Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Faltou caprichar na finalização"

Rui Gomes, em 26.10.18

 

doc2018102525028843jsg_3387130290a5_base.jpg

 

Renan Ribeiro, um dos destaques do Sporting frente ao Arsenal, apesar do golo sofrido, em declarações à Sport TV no final do encontro, considera que faltou aos leões maior capricho na hora de finalizar, para conseguir um resultado mais positivo:

 

"O Sporting realizou uma boa exibição. Faltou caprichar um bocadinho mais na altura da finalização. Agora, é trabalhar para evoluir e encontrar o caminho certo para ganhar sempre.

 

A Liga Europa é uma prova que sempre quis disputar e hoje foi realização de um sonho. Mas estou triste, a equipa não merecia esta derrota.

 

Fico muito feliz pela oportunidade e pela confiança em mim. Durante a semana treino muito sério. Só pode jogar um e a decisão só cabe ao treinador. Se dermos o melhor no treino será melhor para o Sporting".

 

Nemanja Gudelj considera que o Sporting baixou demasiado as linhas na segunda parte, porventura devido ao cansaço da pressão alta exercida no primeiro período:

 

"Cada jogo que perdemos não estamos satisfeitos. Queríamos ganhar este jogo. Penso que a primeira parte jogámos muito bem. Esperámos bem o Arsenal em zona central e tivemos contra-ataques perigosos.

 

Na segunda parte fomos demasiado para trás, tínhamos de pressionar mais no meio-campo como fizemos na primeira, e o Arsenal teve mais bola, foi mais perigoso e marcou o 1-0. Talvez estivéssemos cansados da primeira parte, jogar desta maneira custa muita energia".

 

publicado às 11:41

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


14 comentários

Sem imagem de perfil

De PSousa a 26.10.2018 às 13:18

Ambos tem razão na sua apreciação.

O que eu não posso ouvir\ler é o "nosso" treinador dizer:

"As outras equipas sofrem em média 3 golos, nós perdemos por 1!"

É por estas e por outras que eu não "vou à bola" com o Peseiro.
Sem imagem de perfil

De Cris Dileo a 26.10.2018 às 14:05

Concordo

Peseiro passa a ideia que queria perder por poucos e que conseguiu o seu objetivo

É óbvio que ate pode ser uma frase mal retirada do contexto mas há coisas que simplesmente não se podem dizer e o Peseiro ja tem algumas assim este ano.
Sem imagem de perfil

De António a 26.10.2018 às 14:07

Juntando o facto de que equipas como o Arsenal, quando vêm a Portugal, jogam o mínimo dos mínimos.
Sem imagem de perfil

De Bragança a 26.10.2018 às 14:21

Metade da equipa principal não jogou!
O futebol Tuga está na segunda divisão europeia, ponto final.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.10.2018 às 14:50

António e Bragança,

Para dizerem palermices deste género, mais valia ficarem calados.

Só faltou dizer que equipas como o Arsenal vêm a Portugal deliberadamente perder.

Ao ponto que isto chegou!!!
Sem imagem de perfil

De António a 26.10.2018 às 17:50

Quando discordam de si, foge-lhe o pé para a chinela, Rui.

Crê mesmo que estas equipas vêm a Portugal jogar com toda a intensidade que têm? Não, vêm procurar vencer poupando-se ao máximo, crentes que mais tarde ou mais cedo acabarão por marcar.

Fosse isto na fase eliminatória e veríamos como as coisas são.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.10.2018 às 18:11

Não é por discordar de mim, mas sim pelo seu mau hábito de mandar bocas avulsas.

O Arsenal, com um plantel multi-milionário e sem nunca vencer em território Luso nos 132 anos da sua história, veio a Portugal fazer turismo.

A conclusão óbvia, a julgar pelas suas palavras.

Deve ser por essa mesma razão que não conquista a Premier há 15 anos!!!
Sem imagem de perfil

De António a 26.10.2018 às 19:06

Não são bocas, é a minha opinião.
E não seja desonesto intelectualmente: o Arsenal não veio fazer turismo, veio tentar ganhar com o mínimo esforço possível.
Regra geral, escrevo em português claro e inteligível. Sim, esta é uma boca avulsa, porque cabe no cardápio de muita gente.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.10.2018 às 20:40

Com o que está em jogo, "veio tentar ganhar com o mínimo esforço possível".

É a primeira vez que vejo esta expressão neste contexto. Se me dissesse que a ideia era resolver o jogo o mais rápido possível para então fazer gestão do esforço, ainda aceitaria.

O Arsenal não fez mais na primeira parte porque o Sporting foi superior e não o permitiu. A segunda parte é diferente, porque os nossos jogadores acusaram fatiga da pressão alta que exerceram e recuaram no terreno, cedendo o meio-campo aos ingleses.

P.S.: O António adora mandar bocas avulsas, quer o admita ou não, e como tal sujeita-se a levar resposta. Estou a ser intelectualmente honesto!?!
Sem imagem de perfil

De António a 26.10.2018 às 23:15

É a sua "leitura" das minhas palavras, a questão das bocas. Além de que não disponho de tempo regularmente para umaparticipação diária. E digo o mesmo, por exemplo, do Benfica vs Bayern. Os alemães não deram mais porque não desejaram carregar no acelerador e pouparam esforços ao máximo. E por aí fora...
Insistir neste diálogo é desperdício de tempo para ambos, logo não há por que continuar.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.10.2018 às 23:19

Cada caso é um caso. O Liverpool é uma coisa e o Bayern é outra muito diferente, além de estar a disputar a Champions.

Mas ficamos assim. Não é necessário estarmos de acordo.
Sem imagem de perfil

De aracaçu. a 26.10.2018 às 16:42

Boa tarde a todos...

É o seguinte. Eu até posso concordar com uma táctica mais conservadora nestes jogos de maior dificuldade, apesar de achar exagerado jogar com um meio campo com 3 atletas de propensão mais defensiva (Battaglia, Gudelj e Petrovic), mas o Sporting não pode ter este conservadorismo excessivo, em jogos por exemplo, contra o Poltava ou Qarabag, ou no domingo contra o Boavista e depois Estoril (TL) e Santa Clara... Diaby não acho que seja grande reforço, mas porque na ausência de Bas Dost, não coloca simultaneamente Diaby e Montero de início, 2 avançados num 4-1-3-2 como fazia o Jesus na sua primeira época no Sporting e 2 ou 3 no Benfica? Qual é o medo? Se o Sporting coloca tão pouca gente na área no processo ofensivo, os adversários ficam mais confortáveis e com o passar do tempo vão acreditando que numa transição ou bola parada podem meter-nos um golo... como disse não acredito muito no Diaby, mas se ele não jogar com regularidade, como podemos realmente ter uma apreciação final do maliano?

Espero que no jogo contra o Boavista jogue com Gudelj a 6, Bruno Fernandes a 10, Nani e Jovane nas alas e Diaby e Montero como pontas-de-lança. Sporting à semelhança do ano passado continua a marcar poucos golos, e na definição final dos primeiros lugares como sabemos o desempate pelos golos marcados pode ter peso... Peseiro seja mais ousado, até porque em Agosto disse que 1 mês depois o Sporting estaria a ter um melhor entendimento ofensivo. Estamos em Outubro e piorou até esse processo, após a primeira paragem para selecções.

Cumprimentos.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.10.2018 às 18:20

O seu comentário merecia uma longa resposta, que eu vou abreviar.

Subscrevo algumas considerações suas, mas não podemos ignorar as limitações do nosso plantel e, muito em especial, a ausência de 2 meses de Bas Dost, o nosso único goleador.

Não desgosto de Gudelj, mas creio que ainda não está a jogar ao nível das suas capacidades, nomeadamente no último terço do terreno. Neste momento, actua mais como um "6", não sei se por não estar ainda com confiança e totalmente integrado, se por ordens de Peseiro, mas ele é um "8". Mas para isto, terá de ser muito mais arrojado e criativo ofensivamente.

Não sei o que dizer do Diaby. A única explicação possível para a sua tão escassa utilização é que mostra tão pouco nos treinos, que não oferece confiança para mais. Só Peseiro poderá esclarecer esta questão.

No jogo de ontem, respeitei as opções técnicas e tácticas de Peseiro. O único problema foi a equipa não ter pernas suficientes para a segunda parte.

Deve reparar que com Raphinha fora, Peseiro ou entrava como entrou, ou alinhava com menos um médio e fazia entrar Jovane Cabral. O jovem, por enquanto, ainda não mostrou muito rendimento quando entra de início. Precisa de maturidade.
Sem imagem de perfil

De aracaçu. a 27.10.2018 às 10:16

Obrigado pela resposta caro Rui Gomes. Esperemos que apesar de tudo a equipa melhore rapidamente de dinâmica se não quer perder o comboio dos primeiros. Não esquecer que se vencer o Boavista pode encurtar para apenas 2 pontos a distância para o Braga. Espero que desta vez não desperdicem oportunidades. Cumprimentos.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo