Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

wlpartners.jpg

 

Segundo notícia no «Público», o Sporting vai empreender mudanças na sua estratégia de comunicação, tendo contratado, para o efeito, a empresa "WL Partners", administrada por Luís Bernardo, antigo jornalista e ex-assessor de António Guterres e José Sócrates.

 

Esta empresa, ao que consta, é "especializada em gestão de crises", e satisfaz os critérios de Bruno de Carvalho para lidar com a "forma preocupante e desgastante" como o Sporting é tratado pela "Comunicação Social e Opinion Makers".

 

A coordenação do novo gabinete de comunicação do Sporting, segundo o jornal, vai ficar a cargo de João Morgado Fernandes, disposição que vai ao encontro da informação que divulgámos ontem aqui no Camarote Leonino e que poderá explicar, em parte, pelo menos, esta tomada de decisão do Conselho Directivo do Sporting, ou para ser exacto, de Bruno de Carvalho.

 

wdiag.jpg

Não me vou alargar em comentário porque, para ser sincero, esta matéria não é do meu íntimo conhecimento, no entanto, não deixo de ficar com a sensação que o presidente está obcecado com tudo quanto é imagem, a começar pela sua, evidentemente, e que estará a levar esta obcecação a um extremo exagerado. Por outro lado, com tantas frentes de conflito, em simultâneo - diversas instigadas pelo próprio - terá realizado que não está devidamente equipado para lidar responsavelmente com todas. O que fica no ar, à espera de esclarecimento, são os benefícios para o Sporting em tudo isto, porque não me parece que seja necessário uma empresa "especializada em gestão de crises" apenas para combater a comunicação social e os "opinion makers". 

 

* Agradecemos a referência da notícia do "Público" ao nosso estimado leitor Zargo.

 

publicado às 03:50

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


56 comentários

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 18.02.2015 às 10:54

E assente nessa premissa, é uma empresa especializada em gestão de crises que vai proibir o A Bola e outros de publicarem o que muito bem entenderem ?

Estes órgãos da comunicação social, com a estratégia que descreve, só distraem as atenções dos incautos, porque a realidade é que o FC Porto joga hoje para a Liga dos Campeões e o Sporting joga amanhã para a Liga Europa.

Não meu caro, a questão é muito mais profunda do que isto e, como indico no post , veremos os supostos benefícios para o Sporting, porque não são transparentes. E não devemos ser ingénuos e pensar que não é a pessoa do Bruno que está no centro de toda esta preocupação estratégica.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 18.02.2015 às 13:37

Caro Rui,

Já temos falado diversas vezes sobre a mudança estratégica nos últimos tempos do jornal Record, que certamente teve a influência de BdC; portanto acho que é claro que o Sporting precisa de ter uma estratégia de comunicação externa bem definida, por forma a lutar contra este cancro que se chama "campanha anti-sporting e anti-BdC", ao qual muitos sportinguistas se juntam.

Respondendo à sua questão "E assente nessa premissa, é uma empresa especializada em gestão de crises que vai proibir o A Bola e outros de publicarem o que muito bem entenderem ?"
Comecei por dizer que ainda não entendi bem a função desta empresa, logo não critico nem aplaudo; apenas acho que é claro, que o Sporting deveria ter uma politica de comunicação externa mais profissional. Não é proibir as noticias, é transmitir a mesma noticia, mas de uma forma menos susceptível a más interpretações em que a nossa CS é perita...
Sem imagem de perfil

De Zargo a 18.02.2015 às 16:26

Schmeichel

Creio que não há razão para grande espanto no que se refere à alteração da linha redactorial do Record. Álvaro Sobrinho e família (os Madaleno) são proprietários de parte da Cofina, por sua vez detentora do Record. Por outro lado, Álvaro Sobrinho (através da Holdimo) é detentor de quase 30% das acções da SAD leonina, mas com as injeções de capital que entretanto realizou (ou que estão previstas) aproximar-se-á dos 40% do capital da SAD sportinguista.
Entretanto, à cautela, colocou um homem da sua confiança como administrador da SAD sportinguista: Paulo Antunes da Silva, cujo anúncio foi feito pelo próprio Bruno de Carvalho em Junho de 2013.

Receio que um dia acordaremos lá para 2025 (o tempo das VMOCs) com o Álvaro Sobrinho como “proprietário” do Sporting e Bruno de Carvalho o administrador nomeado para o Departamento de Futebol!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 18.02.2015 às 17:09

Zargo, obrigado pelo esclarecimento relativamente ao Record, vindo dar razão ao meu comentário sobre os vários interesses nos editoriais dos vários jornais desportivos.

Quanto aos seus receios das VMOC, não se esqueça do que se dizia sobre a sustentabilidade do Sporting em 2013... que era insustentável a divida, que não tínhamos liquidez, que seriamos o próximo Belenenses, etc.
Pela minha análise estamos melhor hoje do que estávamos à 2 anos atrás, pelo que não compartilho desse constante receio sobre BdC como se fosse Vale e Azevedo. Em termos concretos (sem análises a personalidades ou gostos pessoais), o Sporting passou de dois anos consecutivos de prejuízos anuais de 45M€ para um lucro residual... mas um lucro.
Isto são factos, não são meras análises à personalidade de BdC, que é o que se utiliza para atacar o Presidente. Eu como sportinguista lembro-me bem do clube que BdC apanhou... e do que somos hoje passados apenas 2 anos (fomos à Champions que não íamos à 6 anos; jogamos com 8 da formação; temos um canal do clube; vamos construir um pavilhão para as modalidades, etc.) agora imagine um Presidente alternativo a BdC, o que teria feito melhor? só vejo um aspecto em que tem de melhorar... comunicação! é que as forças anti's são muito fortes, ele tem de se aperceber disso, e não lhes dar balas, para eles atacarem constantemente o Sporting.
Sem imagem de perfil

De Zargo a 18.02.2015 às 19:19

Schemeichel
Concordo consigo quando afirma que estamos melhores do que há dois anos atrás. Entretanto foi feita uma reestruturação financeira e tomadas medidas de contenção que equilibraram relativamente a situação. Mas, como sabe, é tudo muito precário e conjuntural.
Calculo que tenha uma opinião diferente da minha, mas penso que se o Couceiro tivesse vencido as eleições estaríamos numa situação semelhante. A reestruturação foi a possível de acordo com os interesses dos bancos que não desejavam a falência do clube endividado. Aliás, o odiado Ricciardi passou depressa a compagnon de route!

É motivo de orgulho o Sporting jogar com 7 ou 8 jogadores da formação. Mas, aí, não é grande o mérito de BdC. O mérito é de quem apostou na Academia e trabalhou as jovens promessas permitindo que chegassem onde chegaram. BdC aproveita os louros com alarde excessivo.

O Schemeichel confunde não se gostar de BdC com ser-se anti-Sporting. A questão posta nesses termos é perigosa e profundamente totalitária. BdC preside transitoriamente, o Sporting é uma instituição permanente. Pensar como o Schmeichel formula é castrador e impeditivo de crítica, evolução e transformação. O poder necessita de vigilância crítica.
Calculo que sobre isto teremos opiniões contraditórias… mas de certa forma sempre foi assim. Recordo-me de tantos presidentes, como Brás Medeiros, Henrique Nazareth, Valadão Chagas, Amado de Freitas, João Rocha, Sousa Cintra, Roquette e os outros mais recentes. Todos mereceram a crítica livre e independente. Até o maior de todos, Salazar Carreira.
Imagine que alguns, pelo menos alguns poucos, não criticassem o poder vigente e houvesse um unanimismo sufocante. Seria péssima e com terríveis consequências a médio prazo. Na minha opinião não é o paradigma do Sporting.

O BdC sendo um presidente fracturante, não é pessoa de consensos. Será assim até ao final do último mandato. Verá.

Outra coisa é insinuar-se que se é anti-sportinguista por não se apoiar BdC. Aliás, isso levaria a uma conclusão preocupante: quantos sportinguistas é que haveria? E quem estabeleceria a “medida” exacta de sportinguismo? Olhe que nem o Cherba da Tasca se metia numa alhada dessas!

Cordialmente
Sem imagem de perfil

De Jose a 18.02.2015 às 17:40

Caro Zargo,

Até pode acontecer que um dia a maioria do Sporting SAD passe para as mãos do Sobrinho ou Holdimo. Não entendo é o seu espanto, afinal de contas era um cenário equacionado pelo outro candidato e pela linha Roquetista que a solução para o Sporting passava por perder a maioria da SAD.
Sem imagem de perfil

De Zargo a 18.02.2015 às 19:26

Amigo Jose

Se há alguém que defende que a maioria da SAD pode estar numa entidade diferente do Sporting não merece o meu apoio. Não conheço nenhum sportinguista com responsabilidades que tenha defendido essa posição. Se o Jose conhecer alguém que o tenha feito ficaria grato que me indicasse o momento em que essa pessoa aceitou e defendeu esse caminho para o Sporting.
Para mim é uma linha traçada no caminho: não darei o meu voto a quem o faça.

Cordialmente

Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 18.02.2015 às 20:06

Zargo, a questão é esta, fazer críticas construtivas estamos todos de acordo que é benéfíco para o clube, aliás responsabiliza mais quem dirige. Agora ver críticas constantes de sportinguistas, no fundo a fazer o papel destinado ao jornal abola, nunca dando o benefício da dúvida a um homem que cumpriu 95% do que prometeu, não me parece de sportinguista. dou valor aqueles que criticam BdC mas por outro lado também sabem elogiar o que de bom tem sido feito. Muitos esquecem do mais importante, ele cumpre, quantos podem dizer isso? Tem falhas? Tem e muitas.... mas creio que a guerra contra esta sistema podre que é o futebol português não podia ser feito por Couceiro, e esta era a única forma de romper, à força...
Sem imagem de perfil

De Zargo a 18.02.2015 às 21:55

Schemeichel

O amigo refere-se a críticas “construtivas” e “destrutivas”. Reconhecerá que está no domínio da subjectividade e da relatividade absoluta. As críticas de Bruno de Carvalho a Godinho Lopes entre 2011 e 2013 eram construtivas ou destrutivas? Não sei, nem me parece que seja importante. BdC não concordava com GL e não era meigo nas palavras.

Escrevo, essencialmente, aqui no Camarote e no A Norte de Alvalade. Sou crítico de BdC. Alguns dirão: destrutivo, sempre a deitar abaixo. Mas, também, já me têm dito: uma crítica pertinente e apropriada. Depende do receptor, creio.
Não diga “não me parece de sportinguista” que lhe fica mal. É um anátema que lança sobre alguém que não conhece e que não sabe a fundamentação. Sportinguista é todo aquele que vibra com o percurso desportivo do Sporting e que o clube integra a sua memória pessoal e o seu percurso de vida. Para mim, é quanto basta.

Eu sei que por vezes admiramos profundamente alguém e surpreendemo-nos por outros não perceberem a obra que está a construir. Sempre foi assim, Schemeichel, é inerente à natureza humana: a complexidade e o paradoxo. Não há nada a fazer.
Sempre procurei encontrar virtualidades em BdC. A primeira de todas é de ter conseguido acabar com uma dinastia roquettiana que se prolongava à frente dos destinos do Sporting. Mas, deve-se dizer, BdC nunca esteve na acção contestária e reflexiva que decorreu no Sporting até 2011 que criticava a filosofia de empresarialização que estava em curso no nosso clube. BdC cavalgou uma onda para a qual não contribuiu. Mas, o que é certo que BdC estava no sítio certo no momento certo.

Apesar de simpatizar com Couceiro não imagino o que seria o mandato presidencial, mas estou convicto que seria mais profícuo do que BdC nas rupturas indispensáveis no futebol português. Penso que um dia se verificará que pouco ou nada restará da luta de BdC pela reforma do futebol porque a sua luta não possui uma base negociada e assumida por outros partipantes.

Cordialmente
Sem imagem de perfil

De L a 19.02.2015 às 00:26

Com tantos investidores entregar a chave tão depressa é muito mais que 95%. Por isso é que já estão aí os novos especialistas em campanhas eleitorais. Até porque com tantas boas notícias a caminho o melhor é começar já outro mandato. Entretanto parece que o Quintela está a dar luta e ainda bem. Só para mudar outra vez os cartões de sócio do Sporting é nosso outra vez para Sportem eram mais não sei quantas contratações cirúrgicas.
Sem imagem de perfil

De jose a 18.02.2015 às 22:59

Caro Zargo,

É com espanto que leio que não tinha conhecimento de pessoas com responsabilidade no sporting e que defendiam a perda da maioria da Sad.

A maioria dos dirigentes designados linha Roquete inclusive o José Couceiro e outros designados de notáveis, de uma forma directa ou indirecta admitiam a perda da maioria da Sad. uns diziam mesmo que o sporting não tinha solução sem a perda da maioria.

Para lhe dar um exemplo, Soares Franco chegou até a assumir com todas as letras que queria "um clube só de futebol, sem sócios mas com adeptos que não se intrometam na gestão nem tenham voto nas eleições dos corpos sociais".

http://economico.sapo.pt/noticias/paiva-dos-santos-admite-perda-de-maioria-da-sad_162683.html

http://www.maisfutebol.iol.pt/sporting-sad-ricciardi-jose-maria-ricciardi-vmocs-bancos/520b70363004bc615fd22347.html

Entre muitas razões porque votei no BdC, uma delas é que assegurava que a maioria da sad pertenceria ao SCP.

Pergunte ao Sr Rui, autor deste blogue, que esclarecerá as suas dúvidas.
Sem imagem de perfil

De Zargo a 19.02.2015 às 09:15

Jose

O Paiva dos Santos não é pessoa que me faça levantar da cadeira. Nunca o apoiei. O Ricciardi que já foi grande apoiante do Godinho é agora compagnon de route do Bruno. A opinião dele é perigosa porque tem poder no Sporting.
O Couceiro não apoiava a perda da maioria da SAD, mas reconheço que não defendeu com suficiente energia que a maioria continuasse no Sporting.
O Bruno defendia, com ar compungido, que o Sporting devia ter 51% da SAD, coisa que cederia no momento seguinte e lavava as mãos como Pilatos. O cínico do Ricciardi, amigo do Bruno, explicou que um investidor que avançasse era para conseguir a maioria na SAD.
Concluo que nem o Couceiro nem o Bruno me inspiram confiança nessa matéria.

Agora, o grande perigo reside em Álvaro Sobrinho que, na sombra, trabalha com duas linhas orientadoras:
- conseguir a maioria da SAD;
- se não alcançar este objectivo por ter de ser aprovado em Ass. Geral, candidatar-se à presidência do Sporting.

Num aspecto estou de acordo com o José: grandes perigos espreitam o Sporting!

Cordialmente
Sem imagem de perfil

De jose a 19.02.2015 às 11:40

Caro Zargo,

Tente ser mais claro nas suas opiniões. Inicialmente dizia que não conhecia ninguém com responsabilidade que defendesse a maioria da Sad, agora já apresenta mudança de opinião.

Eu vou repetir o que já escrevi, todos os candidatos ou pré-candidatos nas últimas eleições, exceptuando o BdC, defendiam a perda da maioria da Sad. Ao contrario de si, não me recordo de momento um ex dirigente ou “notável” que não defendesse a perda da maioria , uns porque achavam que os sócios não tinham que meter o nariz como era o exemplo do Soares Franco, outros porque achavam que face a destruição total do sporting, a solução passava por encontrar alguém que ficasse com a maioria.

Não diga que o josé couceiro não defendia perda da maioria porque isso não é verdade. Faça uma pesquisa pela net e penso que ainda encontrará as suas ideias acerca deste tema. Ele defendia com todas as letras a perda da maioria da sad, apenas acrescentava, desde que os interesses do sporting fossem defendidos, isto não é acrescentar nada. Aliás, nem podia ter outra opinião porque o seu apoiante financeiro era o Ricciardi.

Não sei se é sócio e se votou, caso tenha votado, pelos seus comentários votou no JC e isso faz-me confusão porque no seu comentário anterior dizia que qualquer candidato que defendesse a perda da maioria da sad não merecia o seu apoio. Como é que ficamos?

O Ricciardi era provavelmente o rosto com mais poder no sporting a seguir a presidência do Roquete e seguramente que foi no consulado do JEB e GL.
Não é pelo facto do Ricciardi ter feito elogios ao BdC que agora passa a ser uma persona no grata. Costuma-se dizer que só não muda de ideias os burros.
Sem imagem de perfil

De Zargo a 19.02.2015 às 13:06

Jose
Reconheço que não fui claro ao referir-me, em geral, a sportinguistas com responsabilidades. Claro que haverá opiniões para tudo entre sportinguistas com responsabilidades. Na realidade, o que eu tinha presente eram as posições de Bruno de Carvalho e de José Couceiro. Recordo-me que o assunto da SAD e respectiva maioria foi abordado na campanha eleitoral. BdC defendeu como última hipótese os 51% para o Sporting e JC manifestou receio que o Sporting perdesse a maioria na SAD em virtude da situação financeira.
Na altura, entre amigos, lamentei que JC não revelasse maior ousadia e coragem, mas não conheço qualquer declaração em que JC tivesse defendido a perda da maioria. O Jose reconhecerá que não é a mesma coisa que afirmou no seu comentário. No entanto, se me fornecer um texto onde JC defende a perda da maioria da SAD pelo Sporting eu darei a mão à palmatória.

No meu caso pessoal, como BdC não me inspirava confiança fiquei preocupado com o cepticismo de JC, preocupação que mantenho actualmente.
O Ricciardi é um crápula que corre atrás do poder e de quem o exerce. Neste momento o BdC é o “seu homem”.

Sou sócio do Sporting, mas interrompi o pagamento de quotas durante algum tempo. A distância e o desencanto com a Direcção da altura levaram-se a interromper a quotização. Estive no estrangeiro, regressei para viver longe de Lisboa, pelo que não exerci o direito de voto em 2011 e 2013. Se votasse em 2013 provavelmente seria o JC o meu escolhido.

Cordialmente
Sem imagem de perfil

De jose a 19.02.2015 às 17:22

Caro Zargo,

Infelizmente, tenho que lhe dizer que também tive esses sentimentos de tristeza e frustração. Já não bastava a bola entrar, ainda tivemos que levar com dirigentes que além de não defender o Sporting estoiravam dinheiro ao seu bel-prazer, o nosso clube era gozado por tudo o lado...

Quanto ao José couceiro, não vale a pena perdermos mais tempo com este tema,
Nas últimas eleições havia um candidato que de forma clara defendia maioria da sad para o Sporting e o jose couceiro defendia a perda da maioria da sad. Nas entrevistas que foi dando por vezes escondia-se, não respondendo de forma directa, outras era resposta que logo se veria e outras de forma mais clara com uma estratégia de não perder votos.

Mas se você já não se lembra, basta pensar que o Ricciardi, o rosto que estava por trás da sua candidatura, para perceber que o Sporting iria perder a maioria. Tem dúvida sobre isto?

Quanto ao Ricciardi, se na altura que apoiava o José Couceiro não era um crápula passou a ser crápula depois de elogiar o trabalho do BdC?

O Ricciardi, na minha opinião teve um papel importante no sporting, arranjou dinheiro para o clube, o problema foi a incompetência dos dirigentes. Lembro-me de uma frase dele no tempo do JEB: “o problema do Sporting nunca foi a falta de dinheiro…” e é verdade, houve dinheiro a mais e estoiraram tudo.

Sem imagem de perfil

De Zargo a 19.02.2015 às 17:34

Caro Jose

Continuo à espera de uma declaração de José Couceiro onde ele defendesse que a maioria da SAD deveria estar em entidades particulares. Recordo que lhe disse que considerei o Couceiro pouco corajoso neste aspecto, que devia ser mais ambicioso.
De qualquer modo, o JC pertence ao passado, se não encontrar a malfadada declaração do JC também não vale a pena voltar ao assunto..

Ao presente pertence o BdC: aguardo com interesse e ansiedade a estratégia que vai levar a cabo para que o Sporting não perca a maioria na SAD. O tempo urge e em 2025 tudo pode estar consumado.

Quanto ao Ricciardi e a outros que tais digo-lhe o seguinte: é gente que não prezo e a quem não aperto a mão. Estejam onde estiverem. Não mudo ao som do foguetório por razões tácticas ou estratégicas. Um crápula é sempre um crápula.

Sporting Sempre (a bela e adequada palavra de ordem da Ofensiva 1906)
Sem imagem de perfil

De jose a 19.02.2015 às 20:10

Caro Zargo,
Parece-me que não acompanhou as últimas eleições, não vou perder tempo a procura de entrevistas do jose couceiro enquanto candidato. Se continua com dúvidas, faça o seguinte, procure declarações em que o jose couceiro era contra a perda da maioria da sad.

Quanto ao futuro, como diz o ditado popular a Deus pertence. Vai depender acima de tudo do sucesso desportivo e não fazia mal nenhum se houvesse mais união a volta do sporting, maior adesão dos adeptos e permita-me que lhe sugira, volte as pagar quotas mesmo sabendo que a vida não está bem para a maioria dos portugueses.
Sem imagem de perfil

De Zargo a 19.02.2015 às 21:30

Jose

Acompanhei as últimas eleições à distância. Mas, hoje em dia com toda a panóplia de meios informativos, a distância não constitui obstáculo para se saber o que decorreu.

O Jose é que foi buscar uma história diabólica a propósito de posições do Couceiro sobre a maioria da SAD. Eu disse-lhe o que sabia. O Jose disse que não assim. Fez bluff. Pedi-lhe para me fornecer uma declaração do Couceiro a defender a maioria da SAD por particulares... e o Jose diz-me para procurar na net.
Ora, quem fez a afirmação é que a deve demonstrar!

Para tirar dúvidas envio uma notícia do Público sobre a questão da maioria na SAD:
http://www.publico.pt/desporto/noticia/candidatos-a-presidencia-do-sporting-nao-revelaram-investidores-1588385

Declaração de grande dignadade de José Couceiro após o acto eleitoral:
http://www.publico.pt/desporto/noticia/jose-couceiro-listas-devem-diluirse-apos-o-acto-eleitoral-1588879



Sem imagem de perfil

De jose a 19.02.2015 às 23:17

Caro Zargo,

Há coisas que tenho dificuldade em compreende-lo.

Quem comentou e afirmou que não conhecia nenhum responsável que era a favor da perda da maioria da sad foi o Zargo e eu de imediato enviei dois links. Um com a opinião do Ricciardi que era o grande apoiante do Jose Couceiro. E outro do Paiva dos Santos.

Face ao que enviei, pede mais detalhes. Não esteja a espera que ande a procura de links para lhe enviar, daí que inverti, pedi-lhe que me envia-se uma declaração do JC que fosse contra a perda da maioria, algo que não vai encontrar.

Bem, o link que me enviou no terceiro paragrafo vai na linha do Ricciard, este diz que o sporting tem de se preparar para perder o control da sad e no terceiro paragrafo do link que me enviou diz:
“... Pelo contrário, José Couceiro encara a perda da maioria de capital como uma possibilidade... “

Para concluir leu alguma declaração em que o Jose Couceiro fosse contra?

Veja o link a seguir e leia o segundo paragrafo do autor Rui Gomes.
http://camaroteleonino.blogs.sapo.pt/256073.html
Sem imagem de perfil

De Zargo a 20.02.2015 às 09:40

Caro, José

Como eu também tenho dificuldade em compreendê-lo, nomeadamente à forma como leva a conversa que lhe interessa, ficamos por aqui.

Concluindo: o Jose todo ufano afirmou que o Couceiro DEFENDIA que a maioria da SAD poderia estar em outras mãos que não o Sporting. Eu disse-lhe que não conhecia essa posição do Couceiro e pedi-lhe a prova. Acrescentei que daria a mão à palmatória. Você vai buscar dois gajos nada recomendáveis. Um deles anda assessorar o divino Bruno.
Em suma, eu falo de alhos e você de bugalhos.

Até um dia destes
Sem imagem de perfil

De jose a 20.02.2015 às 11:17

O caro Zargo não quer ver o que é evidente.

Tenho falado sempre no mesmo tema: perda da maioria da Sad.
Repito, grande parte dos apoiantes da linha designada roquetista ou continuidade aceita ou aceitava já que as coisas mudaram com a reestruturação financeira, a perda da maioria da sad.

Sobre os candidatos das ultimas eleições, BdC era contra a perda da maioria o que fez ganhar alguns votos e o Jose Couceiro aceitava a perda da maioria.

O link que me enviou para si não é claro que o jose couceiro aceitava a perda da maioria? Leu o paragrafo que o Rui Gomes escreveu sobre o Dias Ferreira e o jose couceiro?

http://camaroteleonino.blogs.sapo.pt/256073.html

"... Sabemos que Dias Ferreira é apologista, há muito, de investimento substancial na SAD e que a perda da maioria de capital pelo Sporting não o preocupa. Disposições semelhantes às de José Couceiro. ..."

Acha que o rui gomes ia opinar desta forma sobre o jose couceiro de forma gratuita?
Será que continua achar que o jose couceiro era cotnra a perda da maioria?

Sem imagem de perfil

De Zargo a 20.02.2015 às 15:51

Caro amigo Jose

O Jose persiste na manipulação das palavras e agora enveredou por um tom paternalista que é particularmente irritante. Aproveitou uma falta de rigor da minha parte, que em devido tempo corrigi, para insistir no mesmo. Creio que é assunto encerrado, até porque se por acaso me fornecer uma declaração de José Couceiro em que preconizava a maioria da SAD por particulares reconhecerei ter-me equivocado quando considerei que constituía uma alternativa para o Sporting. É tudo.
Não interessa entrar no terreno de suposições que nada acrescentam.

É uma ironia que um crente do “Divino que fala a uma só voz” recorra a uma opinião do Sr. Rui Gomes nesta querela. O Jose não sonha com o percurso do Rui Gomes no Sporting, pois ainda usava cueiros e já o Rui Gomes servia o nosso clube. Com a ascensão do Divino ao poder o Rui Gomes tornou-se “persona non grata” e foi despachado e substituído por fulanos que confundem os “5 violinos” com uma sinfonia de Beethoven. Eu e o Rui temos divergências sobre o Sporting, mas são resolvidas sem anátemas.

Peço-lhe que, futuramente, não me confunda com a presidência de Roquette e seus sucessores. Nunca alinhei por aí, pois o meu espaço nos últimos 12 anos foi o da Ofensiva 1906 e da Associação dos Adeptos Sportinguistas que lhe sucedeu. Grupo minoritário, é certo, mas que nunca deixou de combater a mistificação que era prometida aos sportinguistas por pseudo visionários endeusados e que se tornou num lodaçal financeiro e desportivo. Neste fim de semana não estarei no “Pensar Sporting 2015”, no Hotel Lutécia, porque vivo longe de Lisboa e com compromissos que não me permitem ir.

Um pouco mais acima escrevi ao Schmeichel: “Sempre procurei encontrar virtualidades em BdC. A primeira de todas é de ter conseguido acabar com uma dinastia roquettiana que se prolongava à frente dos destinos do Sporting. Mas, deve-se dizer, BdC nunca esteve na acção contestária e reflexiva que decorreu no Sporting até 2011 que criticava a filosofia de empresarialização que estava em curso no nosso clube. BdC cavalgou uma onda para a qual não contribuiu. Mas, o que é certo que BdC estava no sítio certo no momento certo.”
Isto seria outra conversa que poderemos guardar para mais tarde.

Sobre BdC e a maioria na SAD ainda vai correr muita água. Espero que ele esteja à altura das suas responsabilidades e que não enverede por manobra manhosas.

Cordialmente

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo