Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O senhor que se segue…

Leão Zargo, em 07.08.15

 

18705271_MmzpU.jpg

A movimentação do Sporting no mercado de transferências, e a vinda de Alberto Aquilani nas últimas horas, é reveladora da mudança de filosofia desportiva que se verificou no clube com a contratação de Jorge Jesus. Não está em causa a valia futebolística de alguns dos jogadores, mas a constatação de que afinal não havia qualquer Projecto desportivo sério e consolidado inspirado por Bruno de Carvalho.

 

Ainda há pouco tempo contratavam-se jogadores “jovens, baratos e de elevado potencial” e deles quase nada resta em Alvalade. Foram muitos, mas valeu Paulo Oliveira e pouco mais. Com Jorge Jesus alterou-se o discurso e optou-se por “jogadores com mais experiência que acrescentassem mais-valia ao plantel”. Uma mudança assim parece revelar uma confissão de fracasso estratégico, embora não assumido por Bruno de Carvalho.

 

Alguns dos dogmas fundamentais que sustentavam a orientação programática e decisória do Sporting foram pela borda fora. Refiro-me, nomeadamente, à dimensão financeira e às suas prioridades, à função da "estrutura" no futebol do Sporting e à área de competência do treinador. A mudança foi de tal ordem que, dir-se-ia, verificou-se um golpe de Estado no clube.

 

A nova filosofia desportiva construiu-se devagarinho. Começou com a afirmação que bastariam três a cinco contratações de jogadores experientes, visando optimizar a integração dos atletas provenientes da Formação. Os sportinguistas, em geral, até aplaudiram, pois agora é que seriam as “contratações cirúrgicas”.

 

No entanto, já desembarcaram em Alvalade oito atletas: Azbe Jug, João Pereira, Naldo, Ciani, Aquilani, Bruno Paulista, Bryan Ruiz e Téo Gutiérrez. Quase todos com o selo de experientes. Mas, ao que parece isto não vai ficar por aqui, até porque para além de Cédric ainda não foi “vendido” mais algum jogador da formação… que é onde, por norma, o Sporting costuma fazer algum dinheiro.

 

Entretanto, escolheu-se um argumento de elevada eficácia: fomos aos focinhos dos lampiões! E, por todo o lado, muitos sportinguistas repetem satisfeitos a mesma narrativa. Esta vontade de irmos aos focinhos deles é antiga, vem pelo menos desde o tempo do Eusébio, e não me recordo de grandes proveitos. Há relativamente poucos anos verificou-se um caso com o Paulo Sousa e o Pacheco e no final ficámos a chuchar no dedo.

 

O fim abrupto da era de uma presidência que se assumiu como praticante da "hiper-liderança" especializada na "micro gerência” revela que a história está mal contada. Receio que se a bola bater na trave e não entrar que o Sporting viverá tempos ainda mais difíceis do que o pós-Godinho Lopes.

 

publicado às 14:52

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


42 comentários

Imagem de perfil

De Profeta a 07.08.2015 às 15:20

O Jesus só foi contratado, porque a relação entre Bruno de Carvalho e Marco Silva estava muito desgastada, não havendo qualquer hipótese do Marco Silva permanecer. Seria impensável, depois daquilo que a dupla José Eduardo\Bruno de Carvalho fizeram. E foi uma sorte ele ter permanecido até à final da Taça.

Mas o problema vinha depois. Só contratando um Jorge Jesus, ou um Villas-Boas, é que Bruno de Carvalho não teria a sentença feita. Isto, custasse o que custasse. E mesmo assim, acho que Jorge Jesus só veio para o Sporting devido a outros factores, que nem tanto os desportivos e financeiros... O Bruno de Carvalho deve-lhe estar agradecido.

Mas ao menos, temos hoje quem sabe de futebol a liderar os seus destinos, e se houver novamente problemas entre Bruno de Carvalho e treinador, quem sairá desta vez será... o presidente.

A nível financeiro, até não gastamos muito mais do que aquilo que recebemos pelo Cédric. Até ver, acho que um possível problema não estará ai.

O possível problema para o futuro, são os golpes que os empresários e fundos tão odiados por Bruno de Carvalho, podem dar no Sporting. Actualmente já se tem essa sensação.

Como é que empresários que detém passes de jogadores, podem sentir confiança com quem rasga contratos com fundos, empresas de construção, treinadores por não vestirem um fato, sócios do Sporting por comentários na internet, etc etc???

E a ver vamos o desfecho do caso Doyen, que poderá ter consequências, para lá da devida recompensação.

Se neste momento temos um manager de provas dadas como é Jorge Jesus, se temos um Octávio Machado para as guerras de bastidores que se preveem, porque não mudar de presidente num futuro próximo, mesmo que a equipa esteja a jogar bem, mas se percam casos em tribunal??

Não é tanto o presente que está em causa, mas sim o futuro do Sporting e da sua credibilidade como Marca, que poderá afectar o poder negocial do Sporting e consequentemente o plano desportivo.

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 15:31

Profeta
Concordo consigo, nomeadamente no que se refere à zona cinzenta em que Bruno de Carvalho se encontra. Estou convencido que BdC é um "presidente-funcionário" com a função de representação institucional e gestão organizativa do clube.
Sendo assim, arrisca-se a ser atirado borda fora... depois alguém explicará que o Bruno estava a dificultar o sucesso do Sporting!

Há algumas situações limite para BdC, como o caso Doyen e a relação com Jorge Jesus. No entanto, parece-me que ele adaptou-se ao papel que lhe cabe desempenhar.
Imagem de perfil

De Profeta a 07.08.2015 às 15:36

E não esquecer Álvaro Sobrinho, que se quiser, pode fazer força para pô-lo fora, se as coisas começarem a dar para o torto.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 15:43

Precisamente. Pensei nos accionistas, em particular em Álvaro Sobrinho e no seu braço direito, Ricciardi.
Sem imagem de perfil

De PSousa a 07.08.2015 às 15:36

Caro Leão Zargo,

Excelente texto, mas deixe-me dizer que será "mais do mesmo".
Questiono eu se a mudança efectuada não lhe agrada, qual seria a ideal para si?
Questiono ainda se alguém lhe mostrar que é preferível ter uma outra forma de "atacar" o titulo e outros (Taça Portugal; Taça da Liga; Liga Campeões), se você permanecia no mesmo "registo"?
Penso que o SPORTING, não só em nome do presidente, achou por bem que deveríamos ter outra visão.... vai ser bom? vai ser mau? - Não sabemos! Pois a "bola" não é uma ciência exacta. Acho no entanto que nos dois últimos anos, se viu que não podia ser a tal estratégia (vamos chamar-lhe estratégia BdC) que iria ou poderia estar com um treinador como JJ. Acredito sim, que se Marco Silva tivesse ficado, teríamos mais da estratégia BdC ... mas também ele, penso eu de que, sabe reconhecer (não o precisa de vir fazer a publico) que a forma de atacar as competições não pode ser a que vinha sendo.
Espero que a "bola" me dê razão e que todos nós "os Sportinguistas" (anti-neutro-ou a favor de BdC) festejemos em conjunto.
Nota: Antes que venham aí os "aziados" do costume, só lhe quero dizer que é um excelente texto que toca em alguns pontos cruciais, como a venda de alguns jogadores, mas que se continua a "personalizar" em BdC, e o que interessa a muitos que aqui passam (onde me incluo) é o SCP e não o seu presidente actual.
SL
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 15:57

PSousa

Creio que no Sporting há uma linha divisória em termos temporais: antes e depois da final da Taça de Portugal. Durante dois anos BdC estabeleceu as regras, escreveu no facebook, leu a lista de reforços de inverno. Ao lado dele estava Inácio. Depois, foi contratado JJesus, em termos e consequências que ainda não são claros. BdC foi afastado, a estrutura do futebol alterada, a filosofia desportiva foi revista. Inácio foi colocado numa prateleira.

Parece-me que depois do que se passou com Marco Silva a contratação de JJ (ou um Vilas Boas) foi a salvação de BdC. Permitiu-lhe respirar e aguentar-se no lugar de presidente. Sendo assim, BdC perdeu a capacidade de iniciativa, embora espere recuperá-la mais para a frente. E no futebol (quase) tudo é possível.

O post é sobre o Sporting e os seus protagonistas públicos: JJ e BdC (por esta ordem).
O Sporting é o que me interessa. Também. Desejo profundamente o seu sucesso desportivo. E acredito que um dia destes isso acontecerá.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 16:08

Caro PSousa

Verifiquei agora que não respondi a uma questão essencial que me colocou a propósito da mudança no Sporting e da estratégia para conseguir o sucesso.
Confesso que parece-me que há mais caminho do que os que refere, isto é BdC antes da final da Taça ou JJ no pós Taça. Respondo-lhe sem rodeios, dizendo que preferia Marco Silva com autonomia na gestão desportiva. Ou, se quiser, com Jesualdo Ferreira igualmente com autonomia desportiva.

Mas, como sei que o tempo não volta atrás, garanto-lhe que ficaria satisfeito com JJ sem esta obsessão por “jogadores experientes” e com um ego mais controlado.
Sem imagem de perfil

De Smoker a 07.08.2015 às 18:26

Caro PSousa

O meu aplauso !

e a minha contribuição:

"Há três métodos para ganhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo."
in Confúcio
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 07.08.2015 às 16:06

Caro Leão Zargo,

Observo as contratações do Sporting ou de BC na temporada passada : Naby Sarr, Rabia, Jonathan, Rosell, Gauld, Slavchev, Sacko, Tanaka, e apenas Ewerton e Paulo Oliveira pegaram de estaca... Cerca de 15/16 M€ de investimento no reforço de plantel, e uma baixa taxa de assertividade. Com cerca de 16 M€ não teriam contratado 3/4 bons reforços na temporada passada, mormente para o eixo defensivo?

Em termos desportivos observo o comportamento de Naby Sarr (não, nem recordo a Champions), mas apenas o Campeonato Nacional, o Sporting em 34 Jornadas, empatou 10 partidas e perdeu 2 jogos, pois bem, Naby Sarr, em 8 Jornadas em que foi titular no eixo defensivo, o Sporting empatou 5 partidas na Liga, e os empates em Coimbra, e em Alvalade com o Belem e Paços, não comprometeu as aspirações do Sporting na fase inicial do Campeonato? Bom, do mal o menos, gerou algum retorno financeiro, todavia comprometeu e muito desportivamente, e o factual não engana (repito, nem recordo a Eslovénia).

Nesta temporada, creio que o Sporfting estará a ser mais assertivo, em termos de reforços (bem diferente de aquisições), sobretudo no que diz respeito à maturidade e experiencia. Porém, numa entrevista bem recente de JJ na SIC Notícias, este revelou que necessitaria de 3 a 5 reforços maduros para ter uma equipa competitiva e para lutar pelo titulo, bom, observo, e entretanto contabilizo os reforços pedidos por JJ e confirmados: João Pereira, Naldo, Ciani, Bruno Paulista, Aquilani, Teo Guttierrez (não incluo o G Redes Jug ou B Ruiz, não são da sua responsabilidade), registo 6 reforços, e estão para chegar um desequilibrador e ainda um P Lança, aumentando para 8, os reforços de JJ, isto quando há menos de um mês apontava para 3 a 5 reforços, confesso, não entendo...

Também suspeitei que a acusação de que Jesus foi alvo na Luz (não aproveitar ou potenciar a Formação), iria teimoso como é, fazar essa potenciação com jovens da Academia e daria uma bofetada de "luva branca" ao Benfica, ao potenciar Gelson, Wallyson, Matheus ou Medeiros, os sinais que ficam é que apenas Gelson terá espaço no plantel principal. Isto é, colhe a minha concordância que uma equipa competitiva terá de ser mesclada com maturidade e a irreverencia juvenil, mas com qualidade, JJ começa a denunciar os mesmos erros: Formação não entra nas suas contas, reforços só oriundos do estrangeiro, e jovens, tolera-os se forem estrangeiros, como o recem contratado Bruno (não conheço, acredito que terá qualidade), mas irá com certeza retirar espaço ao jovem Wallyson que muito prometia. Outro exemplo, o desequilibrador Vadillo de 20 anos está nas cogitações do Sporting, será que esse jovem supera em qualidade o canhoto Medeiros que fez um belo Mundial Sub 21?

1 abraço,

PT
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 16:35

Caro Paulo Teixeira

A contratação de Naby Sarr de um ponto de vista desportivo foi um fracasso, que de um ponto de vista financeiro foi resolvido pelo currículo do jogador francês e com a disponibilidade financeira do Charlton.
Das contratações de 3014-15 restam Paulo Oliveira, Ewerton e Jonathan Silva. Principalmente P.O., claro.
Veremos a produtividade dos reforços deste ano, quase todos estrangeiros o que implica adaptação ao futebol português, para além de envolver outras variáveis de difícil abordagem. Todos nós já assistimos a grandes contratações em todos os clubes que saíram furadas.

O Sporting há algumas dezenas de anos que consegue manter uma relação feliz com a sua Formação. Recordo que o presidente Brás Medeiros em 1967 ou 1968 fundou as escolas de futebol que estão na origem da matriz formativa do Sporting.
A Formação constitui uma marca distintiva do clube, o que é de um valor extraordinário num mundo cada vez mais globalizado e sem elementos distintivo.

Reparei que JJesus no Benfica foi mais paciente com os jovens estrangeiros do que com os da casa. Não tenho nada contra o facto de serem estrangeiros, neste mundo global há milhões e milhões de pessoas que emigram à procura de uma vida melhor em todas as áreas da cultura, do desporto, da ciência, da engenharia, etc.
Mas, gostaria que fossem proporcionadas condições efectivas de afirmação aos jovens provenientes da Academia de Alcochete. E receio que isso não se verifique.
Sem imagem de perfil

De Jorge Miguel a 07.08.2015 às 16:15

Análise bastante objectiva, e com uma argumentação justificada. Podemos pensar e discutir acerca de tudo isto, da estratégia de contratação, se fez bem, se fez mal, se mudou, se não mudou... eu também o faço, e é óbvio que não concordei com todas as contratações e opções desta direcção. Apesar disso, globalmente é um facto que os plantéis dos últimos 2 anos obtiveram muito melhores resultados. Pode-se discutir se foi pelo caminho A ou B, se foi branco ou preto, e isso é perfeitamente legítimo, mas o que interessa é o resultado final. O desportivo, principalmente, mas sem descurar o financeiro, muito importante, quer pela reestruturação, quer pelo fair play da Uefa. Se me perguntarem se para este ano prefiro ser campeão e ter 50M de prejuízo ou se prefiro um 2º lugar com lucro na SAD, nem penso duas vezes na segunda. Porque a primeira opção teria consequências muito graves neste momento. Só peço que não dêm um passo maior que a perna...

Nesse sentido, não acredito que, mesmo caso a bola bata na barra este ano, que o Sporting ficará numa situação pior que a deixada por Godinho Lopes. Aliás, enquanto Bruno de Carvalho for presidente, tal não irá acontecer. A não ser que mude radicalmente a sua forma de pensar e actuar.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 16:42

Caro Jorge Miguel
Concordo com a primeira parte da resposta, nomeadamente quando privilegia a estabilidade financeira que não deve ser posta em causa por corridas atrás do sucesso desportivo que corre o risco de ser temporário, seguindo-se quase inevitavelmente crises profundas e prolongadas no tempo. Para muitos adeptos sportinguistas pode não ser uma abordagem fácil, mas é honesta e realista.

Questiono-me sobre o poder real de BdC nesta altura. Creio que o melhor é aguardar, porque no futebol a realidade é mutável a alta velocidade!
Sem imagem de perfil

De Ricardo Domingues a 07.08.2015 às 17:34

Post pejado de falácias.

O Leão Zargo ficou preso no tempo e em certas palavras (selectivamente memorizadas e repisadas neste blog). O Zargo interiorizou que a estratégia dos dois primeiros anos pós hecatombe- Roquette-&-Godinho fosse um ciclo eterno e para se manter sempre.

Pois, não é. Nunca seria. Porque tudo evolui. E na evolução há adaptações, novos objectivos.

O Sporting com a gestão dos "jovens, baratos e de elevado potencial", melhorou os resultados. Na equipa principal e na equipa B, para onde muitos dos jogadores foram contratados (embora dê jeito ao Zargo meter todos no mesmos saco). Esse já é um facto assinalável.

Mas entendeu-se que - sempre mantendo o rigor da gestão - que para ser Campeão não chegava a politica desses jovens e que, passados dois anos de contenção e poupança, era agora possível fazer uma evolução e criar um novo meio-ciclo, com novos critérios, mais ambiciosos.
Sem imagem de perfil

De m1950 a 07.08.2015 às 17:36

Não tinha lido ainda.

Sem tirar nem pôr.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 18:00

Ricardo Domingues

Uma falácia é um argumento logicamente inconsistente. Não me parece que seja o caso deste post e talvez por isso o Ricardo evitou comentá-lo, refugiando-se numa lenga-lenga que lhe pareceu conveniente.

Veremos se é com esta filosofia desportiva que o Sporting consegue ser campeão. Eu não estou optimista, mas há sempre quem pense que agora é que é.
Sem imagem de perfil

De Petinga a 07.08.2015 às 18:27

"Veremos se é com esta filosofia desportiva que o Sporting consegue ser campeão. Eu não estou optimista, mas há sempre quem pense que agora é que é."

Gostava de saber entao que filosofia desportiva é que o Leao Zargo pensa ser apropriada para ser campeao. Isto depois de ter passado a temporada 2014-15 a lamentar a ausencia de "contratacoes cirúrgicas" de jogadores para entrarem directamente no 11 titular. Este ano, faz-se algo significativamente inclinado nesse sentido e a crítica é "estamos a empenhar o que temos e o que nao temos" (mas provas disso, é que nem ve-las...) e "estamos a tirar o lugar aos jovens da formacao" (mas se queriam que jogássemos com jovens entao porque é que criticaram o paradigma de contratacoes de 2014-15? criticar sempre, quando é e quando nao é, nao parece muito sério).
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 18:40

Petinga
De forma breve responderei à sua pertinente questão: considero que o Sporting teria mais possibilidades de ser campeão apenas com três ou quatro "contratações cirúrgicas" que garantissem o reforço do plantel e a superação de lacunas já detectadas, mas que mantivesse o espírito colectivo da equipa e a identidade leonina.

Esta receita de se contratarem "jogadores experientes" foi inúmeras vezes praticada. Raramente teve sucesso, quando teve foi efémero porque não resultava de uma estratégia planeada e ponderada, mas resultante de uma determinada conjuntura directiva.
Sem imagem de perfil

De Petinga a 07.08.2015 às 18:52

Zargo,

Portanto o que critica é a "quantidade" de contratacoes. Diga-se que descontando Azbe Jug (cuja influencia na temporada será baixa a menos que algo suceda com Rui Patrício, o que nenhum de nós espera ou deseja), sobram Teo Gutierrez, Bryan Ruiz, Aquilani, Ciani, Naldo, Joao Pereira e Bruno Paulista.

O último parece claramente um negócio de "oportunidade" (apesar de ter saido bastante caro aos nossos cofres), até porque nao é "experiente" como os demais. Sao opcoes que uma direccao tem que tomar. O futuro dirá se é criticável. Recordo, por exemplo, que a apreciacao definitiva de Ryan Gauld ainda nao justificou o investimento feito. Será Paulista o Ryan Gauld desta temporada? Tem a palavra o jogador e JJ.

Ou seja, de "cirúrgicos"/"experientes" estamos em 6. Ciani parte em desvantagem e isso e inegável (mas nao irreversível). Agora, usar este número como arma de arremesso - ou, pior, usar o previsível insucesso de Ciani como reforco, é um bocadito desonesto e "overly picky". Sobretudo porque ainda me há-de mostrar um defeso em que um clube acerte a 100% nas contratacoes. Tenho pedido isto por aqui múltiplas vezes. Sem resposta.

Aliás, tenho pedido que alguém me diga

(a) que percentagem dos jogadores que se contrata é que tem que entrar no 11,
(b) que percentagem é que tem que ser opcao regular
(c) e que percentagem é que pode revelar-se infrutífera

para se considerar um defeso em que a direccao da SAD esteve bem nas contratacoes. Como a discussao está, parece que só com 100% na categoria (a) é que estaríamos bem. E aí, repito a pergunta formulada acima. É que nao conheco mesmo NENHUM clube onde isso suceda. Aliás, conheco poucos em que esteja acima de 50%. Se isto do futebol fosse uma ciencia exacta é que era bom....
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 19:10

Petinga

Critico a quantidade das contratações e suspeito que a qualidade de algumas delas é sofrível. Sobre isto falaremos com conhecimento de causa mais tarde.
Mas, estou absolutamente convicto que haverá mais um ou dois jogadores a serem contratados. Pelo menos.

No entanto, o que é pior é o abastardamento da identidade leonina e a ausência de ponderação e planeamento estratégico desta Direcção. Aliás, este aspecto é tão controverso que muitos sportinguistas questionam sobre a autoridade efectiva do presidente.

O Petinga refere-se ao hipotético sucesso de contratações. É verdade, basta recordar jogadores que foram contratados ao longo do tempo pelo Sporting e que, tendo gerado tanta esperança, acabaram por falhar no aspecto competitivo.
Mas, olhe que esta Direcção é um péssimo exemplo. Das quase trinta contratações dois anos foram muito poucas as que trouxeram vantagens desportivas ou financeiras.
Sem imagem de perfil

De Petinga a 07.08.2015 às 19:49

Zargo

Já desmontei o argumento das 30 contratacoes muitas vezes aqui. Nao vou repetir-me porque pelos vistos, apesar de nunca resistir a análise séria, permanece como "argumento a utilizar quando tudo o resto falha".

Sobre o "abastardamento da identidade leonina", fala caro mas nao me convence... espero que nao esteja a falar dos delírios "lampiónicos" que o City Lion insiste em ver no Sporting. Quanto aos "muitos sportinguistas que questionam sobre a autoridade efectiva do Presidente" serao os mesmos que este ano (e ainda a 2 semanas do primeiro jogo oficial em Alvalade) já comparam mais gameboxes que em 2014-15?
Vamos ser sinceros: nao me parece razoável que o Sporting faca mais do que uma contratacao adicional e criticarei se passarmos desse número - a menos de saídas de titulares ou quase-titulares que já estejam eventualmente alinhavadas. Mas vejo facilmente as razoes pelas quais os actuais reforcos foram contratados. Se resultarao? Isso nem eu nem o Zargo podemos dizer. Já a narrativa do "se contratarmos menos vamos acertar mais vezes", por nao conhecer qualquer modelo matemático que a suporte, posso já garantir que é falaciosa :-)

E quanto a números de jogadores contratados remeto para a resposta de JJ à pergunta "com tantos jogadores no meio-campo, a vida nao vai ser fácil para Adrien e Joao Mário?". É que na entrevista foram ditas muitas coisas interessantes bem para além daquilo em que a comunicacao social pegou (e que parece ter sido tudo o que aqui no Camarote se sabe sobre a dita entrevista).
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 20:01

Petinga
Já verifiquei que desvaloriza as célebres 30 contratações. Mas elas existiram e é como aquela conversa sobre bruxas "que las hay, las hay"!

Sobre a matriz leonina nos últimos quase 50 anos e o papel dos formados no plantel principal é uma conversa que deve basear-se em factos e não na sua especulação. Estarei aqui no Camarote, lá mais para a frente, para debatermos esse aspecto.

Também avaliaremos o sucesso das contratações 2015-16. Veremos o grau de sucesso. O futebol tem esta coisa maravilhosa: a permanente dúvida e imponderabilidade das certezas!

Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 07.08.2015 às 22:08

Aqui vai o copy paste :

Aquisições para a A e B não chegou aos 30 Zargo!

Jogador Ano
Slavchv 2014
Paulo Oliveira 2014
Oriel Rosell 2014
Tanaka 2014
Gauld 2014
André Geraldes 2014
Naby Sarr 2014
Sacko 2014
Jonathan Silva 2014
Ramy Rabia 2014
Salim Cisse 2013
Jefferson 2013
Magrão 2013
Welder 2013(Empréstimo)
Piris 2013 (Empréstimo)
Vitor 2013
Mauricio 2013
Hugo Sousa 2013
Slimani 2013
Everton 2013(Empréstimo)
Sambinha 2013
King 2013
Montero 2013
Enoh 2013

Eventualemente poderá faltar algum empréstimo para a B mas mesmo assim ainda faltam uns poucos 5/6 para chegar aos 30!


Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 22:26

Sérgio
Agradeço a lista. Está quase completa, creio que faltam os seguintes: Heldon, Shika, Dramé, Jorge Gazela Santos e Matias Perez. Desculpe se repito algum.

É verdade, não são trinta! Quase...
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 07.08.2015 às 23:33

o esquecimento do Shikabala é imperdoável :)
Sem imagem de perfil

De m1950 a 07.08.2015 às 17:34

"Mudam-se os tempos… ainda há um ano prevalecia o discurso de se contratarem jogadores “jovens, baratos e de elevado potencial”. Em apenas dois anos foram mais de vinte! De repente, como se nada de relevante tivesse acontecido, alterou-se o discurso e optou-se por “jogadores com mais experiência que acrescentassem mais-valia ao plantel”. Uma mudança assim parece revelar uma confissão de fracasso estratégico, embora não assumido por Bruno de Carvalho."

http://camaroteleonino.blogs.sapo.pt/mudam-se-os-tempos-1537327

Qual é o objetivo da repetição ? Sempre que vier um reforço , é uma confissão de fracasso estratégico não assumido por Bruno de Carvalho ?

"mas a constatação de que afinal não havia qualquer Projecto desportivo sério e consolidado inspirado por Bruno de Carvalho"

Couceiro ? Bem , acima está escrito que o Bruno de Carvalho contratou uns 20 jogadores , ora , parece repetir o mesmo caminho , tem hoje mais fundos para contratar melhor. O projeto desportivo de Bruno de Carvalho , entrou no Sporting não declarando candidatura ao título , devido ao facto de termos vindo da pior época de sempre. Lutou-se e fez-se os possiveis , e ficamos em segundo com o apuramento da champions garantido sendo que a luta que nos auguravam era com o Braga.

Na época seguinte , o Sporting teve o mesmo orçamento que no ano em que falhou a Europa e disse que seria candidato ao título , ficou-se pela Taça de Portugal regressando aos títulos 7 anos depois.

Esta época , o clube aparenta ter mais meios , e está a contratar na minha opinião de forma a dar garantias que pode verdadeiramente ombrear com os seus adversários pela conquista do titulo.

O que se vê é progressão , mas há quem prefira repetir que é um falhanço estratégico por ter havido mudanças , mal seria do Sporting ter mais meios e repetir uma receita que deu apenas um terceiro lugar( sim , hoje o objetivo é ganhar , não é ir ao focinho aos lampiões , isso era no tempo do Godinho , em que recebiam os salarios em atraso e prémios antes do derby , que era o jogo de "salvação da época"). Há investimento em todas as modalidades do SCP e o futebol não foi excepção , ora havendo mais dinheiro é normal que a política de aquisições se altere. Mas isto vejo eu.

O Sporting que tem apresentado desde que esta direção chegou resultados operacionais positivos certamente continuará , a credibilidade financeira do clube que hoje está a ser recuperada chegou ao ponto do clube ultrapassar o Benfica na bolsa de valores ( http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2015/06/08/sporting-vale-mais-do-que-o-benfica-em-bolsa ). A comparação com Godinho não será mais que saudosismo de alguns certamente.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 18:15

m1950

Pode não ser do seu agrado, mas escrevo de acordo com aquilo que penso. Aliás, como o m1950, por isso por aí não haverá grande problema.
No entanto, há uma perplexidade que faço questão de denunciar em Bruno de Carvalho: construiu uma narrativa que sustentou uma determinada filosofia para a gestão financeira, desportiva e organizacional do clube. Eu considerava existirem incongruências e erros graves nessa orientação, mas percebia qual era. Agora, fico perplexo com o que se passa no clube diametralmente oposto ao que ele sempre preconizou. Inclusivamente na campanha eleitoral em 2013. Convido-o a recordar do programa eleitoral de Bruno de Carvalho:

“Quem chega – treinador, equipa técnica, jogadores ou outros elementos ligados ao futebol – é que deve integrar-se nessa estrutura, nesses métodos e filosofia de trabalho. Para que isso aconteça é necessário que essa estrutura seja absolutamente irrepreensível, responsável, solidária, leal e coloque sempre em primeiro lugar os superiores interesses do Clube.
O treinador deverá ser sempre escolhido tendo em atenção a sua adaptação à filosofia do clube, nomeadamente tendo apetência pelo aproveitamento da excelente capacidade que o Sporting Clube de Portugal apresenta na formação de novos jogadores (infelizmente, raramente aproveitados como deveriam ser), com um perfil formador, boa capacidade de comunicação e experiência.”

Detecto no seu comentário uma hipotética contradição relativamente a Marco Silva, pois com os recursos que tinha conseguiu um 3º lugar e a Taça de Portugal, para além de uma meritória campanha europeia. Sendo assim, JJesus está obrigado a conquistar o título de campeão e a fazer melhor nas competições europeias. É o m1950 que reconhece que o plantel tem uma qualidade superior.
Sem imagem de perfil

De m1950 a 07.08.2015 às 18:58

O Marco Silva não tinha plantel para ser campeão , a nível de pontuação duvido que pudesse fazer mais , talvez o segundo lugar , mas em termos de resultado esteve bem.
Este plantel é superior ao do Marco Silva sem dúvida , não digo que Jesus tenha obrigação de ganhar o título apesar de ser essa a sua auto-exigência , mas tem a obrigação de lutar até ao fim por ele , por todos os fatores já sobejamente conhecidos.

Em relação ao Bruno , não me interessa que ele troque as palavras e dê o dito pelo não dito , desde que seja competente. Na minha opinião , não sabendo de futebol pese embora tenha-se preparado a nível académico , precisa de reunir "know how" para poder depois poder impor Presidencialismo , a melhor forma de o fazer é juntar-se aos melhores que é o que está acontecer. Ainda bem que deu um passo atrás porque é o passo certo. Pinto Da Costa começou com Pedroto , este que comece com Jesus , quem ganha é o Sporting , que é o meu interesse.

Agora se BdC diz A e depois diz B , desde que diga bem A e depois diga bem B por mim sem problema , porque não me incomoda. Em relação ao seu programa vi na AG que tem a maioria dos pontos cumpridos e isso é de louvar.

O seu presidencialismo recuperou a auto estima dos Sportinguista , trouxe ordem e disciplina ao clube dentro e fora de campo , mas obviamente a prazo mostrar-se ia insuficiente como se viu na política de comunicação do ano passado. Se tivesse sido um Presidencialismo desastroso para o clube , eu teria outra analise , mas não foi , que venha algo melhor agora. Pois para ser Presidente do SCP , terá de mostrar evolução constante ( isto é que você chama de mutação estratégica ).
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 19:43

m1950

Temos opinião diferente sobre a coerência verbal de BdC, mas tenho de reconhecer que esse aspecto é comum no mundo do futebol. Pessoalmente, não gosto, mas reconheça-se que não é por aí que o mundo acaba.

Para mim já constitui um problema verificar que não há coerência estratégica, isto é, um planeamento de acordo com a realidade financeira, a matriz identitária e os recursos humanos do Sporting. Podia discordar da gestão de BdC até à final da Taça de Portugal, mas compreendia no essencial onde ele pretendia chegar.

Ler agora o seu programa eleitoral em 2013 é um exercício confrangedor. O pior é que pela observação de vários aspectos chega-se a concluir que o presidente não constitui a referência máxima em termos de autoridade no clube. Ora, isso pode trazer consequências desastrosas para o Sporting.
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 07.08.2015 às 22:05

Leão Zargo por muitas voltas que tentemos dar, o futebol jamais será uma ciência exacta como todos nós ja sabemos.

As filosofias podem várias vezes ser alteradas e repensadas , existem vários fenómenos em constante transformação e movimento que podem "obrigar" a mudanças de estratégias , é basico, é normal, nao estamos sósinhos na luta pelo ceptro no campeonato.

Ja escrevi aqui que no futebol português e com o "retorno" do Sporting temos 3 galos para um só poleiro.
O Sporting está agora e tambem empenhadíssimo em conquistar títulos e com objectivos claros o que vem meter-se descaradamente no meio daquela luta a 2 que nos habituou faz alguns anos.
O Sporting parte com uma estratégia no ínicio da època com responsabilidade de JJ mas nao contava com o forte investimento que o Porto tambem decidiu fazer ,e que todos nós presenciamos, todos os 3 se observam uns aos outros, se analisam, nao é por acaso toda esta enxurrada de aquisições que temos assistido nestas ultimas semanas nos 3 grandes.
Todos querem ficar por cima, ficarem com melhores garantias no plantel, o Sporting tenta responder ao Porto como pode, dentro das suas limitações financeiras mas tenta equilibrar as forças o melhor possivel.
É possivel que até ao fecho do mercado continuemos a assistir a esta "luta" entre eles e que guardem algum joker lá mais para o fim.
Mesmo as vendas parecem ter bloqueado , agora ninguem pensa vender, tenta resistir a vender sem primeiro ter as garantias que mantem o equilibrio do plantel.
Ninguem quer ceder neste primeiro jogo de xadrez a 3 na constituição do plantel.

Um vai ao mercado os outros respondem de imediato.

O Sporting por exemplo mesmo com todas estas aquisições continua a ter alguns desiquilibrios como na ala direita em que João Pereira é dos elos mais débeis da equipa e não tem suplente á altura.
Os adversários vão aproveitar-se do "feitio" do João.
Chegaram jogadores maduros habituados aos grandes jogos , habituados a não terem tremideiras , para se campeonar temos que ter gente no plantel com esta experiencia , acredito que daremos muita luta dura aos outros 2.

Os jovens crescerem no meio desta qualidade e experiencia darão outras respostas mais positivas, ninguem vai querer perder o lugar , todos vão trabalhar bem para serem titulares.
Não existe fracasso estratégico nenhum , existe sim agora é mais capacidade de resposta ao equilibrio de forças,capacidade de adaptação ás circunstancias e nao tenho duvidas que com esta forma de mentalidade o título estará mais perto , ele acabará por sorrir ano menos ano.
No Futebol com verdade desportiva nao á certezas de nada mas estamos no caminho correcto para um dia destes não já tão longe podermos todos festejar.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 07.08.2015 às 22:17

Julius
Registo o seu optimismo. Um dia voltaremos a abordar estas questões e veremos se havia ou não razões para encarar com preocupação determinadas mudanças.
Não acredito no voluntarismo ou na conversa grossa como meio para se conseguir o sucesso, desportivo ou outro. Se temos experiência outros também a têm. Aguardemos.
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 07.08.2015 às 22:54

Leão Z á um outro aspecto que tem que ser analisado, independentemente que se trabalhe um estratégia na base do sucesso de uma filosofia que possa trazer titulos no plural, o Sporting nao ganha á muitos anos , é necessario um pequeno desvio dessa estratégia mais morosa , mais sustentável e procurar chegar a um título no imediato , dentro destes 2 anos , todos no Sporting necessitam desse titulo urgente, a Direção, os jogadores jovens, os adeptos , a CS , para que com mais calma se retorne á tal estratégia mais sustentada .
Com um título se multiplica valores acrescentados a toda a estrutura do futebol do clube.
A ideia de JJ foi buscar gente que respondam no imediato , que não tremam no Dragão ou na Luz, Manter a irreverencia dos mais jovens junto com a maturidade de 80% do plantel.
A ideia parece-me correcta para uma filosofia de sucesso imediato , para depois trabalharmos melhor a ideia do sucesso de uma filosofia de vitória.
Melhor que tentarem que não fizerem nada .
Sou apologista que mais vale uma má decisão que nao tomar decisão nenhuma.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 08.08.2015 às 08:42

Julius
Uma má decisão pode ter consequências nefastas...
Todos nós já assistimos no Sporting a esta estratégia de alto risco de contratar jogadores com um perfil semelhante aos deste ano e resultar em fracasso. É uma história antiga.

No entanto, agora o que há a fazer é empenharmo-nos todos no sucesso desportivo da equipa e aproximarmo-nos dos nossos rivais em termos competitivos.
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 08.08.2015 às 13:37

à muito tempo que o Sporting nao contratava jogadores com este perfil de "qualidade" , estão no início da sua fase descendente, é verdade mas outros trintões que contrámos no passado nao tinham esta qualidade, á diferenças!!!
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 08.08.2015 às 16:56

Julius
Refere que o Sporting há muito tempo não contrata jogadores com a qualidade deste ano. Sinceramente, penso que essa afirmação aplica-se a poucos, mesmo considerando que a adaptação ao futebol português (e do Sporting) implica determinadas cautelas.

Lendo o seu comentário procurei recordar-me de jogadores que nos últimos anos constituíram uma desilusão para mim: Elias, Pranjic, Bojinov, Hildebrand, Stojkovic, Caicedo, Gladstone, Paredes, Farnerud, Purovic... Isto para não ir mais atrás no tempo, a Mosquera, que se foi embora com o selo do fracasso, e ao Yazalde que se safou por pouco... deram-lhe mais uma época para mostrar o que valia!

Por essa razão prefiro esperar para tirar conclusões!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 08.08.2015 às 18:41

Caro Leão Zargo,

Acho que o Julius, ao fazer comparações, se esqueceu de alguns jogadores de anos recentes:

- Marcos Rojo
- Ricky van Wolfswinkel
- Stijn Schaars
- Diego Capel (esteve muito bem nos primeiros 2/3 anos)
- André Carrillo
- Santiago Arias
- Diego Rubio (se lhe derem a oportunidade)
- Wallyson Mallmann
- Insúa
- João Pereira ao seu melhor nível
- Matias Fernandez

Não trocava alguns destes a nenhum dos que veio agora.
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 08.08.2015 às 23:34

Mas............ tirando o Elias considera todos esses jogadores de qualidade????? nem um mais , nem com eles a pagar os queria na equipa , fui um forte opositor á sua vinda , era de levar as mãos á cabeça com tamanhas decisões infelizes mas nao havia dinheiro para mais.
Elias desmotivou-se porque nao tinha "equipa" esse sim bom jogador. Os outros ate-os todos num molho e envie-os para as arábias.
Como queria que eles se pudessem safar se não tinham qualidade?
Yazalde necessitou de adaptação mas via-se que tinha qualidades era uma questão de tempo.
Nao acredito minimamente que Ruiz , Téo e principalmente Aquilane que se não tiverem lesões impeditivas possam falhar , estes sim têm qualidade e vão mostrá-las nao tenha duvidas.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 09.08.2015 às 08:43

Julius
Cada jogador é uma realidade específica e de difícil comparação. No entanto, parece-me que a vinda para o Sporting dos que eu referi provocou um entusiasmo semelhante ao das contratações deste ano.
Concordo relativamente ao Elias. É uma pena que um jogador como ele não tenha desempenhado um papel importante.
É verdade o que diz sobre o Yazalde. Era um grande jogador! Mas, olhe que o fantasma do Mosquera chegou a pairar sobre ele e houve receio que falhasse.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 07.08.2015 às 22:35

No ano passado contratamos jovens jogadores com "elevado potencial" (poucos o vieram a confirmar) agora esta época houve uma aposta firme na aquisição de jogadores feitos e experientes com toda a sua experiencia, tal para muitos poderá significar o fim da aposta na formação ... confesso que também assim pensei no inicio mas após ler vários argumentos de diversas pessoas fui "convencido" pelo argumento que elevando o nível da equipa tal fará crescer os nossos jovens jogadores que passaram a treinar com jogadores de outro nivel e ai talvez possamos ver as jovens pérolas formadas no clube e outras adquiridas por este CD evoluírem como geralmente acontece quando saindo do nosso clube vão para outros campeonatos e equipas mais competitivas.

Lembrei me também de uma entrevista do Silvestre Varela em que basicamente aponta como factor de sucesso no clube o facto da competitividade interna entre os jogadores ser tão grande que fazia com que por vezes mesmo com mazelas e dores os jogadores suportavam todas essas adversidades com o receio de perder o lugar no 11 ... agora lembremos--nos do que tem acontecido no passado no nosso clube e a diferença de atitude!
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 08.08.2015 às 01:17

Então Sergio e nao lhe parece logico?

Repare que os jogadores emprestados a equipas mais competitivas voltam depois ao clube jogadores mais competitivos ,mais adultos , mais do que os que fizeram a temporada na B, é claro.
Temos que ter 80% do plantel composto por jogadores de reconhecida qualidade e que façam amouchar os mais jovens que os viram jogar como estrelas nos outros clubes, os jovens "reconhecem-nos" como exemplos, como o internacional italiano Aquilane que chegou , sentem-se orgulhosos de trabalhar juntos com eles e aplicam-se muito mais.
Depois na competição todos vão dar o que não têm porque a competividade interna passou a ser Fogo e ao mínimo deslise "ya fuiste" e perde o lugar.
Os níveis de concentração tambem passam a ser outros muito mais elevados,
Conclusão os jovens evoluem muito mais rápido e com mais qualidade.

Está correctissima a estratégia e repare todos estes jogadores novos que chegaram, Téo, Bryan e Aquilane que supostamente vêm ganhar mais , pois, com as saídas de Capel, Labyad e eventualmente de Adrian , estabeliza a folha salarial.
Outra questão todos os jogadores que foram comprados por esta direção e que desportivamente nao renderam o Sporting até agora ganhou dinheiro na venda. Ainda nao perdeu dinheiro com nenhum.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo