Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Feudos modernos

Naçao Valente, em 26.03.19

 

Benfica-1-3-FC-Porto-__AU1I4159-e1548257436421.jpg

 

No tempo da ditadura Salazarista, o poder do estado impunha-se aos diversos interesses privados. Mas a centralização do poder político, subordinando ao interesse geral o poder privado da nobreza, aconteceu muito antes. O fim do poder feudal e dos seus privilégios vivia apenas nas páginas da história no mundo ocidental quando o futebol se instalou como um desporto de massas.

 

O desenvolvimento da modalidade desportiva mais popular foi bem recebido pelo poder político instalado, e em Portugal, usado, discretamente, pelo Estado Novo, como forma de reforço do nacionalismo. Durante esse período, as instituições desportivas possuíam já a sua autonomia, no entanto, estava integrada na orgânica institucional do Estado.

 

Os presidentes dos clubes, por sua vez, eram recrutados entre as elites, pelo sua maior competência, relacionada com o acesso ao conhecimento, vedado à maioria da população. Exerciam de um modo geral as funções por amor à causa e agiam estritamente de acordo com as leis da República.

 

 O advento da democracia, pelo qual me bati, trouxe mudanças profundas na sociedade, e consequentemente também no futebol. A democracia significa liberdade, mais igualdade em termos políticos e sociais, mas como todos os regimes não está isenta de defeitos. Se por um lado abriu a hipótese de acesso ao poder de cidadãos, independentemente da sua origem social, aumentou as possibilidades de práticas de corrupção, pela emergência do "chico-espertismo".

 

No que aqui interessa abordar, as mudanças no futebol, constata-se que este acompanhou a evolução social, profissionalizou-se, democratizou-se e abriu portas a pessoas oriundas de extractos sociais populares, que  conseguiram, à pala de valores democráticos, ascender a altos cargos no futebol.

 

Ao contrário dos antigos dirigentes há gente sem cultura, sem princípios, que aplicam a ideia de que os fins justificam os meios. O poder que lhes advém de milhões de adeptos, e do poder do dinheiro que movimentam,  dá azo a corrupção,  alimentada como forma de se perpetuarem, conseguindo satisfação dos adeptos a qualquer preço.

 

Foi neste contexto que o futebol português se cristalizou como um "feudo" moderno, um autêntico poder dentro do Estado, desde as mais altas instâncias até à sua base, os clubes. Os dirigentes escudados pelas massas que os defendem, começaram a agir à margem das leis, como senhores que se consideram impunes.

 

O primeiro exemplo veio do Norte, de um clube com abrangência, sobretudo regional. O senhor presidente Pinto da Costa, é o dirigente que vem dos meios populares e que faz do dirigismo carreira profissional. Como "bom político", percebeu prontamente que como noutras áreas da sociedade, para prevalecer, precisava de montar uma rede de fidelidades "feudais" que, subtilmente, controlasse os órgãos federativos, e disso tirar as vantagens desportivas. Dias da Cunha, dirigente com sentido ético, chamou-lhe o "sistema".

 

No Sul, mais tarde, e depois de se ter percebido que a corrupção não era punida, surgiu um seguidor. Vieira é uma espécie de aprendiz de feiticeiro, mas que para sermos justos, nem sequer lhe chega aos calcanhares na arte de bem corromper. É oriundo também dos meios populares, fez-se à vida, e entrou no dirigismo já mais tarde. 

 

Chegou a presidente Benfica, apenas porque foi o clube que em função de circunstâncias diversas , lhe abriu as portas. Podia ter sido outro. Como os neo-democratas profissionais da política, agarrou-se aos meios que permitiam chegar ao poder. 

 

Seguindo as pisadas do mestre, foi tecendo a sua teia. Desde influência nas instituições desportivas,  até às instâncias judiciais, rodeou-se de pessoas pouco recomendáveis, e que não têm pudor de "chafurdar" em lamaçais. A novidade é que a responsabilidade começa e acaba aí. Nunca chega ao topo.

 

Este feudo é muito poderoso e como feudo que é, julga-se acima da Lei e do Estado, onde proliferam políticos e juízes que estão disponíveis para colocar interesses clubísticos acima dos interesses da Nação. 

 

O futebol português está num pântano. A Norte, depois do Apito Dourado, sacudiu-se a água do capote, como se nada tivesse acontecido. A Sul assobia-se para o lado,  como se nada de nada estivesse a acontecer. Pouco importa se o futebol deve ser um desporto onde a verdade e a igualdade competitiva existam. O que interessa é contentar as massas com resultados. A forma como são conseguidos é secundário e irrelevante.

 

O meu Clube, é com orgulho que o digo, tem um caminho limpo, pelo menos até à última Direcção. E mesmo em relação a esta, não há evidencia de qualquer esquema do que aqui estamos a abordar. Pelo contrário, a sua acção altamente desabrida apenas prejudicou o Clube. Podemos até somar menos títulos na corrupção que é o futebol, mas conseguimos andar de cabeça erguida. Os títulos que conquistámos são, como dizia alguém: "limpinhos, limpinhos".

 

O futebol em Portugal precisa de mão firme para se regenerar. E não acredito que essa regeneração parta dos órgãos desportivos. Estão corrompidos e dominados por dentro pelas forças dominantes.  São a real cúpula dos "feudos". Cabe ao poder político intervir e acabar com este feudalismo. Mas falta-lhe coragem e determinação. Tem medo de perder apoio de adeptos/eleitores.

 

P.S.: Comparações, como já é habitual, com os casos PPC ou Cashball,  que mesmo sendo reprováveis, é  como comparar a beira da estrada, com a estrada da Beira.

 

publicado às 04:54

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


103 comentários

Sem imagem de perfil

De antonio a 26.03.2019 às 06:38

Independentemente de concordar com a generalidade do texto, não posso deixar de afirmar que apesar de tudo Benfica e Porto são as equipas que melhor jogam futebol em Portugal. Creio que mesmo jogando num campeonato saudável as duas equipas lutariam pelos dois lugares cimeiros.

Certamente teriam outros presidentes.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 08:16

O Sporting e os sportinguistas nunca reclamaram quando nao têm as melhores equipas

O Porto é o exemplo claro de como se enriquece na base da corrupçao, no inicio da era do PintoSemvergonha os dados estavam viciados e ganhava quase sempre o mesmo e com isso pode construir com os anos equipas com jogadores mais caros, ficavam com tudo enquanto os outros ficavam sem nada
Isso traz poder e dinheiro por outras palavras riqueza e estabilidade nas finanças na Direçao e nos treinadores (pudera).

Hoje temos a sul uma versao muito identica só que mais sofisticada, mais trabalhada envolvendo mais actores mas com os mesmos resultados praticos.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 13:55

E falta "muita terra para descobrir". Vamos ver se há coragem para desmantelar o sistema.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 11:56

Concordo que neste momento são as equipas que melhor futebol jogam, em função dos plantéis de que dispõem. Mas nem sempre assim foi. Quanto a lutarem pelos primeiros lugares é natural dada a dimensão dos clubes. O que e preciso é que essa luta seja limpa.
Sem imagem de perfil

De yazalde a 26.03.2019 às 07:31

Sim concordo que sao as duas melhores equipas 'mas nao apagam as atitudes que nao sao exemplo para ninguem, o sporting viu-se privado em trinta anos de ganhar ai uns dez campeonatos e tacas de portugal e estou a ser simpatico tinha quase tanto como os nossos rivais, nao ganhamos mas ficamos com a folha limpa e nao venham com essa dos ppc cashall, invencao mesmo a ser verdade o que e que o sporting ganhou com isto nada
Sem imagem de perfil

De Guilherme Rosado a 26.03.2019 às 08:37

O poder político vive no mesmo lodaçal que o futebol (e a sociedade em geral). Quando até um primeiro ministro se deixou corromper está tudo dito. E quando o povo põe no poder os mesmos que ao lado de Sócrates levaram o país para a desgraça, está igualmente tudo dito. Nação Valente, o poder político, pelo menos o atual, vai lavar as mãos, manter as aparências e varrer a porcaria para debaixo do tapete. Não tenho ilusões.
SL
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 10:39

O poder politico tem mentes fracas que tambem se deixaram corromper pela clubite assim como tambem o poder judicial.

Só mesmo com um novo golpe de estado pelas forças armadas fariam um reset global ao País.
Perfil Facebook

De Joaquim Ferra a 26.03.2019 às 10:45

Lê-se cada barbaridade...
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 11:19

ha 35anos que o futebol é um estado dentro de um estado quer maior barbaridade que isso ?

Se é tâo inteligente deve saber quem permitiu e permite essa triste realidade.
Perfil Facebook

De Joaquim Ferra a 26.03.2019 às 15:54

barbaridade pensar que as forças armadas são a solução, apenas isso.
Sem imagem de perfil

De Iru Megos a 26.03.2019 às 16:44

Que barbaridade, de facto!
Estamos num regime político democrático. Há umas coisas chamadas eleições. O poder não é para cair na rua por revoluções militares, isto não é a América do Sul!

Dito isto, há que melhorar o sistema judicial para haver um combate (ainda mais) feroz contra a corrupção. Revoluções não melhoram os níveis de corrupção, tipicamente pioram, pelo menos durante algum tempo.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 17:47

O mundo evoluiu mais rapidamente atraves das revoluçoes

A questao é sempre depois, onde cai o poder.
O.povo decide na esmagadora maioria das vezes mas muitas dessas vezes decide mal e a soluçao è baralhar tudo de novo
Sem imagem de perfil

De Iru Megos a 26.03.2019 às 18:03

Portanto, quando o povo escolhe “mal”, pimpas, exército em cima!
E, já agora, quem “decide” que o povo escolhe “mal”?
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 18:19

tantos tiranos saidos das escolhas do povo na historia do mundo e da civilizaçao.
Sem imagem de perfil

De Iru Megos a 26.03.2019 às 19:01

Há uns quantos, sim. Mas não respondeu à questão.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 19:14

Um pouco à margem da discussão com o Indiana, a democracia pode ser o pior dos regimes mas não inventámos outro melhor. Numa coisa concordo com Indiana, o eleitor nem sempre escolhe a melhor solução e depois sofre as consequências. Tema que só por si dava um grande debate, mas não é este o local apropriado.
No que ao futebol diz respeito, no Sporting tivemos há uns anos resultados de eleições que comprovam esse facto. Também aconteceu noutros clubes. Mas nestes os danos são menos graves para o que é mais importante, a vida das populações. Portanto temos que relativizar.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:00

Não concordo com a sua análise política de todo, mas não a vou aqui discutir, porque não é o local apropriado. Quanto aos governos não intervirem não é apenas este, são todos, há mais de trinta anos.
Sem imagem de perfil

De Fernando Albuquerque a 26.03.2019 às 09:06

Nação Valente

Parabéns pelo seu post. Ao contrário do se diz não temos liberdade para expressar a nossa opinião sobre casos que lemos ou ouvimos na CS. Já vi em directo num programa de desporto um dos intervenientes ameaçar o outro com um processo no tribunal para ele provar o que estava a dizer. Acho isso uma vergonha, quando estão juntos todas a semanas como comentadores numa estação da TV. Há vários episódios deste género.
No tempo do "outro" cavalheiro as pessoas tinham medo de criticar, pois não sabíamos quem nos ouvia e conheci muita gente que ficou com a vida destroçada só porque não concordavam com o sistema. Não temos agentes infiltrados na população, mas cada estação tem um adepto pronto para ameaçar com processos as pessoas só porque não concordam ou denunciam práticas ilícitas.
Como diz o Fernando Mendes um ESPETÁCULO o que se passou ontem na CMTV.. Aguardo com curiosidade os próximos episódios do filme de terror a que assistimos ontem. Espero, que não haja entretanto mais nenhuma bronca no SCP para desviarem a atenção e branquearem este assunto.

Saudações leoninas Fernando Albuquerque
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:05

Fernando Albuquerque,

Obrigado pela participação. Acredito que ainda há muita coisa escondida, mas receio que mesmo que se descubra, venha a resultar em castigos para os culpados. O "polvo" tem muitos tentáculos.

SL
Imagem de perfil

De Greenlight a 26.03.2019 às 09:35

Excelente texto, porventura demasiado bom para a canalha a que se refere.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:07

Tem razão, a análise podia ser mais contundente, mas "peixeirada" já há qb nos canais de televisão.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.03.2019 às 09:50

Comentário apagado.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 10:36

O que ganhou Jorge Gonçalves e o Sporting ?Tirem-lhes os titulos que ganharam eu apoio.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:08

Jorge Gonçalves foi um erro, mas nem aprendiz de feiticeiro era.
Sem imagem de perfil

De João Paulo Gonçalves a 26.03.2019 às 10:42

Limpo por ter pago, mas não ter ganho nada com isso...
Ok
Sem imagem de perfil

De José Sousa a 26.03.2019 às 11:03

O caro acha que faz sentido fazer parte duma quadrilha, mas nunca ficar com nada do saque. Quem faz assim, além do defeito de ser criminoso, será um idiota.
Só falta a lenga, lenga que ouço de muitos encarnados a dizer que o "Sporting faz parte do sistema"...mas como não tiramos benefícios disso, somos beneméritos???
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 11:21

Apresente onde Jorge Gonçalves fez essa afirmaçao ou Sao so bitaites ?
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 11:26

trazer afirmaçoes em que nao podem ser nunca comprovadas por a dita pessoa ja nao ser viva isso Sao precisamente o tipo de golpes baixos vindos dos Zés ...cartilheiros de carnide.
Nacionalismo lampionico
Sem imagem de perfil

De José Sousa a 26.03.2019 às 10:53

O futebol português é um mundo deveras Pitoresco!!!
O nosso clube teima, bem ou mal dependendo da opinião de cada Sportinguista, em ser santo num mundo com muitos diabos.
Até mesmo quem seja mais atrevido e mexa com a ordem estabelecida, como foi por exemplo BdC, é de imediato colocado na ordem pelos "donos disto tudo".
BdC é um santinho comparando com Pinto da Costa, Valentim Loureiro, Pimenta Machado, Luis Filipe Vieira e outros cromos da caderneta.
O SCP sozinho nunca vai mudar o actual estado do futebol português, até porque os sucessivos governos assobiam para o lado.
Sem imagem de perfil

De Cris Dileo a 26.03.2019 às 11:07

Se dúvidas havia acerca do poder do polvo benfiquista, é só dar uma vista de olhos pela imprensa desportiva e sencionalista de hoje - que dá um destaque igual a zero a toda a cowboiada que assistimos ontem

E que isso seja também um "abre-olhos" a todos do Sporting que pensam ou gostam de pensar que as escolhas editoriais dos CMs e afins são definidas pelo carácter econômico - que publicam o que mais vende sem olhar às cores clubisticas

Fosse isto com outras pessoas ainda agora lá estavam especialistas em tudo e mais alguma coisa a comentar 24/24h.

PS: caro nação valente - o caso PPC é reprovável, o cashball é para já apenas um conjunto de mentiras inventadas e pagas pelo CM
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:14

Tem razão, o caso cashball ainda não teve qualquer resolução. Esperemos para ver. Mesmo que seja real não tem qualquer comparação com a alta corrupção de que falamos. Só o utilizei nesse sentido.
Sem imagem de perfil

De Iru Megos a 26.03.2019 às 16:47

Qual foi a cowboiada de ontem?!
Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 26.03.2019 às 16:47

Peço desculpa por discordar veemente. Os fatos negam toda essa narrativa.

A Operação Cashball iniciou-se com uma denúncia de um agente desportivo do andebol que o empresário Paulo Silva tentou aliciar em nome de Sporting, tal como o Público noticiou. Mais tarde, Silva foi mesmo interrogado pela PJ do Porto, tendo sido constituído arguido por corrupção ativa desportiva. O empresário e alegado intermediário do Sporting aceitou denunciar mais factos do que aqueles que a investigação conhecia.

Cooperante com a Justiça, Paulo Silva acabou por denunciar André Geraldes como o alegado “chefe” que é regularmente mencionado nas mensagens da aplicação WhatsApp e telefonemas trocados entre Silva e João Gonçalves (que fazia a ponte com Geraldes) e Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting, como coordenador do Gabinete de Apoio aos Atletas e Modalidades, também seria um intermediário entre Silva e Geraldes).

Paulo Silva denunciou um sistema de corrupção do Campeonato de andebol em que os leões quebraram um jejum de 16 anos sem título, aparentemente simples:
1. A mando de João Gonçalves, que conheceu em 2013, contactava um dos elementos que compõem a dupla de árbitros que caracteriza o andebol;
2. O número de telefone costumava ser cedido por João Gonçalves;
3. Marcado o encontro pessoal com o árbitro, Silva prometia contrapartidas monetárias para favorecer o Sporting;
4. O valor das contrapartidas variava consoante os objetivos a alcançar e só eram pagos após os jogos e validação dos objetivos cumpridos;
5. A alegada comissão de Paulo Silva era de 500 euros, dos quais retirava 150 euros para João Gonçalves.

Paulo Silva também era contactado por Gonçalo Rodrigues, funcionário do Sporting que, devido às suas funções, trabalhava de perto com as modalidades.
A alegada atividade ilícita de Paulo Silva terá sido exercida em dez jogos do Campeonato Nacional de andebol na época de 2016/2017, que foi ganho pelo Sporting. Além dos encontros do SCP Também os do principal rival ao longo da temporada, o FC Porto, teriam sido alvo de atenção, nomeadamente a deslocação dos dragões à Luz que, com o trunfo do Benfica, acabou por estender a passadeira para o 1º lugar.

Fonte da procuradoria confirmou que a Operação Cashball tem 7 arguidos constituídos.
A investigação do MP ao alegado esquema de corrupção do Sporting para viciação de resultados no andebol e no futebol tem os 4 arguidos, André Geraldes, Gonçalo Rodrigues, João Gonçalves e Paulo Silva e mais 3 arguidos constituídos. São pessoas ligadas à modalidade do andebol.

Uma rede de crime altamente organizada. Quem o diz é o MP que nos mandatos de detenção admite mesmo que os 4 arguidos fIquem em prisão preventiva, André Geraldes, diretor-geral do futebol do Sporting; Gonçalo Rodrigues, ex-responsável pelo gabinete de apoio ao atleta; João Gonçalves, empresário e intermediário no caso; Paulo Silva, empresário - agora arrependido - que terá corrompido árbitros de andebol e jogadores de futebol. Ficaram todos proibidos “de contactos com a estrutura directiva de clube desportivo identificado, com a sua SAD ou com funcionários dos mesmos”, e igualmente impedidos de contactar “dirigentes desportivos, árbitros desportivos, agentes desportivos e jogadores de qualquer modalidade desportiva”.

O autor da participação criminal que deu origem à investigação da Operação Cashball foi um agente desportivo ligado ao andebol, que o empresário Paulo Silva tentou corromper no Porto. Por isso mesmo é que o inquérito está a ser dirigido pelo Departamento de Investigação e Acção Penal do Porto que delegou o apuramento dos factos na Secção Regional de Investigação da Corrupção da Directoria do Norte da Polícia Judiciária.

Os detidos do caso, que também incide sobre a viciação de resultados no campeonato de futebol 2017/18. Apenas Paulo Silva, que assumiu ao CM ter corrompido árbitros, é que aceitou prestar declarações à juíza.

Ao contrário do que tem sido repetido não foi o empresário quem denunciou os crimes. Já o inquérito decorria, quando Paulo Silva foi oferecer a sua história ao CM, a quem disponibilizou inúmeras comunicações feitas através do WhatsApp e que referem contactos para pagar aos árbitros da Liga de andebol entre 1500 e 2000 euros.

Isto é apenas um pequeno trecho do que saiu na CS.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 17:33

Ao seu pequeno longo texto apenas tenho a dizer o seguinte: se se comprovar o que descreve, e que não está comprovado, os implicados devem ser punidos. O Sporting deve sofrer as consequências; no entanto, a Direcção implicada nessa eventual tramoia já foi demitida pelos sportinguistas.
Houvesse no Benfica, implicado em casos muito mais graves, a mesma coragem em relação a quem pratica esses actos. Mas no Benfica o que se faz é assobiar para o lado. Da parte que me toca nunca o farei, por uma questão de coerência e honestidade.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.03.2019 às 18:00

E não só... já tem este disco arquivado ou sabe onde ir para fazer copy-paste, precisamente para ocasiões como esta.

A melhor defesa é o ataque, e na ausência de argumentos convincentes, a estratégia exige que se vire a acusação para outros.

Nada de novo, portanto!
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 18:06

O caro estava 100% lucido quando escreveu tudo isso ?Nao lhe falha nada ? Ou nem se esforçou (conveniente) para detetar essas falhas ?

Leu e ouviu as historias desse desconhecido empresario Paulo Silva ?

Deve ter lido e ouvido os valores $ ridiculos usados nessas historias em que se diz envolvido, 400€ ; 1500€ ...2000€!!!!
Jogadores adversarios que se deixaram corromper por esses valores, fantastico e depois temos os jogadores do Rio Ave a declarem que o Cesar Só Aventuras lhes ofereceu 250 000€ , incrivel nao é ? Algo nao bate certo nao é ?
O caro deve deve imaginar os da judiciaria sao burros ou burrinhos

Acreditaram de certeza que os guarda redes adversarios do Sporting se atiravam nos penaltis do Bas Dost para o lado contrario porque (imagine-se) sabiam o lado para onde ele atirava e tudo isto pela fortuna de .....1500€
Fantastico
e ainda existem inteligentes que se dao ao trabalho de escrever livros sobre esse assunto como o livro que o caro escreveu em cima.

Pouca inteligencia na escolha do ator Paulo Silva, o Sporting merecia melhor tentativa.
Imagem de perfil

De Mike Portugal a 26.03.2019 às 11:29

Com o que vimos e ouvimos ontem, a PJ só tem que recolher Vitor Catão e César Boaventura e interrogá-los até terem todas as informações necessárias. De certeza que esses personagens sabem muito mais ainda do que se ouviu nos vídeos. Depois do que foi dito não há desculpas para estas pessoas andarem em liberdade.
Sem imagem de perfil

De João Paulo Gonçalves a 26.03.2019 às 11:39

Sem imagem de perfil

De João Paulo Gonçalves a 26.03.2019 às 11:43

Subscrevo.
Mas, segundo Boaventura, tudo aquilo que ele sabe já foi entregue na Justiça. Se é verdade ou mentira, não faço ideia...
Pode ser que já haja muita coisa em andamento a nível de investigação, e não se saiba nada cá fora.
Uma coisa tenho a certeza: esta gente tem que ser afastada do futebol e, em última análise, passar uns tempos na cadeia.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:18

JPG,
O nosso futebol precisa de uma limpeza geral e não é apenas da arraia miúda. Isso foi o que aconteceu no apito dourado. Se se tivesse feito a verdadeira limpeza não tínhamos chegado a este ponto.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 26.03.2019 às 18:23

Apanha-los e vira-los de cabeça para baixo e abana-los bem a ver o que cai .
Sem imagem de perfil

De Iru Megos a 26.03.2019 às 19:02

Sem imagem de perfil

De José Nunes a 26.03.2019 às 11:48

Concordo com quase tudo o que foi aqui escrito, todavia João Rocha disse uma vez que o presidente Roquette tinha feito um pacto com o FCP pra acabar com o Benfica.
Lembro-me do presidente Roquette dizer na televisão que o Sporting tinha conseguido garantir que ia ser campeão 3x nos próximos 5 anos e depois ano sim ano não.
Ora, em período de apogeu do FCP, isso só seria possível com o beneplácito do senhor do FCP.
Até prova em contrário foi assim que o Sporting conseguiu ser campeão com o Inácio. Resta lembrar que o FCP até empatou o último jogo contra o Gil Vicente pra "ajudar" o Sporting ser campeão.
No campeonato do Jardel, aí não havia quem nos parasse.
Infelizmente também temos a folha manchada.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 12:22

José Nunes,

Não subscrevo a sua teoria. Não vejo José Roquete metido nesses esquemas. O campeonato que ganhou, na minha opinião foi limpíssimo. Tanto mais que no ano seguinte perdemo-lo para o Boavista, esse sim com o beneplácito do sistema. O Porto estava, nessa altura. numa má fase, como acontece a todos.
Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 26.03.2019 às 17:00

Peço mais uma vez para discordar. O chamado Projecto Roquette foi denunciado num Conselho Leonino e num entrevista pelo próprio João Rocha como algo inadmissível. Saiu em jornais e em blogues.

E quando tudo começou… Pinto da Costa soube através de um estudo de mercado que a diferença entre o FC Porto e o SL Benfica era tão grande, que não seria possível ultrapassar o SLB mesmo com um FCP “mais organizado”.
José Roquette comprovou através de uma sondagem que a dimensão do SLB era incomparável e mesmo com o Sporting a ter maiores percentagens (mesmo assim minoritárias) entre adeptos nas classes mais altas (daí a célebre frase – “os sportinguistas têm mais Mercedes e BMW’s” - por isso mais disponibilidades financeiras) não seria possível competir de igual com o SLB.

A estratégia conjunta Pinto da Costa/José Roquette em 1999/2000, denunciada por João Rocha no Conselho Leonino e, publicamente, numa entrevista ao Record, em 15/02/2006, visava apoio mútuo no sentido de isolar e enfraquecer o SLB levando-o ao declínio sem retorno.

Os dois clubes deixariam de se degladiar, promovendo troca de futebolistas de modo a dar uma imagem de convergência, com benefícios e interesses mútuos. O SCP apoiaria o FCP para ser o maior clube português, capaz de ombrear com os colossos europeus. O FCP apoiaria o SCP, para na Grande Lisboa e Centro/Sul se impor relativamente ao SLB.

Objectivos: o FCP seria o maior clube português e o SCP seria o segundo maior. O SLB perderia força desportiva e influência e, depois, o inevitável enfraquecimento social. O acordo era importante para o FCP que podia utilizar o SCP para ultrapassar o Benfica e… fundamental para o SCP por que garantia a sua sobrevivência, pois já não tinha capacidade para conquistar o Campeonato Nacional.

Só que Pinto da Costa e José Roquette mais a fila de “yes-men” de ambos os lados, não contavam com a força do SLB. E com tantos milhões de simpatizantes encontrará, sempre, quem consiga fazer do Clube o que lhe está destinado desde que foi pensado no final de 1903, – ser o mais importante em Portugal.

Com a cortina de fumo, “Encontros Para Aproveitar Sinergias na Construção dos Novos Estádios”, Roquette e Pinto da Costa, estabeleceram um plano para o futebol e modalidades. O FCP e SCP não se combateriam em termos públicos, “trocariam jogadores e actuariam de forma concertada de modo a DESGASTAR o Benfica.”

Na prática o FCP seria mais vezes campeão nacional (em anos com tudo a correr mal e bem ao SCP, o SCP poderia ser campeão nacional), mas o SCP garantiria o 2.º lugar, pois tentariam isolar o Benfica de modo a dificultar o acesso deste aos lugares (1.º e 2.º) de qualificação para a Liga dos Campeões, onde haveria o “perigo” de fazer dinheiro e tornar-se “perigoso”.

O SCP e o FCP teriam modalidades complementares enfrentando o Benfica em todas. Apenas teriam em comum o Andebol (por serem os dois clubes históricos que introduziram a modalidade em Portugal, em 1931).
O SCP abdicava do Basquetebol, Hóquei em Patins e Voleibol. O FCP assumia não criar a equipa de Futsal, nem investir no Atletismo.

O Voleibol do SLB seria confrontado pelo SC Espinho, com amplo apoio na FPV sediada no Porto. Se houvesse tentativas de adeptos fazerem ressurgir qualquer modalidade - no caso do SCP com adeptos menos "controlados" que os do FCP - as secções seriam autónomas sem qualquer apoio financeiro e logístico das respectivas Direcções. Até a "integração" em 2014/15 da secção autónoma de Hóquei em Patins do SCP mostra à saciedade que o Projecto Roquette faliu!

Numa primeira fase ambos iriam tirar benefício do acordo, com “o FCP a ganhar como nunca ganhara até aí” enquanto o SCP ficaria “com algumas migalhas (em troféus), mas garantiria o importante e vital retorno financeiro” ou seja, as verbas que, pela lógica da dimensão dos clubes, estariam reservadas ao Benfica, por ficar em 1.º ou 2.º lugar, se não tivesse sido estabelecido “o tal acordo”.
O SCP conquistou as “migalhas” que lhe foram destinadas, até Dias da Cunha, em 13/02/2004, numa entrevista na RTP 1 ter dito:

“Pinto da Costa e o Major são os rostos do Sistema”. De protegido passou a odiado, porque não só dizia a verdade como se sublevava (como sportinguista) e se emancipava (do Projecto Roquette). Foi o seu “fim”!
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 17:47

JC,

Mais um longo texto a assobiar para o lado. O que está em causa neste momento não é o Sporting mas o Benfica.
Alianças entre clubes "grandes" sempre existiram, com diversos protagonistas, e não foi apenas a que descreve. E sobe isso não lhe vou responder, em pormenor, sem ter dados concretos e palpáveis.
O que sei é que na Direcção Roquette houve trocas de jogadores com o Porto, que interessaram a ambas as partes. Além disso, nessa altura o Porto ainda dominava o futebol a sue belo prazer e não precisava de alianças, sobretudo para combater o Benfica, que em termos desportivos estava numa seca severa.
Sem imagem de perfil

De chakraindigo a 26.03.2019 às 20:28

Meu caro Nação Valente, permita-me discordar.
A gravidade deste tipo de alianças não tem nada a ver com alianças naturais ou normais entre empreendimentos concorrentes entre si.

E tanto assim é, que o próprio João Rocha, um grande presidente do seu clube, e um exemplo de desportivismo, o denunciou

entrevista ao Record em 16.02.2016

RECORD – Lembro-me que durante o mandato de José Roquette,você se revoltou com acordos que nunca ficaram esclarecidos, nomeadamente entre o Sporting e o FC Porto. Quer revelar pormenores em relação a isso?

JOÃO ROCHA – Havia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.

RECORD – Vai concretizar ou continuar a guardar trunfos?

JOÃO ROCHA – Não digo mais nada sobre isso. Foi falado no Conselho Leonino e eu disse ao líder da AG para mandar calar sobre essa informação, que foi longe demais. Disse-lhe ainda que o resumo do acordo com o FC Porto devia ser gravado de tão grave que era, porque talvez fosse necessário que essa gravação viesse a ser pública na defesa dos interesses do Sporting e dos seus sócios. Não vejo o desporto assim. [leia a entrevista completa na edição impressa de Record desta quarta-feira]

Quanto ao declinio do Sporting, que na era João Rocha, ganhou 8 titulos (taças e campeonatos), Benfica 10, FCporto e Boavista3, tal devesse por responsabilidade de Roquette, denunciado nessa entrevista por João Rocha

RECORD – Um projecto que encheu de esperança todos os sportinguistas...

JOÃO ROCHA – O Projecto Roquette liquidou o Sporting. Ninguém soube o que era o projecto, porque ele não dizia. Sabia-se, apenas, que era uma dezena de sociedades, dirigentes e funcionários superiores a ganhar centenas de milhares de contos. O projecto foi reduzir os sócios de mais de 100 mil para pouco mais de 30 mil, foi acabar com as modalidades amadoras, foi vender património, foram dezenas e dezenas de milhões de contos de prejuízo que não aparecem nos resultados, porque parte deles foram executados pelo Sporting. No caso da SAD deram-se informações falsas aos associados e à própria CMVM para a entrada na bolsa.

https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/joao-rocha-projecto-roquette-liquidou-o-sporting

Tendo em conta quem foi o João Rocha, e quem é Roquette, dê o valor que quiser a esta entrevista, mas na minha análise, o Sporting, por um lado com a sua subserviencia ao FCPorto, e o Benfica por incúria e desleixo dos dirigentes da altura, foram os grandes impulsionadores do sistema corrupto lançado por Pedroto e Pinto da Costa, que secaram tudo à sua volta, levando o Benfica, o maior clube portugues, de longe, a uma seca de titulos com um inusitado jejum de 11 anos, e o Sporting, o 2º grande, de longe, a uma seca infindável, com 2 longos jejuns.

Assistiu-se nos últimos anos, isso sim, a uma luta solitária do Benfica para garantir mais justiça no futebol, e ainda longe do que seria natural.

Diz-se, sem provar nada, que é por meios invios, no entanto a realidade diz que o Benfica do papão Vieira ganha 6 campeonatos/3Taças, e o FCPorto ganha no mesmo periodo 8 campeonatos/4taças 1 Liga Campeões, 2 Taças UEFA e Sporting 3taças.

Peço desculpa pelo "testamento", mas os factos provam o contrário do que afirma.

Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 21:08

Caro Chakraindigo,

Em certo sentido compreendo a "ressuscitação" desta entrevista, porque já é a terceira vez que hoje é citada por benfiquistas, sem contraditório do visado, se é que existe, e sobre acontecimentos do início deste século.

Não entendo porém onde se pretende chegar. Atingir a honorabilidade do Sporting, como forma de justificar eventuais ilícitos do Benfica no presente? Não me parece uma abordagem correcta. Além disso Roquete, cujo projecto pode se criticado, mas que teve aspectos positivos e negativos, deixando uma Academia que deu frutos futuros, deu o lugar a Dias da Cunha que foi, ao contrário dos dirigentes do Benfica da época, o principal crítico do "sistema portista" . Apesar disso ganhou um campeonato e perdeu outro por uma unha negra.

Por outro lado, não vejo o que houve de ilícito nessa referida "aliança". O Sporting lutou pelo título da era Roquette até ao último jogo e até perdeu em Alvalade com o Benfica. Onde é que estava o raio do "Sistema" a favor do Sporting, que não actuou, se é aí que quer chegar?






Sem imagem de perfil

De chakraindigo a 26.03.2019 às 21:41

Caro Nação Valente,

Certamente fui inábil na explanação que fiz se não o conseguiu perceber.

Eu não julgo ilícitos não provados, apenas recordei uma entrevista de João Rocha, que denuncia uma aliança nas palavras que proferiu no Record " ..... que o resumo do acordo com o FC Porto devia ser gravado de tão grave que era, porque talvez fosse necessário que essa gravação viesse a ser pública na defesa dos interesses do Sporting e dos seus sócios. Não vejo o desporto assim"

Apenas lhe quis mostrar, através de factos, não da minha opinião, que a realidade desmente a tese do papão Vieira e do estado lampiânico.

Que a ética e o desportivismo não são apanágio do actual futebol português, isso sabemos e é evidente, mas é transversal aos vários clubes, desde o meu, ao seu, e a outros, como está amplamente demonstrado.

Infelizmente, os tempos de João Rocha, Borges Coutinho, Américo de Sá não voltarão, os alicerces enraizados no que Dias da Cunha em hora feliz baptizou de "sistema", e que teve origem nas praticas criminosas iniciadas por Pedroto e Pinto da Costa, são de tal forma profundas que se substitui a rivalidade pelo ódio.

Agora, tomar como provadas acusações sem julgamento é que me parece errado. No Cashball como noutro qualquer.

Espero ter razão, e que se venha a provar que o meu clube nada tem a ver com práticas ilegais, mas sim que é alvo de um ataque sem precedentes, iniciado por Francisco Marques e Nuno Saraiva, e alicerçado numa CS sedenta de polémica, com o CMTV e o Expresso na frente de batalha, e com uma vasta legião de peões e virgens ofendidas espalhadas pelas TVs e jornais, com o único intuito de condicionar a arbitragem, e que tão bons frutos tem dado à causa portista, beneficiado jornada após jornada.

Espero ter conseguido ser mais claro.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.03.2019 às 21:56

Caro Chakraingo,


Assim já nos entendemos. Faz a defesa do seu clube, argumentando que é uma conspiração de certos adversários, conluiados com alguma imprensa. É o que está agora em discussão. O meu texto no que diz respeito ao seu clube baseia-se em indícios que precisam de ser provados.
No entanto, a tese geral que defendo e não sou o único é que o mundo do futebol se cristalizou com um Estado dentro do Estado. A responsabilidade de cada clube nessa situação deverá ser desvendada. A seu tempo, espero, saberemos.
Sem imagem de perfil

De chakraindigo a 26.03.2019 às 22:22

Caro Nação Valente,

Essa tese é uma realidade que observamos e varre todo o espectro do futebol mundial.

Basta observar qualquer tribuna presidencial de qualquer clube de nomeada, para verificar que a teia é transversal aos vários poderes da sociedade, políticos e magistrados, misturados com jornalistas, empresários e toda a fauna que gravita em volta de interesses.

Aconselho um documentário de Carlo Lucarelli, "Blu Notte", a Mafia Politica, onde se constata que qualquer actividade de grande escala, banca, empresas publicas, futebol, e outros, têm como escudo protector destacados lideres partidários.

https://www.youtube.com/watch?v=_1uX8lGC3ow

Curioso que o País das Mafias, teve um escândalo tão grande, que levou à queda da primeira republica, e de vários políticos carismáticos, presos ou que se suicidaram, na sequência da operação Mãos Limpas.
Perfil Facebook

De Hugo Marinho a 27.03.2019 às 00:31

Pena e ja terem confirmado que nao houve qualquer montagem nas gravacoes. O querido lider conhece muito bem o Catao por mais que no benfiquistao queriam apagar isso

Comentar post


Pág. 1/2





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo