Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Conheça as novas regras do futebol

Rui Gomes, em 01.07.19

maxresdefault.jpg

Voltamos a publicar este post do dia 8 de Junho, para lembrar os leitores das novas regras no futebol, que entram em vigor esta segunda-feira.

A época 2019/2020 vai trazer muitas novidades no seio da arbitragem. Há muitas regras novas no futebol pelo que, a partir do início da próxima época, muita coisa vai mudar.

Há mudanças na interpretação sobre bola na mão ou mão na bola, sobre cartões amarelos e vermelhos, livres, pontapés de baliza e ainda celebrações.

Conheça as principais mudanças nas regras do futebol para 2019/2020:

Mão na bola: O árbitro deve considerar mão na bola sempre que esta embate num dos membros superiores do corpo e se dirige para a baliza, mesmo que o desvio não tenha sido intencional. Será também considerado mão na bola sempre que um jogador marque um golo após dominar a bola com a mão/braço ou aumente a a volumetria do corpo com ajuda dos braços/mão ou estes estejam numa posição acima dos ombros. E será também mão na bola sempre que um jogador ganhar a posse de bola após esta bater-lhe na mão ou braço e, na sequência, marcar ou criar uma situação de golo.

Não é mão na bola: Quando um jogador remata ou passa a bola e esta embate num adversário que se encontre perto do raio de acção; quando um jogador está a cair e a bola embate no braço/mão que apoia a queda; quando o braço/mão do jogador se encontra encostado ao corpo.

Penáltis: O guarda-redes não se pode mexer antes de a bola partir, não podendo tocar na rede, na trave ou até nos postes. Quando a bola parte da marca de grande penalidade, o guarda-redes tem de estar em contacto com a linha de golo. O jogador que sofreu a grande penalidade, mesmo que assistido, pode ficar em campo para bater o castigo máximo.

Livres: Na marcação de um livre, os atacantes não podem ficar no raio de um metro da barreira, quando esta é formada por três ou mais elementos. Se os jogadores estiverem neste espaço quando a bola é reposta em jogo, será marcado um livre indirecto contra a equipa que estava a atacar. 

Se o árbitro estiver prestes a admoestar um jogador com um cartão (amarelo ou vermelho) mas a equipa que sofreu a falta decidir bater rapidamente o livre e criar uma situação de golo iminente, o árbitro pode adiar a mostragem do cartão até à paragem seguinte se a equipa infractora não estiver distraída pela acção do juiz.

Celebrações: o jogador é advertido com cartão amarelo se a celebração for ilegal (tirar a camisola, ir festejar nas grades, saltar as barreiras de publicidade), mesmo que o lance seja anulado, após revisão do vídeo-árbitro.

Substituições: O jogador substituído é obrigado a abandonar o campo na linha lateral mais próxima onde estiver, quando o árbitro autorizar a substituição.

Pontapé de baliza: A bola já não tem que sair da grande área para poder ser tocada por um jogador de campo no pontapé de baliza.

Advertências: Os agentes desportivos com lugar no campo (elementos das equipas médica e técnica) são admoestados com cartões amarelos ou vermelhos pelo árbitro em caso de conduta imprópria. Caso o árbitro não consiga identificar uma pessoa, será o treinador principal a receber o cartão.

Pausas durante o jogo: Podem existir pausas para refrescar ou para hidratar, sempre que for necessário, para garantir a segurança dos jogadores. As mesmas têm de ter um máximo de três minutos para hidratar e máximo de um minuto para refrescar.

É de prever que algumas destas alterações vão dar "pano para mangas" para debate e até polémica durante a época, especialmente enquanto os intervenientes não as conscientizar completamente.

***Quem desejar ouvir mais explicações sobre as novas regras, deixamos aqui o link para o programa O Dia Seguinte da SIC Notícias.

publicado às 05:46

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


29 comentários

Imagem de perfil

De Mike Portugal a 07.06.2019 às 09:03

Portanto se eu tiver que rematar na direção da baliza, não preciso de apontar para a baliza em si, basta-me apontar para o braço do jogador que estiver no caminho. Que lindo !!!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 10:34

Bem... na realidade, não é o que já acontece?
Imagem de perfil

De Mike Portugal a 07.06.2019 às 10:44

Não. Se eu chutar na direção da baliza, se for com as regras de hoje e se o jogador tiver os braços colados ao longo do corpo não é penalty. Perante a nova regra, é sempre penalty independentemente de onde os braços estejam.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 10:46

"Quando o braço/mão do jogador se encontra encostado ao corpo" não é, diz a regra.
Sem imagem de perfil

De R. Ribeiro a 07.06.2019 às 15:01

Caro, não é se o jogador mantiver os braços junto ao corpo, que é o que agora já se faz. O que vieram fazer foi retirar a subjectividade da análise do lance ao árbitro. Se o jogador tem os braços junto ao corpo, não é mão. Não interessa se havia intenção ou não. São muito boas medidas, na minha perspectiva.

Aquilo que vejo que irá ser a espinha nos jogadores é quanto às celebrações. Agora, pelo que leio e interpreto, não podem sair das 4 linhas para celebrar, podendo ser admoestados com amarelo. E sabemos como os jogadores perdem a cabeça quando marcam o golo da vitória.......
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 15:23

Como é possível determinar qualquer grau de intenção quando o jogador tem os braços junto ao corpo?
Sem imagem de perfil

De R. Ribeiro a 07.06.2019 às 17:18

Não quando tem os braços junto ao corpo. O árbitro considerava ou não, à sua conveniência, a casualidade do braço estar afastado do corpo. Agora é mais simples, se o braço está afastado do corpo e não tenha sido "à queima", é mão na bola. Só terá que avaliar duas constantes, nada mais. Creio que a subjectividade foi praticamente erradicada deste lance tão penalizador. Há 2 anos, os 2 toques de mão na bola do pizzi, se não estou em erro, que deu em golo, teria sido marcada falta. O árbitro entendeu que era "casual". Também nesse jogo teríamos visto alguns lances contra serem marcados. Acho que é uma boa forma, clarificar e retirar a subjectividade do árbitro na avaliação do lance.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 17:24

O seu argumento agora é diferente, mas, de qualquer modo, em Portugal vai alterar muito pouco.

Vem tecnologia nova, vêm novas regras, mas os homens - e a mentalidade - em nada altera.
Sem imagem de perfil

De PSousa a 07.06.2019 às 10:25

As regras não me assustam, assusta sim os grandes interpretadores das mesmas, aqueles que com o apito na boca erram mais vezes do que acertam quando há cores em jogo.

Rui,
Deve ser lapso, nas pausas durante um jogo, têm 1 minuto para se refrescar e mais 3 minutos também para refrescar? , será hidratar?
SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 10:32

Obrigado, foi lapso meu. É mesmo hidratar.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 11:12

P.S.: O problema com algumas destas alterações é que dão ainda maior margem para interpretação. Um grande erro do International Board porque o objectivo devia ser, cada vez mais, reduzir essa margem para interpretação.

Faz-me lembrar os meus anos no Oriente em que se dizia, palavras para o efeito: há a lei da terra e há a lei do homem, homem diferente, lei diferente.

Compreende-se a intenção...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.07.2019 às 15:49

"Faz-me lembrar os meus anos no Oriente em que se dizia..."

Caro Rui, também esteve em Macau como eu? Estive 10 anos da minha vida na província de Guangdong. Um dia vou lá voltar.

Transmontano
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.07.2019 às 17:05

Caro Transmontano,

Não se identificou e só por acidente não apaguei o seu comentário.

Eu tive escritório e até residi muitos anos em Hong Kong. Como tal, visitei Macau dúzias de vezes e tinha lá bons conhecimentos.

Também tive escritório em Shanghai e numa cidade mais pequena de Guangdong, chamada Shenzhen.

Agora já terminei todas as minhas operações e salvo grandes amigos, não tenho ligações com a Ásia do Sul.
Sem imagem de perfil

De Ghost a 07.06.2019 às 10:50

"Mão na bola: O árbitro deve considerar mão na bola sempre que esta embate num dos membros superiores do corpo e se dirige para a baliza, mesmo que o desvio não tenha sido intencional."

"Não é mão na bola: Quando um jogador remata ou passa a bola e esta embate num adversário que se encontre perto do raio de acção;"

Está aqui algo de estranho que não estou a conseguir compreender. Estas duas regras parecem contradizer-se e criam espaço para muita polémica.

Pegando no exemplo que alguém deu em cima, o que acontece se eu rematar na direção da baliza, mas propositadamente contra o braço de um defesa que se encontra dentro da área? Qual das regras se aplica?
Sem imagem de perfil

De João Eduardo a 07.06.2019 às 10:58

Pelas explicações que já ouvi a primeira refere-se a jogador da equipa atacante, que não pode beneficiar de mão na bola, mesmo que involuntária, e a segunda a jogador da equipa que defende e aqui não há novidade.
Sem imagem de perfil

De Ghost a 07.06.2019 às 11:26

Realmente, assim faz mais sentido.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 11:07

É praticamente impossível provar esse "prepositadamente"!

Em resposta à sua pergunta, desde que o braço não esteja junto ao corpo, é penálti.
Sem imagem de perfil

De António a 07.06.2019 às 11:01

A mão na bola vai continuar a ser um.show.

Aliás, tudo vai continuar a ser polémico. Ainda ontem um holandês foi atropelado por um.inglês e quer o árbitro quer o VAR consideraram o lance normal.
No dia anterior, o Félix sofreu falta na área e nada foi assinalado. Logo a seguir o Nelsinho toca acidentalmente num suíço e foi marcado, bem, penalti.

Mais: sem aquelas linhas que apareceram na TV, eu juraria que o golo anulado à Inglaterra era legal, porque dá toda a sensação de que o LD da Holanda está a pôr em jogo o avançado inglês.

Enfim, pouco ou nada vai mudar, até porque existe um árbitro em cada um de nós.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 11:04

No golo invalidado à Inglaterra, fiquei com a ideia que o jogador estava em linha. Não sei o que o VAR viu que nós não conseguimos ver.

Concordo que pouco vai mudar, nomeadamente em Portugal. A polémica é eterna...
Sem imagem de perfil

De João Silva a 07.06.2019 às 16:36

Vai mudar para mais controvérsia em que ninguém se vai entender.
Quando o árbitro ou o VAR decidir em nosso favor, os adeptos da equipa beneficiada vêm todos louvar as medidas agora introduzidas, quando decidir a favor da outra equipa cria-se o inferno na terra.
Sempre assim foi e sempre assim será. Se já era assim com estas medidas mais discussão vem a caminho.
Ontem, por exemplo; o golo anulado à Inglaterra foi só porque o VAR quis que fosse porque foi um golo absolutamente legal.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 17:28

Daí, a excelente iniciativa dos ingleses que vão mostrar nos ecrãs gigantes os lances em que o VAR assentou a sua decisão.

Já no jogo entre Portugal e a Suíça, não consegui ver o que o VAR e o árbitro viram para assinalar grande penalidade. Houve um lance com o Félix, muito mais flagrante, que passou em branco.

Enfim... isto nunca terá fim!
Sem imagem de perfil

De Zappa a 08.06.2019 às 01:31

Caro, Rui
Mas mostrar no ecrã gigante, acho que não vai alterar a decisão tomada pelo árbitro ?
Já no estádio os adeptos vão manifestar-se, espero que sem confusões.
Nos penaltis do Portugal-Suiça, completamente de acordo consigo.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 08.06.2019 às 01:47

A questão importante é a transparência e creio que é essa a ideia dos ingleses.
Sem imagem de perfil

De geronimo batista pereira a 07.06.2019 às 21:33

o jogador de Inglaterra esta fora de jogo por meia bota depois do lance revisto apareceu a decisão do var onde se via com a linha virtual do var
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.06.2019 às 21:37

"Meia bota" ???

Enfim...
Sem imagem de perfil

De geronimo batista pereira a 07.06.2019 às 21:41

nao sei foi meia bota mas na repeticao do var o pe do jogador esta mas a frente que ultimo defensor
Sem imagem de perfil

De R. Ribeiro a 01.07.2019 às 09:45

O Renan está tramado. Agora não pode saltitar e "acarinhar" a barra da baliza durante os penaltis... Coitado do rapaz

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo