Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



1024px-Alvalade0023.jpg

O jogo amigável entre as selecções de Portugal e Espanha, agendado para esta quarta-feira, pelas 19h45, vai preencher 5% da lotação do Estádio José Alvalade. 

Foram distribuídos, via online, 2500 bilhetes para a partida. Os ingressos são nominais, isto é, cada adepto está devidamente identificado, pois a cada bilhete corresponde um email com os respectivos contactos de quem estará no estádio. 

Os bilhetes são destinados a adeptos do clube de fãs das selecções Portugal +, parceiros e família do futebol.

É absolutamente obrigatório o uso permanente de máscara, estarão disponíveis vários pontos de higienização das mãos nas entradas do estádio, onde será feito o controlo da temperatura (quem apresente igual ou superior a 38 graus não terá autorização para entrar). 

Os lugares foram atribuídos com o distanciamento físico e a entrada é desaconselhada a crianças, a pessoas com mobilidade reduzida ou pertencentes a grupo de risco para a COVID-19.

Os contactos dos adeptos presentes poderão ser, em caso de necessidade epidemiológica, disponibilizados às Autoridades de Saúde.

Em termos práticos e tendo sempre em conta a segurança de todos os presentes, foram desenhados perímetros de circulação bem definidos, com sinalética abundante e clara. A entrada dos espectadores será efectuada por várias portas, respeitando o distanciamento físico. Não haverá serviço de bar (a venda de produtos será feita ao lugar), nem guarda objectos.

Os adeptos com bilhete podem entrar no estádio a partir das 18h00.

publicado às 16:21

img_1280x720$2020_04_14_02_35_31_936750.jpg

A questão dos adeptos nos campos é polémica e complexa. O comportamento dos adeptos, pelo menos, de parte, é incontrolável dentro do campo. Teria de haver um controlo muito apertado, que exige bastantes meios. Mas a melhor prova é fazer a experiência.

Quando não se está no centro do furação é muito fácil acusar quem tem de lidar com ele. Não houve nenhum milagre português, e nem me parece que essa ideia fosse propalada, sendo elogiados muitas vezes, como fundamentais, o comportamento dos portugueses. O que realmente houve, foi um vasto leque de medidas que permitiram que a situação não se descontrolasse, contrariamente ao que aconteceu, em muitos outros países.

Os "parlapatões" nas suas palavras, estão em todo o mundo. Veja-se o que se passa, neste momento - só para falar da Europa - em Espanha, na França, na Alemanha e até na impoluta Inglaterra, que nos marginalizou, mas que está numa situação muito pior, à beira de grande descontrole. Tudo "incompetentes".

Lidar com um surto pandémico desta dimensão e imprevisibilidade é muito complicado, como se vê a nível global. Ser treinador de bancada, no futebol, ainda se admite. Num caso sério com este, enfim... Criticar a autorização ou não de adeptos nos estádios é aceitável. Fazer apreciações políticas, na minha perspectiva. sem fundamento e conhecimento de causa, chama-se oportunismo. Nem vem a propósito neste espaço.

Texto da autoria de Nação Valente

ADENDA

Parece-me pertinente fazer um esclarecimento a este comentário, contextualizando-o. Este texto resultou de uma resposta ao leitor Greenlight a propósito da questão de não serem autorizados adeptos nos estádios de futebol, com base numa transcrição de declarações do presidente Varandas.

O referido leitor criticou, com todo o direito, essa postura da DGS. Mas para além disso aproveitou, na minha opinião, fora do contexto, para atacar o Governo português, como responsável pela evolução da epidemia, numa perspectiva de posicionamento político, que não me pareceu adequado ao que estava em debate.Reafirmo que o debate de adeptos nos estádios faz parte da manifestação livre de opinião, no âmbito em que se insere.

Espero ter esclarecido eventuais leitores sobre o que escrevi.

Nação Valente

publicado às 04:18

2020-06-03 (18).png

"Relativamente ao distanciamento social, o ideal são os dois metros. Mesmo se estiverem a assistir pela televisão em espaços fechados, não devem esquecer esta regra e outra, muito importante, que é a partilha de objectos como copos ou garrafas -- não fazer isso, de todo", disse ontem Graça Freitas na conferência de imprensa diária sobre a Covid-19, referindo-se à eventual concentração de adeptos junto a hotéis onde estão as equipas ou a estádios.

A responsável da Direcção-Geral da Saúde (DGS) avisou que, "na altura da comemoração dos golos, a tendência vai ser para comemorar como antes", com "contacto físico", apelando para que a celebração "sendo exuberante, mas com distância. Isto, a menos que se trate de pessoas que vivam na mesma casa".

Graça Freitas afirmou que "foi uma dura conquista a retoma do campeonato" e que "a tentativa de chegarmos ao fim será boa para todos", designadamente do ponto de vista social e económico.

"Mas temos de garantir que o que foi conquistado não pode agora retroceder por um comportamento menos prudente. E a prudência indica que temos de manter as regras", notou.

publicado às 04:45

2020-06-03.png

Os presidentes de SAD de clubes da I Liga de futebol, que será retomada esta quarta-feira, apelaram aos adeptos que cumpram todas as regras definidas pelas entidades de saúde, na defesa de um regresso seguro do futebol.

Frederico Varandas defendeu que todas as associações desportivas foram, nestes últimos meses, obrigadas a readaptar-se e a lidar com as consequências da pandemia da Covid-19, com impactos na sociedade e no futebol:

“A nível económico e desportivo o regresso da I Liga é encarado pelo Sporting CP com grande otimismo e revestido de extrema importância, nunca esquecendo que esta ‘nova normalidade’ requer adaptação e cuidados especiais, de forma a salvaguardar, sempre, a saúde dos nossos atletas, colaboradores, sócios e adeptos.

O Sporting vai entrar em campo demonstrando todo o seu esforço, dedicação e devoção, características que sempre fizeram parte do seu ADN e assume-se preparado para as vitórias.

Contamos com todo o apoio dos nossos sócios e adeptos e apelamos a que a ‘Família Sportinguista’ tenha em conta toda as indicações e normas definidas pelas entidades de saúde pública, salvaguardando o bem-estar e saúde pública”.

publicado às 06:01

19740811_3QhEz.jpeg

C  O  M  U  N  I  C  A  D  O

O Sporting Clube de Portugal vem mais uma vez alertar para os episódios de violência que são frequentes no futebol nacional e o mancham, por vezes de sangue e morte.

Desta vez, outro adepto do Sporting CP foi hospitalizado na sequência de episódios de violência gratuita – segundo foi noticiado, o adepto terá sido espancado e esfaqueado por 20 elementos de um clube rival, que fugiram do local com a chegada da polícia. O episódio aconteceu na zona do Estoril.

Com o aproximar da data do reatar da competição (I Liga) é urgente agir sobre este tipo de comportamento que ameaça o bem-estar do adepto comum do Desporto em Portugal.

A violência não pode fazer parte do Desporto e da Sociedade portuguesa do século XXI. 

O Sporting CP solicita, por isso, às autoridades competentes acção e consequência sobre estes actos.

E ainda apela a que todos os clubes, agentes desportivos e adeptos venham a terreiro, sem receios, travar, de frente, esta luta contra a violência no Desporto.

____________________________________________________

Reportagem do jornal Record sobre o incidente em questão, assente, pelos vistos, numa outra reportagem do Correio da Manhã.

img_920x519$2020_05_27_15_28_27_1704372.jpg

Tarja supostamente da claque Torcida Verde. Não é claro se se relaciona com este episódio de violência ou se é dirigida, na generalidade, à retoma do futebol competitivo.

publicado às 11:31

2020-05-18 (1).png

***Este texto é da autoria de Nação Valente.

Já tive ocasião de escrever num outro texto que estes tempos extraordinários que vivemos, com condicionamentos e reflexos imediatos, nomeadamente na economia mundial, não vão mudar nada nos comportamentos e atitudes.

Se agíssemos de acordo com bons princípios e reflectíssemos à luz do que se está a passar, perceberíamos que a nossa condição humana é extremamente frágil, e deveríamos chegar à conclusão que, para bem de todos, devemos ser mais solidários, mais humildes, mais racionais.

Mas nós somos o que somos... egoístas, arrogantes,com baixos níveis de formação cívica, porque é essa a genética da natureza humana. Muitos pensadores através dos séculos têm defendido que a natureza humana pode ser melhorada através da educação, mas até agora a evolução é muito reduzida.

Tudo isto e mais se reflecte na incapacidade de nos colocarmos no lugar do outro para o compreender e respeitar. Estes jovens que praticam agressividade gratuita, mostram até que, em certas camadas populacionais, estamos perante uma séria involução. As claques dos clubes são um refúgio de jovens sem valores, que se associam, não tanto em função do apoio ao desporto, mas muito mais para formarem grupos radicais, que funcionam com gangues violentos.

Desta vez foi (supostamente) um grupo associado ao SLB que atacou adeptos do SCP, possivelmente a comemorar publicamente, sem autorização, em tempos de confinamento. Foram os agredidos. Mas, noutra altura, poderão ser agressores. Quando é que os adeptos ordeiros percebem, de uma vez por todas, que esta gente não faz falta ao futebol?

Por outro lado, o Rui Gomes diz que o mal não está só nos dirigentes, mas também está nas autoridades. Veja-se o que se passa a propósito da utilização dos estádios no recomeço do campeonato. Não aprenderam nada e nem sequer vão aprender. O nosso futebol, com raras excepções, está inundado por mau dirigismo. E é também graças a isso que estas situações violentas continuam.

publicado às 04:17

2020-05-18.png

Confrontos entre adeptos marcaram a noite de domingo, no Lumiar, em Lisboa. Membros do Directivo Ultras XXI festejavam o seu 18.º aniversário quando foram surpreendidos por um grupo de 15 homens, supostamente membros de uma claque afecta ao Benfica.

Três dos adeptos do Sporting sofreram ferimentos, dois deles obrigando a internamento hospitalar em estado grave, consequência de agressões a murro e pontapé.

O Sporting já reagiu através de comunicado:

""O Sporting Clube de Portugal repudia, mais uma vez, os episódios de violência que continuam a marcar a vida do Desporto em Portugal. Neste caso, as agressões que tiveram lugar ontem à noite, perto das imediações do Estádio José Alvalade, na zona do Lumiar, que resultaram na hospitalização de dois adeptos.

A visão do Clube assenta no princípio basilar de que o desporto é um meio para atingir um fim – e que tem como objectivo melhorar o bem-estar da vida das pessoas.

No dia em que faz 24 anos da morte de um adepto do Sporting CP, no estádio do Jamor, vítima de um very-light, é lamentável e preocupante que estes episódios continuem a acontecer.

O Clube vai continuar a liderar o processo e debate de promoção de um clima saudável e de melhoria do espectáculo desportivo em Portugal e apela por isso, mais uma vez, à intervenção rigorosa das autoridades num problema que extravasa o âmbito meramente desportivo".

As autoridades locais já estão a investigar o incidente, mas, ao que consta, a PSP ainda não identificou nenhum dos intervenientes:

"Foi accionada para a zona do Lumiar, no dia 17 de Maio pelas 22h19, por haver notícia de alegadas agressões entre indivíduos.  Foram encontrados três feridos, dois dos quais estão hospitalizados.

Terão sido agredidos por um grupo de cerca de 15 indivíduos, desconhecendo-se a sua identidade neste momento. Está-se a desenvolver diligências no sentido de apurar a identidade dos intervenientes.

img_920x518$2015_03_12_09_16_00_943216.jpg

Violência gratuita nunca precisa de razão de ser, mas é deveras perplexo o propósito desta ocorrência. Por ser o 24.º aniversário da morte de Rui Mendes, adepto do Sporting, depois de ter sido atingido com um very light no Jamor?

publicado às 15:21

2020-01-20.png

O clube italiano Lazio pediu uma indemnização aos seus adeptos que foram identificados como responsáveis por saudações fascistas no jogo da Liga Europa de futebol, em outubro passado, frente ao Rennes, gesto que custou ao clube 50 mil euros.

O presidente do clube, Cláudio Lotito, assinou uma carta, que foi enviada a vários adeptos que se encontravam sentados na ‘curva norte’ do estádio Olímpico no dia do jogo, na qual os informou de que haviam sido identificados pelas câmaras de segurança do recinto.

As saudações fascistas protagonizadas por estes adeptos custaram uma sanção à Lazio por ‘responsabilidade objectiva’, de 20 mil euros e o fecho da ‘curva norte’ no jogo seguinte da Liga Europa, disputado a 24 de Outubro contra os escoceses do Celtic.

Através dos vídeos dos organismos da UEFA e das investigações da polícia ficou claro que você foi responsável por gestos sancionáveis, pelos quais foi aberto um procedimento pelo Ministério Público de Roma”, pode ler-se na carta enviada pela Lazio e difundida em vários jornais desportivos e generalistas italianos, ainda que a mesma não tenha sido publicada oficialmente pelo clube.

Na mesma missiva a Lazio refere que o prejuízo causado ao clube é da responsabilidade dos adeptos identificados, razão pela qual recomenda a cada um dos visados que “entre em contacto com o clube para acordar, se o desejar fazer, uma forma de pagamento da indemnização, visto que, se não o fizer, o clube fará valer os seus direitos pela via legal”.

A concluir, o clube ainda informou os adeptos em causa que o acesso ao estádio Olímpico lhes será vedado nos próximos três desafios da Serie A e que podem apresentar recurso desta decisão no prazo de dez dias.

publicado às 04:00

Foto do dia

Rui Gomes, em 29.12.19

img_920x519$2019_12_28_20_02_30_1643688.jpg

Pequenos/grandes leões à entrada do treino solidário do Sporting

publicado às 03:31

Foto do dia

Rui Gomes, em 14.07.19

img_920x519$2019_07_13_18_28_50_1575539.jpg

A vasta maioria dos cerca de 5 mil adeptos em St. Gallen eram leões

publicado às 06:47

Comunicado do Sporting

Rui Gomes, em 11.06.19

21120704_dl3Da.jpeg

Perante os acontecimentos verificados durante e após o jogo disputado no pavilhão da Luz entre as equipas de futsal do SL Benfica e do Sporting Clube de Portugal, vem o Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal esclarecer o seguinte:

   1. O Sporting Clube de Portugal não justificará as suas derrotas com as condutas de terceiros, mas não desistirá da sua batalha contra a violência no desporto;

    2. Assim, lamenta-se profundamente que, uma vez mais, o ambiente vivido no pavilhão da Luz tenha incluído sucessivas interrupções de jogo por parte dos adeptos do clube visitado e os já tristemente habituais cânticos de exultação ao assassinato de um adepto do Sporting Clube de Portugal. É tempo de a justiça desportiva actuar energicamente contra este comportamento;

   3. Estranha-se que se refira uma informação pela Polícia de Segurança Pública quando é público – pelas imagens que foram divulgadas – que os acontecimentos relatados foram presenciados, entre outros, por elemento da PSP que, de acordo com o que informou os atletas do Sporting Clube de Portugal presentes no local, cumpriu o seu dever de reportar o acontecimento às suas chefias;

   4. É inútil negar o óbvio: as agressões existiram e foram perpetradas por adeptos do Sport Lisboa e Benfica, conhecidos como tal;

  5. Quem incendeia o ambiente da final não é quem denuncia a prática de crimes: é quem não os condena, e assim os branqueia, quando eles são cometidos pelos seus adeptos;

  6. O Sporting Clube de Portugal e os atletas envolvidos participarão a ocorrência junto da PSP e da FPF, esperando que estas entidades actuem contribuindo para banir do Desporto este tipo de comportamentos.

publicado às 05:00

 

mw-860.jpg

 

"Existem 28 Grupos Organizados de Adeptos (GOA) constituídos por 4.701 membros", avançou esta sexta-feira à Lusa a Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD).

 

Dos 18 clubes da Primeira Liga, apenas o Benfica, o Moreirense e o Portimonense não têm as claques legalizadas, uma vez que decorrem actualmente os processos de instrução e decisão relativos à inscrição da Armada Vermelha (Santa Clara) e da Famaflagrante (Chaves).

 

O Sporting é o clube que conta com mais elementos registados nas suas quatro claques organizadas: Juventude Leonina (1.632), Directivo Ultras XXI (709), Torcida Verde (358) e Brigadas Ultras (238). No total, são 2.937 membros de claques afectas aos 'leões', 62% do total de membros registados em Portugal.

 

Segue-se o FC Porto, com 958 membros distribuídos nos dois GOA dos 'azuis e brancos': Super Dragões (743) e Colectivo Ultras 95 (215). Ora,somando os membros registados do Sporting e do Porto (3.895) chega-se à conclusão que ambos os emblemas contam com 83% do total de elementos inscritos nesta vertente do futebol português.

 

Curiosamente, o terceiro clube português com mais 'ultras' registados é a Académica de Coimbra (114), que actua na II Liga de futebol. Depois, vem o Marítimo (91), o Belenenses SAD (72), o Tondela (71), o Nacional (62), a Sanjoanense (56), o Vitória de Setúbal (50), o Caldas (48), o Boavista (31), o União da Madeira (27), o Braga (25), o Desportivo das Aves (20), o Gil Vicente (17), o Feirense (12), o Vitória de Guimarães (11), o Rio Ave (9) e o Arouca (9).

 

Tanto a Naval 1.º de Maio como o Beira-Mar, apesar de terem as suas claques legalizadas, não disponibilizaram o número de membros associados.

 

Na terça-feira, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) puniu o Benfica com a interdição do Estádio da Luz por quatro jogos, uma decisão à qual os 'encarnados' anunciaram oposição com uma providência cautelar no Tribunal Arbitral do Desporto.

 

Em causa, está uma queixa apresentada pelo Sporting na época de 2016/17 contra o rival pelo apoio prestado a claques não legalizadas.

 

publicado às 04:02

 

263703.jpg

 

Considerações do antigo presidente Filipe Soares Franco, em entrevista esta segunda-feira à Rádio Renascença:

 

"Quando os jogos correm mal, há pessoas que perdem o bom senso mais cedo do que devem. O treinador está no comando da equipa há pouco tempo e não se pode pedir para fazer milagres.

 

A equipa também é a possível depois de tudo o que se passou, das perturbações do início da época. É preciso que a massa adepta tenha calma e bom senso. Agora estão a fazer-se acertos no plantel e, no próximo ano, temos de ter uma equipa mais forte.

 

O que se passou ontem não foi mais do que um dia mau, vamos pensar pela positiva. O jogo não correu bem ao Sporting e perdemos bem mas na quarta-feira vamos dispostos a ganhar e passar à final da Taça de Portugal. Ontem, o Benfica dominou o jogo, foi melhor, criou mais situações de perigo. O Sporting não jogou bem, não foi agressivo....

 

Ainda bem que o próximo jogo é já na quarta-feira. Isso permite que o Sporting enfrente o jogo com outra mentalidade, eventualmente com espírito mais vencedor. Se ganhar, a moral vem ao de cima e a equipa reencontra-se. Quanto mais depressa se reage, melhor se reage. Fomos ao chão mas temos de nos levantar, o Sporting ainda não perdeu o título e há que lutar mais a cada jogo".

 

publicado às 03:49

A insustentável leveza do adepto (I)

Naçao Valente, em 09.01.19

 

download.jpg

 

O adepto de futebol vive num mundo de fantasia. Sem peso nem consistência, flutua num limbo de onde foi expulsa a realidade. Num dia, está no paraíso vivendo felicidade eterna, no outro, cai no mais trágico inferno que se possa imaginar.

 

Esta dualidade de comportamento aplica-se a todos os adeptos em geral, mas ao português em particular, também em função da sua especificidade enquanto cidadão.

 

O adepto do Sporting, por mais que se diga, não é diferente. Tanto milita na euforia sem limites, como cai na depressão sem fim. Ainda há pouco tempo cantava louvores às novas lideranças, e colocava a equipa técnica e as suas tácticas nos píncaros da lua.

 

Vejam lá, tinha conseguido pôr um grupo de executantes, de entre eles, muitos com pés de chumbo, a jogar bom futebol a que alguns tiveram a ousadia de chamar o "tiki-taka". De um dia para o outro os bestiais já são apelidados de bestas. Têm grilhetas nos pés, não correm, não fintam...e o treinador, meu Deus, que "asno".

 

O futebol não se joga no mundo da fantasia, joga-se no mundo real. No mundo real são onze contra onze, e ganha  quem marcar mais golos. O adepto, na sua insustentável leveza, considera que a sua equipa, por ser um "grande" pela sua história, pelos meios de que dispõe, tem de ganhar todos os jogos.

 

Pura ilusão, porque os outros, filhos de um deus menor,  também sabem jogar, e utilizam as valências que possuem, para contrariar a fantasia dos craques. Não há vitórias por decreto ou por estatuto. Há vitórias por trabalho, por rigor e às vezes com o ápio da sorte.

 

É comum dizer-se que uma equipa joga o que a outra deixa jogar. O jogo a dois toques funciona se houver condições e espaço para o realizar. E esse espaço é ou não concedido pelo adversário. Quando este, por mérito seu,  não o concede, só a genialidade de uma equipa de "galácticos" o pode conseguir, sem que isso, no entanto, seja garantido.

 

Não acredito que qualquer jogador até para bem da sua curta carreira, não queira fazer o seu melhor. E quando joga mal é porque as circunstâncias, sejam quais elas forem,  não o permitem.

 

A frase que considero mais  ridícula, usada pelas multidões nos estádios, é "joguem à bola", quando uma equipa, por razões até muitas vezes desconhecidas pelos adeptos, não consegue jogar bem.

 

Os jogadores de futebol são homens que erram como todos nós. E quando são sujeitos a pressões negativas, reagem inconscientemente pela negativa. Se o adepto percebesse isto nunca utilizaria tal expressão.

 

O adepto, na sua leveza, julga-se jogador e treinador, quiçá presidente. Não conhece da missa a metade, nem sabe fazer, mas fala como um perito. Basta ler os comentários e as análises, que são tantas e tão diversas, quanto o número de pessoas que as emitem.

 

Se o futebol real se regesse por estas opiniões caía na maior bagunça. Felizmente, opiniões fazem apenas o seu caminho como catarse de emoções, e nisso o futebol desempenha o seu papel como escape para outras frustrações do dia a dia.

 

Em conclusão, como diria La Palice, nem tudo estava bem antes, nem tudo está mal agora. Tudo é relativo. O adepto em vez de ajudar, complica. Tantas vezes.

 

Que o adepto manifeste a sua opinião, mas sem pôr sistematicamente em causa o trabalho de uma direcção e de uma estrutura, quando uma equipa não corresponde totalmente aos seus justos anseios. Para isso já chegam os profetas, conscientes da desgraça, que desejam e esperam que tudo corra mal. 

 

publicado às 03:49

 

O Sporting comunicou esta terça-feira que enviou uma carta ao presidente da Liga, Pedro Proença, pedindo medidas quanto às "entradas tardias de adeptos afectos ao Clube nos recintos desportivos aos quais se desloca", remetendo para os últimos dois jogos fora, frente ao Vitória de Guimarães e Tondela.

 

image.jpg

 

Leia na íntegra o comunicado do Sporting:

 

"O Sporting enviou esta manhã uma carta endereçada ao Presidente da Liga Portugal, Dr. Pedro Proença, devido às entradas tardias de adeptos afectos ao Clube Leonino nos recintos desportivos aos quais se desloca. Em causa estão os factos ocorridos nos jogos em Guimarães e Tondela, onde já estavam decorridos aproximadamente 40 minutos do primeiro tempo quando, finalmente, os adeptos e associados entraram no recinto.

 

Para além destes atrasos de registo, não foram esquecidos os momentos de tensão sentidos na deslocação à cidade vimaranense, em que vários autocarros onde seguiam adeptos do Sporting foram apedrejados, obrigando a mudanças na rota, resultado também da demora das operações de segurança, principalmente no que respeita à escolta do transporte.

 

No jogo da passada segunda-feira, apesar de não haver registo de violência, o Sporting evidenciou também imensa demora nas operações de revista dos adeptos, sem qualquer explicação por parte das autoridades, o que retardou a entrada no recinto.

 

A privação da entrada dos adeptos é algo muito relevante, visto que afasta os adeptos dos estádios de futebol e, lentamente, da modalidade".

 

publicado às 03:48

Foto do dia

Rui Gomes, em 17.12.18

 

image.jpg

 

publicado às 04:32

Foto do dia

Rui Gomes, em 10.12.18

 

img_920x519$2018_12_09_20_00_36_1481768.jpg

"Leões" entre os 35.124 espectadores em Alvalade

 

publicado às 04:02

Como é possível ?

Rui Gomes, em 13.11.18

 

img_920x519$2018_11_13_14_18_22_1471720.jpg

É de admitir que haverá especialistas do foro psiquiátrico que consigam explicar as acções destes adeptos. Confesso que é algo que não está ao meu alcance, salvo em termos muito pouco convidativos.

 

"Ele ainda é o meu presidente. Eu não posso falar de inocência quando uma pessoa não fez nada. Qual é o crime pelo qual ele está aqui? Eu não sei"... disse uma apoiante.

 

Usei o termo "adeptos", sem compreender de que, ou de quem, são verdadeiramente adeptos. Do Sporting Clube de Portugal não são, de certeza absoluta.

 

publicado às 20:10

 

 

publicado às 16:00

Foto do dia

Rui Gomes, em 24.10.18

 

img_920x519$2018_10_23_20_34_58_1463656.jpg

 Adeptos do Manchester United não esqueceram Cristiano Ronaldo

 

publicado às 03:01

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds