Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




img_920x518$2017_01_29_20_19_06_1216614.jpg

O Futebol é um desporto para ser visto com a família e os amigos. Por vezes, os horários dos desafios de futebol quebram esta tradição e os preços dos bilhetes, por exemplo, também nem sempre ajudam a concretizar esta deslocação familiar aos estádios, tal como a  qualidade dos espectáculos que nem sempre é motivadora.

Como vemos em Inglaterra, os jogos são televisionados, com receitas para os clubes muito generosas, mas sempre com estádios cheios e com espectáculos verdadeiros, para quem aprecia os "artistas da bola". Em Portugal, infelizmente, a televisão, os horários e a falta de qualidade tanto das arbitragens como dos jogos, leva a que tenhamos muitos jogos com assistências muito baixas, tornando as receitas de bilheteira e as inerentes receitas de publicidade cada vez menos importantes nos orçamentos, com todas as consequências na capacidade aquisitiva da maioria dos clubes.

Como se não bastasse tudo isso e a agravar esta situação (contribuindo também para este estado de coisas) temos espectadores de várias categorias, isto é, existem os espectadores que compram os seus bilhetes, ou pacotes anuais e as claques legais e ilegais (GOA-Grupos organizados de adeptos, assim designadas as claques).

img_1280x720$2020_01_04_22_04_02_1646357.jpg

Pergunta-se como é possível haver num estádio, num espectáculo pago,  com a presença tanto de polícia como de segurança privada, algo como claques ilegais? Afinal quem vende esses bilhetes, quem financia os transportes, as refeições,  as tarjas, etc?

Considero inteiramente inaceitável esta situação de toda a gente saber que existem, mas não se fazer nada. Os artefactos pirotécnicos são proibidos, mas eles lá estão e continuam a ser lançados nos diferentes estádios. Afinal, será que é necessário voltar a haver uma desgraça para que se tomem medidas? 

publicado às 03:46

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


12 comentários

Sem imagem de perfil

De LG a 09.01.2020 às 08:30

Comento aqui.Há algum salto lógico em relacionar a atividade das claques com a descida de espetadores no estádio que não consigo perceber (é mentira, até consigo).O Porto tem claques, o Benfica "não tem", mas com o que têm ou "não têm" conseguem encher os estádios. Já no Sporting, a forte descida de espetadores verificada tem como culpados as claques. Basta ver as estatísticas no site da Liga (ontem Varandas falou em -20%, a realidade é mais negra), será uma mera coincidência o facto de as assistências serem bem mais fracas em anos em que a "estrutura" do futebol é mais incompetente e a equipa é mais fraca. Em termos de assistências estamos a regredir aos tempos de Godinho LopesQuanto a impedir quem causa distúrbios de frequentar o estádio, concordo. Mas não há muita vontade nisso em quem o pode fazer. e o que é que o Regulamento de segurança do estádio diz a esse respeito?Quanto a não serem os clubes a pagar, não concordo. A frase de Varandas vai contra a forma como esta questão está (bem) definida em Portugal e na FIFA, os clubes são responsáveis, sem prejuízo de depois poderem exigir o direito de regresso. Curiosamente, Varandas foi ao encontro da posição defendida pelo Benfica, aquele-que-não-tem-claquesFrase de Rui Barreira, "Os artefactos pirotécnicos são proibidos, mas eles lá estão e continuam a ser lançados nos diferentes estádios".Muitos dos artefactos pirotécnicos são permitidos para outras atividades, não podem é ser utilizados nos estádios. Mas quando muitos são do tamanho ou mais pequenos do que os cigarros, só é apanhado antes de os lançar quem quer. Se os esconderem na roupa interior, o que é que se pode fazer?
Sem imagem de perfil

De LG a 09.01.2020 às 10:09

Ficou todo desformatado, Rui
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 09.01.2020 às 13:21

Peço desculpa, mas aquele post não é para este tipo de comentários e na altura eu também não estava na página de editor do blogue para ver a formatização do comentário.

Fica para a próxima...
Sem imagem de perfil

De RASR a 09.01.2020 às 10:46

Para isso existem os spotters e para isso existe a legislação. Se o adepto em questão fosse identificado imediatamente pelo arremesso do objecto pirotécnico e, posteriormente, visse a sua responsabilidade criminal assacada e condenado no pagamento da multa do clube por imediato à FPF e outras sanções acessórias, como a proibição de frequentar recintos desportivos durante X tempo, acredite que a brincadeira iria terminar!!! Nem tenha dúvidas.

O maior incentivo à conduta correta e à sujeição à lei e aos regulamento é a aplicação das respectivas sanções ao primeiro e ao último infractor, não é o constante olhar para o lado de todas as instituições contra quem o Sporting tem constantemente advogado para que se cumpram os regulamentos e as leis.

Por isso, até podem levar nas meias, nos bolsos, nas cuecas ou no recto, não importa, os spotters deviam fazer o seu trabalho (porque o ato de se atirar algo a uma grande distância envolve sempre um movimento do corpo que se nota (spot) e é evidente), imediatamente identificar e expulsar o adepto e, no dia seguinte, ser presente a tribunal. Se existirem gravações eletrónicas desse ato, o processo até podia ser abreviado, assim como num caso de condução sob o efeito de álcool.

Há sempre soluções quando exista a motivação.
Imagem de perfil

De Rui Pedro Barreiro a 09.01.2020 às 12:22

Completamente de acordo.
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 09.01.2020 às 11:19

Tenho uma personalidade de anti político bem clara, procuro nunca entrar nessas confusões e muito menos em campanhas .

Mas existe algo aquí que gostaria de comentar , a vida ensinou-nos que o ódio só trás mais ódio , a violência ídem.
Se não temos capacidade de pelo menos ouvir e ler quem reclama nunca conseguiremos paz e controle .

Sou do tempo do 25 Abril e assisti a toda a guerra política após a revolução , eram escritos por todo o lado , os da extrema direita (PSD e CDS) "morte aos comunistas" os da extrema esquerda "PCP; MRPP morte aos imperialistas" ate que e por estratégia inteligente apareceu o PS a apresentar-se como mais centrista a dizer que temos que aprender a viver com todos , compreende-los e saber aceitá-los porque não podemos andar a matar-nos uns aos outros.
Hoje os partidos fizeram grandes cedências nas suas ideias e quase que pensam da mesma forma .

A diferença esta de facto nos leaders que tenham essa capacidade de entender , de compreender e conseguir soluções que nao sejam extremistas que provoquem mais ódios e violências que têm sempre tendência a aumentar e piorar.

Temos que nos respeitar a todos , as ideias de todos mesmo quando nao concordamos com elas.
As convulsões têm sempre uma base de ideias contrarias que se chocam e para isso obriga a negociações e encontrar soluções , sö pela força nao se consegue a paz
Sem imagem de perfil

De Pedro Piedade a 09.01.2020 às 13:04

Essa de classificar o PSD e o CDS de extrema-direita... e até mesmo o PCP de extrema-esquerda... e tudo para fazer campanha pelo PS, até parece que estamos em ano de eleições?
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 09.01.2020 às 17:07

Campanhas políticas de quem nunca votou na sua vida? Nao bate certo meu caro.vivo bem ao largo dessas coisas.

Simplesmente registrei uma realidade histórica faz 40 anos, nada mais que isso .
Nesse tempo as ideias partidarias eram sim mais extremistas , o tempo amansou-as.
Sem imagem de perfil

De RASR a 09.01.2020 às 13:14

Não percebi se o caro Indiana Julio, que estimo na leitura das suas participações, defende ou não a subsistência das claques nos tempos modernos, principalmente quando já se provou, reiteradamente, que estas só contemplam indivíduos de má índole e de atos, comportamentos e motivações muito duvidosas, por vezes, até criminosas.

Retiro que defende que as claques se devem manter sob um pretexto de paz, onde devem ser ouvidas. Não as temos já ouvido, jogo após jogo? Principalmente agora, que lhes foram retirados os privilégios dados ao longo de anos? O que continuam estas a fazer? A querer mais e mais do clube. Então, mas como é isto? Não deviam ser as claques (constituídas por sócios e adeptos do clube) a suportar o Sporting, através do bilhete pago, como qualquer outro sócio e adepto? O seu "amor" ao clube é justificação para que recebam regalias e benefícios em detrimento dos restantes sócios e adeptos? Então, esse amor tem um preço e tem uma motivação!

Se fazem os quilómetros que fazem e se estão à chuva como estão, é por um suposto amor ao clube em que se associaram, não porque os bilhetes são mais baratos ou porque receberam outras regalias. Assim a ser, têm que ser tributados como uma entidade passiva sobre o seu lucro (que é imenso!!!!)

Se não existe paz, é porque eles também não a pretendem. Em Inglaterra, esse reduto do futebol do futuro, extinguiu-se tudo o que era claque e não foi por isso que os jogos são piores, com menos espetáculo, com menos aceitação do público ou que os estádios ficaram mais vazios. É só e apenas o melhor campeonato de todo o mundo, constantemente cheio de adeptos nos estádios!!!

Se não foi isso o que queria dizer, queira ignorar o meu comentário
Perfil Facebook

De Indiana Julio a 09.01.2020 às 20:23

Caro amigo , posso explicar melhor , sou a favor das claques , pertenci a uma delas à primeira organizada em Portugal que tinha objetivos genuínos de sò apoiar a equipa nada mais que isso, as modernices é que vieram estragar tudo.
Jamais serei a favor de dinheiros dados a claques e quanto a bilhetes mais baratos era usado o cartão jovem que usei enquanto era jovem.
O que tem que ser banido sao os elementos infiltrados de má índole , a esses temos que dar guerra sem quartel e não generalizar porque no meio tem muita gente boa e inocente de toda essa confuso e que nao merecem ser igualados da mesma forma.

Esta claro que as claques nao têm que ter regalias , sao associados como todos os outros que pagam quotas , no máximo o clube pode facilitar transporte para os jogos fora de casa ou espaços para montarem as suas bandeiras de apoio .
Tem jogos especiais que o próprio clube pode investir em ideias que causam impacto visual no estádio em que a participação das claques è benéfica para o efeito ou outras ações do género nada mais que isso.

As claques por si só nao deviam fazer cavalo de batalha como qualquer Direção do clube , deveria ser cada um em su sitio y punto.
A que saber separar o joio do trigo.
Sem imagem de perfil

De ChakraIndigo a 09.01.2020 às 13:31

O poder politico (poder???) simplesmente não quer actuar.

Em vez de fazer leis anacronicas, simplesmente aplique as que existem.

Os sistema de CCTV permitem a identificação dos prevaricadores, os spotters estão no meio das claques, existe, ou devia existir, a obrigatoriedade de identificação dos membros dos GOA, ou dos adeptos do Benfica que não se querem constituir como associação.

Porque não se aplica a lei geral do estado, que exige a protecção de pessoas e bens pelas forças da ordem?

Dá muita confusão "meter-se" com as claques e os grandes clubes, por isso fazem-se exercícios de hipocrisia, como as do invisível secretário de Estado, o catavento Rebelo.

Louvo a coragem do presidente do Sporting em meter-se neste vespeiro, mas manda a verdade que nada foi feito até começar a contestação ao seu mandato.

Ou só descobriu que o chefe da claque era um criminoso agora?

Por mim, não havia claques há muito tempo.

Sem imagem de perfil

De RCL a 09.01.2020 às 18:10

Da vontade de rir relacionar as assistências com as claques.
- Em 1964 no jogo Sporting x Manchester United, o velhinho José Alvalade encheu (mais de 60 mil espetadores).
- Em 2001/2002 no ultimo jogo com o Beira Mar estiveram mais de 70.000
Desde fins da década de 60, quando comecei a frequentar o estádio, vi centenas de jogos com a lotação completa. Num jogo Sporting x Benfica tive de comprar um bilhete de peão na candonga que me rebentou com o orçamento do mês.
E nunca faltou apoio à equipa, ao sol, à chuva, lá estávamos a incentivar. Apenas por amor ao Sporting.
As claques serão algumas centenas, os sócios cento e tal mil mas adeptos são mais de 3 milhões. Não me sentia menos Sportinguista quando era apenas adepto.
Os sócios decidem o destino do clube os adeptos a sua glória.
SL

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo