Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




uefa.jpg

O afastamento prematuro da Liga Europa por parte do Sporting, tem motivado a discussão sobre uma eventual vantagem desse afastamento. 

Sendo inegável que qualquer tentativa de avaliação de uma hipotética vantagem (se é que de facto ela realmente existe) será sempre um acto subjectivo, irei procurar, na medida do possível, ilustrar, através de números, a realidade desse afastamento, para assim se poder inferir com mais propriedade uma eventual vantagem.

Sendo necessário o estabelecimento de condições para realizar um termo comparativo com um mínimo de fundamento razoável e tendo em conta toda a realidade e previsibilidade desportivas na presente data, estabeleci os seguintes dados:

  • Comparação da realidade competitiva, em jogos, de Sporting, Benfica, SC Braga e FC Porto até ao final de Março de 2021;
  • Número total de jogos a disputar pelas quatro equipas até ao final de Março de 2021, desde o início da época;
  • As quatro equipas classificar-se-ão para os quartos de final da Taça de Portugal;
  • As quatro equipas classificar-se-ão para as meias finais da Taça de Liga;
  • O FC Porto apurar-se-á para os oitavos de final da Liga dos Campeões;
  • O Benfica e o SC Braga disputarão os oitavos de final da Liga Europa.

Bem sei que estas premissas podem ser falíveis (por defeito ou por excesso em número de jogos), mas para conseguir ter uma razoável base comparativa são as que, à data actual, me parecem as mais prováveis. Deliberadamente, optei por excluir os jogos das meias finais da Taça de Portugal e da final da Taça da Liga, uma vez que a definição destes outros cenários levaria a tarefas de previsibilidade muito mais subjectiva. Refiro, no entanto, que poderão implicar, no máximo, a realização de mais três jogos às equipas eventualmente apuradas.

Com base nos dados da realidade estabelecida, verifiquei que no final de Março de 2021 o Benfica teria disputado o total de 41 jogos, o SC Braga 40 jogos, o FC Porto 38 jogos e o Sporting 32 jogos. Cenário este que corresponderia ao Sporting ter disputado um número de jogos 22% inferior ao Benfica, 20% inferior ao SC Braga e 16% inferior ao FC Porto.

Em relação à avaliação do número de jogos agendados por mês, em Janeiro temos o mês com mais densidade competitiva a nível das provas nacionais (oito jogos), sendo mesmo o único mês onde não se disputam jogos das competições europeias e como tal apresenta o mesmo número de jogos para as quatro equipas. Em Dezembro de 2020, o Sporting, em relação aos três concorrentes, irá realizar menos 28% dos jogos (5 vs 7) e em Fevereiro de 2021 menos 17% que o FC Porto (5 vs 6) e menos 28% que o Benfica e SC Braga (5 vs 7). Já em Março de 2021 disputará menos 25% que o FC Porto (3 vs 4) e menos 40 % que o Benfica e SC Braga (3 vs 5).

Claro que a estatística no futebol tem um valor relativo e esta exemplificação quantitativa é uma forma simplista de avaliar o contexto competitivo dado existirem diversos factores na definição do desgaste competitivo. No entanto pretende ser um pequeno contributo para a discussão da eventual vantagem atribuída à equipa do Sporting por não estar envolvida nesta fase das competições europeias.

publicado às 04:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


19 comentários

Imagem de perfil

De juliuscoelho a 22.11.2020 às 10:38

Este tipo de análise tem muita complexidade com serie de consequências distintas.

É verdade que o numero de jogos pode influenciar o rendimento fisico mas dependem no tempo, em que sâo feitos .
Na minha análise dou mais realce ao tempo , ao momento em que os jogos se efectuam , porque o momento em que se jogam provocam influência psicológica nos jogadores por vezes mais decisiva.
Antes da Liga dar o seu inicio o Sporting fez jogos da Liga Europa e hoje tem tambem ja esses jogos acumulados nas pernas mas foram em tempos diferentes.
Hoje o facto de jogar-se de 3 em 3 dias para uns e para o Sporting de 7 em 7 dias faz maior diferença com maior vantagem para o Sporting que nao viaja tantas vezes e nao tem que fazer treinos intensivos (especiais) de recuperaçao muscular , os jogadores estao focados jogo a jogo da Liga com uma semana a poderem preparar todos os pormonores, mas só nesta fase actual, neste momento, porque quando Porto e Benfica passarem e jogarem a fase seguinte da Europa os seus jogadores ganham outra anímica , outra adrenalina que os faz recuperar mais depressa devido ao aumento de importância das provas e dos jogos em questâo áparte que terâo seguramente outros insensivos de premios em dinheiro muito mais atrativos.

Nessa fase (Fevereiro /Março) deixará de haver vantagem para o Sporting por todos estarem com a adrenalina em alta.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 11:02

Julius,
Concordo plenamente, e fiz referência no post, da complexidade desta análise. Esta é só uma das muitas variáveis da equação, mas foi aqui apresentada para tentar concretizar um pouco a situação.
O tempo dos jogos (e até a sua complexidade) são muito relevantes, daí eu ter colocado a distribuição mensal para minimamente traduzir essa ideia e não ser apenas o número global de jogos.
Sem imagem de perfil

De Juskowiak a 22.11.2020 às 10:43

Discordo que o contributo seja pequeno. O desgaste dos jogos europeus é enorme, além das pequenas e grandes lesões que sempre acarretam, e bem sabemos que o plantel tem um bom 11, mas um pobre banco.

É simplesmente impossível que um jogador esteja fresco a um domingo, depois de ter jogado 90 mns na quinta.

Ter menos jogos é uma vantagem, sim. E o Sporting pode e deve aproveitá-la.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 11:13

Juskowiak,
Pessoalmente também partilho a opinião de que esta situação tem relevância.
No entanto o post não foi elaborado para defender qualquer das opiniões, deixando ao critério de cada um a opinião, após mais esta perspectiva.
Sem imagem de perfil

De Juskowiak a 22.11.2020 às 11:44

Claro, Leão do Norte, isto é só falar de bola.

De qualquer forma, como diz o Julius, esta questão não é linear. Os jogos europeus têm o desgaste por consequência evidente, mas por outro lado também moralizam a equipa. E quando chegam se chega longe nas competições, então...

Facto que vale o que vale: nos dois últimos títulos conquistados o Sporting ficou arredado da Europa em setembro.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 12:14

Esse aspecto dos últimos dois títulos conquistados é relevante e pode não ter sido mera coincidência.
Em relação ao facto dos clubes chegarem longe nas competições europeias pode ter uma dupla interpretação. Por um lado moraliza a equipa, mas por outro é difícil manter o foco e a intensidade total em duas competições ao mesmo tempo e inconscientemente a equipa dirige mais o foco para a grande oportunidade que é uma competição europeia, ainda para mais com o calendário tão apertado como este ano.
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 22.11.2020 às 12:54

Vale o que vale mas nao deixa de ser relevante e quer dizer alguma coisa.

Gerir uma extensa equipa de jogadores obriga tambem a cuidados excepcionais no foro psicológico de cada um deles , porque cada jogador encontramos um mundo diferente dos outros, nao existe uma padrâo definido ou no minimo conseguir encontrá-lo. Sempre disse aos meus jogadores que tinham tudo na suas cabeças , tudo estava lá que principalmente dependia deles .
A motivaçâo é um dos principais elementos que ajuda a resolver muitos problemas de contrariedades e é necessario trabalhar muito esse elemento de forma individual e colectiva com os jogadores.

É verdade que muitas vezes o fisico trai o querer , mas sao mais as vezes que o querer supera o físico.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 13:26

É verdade Julius.
Uma equipa de futebol é um verdadeiro tratado de Psicologia!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 22.11.2020 às 16:23

Caro Leão do Norte,

Nos meus muitos anos no desporto, nomeadamente, no futebol, pela perspectiva das minhas equipas e, por norma, da solidez das estruturas que eu e os meus montávamos, quanto mais jogos melhor.

O objectivo único de competir é ganhar, não há outro. Para isso, é preciso estar preparado para enfrentar todos os desafios inerentes a esse objectivo.

Desgaste físico e mental dos atletas, no segundo aspecto até de dirigentes que trabalham directamente com as equipas, é um factor incontornável. No entanto, quem não está preparado para este tipo de desafios não se deve meter nelas.

No caso concreto do futebol, indiferente da solidez colectiva, o atleta vê-se muito motivado com os jogos europeus, especialmente a Champions. Hoje em dia, mais do que nunca, a montra que representa e a viabilidade de contratos milionários, torna-se irresistível. No outro lado da mesma moeda, os clubes também beneficiam, porque além da venda de activos, temos os prémios de competição e no final da época a distribuição dos muitos milhões do 'pool' televisivo.

No que ao Sporting diz respeito, esta época, é inevitável que o desgaste físico e mental seja algo reduzido comparado com os outros três ainda em prova. Até que ponto isso beneficiará a equipa, só os resultados finais esclarecerão.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 17:26

Caro Rui,

Os atletas de topo desejam competir permanentemente. Está-lhes no sangue. "Alimentam-se" de vitórias.
Mas é necessário ter estofo para tal e uma estrutura forte, com o mesmo espírito.
No entanto, se o clube não está todo imbuído desse espírito, o elevado esforço competitivo vai, acima de tudo, provocar maior desgaste e consequentemente ser prejudicial.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 22.11.2020 às 19:12

Caro Leão do Norte

É minha convicção de que uma menor carga competitiva concede algum benefício aos jogadores do Sporting. Em princípio, um maior número de jogos implica uma maior fadiga que leva a decréscimos da performance desportiva. No caso dos jogos europeus deve-se salientar que são disputados a um nível competitivo muito elevado, originando desgaste físico e emocional. Isto para além das viagens, obviamente.

Tenho em consideração o reforço anímico que gera a participação nos grandes palcos europeus, mas também pondero que depois haverá alguma dificuldade para calibrar a "cabeça" dos atletas para defrontarem o Portimonense ou o Gil Vicente com os níveis de motivação competitiva indispensáveis.

O treino e o seu planeamento, programação e execução desempenham um papel fundamental, que os treinadores do Porto, Benfica e Braga não ignorarão. Há etapas do treino, psicologia competitiva, equipas médicas, recuperação dos jogadores, observadores das equipas adversárias, etc. No fim de contas, um trabalho interdisciplinar que envolve toda a estrutura do futebol.

Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 20:00

Caro Leão Zargo,

Partilho dessa visão, relativamente à equipa do Sporting, do benefício em ter menor carga competitiva.
Acrescentaria ainda que tendo o Sporting no seu plantel um número significativo de jovens, esta menor carga competitiva pode ser benéfica para o seu crescimento sustentado.
Bem sei que haverá quem diga que era uma forma de ganharem experiência e traquejo competirem a um nível superior, mas o seu a seu tempo e muito brevemente terão essa etapa de desenvolvimento.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 22.11.2020 às 21:54

Caro Leão do Norte,

as características do plantel do Sporting também devem pesar nesta consideração. A juventude de muitos e a falta de experiência competitiva a um nível superior de quase todos determina que se deva verificar esse crescimento sustentado que refere. No fim de contas, Roma e Pavia não se fizeram num dia!
Perfil Facebook

De Helder Mestre a 22.11.2020 às 21:27

Então, mas querem ganhar os milhões da Champions e não querem desgaste?! Perguntem ao Porto se quereria estar no lugar do Sporting, a descansar, mas sem milhões? O não jogar a Champions é que é bastante negativo, porque quem ganha os milhões da Champions tem obrigação de ter um plantel muito melhor de quem não ganha essas verbas. São desculpas de maus pagadores. Se não querem desgaste com a Champions, façam como o lage, joguem na Europa com uma segunda linha, e joguem em Portugal com os melhores... Fico admirado é dos sportinguistas ainda irem nessa conversa. Eu ficarei contente é do Sporting, na próxima época, vir a ter odesgaste da Champions.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 22.11.2020 às 22:01

Helder Mestre,

Ninguém aqui está a defender a ausência voluntária das competições europeias, nem a dar desculpas pelo afastamento, que obviamente foi mau para o Clube. Pela minha parte, se fosse possível "repetir" a eliminatória com o LASK aceitava já.
Mas uma vez ocorrida a "infelicidade" do afastamento da competição, estamos a analisar os prós e contras desta nova realidade, que é um facto incontornável.
E estou a falar da Liga Europa, que financeiramente pouco compensa. Então se falrmos da Liga dos Campeões só alguém fora da realidade é que pode ir na conversa do descanso!
Perfil Facebook

De Helder Mestre a 23.11.2020 às 11:50

Mas essa conversa só existe porque o Sporting vai em primeiro! Mas há mais 14 equipas da I Liga que não têm esse desgaste! É uma narrativa para menorizar a performance leonina e desculpar os resultados menos bons dos outros. Essa conversa até começou quando o Sporting ainda nem tinha menos jogos feitos que os outros, visto que já havia jogado com Aberdeen e Lask Linz. Se não fosse esta conversa, os inimigos do Sporting arranjariam outra. Nem que fosse preciso recorrer à célebre frase da Laranjo: «Nunca deixemos que a realidade estrague uma boa história»... Está tudo dito. O Correio da Manha e afins continuarão na sua saga interminável para desestabilizar as hostes verdes e brancas. A verdade, é que cada equipa joga com as suas circunstâncias, desde que se balize na legalidade e moralidade, o resto é conversa.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 23.11.2020 às 22:45

Eles podem vir com essa conversa, ou outra se essa não pegar, mas a nós compete-nos seguir o nosso caminho e tentar aproveitar os eventuais aspectos positivos que uma situação negativa pode proporcionar.
Se os outros a acham que estamos favorecidos por ter um calendário menos preenchido, têm bom remédio. "Deixam" de se aplicar nos jogos e são afastados!
Imagem de perfil

De juliuscoelho a 22.11.2020 às 23:06

Ninguem quis ou pediu nada , simplesmente se comenta a realidade dos factos actuais , podemos?
Perfil Facebook

De Helder Mestre a 23.11.2020 às 13:37

Claro que podemos! Mas estamos a fazer precisamente o que toupeiras e fruteiros querem!

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo