Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fazer a diferença

Rui Gomes, em 11.09.18

 

Não ser Bruno de Carvalho é um bom princípio para Frederico Varandas, mas não chega.

 

20199859_bZzDY.jpg

"Nasci Sporting, cresci Sporting, respiro Sporting mas não sou o Sporting." A frase mais marcante de Frederico Varandas na cerimónia de tomada de posse como presidente, é de algum modo uma forma poética de sublinhar que não é Bruno de Carvalho. Ora, não ser Bruno de Carvalho é um bom princípio, mas não chega. Para unir o Sporting, como afirmou ser prioritário, Frederico Varandas terá de ser mais do que a negação da personalidade do antecessor. Até porque não há assim tantas maneiras diferentes de unir os clubes.

 

Há a que Bruno de Carvalho escolheu, adotando um discurso trauliteiro e populista que apelava ao clubismo mais básico e à unidade dos sportinguistas contra inimigos externos. E há a outra, mais complicada e que se resume numa palavra: ganhar. Foram as vitórias que uniram o FC Porto em torno de Pinto da Costa e o Benfica em torno de Luís Filipe Vieira.

 

E é por aí que os sportinguistas esperam que Frederico Varandas seja diferente de Bruno de Carvalho. Claro que ser emocionalmente mais estável e menos dado a totalitarismos bacocos ajuda, mas aquilo que o Sporting precisa é de um presidente que seja diferente, não só do destituído Bruno de Carvalho mas também de uma longa lista de antecessores: um presidente que ganha.

 

Jorge Maia, jornal O Jogo

 

publicado às 05:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


1 comentário

Imagem de perfil

De Naçao Valente a 11.09.2018 às 13:22

O autor tem razão, em parte. As vitórias unem e barram a contestação, mas por outro lado o Sporting, mesmo sem muitos títulos no futebol, nunca deixou um grande clube.
Além disso, os exemplos que apresenta não me parecem exemplares, passe o pleonasmo. Varandas tem de ganhar títulos, mas não a qualquer preço. Todos sabemos como Pinto da Costa e Vieira, um seu imitador barato, os conseguiram. Queremos títulos conquistados dentro das quatro linhas.
Parece que no mundo de futebol começa a correr uma leve brisa de mudança. O tempo dos chico-espertos parece estar a chegar ao fim e nesse aspecto o Sporting estará de cabeça erguida.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo