Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

img_818x455$2016_11_13_10_16_37_575621.jpg

 

Um muito extenso artigo da autoria de Bruno de Carvalho, publicado esta segunda-feira no Diário de Notícias, que começa assim e que pode ser lido na íntegra aqui:

 

A verdade sobre a situação financeira

 

"Muito se tem falado e escrito sobre a situação financeira do Sporting CP. Da oposição à cartilha, todos vão envenenando a opinião pública. Infelizmente o sucesso de uns é a azia de outros. Uns porque não derrubam o poder e outros porque demonstram a sua incapacidade de bem gerir e de bem negociar. E qual a verdade por detrás de tantos vídeos, entrevistas, artigos de opinião, manipuladores e falsos?

 

Temos o reequilíbrio da situação económico-financeira de todo o Grupo Sporting, que se presta a dar a garantia de uma sustentabilidade associada a um crescendo de sucesso desportivo. Crescimento sustentado de todas as linhas de receitas comerciais - direitos TV, merchandising, bilheteira, quotizações, publicidade e patrocínios, entre outros; Redução/controlo de custos, seguido de uma fase de investimento com um aumento de custos de forma controlada e sustentada; Forte crescimento das receitas de venda de direitos económicos de atletas, com as duas maiores transferências de sempre da história do Sporting CP por 70 milhões + objectivos e a maior de sempre do futebol português de um atleta nacional para o estrangeiro - até Dezembro de 2017, esta Administração atingiu os 200 milhões de euros de vendas de jogadores sendo 154 milhões de euros mais-valias; Recuperação dos direitos económicos de 37 jogadores, permitindo que o Sporting CP fique com estas receitas ao invés de as ter de passar a terceiros - valor recuperado pelo Sporting ascende já a cerca de 41 milhões de euros; Melhor contrato de direitos TV em Portugal resultante da negociação com a NOS num total global de 515 milhões; Aumento do número de sócios, tendo já ultrapassado os 170 000 e mantendo um objectivo de crescimento continuado; Aumento do património com o Pavilhão João Rocha e forte investimento nas infraestruturas e nas modalidades. (...)".

 

Nota: Eu não sou a pessoa mais indicada para comentar este artigo do ainda presidente do Sporting. Creio que seria muito útil e até interessante saber a opinião do meu colega redactor Drake Wilson, mas não sei se tem a disposição assim como a disponibilidade para tal. De qualquer modo, deixo ao critério dos leitores, especialmente daqueles que saberão opinar com objectividade e conhecimentos e não facciosismo, pró ou contra.

 

publicado às 16:59

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


40 comentários

Sem imagem de perfil

De Sérgio a 30.04.2018 às 17:32

Nexte post faltou o texto mais "picante": "...teve de tomar a decisão, prorrogar a actual emissão obrigacionista de 30 milhões para Novembro 2018 com a manutenção do pagamento de juros de 6,25% (taxa anual) por mais seis meses. Esta decisão foi bem recolhida pelos vários intervenientes no processo, nomeadamente, os Bancos, a CMVM e os consultores financeiros da operação".

Portanto foi uma operação bem "recolhida", mas não sabemos se foi bem acolhida. Não se devolve o dinheiro na data certa e o pessoal fica todo satisfeito. Ou fica recolhido para ver se chove alguma coisa em Novembro. Priceless!

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 17:38

Este post consta apenas dos primeiros dois parágrafos do artigo, que é excessivamente extenso.

Eu indico no início que o artigo começa assim, nada mais.

Disponibilizei o link para o artigo completo.
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 30.04.2018 às 18:02

O meu comentário não pressupõe uma crítica à escolha do texto do post, que entendo ter sido reduzido aos 2 primeiros parágrafos do texto do artigo do jornal. E claro, existe o link para quem quizer ler mais. Entendi que a posição do autor do post pretendia ser neutra e que estaria à espera de reacções. Por isso comentei e acrescentei uma das partes que me pareceu ser das mais "picantes". No fundo é por isso que houve este artigo de jornal que desta vez não me parece que tenha sido de autoria exclusiva do BdC. Alguém andou a arredondar as pontas (isto também não é uma critica negativa).

Sem imagem de perfil

De João Paulo Gonçalves a 30.04.2018 às 17:36

Não tenho conhecimento suficiente para avaliar da veracidade de toda esta situação...

Veio-me apenas à cabeça o nome de um filme, trocando apenas o nome do personagem principal: "Bruno in Wonderland".
O autor deste conto não é o Lewis Carrol mas sim o afamado Saraiva, com o apoio de Mister (o do café).

Mais uma vez a obsessão pelo vermelho não o deixou escrever um texto sobre a situação económica do seu clube, sem falar nos seu pesadelo diário...

Estou realmente muito curioso para ler a opinião de algum entendido sobre tudo isto.

Sem imagem de perfil

De J. a 30.04.2018 às 20:01

Comunidado de Luis Bernardo, director de comunicação do Benfica:
"Todo este ambiente surge numa fase histórica em que o Benfica acabava de ganhar o tetracampeonato, sendo também o clube mais sólido a nível financeiro (...) o Sporting está com dificuldades para pagar um empréstimo obrigacionista e por meio de uma análise rigorosa à sua contabilidade percebe-se que há ali o risco de insolvência. Em termos de infraestruturas de futuro, o Benfica tem uma série delas programadas. O Sporting não tem, procura ganhar o próximo Campeonato para salvar uma situação caótica. Tudo isto levou, como se sabe, a uma espécie de união de esforços entre aqueles clubes. E os factos vêm demonstrar que há aqui um nexo de relação."

Numa competição concorrencial, é perfeitamente normal que se fale nos rivais.
Esse mito de que só nós falamos no Benfica, como se pode ver nestas palavras, é um mito!
Tb eles lhes interessa e muito falar no Sporting
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 22:14

Devia ser proibido os clubes terem directores de comunicação:)

Mais vezes do que não, só dizem barabaridades.
Sem imagem de perfil

De atitopoteu a 30.04.2018 às 23:45

ao menos por uma vez que seja !...total e completamente de acordo.
Sem imagem de perfil

De João a 30.04.2018 às 17:53

Volto a escrever o que já tinha escrito noutro post menos apropriado.

"Uma das coisas que vejo nesse texto é um perdão de 70% do valor das VMOC's, pois o Sporting em vez te ter de comprar as VMOC's a 1€ (valor de emissão), as irá comprar a 0,30€!"
Sem imagem de perfil

De Diogo a 30.04.2018 às 21:45

Só más notícias para o Sporting...
Parece que, no âmbito da renegociação da dívida, conseguimos reduzir em vários milhões a hipotética contingência no pagamento das VMOC.
Uma poupança que poderá ser, em teoria, de uns bons milhões de euros.
Que trágico!
Sem imagem de perfil

De João a 01.05.2018 às 08:54

Antes de tudo o resto, sou um contribuinte português que muito dinheiro enfiou no NB. Daí me fazer muita confusão os perdões de divida que o NB faz, independentemente da entidade devedora.
Sem imagem de perfil

De Diogo a 01.05.2018 às 17:34

João,

Mas qual perdão de dívida?

Foi fixado um valor para a devolução das VMOC. Até pode acontecer, na altura do pagamento, as ações do Sporting valerem menos de 0,30€. E aí, quem ganha é o Novo Banco.

SL
Sem imagem de perfil

De João a 02.05.2018 às 10:08

Com a quantidade de acções da Sporting SAD que são transaccionadas no mercado, só se os bancos não quisessem é que elas não teriam um valor de 1€ no final do prazo do pagamento das VMOC's.

Dado que os bancos injectaram o equivalente a 1€ por VMOC, se só receberem 0,30€ é um perdão de 0,70€ por VMOC, ou seja 70.% de perdão.
Sem imagem de perfil

De Jorge a 30.04.2018 às 18:41

O normal, meias verdades, meias mentiras, esquecimentos à conveniência e a coisa que me tira mais do sério, que é justificar coisas com "os outros também fazem" ou "os outros estão piores"...

A parte de os credores terem acedido a reduzir o valor a pagar pelas VMOC's não porque precisemos mas porque somos um caso de sucesso é qualquer coisa de extraordinário...

Já agora, é impressão minha ou ele não sabe o que é factoring?
Sem imagem de perfil

De de Vigia a 30.04.2018 às 19:37

Não vá o caro ter duvidas:

Factoring é uma actividade que consiste na cedência dos créditos comerciais de curto prazo por parte de uma empresa (Aderente), a uma instituição financeira (Factor) referente às vendas a crédito de bens e/ou serviços efectuadas aos seus clientes (Devedores). Uma operação de factoring envolve assim pelo menos 3 intervenientes, Aderente, Devedor e Factor, sendo que esta entidade presta um serviço integrado de gestão e cobranças dos créditos, pode assegurar a cobertura do risco de crédito (insolvência ou atraso de pagamento) e efectua o financiamento (por adiantamento) dos créditos cedidos.

A relação entre os intervenientes e respectivos movimentos, pode-se resumir de acordo com o abaixo indicado:

1 - Venda de bens ou serviços: o ADERENTE (fornecedor) efectua a venda dos seus bens e/ou serviços ao DEVEDOR (cliente);
2 - Cedência do crédito: o ADERENTE (fornecedor) entrega cópia da factura e original do documento de transporte à FINANCEIRA XPTO;
3 - Adiantamento: a FINANCEIRA XPTO financia uma percentagem do valor da factura cedida (por exemplo 90%) ao ADERENTE;
4 - Pagamento: na data de vencimento da factura, o DEVEDOR efectua o pagamento da factura directamente à FINANCEIRA XPTO;
5 - Devolução da retenção: após recepção do pagamento da factura, a FINANCEIRA XPTO devolve ao ADERENTE o montante retido (por exemplo 10%).
Sem imagem de perfil

De Luis Pereira a 30.04.2018 às 20:23

Diz bem o caro vigia.

Esquece porém um factor (no pun intended)

É que o "sem recurso" de que fala o Bruno Miguel é exactamente o contrário do que diz no seu (dele) artigo de opiniao.

O factoring sem recurso - quando o factor assume o risco da operação, no caso do cliente não pagar o valor em dívida o factor não tem o direito de pedir o reembolso do valor do adiantamento.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.04.2018 às 21:27

Exactamente! Quem escreveu o texto, que não foi BC, não ignora que o que afirma sobre o factoring do Benfica é mentira!

Ao ser feito um factoring "sem recurso", pelo “Princípo da Prudência” o passivo não reduz à luz das normas internacionais de contabilidade, o dinheiro é uma antecipação de receitas futuras que assim fica registado no passivo, em substância, mas há de facto uma redução do passivo porque esses fluxos financeiros já estão definitivamente REALIZADOS.

Sobre as restantes questões, preciso de mais algum tempo para descrever algumas imprecisões, há quem lhes chame mentiras, que já detectei.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.04.2018 às 21:27

João Carvalho foi quem escreveu o texto acima.
Sem imagem de perfil

De de Vigia a 30.04.2018 às 19:27

Boa tarde

Espero mesmo que o DW consiga um tempinho para este tema. As suas reflexões são sempre estimulantes.

Por agora limito-me a sublinhar um "por maior" que me deixa orgulhoso:

O Sporting Clube de Portugal de 51,57% de acções para passar a ter 88,03% de acções da Sporting SAD

SL
Imagem de perfil

De Corvo a 30.04.2018 às 20:11

Causa-me alguma perplexidade é como num clube onde pelos vistos corre um rio de ouro não tenha conseguido pagar um empréstimo obrigacionista, e tenha contraído outro para pagar aquele.
Enfim; é Sporting e está tudo bem, agora que, presume-se, a sagrada aliança frutificou e sempre vão conseguir o segundo lugar...O pior é se não.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 20:20

Leu isso em algum email encarnado ou fruto da sua (pouca) criativa imaginação?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 22:16

Tinha em mente essa da "sagrada aliança". Será que defrontou o Tondela?
Sem imagem de perfil

De Miguel a 30.04.2018 às 20:22

A tal aliança em que o Sporting só não foi eliminado da Taça de Portugal por um remate in extremis de um central que acerta com a parte exterior da bota na bola aos 80 e tal minutos? Não diga parvoíces... a mim causa-me ainda maior estranheza como não se dá nenhuma relevância à situação financeira de Benfica e Porto, tanto pela comunicação social como pelos próprios adeptos, que se assumem como experts quando toca ao caso do Sporting. Um deles foi alvo de uma multa da UEFA devido ao fair play financeiro, o outro tem empréstimos obrigacionistas e um passivo enormes, mas pelos vistos também deve correr um rio de ouro, e com um leito bem grande...
Imagem de perfil

De Corvo a 30.04.2018 às 20:33

Miguel.
Nenhum dos três goza de situação financeira desafogada.
Mas este post, concretamente, é sobre as declarações de Bruno de Carvalho que quer fazer passar uma mensagem que não corresponde à realidade
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 22:17

"Nenhum dos três goza de situação financeira desafogada"...

Certíssimo !!!
Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 30.04.2018 às 23:41

O que é um situação desafogada? Um lucro líquido de 45M e um EBITDA supeior a 100M num ano espelha uma situação desafogada? Deixo a pergunta.


Respondendo ao desafio do Rui Gomes, consultados os R&C da SCP SAD, concentro-me nos 2,5 últimos anos, 2015/16-2017/18:

Diz o comunicado:
“Crescimento sustentado de todas as linhas de receitas comerciais - direitos TV, merchandising, bilheteira, quotizações, publicidade e patrocínios, entre outros;
Redução/controlo de custos, seguido de uma fase de investimento com um aumento de custos de forma controlada e sustentada; “

Comparação dos resultados dos exercícios 2015/16 e 2016/17:

Ao contrário do que se afirma, os custos totais aumentaram 21% (+18M), dos quais custos de pessoal aumentaram 30%(+15M), os FSE aumentaram 16,5% (+4,3M).
Os proveitos aumentaram menos, 13% (+4,8M), devido acima de tudo à entrada na Champions.

Sendo o aumento dos proveitos operacionais (PO) menor que o dos custos operacionais (CO), significa que os resultados operacionais (RO) subiram de -2,4M para -10M.

Com um buraco de 10M nos RO num ano não podemos considerar que haja equilíbrio economico-financeiro.
O ano de 2016/17 terminou com um resultado positivo de 35M pelo facto de ter vendido activos no valor bruto de 93M.


Comparando os 1ºs semestres de 2016/17 e 2017/18:

Pouco há a dizer. Há um pequeno aumento tanto nos PO como nos CO pelo que o RO é practicamente igual.

Mas o mais preocupante é que o resultado antes de impostos do 2º trimestre 17/18 (Outubro-Dezembro) é negativo em -15M = -5M/mês, um resultado mensal muito mau.
O que nos leva a perceber que o resultado irá repetir-se nos restantes 6 meses do 2º semestre (6* -5M = -30M).
O impacto nas contas finais do ano será tremendo e é fácil de fazer.

Passando para o Balanço:

Em 30/6/2015, o passivo da SCP SAD era de 228M e o passivo bancário de 130M. Sem contar com os VMOCS.

Em 31/12/2017, 2,5 anos depois, o passivo total passou para 311M, isto é, subiu 83M em 2,5 anos e o passivo bancário de 127M, diminuindo apenas 3M em 2,5 anos.

Estes números contradizem o comunicado.


Quanto ao resto do comunicado, tenho de dizer que a seguinte afirmação é mentirosa e não faz qualquer sentido:

“Atualmente o SLB não tem exposição à banca o que limitará qualquer tipo de apoio caso haja “defaults”. Ou seja, o que inicialmente dava garantias aos investidores que não iriam "deixar cair" os empréstimos obrigacionistas das SAD deixou de existir pois o impacto para os Bancos é nulo.”

A realidade é exactamente a oposta. Porque mentem?

Assim como a afirmação sobre o pagamento dos empréstimos bancários com a antecipação da NOS “sem retorno” é um completo disparate, como já tive ocasião de explicar.

O SCP ou o FCP não conseguem fazer um factoring “sem retorno”. Porquê?
As obrigações do Benfica custam 4% enquanto a do Sporting 6,25%. Sabem a razão?

Eu não creio que a pessoa que escreveu o texto seja ignorante, limitou-se a mentir para diminuir a condição financeira muito mais favorável do SLB.

Trazer à colação o nome do Benfica só faz sentido numa lógica de valorizar a situação financeira do Sporting que é, na realidade, muito inferior.
O comunicado é dirigido aos adeptos do Sporting, por isso mentem em várias partes do texto.

Fico-me por aqui que o texto já vai longo, embora houvesse muito mais a dizer.

Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 01.05.2018 às 00:50

1º Todas as Rubricas de proveitos operacionais aumentaram:
Em 2012/13 eram de 35M€ em 2016/17 foram de 80M€; (os custos passaram de 42M€ para 96M€), a sustentação dos mesmos obviamente passa pela venda de jogadores o que permite tb o investimento no plantel (a principal razão do aumento do passivo com os valores das rubricas de fornecedores a subirem consideravelmente nos últimos anos).

2º O passivo no 2º trimestre de 2017/18 é de 270 M€ curiosamente o João como é seu timbre escolhe o exercicio a analisar com o critério habitual (foi buscar o exercicio de 2015 após a conversão das VMOCs em CP o que permitiu uma grande redução do PASSIVO), diga-se que em 2014 o Passivo total era de 265M€ e o SCP SAD tinha ainda 120M€ de Capitais Próprios NEGATIVOS.

3º Os Ativos do SCP SAD em 2013/14 eram de 135M€ em 2016/17 é de 316M€;

4º obviamente que sem a reestruturação financeira que esta direcção do SCP conseguiu nada disto seria conseguido num espaço de 4 anos.

5º Para o ano entra em vigor o novo contrato TV com a NOS estamos a falar de aproximadamente 10M€ de receitas de TV adicionais.

"Eu não creio que a pessoa que escreveu o texto seja ignorante, limitou-se a mentir para diminuir a condição financeira muito mais favorável do SLB."

Convidava o a rever esta sua referência para não fazer a habitual figura em voga no seu clube.

Sobre o SLB e o FCP estou me nas tintas ... percebo a referência mas em nada me interessa.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2018 às 02:52

"Obviamente que sem a reestruturação financeira que esta direcção do SCP conseguiu nada disto seria conseguido num espaço de 4 anos".

Não comento o resto que escreveu, mas perde alguma credibilidade perante esta sua afirmação. Creio que compreenderá que só um apoiante de Bruno de Carvalho escreveria isto.
Sem imagem de perfil

De HY a 01.05.2018 às 09:24

Portanto, o Rui acha que "isto" (sem discutir agora se o "isto" está certo ou não) teria sido conseguido sem a restruturação financeira que foi feita? Será preciso ser brunista ou lá o que é para o constatar?
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 01.05.2018 às 11:40

a credibilidade perde a Rui com esse comentário, mas entendo que prefira a "versão encarnada" dos factos bom proveito.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2018 às 12:01



É engraça essa de eu preferir a "versão encarnada". Mas vinda de um devoto de Bruno de Carvalho, não é surpreendente.

Não meu caro, eu não prefiro essa versão, simplesmente acredito em muito pouco que origina com o actual presidente, o que é radicamente diferente.
Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 01.05.2018 às 12:14

Sérgio, a mim pouco me interessa o que se passou em 2012 ou em 2013. O que me interessa é analisar aquilo que os resultados atuais, os 2 últimos anos, revelam para poder prever o que irá acontecer no futuro.

O que interessa se os proveitos aumentaram se os custos aumentaram muito mais?
O que interessa se o activo aumentou se o passivo aumentou muito mais?

Quando os números revelam um desiquilíbrio operacional que se reflete num défice superior a 5M mensais, um valor bárbaro, que contraria a tese anunciada de equilíbrio financeiro, isso revela que estão a viver muito acima das suas possibilidades, que mais há a dizer? Que é apenas propaganda.

Quando os números revelam que aumentaram o passivo em 82M nos últimos 2,5 anos, quando estão intervencionados pelos bancos de modo a diminuírem esse mesmo passivo acumulado ao longo de gestões danosas, que mais há dizer?
E garanto-lhe que no fim deste ano o passivo terá aumentado mais 20M ou 30M.

Tiveram perdão da divida, perdão dos juros por parte desses bancos, como revelam os VMOCS (que são passivo), a somar a um forte desconto a que os poderão recomprar, que mais a dizer?
O que se observa é um perdão da divida com uma mão e o aumento da mesma com a outra, fruto de um desequilíbrio operacional. Isso é equilíbrio económico-financeiro?
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 01.05.2018 às 13:43

5M€ mensais ensandeceu !? os RO no final do ano serão negativos obviamente entre 12M€ a 18M€ e não por números a rondar os 60M€ como sugere.

Vou ter de voltar a corrigir pegando no passivo a 2015/2016 228M€ comparando com o actual (dá jeito a si o final da época 2016/17 mas ai não) 2ª trimestre de 2017/18 é de 270M€ que dá 42 M€ e não 82M€ (o investimento na equipa de futebol paga-se), o aumento verifica-se acima de tudo nas rubricas de Fornecedores e FSE e não na divida bancária propriamente dita.

Sobre a questão o perdão de divida, não há como negá-lo no entanto acaba por ser uma conclusão bastante redutora do que se terá passado nas negociações com o consórcio bancário NB/BCP,:

1. SCP só poderia recomprar sempre apenas 44M€.
2. o consórcio bancário teria de emitir novas VMOCs para recomprar a emissão de 55M€ .
3. O SCP só iria recomprar as VMOCs em 2026;
4. o consórcio bancário ficaria no melhor cenário com 91M€ de acções da SCP SAD;
5. a banca actualmente tem várias restrições que não permitem este tipo de operações (não domino a matéria com exactidão) mas pelo que leio os constrangimentos a estas operações seriam grandes do lado da banca.

Esta será uma forma da banca limpar as suas contas antecipando os pagamentos da divida e cumprindo as regras do BCE, o SCP com a antecipação da recompra das VMOCs (julgo que com a nova emissão de obrigações terá esse propósito 30 + 30).

O SCP terá o constrangimento financeiro que limitará um pouco financeiramente o clube de antecipar pagamentos em quase 10 anos, o ganho será recuperar +30% adicionais do capital da SAD do que estava inicialmente previsto.


Sem imagem de perfil

De João Carvalho a 01.05.2018 às 19:27

Sérgio, eu não ensandeci, sei é ler. Leia o R&C e faça as contas.
O Resultado líquido anos de impostos no 2º trimestre (Outubro-Dezembro) 17/18 é de exactamente -15,068 milhões de euros.
Ora isso na minha calculadora dá mais de 5M NEGATIVOS por mês. Tem uma calculadora diferente?

Fizeram carreira na Champions? Não!! Então no 2º semestre os custos mantêm-se mas os proveitos a tendência será para descer.
Não me admirava nada que neste momento tivessem mais de 5M negativos por mês.
Veja o que aconteceu no ano passado.

No resto não negou nada do que eu disse, embora eu possa ter feito as contas mal na questão do passivo, mas que não contraria o raciocínio.

O SCP foi perdoado pelos bancos em 95M nos VMOCS mais os juros da totalidade do montante de 135M. Uma quantia apreciável vindo de bancos intervencionados.
Sem imagem de perfil

De Diogo a 30.04.2018 às 21:47

O quê?
O Sporting vai contrair um empréstimo obrigacionista para pagar outro empréstimo obrigacionista???
Mas que vergonha vem a ser esta!
É a primeira vez que ouço falar de tal coisa!!!
Nem as empresas, nem os clubes de futebol se metem em alhadas destas.
Nem Governos!

Haja paciência para aturar estes abutres que por aqui aparecem...

SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.04.2018 às 22:18

Dispensa-se a adjectivação gratuita!
Sem imagem de perfil

De Cris Dileo a 30.04.2018 às 23:02

Eu não percebo muito de finanças, mas o termo SLB quer dizer exactamente o quê ?
Perfil Facebook

De Mike Portugal a 30.04.2018 às 23:37

SLB = Seremos Leiloados Brevemente
lol
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 01.05.2018 às 02:54

Nesse contexto humorístico, qual será o significado de SCP?
Perfil Facebook

De Mike Portugal a 01.05.2018 às 09:00

SCP = Sporting Carvalho de Portugal
lol

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo