Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

opiniaodoleitor(1).jpg

 

«Se a minha pressuposição acerca de temáticas espontâneas for o mote para este Post, gostaria de partilhar convosco ou obter opiniões acerca de um assunto que tanto pode estar deslocado da nossa “actualidade tertúliana”, como também o considero premente.

 

Não obstante de neste momento a nossa expectativa nos direccionar exclusivamente ao plano desportivo directo, no que concerne aos resultados da nossa equipa – e da rival – nas jornadas finais, preocupa-me o fugaz interesse/debate no que respeita a uma das maiores alienações de potencial económico no nosso clube, o qual considero – potencialmente – o pior acordo da história do Sporting. Ébrios pela dimensão numerária de tal acordo, e no fundo também, tão servos de desconhecimento como ávidos de superação aos "resultados" negociais apresentados pelos rivais com os operadores, podemos ter sido vítimas da nossa própria vontade de não ficar atrás de ninguém, numa extravagante corrida que se organizou oportuna ao fecho da torneira bancária aos clubes nacionais.

 

A preocupação em analisar os números envolvidos, anunciando a quem de direito o título de "melhor negócio", desde logo nos assegurou que num período sensível a 12/10 anos as receitas derivantes de transmissões, exploração de imagem do estádio e patrocínios na camisola nos seriam antecipadamente definidas. Considerou-se este um "balão de oxigénio" à vitalidade financeira do Sporting. Sem referir o aditamento ao contrato por parte de Joaquim Oliveira, vou basear-me num número: 446 milhões de euros. Falamos de uma média de 11 anos de exploração médios de 4 factores: 12 anos e meio de patrocinador oficial, 12 anos de exploração Sporting TV, 10 anos de exploração estática e virtual do estádio e 10 anos de transmissões televisivas e multimédia.Se dividirmos pelos 4 factores o valor global de 446 milhões de euros por uma média de 11 épocas/factor, obtemos como resultado um encaixe de sensivelmente 10 milhões de euros/ano por cada um deles.

 

Analisando parte a parte:- 10 milhões/ano 'Sponsorship' nas camisolas. Um bom negócio, tendo em conta os valores envolvidos aquando da recusa por parte da Qatar Airlines (2,5 milhões época) ou os valores da PT (2,8 milhões/ano). Um péssimo negócio, tendo em conta a possibilidade de anexar o 'Sponsor' das camisolas ao 'Naming' do estádio, o que traria um 'revenue' médio estimado de 19,5 milhões/ano global, incluindo camisolas.

 

Em números modestos.- 20 milhões/ano no síncrono entre Sporting TV e transmissões. Um bom negócio, se analisarmos como auge uma campanha medíocre ao nível do campeonato ou a qualidade (?) da programação do nosso canal. Um péssimo negócio, se a Sporting TV se projectasse de futuro como um canal de acesso e conteúdos 'premium'. Uma estimativa de exequíveis 250 mil assinaturas no universo de adeptos e outros interessados traria um retorno de valores na ordem de 28 milhões ano. Se deduzirmos custos médios inerentes de 11 milhões ano (direitos de outros campeonatos incluindo + média de 50 colaboradores + infra-estruturas e equipamento), sobram menos 3 milhões do que a oferta NOS aplicada.

 

Porém, se ao valor de 28 milhões adicionarmos contratos publicitários efectuados para o canal, estima-se que no mínimo 7 milhões/ano seriam aditados. Se adicionarmos a venda em 'renting' de conteúdos a plataformas online (o próximo grande negócio de 'broadcast' mundial), podemos adicionar no mínimo mais 23 milhões de euros. 28 milhões + 23 milhões + 7 milhões = 58 milhões de euros, em números modestos (pois o 'renting' a plataformas poderia alcançar 30 milhões).- 10 milhões de exploração estática e virtual. Neste campo, talvez o ponto menos ruinoso. Pelas minhas contas, ganharíamos mais 5 milhões/ano, se negociado com 'plataformas e-commerce'.

 

Existem "coisas" que (já não) me espantam, como Bruno de Carvalho bolçar "20 milhões de euros directos resultantes de 200 mil associados a pagar cotas" (!) ou o “mudar de patrocinador todos os jogos” de Carlos Vieira.

 

Existem várias outras que de modo surpreendente nos passam pelos olhos e não nos apercebemos».

 

 

Mais um excelente texto do nosso estimado leitor DRAKE WILSON

 

publicado às 05:39

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


3 comentários

Sem imagem de perfil

De m1950 a 17.04.2016 às 09:20

Bom dia.

Para mim o acordo é o melhor da história do Sporting , e convém ter ter presente que pode inclusivamente vir a ser renegociado pois está indexado ao do Benfica , a maior marca nacional , admita-se.

A perspetiva da minha análise é fácil , o Sporting é a 3.ª marca nacional ( o que é diferente da dimensão do Clube ) atrás de Porto e Benfica que são os Clubes que mais têm sido mais laureados nos últimos anos e de maior prestígio na Europa do futebol , sendo que o Porto teve uma expansão muito forte na nossa lusofonia. O Sporting enorme como sempre pelos seus adeptos , pela sua formação e pelo seu ecletismo , o problema é que isto não é suficiente neste mundo globalizado e é avaliada através de name spell uma coisa chamada "marca". A grandeza Europeia do nosso Clube por exemplo , tem o hóquei como seu expoente máximo , mas note que o Hóquei está a desaparecer até da cultura portuguesa , e a modalidade estará limitada pelos países nórdicos e o Hóquei do Gelo que tem outro tipo de investimento.


Na nossa valorização via formação , temos o Ronaldo e o Figo , mas nunca estes permitiram uma associação que levasse o Sporting a acompanhar a expansão dos seus nomes no mundo, esporadicamente lembram-se que são do Sporting , até presenças no Estádio de Alvalade ou uma visita a Academia que fossem públicas valorizariam imenso a nossa marca , num momento em que temos dificuldades sérias a nível de recrutamento na hora de rivalizar com o Benfica.

Em suma a Grandeza do Sporting é incontornável , mas a dimensão da marca do Sporting é fraca em comparação com os seus rivais.

O que aconteceu neste acordo é que o Sporting sobrevalorizou e de que maneira os seus ativos colocando-se ao nível dos rivais , pela primeira vez em muitos muitos anos. Na História do SCP , nós temos um problema de desnivelamento de receitas desde a passagem para o futebol profissional , o Benfica sugou sempre todos os apoios possíveis , depois com a revolução empresarial a Norte , os grupos quiseram fazer do Porto um bastião para combater Lisboa , ficámos com 2 pólos económicos e políticos , onde o Benfica era o mais apoiado do Sul e o Sporting ficava com as migalhas e o Porto recebia os apoios conquistados a Norte por muitos empresários que na altura até eram benfiquistas e aproveitaram para virar portistas.

O Sporting para competir com isto , tinha de se meter em bicos de pés , e aqui começou a montanha do nosso Clube , porque fazia apostas que depois falhavam sejam por razões estruturais seja por malandrices de um jogo fora-de-campo bastante sujo , e a cada falhanço ficava cada vez mais enterrado.

Hoje tem uma oportunidade única que vai precisa de honestidade da parte de quem nos gere de até assumir uma posição de domínio do futebol português , já que os rivais vão ter de entregar parte desse dinheiro aos bancos de imediato , e o Sporting não , daí as pressões que foram feitas para pagássemos as VMOCs. Nesta média de 12 anos , o Sporting tem de ganhar mais que os outros , senão nem daqui a 50 anos tem uma hipótese destas.

Em termos de valorização de ativos eu dou-lhe um exemplo , a Sporting TV tem 2 anos , passa na MEO e NOS , a Vodafone recusa-se a pagar pela nossa marca , a Sporting TV que era bastante amadora entrou num pacote de negociação similar ao de uma BTV bastante profissional que tinha assinaturas.

No que toca a publicidade virtual , é uma novidade que eu ainda não percebi.

Se quer que lhe diga , o Sporting beneficiou de ser o último Clube a negociar porque quem ficasse com ele ficaria numa situação de 2vs1 e também porque o Presidente Bruno de Carvalho foi capaz , defendeu o negócio das cláusulas do Benfica que pretendiam limitar os outros , distribuindo o bolo total por essas verbas , algumas que nem existiam como a publicidade virtual e aditamento , sendo que segundo ele , em tudo o que o Benfica for aumentado o Sporting será igual.

Se o negócio for mesmo como eu estou a ver e não mentira ou demagogia , não é o melhor negócio do Sporting , é o melhor negócio alguma vez feito em Portugal seja a que nível for. Melhor que isto , só formos vender gelo para a Sibéria.

O Sporting vendeu 5 por 10 , o Porto 7 por 10 , e o Benfica 9 por 10.

Se nenhum dirigente meter a mão ao nosso dinheiro o Clube vai encarreirar.
Sem imagem de perfil

De m1950 a 17.04.2016 às 09:34

Nessas contas que você faz , vai contando com as assinaturas , e estima por cima números como 250 mil , isso são números à Benfica que nunca são de se confiar , já que no seu RC era apenas anunciado as receitas , nunca as despesas em relação à TV , e ninguém percebia se o número de assinantes era o total que já lá passou , visto que a assinatura era mensal , ou seja não há garantias de consistência a nível de receitas.

Depois a falácia da premier e afins , na verdade , em Portugal as pessoas não gostam de futebol gostam de Clubes , de futebol gosto eu e mais uns malucos , portanto não há rentabilidade fora do âmbito dos já consumidores da própria marca que pagando por uma TV vão faltar ao estádio numa lógica normal , já para não falar do streaming e da capacidade para todos serem Inácios.

O negócio que mais nenhum Clube Europeu tem de explorar os seus próprios direitos de TV foi um falhanço que CS nos quis vender como espetáculo , não precisámos de imitar maus exemplos.

Em relação à associação da NOS ao Naming do Estádio , vamos ter calma , podemos vir a vender o naming do Estádio num pack conjunto com o Pavilhão.

SL
Imagem de perfil

De Profeta a 17.04.2016 às 11:24

O que ele quis foi apregoar que conseguiu um contrato mais vantajoso que Benfica e Porto. Quem vier a seguir que apague a luz, porque o que lhe interessa é encher o saco.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo