Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dignidade esquecida

Rui Gomes, em 07.06.18

 

20450744_u1Btt.png

1. Quando Bruno de Carvalho foi a votos, apresentou a sua equipa, a sua comissão de honra, o seu programa e os seus apoiantes. Foi nesse conjunto que os sócios votaram.

 

São conhecidas as várias renúncias de parte importante dos órgãos sociais, a retirada de indefectíveis, as clivagens na base social que suportava a candidatura, a desmobilização, as críticas públicas - e muitas vezes contundentes - à sua actuação.

 

Os pressupostos sobre os quais, a actual direcção do Sporting alicerça a sua legitimidade, deixaram de existir, pelas razões mencionadas. O Brunismo de hoje, é uma versão mirrada e pálida, da euforia "bardamerda", da noite das eleições.

 

2. Os lamentáveis acontecimentos da Academia foram muito mais do que um "mero" acto de terrorismo.

 

Aquelas agressões, feriram muito mais do que jogadores e equipa técnica; atingiram o âmago dos valores sportinguistas, permanecem como uma chaga dolorosa e sobretudo, levantaram muitas dúvidas profundas e sistemáticas, sobre os métodos de governance do clube, a relação com as claques e a sua manipulação, a política de relacionamento com os jogadores e muito mais.

 

Mesmo que a direcção do clube e a administração da SAD não sejam responsáveis pelo que sucedeu em Alcochete, numa pura óptica de relação causa-efeito, nem por isso podem sacudir responsabilidade institucional, porque o que aconteceu não foi por acaso, foi antes o perverso corolário de um modelo de gestão, centrado no voluntarismo comportamental e comunicacional do presidente da direcção.

 

O que ocorreu na Academia não pode ser, como os fogos de Pedrogão, culpa de ninguém, porque um clube como o Sporting, mesmo com a gente que o dirige, deve reger-se por imperativos éticos, que a política, infelizmente, parece já ter perdido.

 

3. Dos fatos que integram a justa causa de rescisão unilateral do contrato do Rui Patrício, ressalta uma cristalina evidência: o actual presidente da direcção é parte de um grande problema e não é parte de nenhuma solução.

 

A forma e o conteúdo das comunicações, que o presidente da SAD se arrogava o direito de dirigir aos jogadores - pergunto ao abrigo de que modelo de governance ? - não podem deixar de criar junto destes justificado mal-estar e ressentimento.

 

Tanto mais, provindas de quem cavalgava, com colagem adesiva, os êxitos desportivos da equipa de futebol; ou já nos esquecemos das voltas olímpicas e dos agradecimentos arrebatados no final dos jogos?

 

Enquanto a actual direcção se mantiver, a SAD corre o risco de mais rescisões, porque - agora percebemos porquê - os jogadores não vão com a cara do Bruno.

 

A política de relacionamento com os profissionais falhou e o risco de permanência da direcção, é o risco de perda irremediável de activos valiosos e da solvência da SAD.

 

Compreendem agora, porque falo em dignidade?

 

publicado às 03:15

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo