Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

11159991_420477324798953_8782978905106115339_n.jpg

 

... Ou porque há informações relevantes que não são reveladas, ou porque são apenas parcialmente reveladas, ou ainda, porque são reveladas com acentuada ambiguidade, já para não dizer pior.

 

Veio-se agora a "saber", segundo o que a Sporting SAD comunicou à CMVM através do Relatório e Contas semestral, que o montante que se encontra congelado pela UEFA é na ordem dos 18 milhões de euros, referente aos prémios desta época e da anterior.

Em concreto, são 18,2 milhões de euros retidos pelo organismo máximo do futebol europeu, contra os 14,2 milhões entretanto provisionados para fazer face a um eventual pagamento. Eventual porque, neste momento, o Sporting aguarda ainda uma decisão das instâncias nacionais, "situação esta que é considerada como relevante do ponto de vista jurídico."

Ainda que a Sporting SAD "tem reunidas todas as condições para, quando necessário, liquidar essa responsabilidade que por sua vez está devidamente provisionada nas Demonstrações Financeiras, pelo que não afectará a sua rentabilidade operacional futura".

 

A grande novidade - pelo menos para mim, que tenho acompanhado este processo com muita atenção desde o primeiro dia - é que contrário ao que sempre constou, não são só os prémios desta época que estão retidos pela UEFA, são também os da época passada.

 

Para verificar a veracidade desta disposição - algo que ainda não fizemos, mas temos toda a intenção de fazer - teremos de averiguar o valor total dos prémios de 2015/16 e, ainda, a data em que a UEFA emitiu a ordem de retenção da verba, por solicitação da Doyen Sports.

 

Ainda que o total da dívida é de 14,2 milhões de euros, quando se pensava que era 15,6 milhões. De qualquer modo, há ainda o acréscimo de custas e juros de mora de 0,5% mensalmente.

 

O terceiro ponto não verdadeiramente explicado, é que decisão é esperada das instâncias jurídicas nacionais, depois do juízo do Supremo Tribunal Federal da Suíça. Isto, no que é relevante ao pagamento da dívida, disposição que não pode ser revisitada por nenhuma instância jurídica.

 

O último parágrafo refere a mais da usual conversa demagógica, em que há condições para pagar mas que ainda não se pagou. Decerto porque o Sporting tem muito prazer em pagar juros de mora, além do impacte negativo na sua imagem.

 

É absolutamente exasperante lidar com um presidente deste baixo calibre, que, depois, ousa passar uma boa parte dos seus dias a disparar em todas as direcções do seu escritório no Facebook.

 

publicado às 18:18

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


49 comentários

Sem imagem de perfil

De Diogo a 01.03.2017 às 19:03

Caro Rui,

Porque, aparentemente, a discussão sobre o R&C do Sporting se limita ao caso Doyen, venho apenas notar quanto a esta sua consideração:

"O terceiro ponto não verdadeiramente explicado, é que decisão é esperada das instâncias jurídicas nacionais, depois do juízo do Supremo Tribunal Federal da Suíça. Isto, no que é relevante ao pagamento da dívida, disposição que não pode ser revisitada por nenhuma instância jurídica."

Que o R&C refere que:

"A Doyen requereu ainda, junto do Tribunal da Relação de Lisboa, o reconhecimento da sentença arbitral proferida pelo TAS/CAS. A Sporting SAD deduziu oposição argumentando que o reconhecimento seria contrário à ordem pública, designadamente porque a sentença arbitral (i) condena o Sporting ao pagamento de juros usurários; (ii) valida contratos que violam direitos fundamentais dos jogadores; (iii) valida contratos que violam regras do direito da UE da concorrência e a liberdade de circulação de trabalhadores. Sobre este último ponto, o Sporting requereu ao tribunal que suspendesse a instância para colocar determinadas questões ao Tribunal de Justiça da UE. O Tribunal aceitou a constituição da UEFA e da FIFA como assistentes do Sporting no processo."

Caso a Relação de Lisboa considere procedente que se trata a decisão arbitral implica uma violação de ordem pública, a decisão arbitral poderá não produzir efeitos na ordem jurídica nacional.

Discussão diferente será se, numa situação de litígio, deve o Sporting antes ou depois de esgotar todos os meios judiciais à sua disposição.

SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 19:08

Um resultado impossível, na minha opinião, e com o potencial para precipitar mais prejuízos para o Sporting, caso fosse essa a decisão.

Não passa de mais uma manobra para atrasar o pagamento da dívida. Isto, para quem tem alegadamente os meios para liquidar o montante em questão é, para ser simpático, bizarro. Por outro lado, tendo em conta o registo do Bruno com um bom número de empresas antes de chegar ao Sporting, não surpreende.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 19:23

Sempre pensei que o Rui não fosse fazer referência ao R&C mas sim o Drake.

Assim sendo a razão do SCP decorre de :

" A Doyen requereu ainda, junto do Tribunal da Relação de Lisboa, o reconhecimento da sentença arbitral proferida pelo TAS/CAS. A Sporting SAD deduziu oposição argumentando que o reconhecimento seria contrário à ordem pública, designadamente porque a sentença arbitral (i) condena o Sporting ao pagamento de juros usurários; (ii) valida contratos que violam direitos fundamentais dos jogadores; (iii) valida contratos que violam regras do direito da UE da concorrência e a liberdade de circulação de trabalhadores.
Sobre este último ponto, o Sporting requereu ao tribunal que suspendesse a instância para colocar determinadas questões ao Tribunal de Justiça da UE. O Tribunal aceitou a constituição da UEFA e da FIFA como assistentes do Sporting no processo.
Até à data o Tribunal ainda não proferiu qualquer decisão. "

Acho ainda mais curioso que o Rui tome de animo leve como correta os 0,5% ao mês referidos pela Doyen.

Sobre:

"A grande novidade - pelo menos para mim, que tenho acompanhado este processo com muita atenção desde o primeiro dia - é que contrário ao que sempre constou, não são só os prémios desta época que estão retidos pela UEFA, são também os da época passada."

Conforme deve saber existe um desfasamento de tempo até que UEFA os valores relativos a MArket Pool por exemplo e como acontece nessa rubrica eventualmente poderá acontecer noutras, basta ver por exemplo no relatório do 1º trimestre de 2016/17 a "Europa League Surplus" de 376 mil €.

Foi publico em Abril de 2016 que a UEFA iria cativar os valores a receber pelo SCP.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:01

Tanto para explicar tão pouco e nem lhe digo o que pode fazer com o seu parágrafo de abertura.

No que diz respeito à jurisdição portuguesa nada tem a ver com o juízo do tribunal da Suíça directamente, mas sim com o reconhecimento para efeito de penhora, que acho que foi o que a Doyen intentou.

Se não é 0,5% ao mês, quanto é ?

Sei que vocês são peritos em fazer copy-paste, especialmente de outros blogues com uma postura favorável ao "messias", mas pode indicar aqui a data exacta em que a UEFA congelou o dinheiro dos prémios ?
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:14

Rui ignorando o seu comentário alias está a tornar-se pratica usual logo pouco efetiva, sobre as minhas fontes digo-lhe que ainda sei ler os R&C.

As noticias que encontrei são todas de Março de 2016.

Mais recentemente encontrei este artigo do Record mas para o Rui não deve ser levado em conta pq o Record é pro bdc no entanto aqui fica:

"Os prémios do Sporting na Champions foram congelados pela UEFA por causa do caso Rojo, mas o dinheiro (entretanto transferido para uma empresa independente) só será entregue à Doyen quando for encerrado o caso que decorre na Justiça portuguesa, iniciado precisamente pela empresa e no qual os leões apresentaram um requerimento onde alegam que o acordo de partilha de passe do atleta violava os princípios da concorrência.
Ao que Record apurou junto da UEFA, a empresa depositária dos cerca de 15,6 M€ que o Tribunal Arbitral do Desporto obrigou os leões a pagar à empresa só libertará a verba quando o caso estiver completamente fechado nos tribunais portugueses."

http://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/doyen-a-espera-do-tribunal.html

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:20

O que eu não levo a sério é tudo o que tem origem com a falange de devotos, mas noto que a cada passo há um leque de valores diferentes.

Agora o dinheiro foi transferido para "uma empresa independente"... mas vejo que os tais 15,6 milhões são referidos.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:25

Tem de deduzir os já entregues 1,5M€ relativos ao Labyad dai a diferença.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:32

Acresce que as contas não são minhas nem o texto mas sim uma noticia do record do inicio deste ano.
Já percebemos bem que Rui está a seguir este rumo de fazer generalizações ou porque não tem resposta a dar ou porque simplesmente nem se dá ao trabalho (acredito que seja mais a 2ª), com isso vai perdendo o crédito que os leitores como eu sempre lhe deram.

Da mesma forma que o Rui põe tudo em causa amanha poderá suceder o mesmo com outro que não BdC e não vamos sair disto.

O Rui devia pensar se esta sua "motivação" actual contra BdC já não ultrapassara a medida do bom senso que sempre o categorizou.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:44

Sérgio,

Não venha com este discurso para mim, porque não me impressiona, nem eu lhe admitirei mais. Fique a saber.

É verdade que eu não tenho a v/disponibilidade para ver tudo em detalhe, mas não tenho problema algum em admitir quando estou errado.

Eu não confio e nunca confiarei no Bruno de Carvalho, simplesmente porque é um oportunista que não olha a meios para atingir fins. Ponto. Não há aqui outras motivações.

Verifico que o Record é o v/ponto de referência para tudo !
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:56

Rui eu não lhe peço para gostar de BdC, não lhe peço para confiar em BdC, são decisões susas.

Agora o que que questiono isso sim é o facto do Rui questionar informação que consta nos R&C que para além de envolverem o CD o CF ainda envolvem auditores externos (isso por sei bem que não suficiente para se considerar 100% a prova de maquilhagem) no entanto deveria ser o mínimo.

Eu descredibilizarmos este tipo de informações não estamos a descredibilizar o SC de Carvalho mas sim o Sporting Clube de Portugal.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 22:04

Como já referi vezes sem conta, os Relatórios e Contas não me dizem muito. Nem sequer o li para escrever este post, mas li sim a referência ao caso Doyen num outro portal noticioso. Foi o que motivou o meu texto.

Não me impressiona com esse discurso sobre credibilidade, quanto temos um homem sem nenhuma na cadeira da presidência.

Este caso da Doyen não faz o mínimo de sentido desde o primeiro dia. Pagava-se prontamente e depois, havendo causa para isso, recorreríamos aos mecanismos legais existentes para fazer queixa junto da UEFA/FIFA do comportamento dos responsáveis do Fundo. Era isto que devia ter sido feito logo à partida. Não foi, porque temos um presidente chamado Bruno de Carvalho, muito simples.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 02.03.2017 às 10:19

Notícia da imprensa em Dezembro de 2016:

"O Sporting informou esta quinta-feira que vai ter de pagar 12 milhões de euros ao fundo de investimento Doyen, depois de o Supremo Tribunal da Suíça ter recusado o recurso interposto pelo clube da I Liga portuguesa de futebol.

Os leões tinham decidido recorrer da sentença do Tribunal Arbitral do Desporto, que tinha condenado o Sporting a pagar 12 milhões de euros à Doyen, que detinha parte dos direitos do argentino Marcos Rojo, transferido para o Manchester United por 20 milhões de euros.

"O Supremo Tribunal da Suíça decidiu não dar provimento ao recurso interposto pela Sporting Clube de Portugal — Futebol, SAD sobre o chamado “caso Doyen”. Nesse sentido, foi confirmada a sentença proferida pelo Tribunal Arbitral do Desporto de Lausanne (TAS) que condena a Sporting Clube de Portugal — Futebol, SAD ao pagamento de 12 milhões de euros à Doyen acrescidos de juros”, lê-se no comunicado dos leões no Facebook.

A decisão do Supremo Tribunal Suiço não é passível de recurso, o que BdC está a fazer é tentar atrasar o pagamento, com evidentes custos reputacionais para o clube que devia defender, seguindo o velho ditado dos caloteiros que pagar quanto mais tarde melhor.

Mas com juros a vencer a 6% ao ano é um excelente investimento para a Doyen e por isso nem sequer têm pressa na cobrança.

Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 10:26

O Vasleras que o digam não é Francisco Maria!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 02.03.2017 às 10:30

Quando lhe faltam argumentos invoca sempre o SLB.
Mentindo como sempre.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 10:46

Não me confunda ...

Veja o que os Suecos tiveram que fazer para vocês chegarem-se a frente ... e passado quanto tempo !?

E não é falta de argumentos meu caro apenas uma lembrança ao vosso sentido critico em relação a temas relacionados com o SCP Vs a ausência dos mesmo qd relacionados com o vosso clube.

Quando perceber isso ai sim poderemos "argumentar" até lá vai levando com estes lembretes.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 02.03.2017 às 11:00

A sua falta de argumento até o leva a desmentir comunicados do seu clube, veja bem!
E o SLB pagou aos suecos apenas aqui a que tinham direito, nem mais um cêntimo, apesar das pressões públicas para extorquir uma pequena fortuna que não lhes era devida, e que tiveram que reconhecer.
Assunto encerrado... enquanto a Doyen vai capitalizando juros a 6% ao ano!
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 12:05

Mas desmentir o que homem o que é que eu desmenti !?

"E o SLB pagou aos suecos apenas aqui a que tinham direito"

Se tinham direito porque não o fez mais cedo !? Vá lá enganar quem quiser com a sua oratória.

A Doyen irá cobrar os juros a que tiver direito, assim como o SCP irá pagar, se estiver atento o processo em questão foi colocado pela Doyen nos tribunais nacionais o que o SCP fez foi aproveitar para:

"Sporting requereu ao tribunal que suspendesse a instância para colocar determinadas questões ao Tribunal de Justiça da UE. O Tribunal aceitou a constituição da UEFA e da FIFA como assistentes do Sporting no processo.
Até à data o Tribunal ainda não proferiu qualquer decisão. "

Acho que a UEFA e da FIFA não seriam assistentes num processo de um clube "caloteiro" como o caro teve a desfaçatez de escrever.

Eu assumo o que escrevo não preciso de me esconder em mentiras nem deturpar o que outros escrevem como o caro fez.

Passe bem .... longe de preferência!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 02.03.2017 às 12:11

Não é o seu clube que é caloteiro, é o presidente transitório que hoje lá está sentado.
Um dia a historia contará toda a verdade.
E as citações que faz referem-se a Abril de 2016, antes da decisão final a que se refere o comunicado do Sporting em Dezembro de 2016, que você está a desmentir.

E não me manda para longe, não tem autoridade para isso.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 15:12

"E as citações que faz referem-se a Abril de 2016, antes da decisão final a que se refere o comunicado do Sporting em Dezembro de 2016, que você está a desmentir."

As citações que fiz relativo ao processo com a Doyen fazem parte do R&C publicado ontem dia 01-03-2017.

Como esta a ver continua a mentir e a deturpar o que escrevi por isso pergunto-lhe +1 vez onde é que eu desminto o que ?



Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 02.03.2017 às 15:24

Bem sei donde retirou o texto, mas o factos referidos remontam a Abril 2016, antes da decisão final e sem recurso do Supremo Tribunal Suiço referida no comunicado do Sporting em Dezembro de 2016.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 16:17

O que você andar a fumar !?

Espero que seja a última vez que se intrometa nas minha conversas farei o mesmo em relação à sua pessoa.
Sem imagem de perfil

De João Gonçalves a 01.03.2017 às 19:25

O tal investidor mistério entrou também com 18 milhões.
É um número que se repete. 18 milhões.
Simples curiosidade, mais nada...
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:20

Sim, mas isso é outro assunto. Pelo menos penso que é.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:35

JG,

O nome do investidor é Kinder e vai ser uma surpresa quando for conhecido juntamente com o R&C do 1º semestre do SLB.
Sem imagem de perfil

De João Gonçalves a 01.03.2017 às 22:45

Boa resposta.
Haja boa disposição.
Sem imagem de perfil

De Tearjerker a 01.03.2017 às 22:27

Os 18 milhões já entraram? Onde foi buscar essa informação?
Segundo o R&C à data do mesmo não havia sucedido. E no capítulo de factos supervenientes também não me pareceu.
Sem imagem de perfil

De J. a 01.03.2017 às 19:48

Mas qual é o problema?
Tanto preocupação com a Doyen? Não há nada mais em que pegar?
Para mim há que atrasar o máximo possivel o pagamento a estas gentes, isto enquanto houver possibilidade de não ter que fazer o pagamento.
Sabe-se lá quando é que a Doyen vai desaparecer num qualquer paraiso fiscal não sei bem onde e que depois em caso de algum recurso se tenha que reaver qualquer coisa, não se tenha onde ir buscar esse dinheiro.

Enquanto houver possibilidades legais e juridicas do Sporting não ter que pagar estes valores a quem está no futebol por razões obscuras e pouco éticas, acho muito bem que não se pague.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:04

Para dizer o que disse, mais valia ter ficado calado. Mas eu sei que tem um prazer especial em fazer a figura de parvo !
Sem imagem de perfil

De NN a 02.03.2017 às 02:09

Isso, pode ser que venha a PJ e prenda os da Doyen todos. Ou se esfumacem no triângulo das Bermudas! Ou então voltamos ao mundo real onde dívidas de 15 milhões de euros não são esquecidas e ainda crescem à razão de 75000 € /mês em juros.
Sem imagem de perfil

De LG a 01.03.2017 às 20:22

O terceiro ponto é o que mais facilmente é explicado, e já o tinha referido aqui (tal como o comentador PMF no mesmo post):
http://camaroteleonino.blogs.sapo.pt/falta-de-transparencia-exasperante-2908774

Para que a sentença de um tribunal Suíço possa ser executada em Portugal tem de passar por processo prévio de reconhecimento/confirmação, o qual corre nos Tribunais da Relação. A Doyen pdiu o reconheciento, a SAD contestou, ainda não há decisão. esta ação já tem mais de um ano, começou em fevereiro do ano passado (informação prestada no último relatório anual)

De acordo com o R&C os 14,2 milhões incluem Rojo mais Labyad.

Falta de transparência? Quando tudo está pornograficamente escarrapachado no Relatório?

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:03

Isso, como já expliquei a outro leitor, será relacionado com a penhora que a Doyen intentou e não com a essência do caso.

Quando fala em descrições "pornográficas" deve estar a fazer ao Bruno, ele é que é pornográfico !!!
Sem imagem de perfil

De LG a 01.03.2017 às 21:35

Não, Rui, é um passo prévio à ação executiva, em Portugal não pode correr qualquer ação executiva enquanto o processo estiver na Relação.

Para que o acórdão do Tribunal Suíço possa ser executado (i.e, possa ser instaurada ação executiva em Portugal) tem de passar por este ponto prévio, e não é certo (será provável, mas não certo) que seja dado provimento total.
No post de 23 de janeiro linkei um acórdão de um tribunal q negou o reconhecimento total em Portugal de uma sentença proferida na Suíça (num caso de divórcio, a Relação de Guimarães não concordou com a forma como o tribunal suiço dividiu os bens, pelo que não reconheceu totalmente essa sentença de divórcio).


Quanto ao segundo parágrafo, acho que o BDC, nestas matérias, é transparente "demais", daí o "pornográfico".
Que transparência quer que o BDC tenha nesta matéria, afinal?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:48

Bem, não sou perito em Direito português, mas não compreendo como é que essa acção em Portugal impede o cumprimento de um juízo emitido na Suíça, que é a jurisdição da UEFA.

De qualquer modo, uma coisa me parece certa: tudo isto não é mais do que manobras para atrasar o pagamento e este atraso, enquanto possa dar tempo ao Sporting, está a ser cobrado com os juros.
Sem imagem de perfil

De Diogo a 02.03.2017 às 00:00

Caro Rui,

A explicação do LG está correcta. Não importa para o caso a "jurisdição da UEFA" - esta é alheia à relação entre Doyen e Sporting. Há um contrato privado, o qual foi estabelecido que se regeria pela Lei Suiça e tinha como árbitro o Tribunal Arbitral de Desporto, de onde foi proferida a respetiva sentença.

Mas para que essa sentença produza efeitos em Portugal e possa ser executada, é necessário que seja conforme à lei portuguesa. Os Tribunais Portugueses respeitam os Suiços, desde que seja respeitados princípios de ordem pública. O que faz todo o sentido, para evitar decisões que temos como absurdas sejam aplicadas cá sem qualquer triagem judicial, o que até poderia acontecer como meio de contornar a nossa própria lei (p.ex., foi uma sociedade portuguesa - Sporting - que se sujeitou à lei e arbitragem de outro país).

Sinceramente, chegados a esta fase e medindo o custo / benefício entre pagar e não pagar, faz claramente mais sentido que o Sporting esgote as vias jurídicas que tem ao seu dispor, até porque o Sporting é muito mais "penhorável" do que a Doyen.

SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 02.03.2017 às 00:20

Escrevi uma longa resposta e apaguei-a inadvertidamente. Agora vou ser mais breve.

Não vejo a necessidade do juízo do tribunal suíço produzir efeitos em Portugal, salvo no caso de penhora, e esta só se torna relevante se a UEFA não libertar a verba congelada.

Confesso que nem sequer compreendo a demora da UEFA, uma vez que a decisão final sobre a essência do caso já foi tomada e não pode ser revisitada. O facto de ainda não ter libertado a verba deve obedecer a outros critérios, porventura uma questão de "política" operacional.

O facto de termos chegado a este ponto, e ser "melhor" espremer o processo até ao fim, por todos os meios ao alcance, não anula a autêntica absurdidade de tudo isto.
Sem imagem de perfil

De Luis Vicente a 01.03.2017 às 20:46

Se no 1º.trimestre 2016/2017 declarou um lucro de 63 milhões de Euros.

Se no final do 2º semestre de 2016/2017 apresenta um lucro de 46,5 milhões de Euros.

Quer dizer que o Sporting no 2º.semestre,teve um prejuizo de 16,5 milhões de euros.

A este ritmo prevejo para o fim do exercicio um lucro entre os 15 a 20 milhões de lucro.

Para quem começou o exercicio com um lucro de 63 milhões,não está mal,não senhor.

Ou seja é o tão propalado "milagre"financeiro.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 21:03

Infelizmente o Rui dá lhe liberdade para vir aqui demonstrar a sua ignorância ... a quem ache piada a tanta demonstração de acefalia.

Ao menos esperava que o cromo do NGB publicasse a sua "visão" algo tipo cenas + VMOCs que é passivo e depois o caro fazia copy paste, assim da sua cabeça vai dar no mesmo mas fica você com ónus de ser o autor de tal comédia.



Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 21:33

Bem... aproveito o ensejo para deixar aqui um aviso ao Schmeichel.

Primeiro, já editei este "Luís Vicente" muitas vezes e sempre que eu entender que se justifica voltará a acontecer.

O Schmeichel, verifica-se, usa não sei quantos IP diferentes no mesmo dia. Ou muda o IP deliberadamente ou recorre a computadores e/ou ligações de Internet diferentes.

Até aí é um mal menor, mas não vai voltar a fazer o que fez hoje, porque será banido do blogue !!!

O Schmeichel escreveu um comentário sob o nome LUÍS VICENTE. Verifica-se que é o mesmo IP que utilizou para vários outros comentários no seu nome.

Isto é feio e de má fé, e não me interessa se é com o José, Joaquim ou Manel. Não volta a fazer isto !!!
Sem imagem de perfil

De Luis Vicente a 01.03.2017 às 22:52

Obrigado Rui.
Eu sabia que tinha razão,na minha vida não ando de má fé com ninguém.
O Rui como já comprovou eu usei sempre o mesmo IP,Luis Vicente é o meu nome próprio,assim como o meu mail é o mesmo para tudo.

Quanto ao SP,e a minha ignorância,registo que não desmentiu o que escrevi.
E o ignorante sou eu?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 23:16

O que é justo é justo, mas como já o avisei no passado, deve manter as suas intervenções em contexto e, muito como faz o Schmeichel, evitar trazer o Benfica para a conversa ao mais pequeno pretexto.

Devia ter editado o seu comentário neste post, mas quando o li já tinha respostas e optei por não o fazer.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 08:17

Meu caro não preciso de o desmentir o seu raciocínio a "la merceneiro" é suficientemente elucidativo.

Entre Janeiro e até ao final do exercício muito se passará a nível financeiro.

Mas lanço-lhe uma pergunta que responde as suas "duvidas"!

Imaginemos um clube que consegue num exercício em vendas a módica quantia de 82M€ e chega ao final do ano com um resultado liquido de 20M€ como classificaria esta gestão !???

* Os números em questão não são ficção e foram retirados do R&C do SLB 2015/16
Sem imagem de perfil

De roc a 01.03.2017 às 22:00


Este anormal disse que se ao fim de 4 anos de presidência o Sporting não ganhasse o titulo de campeão nacional...se demitiria!

Não o fez!

No próximo sábado, lá estará com a "lata" própria de quem não tem palavra e nem um pingo de dignidade na cara.

E para cúmulo e que dá vontade de rir às gargalhadas, acaba de declarar que "No próximo mandato vamos ser campeões".

Será só mais uma promessa cheia de certeza, como tantas outras que não cumpriu, dirigida à sua CARNEIRADA fiel.

Mas o que é que este gajo sem vergonha e sem respeito pelos outros fez aos seus apoiantes, que depois de todas as promessas que fez e não cumpriu, ainda se batem na NET por este CAMBALHOTAS sem escrúpulos?
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 22:24

ROC e habitual imprecisão.

"Bruno de Carvalho: A medida do meu sucesso? Ser campeão"
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/desporto/detalhe/a_medida_do_meu_sucesso_ser_campeao

Acho que conseguirá perceber a diferença entre o que você escreveu e o que BdC efectivamente disse.
Sem imagem de perfil

De roc a 02.03.2017 às 11:10


"No próximo mandato vamos ser campeões"

https://www.noticiasaominuto.com/desporto/750349/no-proximo-mandato-vamos-ser-campeoes

Eu escrevi o que li, pois não estava lá.

E você estava? Merece-lhe mais confiança a sua fonte de informação do que a minha e porquê?

Não é de agora que se sabe, que para si as suas fontes de informações são sempre as melhores...mas quando lhe agradam!

Para mim e estou certo para outros, esta frase só pode ser interpretada como uma CERTEZA, como tantas outras feitas no passado e que ficaram por cumprir.
Das certezas do seu líder está o Sporting cheio, mas de títulos no futebol, como diz o seu comparsa...BOLA!






Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 02.03.2017 às 11:57

Homem você tem sérios problemas de perceção:

Veja bem o que escreveu:

"Este anormal disse que se ao fim de 4 anos de presidência o Sporting não ganhasse o titulo de campeão nacional...se demitiria!"

E o que BdC disse ontem:

"No próximo mandato vamos ser campeões"

e no passado como referi tinha dito:

"A medida do meu sucesso? Ser campeão"

Em lado nenhum fala em DEMISSÃO!

Vou contar-lhe um segredo as minhas fontes são SCP, CMVM e o google, tento desta forma evitar as figuras que o caro faz. Existe sempre alguém pronto a apontar o dedo ao que escrevo.
Sem imagem de perfil

De diogopais a 01.03.2017 às 22:10

Sergio os relatorios trimestrais e semestrais não são auditados por nenhuma entidade.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 01.03.2017 às 22:21

Caro Diogo,

É verdade que os relatórios trimestrais não têm o mesmo tipo de obrigações legais que o R&C anuais mas dai a dizer que não são aditados é um pouco excessivo.

"Relatório de Revisão Limitada "

É o que consta no R&C onde podem ser as considerações PWC relativas as contas do 2ª trimestre.

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.03.2017 às 22:24

Obrigado caro José Santos. Tomei nota e poderei vir a publicar.
Sem imagem de perfil

De Tearjerker a 01.03.2017 às 23:14

As contas são globalmente positivas, e acabam por ser um reflexo do trabalho meritório que a atual direção fez no seu mandato.

No entanto, há alguns pontos do relatório e contas do primeiro semestre que considero importantes para analisarmos nos próximos tempos:

1. As receitas geradas decorrem em grande parte do desempenho realizado no passado (vendas, liga dos campeões, bilheteira) e não é líquido que no próximo ano tal volte a suceder. É por isso crítico ajustar os custos operacionais para um nível sustentável (~75% receitas, ainda que julgo que os organismos do futebol apontem como prática o limite de 60%) que ainda assim permita encurtar de alguma forma o gap de competitividade para os rivais.

2. A dinâmica operacional ainda não é virtuosa. Não temos uma base de custos operacionais que gerem o rendimento correspondente. É fundamental voltar a privilegiar os jogadores formados em Alcochete com custos salariais mais baixos e rendimento suficiente para as competições internas.

3. O montante de ativo corrente é bastante inferior ao passivo corrente (creio que à volta de 50 milhões). Face às responsabilidades de curto prazo, terão de ser asseguradas novas disponibilidades suficientes para cumprir com as mesmas. Naturalmente existirão já soluções tácticas para dar resposta a essas obrigações de curto prazo (ex.: entrada em capital dos 18 milhões, emissão de novas Vmoc's prevista, ou venda de jogadores). Para termos uma noção desta falta de liquidez que me parece existir, apresentava-se em caixa 5 milhões de euros, que corresponde, ao valor médio do primeiro semestre, da rubrica de gastos com pessoal. Acresce que, ainda que os custos com pessoal sejam menores no semestre corrente, não vai haver prémios de UEFA e outras receitas sazonais no mesmo período. As necessidades de fundo de maneio serão por isso crescentes neste período, a juntar à situação de curto prazo complexa apresentada no R&C.

4. Por último, nenhum dos pontos acima me faz questionar a recuperação económica e financeira levada a cabo nestes 4 anos. Confesso que não consigo entender como alguém, com base na informação pública e auditada por entidades independentes, pode questionar a evolução tremenda que foi conseguida. A situação atual está longe de ser ideal (e os pontos que levanto creio que descrevem as minhas principais preocupações com o presente e futuro próximo). Mas quem conseguiu o que conseguiu neste campo nos últimos 4 anos, será capaz de resolver certamente os problemas financeiros que hoje vivemos. Na vertente "contas" a lista de Bruno de Carvalho ao Conselho Diretivo mereceria indubitavelmente o meu voto.

Saudações Leoninas

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo