Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Pedroto e Vítor Damas

Leão Zargo, em 02.08.15

 

imagesNVTP3X3U.jpg

O treinador José Maria Pedroto tinha uma profunda admiração por Vítor Damas que, aliás, nunca escondeu. Em 1976 quando o guarda-redes leonino estava de malas aviadas para o Racing Santander constou que o FC Porto de Pedroto tinha tudo preparado para o conduzir à Cidade Invicta a troco do salário principesco de cem contos por mês. No entanto, por artes e engenho de João Rocha o destino foi mesmo Santander.

 

Damas regressou a Portugal, em 1980, com destino ao Vitória de Guimarães treinado pelo mister Pedroto. Finalmente, o carismático treinador e o extraordinário guardião cruzavam-se no mesmo clube.

 

A propósito de ambos, Alcino Pedrosa, professor de História, investigador na área do Desporto e blogger do Leitura de Jogo, contou que, ainda jovem estudante universitário, conseguiu em 1978 uma entrevista com Vítor Santos, director de A Bola, para um trabalho académico. Quando chegou à Travessa da Queimada o jornalista estava a conversar com José Maria Pedroto.

 

Um dos temas da conversa era o futebol inglês e o Inglaterra-Portugal, disputado no Estádio de Wembley em Novembro de 1975, a contar para a fase de apuramento do Europeu de 1976. O jogo terminara empatado a zero golos graças a uma série de defesas espantosas de Damas. Antes do jogo, os ingleses estavam de tal forma convencidos da goleada que o diário Daily Mail distribuiu um cupão em papel para que os adeptos pudessem registar os golos marcados pelos Three Lions.

 

untitled.png

Pedroto conversou longamente sobre o jogo e as suas peripécias. Em determinado momento, considerou que o futebol inglês era bastante previsível, pouco avesso a alterações tácticas, perdendo consistência se na primeira meia hora não se impusesse ao adversário. Segundo o técnico, a solução passava pelo controlo do jogo a meio do campo. Contou, ainda, como tinha analisado os jogos da selecção inglesa em Wembley nos últimos vinte anos.

 

Atento, o jovem Alcino Pedrosa aguardava pela oportunidade para se dirigir ao Mestre Pedroto. Quando surgiu, perguntou-lhe de rompante: “Senhor Pedroto, e se, em algum momento, falhasse a sua estratégia?” A resposta saiu pronta ao antigo seleccionador: “Tinha o Vítor [Damas] na baliza capaz de fazer defesas impossíveis”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:38

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


70 comentários

Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 14:07

Caro Leão Zargo.

Resta acrescentar que o "adiantado mental" Pedroto, relativamente a esse jogo memoravel de Vítor Damas no Wembley sabe de que forma preparou essa partida? Simples, reuniu, estudou e esmiuçou as cronicas das ultimas décadas de partidas da Selecção Inglesa, e encontrou um antidoto para contrariar essa temível Selecção, e depois, havia Damas, claro... Aliás, não me lembro de ver um G Redes defender tanto, e tão bem como Vítor Damas nesse jogo épico, talvez Bento na Alemanha, no "deixem-me sonhar" do Torres, mas Bento sem a elegancia de Damas!

Resta acrescentar que o "adiantado mental" Pedroto, em Guimaraes, introduziu no Futebol a tão actual estatística, mas em 1981, com o trabalho do Prof Neto.

Sim, Vítor Damas em 1976/77 (1ª temporada da dupla Pedroto&Pinto da Costa no FC Porto), esteve muito perto de seguir para o FC Porto, seguiu para Espanha. Curiosamente Pedroto, irá cruzar-se com Damas no Vitória de Guimarares (Joaquim Melo G Redes suplente), isto em 1980/81, mas quem fez regressar Damas a Portugal foi o jovem Pimenta Machado em estreia, e o também jovem Treinador do VSC Fernando Peres (ex Campeão pelo Sporting CP), a meio dessa temporada 80/81, Pedroto irá substituir Fernando Peres, isto pós rescaldo do Verão quente de 1980 no FC Porto, que levaram à saída de Pinto da Costa e Pedroto dos Dragões!

1 abraço,

PT
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 15:36

Amigo Paulo Teixeira

Agradeço a rectificação sobre o regresso do Damas a Portugal. Tem razão, esqueci-me do Fernando Peres!
O Pedroto foi um treinador que marcou o seu tempo no futebol português e o que se seguiu. Uma personalidade extraordinária, como Szabo, Guttman e Otto Glória antes dele, e o Mourinho e o Jorge Jesus a seguir.

Esse Verão Quente no FC Porto e a presidência de Américo de Sá ainda tem muita história para escrever. Mais tarde percebi que o que estava em causa era muito significativo, mas naqueles meses de 1980 pareceu-me apenas um conflito entre o presidente e o chefe de Departamento de Futebol.
O Pedroto e o Hernâni Gonçalves tiveram um papel fundamental na preparação dos jogadores no Pinhal de Sta. Cruz do Bispo. Durante um tempo, pareceu que o Américo de Sá e o Hermann Stessl dominavam a situação, mas já estava tudo a um nível muito elevado. Sabe-se o que aconteceu a seguir.

Relativamente às saídas, acrescento a do Oliveira que foi um ano para o Penafiel e de seguida para o Sporting.

P.S. Enganei-me na data do jogo, foi em 20.Nov.1974.

Um abraço cordial
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 16:20

Caro Leão Zargo.

Se me permite, e a bem da justiça, o Mestre Cândido de Oliveira foi fundamental no Sporting, foi ele o "Pai" dos 5 violinos. Posteriormente, em meados da década de 50, Candido de Oliveira, foi o 1º ideologo do crescimento estratégico do FC Porto, lançou sementes, e o FC Porto nessa década de 50, foi duas vezes Campeão Nacional, e justamente fruto desse trabalho fundamental do Mestre Candido!

Em 81 Campeonatos, encontramos 4 Treinadores com um Tri-Campeonato (3 Campeonatos sucessivos conquistados) foram eles: Randolph Galloway (Sporting), Hagan (Benfica) e Jesualdo no FC Porto (o unico Português a consegui-lo), já falo no 4º, pela curiosidade!

Pois bem, o 4º Treinador a conquistar um Tri Campeonato em Portugal foi Bella Guttmann, mas com uma particularidade, ganhou o 1º no FC Porto em 1959 Campeonato Calabote (quando entra pela primeira vez em Portugal), e em 1960, e 1961 no Benfica. Curiosamente, Guttmann, que entrou em Portugal pela porta FC Porto, e despediu-se de Portugal pela mesma porta, FC Porto, e justamente na Revolução de Abril de 1974, aliás, era Bella Guttmann que estava no banco do FC Porto, quando Pavão ao minuto 13, na jornada 13 naquela tarde chuvosa e cinzenta de dezembro de 1973, Pavão faleceu no Estadio das Antas num FC Porto V Setubal (estes treinados por Pedroto, tinha sido Pedroto a lançar Pavão na 1ª equipa do FC Porto).

Outra curiosidade interessante, se Guttmann é o unico Treinador Tri Campeão por dois Clubes distintos, isto em Campeonatos disputados em Portugal, Jorge Jesus poderá repetir o que fez o Austro Hungaro, e nesta temporada em Alvalade poderá ser também o 2º Treinador Tri Campeão com 2 emblemas distintos, ainda não li, nem ouvi a Imprensa escrita/falada abordar esta curiosidade!

1 abraço,

PT
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 16:35

Paulo Teixeira
Há esquecimentos que são terríveis. Refiro-me ao Cândido de Oliveira, por quem tenho grande admiração como cidadão e desportista. Tem toda a razão.

O Alcino Pedrosa refere a seguinte afirmação de Artur de Sousa “Pinga”, adjunto do Mestre no Futebol Clube do Porto entre 1952 e 1954: “Cândido de Oliveira é a própria perfeição. Todos sonham em ser perfeitos, mas apenas alguns têm argumentos para o ser. O senhor Cândido nasceu e cresceu com essa aura. Para ele o futebol é um misto de geometria e genialidade.” (Pedrosa, Júlio (1954). "Pinga, o herói improvável, Recolha de testemunhos e notícias sobre o cidadão Artur de Sousa"; Porto, ed. de autor)
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 16:46

Caro Paulo Teixeira,

Não quero que fique com a ideia de que sou recta pronúncia, mas aqui vai:

1) O primeiro treinador português a sagrar-se campeão nacional três vezes, embora não consecutivas, foi Artur Jorge (1984/85, 1985/86 e 1989/90);

2) Quem lançou Pavão foi o brasileiro Flávio Costa, na sua segunda passagem pelo F.C. Porto, em 1965/66. Pedroto treinava o Varzim e chegaria ao Porto pela primeira vez como treinador na época seguinte.

Um abraço
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 17:57

Caro Alexandre Burmester,

Quando refiro Tri Campeão (3 X Campeão de forma consecutiva), não foi o caso de Artur Jorge, como também Jesus, ou Erickson, ou Glória, ou Szabo, entre outros!

Treinadores em Portugal Tri Campeões, há 4 como em cima referi, Jesualdo o unico Português a consegui-lo, e bem recentemente!

Sim, sobre Pavão, tem razão, Pavão fez estreia com Flavio Costa, mas com Pedroto passou a ser uma certeza!

1 abraço,

PT

P.S. Estou a ver um FC Porto quase vintage e com segundas linhas!
Sem imagem de perfil

De alcino pedrosa a 13.08.2015 às 21:16

Caro PT, admito que pense assim, mas está mal informado. Pedroto analisou mais de 20 jogos da selecção inglesa, aproveitando vídeos disponibilizados pela BBC. De resto, nos arquivos da televisão inglesa consta ainda o pedido efetuado pelo treinador do F. C. Porto. O que reflecte a metodologia e a preocupação de estudo do treinador português. Pode não se gostar dele, mas não se podem negar os seus méritos. Quando faço afirmações desta natureza não recorro a argumentação gratuita, mas sim fundamenta-os num rigoroso trabalho de investigação. Quanto à sua opinião sobre o treinador, que, já agora foi considerado ,num inquérito realizado em 1992, pela Sky Sports, entre os melhores dez treinadores do futebol europeu, não discuto. Discuto em bases científicas e não clubísticas. Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 14:58

Muito interessante artigo. Sou portista, mas gosto de ler a blogosfera futebolística seja ela de que cor for.

Quando falo nos melhores guarda-redes portugueses que vi jogar, refiro sempre como os dois melhores os dois Vítores, o Damas e o Baía.

Eu vi esse jogo em Wembley, pois vivia em Inglaterra na altura! Lembro-me do fantástico meio-campo de, salvo erro, Vítor Martins, Octávio, João Alves e, já não sei bem, mas é possível que o outro fosse o Adelino Teixeira, mas Portugal jogou em 4-4-2, que sempre foi o sistema preferido do Zé do Boné, que, aliás, o introduziu em Portugal. E lembro-me de o Oliveira entrar, cheio de frio, a poucos minutos do fim, para queimar tempo.

Grande exibição do Damas, de facto!

Nota: @ Pedro Teixeira: Pedroto já passara no FC Porto entre 1966/67 e 1968/69. Ao todo, treinou o clube 9 anos, e mais teria treinado não fosse a doença que o levou tão cedo. Mas não estou decerto a dar-lhe novidade nenhuma.

Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 15:00

Correcção: Paulo Teixeira
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 15:40

Caro Alexandre Burmester,

Sei disso, Mestre Pedroto teve 3 passagens distintas pelo FC Porto :

Década de 60 (3 temporadas) duas vezes Vice Campeão, e ganhou a T Portugal de 1968, uma verdadeira iguaria na época, hoje nós Portistas, estamos mal habituados, só pretendemos degustar a ovas de esturjão!

Década de 70, (4 temporadas), Bi Campeão (após 19 anos de longo jejum), falhou o Tri Campeonato, porque um tal Freire do Sporting marcou e empatou nas Antas a poucos minutos do final da partida. Nesse período ganhou também uma T Portugal!

Década de 80 (2 temporadas), ambas Vice Campeão, uma T Portugal, e a 1ª Final Europeia, perdida para a Juventis de Platini, Rossi e Boniek!

Se acrescentarmos duas Taças de Portugal consecutivas ganhas no Boavistão, um Vice Campeonato com esse Boavistão em 1976. Depois, no V Setubal Vice Campeão, finalista da T Portugal, e muitas participações honrosas com o Vitória do JJ, V Baptista e companhia na T UEFA!

Bom, termino e finalizo, Pedroto o melhor Treinador Português do seculo XX, e Mourinho, o melhor Treinador Português do seculo XXI, curiosamente, o discurso de Mourinho tem um conceito muito Pedrotiano, não o formato, mas mais a forma (as trincheiras habituais, para blindar um grupo, quer com inimigos externos, ou mesmo criados propositadamente). O facto de Pedroto ter passado pela Cidade de Mourinho, de ali ter treinado o seu Pai, e posteriomente a passagem de JM pelo FC Porto, explica muito deste Mourinho Pedrotiano em termos de comunicação!

P.S. Provavelmente alguns Sportinguistas desconhecem que Pedroto esteve perto do Sporting, um desejo do seu Presidente mais carismático e importante dos ultimos 50 anos, João Rocha!
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 15:53

Sim o miolo foi constituido nesse jogo do Wembley, pelo V Martins, Alves, Adelino Teixeira e Octavio, deste quadrado, o médio mais alto teria 1.75 (e estou a exagerar), e perante os "armários" Ingleses!

Deixo o onze : Damas, Artur, Humberto/Alhinho e Osvaldinho (lateral esquerdo do VSC),;Teixeira, Octavio, V Martins e J Alves; Nené e Chico Faria.

O Toni e o ruivo Romeu (este no VSC), entraram nos 15 minutos finais para os lugares do Nené e do Chico Faria, o Oliveira não foi convocado para esse jogo no Wembley!
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 16:01

Eu não quero teimar, meu caro, mas olhe que quase juraria que me lembro de ver o Oliveira a tremer de frio junto à linha lateral antes de entrar. E, sim, entrou ele e o Romeu. Há-de haver maneira de tirarmos isto a limpo.

Abraço
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 15:57

Reza a lenda, caro Paulo Teixeira, que, treinava Pedroto o Vitória de Guimarães, e João Rocha lhe terá apresentado um contrato em branco, isto é, o Mestre só teria de escrever quanto queria ganhar. O Zé do Boné ter-lhe-á respondido que, sentindo-se embora muito honrado, não conseguia imaginar-se a treinar outro grande que não fosse o F.C. Porto. Enfim, outros tempos, outras vontades. Anos mais tarde, Artur Jorge, portista e tripeiro (Pedroto era de Lamego, como sabemos), não descansou enquanto não foi treinar o Benfica (embora tivesse prometido - e cumprido - a Pinto da Costa que nunca iria directamente do FCP para o SLB). Infelizmente - para ele, claro ;-) - a coisa correu mal.

Nota: Peço desculpa aos autores do blog desta intromissão intempestiva.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 16:20

Alexandre Burmester
Estou a seguir com grande interesse o vosso diálogo. É um privilégio ter pessoas assim a comentar um post.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 16:31

Agradeço a sua simpatia, meu caro. O gosto é todo meu.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.08.2015 às 16:55

Caros Paulo Teixeira e Alexandre Burmester

João Nuno Coelho escreveu uma breve, mas extraordinária, homenagem a José Mª Pedroto. Nela citou Rodolfo Reis: “Entre nós (jogadores) chamavamos-lhe ‘O Homem’. E quando homens feitos chamam a um homem “O Homem” é porque este é realmente especial”.
https://leituradejogoblog.wordpress.com/2015/01/13/homenagem-a-pedroto/
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 16:56

... de Leão Zargo.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 17:49

Li há pouco, caro Leão Zargo. O seu artigo levou-me a ver esse blog, que não conhecia. Obrigado.
Sem imagem de perfil

De HY a 02.08.2015 às 17:48

Peço desculpa, mas está enganado sobre o tal jogo com o Sporting em 1980. O tal Freire marcou o golo no inicio do jogo. E um tal de MF marcou outro limpo que foi anulado. E um tal de Biffe atirou-se para o chão (confissão do próprio) para obter o pénalti que daria o empate e o título ao FCP. E um tal de Vaz defendeu o pemalti e um tal de Antonio Garrido (dobqual sabemos o papel depois de acabar a carreira) mandou repetir e lá entrou. E o Pedroto perdeu o tri-campeonato porque a seguir parou na Póvoa de Varzim...
Sem imagem de perfil

De HY a 02.08.2015 às 17:49

Rectifico: empatou na Póvoa de Varzim...
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 17:51

Não, o Garrido não mandou repetir o penalty: o Oliveira marcou de recarga. Quanto a mergulhos, não quero entrar por esse campo nesta agradável conversa, senão iríamos muito longe.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 18:06

Não havia necessidade de se introduzir aqui polémica, mas, quanto a árbitros, essa foi a época em que o árbitro Mário Luís, tendo arbitrado o desempate da final da Taça de Portugal ganha pelo Sporting contra o FCP, partiu dois dias depois com a comitiva do Sporting numa digressão à China, assim tendo ganho o epíteto de "o Chinês".

E quanto ao jogo das Antas, já agora, ficara por marcar um penalty na 1ª parte contra o Sporting, por rasteira sobre o Sousa.

E houve ainda o célebre auto-golo do Manaca em Guimarães na penúltima jornada.

Mas deixemo-nos disso. Afinal, o Sporting até foi campeão nessa época, e o Porto só pôde queixar-se de si próprio

Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 18:11

Corrijo: o Mário Luís e a Taça de Portugal aconteceu dois anos antes, em 1978.
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 18:13

Caro HY,

Não queria abordar questões marginais relativamente a esse Campeonato, ou mesmo a Final da Taça de Portugal de 1980, não alimento "discussoes de mercearia" (estou aqui a debater Futebol de forma saudavel), relativamente ao FC Porto 1 Sporting 1 da 27ª Jornada do Campeonato 1979/80, Romeu fez 1-0 para o FC Porto aos 49 minutos, e Freire do Sporting empatou aos 76 minutos, esse golo e empate foram fundamentais para o Sporting se sagrar Campeão Nacional 79/80!

1 Abraço,

PT

P.S. Essa Final no Jamor de 1980 ganha pelo Benfica, foi disputada entre o FC Porto e Benfica (com estórias com história), e motivou posteriormente o "Verão Quente" nada mais acrescento, e sei que o FC Porto na jornada seguinte desse Campeonato (apos empatar nas Antas com o Sporting) empatou na Povoa a zero, e o Sporting ganhou em Guimarães ...
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 18:30

Caro Paulo Teixeira,

De facto, HY tem razão na ordem dos golos do FCP-SCP de 1980: o Freire marcou no início da 2ª parte e o Oliveira empatou de penalty.

A final da Taça do Mário Luís, como já corrigi, foi em 1978.

Quando o FCP empatou na Póvoa, o SCP jogou em casa, salvo erro com o Beira-Mar. Foi na jornada seguinte (a penúltima) que o SCP venceu em Guimarães com o tal golo do Manaca. Nessa jornada o FCP venceu em casa o Boavista. Na última jornada o FCP perdeu em Espinho. No final, o SCP venceu o campeonato com dois pontos de avanço (as vitórias ainda só valiam 2 pontos).

Mas, no jogo SCP-FCP da 1ª volta (vitória do SCP por 1-0) também houve polémica, não sendo este, claro, e por respeito para com os nossos anfitriões, o local para comentar isso.

Tudo numa boa, que falávamos de futebol! ;-)
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 18:31

Bolas, esta memória! Quem marcou o penalty foi, de facto, o Oliveira, e quem rematou na recarga foi o Romeu. Assim é que está certo!
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 18:49

Caro Alexandre Burmester,

Este site não me engana, e deixo a ficha desse FC Porto 1 Sporting 1, e repito, Freire marcou a 15 minutos do final da partida, e Romeu aos 49 minutos!

http://www.foradejogo.net/match.php?match=198015400012704
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 19:16

Caro Paulo Teixeira,

Socorro-me apenas da minha memória, neste caso boa, até porque assisti ao jogo, o que ajuda. Esse site, acredito que não engane, mas neste caso engana mesmo! ;-)

Um abraço
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 19:26

Só mais um pormenor, caro Paulo Teixeira, que ajuda a provar que esse site não é infalível: o treinador do Sporting era o Fernando Mendes, e não o Radisic, como decerto os nossos amigos sportinguistas poderão confirmar.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 19:58

Alexandre Burmester
Exactamente, o Fernando Mendes, o capitão de Antuérpia.
A propósito de campeões nacionais singulares pode-se referir o Fernando Mendes, campeão como futebolista em 1962-63 e como treinador em 1979-80.
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 19:34

Caro Alexsandro Burmester,

Vi tantos jogos nas Antas, impossivel recordar-me de todos, recordo-me do primeiro, na época 1972/73 um FC Porto 2 Benfica 2, na estreia do Argentino Heredia, emprestado pelo Barça, nos 2 meses finais desse Campeonato!

Socorri-me de um blog Sportinguista, Jornada 27, jogada a 11 de Maio de 1980 (data, jornada, e marcadores dos golos, tudo correcto, excepto os minutos dos golos respectivos), contudo, o golo do Freire nesse blog surge registado aos 40 minutos, mas vou pesquisar com quem sabe, ou quem esteve no relvado. não quero incorrer numa teimosa teimosia!

FC Porto Sporting em 1975, e com o Damas a sofrer o golo mais insólito da sua vida, esse jogo eu vi, um golo marcado pelo apanha-bolas e validado pelo Alder Dante numa noite de nevoeiro!

Ao HY, peço desculpa pela minha relativa teimosia, mas fui traído pelo site que é habitualmente assertivo!

Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 20:01

Caro Paulo Teixeira,

Também vi inúmeros jogos nas Antas mas, como é evidente, os mais importantes ficam-nos na retina. Um deles foi o jogo com o Sporting em 1977/78.

Também vi "o jogo do Herédia", o qual, diga-se, faz parte de uma tradição de jogadores estrangeiros se estrearem pelo FCP contra o Benfica... marcando. Outros exemplos? Flávio, Cubillas e Juary (este último aos dois minutos do jogo da 1ª jornada de 1985/86).

Ah, e também gostei dos jogos de ontem e de hoje, mas já que estamos em casa alheia, devo dizer que também gostei da forma como o Sporting ontem jogou.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 20:03

Ah, a pressa! Jogo com o Sporting em 1979/80, claro!
Sem imagem de perfil

De HY a 02.08.2015 às 23:50

Caros Alexandre e Paulo,

Não era minha intenção polemizar, mas desde já vos digo que também me lembro muito bem desentalar jogo do Mario Luís, alcunhado de o chinês. Todos temos coisas de que não nos devemos orgulhar :-)

Mas sobre o tal jogo nas Antas, garanto-vos que o freire inaugurou o marcador, que o MF marcou poucos minutos depois num contra-ataque semelhante ao do golo, tendo o segundo sido mal anulado e que o bife, como ele próprio confessou anos mais tarde em entrevista à Bola simulou grosseiramente a queda para o penalti do empate. Admito que sobre a repetição esteja a fazer confusão com outro caso, esse o mais vergonhoso que vi na minha vida, relativo ao jogo do golo anulado ao Jordão pelo depois irradiado (por causa desse lance) da arbitragem Inácio de Almeida. Nesse jogo, poucos minutos depois de "apagar" o golo do Jordão, o apitador inventou um penalti com direito a repetição para permitir ao Benfica assegurar o título e não permitir que o Porto do H. Stessel tivesse hipóteses (se o Sporting ganhasse o jogo, o Porto podia ser campeão). Voltando ao tal penalti, tenho a certeza absoluta que foi na 2a parte e que o Sporting estava a ganhar 1-0. E que o empate bastaria ao FCP para ser campeão...se depois não tivesse ido deixar um ponto na Póvoa, num jogo também extraordinariamente polémico (se estão por dentro das estórias do futebol sabem ao que me estou a referir). Ao mesmo tempo, o Sporting ganhou ao Beira-Mar em casa e colocou-se na pole position.

Deixaria de fora o golo do Manaca. Foi um lance em que ele e o Jordão disputaram a bola, quase na linha da área, bateu na cabeça do Manaca (nos estádio, do nosso lado, todos pensámos que fora o Jordão), ganhou um efeito muito caprichoso e entrou junto ao poste mais longe. Demasiado difícil para ser intencional...

Prazer em trocar recordações convosco.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 15:57

Caro Paulo Teixeira
É justa a referência ao Damas e ao Baía que possuíam qualidades fantásticas para jogar à baliza. Mas, como refere no comentário anterior, deve-se recordar o Manuel Bento, um guarda redes que se fez com muito trabalho e sacrifício.

Sim, o outro médio foi o Adelino Teixeira.

O Pedroto teria sido um Ferguson no FC Porto se, infelizmente, a doença não tivesse atraiçoado. A propósito do Pedroto recordo um portista e bom treinador que passou pelo Sporting: o António Morais.

Creio que o 4-4-2 foi introduzido em Portugal antes do Pedroto, mas foi ele que teve a capacidade de o moldar ao nosso futebol nos aspectos físicos, mentais e culturais.
No entanto, recordo-me do Manuel Oliveira no Farense, em 1971-72, jogar em 4-4-2 com Testas, Ferreira Pinto, Sério e Sobral, no meio campo, e Mirobaldo (ou Ernesto) e Adilson, como avançados.

Um abraço
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 16:03

Penso que a sua resposta seria para mim, caro Leão Zargo. Já no FC Porto dos finais da década de '60 Pedroto jogava muitas vezes em 4-4-2. Inspirou-se, já agora, na selecção inglesa de 1966, treinada por Alf Ramsey, e daí o seu profundo conhecimento do futebol inglês.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 16:15

Caro Alexandre Burmester
Peço desculpa pela minha confusão. Efectivamente a minha resposta é para o seu comentário.

O Pedroto percebeu a plasticidade do 4-4-2, que permite adequar as zonas de pressão às características do jogadores (principalmente do meio campo e do ataque) e introduzir variáveis defensivas ou ofensivas durante o jogo. Um teórico apaixonado pelo jogo teria de se sentir atraído por um sistema assim.

Um abraço
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 17:13

Mas......a estratégia do Pedroto falhou mesmo...!! foram tantas as oportunidades dos ingleses que se não existisse um guarda redes com asas invísiveis na baliza portuguesa, DAMAS, seríamos mesmo goleados ou não se recordam?
No jogo anterior levámos 5 da Checoslováquia e estava preparada a mesma receita para o Wembley.
Damas fez uma das defesas mais admiráveis na história mundial de sempre no futebol.
Voando de uma ponta a outra a sacar uma bola rematata quase á boca da baliza que deixou os ingleses sem fôlego ,de boca a berta. A maioria dos periódicos internacionais saíu com a foto dessa monumental defesa na primeira página. de Londes, Pèkin a Buenos Aires.
Um anjo com asas invísiveis.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 17:26

Julius
Ou talvez na altura faltassem os últimos 30 metros...

Portugal não fez uma grande fase de apuramento, é verdade, pois conquistou 7 pontos, contra 9 da Checoslováquia e 8 da Inglaterra (cada vitória valia 2 pontos).
Na realidade, o Campeonato do Mundo de 1966 foi uma excepção no panorama do nosso futebol, mas nos anos 70 e 80 do século passado lançaram-se os alicerces do que viria a ser possível mais tarde.

Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 17:37

Qurem sentir um arrepio na espinha???

entrem neste site https://www.youtube.com/watch?v=06244VvMSvM

e .....recordem!!!! são escassos segundos que ficam na memória para toda a vida.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 17:49

A chamada defesa impossível. Grande Damas!
Sem imagem de perfil

De HY a 02.08.2015 às 17:52

Existe um vídeo na net com um resumo alargado desse jogo. alem dessa, há pelo menos duas a livres directos de arrepiar...
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 20:27

Reparem (era a época dos fotógrafos) na quantidade /dezenas) de fotógrafos atrás da baliza de vitor Damas á espera de fotografar os golos da Inglaterra mas só deu fotos para o Damas, Lol!!!! atrás da outra baliza népia.
Revejam tambem o que faz Vitor Damas quando no apito final do arbitro e principalmente o que fazem todos os jogadores da equipa que correram na direçao do Damas para o abraçarem no relvado, até arrepia!!!!!!

http://www.canalplus.es/play/video.html?xref=20130319plucanftb_4.Ves
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 21:28

Julius
Fantástico! E absolutamente justo, pois o Damas fez um jogo excepcional.
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 18:49

por justiça e porque se trata de um post para recordar Vitor Damas e Pedroto um pequeno video a recordar ...pedroto
Especialmente para os fans deste blog que são portistas

https://www.youtube.com/watch?v=YGd7fdFwW3I
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 19:11

Julius
Faz bem em recordar Pedroto porque devemos recordar quem teve valor para se destacar no seu tempo. Aliás, não devemos recear reconhecer o mérito dos nossos adversários quando estes o merecem, porque para além de ser um acto nobre, tem o efeito de engrandecer as nossas vitórias!
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 19:19

Muito obrigado, meu caro! E na Supertaça torço pelo verde, claro! ;-)

Um abraço
Sem imagem de perfil

De Paulo Teixeira a 02.08.2015 às 19:52

Caro Alexandre Burnester,

E Domingo subscrevo que ganhem, e ganhem bem a Supertaça aos MAIS MAIORES GRANDES da bravata e fanfarronice!

O Sportinguista é de facto um adepto bem diferente. uma grande "chapelada" para os Sportinguistas, mereciam sem duvida ganhar mais vezes!

P.S. Relativamente a uma resposta anterior, o Radisic era Treinador no papel (curso de Treinador, era Prep Fisico), mas quem orientou de facto o Sporting em 1980 foi Fernando Mendes que tinha substituido o Rodrigues Dias!
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 19:56

Pois .....!! :) :) o anti -vermelho é geral!!
Pedroto proibia qualquer seu jogador entrar nas antas para os treinos com roupa vermelha, botas vermelhas e até o carro !!! Quem tivesse dinheiro para um Ferrari pois que optasse pela cor preto.
Inácio mudou várias vezes dentro do carro as suas calcinhas xpeteó de côr vermelha que se usavam na altura para o Pedroto não ver.
Mas um dia ele viu, dirigiu-se ao carro do Inácio e ainda com este lá dentro deu-lhe um raspanete, dizendo-lhe que nas portas do estadio não entrava com aquelas calças e que já agora que mudasse tambem a cõr do carro ......era verde!!!! :):)
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 02.08.2015 às 19:58

José Maria Pedroto é para mim o melhor treinador português de todos os tempos..

Por onde passou fez ou deixou obra. V.Setúbal , V.Guimaraes , Boavista, FC Porto e não esquecer o que ele fez com a selecção em 1961.
Mesmo com a seleccao A em part-time.. Só que nesse tempo, ninguém se interessava realmente por a pobre seleccao. Era o parente pobre portugues...O JM Pedroto bem tentou, mas ninguém ajudava

Alguém um dia lhe perguntou: Mestre, qual é a melhor táctica..Resposta pronta: é ter os melhores jogadores.....
O futebol é simples, mas há quem o complique!!! :))))
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 20:04

Carlos
Tem razão no que se refere ao contexto da selecção nacional nesses tempos em que faltariam os "últimos 30 metros".
Quanto ao melhor treinador português acrescentaria alguém de quem me esqueci injustamente durante o diálogo a propósito deste post: Cândido de Oliveira.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 02.08.2015 às 20:25

Ultimos 30 metros e meio-campistas de 1, 60 m, apesar de muito bons de bola.
Que o diga o Octávio. Eu lembro-me bem de ele estar ao meu lado e eu 14 anos ser maior que ele. Foi uma supresa!! E choque ao mesmo tempo.. Nao imaginava um craque tao pequeno

Candido Oliveira, pouco ou nada posso dizer.. Só mesmo por ouvir ou ler, mas tenho entendido que também foi um modernista(adiantado) para o seu tempo.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 21:26

Carlos
Cândido Oliveira foi uma personalidade invulgar e excepcional. Jogador de futebol, seleccionador nacional, treinador e jornalista. Foi um dos fundadores do Casa Pia Atlético Clube, treinador dos 5 violinos, agente secreto pró-Aliado na 2ª Guerra Mundial e preso político no Tarrafal, para além do autor da célebre máxima “hoje somos bestiais, mas amanhã bestas” que todos os treinadores já utilizaram em conferências de imprensa. Uma figura!
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 20:16

Há uma grande diferença entre José Maria Pedroto e José Mourinho: este último limita-se a ser um bom treinador de boas equipas. Pedroto fazia omeletas sem ovos, assim contrariando a máxima de Otto Glória.

Ninguém conhece um jogador lançado por Mourinho e ninguém algum dia o viu a desenvolver o potencial de jogadores jovens (e não me digam que não precisa, pois também Sir Alex Ferguson não precisava e fazia-o). Pedroto era bom em qualquer parte: o Boavista de 1974/75 e 1975/76 que, sem menosprezo para os restantes jogadores, era basicamente Alves + 10, deu cartas e terminou em 2º lugar a dois pontos do Benfica na segunda daquelas épocas. Também com o Vitória de Setúbal conseguiu um segundo lugar, e demitiu-se daquele clube em Janeiro de 1974, estava a equipa em 1º lugar e acabada de ganhar na Luz por 3-2 (a demissão foi causada pela sua verticalíssima espinha, numa questão com o presidente do V. Setúbal).

E posso dar um exemplo de um "pau de vassoura" transformado por Pedroto num dos melhores jogadores do seu tempo: o Lima Pereira, grande defesa-central.

Abraço
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 02.08.2015 às 20:43

Por curiusidade Vitor Damas teve a sua estreia na equipa principal do Sporting com 19 anos num jogo precisamente contra o Porto.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 21:34

É verdade, Julius. Empate a 2-2, em 1967. Já nos juvenis também se estreou com um grande, o Benfica. Os grandes guarda redes são para os grandes jogos!
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 21:58

Meus amigos,

Vocês trazem-me grandes recordações! O meu avô materno era lisboeta, e os seus dois irmãos eram ferrenhos sportinguistas, e daí o meu especial respeito por vós. Pois devo dizer-vos que vi esse jogo do empate 2-2, com os meus tios-avós, numa altura em que estava em Lisboa. Ignorava que tivesse sido a estreia do grande Vítor Damas (que deve ter um lugar de primeira, lá no céu dos guarda-redes). Se bem me lembro - mas corrijam-me se estiver errado - o FCP esteve a ganhar 2-0 e o Sporting recuperou, sendo um ou os dois golos do SCP marcados pelo brasileiro José Mendes. E só não perdemos porque tinhamos na baliza outro grande guarda-resdes, o Américo!

Grande abraço!
Sem imagem de perfil

De sloct a 02.08.2015 às 22:12

Caro Alexandre,

Não era José Mendes, era José Morais.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 22:14

Alexandre Burmester
Há coisas assim, a conversa avança e corremos o risco de nos encontrarmos com situações da vida.

O jogo ficou empatado a 2-2, sendo os golos do Sporting marcados pelo brasileiro José... Morais. Um médio ofensivo que também podia jogar a avançado. Não conheço a sequência dos golos.
O guarda redes titular era o Carvalho que, provavelmente, estaria lesionado para esse jogo. O Damas só conquistou a baliza do Sporting em 1968-69.

O Magriço Américo Lopes foi um grande guarda redes. Recordo-o destemido na baliza.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 22:23

Tem toda a razão, meu caro, José Morais! Proveniente de Guimarães!

Já agora, o primeiro jogo que vi em Alvalade foi em 1961/62. O FCP ganhou com um golo do Azumir perto do fim,em mais uma grande exibição do Américo - o qual, aproveito para dizer, está ainda entre nós e de rija saúde, com 82 anos. O SCP seria o campeão, empatado com o FCP, ou com mais um ponto, já não me recordo bem. Quanto ao SLB, bi-campeão europeu nessa precisa época, ficou em 3º lugar!

Abraço
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 22:38

Fico feliz pelo excelente Américo.
Efectivamente o Sporting foi campeão em 1961-62. Era o tenpo em que foi campeão em cada quatro anis: 1958, 1962, 1966, 1970 e 1974! Nada mau... diremos hoje!!!
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 22:44

Era o tempo, meu caro, em que os vosso vizinhos ganhavam, mas vocês ainda conseguiam lá chegar com alguma regularidade, o que, devo dizer, não deixava de me dar alguma satisfação. Nós, nem isso, nesse tempo. E quem quebrou esse ciclo dos títulos quadrienais leoninos fomos nós, em 1978, embora em disputa com os vossos acima referidos e presumo que muito estimados vizinhos! ;-)

Mais um abraço
Sem imagem de perfil

De juliuscoelho a 03.08.2015 às 00:00

Amigo Alexandre falemos e com prazer dos grandes jogadores de outrora dos 2 clubes mas ....não de títulos isso é outra história que é melhor não ser abordada .
Os mais novos podem nem saber do que se trata mas nós que vivemos e revivemos tudo o que passou em 40 anos no futebol português contemos ainda e para sempre muita revolta!!!

Mas é com gosto participar numa conversa de ídolos que marcaram épocas no futebol.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 03.08.2015 às 08:54

É verdade. O Sporting não foi capaz de fazer a transição para a profissionalização do futebol nos finais da década de 1950, como não soube adaptar-se a uma nova realidade política e económica nas décadas de 1970-80. O futebol é como a vida: uma lição permanente!
Um abraço
Sem imagem de perfil

De sloct a 02.08.2015 às 22:10

Apenas tenho um pequeno comentário a fazer, e isto sem querer entrar em qualquer tipo de polémica ou de discussão, que me recuso a fomentar.

Tive o privilégio de assistir "in loco" à final da Taça de 78 e ao jogo de Guimarães em 80, e gostava que quem quer que fosse me conseguisse provar que o Vitor Gomes estava fora de jogo ou que o Manaca fez auto-golo de forma deliberada.

As coisas não passam a ser verdade só porque dá jeito, e já dá jeito há mais de 30 anos....

Quanto ao resto, gostava de agradecer aos dois adeptos portistas a lição de desportivismo que estão a dar a muitos dos habituais comentadores deste blogue. Os meus amigos podem não perceber estas palavras, mas como diria o Octávio, "eles sabem do que é que estou a falar".
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 02.08.2015 às 22:16

Caro sloct,

No que me diz respeito, agradeço as suas palavras.

Há de tudo em toda a parte, como decerto concordará.

E quanto a polémicas, cada um tem a sua "verdade"; não vale a pena irmos por aí. Foi o gosto pela "bola" que hoje aqui me atraíu.

Desejo-lhe um honroso 2º lugar no campeonato que se aproxima (mais que isso, como decerto perceberá, não posso desejar ;-) ) e envio-lhe

Um abraço tripeiro de muito respeito pelo Sporting
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 02.08.2015 às 22:21

sloct
A afirmação surgiu num contexto de conversa mais acalorada. De resto, isso são são incidências próprias do futebol que alimentam a dúvida e a paixão mesmo dezenas de anos depois. Felizmente que o futebol é assim!
Sem imagem de perfil

De HY a 03.08.2015 às 00:01

Caro sloct, o VG estava fora de jogo e pôs-se em sentido para não participar na jogada...mas a bola bateu nele e ficou ao,alcance do nosso Manel (?). Será que se pode dizer que não,teve influência na jogada???

Sobre o golo do Manaca, inteiramente de acordo.

Se aquele foi de propósito, que dizer do auto-golo do Simões que pôs o FCP a tremer e a quase perder o campeonato após 18 anos de jejum, não fora o Duda a alguns minutos do final?
Sem imagem de perfil

De Alexandre Burmester a 03.08.2015 às 00:20

Não foram 18 anos, meu caro, foram 19! 18 foi convosco ;-) ! Mas eu não vim aqui para discutir essas coisas, como compreenderá. E esse tipo de discussões só afecta o bom clima que se respira nesta troca de opiniões entre adeptos de clubes diferentes.

E o golo do empate nesse célebre Porto-Benfica foi do Ademir, e não do Duda.

PS: além do mais, e como já referi, o Sporting até foi campeão em 1979/80.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo