Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O que dizem eles

Rui Gomes, em 28.03.14
 

 

«Leonardo Jardim tem muito mérito pela forma como uniu os jogadores jovens e os pôs a jogar, formando uma equipa competitiva com muita qualidade, motivada para atingir os objectivos a que se propuseram. E no Sporting, o objectivo é o título, o que seria uma grande alegria. Esta altura não é a melhor fase da temporada para o Vitória. A última sequência de resultados menos positivos abalou a confiança da equipa em tentar chegar a um lugar europeu. Ainda é possível, mas é preciso acreditar até ao fim. Esta deslocação pode galvanizar o grupo, embora vá encontrar um Sporting motivadíssimo.»

 

-    Pedro Mendes    -

 

Observação: As declarações do antigo médio do Sporting, e do V. Guimarães, em entrevista à Antena 1, que a exemplo recente de Luís Figo, e muitos outros, reconhece que no Sporting o objectivo é sempre o título. Aliás, os únicos que parecem não reconhecer esta dimensão histórica e centenária do Clube, é a actual liderança e aqueles adeptos que dizem ámen a tudo.

 

publicado às 16:24

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


22 comentários

Sem imagem de perfil

De zDier a 28.03.2014 às 17:20

"Espero que o Sporting seja campeão o mais rápido possível. Na próxima época teremos de assumir a candidatura ao título" referiu Bruno de Carvalho. A última frase do presidente dos leões, na entrevista à TVI 24, acabou por ser uma das mais importantes da longa conversa.

http://rr.sapo.pt/bolabranca_detalhe.aspx?fid=45&did=143465
Sem imagem de perfil

De Miguel a 28.03.2014 às 17:53

Se esta frase foi a mais importante,nem vale a pena o tempo que se perde com a entrevista.
Claro que o Sporting nunca poderá atirar a toalha ao chão no primeiro round.
A época presente tinha à partida os condimentos para ser modesta,mas num clube da grandeza do Sporting tudo se pode esperar.Sobretudo com um treinador do gabarito de Jardim e com tanto talento que sai da Academia.
Jardim,tudo indica,vai ter uma carreira internacional.A qualidade do seu trabalho é marca pelos clubes onde tem passado, é consistente.
É ele o artífice do sucesso que vamos observando.O resto é folclore.
Sem imagem de perfil

De M a 28.03.2014 às 18:20

Quanto à sua observação, recomendo (se é que me posso dar à ousadia) que reflita sobre o que um dia disse José Ortega y Gasset, no seu "Meditações do Quixote"; "Eu sou eu e minha circunstância, e se não a salvo a ela, não me salvo a mim."
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2014 às 19:42

Sinceramente não compreendo se se refere à minha observação. Se é, digo-lhe desde já que uma temática que se tem vindo a debater aqui no blogue já há algum tempo, em que os mais fervorosos apoiantes do presidente aceitam tudo o que ele diz, inclusive da candidatura ou não do Sporting, quando este Clube é candidato há mais de 100 anos. Os processamentos das épocas oscilam, assim como as circunstâncias, mas o estado de ser candidato mantém-se inalterado, hoje e sempre.

Também não compreendi bem a analogia.
Sem imagem de perfil

De MaxMartins a 28.03.2014 às 20:42

É claro que o Sporting tem que ser sempre candidato ao título...

Mas depois do que se passou na época anterior (e anteriores)...
Começar a épocom com uma equipa constituída em grande parte por jovens jogadores sem currículo...
Alguém "nos levaria a sério" se em vez de termos assumido que o objectivo seria ganhar jogo a jogo...
se afirmasse alto e bom som...: Somos candidatos ao título...?

Até à presente data e pela parte que me toca...
Embora achando que aqui ou ali o Presidente poderia ter evitado algumas polémicas...não deixo de achar que o balanço doseu trabalho, é altamente positivo e por isso o continuo (e espero continuar) a apoiar na defesa que tem feito dos interesses do Sporting...!

SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2014 às 21:33

Caro Max, estamos a fazer um boa época sem dúvida alguma e em circunstâncias menos do que ideais, como bem sabemos. Poderemos ou não chegar ao título este ano ou para o ano ou para o outro, mas somos sempre candidatos. A qualidade do percurso tem de ser analisada separadamente, ano após ano, mediante as nossas possibilidades, circunstâncias e outros factores, alguns dos quais nos são alheios.
Sem imagem de perfil

De M a 28.03.2014 às 20:42

A analogia é simples. Um Clube que vem do 7º lugar, de um ano em que ficou fora de tudo cedo demais, com as dificuldades financeiras que tinha, que tem e que continuará a ter, independentemente do Sporting ser sempre um crónico candidato ao título, tem as suas consequências. Temos cerca de 1/4 do orçamento dos dois rivais directos, e parece que vamos continuar a ter e, assim, é tudo mais difícil, diga-se oficialmente ou extra-oficialmente o que se queira dizer. Não é a frase em si que vai mudar coisa nenhuma, e o dinheiro não compra tudo, mas ajuda muito...

Os tais 18M €, per se, também não ajudariam em muito mais senão criar uma margem maior para se fazerem as coisas. Mas era sempre uma ajuda extra. O estado de ser candidato é imutável todas as épocas, as circunstâncias do Clube já não. E não é pelo dizer do Presidente, se somos candidatos ou não que as coisas são melhores ou piores. Da teoria à prática, a distância é sempre maior...
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2014 às 21:11

É evidente que todos esses factores são pertinentes, neste ou em qualquer outro ano, mas como acaba de concordar comigo, por outras palavras, a candidatura crónica do clube é inalterável, e discursos à conveniência em nada a alteram.

Pelas circunstâncias da época passada e a condição geral do clube, a candidatura este ano oferecia muito menos possibilidades de concretização, mas existia contudo.
Sem imagem de perfil

De iorda9 a 28.03.2014 às 20:49

Caro Rui

Apesar de não concordar sempre consigo sempre - respeito e muito a sua opinião

Reconheço um enorme amor pelo Sporting, mas se me permite um conselho - nunca deixe a sua antipatia por esta direcção falar mais alto que esse amor

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2014 às 21:27

Quero crer que nunca cheguei a esse ponto, até porque é totalmente contrário à minha maneira de ser e estar como homem. Sobretudo, sou sportinguistas há umas quantas décadas, enquanto este presidente e seus colegas entraram em cena há escassos meses.

Deliberadamente, até evito de abordar a temática por ser mentalmente cansativa, para mim, mas nem por isso deixarei de apontar determinadas questões.

Durante todos estes anos, é a primeira vez que ouço este discurso demagógico de ser candidato ou não e é nada menos do que ridículo. Irrita-me que Bruno de Carvalho atire essa areia para os nossos olhos e, pior ainda, que uns quantos a aceitem.

Há uma distinta diferença entre ser candidato ao título, que o Sporting é quase desde o dia que nasceu, e as oscilações de condições de ano após anos que permitirão ou não a concretização dessa meta, seja o campeonato ou outras competições.

A exemplo, no sentido inverso, o Sporting não é e nunca foi candidato aos títulos europeus, como são alguns outros clubes de topo. Mesmo assim, já conquistou um e poderá vir a conquistar mais no futuro.

Irritou-me, ainda mais, a sua declaração de ontem que para o ano vamos ser candidatos, como se isso dependesse dele. Ainda ele não era nascido, já o Sporting era crónico candidato e continuará a ser no dia depois de ele sair do Clube.
Sem imagem de perfil

De iorda9 a 28.03.2014 às 21:53

Sou também Sportinguista há algumas décadas e acredito que BC também o seja - não querendo falar do passado - há por ai muitos ex-dirigentes que não se podem gabar disso ou pelo menos de ser sócio do clube muito antes da sua candidatura

Mas falando Sporting - já passamos por muito - ainda me lembro do nosso ante-penultimo titulo, mas cresci como Sportinguista a apoiar o clube que teve 18 anos se festejar um titulo, mas em todos os anos - via a esperança renovada, por mais dificil que fosse - tinha sempre a esperança do "este ano é que é"

Por mais optimista que seja - este ano nunca tive sequer essa ilusão - é esse o legado da anterior direcção - mais do que vivermos desilusões atrás de desilusões - GL e seus pares tiraram-nos a ilusão - a esperança de no ano seguinte lutarmos pelo titulo.

E não vejo mal nenhum em BC - não ter assumido (publicamente claro) que eramos candidatos - e agora com o trabalho desenvolvido (pela direcção, treinador, jogadores) conseguirmos estar já bem melhor que há 1 ano atrás e sermos para o ano assumidamente candidatos ao titulo

A historia do Sporting é grandiosa - muito mais que qualquer um de nós e que BC, mas não é isso que ganha titulos - aliás nunca podemos pensar que ser candidato ao titulo é apenas um estatuto - para ser candidato é preciso trabalhar e esta direcção com erros pelo meio - trabalhou e muito para conquistar esse direito
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2014 às 22:13

Eu também vivi o jejum de 18 anos e nunca alterei s minha postura como sportinguista.

O problema aqui é uma diferença de interpretações: há três candidatos crónicos ao título, cada um com meios diferentes para tentar concretizar o objectivo da candidatura. Reconhecíamos que este ano essa concretização seria difícil, mas o objectivo sempre existiu à raiz. Não era necessário o presidente vir dizer que vamos jogo a jogo. Claro que vamos jogo a jogo, é uma forma natural de encarar qualquer competição. O Real Madrid, a exemplo, não começa a época a pensar no último jogo, mas sim no primeiro, e depois no que vem seguir e assim sucessivamente.

Todo o sensacionalismo mediático sobre a "candidatura" foi provocado pela demagogia em voga, hoje e então. Bastava ter dito que o Sporting é um eterno candidato ao título, e o assunto morria logo à raiz. Foi a demagogia que andou a alimentar esta condição que temos vivido.

Repito, uma coisa é a condição de ser candidato, outra, o que é necessário fazer para concretizar as metas incorporadas na candidatura.

Eu já há uns anos que não ando sob ilusão alguma quanto ao Sporting. Quanto mais, mantenho uma certa expectativa mas encaro a situação em termos mais realistas e calmos. A minha realidade este ano, salvo não acreditar na existência de um "projecto", que não existe nem nunca existiu, não é diferente do que era o ano passado ou há 5 anos. Porventura, as expectativas eram mais baixas.
Sem imagem de perfil

De Pedro a 29.03.2014 às 00:18

Sobre ser a primeira vez em que se fala demagogicamente de sermos ou não candidatos...
Em 1998, no início da época de Jozic não se assumiu claramente esse objectivo
Em 2011, com Domingos, cada um puxou para o seu lado e apesar de Duque ter falado do título, a versão aparentemente oficial não era essa.

Esta é a terceira vez em que acontece, pelo menos dentro da minha memória real, que pelos vistos está mais bem cuidada e menos demagógica
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.03.2014 às 01:27

É tudo uma questão de interpretação em relação à história e estatura do Sporting, tanto no foro nacional como até internacional. Estas disposições não dependem de palavras de homens, tanto agora como em 1998.

Uma coisa é a essência do Sporting como um clube desportivo, outra a avaliação em qualquer momento da sua história se está mais ou menos apto a concretizar objectivos à dimensão da sua grandiosidade. Por outras, palavras, candidatura não deve ser interpretada literalmente em relação à capacidade do momento. O facto de em um qualquer ano, e já houve muitos, infelizmente, não se ter chegado ao título não significa que, à partida, éramos menos candidatos, dado que é um estado permanente.

Muito do que se ouviu esta época, salvo de Leonardo Jardim, é mesmo demagogia à conveniência, pelas poucas ou nenhumas expectativas que a própria Direcção tinha de se conseguir as metas de topo, para no fim ninguém poder acusar que falsos objectivos foram criados. A conversa de jogo a jogo visava mesmo isso, como se qualquer equipa, por muito boa que seja. não disputa um jogo de cada vez.

Se quiser compreender...
Sem imagem de perfil

De Pedro a 29.03.2014 às 02:51

Se quiser compreender, nos dois anos que referi a época começou literalmente com o "candidato ao título" posto de lado. Em 1998 de forma clara - em tudo igual a esta - em 2011 no meio de uma enorme confusão em que uns diziam que o objectivo era "encurtar distâncias" (muito pior do que "ganhar jogo a jogo") e outros tinham mais olhos do que barriga - mesmo sendo o Duque - e falavam em título.

Isto são factos, Rui, que ignorou ou não se lembrou, ao fazer o post. E não há forma de dar a volta. Porque se fosse apenas como diz, de não se considerar candidato só por não se ter tido hipóteses, haveria muito mais épocas. De facto, nas duas em que mencionei, foram posturas oficiais adoptadas pelos líderes máximos -Roquette e Godinho
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.03.2014 às 07:04

Fique com a sua, não vale a pena insistir.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.03.2014 às 07:50

"E não há forma de dar a volta".... agradeço que indique onde a sua versão dos "factos" está escrita. Se me disser que é a sua opinião, tudo bem, agora "factos" que eu "ignorei" (?).

Nunca nos meus muito anos de sportinguista se recorreu ao argumento de "candidato" salvo este ano. Há algum requerimento que se preenche anualmente para estabelecer a "candidatura" ou alguma declaração pública solene ???
Sem imagem de perfil

De Lion73 a 29.03.2014 às 12:12

Que eu saiba, o desempenho desportivo e financeiro do Sporting é fruto do trabalho da direcção, equipa técnica, jogadores e adeptos que apoiam a equipa e o outcome não pode ser dissociado da postura comunicacional do clube, seu presidente e metas e objectivos definidos. Se esses resultados foram e são positivos, que interessa o que um Figo ou um Mendes pensam ou deixam de pensar sobre a treta da assumpção aotitulo? Não os vi a abrir a boca quando o Sporting caía no abismo e andava perto da linha de água.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.03.2014 às 12:47

A essência da questão, que é a candidatura ou não, nada tem a ver com o Figo ou com o Pedro Mendes, salvo pelas percepções deles quanto à estatura do clube.

O outcome , que são os resultados desportivos, nem sempre reflecte a qualidade da gestão, nos dois sentidos. Esta época, embora algumas coisas positivas tenham sido feitas, e repito algumas, muito do sucesso deve-se a Leonardo Jardim e à equipa técnica.
Sem imagem de perfil

De L a 30.03.2014 às 20:47


É mais que evidente que a competência do Jardim tem sido suficiente para respaldar toda a banha da cobra que saiu das últimas eleições, da mesma forma que a competência do atrasado mental do risco ao meio - creio que é mais ou menos assim que infelizmente ainda hoje o Paulo Bento é tratado por muitos leões - foi suficiente para respaldar Filipe Soares Franco e ainda tinha respaldado Bettencourt, que se vai arrepender até ao fim da vida por não ter batido com a porta quando viu o treinador ter que fazer o mesmo à custa de alguns "basta".

Já agora uma ressalva para outra confusão semeada entre muita da massa adepta, que continua a imputar a José Roquette - campeão nacional e em Portugal que há pais para tudo o pai do Sporting ainda hoje, da SAD, do Estádio novo, da Academia em Alcochete e como prémio e depois de ter abandonado quase no outro século e também já em divergência com os custos de Duque, ainda deu nome ao Sporting até à época anterior, habituados a sermos campeões todas as épocas, sem dúvida nenhuma o período mais negro da história - … imputar a José Roquette tudo o que se veio a passar já com Soares Franco e depois da mudança do Project Finance do BCP para o BES, ao fim e ao cabo a grande razão porque Dias da Cunha, também campeão nacional, também se viu forçado a abandonar.

Depois de várias épocas com Paulo Bento a discutir e a roubarem-nos inclusive campeonatos e Taças imagine-se que já voltámos a ouvir outra vez que o 2º lugar é que bom? A formação e contratações cirúrgicas, como Polga e Liedson? E agora que foi confirmada publicamente a imposição de manter o orçamento, independentemente de qualquer receita extraordinária, também já não faz mal se levarmos mais alguma “coça” na Champions já na próxima época? Que na altura até acabou por ser a gota da água, no divórcio entre o actual seleccionador e alguns basta, já nos oitavos e depois de várias épocas a maravilhar a Europa com os nossos putos.

Ainda não há é muitos adeptos a pensar que depois de Godinho Lopes também ter passado meio mandato a tentar gerir a sua própria equipa, finalmente com alguém como o professor Jesualdo Ferreira a liderar a equipa de futebol e apesar de um orçamento mais baixo, mesmo assim com mais condições e numa época tão atípica até podíamos estar ainda melhor. Os jogadores pelo menos diziam na altura do professor o que dizem agora do Jardim. E sobretudo não tínhamos chegado ao ponto de termos que andar a chamar pelo menos duas vezes por dia senil a sua eminência, o papa.

Mas se calhar também ainda é muito cedo para voltar a falar do “inexperiente” professor Jesualdo Ferreira, da mesma forma que o Jardim ainda tem mais uma época para andar a falar da formação. Depois que venham mas é os reforços a sério outra vez ou nem o Sporting tinha piada nenhuma. Aliás, cada vez estou mais convencido da medida assertiva que foi correr com o Paulo Bento, pelo menos para a selecção nacional, onde já só peço um Mundial à altura do último Europeu. Os treinadores hoje são a “imagem” dos grandes clubes todos e quem quiser ir em sentido contrário e em Portugal vão quase todos depois sujeita-se a ouvir o presidente dizer que o líder não é o líder o treinador que todas as equipas estão nos lugares que ocupam por mérito próprio. Realmente o presidente não diz as coisas porque lhe apetece e sustenta tudo aquilo que afirma. Quase como vamos ser campeões já na próxima época com menos de 20 M.

P.S. Apesar de continuar sem pachorra nenhuma, calculo que também deve ser mais ou menos entediante ter que estar sempre a voltar ao mesmo. Abraço caro Rui.

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.03.2014 às 21:17

Na minha língua, temos um velho ditado "food for thought", em relação ao seu comentário caro L.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.03.2014 às 21:20

P.S. Um abraço também para si.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo