Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




mw-300.pngBruno Vieira Amaral escreve-nos hoje em duas partes: primeiro, sobre Rúben Amorim e um Sporting que é um Clube, e não apenas uma equipa, cada vez mais à imagem do treinador: serenamente ambicioso, metódico mas sem ser frio, sensato e muito contudente. Depois sobre o triste espectáculo ao vivo no Jamor no sábado, que mostra de forma até mesmo cruel a erupção de incompetência de quem dirige a indústria do pontapé na bola.

Mas indo à parte que mais nos interessa, transcrevemos um excerto do que o escritor teve para dizer sobre o treinador do Sporting:

"Tinha já alinhavada a crónica desta semana, dedicada a esse príncipe espontâneo que é Rúben Amorim, que treino a treino, jogo a jogo, conferência de imprensa a conferência de imprensa, vai ocupando o espaço de poder que a nítida ausência mediática de Frederico Varandas, que está para a comunicação como Paulinho está para a eficácia goleadora, tem generosamente aberto.

Não sei se a aposta deveras arriscada do presidente do Sporting no inexperiente treinador contemplava a lenta disseminação do que podemos chamar o “espírito Amorim” por todas as esferas do clube, mas cada sucesso da equipa reforça a aura presidencial de um homem cuja sensatez é uma forma de génio. Normalmente, os génios não se distinguem pela sensatez. Aliás, génio sensato é um oxímoro.

mw-1280.jpg

Mas a sensatez de Rúben Amorim é mesmo genial, não só no contexto de um clube em que, nos tempos recentes, tem sido uma virtude bem escassa e quando foi adoptada como filosofia, como na altura do célebre projecto Roquette, se transformou numa variante da inércia e da paralisia, uma sensatez tão sensata que quase desvitalizou o Sporting, mas também num triste meio futebolístico em que se acha que berraria e convicções fortes são a mesma coisa".

Bruno Vieira Amaral, em Tribuna Expresso

publicado às 05:04

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo