Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




img_920x518$2021_01_23_23_53_59_1806410.jpg

Uma excelente entrevista de Luís Neto após a conquista de sábado da Taça da Liga, que nos ajuda a compreender a razão de ele ser considerado uma dos líderes mais importantes do balneário do Sporting.

Já se falou muito da vitória, mas que balanço faz desde a pré-época?

É sempre um balanço inicial. Não tivemos um início de época fácil, com adversidades por causa da pandemia. Saímos de uma competição que gostávamos de fazer, estamos a fazer um excelente campeonato e fomos eliminados da Taça de Portugal. Esta conquista vale muito pelo projecto e mostra que esta equipa jovem está capacitada também para ganhar troféus. Estarmos entre as quatro equipas do campeonato e ganhar dois jogos, apesar da inexperiência e também por não termos muitos jogadores habituados às grandes decisões, demonstrou que temos um grupo que vai trabalhar duro até Maio para honrar o Clube que defendemos. Este é um Clube que tem muitos troféus, um palmarés muito grande e que ficou enriquecido.

Concorda com expulsão de dois treinadores numa final?

Hoje em dia, com a falta de público, está tudo muito mais audível. É normal, alguém que não gosta do que ouve nos bancos estão mais interactivos, mas isso tem de requerer mais paciência de quem arbitra. O árbitro precisa de entender que há certas palavras de futebol que podemos catalogar como normais. Por vezes, há uma palavra mais carregada, mas numa final é normal que a gente mande sentar o banco contrário, que eles nos mandem sentar, mas se tudo isso não passar o risco da má educação, não era necessário expulsar os treinadores. Devia ter sido uma advertência, mas nunca vermelho, porque desvirtua um bocadinho uma competição que está a crescer.

Depois desta conquista, concorda que a equipa técnica continue a dizer que não é dos favoritos?

Concordo, porque realizámos um grande jogo com o Nacional, depois a eliminação com o Marítimo e o empate seguinte com o Rio Ave e, de imediato, a opinião geral era que o Sporting estava a decair e com uma pequena crise. O míster fala muito da oscilação que é ter dois resultados negativos e isso aconteceu-nos. Não podemos pensar que ganhámos ao FC Porto e SC Braga e já somos favoritos. Agora é desfrutar, mas amanhã já preparamos o Boavista, um jogo dificílimo e muito importante para seguirmos numa boa senda.

Tem a medalha no bolso?

Fiquei com o Seba [Coates] para o final, para levantarmos a taça e até achei que tinha medalha. Mas, mais importante que a medalha, a nível pessoal, é levar o troféu para o Sporting. Amanhã temos alguém a mudar o autocarro, porque é mais um título. De certeza que me irá ser facultada uma medalha, não há problema nenhuma.

Como avalia a prestação do Gonçalo Inácio? E o que é que o Sporting pode fazer com estes jovens e outros?

Disse, antes do jogo, que, a ganharmos, seria um título made in Sporting. O Matheus dizia-me que está habituado a ganhar coisas no distrital e agora está a ganhar uma Taça da Liga. É importante capacitar estes jogadores que, seguramente, vão ganhar muito mais. E que eles ganhem o gosto de jogar pelo Sporting e conquistar títulos pelo Clube. Isto passou a ser muito mais real desde que o míster chegou. Fico muito contente e aproveito para dar os parabéns ao Inácio, que fez dois bons jogos. Inácio, Bragança, Quaresma, Max, Jovane, Matheus, teria forçosamente de os referir a todos, mas claramente ficamos felizes pelo facto de o projecto Sporting ter um título e jogadores que sentem o Clube. Queria recordar o Alex, nosso enfermeiro, que está com Covid, e o Tabata, que eu próprio fiz questão de o lembrar, pois fazem parte deste grupo e não deixamos ninguém para trás.

Reportagem de Joaquim Paulo, Record

publicado às 02:49

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


1 comentário

Imagem de perfil

De Julius Coelho a 25.01.2021 às 12:13

Sei o que é um excelente estado de espírito muito motivado de balneário e a felicidade e orgulho com que Neto responde ás questôes do jornalista refletem que estão todos muito bem e muito unidos e recomendam-se.
É dificil bater uma equipa assim que nunca se rende, que se solidariza uns com os outros, que choram todos juntos de felicidade e de tristeza.
A sua principal força está na capacidade de se sentirem disponiveis para irem até onde tiverem que ir, até ao limite da exaustão.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo