Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Posição do Conselho Directivo

Rui Gomes, em 19.01.19

 

img_920x519$2016_12_07_12_58_11_1194292.jpg

 

Esclarecimento do Conselho Directivo, publicado no site oficial do Clube esta sexta-feira. Em causa estão os 17 Campeonatos de Portugal realizados entre 1922 e 1938.

 

Rahim Ahamad, membro do Conselho Directivo, reagiu à discussão da petição referente aos 17 Campeonatos de Portugal realizados entre 1922 e 1938 na Assembleia da República:

 

"O Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal congratula-se por o plenário de a Assembleia da República ter discutido nesta sexta-feira as 17 edições do Campeonato de Portugal realizadas entre 1922 e 1938. Nas intervenções foi perceptível a vontade das forças partidárias em que exista um esclarecimento e uma reposição céleres da verdade histórica.

 

Este mesmo esclarecimento cabe à Federação Portuguesa de Futebol (FPF), desejando o Sporting tão somente que a entidade que superintende a modalidade em Portugal siga as boas práticas internacionais, como foram os casos de Itália e Alemanha.

 

Este é um tema que vai manter-se no topo da agenda deste Conselho Directivo pois estão em jogo a memória e a história de muitas famílias de campeões, sendo bom recordar que o capitão do Sporting no título de 1923 foi o nosso fundador Francisco Stromp".

 

publicado às 04:32

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


21 comentários

Sem imagem de perfil

De Borges Coutinho a 19.01.2019 às 11:23

Dê-se voz aos historiadores, que naturalmente acham ilegítima esta pretensão, entre eles o Rui Miguel Tovar, prestigiado autor do consensual "Almanaque do Leão".

https://www.dn.pt/desporto/sporting/interior/historiadores-garantem-que-o-sporting-tem-18-titulos-de-campeao-5431686.html

Deixo aqui também a última e ensinadora frase deste artigo:
"Este revisionismo da história é perigoso, porque cada um faz em proveito próprio. Não é assim que se faz a história", remata Francisco Pinheiro.

Saudações desportivas
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 19.01.2019 às 11:36

O objectivo é de dar a sua opinião e menos de referir a opinião de terceiros, sejam quem eles forem, que ao fim e ao cabo acaba também por ser muito subjectiva.
Sem imagem de perfil

De Borges Coutinho a 19.01.2019 às 11:47

Evidentemente, Rui, mas quando falamos sobre História devemos "ouler" o que dizem os historiadores, certo?

Se não estaremos sempre sujeitos aos "revisionismos convenientes". Imaginemos que daqui por 50 anos o Sporting exige que as Taças da Liga que tem contem como campeonatos devido à partilha do nome "liga"?

Reescrever a História é muito, muito perigoso, por isso ouça-se os especialistas e não os adeptos criativos.
Sem imagem de perfil

De RT a 19.01.2019 às 12:23

Pois em relação á história já vi que nem a do seu clube conhece!!!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 19.01.2019 às 12:36

Desculpe, mas apresentou uma analogia sem nexo. Hoje em dia e já há anos, as competições estão bem definidas, o que obviamente não era o caso em tempos de outrora.
Imagem de perfil

De Mike Portugal a 19.01.2019 às 12:00

Rui,

A melhor prova que o SCP tem razão nesta luta, é verificar que todos os Benfiquistas estão contra.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 19.01.2019 às 12:32

Mike, há muito fundamento nesse argumento!!!
Sem imagem de perfil

De Borges Coutinho a 19.01.2019 às 13:32

Que eu saiba, o Benfica nem se pronunciou relativamente a isto.

Mas repare, Julio:

1- A FPF após reflexão não deu razão ao Sporting;
2- Os historiadores consultados também não;
3- Até aquele que será, por ventura, o maior historiador vivo do Sporting, além de notabilíssimo adepto diz que o Sporting não tem razão. Refiro-me a Rui Miguel Tovar.

Não me diga que além do Abel Ferreira, dos jogadores do Marítimo, dos jogadores do Braga, da Juíza Ana Peres, dos árbitros e de todo uma legião de corrompidos, o Benfica também subornou os acima citados?
Sem imagem de perfil

De Borges Coutinho a 19.01.2019 às 13:32

Bom, o comentário era para o Mike.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.01.2019 às 14:13

Olha para os 3 títulos que vos deu o Madaíl em 2006, sem consultar ninguém.

Em 1994 ganharam o 27º. titulo e dizem vocês que agora têm 36! kkkkkkkkkkkkkkk

Conta-os bem e verás…

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 19.01.2019 às 14:42

Aqui exige-se que o leitor se identifique. Deixamos o alerta.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 19.01.2019 às 11:44

A opiniao que se pode e deve dar é que apurem a verdade e decidam pela verdade.
Estao en causa eventuais titulos quando eu ainda nao eramos nascidos.

Façam uma pesquisa seria e isenta e encontrarão a verdade.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 19.01.2019 às 12:34

A verdade e o futebol português raramente andam de mãos dadas!
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 19.01.2019 às 12:44

Más era nascido quando de un ano para o outro o Benfica aparece com mais 4 titulos

Aí eles ja nao protestaram com as interpretaçoes da historia
Sem imagem de perfil

De Borges Coutinho a 19.01.2019 às 13:33

Obviamente a comissão técnica que a FPF nomeou para dar, ou não razão ao Benfica, foi subornada.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 19.01.2019 às 12:38

Nos últimos anos colocou-se esta questão como um devaneio de BdC quando na realidade se trata de um designio antigo do Sporting e de vários sportinguistas.... a história é a história, e em todos os paises existe uma interpretação de dar a designação campeão à equipa que ganhou o mais importante título nacional da época... por exemplo o Schalke é considerado campeão num campeonato que era disputado por rondas tipo taça.
Isto só é questão em Portugal porque o prejudicado é o Sporting, e é importante continuar a dar históricos de títulos onde só aparecam os 2 rivais do costume....
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 19.01.2019 às 15:00

Vejo com pouco interesse este recurso à Assembleia da República. Trata-se de uma questão jurídico-desportiva e é nas instâncias do futebol que deve ser tratada. Houve uma decisão federativa tomada em 1938 e penso que na altura a necessidade competitiva das equipas portuguesas se sobrepôs à fundamentação jurídica da reforma desportiva.

Algo que me surpreende é o silêncio do Sporting nos anos 30 sobre o assunto, como se essa reforma fosse irrelevante. Posso estar enganado, mas nem o jornal Sporting deu destaque, nem o presidente Oliveira Duarte, Salazar Carreira ou outro o realçaram. É estranho.

Todos nós temos a obrigação de recordar quem era o presidente do Sporting nesse tempo. Era o almirante Joaquim Oliveira Duarte que esteve na base do período áureo do Clube e um dos maiores presidentes da história do Sporting.

Não é conhecida qualquer divergência do presidente relativamente à reforma do futebol português dessa altura. O mesmo sobre Salazar Carreira, brilhante como poucos no pensamento desportivo. Tal como o futuro presidente Barreiras de Campos.

Aguardo com muita curiosidade o desenrolar desta polémica!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 20.01.2019 às 01:22

Tentar politizar uma questão que é exclusivamente do domínio administrativo da FPF levando-a ao Parlamento nacional é um verdadeiro disparate.

Estiveram muitíssimo bem os deputados de todos os grupos parlamentares em deixar bem claro que este não é assunto para a Assembleia da República recusando-se a decidir sobre a matéria.

Era só o que faltava agora a instituição máxima do país ter que discutir ambições e querelas desportivas dos clubes, sejam eles quais forem. Não é para isso que os deputados foram eleitos e são pagos pelos nossos impostos.

A organização do futebol e das suas competições está desde sempre delegada pelo Estado na Federação Portuguesa de Futebol e é a ela que cabe decidir dentro do quadro regulamentar existente.
Sem imagem de perfil

De João a 20.01.2019 às 11:46

Eu já vi o vídeo feito pelo Sporting e a questão está muito bem argumentada. Para formar uma conclusão definitiva tinha que estudar a fundo os documentos da época. Os jornais da altura consideravam o Campeonato de Portugal como a prova mais importante. Não me parece que faça muito sentido considerar uma prova experimental para efeitos de atribuição de campeão nacional.
Alguém afirmou que o Rui Miguel Tovar era historiador. Era licenciado em História?
Eu sou licenciado em História e professor de História e com os poucos dados a que tenho acesso a minha opinião é esta:
Os Campeonatos de Portugal serviam para atribuir o título de Campeão Nacional mas devem ser contados à parte. As ligas experimentais, como o próprio nome indica, não devem ter caráter oficial e serem contadas como títulos. A partir do momento em que se oficializa o Campeonato Nacional esta passa a ter que ser considerada como a prova que atribui o título de campeão nacional.
Se querem falar em História é muito simples, conta o que os documentos oficiais da época diziam e a forma como as pessoas se debruçavam sobre o assunto. Um dia, se tiver a oportunidade, tentarei fazer um trabalho de pesquisa sobre o assunto.
Sem imagem de perfil

De João a 20.01.2019 às 12:04

Já agora gostava de acrescentar uma coisa. O João Nuno Coelho é licenciado e Mestre em Sociologia e apesar de ser membro do Grupo de História e Desporto do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa não tem formação de base em História.
Depois diz isto : "João Nuno Coelho lembra que "o Campeonato de Portugal era uma prova em sistema de eliminatórias, em que os participantes eram apurados pelos campeonatos regionais", razão pela qual defende que "pode ser considerado como antecessor da Taça de Portugal" e nesse sentido admite que "eventualmente, o seu palmarés podia ser incluído no da atual Taça de Portugal".
Desculpem lá mas isto não é fazer história, isto é a interpretação dele. Para efeitos históricos não interessa nada o sistema em que se disputava o campeonato de Portugal. É claramente a formação de base na área de sociologia a prevalecer.
Quanto ao senhor Francisco Pinheiro é licenciado em Ciências da Comunicação, também não tem formação base em História.
Portanto as duas maiores sumidades em História desportiva em Portugal nem sequer são licenciados em História.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 21.01.2019 às 12:24

Para um licenciado em história devia ter um pouco mais de cuidado com o que escreve porque basta uma simples pesquisa para saber que Francisco Pinheiro é de facto DOUTOR em História, desde 2010, ao contrário que afirma.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo