Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fredy Montero em entrevista

Rui Gomes, em 15.10.18

 

mw-860.jpg

 

O título, o ataque a Alcochete, a renovação, a família, os treinadores... Em entrevista ao jornal Record, este domingo, Fredy Montero falou sobre todos os assuntos relacionados com a sua vida no Sporting, onde ainda não sabe se vai continuar, uma vez que termina contrato no final da época.

 

Eis algumas das suas considerações em discurso directo:

 

ATAQUE À ACADEMIA

 

"(O balneário) Visualmente está diferente. É uma estratégia para deixar de lado o que se passou. O que aconteceu foi há um par de meses. Hoje, o balneário, as pessoas e o ambiente são diferentes. Não recordamos isso como uma tragédia, mas sim algo que, ao dia de hoje, não nos afecta. Passou, estamos unidos e a olhar em frente, não só pelos jogadores mas também pelo clube."

 

POLÉMICA NO FUTEBOL PORTUGUÊS

 

"Não afecta. Ouço-as, mas pelo menos eu não deixo que me possam afectar. A justiça deve actuar. Quando as coisas forem provadas, aí sim, há o direito a que cada um possa dizer algo. Agora, neste caso, nós não temos nada que falar sobre isso".

 

O TÍTULO

 

"Temos de trabalhar muito e melhorar, para evitar os erros. No próximo jogo temos de virar a página. Quero retribuir o apoio que recebi dos adeptos do Sporting, quando não estava a jogar bem e eles me diziam para estar tranquilo, que os golos iam aparecer. Agora sou eu que digo: estejam tranquilos pois estamos conscientes da nossa responsabilidade e a fazer tudo o que é possível para mudar, depois de o final da época passada não ter sido normal. Todos estamos unidos.

 

O Sporting terá sempre um lugar especial no meu coração. Jogar na Liga dos Campeões era um sonho de menino e consegui-o aqui, tal como jogar a alto nível e numa equipa que luta por títulos. Ganhei cá três, a Taça de Portugal, a Supertaça e a Taça da Liga. Só me falta vencer o campeonato, é uma obsessão de todos. Estamos a trabalhar forte, com calma e fé, para que este ano o possamos conseguir."

 

OS TREINADORES

 

"O treinador que mais me marcou foi o primeiro que tive na Europa, Leonardo Jardim. A forma de trabalhar e a dinâmica que incute no jogo da sua equipa. Aos 60' de cada jogo fazia substituições, para garantir que os seus extremos e avançados tinham energia para atacar".

 

(Sobre Jesus) A táctica. Dava liberdade no último terço do campo. A força e a forma como transmitia as mensagens fazia-me recordar o meu pai. Lembro-me de que ele não gostava quando lhe respondia: 'sim, senhor'. (risos) Dizia: 'Fredy, diz sim, mister ou sim, Jesus'".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


1 comentário

Sem imagem de perfil

De mike1906 a 16.10.2018 às 12:39

Obviamente, Leonardo Jardim...

Menos mal que não lhe perguntaram a opinião sobre José Peseiro

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo