Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

naom_5af1cc56dc2dd.jpg

 

Na realidade, estas estatísticas originam com a Agência Lusa sob o título "Benfica foi a equipa mais DISCIPLINADA dos três grandes", título este obviamente incorrecto, por razões de registo.

 

A combinação de emails, vouchers, toupeiras e afins resultaram em pleno, muito embora, mesmo assim, não tenham sido o suficiente para garantir o ambicionado penta. Deu, no entanto, para os milhões da Champions, que já não é mau de todo.

 

O clube da Luz, na edição 2017/18 da Liga NOS, somou 59 cartões, comparado com os 105 do Feirense, que fica como o conjunto mais punido disciplinarmente.

 

Dos 59 cartões, 58 foram amarelos e apenas um vermelho, por acumulação, visto por Zivkovic no jogo com o FC Porto, no Dragão. Ou seja, nenhum jogador encarnado foi expulso directamente neste campeonato. O único alvo de sanção mais severa através de um processo sumaríssimo, Rúben Dias, pela (NÃO) cotovelada a Gelson Martins, viu o seu castigo de dois jogos ser anulado pelo Conselho de Disciplina.

 

O médio sérvio Fejsa, com oito amarelos, e o lateral direito André Almeida, com sete, foram os jogadores do Benfica mais vezes 'castigados' pelos árbitros. Deve haver algo nos Regulamentos a proibir a expulsão de laterais do clube da Luz, especialmente aqueles que jogam do lado direito. Antes de André Almeida escapar 'milagrosamente' a expulsão - apesar das várias ocasiões em que essa punição era justa e merecida - tivemos o notório Maxi Pereira. Nem sequer dá para fazer referência a centrais, nomeadamente Luisão, jogador este também com estatuto especial na Liga.

O Chaves, com 60 cartões (57 amarelos, um vermelho por acumulação e dois directos), acabou no segundo lugar, seguido pelos outros dois 'grandes', o FC Porto, com 65 admoestações, e o Sporting, com 67.

O mexicano Herrera, no FC Porto, e o argentino Acuña e Fábio Coentrão, no Sporting, viram, cada qual, sete cartões amarelos.

No que respeita aos mais punidos disciplinarmente, o Feirense foi o único que fechou a prova com mais de 100 cartões, ao totalizar 105, incluindo uma centena de amarelos, mas o Paços de Ferreira, com 99, e o Boavista, com 93, ficaram por perto.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:08

As contas do último dia de 2017/18

Rui Gomes, em 13.05.18

 

FGN724-0.jpg

 

A Liga NOS termina hoje e se o título de campeão já está entregue ao FC Porto - salvo se o Benfica impugnar o campeonato -, o 2.º lugar e a despromoção de equipas ainda está por definir:

SPORTING FICA EM 2.º SE...

- Vencer o Marítimo
- Empatar e o Benfica não ganhar ao Moreirense
- Perder, o Benfica também perder e o SC Braga não ganhar ao Rio Ave

 

BENFICA FICA EM 2.º SE...
 

- Vencer e o Sporting não ganhar ao Marítimo
- Empatar e o Sporting perder
- Terminar com o mesmo número de pontos que Sporting e SC Braga

Tudo por decidir no 'fundo' da tabela classificativa...
 
Um cenário excepcional em que está tudo ainda por decidir na última jornada nas contas de despromoção, com Estoril Praia, Vitória de Setúbal, Paços de Ferreira, Feirense e Moreirense ainda na luta final.
 
No que diz respeito ao apuramento para as provas europeias, o FC Porto está qualificado directamente para a fase de grupos da Liga dos Campeões.
 
Sporting e Benfica lutam para poderem disputar a 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões. O que disputar e vencer essa eliminatória, terá também de triunfar no play-off, para chegar aos milhões da fase de grupos.
 
O terceiro qualificado disputará a Liga Europa e poderá qualificar-se directamente para a fase de grupos se o Sporting assegurar o 2.º lugar e vencer a Taça de Portugal.
 
O quarto classificado disputará a Liga Europa.
 
O quinto classificado - Rio Ave - disputará a Liga Europa se o Sporting assegurar o 2.º lugar e vencer a Taça de Portugal.
 
O vencedor da Taça de Portugal qualifica-se directamente para a fase de grupos da Liga Europa.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

 

img_FanaticaBig$2018_03_16_08_48_59_1375716.jpg

 

Ao garantir a presença nos quartos-de-final da Liga Europa, o Sporting vai disputar, pelo menos, 59 jogos oficiais na presente época, um recorde para as equipas portuguesas.

 

O anterior recorde pertencia ao clube da Luz que, em 2013/14, terminou a época com 57 encontros. Convém sublinhar que na origem deste registo está Jorge Jesus, que orientava as águias na época acima citada, e acabou por chegar à final da Liga Europa onde perdeu frente ao Sevilha, nos penáltis.

 

Resta acrescentar que o Sporting ainda pode chegar à marca dos 60 jogos. Para isso terá de passar à meia-final da Liga Europa, ou eliminar o FC Porto na Taça de Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:20

 

jose_fontelas_gomes_conselho_de_arbitragem_foto_an

 

O vídeo-árbitro (VAR) analisou, esta época, 991 situações de dúvida em jogos da Primeira Liga, em ano de estreia do polémico meio de auxílio tecnológico aos juízes. Das quase mil ocorrências, apenas se registaram 41 revisões, das quais 28 resultaram em decisão corrigida.

 

Os dados constam do balanço feito pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol junto dos clubes da Primeira Liga, num encontro realizado esta quinta-feira, em Fátima e que contou com 16 dos 18 emblemas.

 

A tabela apresentada pelo órgão presidido por José Fontelas Gomes permite concluir que a maior parte das análises do VAR foram a golos, num total de 441 lances deste género que mereceram escrutínio do VAR.

 

No total, em 153 jogos realizados até à 17ª jornada do campeonato (primeira volta), houve as tais 41 revisões, com 28 correcções de decisão. E, dessas reversões, 17 são referentes a golos, 10 a cartões vermelhos e 14 a pénaltis.

 

Para além dos dados divulgados, o CA da FPF manifesta-se ainda favorável à introdução das linhas de fora-de-jogo, para apoio do VAR, sempre e quando tal solução seja possível em todos os estádios e que a própria tecnologia seja devidamente validada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:45

 

ANKUHPYP.jpg

 

Estamos na contagem decrescente para o arranque do «derby» entre Benfica e Sporting e o jogo no Estádio da Luz já ‘aquece’ à espera do que vão fazer as formações orientadas por Jorge Jesus e Rui Vitória. Em jeito de antevisão do encontro entre ‘águias’ e ‘leões’ recordamos o percurso do Sporting até ao encontro da 16.ª jornada da Primeira Liga.

 

A equipa leonina chega ao duelo desta quarta-feira no segundo lugar, com os mesmos 39 pontos que o líder FC Porto, que esta jornada visita o Feirense, e com três pontos de vantagem sobre o Benfica, que ocupa a terceira posição. Na terceira temporada ao serviço do Sporting, Jorge Jesus procura chegar ao título que escapa aos ‘leões’ desde 2001/02. Em caso de triunfo na Luz, passam a ser seis os pontos de distância entre os rivais da Segunda Circular, mas em caso de derrota ou empate, poderá perder terreno para o FC Porto.

 

À entrada da 16.ª jornada, o Sporting ainda não perdeu qualquer jogo para o campeonato. De resto, entrou a todo o gás na Primeira Liga, somando seis triunfos consecutivos, três dos quais sem sofrer qualquer golo: Desportivo das Aves (2-0), Vitória de Setúbal (1-0), Vitória de Guimarães (5-0), Estoril (2-1), Feirense (3-2) e Tondela (2-0).

 

A equipa de Alvalade não podia desejar melhor início de época, mas à 7.ª jornada chegou a primeira ‘escorregadela’: empatou a uma bola no terreno do Moreirense. A formação de Jorge Jesus até chegou a estar em desvantagem, mas um autogolo de Aberhoun devolveu a igualdade aos visitantes. Ainda assim, apresentava o melhor registo desde 1994/95, época em que também começou o campeonato com seis triunfos e um empate.

 

Foi no final de Setembro que o ‘balão’ do Sporting começou a esvaziar um pouco nas últimas semanas, período em que averbou três jogos consecutivos sem vencer: além do empate em Moreira de Cónegos, ficou-se por um ‘nulo’ na recepção ao Marítimo, para a Taça da Liga, e perdeu em casa por 1-0, com o Barcelona, para a Liga dos Campeões.

 

r.jpg

 

Seguiu-se o nulo no clássico com o FC Porto, em Alvalade, jogo que ficou marcado por uma excelente exibição de Rui Patrício. O Sporting voltaria aos triunfos na jornada seguinte, ao golear o Chaves por 5-1, encontro que ficou marcado por outro regresso, o de Bas Dost aos golos. Após um triunfo suado no terreno do Rio Ave (1-0), os ‘leões’ voltariam a ceder novo empate (2-2) na recepção ao SC Braga, na 11.ª jornada.

 

A partir daí, o Sporting encarreirou quatro vitórias seguidas, da 12.ª à 15.ª jornada (frente a Paços de Ferreira, Belenenses, Boavista e Portimonense), chegando agora ao «derby» na Luz num bom momento e com a equipa já mais entrosada.

 

O Sporting falhou o apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões, mas conseguiu deixar boas indicações frente a colossos como Barcelona e Juventus, e acabou mesmo por garantir a presença nos 16avos de final da Liga Europa – vai agora defrontar o Astana.

 

Para além das provas europeias, a equipa de Jorge Jesus continua ‘viva’ na Taça de Portugal – defronta o Cova da Piedade nos quartos de final - e vai disputar as meias-finais da Taça da Liga no final de Janeiro, frente ao FC Porto. Aliás, com o empate no Restelo, para a última ronda da prova, o Sporting vira o ano civil sem qualquer derrota nas provas nacionais, algo que não acontecia desde a época 1994/95.

 

A igualdade com o Belenenses, de resto quebrou ainda um jejum de seis épocas sem chegar às meias-finais da competição. A última vez tinha sido em 2011/12

 

No que toca ao registo de golos no campeonato, de referir que o Sporting conta com 32 remates certeiros, menos cinco que o Benfica, mas sofreu menos um golo que o rival, contabilizando um total de 9 golos sofridos.

 

imgS620I177815T20171217170132.jpg

 

Apesar de não tão letal como na temporada passada, Bas Dost continua com a pontaria afinada, somando 13 golos para o campeonato – só tem Jonas à sua frente no ranking de goleadores da Primeira Liga. O avançado holandês, recorde-se, apontou o golo do Sporting no último clássico na Luz (derrota por 2-1) e é um alvo a ‘abater’ por parte dos defesas ‘encarnados’.

 

Não obstante a segurança de Rui Patrício na baliza e a irreverência de Gelson Martins no ataque, o destaque vai para Bruno Fernandes. Contratado à Sampdória no último Verão, o médio português soma já sete golos e seis assistências, e é um dos talismãs de Jorge Jesus. É ele quem faz girar o jogo dos ‘leões’ e é nele que assenta grande parte da estratégia da equipa. Marcos Acuña também será um jogador a ter em conta por parte do Benfica.

 

De referir que este «derby» marca o reencontro de Fábio Coentrão com os ‘encarnados’, clube que representou durante o período de 2007 a 2011, com alguns empréstimos pelo meio, nomeadamente sob o comando de Jorge Jesus. Agora de leão ao peito, a chegada do defesa levantou dúvidas quanto ao seu estado físico mas até à selecção já regressou e, pese um ou outro percalço, tem jogado sempre.

 

Desde que iniciou a carreira de treinador, Jorge Jesus cruzou-se com o Benfica, equipa que orientou entre 2009 e 2015, em 22 ocasiões (no somatório de todas as provas), tendo vencido os ‘encarnados’ por seis vezes, três delas já ao serviço do Sporting, em 2015/16: 1-0 na Supertaça; 3-0 na visita à Luz, para o campeonato; e 2-1 (após prolongamento) na quarta eliminatória da Taça de Portugal, em Alvalade.

 

O técnico ‘leonino’ soma ainda um empate e 15 derrotas frente às ‘águias’. O último desaire aconteceu na temporada passada, na derrota por 2-1 no Estádio da Luz, para o campeonato, jogo que motivou que motivou muitas críticas à actuação do árbitro Jorge Sousa. A única igualdade também ocorreu na época transacta, no empate por 1-1 em Alvalade, em que um golo de livre de Victor Lindelof estragou a festa da vitória aos sportinguistas.

 

De resto, Jorge Jesus já teve oportunidade de vencer o Benfica ao serviço do Estrela da Amadora, União de Leiria e Belenenses.

 

No que toca ao histórico de confrontos entre as duas equipas, de referir que o Benfica soma mais 22 triunfos do que o Sporting num total de 300 duelos disputados até ao momento. Os ‘encarnados’ somam assim 130 vitórias, contra 108 dos ‘leões’, num duelo que exibe ainda 62 igualdades. Especificamente no Estádio da Luz, o Sporting conta com 32 vitórias, 32 empates e 82 derrotas.

 

O capítulo 301 desta rivalidade histórica está marcado para esta quarta-feira, a partir das 21h30.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

 

jesualdo-ferreira.jpg

1 - Há razões para acreditar que vamos ter um campeonato competitivo, a avaliar pelas primeiras jornadas disputadas, embora seja sempre com reservas que se faz este tipo de afirmação, porque o período em análise é curto, mas são bons os indicadores. Imagino que ontem, em Vila do Conde, os jornais tenham vendido bem. Este início do Rio Ave, três jogos, três vitórias, é um registo excelente, de uma equipa que mudou de treinador, tem alguns jogadores novos, fez boas vendas, mas não alterou a filosofia na competição: jogar para ganhar sempre. E este Rio Ave teve, até agora, um início irrepreensível, num campeonato que não me parece que venha a ter novidades ao nível das candidaturas ao título, porque o Braga não tem ainda os seus processos bem definidos e o V. Guimarães procura reencontrar e solidificar o bom caminho que percorreu na época passada.Na busca de processos e na procura de reencontrar os caminhos perde-se tempo que é precioso na luta por um título que impõe regularidade. Porque têm outras armas mesmo quando não partem confortáveis, os tradicionais grandes não lutam com este tipo de problemas, mas também têm engulhos...

 

2 - O Sporting não fez grandes resultados na pré-época, o que não é importante, mas é bom fazê-los. Ainda à procura de uma identidade, tem tido algumas dificuldades em vencer e na Liga dos Campeões não teve o melhor resultado, frente a um Steaua que é atrevido, que vai ser ousado no jogo da segunda mão, mas, ainda assim, acredito que o Sporting vai passar porque tem armas para isso e tem melhor futebol, logo está mais perto de vencer. À procura de uma identidade também se perde algum tempo, era a isso que me referia quando falava de alguns engulhos, mesmo para quem tem armas importantes. O Sporting continua a lutar ainda com a (in)definição final do plantel e que envolve jogadores importantes como William ou Adrian. Não é bom e não é confortável para o treinador. Também há indefinição na Luz, principalmente na defesa, mas a máquina ofensiva que é o Benfica dá para disfarçar muita coisa. E tem uma figura, inquestionável. Seferovic foi uma excelente aquisição, não engana. É um jogador que facilmente se encontra com os golos, para lá do entendimento que possa ter com Jonas ou com outro qualquer companheiro. Ele é ponta de lança, homem-golo.

 

3 - É de outro ponta de lança que aqui falo agora: Aboubakar. É um regresso que tem de se saudar. Quando partiu, fê-lo sem poder demonstrar aquilo que já parecia ser, um bom ponta de lança. Tem faro pelo golo, é combativo, forte e trabalhador, um jogador como este FC Porto precisava. Curiosamente, nos méritos deste FC Porto toda a Comunicação Social vai atribuindo responsabilidades ao treinador. É interessante que assim seja, e é justo também, porque Sérgio Conceição soube dar uma volta num plantel que parecia perdido e que está a ser uma das revelações deste início de época. Tenho a certeza de que Sérgio Conceição gostaria de apresentar uma lista de reforços, teria sido bem mais confortável para ele, mas acredito que as limitações que lhe foram impostas por razões que todos conhecemos o obrigaram a dar ainda mais de si próprio, a puxar também pela imaginação. Os jogadores dão o melhor de si, vê-se que estão motivados e que jogam com alegria, e isso também tem a ver com o treinador.

 

 

Autor do texto: Jesualdo Ferreira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:25

Campeonato começa numa quarta-feira

Rui Gomes, em 13.06.17

 

futebol_liga_bola_foto_manuel_de_almeida7641aae9_b

 

A Liga Portugal divulgou, esta segunda-feira, o calendário desportivo da época 2017/18.

 

Entre as várias datas de início e fim de competições, salta a vista o arranque da Primeira Liga, agendado para 9 de Agosto, uma quarta-feira.

 

A Segunda Liga começa poucos dias antes, a 6 de Agosto, um domingo.

 

A última jornada das duas competições está marcada para 13 de Maio, um domingo.

 

Quanto à Taça de Portugal, começa a ser disputada a 3 de Setembro, com final agendada para 20 de Maio, um domingo.

 

Consulte, aqui, o calendário da época divulgado pela Liga Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:15

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo