Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Manuel Fernandes sabe como sorrir para o céu

Postal do dia, por Luís Osório

Leão Zargo, em 09.06.23

Manuel Fernandes.jpg

1.

Manuel Fernandes foi operado no final de maio a um tumor.

Uma intervenção delicada, um cancro nas vias biliares nunca é um passeio no parque. É silencioso, ataca invisível e quando o vemos, quando o pressentimos, já é difícil derrotá-lo.

Mas o Manel, grande figura do nosso desporto, um dos símbolos maiores do Sporting, é um vencedor. E um vencedor como sabemos não é o que ganha sempre, mas o que nunca desiste de lutar.

2.

Dizem-me que a operação correu bem.

Talvez o Manel esteja já a fazer perguntas sobre a nova época, sobre quem sai e quem entra no seu Sporting, sobre a vontade que tem de se levantar, de ir ao café, de estar com os amigos, de ir a Alvalade.

Tudo no Manel é ginga de futebolista.

As pernas arqueadas, os olhos de menino encantado quando engana o defesa, quando lhe troca as voltas.

Tudo nele é futebol e balneário.

Sabe tudo acerca desta imbatível metáfora da vida, sobre os golos que se marcam e os que se falham, sobre a felicidade de ganhar e o medo de perder.

E é amigo do seu amigo.

Tem tantos amigos o Manel.

Amigos de todos os clubes.

É fanático do Sporting e vai aos arames.

Muitas vezes é cego na análise, mas acaba a discussão e procura o abraço e um jantar que resolva todas as arrelias de um bate-boca.

Manuel Fernandes é o futebol em estado puro.

É como o Joaquim Agostinho no ciclismo, ganhar é tão importante como ser boa pessoa.

Na aldeia de Sarilhos, muito perto da Moita, podia ter sido pescador ou salineiro, a sua casa podia ter sido para sempre a casa dos homens que iam para o rio ou para o mar, casas brancas e humildes com redes à porta para que as moscas não pudessem entrar.

Só que ele marcava muitos golos.

3.

Era um rapaz vivo, mas triste.

A sua mãe partira e o Manel só tinha 10 anos.

A mãe de quem ele gostava e dependia tanto. Ouvia com ela os relatos do Sporting e a sua morte foi talvez o detonador para ele se cumprir.

O detonador para que um dia tenha começado a jogar no Sporting, quem sabe se não terá sido isso?

Porque cada golo lhe era dedicado, porque todas as vezes que enganou os defesas, todos os penalties que conquistou era para o céu que olhava com o seu sorriso malandro.

Mas jogar no Sporting parecia um sonho distante.

É que apenas aos 16 anos calçou umas chuteiras pela primeira vez. Antes não havia dinheiro para isso, precisava de ajudar em casa e de comer todos os dias.

Só que no Sarilhense marcou muitos golos.

Depois foi para a CUF e marcou muitos golos.

E terminado o contrato com a CUF ia assinar pelo FC. Porto, mas rezou muito para que o Sporting o resgatasse, falou muito com a mãe, pediu-lhe que intercedesse.

O Sporting desviou-o mesmo e aí começou a sua história.

Golos e golos.

Um avançado predador, um rapaz humilde e de olhar travesso, de miúdo eterno com a marca de uma tristeza que o fez sempre separar o gosto pela bola da necessidade absoluta de não perder mais ninguém.

De ter a sua casa sempre com uma porta aberta para quem chega, de ter sempre pronto um bocadinho de vinho tinto e um queijinho, de ter benfiquistas e portistas a quem trata por “irmão”.

4.

O Manuel Fernandes está a recuperar de uma operação delicada.

É demasiadamente novo para deixar de marcar golos – o que continua a fazer dentro da sua cabeça.

Foi homenageado pelo Sporting antes do último jogo em Alvalade com o Benfica – e foi tão bonito ver toda a gente a aplaudir, o público dos dois lados, os jogadores das duas equipas, os amigos que lá estiveram.

E foi tão bonito ver os seus olhos brilhantes.

O seu silêncio num mar de aplausos.

Senti-o sozinho, dentro do seu mundo particular, a rever a sua vida desde o pé descalço de Sarilhos até ao cume da montanha de onde nunca mais sairá.

Obrigado, Manel.

Obrigado por todos os golos.

Mas sobretudo, obrigado por tudo o que és e ofereces aos outros.

LO

(Luís Osório na sua página no Facebook em 8.6.2023)

publicado às 14:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


25 comentários

Sem imagem de perfil

De José Melo a 09.06.2023 às 15:52

Como futebolista foi um dos que mais me encantou.
Como homem (no que ao caráter diz respeito) foi um dos que mais me desiludiu. Como é que o Manel se permitiu voltar a trabalhar com o Bruno de Carvalho, e inclusive defendê-lo com unhas e dentes, depois do Bruno de Carvalho ter dito que ele (o Manuel Fernandes) foi o pior profissional que passou no Sporting? Não entendo, sinceramente não entendo.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 09.06.2023 às 16:36

José Melo

Na verdade, a condição humana é um paradoxo propício a contradições. Acontece com cada um de nós e com Manuel Fernandes, evidentemente. No caso dele valorizo mais os exemplos de sportinguismo ao longo da sua carreira como jogador e capitão de equipa. E a lição que deu na última época em que jogou no Sporting, em 1986-87. Sabendo que não fazia parte dos planos de Keith Burkinshaw para a época seguinte, apesar de ter contrato válido, tomou a iniciativa de sair para não perturbar o trabalho do treinador.
Sem imagem de perfil

De José Melo a 09.06.2023 às 16:41

Numa coisa estamos de acordo: o Sportinguismo do Manuel é inatacável.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 09.06.2023 às 18:20

José Melo

Sem dúvida, é inatacável.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 09.06.2023 às 16:58

José Melo,
Vamos crer que nesse comportamento o seu enorme sportinguismo lhe toldou a clarividência.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo