Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fotografia com história dentro (124)

Leão Zargo, em 02.12.18

 

SCP Taça de Portugal 1962-63.jpg

 

Um “brasileiro” na selecção portuguesa

 

O brasileiro Lúcio Soares representou o Sporting entre 1959 e 1964, tendo participado em 103 jogos oficiais (ou 111 conforme as fontes) e marcado 35 golos. Jogou a defesa central, ou na nova posição de quarto-defesa, e possuía um pontapé fortíssimo. Chamaram-lhe o “pé de canhão”. Conquistou o Campeonato Nacional (1962), a Taça de Portugal (1963) e a Taça das Taças (1964). Apesar de ser relativamente baixo, ganhava bolas de cabeça aos avançados adversários. É o defesa mais goleador da história leonina.

 

Lúcio e ainda o sul-africano David Julius, que também jogou no Sporting, naturalizaram-se portugueses e foram os primeiros estrangeiros a jogar pela Selecção Nacional. O pai de Lúcio era natural de Fafe. Foi cinco vezes internacional, estreando-se em Ludwigshafen, na República Federal Alemã, em 27 de Abril de 1960.

 

O próprio jogador descreveu o sentimento quando recebeu a convocatória de José Maria Antunes (seleccionador) e Béla Guttmann (treinador) para esse jogo na Alemanha: “Nem me pergunte se isso me dá prazer. Estou feliz e honrado, mas sei que não sou o único. Lá longe, numa casinha em Niterói onde deixei parte do meu coração, um homem e uma mulher devem ter chorado de alegria e de orgulho quando souberam que o filho tinha sido chamado para defender as cores de Portugal. Nasci no Brasil, sim, mas sou português de direito e de sangue. Sabe, é que eu não sou estrangeiro, não.”

 

Na fotografia, jogadores do Sporting com a Taça de Portugal de 1962-63. Reconhecem-se David Julius, Pérides, Lúcio, Hilário e João Morais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:25

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Pedro51 a 02.12.2018 às 20:35

Lembro-me perfeitamente dele. Realmente sendo baixo a sua impulsão era boa. Recordo que quando jogava contra Torres, na altura suplente do Águas, e que era o mais alto de todos os avançados, lhe ganhava as bolas quase todas. E quanto ao pontapé, cada vez que havia um livre ou penalti, lá ia ele. Impressionante a força com que batia. Era um central goleador.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo