Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Maurício e a entrevista

Rui Gomes, em 25.01.15

 

record.jpg

 

Como já tive ocasião de referir, em comentário, por norma não presto muita atenção a entrevistas de futebolistas, salvo existir algo de excepcional. A entrevista que Maurício concedeu ao "Record", já depois de se ter despedido do Sporting, tem sido alvo de alguma discussão na blogosfera e nas redes sociais e, apesar de não reconhecer o mérito dessa atenção, decidi abrir uma excepção e transcrever duas ou três passagens que serão, porventura, mais relevantes à sua experiência no Sporting.

 

A primeira das quais, e decerto a mais importante, tem a ver com as suas impressões de Marco Silva, como treinador, sem se esquecer de Leonardo Jardim:

 

«Leonardo Jardim e Marco Silva são dois excelentes técnicos. São muito parecidos na forma de lidar com os jogadores, falam connosco, dão força, não tratam os jogadores de maneira diferente. O Marco foi muito importante para mim, nos momentos complicados não me deixou cair. Só lhe tenho a agradecer.»

 

Como o grupo lidou com as críticas de Bruno de Carvalho:

 

«Para falar a verdade, nós nunca nos preocupámos muito com isso. A nossa preocupação era com o nosso treinador, a forma como ele queria que nós jogássemos. Em nenhum momento fomos afectados, nunca nos deixámos abater ou incentivar com isso. O Marco foi sempre muito importante, é um excelente treinador e uma pessoa muito inteligente, soube separar as coisas, sempre nos deu total apoio. Nos momentos maus sempre nos deu a mão, nos bons sempre exigiu mais.»

 

Sobre promessas não cumpridas pelo Sporting:

 

«(...) Tive propostas para sair no início da época, mas as pessoas do clube não deixaram, contudo também não reconheceram o meu trabalho. Prometeram-se uma situação e não cumpriram, e isso mexeu comigo. Faltou um pouco mais de reconhecimento a quem sempre deu tudo pelo clube, nunca faltei a um treino, nunca cheguei atrasado, nunca criei problemas com um colega e sempre dei tudo, até coisas que não convém falar... Enfim, acho que podiam ter reconhecido mais, aliás, como aconteceu com outros jogadores. Acima de tudo, acho que podiam ter sido mais coerentes.»

 

Na realidade, Maurício acabou por sublinhar o que já era conhecido na praça pública: a boa relação entre os jogadores e o treinador e a forma como este lidou com o grupo no período da chamada crise. A referência a alguma insatisfação com a administração da SAD, deve relacionar-se com questões salariais ou prémios, que, segundo ele, foram prometidos mas não cumpridos.

 

Ao terminar, limitou-se a afirmar aquilo que qualquer outro no seu lugar afirmaria, quando questionado se admite um dia jogar no Benfica ou no FC Porto:

 

«Nem pensar, isso não, aqui em Portugal só no Sporting não pode ser de outro jeito.»

 

Já antes, tinha afirmado: «Estou muito grato ao Sporting porque foi o clube que me abriu as portas para a Europa.»

 

publicado às 08:52

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


9 comentários

Imagem de perfil

De juliuscoelho a 25.01.2015 às 14:29

partimos do princípio que é de desejo da SAD a promoçao de todos os jogadores do plantel obviamemte.
Mas os resultados? creio que se nao forem positivos abafam as promoções , para isso á um treinador para gerir as perfomances dos elementos ao seu dispõr , e na minha opinião nem sempre foram bem geridas algumas até de forma inexplicável.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 25.01.2015 às 15:41

Quais foram as opções mal geridas por Marco Silva ? Já fiz o argumento em torno deMaurício, mas a mais evidente foi, na minha opinião, Tanaka, que mesmo sem ser titular justificava mais utilização.

Na linha da frente as opções são e sempre foram limitadas. Na defesa temos o caso de Sarr, que eu argumentei aqui diversas vezes, e no meio campo, não há muito por onde escolher no início da época. William e Adrien são indiscutíveis, começou com André Martins e depois virou-se para João Mário, e Ryan Gauld seria sempre uma integração gradual, de algum modo como está a ser agora, mas hoje o jovem já está melhor preparado para enfrentar a competição superior, mesmo tendo ainda muito para crescer. O mesmo poderá ser dito de Wallyson.
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 26.01.2015 às 00:21

"eles" crescem naturalmente em processo mais acelarado se apostarem neles, vamos entrar em breve num ciclo de jogos quase semanais que irá provocar o natural desgaste dos nossos jogadores nucleares , esperamos que Marco dê as oportunidades a esses miudos que têm mostrado qualidade e com ganas de as agarrar.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo