Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os clubes não querem vice-almirantes

Rui Gomes, em 02.12.21

image.pngO caso Belenenses-Benfica criou um equívoco. Os clubes não elegem uma autoridade soberana para gerir competições profissionalmente e impor as regras de higiene e funcionamento: elegem um subordinado para gerir contradições permanentes e acatar, muito caladinho, as regras que derem na real gana aos associados.

Devem chegar os dedos de uma mão para contar os clubes que, alguma vez, votaram num presidente da Liga por achar que ele teria dotes excecionais de organizador ou que seria um gestor visionário. No máximo, terão ponderado a influência política ou financeira, mas em geral as direções da Liga são eleitas porque os eleitores imaginam que terão algum tipo de ascendência sobre elas.

Ao mais pequeno desentendimento, não hesitam em ridicularizá-las, e normalmente por futilidades. Outros circunscrevem-se à tradicional sabotagem, esgotando logo à nascença a credibilidade e imagem pública dos eleitos. A seguir voltam ao ataque porque os eleitos não têm credibilidade nem boa imagem pública.

Chega a ser cómico ouvir falar da Liga como uma entidade que dá orientações. Nenhum clube votou com o propósito de ser orientado por aquelas pessoas. Por cá, o futebol ainda não atingiu o nível de profissionalismo em que se confia dessa forma em alguém, seja quem for (e para ser sincero, com alguma razão).

Por isso, antes de falarem da Liga como se ela estivesse obrigada ser a versão desportiva do vice-almirante Gouveia e Melo, esperem por umas eleições em que os clubes escolham uma administração em vez de uma direção e técnicos especializados em vez de sacos de pancada. E que depois aceitem, vá lá, uma decisão em cada dez. Já seria uma melhoria de dez por cento.

Artigo de José Manuel Ribeiro, Director de O Jogo

publicado às 12:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


2 comentários

Imagem de perfil

De Julius Coelho a 02.12.2021 às 15:07

Então a Liga deixou propositadamente cair no ridículo o que os clubes quiseram evotaram. Foi isso que aconteceu? Tipo, querem assim? Então agora desenrasquem-se.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo