Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Rui Pereira, antigo ministro da Administração Interna, a falar na conferência "Segurança em Eventos Desportivos, em particular o futebol: que desafios e que opções?", integrada no Congresso Internacional Segurança e Democracia, que ocorreu esta quarta-feira na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, afirmou que os clubes devem ser punidos por comportamentos incorrectos dos seus adeptos e que os agentes desportivos devem também ser castigados severamente para que haja um clima de paz no desporto:

 

Rui-Pereira-1.jpg

 

«A questão coloca-se sobretudo em termos de responsabilidade social. Se não houver responsabilização de agentes desportivos não pode haver pacificação no desporto. E a responsabilização, por mais que doa, só se consegue efetivar com sanções. Por exemplo, utilização de engenhos pirotécnicos, jogos à porta fechada. Se os jogos à porta fechada não funcionarem, interdição dos estádios. Se a interdição de estádios não resultar, proibição de participação em certas competições. Eu sei que é duro mas só assim é que haverá pacificação no futebol. Em relação às claques, tem de haver uma política que as responsabilize e que as reconheça. Porque não se pode simultaneamente excluir e responsabilizar».

 

 

Na sessão participou também o Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, explicando que a segurança nos estádios é uma preocupação premente da Liga dos Clubes:

 

img_770x433$2016_10_24_21_21_08_1174568.jpg

 

«A Liga Portugal tem uma comissão de monitorização de violência no futebol. É feito um planeamento e todos os jogos das ligas profissionais são monitorizados, quatro horas antes da partida, durante os 90 minutos e mais 90 minutos depois dos jogos.

 

No final da jornada desportiva, a direção da liga tem acesso a toda a informação relevante ao nível da violência e segurança nos estádios. Na conjunção dos relatório tentamos repercutir nos regulamentos tudo o que devem ser alterações para aumentar os níveis de segurança nos estádios.

 

A verdade é que a Liga tem uma regulamentação muito difícil e densa relativamente ao transporte de artefactos para o terreno do jogo. Há várias fases e triagens mas esses artefactos têm uma dimensão tão reduzida que é difícil de controlar».

 

publicado às 03:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


45 comentários

Sem imagem de perfil

De antonio a 27.04.2017 às 08:37

Concordo... agora é comecar por prender Pinto da Costa
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 27.04.2017 às 09:50

Não seria o único.
Sem imagem de perfil

De Pedro A. a 27.04.2017 às 09:28

Bonito discurso mas.... não é este senhor Rui Pereira o mandatário da última candidatura de LFV? Não foi ele MAI? Nessa condição não poderia ele ter resolvido o problema das claques ilegais do Benfica?

É muito giro mandar bitaites para o ar, dizer que "deviam de fazer assim" (e atenção que até concordo com a generalidade do que ele disse) mas quando se vai a ver... há rabos de palha que lhe ficam muito mal pois mais que não seja está intrinsecamente ligado ao maior hipócrita e incendiário do futebol português que dá guarida, incentiva e tira proveito de grupos (criminosos) ilegais além de ter tido todo o poder para mudar as coisas e nada ter feito.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 27.04.2017 às 09:49

Não compreendo o porquê da insistência nesta tese. O problema com as claques é a sua mera existência e não a muito propagada para "inglês ver" pseudo legalidade ou ilegalidade.
Sem imagem de perfil

De Pedro A. a 27.04.2017 às 10:40

É uma tese simples: estão ilegais, há beneficiados (e não só o Benfica, mas visto a personagem referida no artigo estar ligado a esse clube, foi desse clube que falei) e isso tem de ser resolvido.

Depois sim, há outro problema a resolver que é o da violência no geral.

Mas registo que, mais uma vez, quem comenta aqui e é afecto ao nosso rival gosta de desviar assuntos. "Ah e tal há mais ilegais por isso podemos também ter". O facto de ser Rui Pereira, mandatário de LFV, e exMAI que nada fez para resolver o problema (o verdadeiro cerne da minha intervenção), isso já nada importa.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 27.04.2017 às 11:45

Rui Gomes,

A sua visão de se proibir, também por si só não resolve o problema... a maioria dos elementos das claques não anda à porrada, estamos a falar de uma minoria dentro das claques, como os denominados Casuals, e se fosse simplesmente proibidas as claques, a violência continuaria a existir!

A questão da legalização, é como qualquer tipo de legalização... por exemplo se legalizasse a prostituição, ela não iria acabar... iramos sim ter apenas melhores condições de identificação.

Por exemplo, pagamento de impostos.... acha normal um grupo de milhares de pessoas pagarem quotas numa claque, comprarem bilhetes para jogos, tudo isto sem pagarem impostos?! a legalização é simplesmente uma criação de um estatuto legal, para que as regras possam ser impostas... não vai resolver por milagre, mas cria condições para que se possa intervir sobre elas.

Mas a principal forma de controlo sobre as claques tem de vir dos próprios clubes.... desde as sedes, oferta de bilhetes, de sectores no estádio... tudo isto é o que permite às claques funcionarem da maneira que funcionam.... são uma autentica Máfia!! Se proibir as claques, elas não vão acabar... simplesmente vai ser criado um mundo ainda mais underground, e mais à parte da sociedade.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 27.04.2017 às 14:29

Como é que o problema foi resolvido na Inglaterra ?
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 27.04.2017 às 14:57

Eu não estou assim tão certo que se tenha proibido todas as claques... eu sei que por exemplo o Crystal Palace tem uma claque organizada.

Creio que o que foi feito foi uma proibição das claques mais violentas... e existe um controlo bastante rigoroso, pela policia.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:15

Conhece alguma "claque legal" que tenha um comportamento cívico diferente das "claques ilegais" do Benfica?
E só o incomodam as "claques ilegais" do Benfica? E as outras mas de 100 nas mesmas condições, a começar pela do Braga, Académica, etc?
Ou tem uma fixação doentia no vizinho do lado?
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 10:31

Incomodam mais as que matam dentro e fora dos estádios.
Não é uma fixação é factual!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:35

Isso é uma provocação de conveniência e oportunista à qual não vou responder.
Apenas que digo que criminosos existem em TODAS as claques, de todas as cores, não estão lá pelo futebol, estão lá pelo culto da violência e de seita.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 10:37

LOL - Fase 3 all over again!

"Os outros também são/fazem"
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:45

Só os burros comem palhas.
Bom apetite.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 10:47

LOL acho essa proposta indecente a qual tenho de recusar não jogo nessa equipa se é que me entende.
Sem imagem de perfil

De Jorge a 27.04.2017 às 11:34

Tem carta de mota? Se não tem, pegue aí numa mota, arranque, queime um vermelho ou dois e se a BT o mandar parar tente safar-se dizendo que os tipos que têm carta têm o mesmo comportamento. Depois tente dizer que há mais tipos nas suas condições. Observe os resultados, penso que serão uma surpresa para si.

Entretanto pode ser que perceba antes disto tudo que isso é um argumento da treta, só eventualmente ultrapassado pela comparação com a Académica (será também uma fixação doentia?), e poupa-se uma serie de chatices.

Não tem de quê.

Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 11:39

Que discurso mais absurdo.
O que você está a dizer é que quem tem carta da mota pode passar vermelhos à vontade... mas para esse peditório não dou.
Sem imagem de perfil

De Pedro A. a 27.04.2017 às 12:00

Mais uma vez de compreensão errada. Ou é propositado, o que espero, ou é mesmo por falta de capacidade.

O que se quer dizer é que lá por alguns dos que são legais (que têm carta, neste exemplo) também cometerem crimes, não justifica o facto de se poder andar ilegal.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 12:12

Vou fazer um desenho para ver se entende, o que duvido.
Não há criminosos vermelhos, como não há verdes nem azuis: há criminosos. Ponto.
São todos iguais e não é a cor que os define mas os seus comportamentos individuais.
O pior que se pode fazer é querer limpar as responsabilidades individuais com o objectivo oportunista de querer atingir uma qualquer instituição, seja ela qual for.
Há um GNR a cumprir por ter morto várias pessoas.
Na sua lógica se um GNR é criminoso então a GNR, a instituição, é criminosa e tem que ser condenada...
Não brinque, isto é demasiado sério.
E estes grupos de ultras vão continuar a viver na sua cultura de violência, a coberto de claques legais e ilegais, a marcar combates entre eles e, provavelmente, outros trágicos acontecimentos vão acontecer.
Com vítimas de um ou de outro lado, onde NINGUÉM está inocente.
Sem imagem de perfil

De Tecaneles a 27.04.2017 às 21:11

é impossível alguém compreender uma comparação tão absurda. Não foi só ele que não compreendeu e todos devemos ter compreensão lenta.
começando logo pelo facto de que sem seres de uma claque podes ir ver a bola ao estádio na mesma, sem teres carta de mota nem te podes assentar em cima de uma na via publica, já nem falo conduzi-la.

no mundo e na vida nem tudo é comparável amigo, existem coisas incomparáveis tal como ter computador e Internet não vos faz mestres de comentários nem nos obriga a comentar.
Sem imagem de perfil

De Oceano Vermelho a 27.04.2017 às 10:05

É verdade que BC, ontem, propôs a redução dos castigos a dirigentes e teve como resposta o contrário?
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:17

Segundo a impressa diária, sim é verdade.
Ele até acha que os ataques entre presidentes (que ele chama de piropos...) não incentivam a violência...
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 10:36

Segundo alguma comunicação social (a BOLHA) outros órgãos anunciam algo diferente:

http://observador.pt/2017/04/26/presidente-da-fpf-manteve-reunioes-com-sporting-fc-porto-e-santa-clara/

"O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, falou após o encontro, afirmando que abordou variados assuntos, nomeadamente violência associada ao futebol, e manifestou o desejo do regresso dos processos sumaríssimos em matéria disciplinar, para corrigir erros grosseiros de arbitragem."

E ainda :

http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2017/04/26/bruno-de-carvalho-rejeita-responsabilidades-no-incitamento-ao-odio-entre-adeptos

Não li nenhuma declaração de BdC nesse sentido mas o Francisco Maria certamente nos poderá esclarecer melhor.

Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 10:45

Como o Francisco deve estar ocupado a noticia chegou quiça pelo tb ao famoso NGB blog do Benfica, a noticia nos jornais é assinada por um tal de José Marinho (vem conhecido na praça por ser +1 isento a imagem de outros que por ai populam).

Basta visitar a sua página de Facebook para ver qual a sua causa.
https://www.facebook.com/jose.marinho.754

Teremos mais um caso proveniente do Al Carnidão !? é que isto tresanda a cartilha por todo o lado.

A ser verdade (o que duvido) seria de muito mau gosto essa proposta de BdC.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 12:13

Por acaso a notícia até vem na capa do jornal O Jogo... certamente mais um jornal vermelho...
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 13:59

Obrigado Francisco!

Ora vamos ver o que oJogo apurou:

"Presidente do Sporting encontrou-se com o líder da Liga e ainda com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol

Bruno de Carvalho esteve esta manhã na Cidade de Futebol onde, durante cerca de hora e meia, esteve reunido com Fernando Gomes e Pedro Proença. O JOGO sabe que um dos temas principais prendeu-se com as suspensões aplicadas aos presidentes que, no entender de Bruno de Carvalho, devem limitar-se às funções diretamente ligadas ao futebol, como acesso ao relvado durante os jogos, presença no banco, restrições de acesso a áreas técnicas. Além disso, defendeu o líder dos leões, um recurso apresentado ao Tribunal Arbitral deve suspender de imediato uma punição, para evitar que sejam cumpridas penas e que depois os punidos sejam ilibados das mesmas à posteriori."

Não vejo qualquer redução pedido de reduções de pena nesta noticia ... mas isso sou eu.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 14:19

Não vê porque não quer ver.
Eu vejo muito claramente uma tentativa de LIMITAÇÃO ESPACIAL da aplicação do castigo.
Está tudo bem claro no texto que publicou, isto é, fora de algumas áreas concretas do estádio o castigo não se aplicaria, podendo o homem livremente continuar a ofender toda a gente impunemente.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 14:26

Limitar âmbito <> Reduzir penas

Quer por uma rolha no BdC!? É chato não é comece no seu clube a por uma rolha nessa gente toda (os cartilhados) que diariamente falam do SCP.

Entretanto o LFV já sabe quem provocou toda a situação de 6ª feira !? mais um spin dentro em breve.


Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 14:30

Você devia estudar melhor a língua portuguesa.
Agora quer um regime especial para o tresloucado do seu presidente... os outros são castigados e nem podem inaugurar uma casa do clube e seu líder coreano quer poder continuar a atear fogos todos os dias de castigo...
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 14:37

"Você devia estudar melhor a língua portuguesa."

Não apregoe aos outros aquilo que não faz ou não domina:

li·mi·tar - Conjugar
(latim limito, -are, delimitar, fixar, determinar)
verbo transitivo

1. Servir de limite a.
2. Pôr limites a; demarcar.
3. Restringir.
4. Moderar.
5. Aprazar, marcar, fixar.
verbo intransitivo
6. Confinar.
verbo pronominal
7. Não passar além de.
8. Não se exceder.
9. Ater-se.
10. Contentar-se.
11. Restringir-se.

"limitar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/limitar

re·du·zir - Conjugar
verbo transitivo

1. Tornar menos numeroso.
2. Tornar menor.
3. Resumir, abreviar, compendiar.
4. Abrandar, minorar.
5. Converter, transformar, mudar.
6. Trocar.
7. Levar a um estado ou situação penosa.
8. Constranger, forçar, obrigar.
9. Vencer, subjugar.
10. Exprimir em unidades diferentes.
11. [Aritmética] Transformar em equivalentes.
12. [Química] Separar de um óxido o metal que ele contém.
13. [Cirurgia] Levar ao seu lugar ossos desarticulados.
verbo pronominal
14. Chegar.
15. Vir a dar em posição inferior.
16. Limitar-se, circunscrever-se.
17. Mitigar-se, diminuir.
Palavras relacionadas: minorar, diminuir, fracção, resumir, compendiar, encerrar, resolver

"reduzir", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/reduzir

Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 14:56

Você é bom a fazer "copy and paste"... já saber interpretar... é mais bolos, como diria o velho Herman...
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 27.04.2017 às 15:00

Afinal o meu problema não é só de leitura/português mas é também de interpretação ... você por acaso também não escreve aqui como Rui Carvalho pois não !?

Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 15:33

Francisco Maria, ao seu serviço!
Sem imagem de perfil

De Titto a 27.04.2017 às 11:46

Enquanto o(s) Estado(s) permitir(em) que uma actividade que move tanto dinheiro e que mexe com tantas emoções permaneça na marginalidade, com leis e regras próprias, nada mudará.

Hoje em dia os clubes não passam de albergues de malfeitores, do topo à base. A violência é transversal, sendo que é na base em que a mesma se torna mais física, fruto não de um tribalismo exacerbado mas por ser aqui que se concentram em número considerável um conjunto de indivíduos sem estrutura, desprovidos de valores que nos são, a quem tem alguma educação e respeito pelo próximo, queridos.

É um problema social, do qual o Estado se demite, que os Clubes se vêm na obrigação de gerir, fazendo-o mal, pois não é esse o seu papel.
As bancadas “ultra” dos principais clubes estão hoje repletas de marginais e poucos são os que ali se juntam por amor aos seus clubes. É uma forma de sobrevivência.

“Organizar viagens, distribuir bilhetes, comprar e vender merchandising, negociar intimidações ou oferecer segurança torna-se uma forma de vida que dispensa o incómodo dos impostos, dos horários, do esforço, do mérito ou do talento. Para se chegar lá basta a obediência a um grupo na escola ou no bairro e esperar que um dia as portas do núcleo duro oficial se abram. Depois, há que obedecer, ser mau como os piores, aprender a viver nas fronteiras da lei ou fora dela, emular a dureza, a esperteza e a ausência de escrúpulos. Um dia, talvez haja dinheiro a rodos para comprar carros caros ou viagens em hotéis de luxo. Como os chefes.” (Manuel Carvalho – Público).

Tudo isto com a complacência do Estado. Do MAI em particular.

Com isto dizer que não são os agentes desportivos (que vago…) que devem ser responsabilizados. Quem tem que intervir é o Estado, que tem que regular no sentido de tornar o desporto numa actividade estopante, repelente mesmo, para a canalha que faz dela a sua forma de vida.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 12:16

Apoiado!
Sem imagem de perfil

De Bruno a 27.04.2017 às 12:04

Quem numa estaçao de TV de uma instituição cria programas levianos e de baixo nível como o milhafre Orlando e deixa semana após semana debitar um ser ordinário e reles de nome Carlos dolbeth numa TV oficial de um clube mesmo depois da morte de um adepto onde usa e abusa da má educação ou de um faccioso Pedro Baptista que só usa esse espaço para difamar e criar odios e suspeições constantemente .sobre o sport Lisboa e Benfica e seus pares. Estamos conversados sobre quem quer o futebol a arder. E o carácter das pessoas que estao à frente desse clube. Só os carneiros acham isto tudo normal e ainda batem palmas .. é a escória da sociedade que num país a sério já tinham sido irradiados.
Sem imagem de perfil

De Pedro Miguel a 27.04.2017 às 12:57

Ora então a legalização das claques poderia resolver o problema da violência...

Ok. Vamos esquecer o Benfica... Vamos esquecer os No Name... Vamos esquecer como "acabou" a rixa da última sexta-feira... E vamos pensar no seguinte:

- Um grupo de "jovens", pertencentes a claques do Sporting foram às imediações do Estádio da Luz, muito provavelmente, para repetir os actos de vandalismo que já tinham acontecido na noite anterior.

- Considerando que as claques do Sporting são legalizadas logo, têm o apoio do clube, o que fez o SCP para tentar averiguar quais dos elementos dessa claque participaram nos desacatos?

- O facto de os elementos da claque legalizada do SCP estarem (supostamente) identificados, impediu que eles participassem nessa rixa?

- E o que dizer da entrega de uma coroa de flores pela "gloriosa" participação dos elementos daquela claque numa rixa que acabou com um morto??????? E, já agora, será que a coroa foi entregue a um dos elementos que deixaram o italiano no chão a sangrar????

Pensem nisso!

E, que fique já claro, que eu não estou a defender a claque do Benfica. Muito pelo contrário. O que aquele adepto fez é inqualificável.

O que estou a tentar dizer é que nenhuma claque é melhor do que a outra, e esta história da "legalização" é uma falácia.

De resto, quando toda a gente fala na "cartilha" do Benfica, isso provoca-me um riso incontrolável.

É que não há clube que se reja mais por uma "cartilha" do que o SCP!

De resto, basta ler este e outros fóruns ligados ao SCP na net, para ver que os argumentos utilizados são todos IGUAIS. E baseiam-se, ipsis verbis, no que diz o presidente do SCP e o director de comunicação.

A diferença é que a cartilha do Benfica era difundida por e-mail, enquanto que a do SCP é divulgada à frente de todos, através do facebook e de várias outros meios de comunicação social. Depois é ver todos os adeptos sportinguistas a espalhar esses mesmos argumentos pela blogosfera.

Portanto, talvez já estivesse na hora de deixar essa provocações de lado, e falarem de futebol e, especialmente, uns e outros, deixarem de se achar melhores do que os "outros" e, de uma vez por todos, passaram a tentar ser melhores do que os melhores!!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 27.04.2017 às 13:52

Os benfiquistas gostam de confundir os assuntos.... toda a gente percebe que o Sporting tem uma estratégia de comunicação anti-benfica.... está à vista de todos!

A questão é que o presidente do benfica vem dizer que o benfica não fala dos outros, e os benfiquistas estão sempre a dizer que não falam dos outros.... mas depois são apanhados com a história da cartilha, que mais não é, do que a comprovação de uma táctica hipócrita de comunicação, onde definem o que tem de ser dito contra os rivais, mas ficando a direcção do benfica com a imagem de virgem pura, quando não passam de uns reles iguaizinhos aos Saraivas e companhia.

Um clube como o benfica, que vai ser tetra campeão, que tem 60% dos adeptos em Portugal, ao ter essa cartilha, demonstra que não tem interesse nenhum na pacificação do futebol português....
O que pretende então o benfica com esta táctica?! simples... dominar e espezinhar todos os que enfrentem o benficazinho.... mas depois passam a imagem de santos.... quando não passam do clube mais hipócrita e falso em Portugal!
Sem imagem de perfil

De Pedro Miguel a 27.04.2017 às 14:00

Quando a amigo quiser discutir este assunto, pensando pela sua própria cabeça, sem utilizar os chavões (cartilha) do seu presidente, e aprender a respeitar os adeptos rivais, podemos continuar esta troca de ideias.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 27.04.2017 às 14:46

LOL!!! A cartilha do benfica era o que todos os que pensavam pela própria cabeça diziam .... mas foi preciso o ex-vice do benfica assumir essa mesma cartilha, para hoje estar à vista de todos, se não continuavam com a mesma lenga lenga de que os comentadores na TV não eram afectos ao benfica.... mas percebo que não goste de falar sobre o tema... afinal comprova-se que é um mito essa ideia de que o benfica não professa o ódio aos rivais!
Sem imagem de perfil

De Pedro Miguel a 27.04.2017 às 15:15

Sem imagem de perfil

De Oceano Vermelho a 27.04.2017 às 16:18

A confusão que vai nestas cabeças.

Vieira e mais meia dúzia de pessoas não são O Benfica, são uns tipos que, transitoriamente, representam e / ou falam em nome do clube.

O mesmo sucede com os outros clubes. Sem exceção.

O sujeito italiano foi assassinado. Isso parece claro neste momento. Se foi, ele mesmo, à procura do que lhe aconteceu ou não, ainda não sabemos.

O que sabemos é que este deveria ter sido outro momento para arrepiar caminho. Porém, não o foi. Três animais - de seus nomes Bruno de Carvalho, Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa - aproveitaram a ocasião para fazer exatamente o contrário. A morte do sujeito serviu apenas para aprofundar a guerra, não para procurar a paz, independentemente das rivalidades.

Eu quero que os três senhores acima citados - juntamente com Guerras, Pinas, Dolbethes, Marques, etc. - vão à merda (desculpe a linguagem, Rui Gomes). Qualquer um deles me dá asco, enoja-me, enquanto pessoas desportivas ditas públicas.

E a cambada adepta de acéfalos segue-os, pelo visto maioritariamente, porque, afinal, aparentemente a tribo do futebol é constituída por uma vastidão de grunhos.

Pegue-se nos 6 milhões 999 mil 999 dos benfiquistas, mais os 2 milhões e... de sportinguistas e 1 milhão e.... de portistas, coloquem-se numa arena, entreguem-se-lhe armas, fechem-se as portas e deite-se a chave fora.

Vêm depois para aqui pessoas ditas «normais» andar a discutir qual é o mais sujo e demente e a cor que defende. Tenham santa paciência! Abram os olhos!
Sem imagem de perfil

De Bruno a 27.04.2017 às 19:04

Schmeichel a cartilha do Benfica, comparada com os posts do teu presidente e do nuno Saraiva, e com a autorização semanalmente do canal do teu clube em deixar Carlos dolbeth e Pedro Baptista incentivar ódios com má educação à mistura é brincadeira de crianças
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 27.04.2017 às 19:57

Eu não acho o Pedro Guera, Venturas, Hugo Gil, RGS, brincadeiras de crianças.... tanto não o são, que ainda hoje o benfica tem vergonha de assumir que pagava a esses senhores para dizer o que diziam.
Sem imagem de perfil

De Bruno a 27.04.2017 às 22:56

Epa digam me la onde Pedro Guerra e Ventura tiveram discursos de incentivar ódios ou de má educação que sejam se quer parecidos com os que eu mencionei. Provem me. Uma.mentira dita mil vezes não se torna verdade.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo