Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Sporting que nos escondem

Drake Wilson, em 08.03.19

 

21377121_FvyAb.jpeg

 

Ao invés de uma lógica de esperança que adequam à vida privada, as pessoas tendem a ser naturalmente desconfiadas em relação ao futuro colectivo da sociedade – uma dissonância cognitiva de quem é, por natureza, adverso ao risco ou ao desconhecido.

 

Avaliamos a vida pela volúvel arbitrariedade das nossas experiências, raramente fazendo-o com devido distanciamento.

 

Quando se fala de um Sporting Clube de Portugal socialmente desunido, fala-se de um problema de dimensão social muito superior ao que julgamos exclusivamente circunscrito aos adeptos do Sporting. A falta de crença na instituição ou nas pessoas não nasce dentro do Clube, mas dentro de nós próprios.

 

Num sentido macro, não gostamos de Futebol tanto quanto gostamos do Sporting. Num sentido mais básico, o sentimento de lealdade à tribo isola-nos socialmente por grupos de interesse, tornando-nos intolerantes não apenas ao que nos distingue, como igualmente a qualquer mudança.

 

Ao longo dos últimos trinta anos, monopolizamos capas de jornais fundamentalmente pelas nossas crises, mais do que por qualquer mérito desportivo. Foi deste modo que o País se habituou a “olharo nosso Sporting. Foi deste modo que as novas gerações de sportinguistas adoptaram um 'meme' pessimista na sua mente. Foi deste modo que os fóruns de discussão sobre o Sporting se tornaram embaixadas de dogmas. Foi deste modo que se acabou por eleger Bruno de Carvalho. Foi deste modo que, em resultado de toda uma frustração que se acumulou, se deu o ataque à Academia. Não se trata de um flagelo, mas de uma auto-flagelação.

 

Frederico Varandas não foi eleito pela maioria social dos Sócios, mas pelo “mindset” da maioria nuclear de Adeptos com mais votos. Logo, o establishment pessimista que por sua vez é maioritário, não o desejava desde início, e pior, nunca o irá apoiar. Quanto muito, resignar-se-á apenas na conveniência de resultados de Futebol melhores.

 

Num naufrágio, presumo que a emergência do momento imponha as escolhas possíveis, não necessariamente as desejadas. Infeliz Varandas que, nesta parábola grotesca de um naufrágio, tem de lidar com um ex-Presidente equiparado a sereia, com poder de encanto sobre os homens, e por fim, Ricciardi num iate a acenar com uma bóia.

 

Em síntese: nas últimas três décadas, os Sócios do Sporting Clube de Portugal admitiram dez presidentes, dez projectos que configuraram todos eles dez rupturas com o passado. Em trinta anos de futebol, o Sporting iniciou o seu “ano-zero” nada mais do que por três ocasiões.

 

Cada presidente tem, em média, uma taxa de sucesso no futebol de apenas 8%. Com uma centralização de cerca de um Bilião de Euros de investimento na modalidade em três décadas, o Sporting tem hoje, muito provavelmente, o seu plantel mais deficitário no que concerne a qualidade técnica e valores de cultura Sporting.

 

Pessoalmente, não nutro qualquer empatia por Frederico Varandas. Quem lê os meus cansativos textos saberá de antemão que este não é, sequer, o Sporting que idealizo. Mas impera questionar: querem que Frederico Varandas resolva um legado de trinta anos de decadência?

 

Nota: No mesmo dia em que José Roquette precisou de escolta para comparecer numa Assembleia Geral – obrigado Humberto Évora –, José Sousa Cintra "decidia" toda uma temporada, a jantar numa conhecida marisqueira de Algés. O problema não está no Sporting que temos. Está no Sporting que nos escondem.

 

publicado às 06:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


52 comentários

Imagem de perfil

De Greenlight a 08.03.2019 às 10:53

"Quanto muito, resignar-se-á apenas na conveniência de resultados de Futebol melhores."
Isso foi o que já tivémos com os 5 anos de "brunismo" nomeadamente nos 3 anos do Mestre da Táctica, ou seja resultados melhores, mas não vencemos e o Sporting ficou em pré-falência com a destarosa gestão financeira e desportiva da SAD e agora os credores reclamam com maior ou menor "histeria".
Todos os anos renasce a esperança de ganharmos. Bem, este época, apenas os imbecis mais ou menos "simpáticos" (não vou nomear mas é fácil identificá-los) ou os brunistas fanáticos, é que clamavam ( neste último caso não desejavam) pela vitória no campeonato. O ano em curso, é, como se diz no post, mais uma ano zero , na realidade acho que partimos de numeração negativa, mas se Varandas não conseguir alcançar o sucesso que nos deixe, ao menos, no ponto zero.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 08.03.2019 às 11:11

Green,
Que comparação mais desastrosa!
O Bruno e JJ foram por os resultados da maneira mais desastrosa.
Se ler bem, eu não apelo a gastar milhôes para ganhar um campeonato.
Se acompanha os meus comentários verá que não é por aí..

L. Jardim, M. Silva fizeram muito com pouco diz-se.. Não concordo. Sim, souberam fazer.
O Dias da Cunha igualmente. O Roquette também..
A estes faltou saber utilizar o poder da comunicação social. De dentro para fora.
Se o Bruno ainda hoje mexe, a razão é essa mesma maquinaria que ele montou.
Aqui começam as vitórias, isto são milhões.

Os milhões em euros não marcam golos. Ou sim, comprando...
A comunicação social bem feita sim, compra.. Empatia! 😉

Abrazzzo

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo