Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O sucesso volta a passar por Alcochete

Leão do Norte, em 28.03.21

A "prematuridade" da estreia de Dário Essugo na equipa principal do Sporting atingiu uma tal notoriedade que colocou, definitivamente, a aposta na formação no centro da realidade leonina.

O Sporting Clube de Portugal sempre foi considerado um clube de excelência ao nível da formação futebolística, como comprovam os inúmeros talentos gerados no seu historial, ainda que, ao longo dos anos, tenha passado por períodos de intermitência nessa formação e algum subaproveitamento desses valores.

senhoras-e-senhores-dario-essugo-e-o-mais-novo-de-

A essência de sucesso da formação desportiva deve assentar em três pilares fundamentais: prospecção, condições de trabalho e oportunidades. Infelizmente, durante um período considerável, o "abandono" desses pilares condicionou esse sucesso na formação do clube leonino.

Nesse período, ao nível da prospecção, que num clube com a dimensão do Sporting deve ser de âmbito global e o mais abrangente possível, o nosso Clube foi ultrapassado pelos dois rivais (Porto e Benfica) e na região norte do país clubes como o Braga e mesmo o Vitória de Guimarães tornaram-se mais influentes. Alguns desses clubes chegaram a recrutar no Sporting os recursos humanos com que dinamizaram as suas estruturas de "scouting" e formação.

Foram tornadas públicas deficiências na manutenção das infra-estruturas e na melhoria das condições para o desenvolvimento dos atletas, o que condicionou negativamente esse desenvolvimento e o seu rendimento. As consequentes oportunidades ao nível da equipa principal foram escassas e inconstantes, fosse pela diminuição do talento disponível, fosse pela fraca aposta, por parte da equipa técnica, nos jovens formados na academia, muitas vezes em detrimento de jogadores com qualidade duvidosa e nitidamente inferior.

É com descomunal agrado que actualmente se constata, cumprindo uma promessa inicial e corporizando o projecto desportivo, que a actual Direcção apostou fortemente no reforço desses pilares de sucesso para a formação.

Para além do forte investimento nas condições físicas da academia e na metodologia de treino é rara a semana em que não assistimos à renovação de um jovem valor da formação, o que comprova a atenção dada ao percurso dos jovens e à sua estabilidade. Auscultando os intervenientes no terreno é fácil constatar o "regresso", a nível nacional, por parte do Sporting, à identificação, acompanhamento e contratação de jovens valores, que pelo país fora são continuamente gerados. Como complemento ideal para o sucesso deste projecto temos a competência e a coragem de uma equipa técnica que, com a sua aposta convicta nos jovens da formação, fornece-lhes as oportunidades necessárias para demonstrarem o seu potencial.

Dário Essugo conquistou os "holofotes da fama", mas Nuno Mendes (já internacional A), Gonçalo Inácio e Tiago Tomás são habituais titulares da equipa principal e importantes peças no seu sucesso actual. Se a estes juntarmos as utilizações frequentes de Matheus Nunes e Daniel Bragança, as apostas já feitas em Eduardo Quaresma e Joelson Fernandes e as chamadas constantes de muitos outros jovens aos trabalhos da equipa principal, comprovamos que a aposta na formação está no caminho do sucesso e o reforço dos seus pilares essenciais foi decisivo para estes resultados. 

Apostar na formação em nome do "ADN Sporting" não pode ser um "cliché" ou uma mera promoção comercial, mas sim criar as condições para o seu sucesso, pois esse é o caminho correcto para tornar o Sporting um clube sustentável e sustentado por títulos.

publicado às 03:04

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


29 comentários

Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 10:11

Ao longo de anos, habituámo-nos a ver o Sporting como uma referência mundial na formação.
Daqui saíram muitos jogadores que se tornaram peças, algumas fundamentais de inúmeros emblemas desportivos nacionais ou internacionais.
No entanto, também nos habituámos à ideia de praticamente, no que aos melhores diz respeito, sermos muito pouco favorecidos do ponto de vista desportivo, e até financeiro, por essa qualidade nata de sabermos formar jovens de grande valor.
Dos últimos 4 títulos conquistados em mais de 40 anos mal recordo jogadores da nossa formação que tivessem sido realmente influentes neles...
Dito isto, com todo o respeito pelo autor do texto nitidamente tendencioso, recordo-lhe que efectivamente o Sporting SEMPRE aproveitou mal os seus recursos próprios e todos pecaram sem excepção, inclusivamente a presente direção do clube.
À chegada de Amorim veio alterar esses pressupostos.
Amorim alinha-se assim com alguns dos mais recentes treinadores do Sporting que veem na formação a solução possível para se atingir o sucesso, não temendo as vicissitudes da sua inexperiência é necessário tempo para a sua evolução.
Junta-se assim a nomes como Boloni ou Paulo Bento ou ainda Jesualdo Ferreira e, já na era de Bruno de Carvalho, a Leonardo Jardim ou Marco Silva.
O que o distingue e releva tanto a nossa formação é o tremendo trabalho que está a fazer ao conseguir de forma, diria, soberba as qualidades de jogadores muito jovens que têm demonstrado poderem vir a ser figuras de enorme relevo no plano nacional e até internacional.
Naturalmente que aliado a isso um conjunto de jogadores mais experientes que têm oferecido a consistência necessária para permitir a estabilização do plantel e dos seus níveis de concentração e ansiedade natural de uma equipa que mal ganhou ainda alguma coisa.
Não houve propriamente uma revolução no clube de uma época para a outra.
Houve, isso sim, uma aposta num treinador insuspeito, muito jovem também, mas que se tem revelado de uma qualidade ímpar.
Aquilo que o caro Leão do Norte se refere é algo, quanto a mim, mais extenso e reflecte a necessidade deste clube finalmente passar a saber manter uma aposta firme na sua génese formadora, algo que só observei com Filipe Soares Franco neste clube.
O problema está exactamente quando chega o sucesso desportivo, a injeção financeira por via desse sucesso e a inevitável deriva para o facilitismo ao se pretender vender as suas melhores peças à melhor oferta para se desatar a comprar fancaria que invariavelmente vão encher o clube de encargos e despesas sem retorno.
Relembro que esta mesma direção já não tem mais a medir, para além do que já havia herdado, em relação a inúmeros jogadores que já contratou e que dificilmente têm uma saída sem ser altamente onerosa para o clube.
Saiba esta direção manter o actual treinador mas mesmo quando este abandonar o clube que se crie condições na mentalidade deste clube para, de uma vez por todas na história do clube, se começar a apostar definitivamente no seu sucesso essencialmente através da sua formação. Pois eu já assisti a este projecto de intenções muitas vezes no passado mas que ficou invariavelmente sempre esquecido pelo caminho...
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 11:23

Leão Campeão,

Não é necessário atribuir responsabilidade directa a qualquer equipa directiva para se perceber que o Sporting, ao longo da sua história, infelizmente sempre se caracterizou por um subaproveitamento, como se refere no texto, dos seus talentos.

A minha reflexão sobre o sucesso voltar a passar por Alcochete não se centra especificamente na maior ou menor utilização de jogadores, apesar de os usar como exemplo dos resultados visíveis.
Não desvalorizando o facto de podermos ter um conjunto de talentos acima do habitual e de termos um treinador com a capacidade para os potenciar, a reflexão procura destacar os aspectos que, em fase anterior, contribuem para esse sucesso, os quais, durante anos, foram desvalorizados e que esta direcção teve a lucidez de perceber.
Não podemos passar anos sem uma manutenção eficaz das instalações, não podemos desvalorizar as ferramentas que potenciam as metodologias do treino, não podemos abandonar o terreno do "scouting".
Foi a atenção dada a estes aspectos, que considero essenciais, o motivo para destacar a formação em Alcochete, só esperando que ela não seja conjuntural.

Infelizmente ainda persiste no Sporting a ideia de que o elogio a a critica têm sempre um lado tendencioso, seja contra ou favor de uma direcção, de um presidente, de um treinador...
Essa nunca será a minha tendência.
Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 11:46

O elogio é perfeitamente legítimo e enaltece o cuidado que agora se dedica à génese do clube- a sua formação.
Nada a dizer contra isso.
Simplesmente quere-se aliar o sucesso desportivo actual à actuação da direção quando esta pouco ou nada ainda fez por isso a não ser a sua escolha determinante, após várias apostas nitidamente falhadas, por um treinador finalmente competente.
Agora os jogadores por ele aproveitados eram na sua larga maioria valores existentes na Academia, ainda do tempo em que esta terá sido “botada ao abandono”...
O trabalho da actual direção ainda estará para se perceber no futuro.
Já a sua aposta desenfreada em jogadores sem qualidade alguma e em detrimento de jogadores da formação que acabaram desaproveitados, já ela não pode emendar. Pode, isso sim, mudar de rumo daqui em diante!
Sem imagem de perfil

De João a 28.03.2021 às 11:54

Com este comentário ficamos a perceber que deves ser mais um brunecas que ainda anda por aí.

"O trabalho da actual direção ainda estará para se perceber no futuro.
Já a sua aposta desenfreada em jogadores sem qualidade alguma e em detrimento de jogadores da formação que acabaram desaproveitados, já ela não pode emendar".

Estás a falar das mais de 100 contratações do destituído?
Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 13:29

Se eu sou “brunecas” ou não, isso é comigo... mas com pouca paciência para aturar palermas!
Por isso, não tenho nada mais para lhe dizer...!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.03.2021 às 14:11

Queres comparar as aquisições desta direcção com os cerca de 100 jogadores contratados pelo teu querido basófias, que serviram para lhe encher os bolsos de dinheiro, (3,3 M€) com que depois pagou ao Fisco e à S.S. Vens camuflado, mas espera-se uns momentos e depois descobres-te sozinho!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 28.03.2021 às 16:57

Para voltar a ser publicado, terá de se identificar.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.03.2021 às 00:52

P.S.: Mas não deixa de ter razão, não obstante a ausência de provas concretas.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 28.03.2021 às 10:13

Caro Leão do Norte

Tem razão, «apostar na formação em nome do "ADN Sporting" não pode ser um "cliché" ou uma mera promoção comercial». O sucesso da nossa equipa principal de futebol também passa por aí, para além da nossa projecção no futebol português.

Se recuarmos no tempo vêm de imediato à memória os nomes de Morato (pai e filho), Octávio de Sá, Fernando Mendes (médio), Pedro Gomes, Alexandre Baptista, Oliveira Duarte, Vítor Damas, Zezinho, Bastos, Laranjeira, Caló, Barão, Inácio, Freire, Ademar, Virgílio, Carlos Xavier, Venâncio, Futre, Litos, Mário Jorge, Fernando Mendes (defesa), Lima, Rui Correia, Marinho, Paulo Torres, Cadete, Peixe e Figo, entre outros. Aurélio Pereira, Carlos Pereira e Jorge Jesus jogaram nas camadas jovens. Cristiano Ronaldo e Quaresma jogaram na equipa B leonina.

A Academia de Alcochete foi criada nesse princípio e formou grandes jogadores. A maior parte ainda joga em equipas portuguesas ou estrangeiras e os seus nomes são conhecidos (e reconhecidos).
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 11:38

Caro Leão Zargo,
A extensa lista que publica é o exemplo da enorme capacidade que a formação do Sporting sempre apresentou e que, em vários casos, não teve a necessária correspondência na equipa principal.

No entanto, actualmente, o processo formativo não se esgota no talento do jogador ou na aposta do treinador, nem surge por "geração espontânea".
É necessário estar permanentemente na "competição" onde se descobre o talento e criar condições, nomeadamente físicas, para o seu crescimento.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 28.03.2021 às 12:45

Os campos relvados com as dimensôes conforme, são essênciais, tinhamos equipas a treinar em meios campos por falta deles e isso é inconcebível num clube como o Sporting com as responsabilidades por uma Academia reconhecida internacionalmente, pelos 4 cantos do Mundo.

As infra-estruturas que se necessita são simples mas que obrigam a investimento complicado, campos relvados e equipamento suficientes.
Todavia ainda ficam a faltar pelo menos mais 2 campos relvados para cobrir as necessidades de treinamento de todas as equipas.

A "jogada" da Direção com a colaboração de Rúben Amorim que colocou em campo o jovem Dário num jogo da Liga e de enorme responsabilidade mesmo que a escassos minutos do final foi de mestre, resultou em pleno na ideia estratégica de passar uma mensagem forte para o exterior " quem é da Academia de Alvalade é bom e tem futuro" especialmente para os jovens que ainda decidem para onde querem ir fazer a sua formação, foi de facto uma ação de marketing bem pensada e que teve o sucesso que desejavam, correu mundo.
Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 13:35

😂😂 Julius...
Como sabe, adoro os seus comentários... sobretudo porque vêm sempre providos de imensa imaginação!
Onde que raio foi buscar essa ideia de que a entrada de Essugo deve-se a uma “jogada de marketing” da direção com a “colaboração” de Amorim.
Até porque logo à partida resolveu matar dois coelhos de uma cajadada só ao passar um atestado de inferioridade, tanto ao jogador como, e sobretudo, ao treinador.
Abraço e acalme-se... amigo Julius!! 😉👍
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 28.03.2021 às 13:44

Há "jogadas" que são pensadas incluindo o risco que podem ter, neste caso acreditamos que o risco foi calculado porque o jovem jogador terá qualidade mas o futuro dirá. O Rúben de tolo não tem nada e sabe onde pode arriscar.

De todas as formas teve o efeito que desejariam, apartir de agora as responsabilidades tambem caiem no Essugo que terá que trabalhar muito para provar que de facto não foi uma jogada de risco.
Olhando para os 3 grandes creio que não ficaram duvidas onde miudos e os seus respectivos pais devem apostar as carreiras dos jovens talentos.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 28.03.2021 às 23:11

Leão Campeão e Leão do Norte ;

Eu tenho uma visão diferente caros amigos vejo que mais avançada com o que se pretende discutir neste post, jamais iria criticar o Rúben e a Direção do Sporting quando pelo contrário só tenho elogios a fazer-lhes e quando abordo o assunto do miudo de 16 anos que entrou a escassos minutos do final de um jogo que estavamos a ganhar pela diferença mínima onde não podiamos perder os 3 pontos é com intenção clara de grande elogio a todos os intervenientes que fazem parte de uma estratégia clara e sustentada para o presente e futuro do clube.

As açôes que podemos analisar que nos pareçam estranhas ou fora do nomal não acontecem por acaso, são pensadas ao pormenor e por vezes só esperam a oportunidade para que se coloquem em prática, está em andamento faz algum tempo uma estratégia da Direção que junto com o treinador que escolheram visa uma aposta clara na formação, o dinheiro gasto e que se continua a gastar para melhores condiçôes na Academia é para ter os seus frutos e não para ver os combóios passar, terá que haver açôes e tudo obedece a uma visão no futuro não desprezando o presente imediato e o treinador está 100% incorporado nessa ideia, faz parte dela como faz a Direção do clube.

O treinador escolhe óbviamente os jogadores mas dentro da estratégia acordada com a Direção em que ele acredita piamente e se entrega de corpo e alma, o exemplo da expressão "onde vai um vão todos" não lhe saiu por acaso faz parte das palavras de ordem ditas nos treinos assim como outras que visam a forte união de um grupo, tudo isso faz parte da formação mesmo para os mais velhos para aqueles que julgavam que ja sabiam tudo e já nada mais tinham a aprender.

Quisá a forma correcta de dizer é que o Rúben e a Direção estão preparados para lançar todos os Essudos que se apresentem preparados para tal independentemente da idade e ao mesmo tempo dão a mensagem clarissima que pretendem para o exterior, acreditem que á conta dessa mensagem já tem gente a ter que comer sapos vivos.
Imagem de perfil

De relva a 28.03.2021 às 14:58

De acordo, grande jogada para cair em cima do benfica. É nessas idades que se pode ir buscar talento em preço.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 15:21

Caro Julius,
Foi confrangedor e desanimador ouvir relatos de treinadores e jogadores sobre as condições existentes na academia, que em alguns casos determinaram a escolha por outros clubes, com outras condições.

Tenho conhecimento pessoal, alguns até de relacionamento próximo e sportinguistas, de miúdos com talento (com chamadas a selecções jovens nacionais ou de associações) em que o projecto e as condições apresentadas pelas outras equipas, para o acompanhamento e desenvolvimento dos filhos, era muito superior ao do Sporting. Até a manifestação de interesse era completamente diferente.

Não podemos ter todos os miúdos com talento, mas não os devemos perder por desleixo ou ausência de um projecto convincente.

Não foi por acaso que o Rúben Amorim alertou os miúdos para, em caso de dúvida (natural num meio tão competitivo como o futebol), optarem pelo Sporting, sabendo que terão um clube que lhes dará as condições e as oportunidades para no futuro terem uma carreira de sucesso.
Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 17:24

Leão do Norte
O comentário de Amorim é, quanto a mim, feliz, pois promove a ideia que em Alvalade os miúdos terão sempre um porto de abrigo para as suas ambições.
Mas se amanhã não houver Amorim, onde ficam as palavras dele...?!
Vamos lá ver...
A aposta nesta juventude toda deve-se única e exclusivamente ao treinador que aceitou, e com todo o sucesso, abraçar um projecto onde preferiu os mais novos em detrimento de outros mais velhos... e até mesmo dentro do plantel, como são exemplo Mendes e Inácio ou Tomás no lugar de Neto e Antunes, ou de vários outros no caso de Tomás!
Amorim não teve medo de arriscar o seu próprio sucesso ao colocar três miúdos juniores a jogar é isso só a ele lhe pode ser imputado.
Dizer agora da influência da direção na escolha dos jogadores que joguem é uma fantasia sem sentido nenhum...
Até antes pelo contrário, não fosse a enorme capacidade de Amorim para promover e desenvolver as qualidades técnicas de miúdos tão jovens e a sua situação pessoal actualmente seria bem diferente e talvez estivesse bem posta em causa.
Por isso volto a dizer: o papel da direção foi pouco mais que nulo nesta equação, excepto no facto de ter arriscado por um treinador finalmente competente, ao contrário dos vários que o antecederam e alguns de que se afirmou estarem perfeitamente identificados com o projecto do clube.

Já a razão que leva miúdos de tenra idade a abandonar o Sporting e a preferir outros clubes tem muito que se diga que pouco se encaixa na teoria dos colchões ou dos relvados...
Sabemos bem que existem outros argumentos que têm sido apresentados para levar miúdos a se comprometerem com os rivais, tanto no Benfica como no Porto. Ao Sporting cabe competir de igual modo, se necessário, por os manter no seu seio.
De resto, não existe miúdo algum no mundo que se encante apenas pelo Sporting só porque o treinador disse publicamente que aqui tem um lugar para eles. Até porque não seria preciso o dizer, já que o histórico do clube fala por si e o Sporting sempre promoveu jogadores vários, mais do que qualquer outro, à equipa principal que depois revelaram carreiras mais ou menos promissoras.
Só que o mesmo princípio, pelo menos hoje em dia, se aplica aos rivais... ou até mesmo a outros clubes noutras paragens que, de quando em quando, cá vêm requisitar miúdos para as suas próprias formações.

A direção teve um desígnio após ser eleita que quanto a mim considero óptima.
A requalificação do seu centro de formação.
Se tal está a ser devidamente feito, fico muito agradado, dado o perfeito estado de degradação em que se encontrava.
E esse é um trabalho de mérito da direção do clube que eu não vislumbro reflectido na equipa principal do clube, presentemente, mas que espero ver bem patente no futuro próximo, quando os frutos dessa política começarem a produzir efeito...
Tanto que se o Sporting não fosse em primeiro em nada se poderia apontar a esta direção por não estar a produzir esse mesmo bom trabalho.
A folga para o perceber é que seria outra...

Resumindo, o Sporting é um clube de formação na sua génese. Foi-o assim com todas as direções ao longo de anos, umas vezes melhor, outras não.
Espero que se realinhe esta filosofia mas também espero que o futuro sucesso do clube não a volte a minar e a impedir de prosseguir o seu caminho como tantas vezes verificamos no passado...
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 18:12

Leão Campeão,
Parece-me totalmente redutor e injusto dizer que o papel da direção foi pouco mais que nulo nesta equação, excepto no facto de ter arriscado por um treinador competente.
Os maiores benefícios serem obtidos no futuro, mas é inegável que algumas acções já tiveram influência.
A requalificação do centro de formação pode não estar reflectida directamente neste sucesso da equipa principal do clube, mas está de forma indirecta. Um treinador competente e inteligente como Rúben Amorim não acreditaria, nem aceitaria, um projecto baseado na formação se os restantes indicadores não apontassem para essa aposta. E a direcção promoveu esses indicadores.
Paralelamente convém não esquecer as renovações, atempadamente efectuadas, dos contratos dos jovens jogadores, mesmo os que agora jogam na equipa principal. Assim se mostra uma aposta concreta e se dá uma segurança, tão necessária ao rendimento desportivo.
Isto é inegável mérito da direcção.

Em relação aos miúdos preferirem outros clubes nada está relacionado com colchões ou relvados, nem sequer com questões económicas.
Curiosamente na maioria dos casos que referi, a preferência nem foi dada ao Porto ou ao Benfica, mas sim ao Braga e ao Guimarães e esteve muito relacionada com a forma como o projecto e as condições foram apresentadas e com o acompanhamento que foi dado.
Nenhum pai gosta de enviar um filho para um centro de formação, como se envia um produto para uma linha de "montagem" e deixá-lo à sua sorte, nem para um centro onde a estabilidade não é muito perceptível.
Deve existir um mínimo de individualidade e fornecer as indicações para se estabelecer a necessária confiança nas condições dadas e no futuro do projecto desportivo.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 18:14

Deve ler-se:
"Os maiores benefícios serão obtidos no futuro..."
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 28.03.2021 às 23:26

A mim fez -me sempre confusão porque alguns treinadores tipo mestres da táctica têm calcado a ideia que um miudo de 16/17 anos não terá ainda condiçôes para jogar numa equipa principal do Sporting, esses treinadores só bloqueiam o aparecimento de mais Pelés e outros como ele que como exemplo foi selecionado para a seleção do Brasil com 15 anos. Ou têm outra visão ou estão casados com outros interesses.

O Rúben veio romper essa fronteira de triste mentalidade e fazer retornar a ideia de sempre, que no futebol não tem idade para quem o pratique com qualidade.

Um dos melhores jogadores que fazia parte da equipa que treinei no Peru só tinha 16 anos e era ele um dos motivos que levava mais gente ao estádio para o verem jogar quase sempre muito bem a extremo.
Sem imagem de perfil

De Fernando Albuquerque a 28.03.2021 às 14:31

Rui Gomes

Li atentamente os comentários deste post , onde adeptos do SCP na maioria dos casos apresentam casos para nós e principalmente os dirigentes do SCP reflectirem sobre qual será a razão da existência do SCP. Por razões que agora não interessa escrever a situação financeira do SCP tem contribuído para o falhanço desportivo que nos persegue há várias épocas. Sabemos que uma equipa do SCP com apenas jogadores da formação, dificilmente terá sucessos. Muito bem estes dirigentes apostaram em adquirir jogadores com a qualidade possível, e anexar jogadores da formação e na mesma fornada contratar um treinador que sabe apostar nos jovens da Academia. Não sabemos qual vai ser a classificação final do campeonato, pois os jogos não se ganham apenas em campo, pois outros casos podem alterar tudo, pois as toupeiras trabalham 24 horas por dia e contra isso não existe remédio que as impeça de se alimentar.
Uma coisa é verdade ao apostar em Rúben Amorim, o SCP ficou melhor em todos os sentidos. Fernando Albuquerque (SCP)
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 15:44

Caro Fernando Albuquerque,

Realmente a formação não pode ser o caminho exclusivo para o sucesso desportivo.
Como em quase tudo na vida, o equilíbrio está na conjugação de diversas opções, com diversas preponderâncias.
Num clube como o Sporting a preponderância deve estar na formação, devidamente conjugada com a experiência e a qualidade cirurgicamente contratada.

E Rúben Amorim parece ser o "feiticeiro" que tem o segredo para juntar as quantidades necessárias dos ingredientes e confecionar essa "poção mágica"!
Imagem de perfil

De relva a 28.03.2021 às 14:56

Muitos dizem-no porque estamos a ganhar. O palhinha antes era um coxo. Como disse o amorim, vamos sofrer assim saibamos manter o rumo.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 15:51

Relva,
Esta aposta e este aparente sucesso não pode ser uma situação conjuntural, mas um rumo traçado, independentemente dos percalços e obstáculos que possam acontecer.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 28.03.2021 às 15:10

Excelente análise, caro Leão do Norte. Pessoal, subjectiva, como é natural na natureza humana. Possivelmente tendenciosa, como foi classificada, o que, na minha perspectiva, apenas a valoriza. A perfeição é um estado difícil de atingir, até pelos próprios deuses.

E porque, honestamente, também sou tendencioso, quero lembrar que o mérito do que se está a passar se deve a esta direcção presidida por Varandas. É verdade que cometeu erros, é verdade que optou, em certa altura, pelo caminho mais fácil, mas também é verdade que soube corrigir, e bem aconselhado, tomou no momento certo, a decisão certa: a contratação de Rúben Amorim, que agarrou a oportunidade e percebeu o ADN do Sporting.

E porque sou tendencioso, e assumo, não posso deixar de referir e lamentar os muitos anos perdidos, com algumas momentos curtos, comoestrelas cadentes. E não posso deixar de referir os seis do anterior mandato. A estratégia, pouco inteligente, de querer ganhar, gastando o dinheiro que não existia em reforços externos, só poderia acabar mal, como acabou. Espero que os adeptos humildes, e sensatos tenham aprendido a lição: A demagogia e o populismo não são, nunca foram, solução para coisa nenhuma.

O passado não se pode mudar, mas não se deve esquecer, como lição. O presente projectado para o futuro, tem de ser vivido com os pés assentes na terra. Não podemos passar do bestial a besta. Temos de fazer o caminho passo a passo, com segurança. mas com a consciência, que não está livre de dificuldades.

Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 16:33

Caro Nação Valente,
Agradeço a gentileza da apreciação à análise.

A natureza humana implica a diversidade e é nela que se encontram as diversas tendências, sempre saudáveis na "luta" contra o unanimismo ou pensamentos únicos.
Situação diferente é a utilização da palavra tendencioso como sinónimo de parcialidade ou de injustiça para com alguém. Esta nunca será a minha tendência e penso que, pelo que interpreto das suas reflexões, também não é a sua. É a maneira de expressarmos as nossas opiniões e convicções, livres e não condicionadas por qualquer pressuposto.

É inteiramente justo ter a tendência de elogiar esta direcção pela aposta efectuada, mesmo após alguns desvios iniciais, compreensíveis por alguma impreparação. O problema principal não está em cometer erros, está em não aprender com eles e em não os corrigir.

Encontrar o caminho certo implica corrigir desvios, com avanços e recuos, e como bem disse, aprender com o passado e projectar o futuro com os pés assentes no chão.
Sem imagem de perfil

De Leão Campeão a 28.03.2021 às 20:45

A natureza humana tem muitas vertentes e algumas são-no também a ingratidão e o esquecimento...

Nunca na minha vida votei em Bruno de Carvalho e fui-o sempre, desde o início, reservado e crítico sobretudo da sua personalidade.
Quanto a isto fico-me por aqui e não faz sentido continuar a conversa sobre este assunto que, aliás, está morto e enterrado.
Agora o que não posso deixar de recordar é que tal indivíduo pegou num clube ABSOLUTAMENTE estraçalhado, resultante de uma situação desportiva-económica-financeira-anímica completamente destrutiva.
E com meia dúzia de paus e pedras e mais um punhado de miúdos da formação (uma vez mais a formação...!) la conseguiu reerguer o clube, encher estádios, unir adeptos e fazer renascer a esperança e ambição de um clube secular detentor de enormes glórias mas que há muito se encontravam esquecidas...
O que depois a partir daí sucedeu é história bem nossa conhecida e que releva dois aspectos essenciais: o primeiro é o da ambição descontrolada de um projecto que se procurava consolidar, o outro, bem evidente, foi exactamente a minha reserva pessoal em relação ao indivíduo em causa que, sobre pressão e no pior momento, se revelou nefasta, tal como eu sempre desconfiei poder vir a suceder.
Todos nós sabemos bem o ditado que diz que o sucesso não é o mais difícil de alcançar, manter-nos la é que se torna algo muito complicado...!
Bruno de Carvalho não soube construir o seu, esperemos, a bem do clube que é o nosso, que os seus sucessores o saibam.
O trabalho é sempre hercúleo e minado por imprevistos mas só se atinge o sucesso construindo-o e mantendo a serenidade necessária para não se embarcar em processos auto elogiosos que invariavelmente reduzem o foco e a disciplina aos seus protagonistas no trabalho que tem um longo caminho a percorrer.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 28.03.2021 às 21:41

O elogio, com a crítica associada, não se traduz necessariamente numa manifestação cega de opinião, nem em ingratidão ou esquecimento.
Sem prejuízo de elogiar ou criticar quando devido, concordo que o mais importante é manter a serenidade, não embarcar em euforias e manter o trabalho, porque o caminho a percorrer é longo e o tempo não pára.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo