Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

image.jpg

 

Algumas considerações de Luís Castro, treinador do Grupo Desportivo de Chaves, após o embate com o Sporting, através das quais expressa o seu desagrado pelo momento que se vive no futebol português, assim como a sua oposição ao regulamento que impede jogadores emprestados de defrontarem o clube de origem. No caso do Sporting, refere-se a Matheus Pereira e Domingo Duarte:

 

"Andamos neste momento do futebol português cheios de desconfiança uns dos outros e para travar o que se fale de uma situação que possa acontecer de anormal, proibimos o jogador de jogar. Não estou de acordo. Hoje em dia em Portugal o princípio que preside é o da desconfiança, de que tudo é uma cambada de desonestos.

 

Para travar alguns diz que disse... Chegamos ao ponto em que se perdemos por 3/4/5 estamos vendidos não sei a quem; se ganhamos estamos comprados não sei por quem. Deixamos de ser honestos intelectualmente, somos uns actores nesta peça de teatro que está montada.

 

Pressupõe-se que os emprestados não têm condições para defrontar o clube de origem, o que para mim é uma prova de desconfiança no ser humano. Eu,como confio nas pessoas, jamais aprovaria uma lei dessas. Aceito a decisão da Liga e temos de cumprir.

 

Sim, foi um bom jogo, equilibrado. Tentámos disputar o jogo olhos nos olhos e impor o nosso futebol. Ganhou a equipa mais feliz e eficaz. Fizemos um grande jogo, mas no futebol paga-se caro a falta de eficácia. Criámos muitas dificuldades ao Sporting. Em termos de ocasiões de golo deve estar ela por ela. Foram mais eficazes que nós.

 

A equipa tem trabalhado com muitas dificuldades, o tempo não tem estado fácil, não é fácil treinar com este tempo aqui, como sabem".

 

publicado às 04:26

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


10 comentários

Perfil Facebook

De Mike Portugal a 13.03.2018 às 08:37

Era só o que faltava os clubes estarem a pagar ordenados a jogadores, para depois estes jogarem contra eles. Sempre foi a coisa mais absurda que vi no futebol e felizmente que acabaram com isso.
Sem imagem de perfil

De MarcoI a 13.03.2018 às 09:02

Mais absurdo que:

1.um jogador pago por uma equipa jogar por outra?

2.um jogador pago pelo Sporting jogar pelo Chaves contra o Benfica mas não contra o Sporting ( trocar nomes das equipas à vontade)?

Isto dos empréstimos a equipas do mesmo escalão sim, é ridiculo. Cumulo do absurdo é não poderem jogar contra todos
Perfil Facebook

De Mike Portugal a 13.03.2018 às 09:30

Então para isso prefiro não emprestar jogadores.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.03.2018 às 10:17

Isso é que era.

E nao havendo empréstimos deixa de haver a possibilidade de ter 100 jogadores sobre contrato.

E esses 60 a mais passam a pertencer aos Chaves e Portimonenses e etc, com tudo o que de bom a nível financeiro e competitivo que dai advém.
Sem imagem de perfil

De MarcoI a 13.03.2018 às 11:41

Este último foi meu
Sem imagem de perfil

De MarcoI a 13.03.2018 às 09:04

Os agentes do futebol a fartarem-se dos "agentes do futebol" ( saraivas, chicos, bdcs, guerras)

Há esperança afinal
Sem imagem de perfil

De joao a 13.03.2018 às 09:06

nessa lista falta la o Vieira. esquecimento, com certeza
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.03.2018 às 10:15

Se eu quisesse colocar o vieira, colocava. Ou o pdc.

O vieira (que eu abomino) nao tem por hábito lançar boatos ridiculos no facebook a cada duas horas.

Neste contexto falar em vieira seria conversa de tasca.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 13.03.2018 às 09:36

Fez sim senhor um bom jogo e muito serio sem recorrerem ao anti-jogo enquanto o resultado estava a zero.
Imagem de perfil

De PSousa a 13.03.2018 às 15:26

Tivesse o futebol português mais homens como este e isto não deveria estar assim tão mal. Só entro em desacordo com ele nos jogadores emprestados, não por desconfiar dos jogadores mas sim por um lance que possa acontecer e como o nosso futebol é, seria logo suspeito!
Quem não se recorda do que disseram de Tonel e outros!
O jogo resume-se ao que ele diz, jogo equilibrado onde a eficácia foi a diferença. A eficácia do Chaves versus a do Bas Dost

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo