Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




AntonioCosta20.jpg

O Governo vai permitir o regresso da Liga NOS, que foi suspensa em 12 de Março, após 24 jornadas, a partir de 30 e 31 de Maio, e da final da Taça de Portugal, mas não da 2.ª Liga.

Faltam disputar 90 jogos do principal escalão, que é liderado pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o Benfica, assim como a final da Taça de Portugal, que vai opor Benfica a FC Porto.

Na altura da suspensão, Nacional e Farense ocupavam os dois lugares de subida na 2.ª Liga, com os madeirenses no primeiro lugar, com 50 pontos, mais dois do que os algarvios.

1.ª - Porquê a 1.ª Liga e não a 2.ª?

2.ª - Porquê a final da Taça de Portugal, se todas as outras provas sob a alçada da Federação Portuguesa de Futebol foram canceladas?

publicado às 04:04

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


31 comentários

Sem imagem de perfil

De Orlando Santos a 01.05.2020 às 09:58

Quem quer saber da 2ª liga? Não está lá nenhum dos grandes, e já se sabe que todos os outros clubes do país são apenas "paisagem" para quem tem o poder das decisões. Para a pergunta nº 2, a resposta é a mesma. Queria ver se uma final entre o Farense e o Estrela da Amadora teria a mesma compreensão.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 11:07

É a conclusão mais lógica, por injusta que seja.
Sem imagem de perfil

De LG a 01.05.2020 às 10:17

Esta decisão ainda vai dar pano para mangas.
Parece.me que foi uma decisão salomónica, a NOS e a Altice lembraram que o célebre artigo 437 do Código Civil estava à mão de semear e o Governo, atento às preocupações dos clubes, vai rezar para que corra tudo bem.
A segunda liga não conta para nada.
A taça de Portugal é a festa do futebol, devia ser jogada em meados de julho às 3 da tarde
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 11:08

Em princípio, parece que os clubes da 2.ª Liga não vão ficar calados.
Sem imagem de perfil

De João Gil a 01.05.2020 às 10:30

A decisão de autorizar a conclusão da I liga proibindo as restantes competições de se concluírem é absurda, imoral e inexplicável, sob qualquer ponto de vista. Do futebol como dos restantes desportos, do hóquei em patins ao futsal. Salvar os maiores clubes da falência não é mais importante do que salvar todos os outros.
Futebol sem público é futebol sem escrutínio. E futebol sem escrutínio não devia ser aceite nem tolerado. Dá direito a todas as tropelias e adulterações, para além das que o público já testemunha semanalmente com as competições abertas e a assistir.
Péssimo, mas sintomático de como os poderes eleitos e instituídos estão comprometidos com uns poucos e se estão completamente “nas tintas” para a maioria.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 11:12

Não me parece minimamente possível retomar a competição agora com público. A alternativa é cancelar todas as provas.

Por outro lado, a jogar sem público, porquê então cancelar todas as modalidades?
Sem imagem de perfil

De Covidamos a 01.05.2020 às 14:23

Porque as modalidades não dão as mesmas garantias de segurança, nem que quisessem, por insuficiência de recursos. Tal como a 2a liga.

Na verdade, até alguns estádios das 1a liga serão excluídos assim que forem expostas as falhas.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 16:14

Reconhece-se isso e daí que seria necessário designar recintos para competição que oferecem as condições necessárias. Aliás, até parece que é isso que vai ocorrer com jogos da 1.ª Liga.
Sem imagem de perfil

De aracaçu a 01.05.2020 às 14:46

Não faz sentido. Se a 2ª liga foi cancelada, e atribuídos os lugares que as equipas ocupavam à data, a 1ª também devia ser. Mesmo que não fosse atribuído o título de campeão. O Porto ia directamente à LC, Benfica à pré-eliminatória da LC, Braga directamente à LE e Sporting à 3ª pré-eliminatória da LE.

Acredito que António Costa ainda esteja a fazer uma forcinha para que o seu clube seja campeão, mesmo que não possam sair às ruas para festejar.

P.S. Fora do assunto, mas realmente há comunicação social que não tem dignidade nenhuma nem um pingo de amor próprio. Depois de há poucas semanas o JJ ter-lhes dito irritado com a perseguição no aeroporto que fossem "levar com o vírus", hoje à sua partida para o Brasil, lá estavam eles a rebaixar-se, como "Cãeszinhos" atrás dele e a fazer-lhe a pergunta do costume quando volta a treinar em Portugal.

Não compreendo este tipo de jornalismo. por isso é que não me interessa se os jornais desportivos estejam em dificuldades, e mesmo assim continuam a fazer capas incendiárias e a dar voz a quem não merece nem percebe de desporto.

Nas 2 áreas mais melindrosas em Portugal, que causam mais excitação e irritação às pessoas, que são a política e o futebol, a grande maioria dos jornalistas dessa área são Péssimos!! Os de cultura, arte, cinema, teatro, música, etc. Dão-lhes de 10 a Zero.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 16:40

O jornalismo desportivo português é um tema que dá pano para mangas!
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 01.05.2020 às 15:57

Jogar o que falta é mal menor.

No entanto, a integridade da competição está posta em causa, especialmente se não houver descidas de divisão. O que interessa a 95% dos clubes jogar o que falta?

Jogar num mesmo estádio também afecta a competição.

O Benfica vai jogar com o Sporting em campo neutro, em vez de jogar na Luz, e o FCPorto vai jogar com o Braga em campo neutro, em vez de jogar em Braga, por exemplo.

A UEFA devia ter definido um critério uniforme e igual para todos os países, para se dar as competições por terminadas, e respectivas classificações.
Em França há uma classificação final, mas não há descidas, na Holanda e na Bélgica, as decisões foram noutro sentido, não há campeões, mas atribuem-se lugares para a Europa.
Um regabofe.

O problema é a falta que as verbas do negocio fazem, porque em termos de espectadores, a taxa de ocupação dos estádios é baixa, com excepção de "meia dúzia" de estádios e jogos.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 16:20

Ainda não li nada sobre isso, partindo do princípio que há um raciocínio lógico para esses jogos em campos neutros.

Não compreendo essa necessidade, salvo se forem designados recintos onde todos os jogos serão disputados.

Concordo com o que diz sobre a UEFA. O organismo optou por não se impor às federações, mas devia ter emitido de facto regras uniformes para toda a Europa.

Não faz grande sentido que cada federação tenha regras exclusivamente para as suas competições, quando a essência do problema é idêntido para todos.
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 01.05.2020 às 17:16

Esta decisão só serve para proteger os 3 grandes, num País onde não há cultura desportiva, e só o futebol interessa; aliás, só os grandes interessam.

Qual o interesse em atribuir títulos num ambiente com jogos à porta fechada, com medo do vírus, com jogos a disputar-se num enquadramento totalmente diferente do que existiu nos 2/3 anteriores do campeonato?

Os dirigentes, jogadores e empresários do futebol, ligados aos 3 grandes, não vão sofrer se não houver jogos durante 1 ou 2 anos. A coberto dos interesses da "industria do futebol", acautelam-se as percentagens e comissões, os milionários investimentos, o dinheiro deitado fora por caprichos a que chamam pomposamente de risco, numa orgia despesista sem fim.

Quem sofre são os clubes, e nós adeptos, e o povo, que continuaremos a pensar em sobreviver, num País a sofrer um brutal aperto na economia, e um mal disfarçado receio da pandemia.

Pão e circo, é o que sobra desta decisão irreal e parcial, desprezando clubes, jogadores, e modalidades desportivas para satisfazer a gula dos 3 grandes clubes, insaciável qualquer que seja a verba milionária de que dispõem para um banquete onde uma minoria elitista se serve, e a grande maioria espera as migalhas que sobram, para terem o privilégio de disputar um lugar onde possam tocar nos deuses.

Ninguem morre se o futebol não tiver campeão, se não houver jogos.
Sem imagem de perfil

De RCL a 01.05.2020 às 18:37

Rui Gomes
Como sabe em França foi o governo que proibiu todas as manifestações desportivas até 31 de Junho. Em Portugal dificilmente qualquer governo teria essa força. Aqui a FPF, a Liga e o Benfica são muito poderosos.
Vão todos rezar aos santinhos para que não aconteça nada.
SL


Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 21:55

Será isso...

P.S.: É de esperar que venha algum benfiquista responder-lhe.
Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 02.05.2020 às 16:46

O Benfica é poderoso mas o Sporting e o Porto são mais já que a conclusão do campeonato é feito para os beneficiar, assim como alguns dos clubes mais pequenos, senão todos eles faliam. E assim acabava o desporto de alta competição em Portugal.
O mercado de jogadores irá ficar muito afectado, com grandes constrangimentos financeiros, falta de liquidez a somar à existência de uma oferta desmesurada do "produto", com a concomitante baixa dos valores de transação.

O Benfica nunca irá falir já que tem a almofada financeira que o protege até pelo menos ao fim do ano civil. O Benfica não vai rezar porque, do ponto de vista financeiro, o Benfica está-se positivamente a borrifar se há ou não competição, embora também seja afectado. Haverá outros que estarão a rezar para que tudo se processe de acordo com o combinado.
As operadoras não pagam os meses em que não há competição.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 02.05.2020 às 16:55

Sporting e FC Porto são mais poderosos do que o Benfica... a sério???
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 02.05.2020 às 17:03

P.S.: Neste momento, segundo a sua tese, em que aspecto é que o Sporting beneficia com a conclusão do campeonato?

No máximo, em princípio, poderá chegar ao 3.º lugar, que apenas diferencia ir directamente para a fase de grupos da Liga Europa ou ser obrigado a disputar a pré-eliminatória e o playoff. Nesta Liga, diferença mínima.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.05.2020 às 16:34

Porque não só recomeçar o campeonato depois de esclarecida a situação do Benfica face ao artigo publicado no New York Times. Façamos uma petição.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 16:39

Nesse hipotético cenário, a competição só recomeçaria daqui a dez anos.

P.S.: Deixo o alerta que se não se identificar, como compete, não voltará a ser publicado.
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 01.05.2020 às 19:36

E porque não recomeçar o campeonato só depois de garantir que o Sérgio Conceição não volta a cuspir num treinador adversário?
ou que não faz bullyng no final de um jogo ao Nakajima?
ou que os bois não agridem ninguém?
e que o Gonçalves não vai mandar perdigotos para cima do Soares Dias?
e que as bolas de golfe que costumam mandar aos jogadores do Benfica vão ser desinfectadas?

Já agora, imagine-se que um jogador precisa de respiração boca-a-boca? Deixa-se assim?

Também são perguntas que me ocorreram.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 21:56

E as tochas encarnadas???
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 02.05.2020 às 11:54

Pois, acho que sim, as tochas são encarnadas
Sem imagem de perfil

De Sel a 01.05.2020 às 20:17

Quanto tempo o governo demorou a mudar de opinião sobre o uso de máscaras? Tal como no exemplo das máscaras, esta opinião do governo está longe de ser um assunto encerrado. A decisão prática do governo foi ter para já acabado com todas as competições desportivas com excepção da Taça de Portugal e do Campeonato. O governo apenas ganhou tempo não dizendo que vai acabar já com todas as competições, mas que preparou o caminho para isso, preparou. Reparem que quando se interromperam as competições em Portugal foi de um dia para outro e não me espantaria que no dia 28 de Maio o governo viesse dizer que ainda não estavam reunidas as condições para retomar as competições. Aliás, eu estou convencido de que o governo vai acabar por cancelar o recomeço dos jogos. Com 4 semanas de avanço, há tanta certeza de haver recomeço dos jogos como a certeza de que vai chover no dia do recomeço. Se até o Comité Médico da FIFA defende que o futebol não deve regressar até Setembro, não me parece que por mais vontade que se tenha, o futebol consiga regressar até lá. Podemos mesmo andar na ilusão do regresso do futebol até .final do ano. Creio que a melhor solução seria retomar quando houvesse condições de haver público nos estádios e então jogavam-se os restos de todas as competições com calma usando 2 anos. Seria a época de 2019-2021. Se sobrasse tempo, inventavam-se umas competições diferentes tanto internacionais, como nacionais e que seriam irrepetíveis e marcariam a situação de excepcionalidade vivida. Não é fazendo em 5 semanas os jogos de 10 semanas que se recuperam as receitas (as operadoras de TV não conseguiriam cobrar o dobro das mensalidades por terem o dobro dos jogos num mês).
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2020 às 21:58

Bem... é verdade que vivemos de momento numa grande incerteza. Daí que não se possa negar a possibilidade das teses que adiantou.
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 02.05.2020 às 11:58

Espero bem que o governo escolha outra data que não 28 de Maio para fazer comunicados desse tipo
Sem imagem de perfil

De Filipe a 02.05.2020 às 02:10

Jogos à porta fechada só dão lucro se passarem na tv, e mesmo assim só se envolverem os 3 grandes. Logo percebo o não se fazer a segunda liga. Tirando os que podem subir, e que suponho venham a ser os únicos a protestar, não faz sentido absolutamente nenhum realizar a prova, só vai aumentar o prejuízo dos clubes.

Na primeira liga, realizar os jogos em falta pode significar uma almofada financeira importante, e percebo que os clubes pensem nisso. Pessoalmente não concordo nem com isso, nem com a taça, e também não concordo com um campeão de secretaria, porque não estou a ver como se vai evitar que muitos anormais vermelhos ou azuis se juntem para festejar.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 02.05.2020 às 17:05

É óbvio que o mais importante sobre a mesa é a receita das transmissões dos jogos. Enquanto não houver jogos, as operadoras, logicamente, diga-se, não pagam.
Sem imagem de perfil

De João Gomes a 02.05.2020 às 16:57

Existe jornalismo desportivo em Portugal? Nao me parece. Existe sim lixo desportivo e so come quem quer.

Cumprimentos
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 02.05.2020 às 16:58

Muito é lixo, é verdade, mas mesmo assim há uma vasta audiência de consumo diário.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo