capel, que exibe sempre maior inspiração quando é incluído no onze incial.
 
Bem, por fim, e não menos importante, "cartão amarelo" para Leonardo Jardim, porque além de se ter atrasado a mudar o sistema de jogo, optou por correr o risco de não "limpar" os amarelos de William Carvalho e Fredy Montero e acabou por perder a aposta, assumindo agora as consequências de ir jogar o "derby" na Luz sem aquele que tem sido o melhor jogador do Sporting esta época. É possível, de facto, reclamar que houve uma boa dose de infelicidade e excesso de rigor por parte de Paulo Baptista, ao exibir o cartão amarelo ao médio do Sporting aos 90+2 minutos de jogo, mas a realidade é que o fez e não vamos poder contar com o jogador na próxima jornada. Foi igualmente evidente, pelo menos a mim, que William sentiu-se condicionado pela situação e, sem jogar mal, não demonstrou a sua usual intensidade. Salvo alguma surpresa do treinador, deverá ser Eric Dier a preencher o lugar de "6".
 
Como nota final, o Sporting mais uma vez demonstrou a sua falta de criatividade e profundidade no corredor central, muito por falta de um "10" para organizar jogo e ganhar algumas lutas no um a um. Esperamos que esta lacuna tenha sido corrigida com a chegada de Shikabala e ficamos agora na expectativa de ver a sua estreia, até já possível contra o Benfica. 

P.S. Mais uma vez não houve falta de apoio, com cerca de 36 mil espectadores em Alvalade, mais do que suficiente para levar a equipa à vitória.
 
Nota: Leonardo Jardim deve estar a brincar, decerto, quando disse pós-jogo que Shikabala terá de passar por um período de adaptação e que só jogará daqui a 3 ou 4 semanas. Isto, e que é um jogador que "também" joga nos corredores. Só pela palavra "corredores" fiquei logo arrepiado.
 

publicado às 20:17

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


27 comentários

Imagem de perfil

De Naçao Valente a 02.02.2014 às 23:47

Leonardo Jardim construiu uma equipa nova com jogadores de baixo valor e na sua maioria muito jovens. Começou com um plantel inferior ao dos adversários diretos. No início do campeonato os analistas diziam que era uma equipa para lutar pelo terceiro lugar. Passado meio campeonato está em segundo lugar. Joga com um plantel curto. Usou até agora um máximo de catorze ou quinze jogadores. Só perdeu um jogo na casa do campeão anterior. Tem um extremo em sub-rendimento, outro que joga aos repelões e ainda um outro que faz o que pode.

Estes são os factos. Claro que devia ter ganho à Académica, como devia ter ganho ao Nacional e especialmente ao Rio Ave (muito menos pressão). Com exceção de uma ou outra equipa de top europeu todas as equipas perdem pontos. Joga contra onze e com equipas muito motivadas e que também têm os seus trunfos.

Se cada vez que o treinador perder pontos se lhe der cartão amarelo ou até como vi aqui escrito, se se disser que é um treinador médio(?) com todo o direito de opinião, não se presta um bom serviço. Vai ao encontro do velho lema de que quando se ganha são os jogadores e de quando se perde é o treinador. Se os jogadores tivessem tido mais dinâmica, se tivessem aproveitado as oportunidades, se na hora de finalizar tivessem mais frieza e mais classe teriam ganho o jogo. No fundo há sempre muitos ses.

O Sporting veio de uma época péssima e de uma situação financeira muito complicada. Está a fazer com os meios que possui (reduzidos) uma excelente campanha. É preciso unidade e realismo. A não ser que queiram contratar o Guardiola e o Messi no mínimo.

PS W. Carvalho é um bom jogador mas há outros. Para isso é que o plantel tem vinte. E apesar W. Carvalho não jogar, o Sporting poderá ganhar ao Benfica ao contrário do que aqui foi dito.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 03.02.2014 às 00:13

O título do post é uma mera expressão relacionada com este jogo e, sobretudo, em referência à filosofia de Leonardo Jardim em não querer "limpar" amarelos, dado a importância do jogo da Luz.

Penso que ninguém minimamente justo e sensato avaliará o trabalho de uma época num só jogo ou num específico enquadramento de circunstâncias. Dito isto, Leonardo Jardim, como qualquer treinador, não é imune a crítica e note que já o critiquei, pontualmente, em vitória.

Todos nós temos um pouco de treinador de bancada, que tem muito mais a ver com a discussão sobre futebol, muito natural para um adepto, do que minimizar o todo do trabalho de uma equipa e, neste caso concreto, de um treinador.

As comparações à época anterior são irrelevantes, neste contexto. Vivemos no presente e não no passado e analisamos a actualidade e, neste tempo e espaço, temos uma excelente oportunidade para ir longe e não a devemos desperdiçar.

Claro que podemos ganhar ao Benfica sem o William , acho que ninguém disse o contrário, mas na minha opinião era um cenário desnecessário.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D




Cristiano Ronaldo