Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Religião, futebol, e política

Naçao Valente, em 08.06.22

O futebol é para os adeptos como uma religião. Não se discute na sua essência, não se contesta na sua utilidade. Aceita-se e segue-se. Como a religião, serve de refúgio a medos e frustrações. E tem, nesse aspecto, a sua função salvadora das agruras do dia-a-dia. Daí que exerça a sua influência no mundo da irracionalidade.

Como a religião tem os seus dogmas, os seus ritos, os seus cânticos, os seus santos e os seus demónios, os seus mártires. Para o adepto mais radical ,o clube que apoia é sagrado. As religiões, historicamente, têm estado na origem de grandes conflitos. O futebol dos tempos contemporâneos, e numa sociedade mais ateísta, assume esse papel.

6060fdafee94f42402e678261df6fe9f.jpg

Num campo de futebol, o histerismo atinge o seu zénite. O espectáculo vive-se no “altar” do jogo, e nas bancadas, nas hossanas, expressas na comunhão do golo. Mas por detrás das aparências, e como a religião, é hoje um negócio muito grande. O “clero” que o domina movimenta milhões, os fiéis, directa e indirectamente, pagam.

O poder político, supostamente anti-clerical, venera o futebol. Reconhece-lhe o poder que exerce sobre as mentalidades e os comportamentos, e concede-lhe um lugar especial na estrutura do poder. Nesse sentido reconhece-lhe a sua própria hierarquia, os seus órgãos independentes, as suas leis “privadas”, a sua autonomia, que apresenta semelhanças com o feudalismo.

Teoricamente o poder político tem competências para intervir no mundo do futebol, mas na realidade não as exerce. Conhece o poder dos clubes, escudado em milhões de fiéis, que são, ao mesmo tempo eleitores. Nos regimes democráticos, os políticos sabem que o seu poder está dependente do voto, e que este pode ser influenciado por interesses clubísticos. Daí que procurem gerir com pinças, tudo o que se relaciona com futebol. Deste modo, esconde-se atrás da autonomia do desporto –rei, para não agir, ou pior, quando age, é para apoiar o sistema, como se viu na atitude do Secretário de Estado do Desporto, que merece ser designado como “persona non grata”.

Se vivêssemos num mundo perfeito, até poderia ser positiva a autonomia no desporto. A verdade é que vivemos num “mundo cão” onde impera o chico-espertismo. Assim sendo, é este que domina os órgãos do mundo da bola, estabelecendo as regras que lhes permitem governar a seu bel-prazer. 

Podem novos profetas pregar contra a situação. De imediato são acusados de hereges, e ficam a pregar no deserto. Os fiéis, mesmo quando prejudicados, acomodam-se à situação. Vomitam impropérios inconsequentes, ou aceitam-na resignados e passivos. Por isso não admira que apitos de todas as cores, tenham acontecido, e continuem a acontecer. Por isso não admira nada que os “papas” continuem a pavonear-se, alegremente, nas suas vestes douradas.

Para quando uma indignação a sério?  Para quando o fim da apatia?  O mundo feudal do futebol, necessita de uma revolução.

À margem

Sem prejuízo do que aqui debatemos e da sua importância, é preciso não esquecer que  há vida para além do desporto. A falta de leitura é um défice da nossa sociedade. Por isso aqui deixo uma modesta sugestão: INQUIETAÇÕES,  vendido pela Poesiafaclube, ou através do email, jmateus7@gmail.com.

publicado às 03:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Rumo Certo - Ventos Favoráveis a 08.06.2022 às 15:37

Texto que identifica, evidencia e desmascara, de forma clara e transparente, o autêntico estado de sítio e conspurcado lamaçal a que chegou o tratamento do Desporto no nosso País.
Sim, neste triste e empobrecido Portugal dos dias de hoje, porque existem diversos exemplos por este Mundo fora, em que tudo é substancialmente diferente e para incomparavelmente melhor, mais digno, com sensatez, com isenção e em defesa da Verdade Desportiva das competições.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 08.06.2022 às 17:43

Rumo certo...

Portugal destaca-se de outros países pelas piores razões. É o que acontece no que à verdade desportiva diz respeito. País de brandos costumes, onde a apatia roça o absurdo. Precisava de um sobressalto geral. Infelizmente os nossos adeptos desgastam-se em lutas internas e em "fait-divers" inconsequentes

E mesmo quando se coloca o debate sobre questões fundamentais, passa ao lado. Venha a especulação sobre questões de "lana caprina" . Estou muito céptico.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 08.06.2022 às 17:19

Caro amigo Nação Valente

Na verdade, social e politicamente o futebol constitui um caso à parte no nosso país. Há uma estética do futebol, mas não há uma ética do futebol, e apesar dos escândalos que todos conhecemos milhões de pessoas continuam a admirá-lo e segui-lo como o seu desporto-rei. Gosto muito de bailado, ou de teatro, de música, de um livro…, mas a emoção e a atracção que o “jogo” proporciona é de outra dimensão.

O futebol é talvez a maior criação social e cultural da Europa no século XX que, depois se alargou a todo o Mundo, tornando-se num fenómeno único de cultura de massas e, até, passou a integrar a identidade nacional de muitos países. Para além disso, que não é pouco, tornou-se numa “indústria”, como agora se costuma dizer. Isto é, movimenta uma quantia infinita de dinheiro, limpo ou sujo. Perante isto, o lavar de mãos como Pilatos é a atitude comum de quem exerce o poder, seja político seja desportivo.

Imagem de perfil

De Naçao Valente a 08.06.2022 às 18:00

Caro amigo Leão Zargo.

Procuro viver no mundo real, e este é como é. Também não fujo à emoção que o desporto, principalmente o futebol, proporciona. Mas não reduzo a minha participação cultural ao mundo da bola, e procuro estar presente noutras áreas.

O fenómeno futebol domina as mentes de milhões de pessoas, e faz-me lembrar o velho "circo romano" como forma de alienação, que o poder político captura confundindo-o com a identidade nacional. Não será por acaso que a iliteracia está a aumentar.

Na verdade o adepto deixa-se alienar e gosta. E quando se levantam reflexões que visam, no mínimo, gerar debate passa ao lado. Estou cada vez mais céptico sobre a apatia perante os problemas centrais que se colocam ao futebol.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 08.06.2022 às 22:18

Caro amigo Nação Valente,
Recordo, desde tenra idade, a frase, "Numa saudável relação não se discute futebol, política ou religião".
Mesmo tratando-se de uma frase redutora, e portanto discutível, ela demonstra a irracionalidade e a escassa tolerância que muitos colocam na discussão destes temas.
Quase por osmose, as "especificidades" destes temas migram entre si, tornando-os quase interdependentes no que ao global de acção diz respeito.
O futebol, especificamente, é caracterizado por uma "homogeneidade na antítese". A "iliteracia racional" abrange quase todos, independentemente do grau de instrução. Neste contexto uma indignação séria, o fim da apatia ou mesmo uma revolução, parece uma utopia.

P.S.: Saúdo a disponibilidade do caro amigo para manter a escrita, com a habitual qualidade, dos posts, algo que interpreto como uma recuperação plena, ou pelo menos quase.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 08.06.2022 às 22:45

Caro amigo Leão do Norte.

De facto, a parte mais desagradável da doença já passou. Tanta vacina algum efeito teria de ter. Vamos ver agora se há sequelas mais ou menos visíveis. Obrigado pela preocupação.

Quanto ao tema abordado, estamos de acordo. A mudança de atitudes perante o futebol não passa de uma utopia. Terá de passar primeiro por uma mudança de mentalidades. Pergunto-me porque razão continuo a insistir no tema.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 08.06.2022 às 23:51

"Pergunto-me porque razão continuo a insistir no tema."
Acomodar ou desistir nunca é a solução.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo