Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



fotoag1.jpg

Frederico Varandas viu o Relatório e Contas da época passada aprovado com 52,95% dos votos a favor mas mais votantes contra (55,92%). Isto numa Assembleia Geral quente em que o presidente do Sporting voltou a ser contestado por uma franja de adeptos defensores do ex-presidente destituído e elementos das claques.

Resultados da AG: No que respeita a votos, foram 52,95% a favor e 47,05% contra, num total de 7431 votos. Quando a votantes (1352), 55,92% (756) votaram contra, ao passo que 44,08% (596) votaram a favor. Apesar de mais associados terem votado contra, o facto de alguns sócios terem mais votos acabou por ditar o resultado final.

Em nota separada mas relacionada com a Assembleia Geral, José Sousa Cintra, que não conseguiu falar devido às vaias, teve isto para dizer após sair da reunião magna:

2019-10-10 (3).png

"Varandas não está a conduzir bem os destinos do Sporting e queria dizer isso frente a frente. Só disparates. Não entendo como não houve uma palavra de agradecimento ao trabalho fantástico da Comissão de Gestão, uma coisa absurda. Estiveram lá por amor ao clube, sem ganhar nada.

Depois o chorrilho de disparates, disse-lhe que lamento bastante, ele disse coisas que não são verdade. Sobre Bas Dost, aumentei apenas o empresário. Sobre Bruno Fernandes, tive de aumentar o empresário que o Sporting devia-lhe dinheiro. Fiz o que era possível fazer. E o que ele tem feito? Não respeita minimamente os sócios, não tem jeito para ser presidente do Sporting, para isto. Parece que é dono da quinta, só ele basta".

Aumentou os empresários?... Há aqui qualquer coisa que me ultrapassa. Mais um episódio típico do antigo presidente, em que privilegia o ego e a vaidade em detrimento do bom senso.

No que diz respeito à votação, ou melhor, aos 756 sócios que votaram contra o Relatório e Contas, só fica por esclarecer a inexactidão da informação apresentada que os afrontou, ou se votaram apenas para fazer oposição.

Quanto à inadmissível conduta dos arruaceiros que marcaram presença na reunião, que dá para imaginar que serão a maioria dos acima referidos 756, composta por apoiantes do lunático ex-presidente e elementos das claques, uma qualquer medida terá de ser tomada. O Sporting não pode continuar a ser subjugado a este indecoroso clima de ordinarice e desestabilização.

Considerações de Rogério Alves, presidente da Mesa da Assembleia Geral:

rogerioalves2.jpg

"Não compete à Mesa fazer análise política dos votos. Compete à Mesa fazer aquilo que os Estatutos mandam. Uma vez mais, todas as pessoas que se inscreveram usaram a palavra e o Conselho Directivo respondeu através de vários dos seus membros. Agora compete ao Conselho Directivo analisar estes resultados. Da minha parte, tivemos aqui 1352 sócios, mas temos um universo muito mais vasto.

Temos de encontrar uma maneira - que, na minha opinião, passa por uma reformatação dos Estatutos - para que muitos mais sócios participem na vida do clube. Os resultados são o que são, os sócios votaram como quiseram e relatório foi aprovado. As ilações políticas deverão ser tiradas pelo Conselho Directivo.

A divisão no clube está patente. Por vezes é mais exacerbada, outras menos, o que desejo é que o sucesso do Clube seja o reboque que vai levar à união. Como sportinguista interessa-me muito que sejamos capazes de fazer esse trajecto. Não podemos olhar para uma ou outra coisa que correu mal e hipotecar um projecto que terminará em 2022. Por isso, digo que, como factor crítico do sucesso, deve estar a nossa união e o nosso apoio".

publicado às 04:02

Rogério Alves, Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, aborda a reunião-magna marcada para esta quinta-feira, tendo como ponto único a votação do Relatório e Contas do exercício 2018/19.

Além de outras cosiderações, ainda teve isto para dizer:

"(...) Estamos na era da mediatização, algumas pessoas utilizam telemóveis para filmar partes das AG que aparecem na Comunicação Social, mostrando aquilo que corre pior. De uma Assembleia de três, quatro ou cinco horas aparecem 30 segundos que tingem tudo o que acontece. Até agora, todas as pessoas têm usado da palavra, temos a ditadura do tempo e do razoável. Não podem ser ‘flashes’ de 15 segundos a dar uma imagem que não foi a característica da Assembleia Geral".

publicado às 02:34

lion-panthera-leo-furious-threatening-side-portrai

Realizada a Assembleia Geral de aprovação do Orçamento, a qual, mais uma vez, repito, decorreu dentro das previsões e não fosse aquele infeliz incidente no final, teria sido uma reunião normal, teremos no próximo sábado a AG que será a " mãe de todas as batalhas".

Reitero que o ocorrido não foi nada de maior gravidade e nada tem a ver com o drama super-ficcional que a famigerada CMTV lhe atribuiu: confrontos, escaramuças, mortos e feridos...". A Segurança actuou prontamente e tudo funcionou para proteger o conforto e integridade física dos presentes. 

Na próxima Assembleia Geral, a Segurança irá aumentar exponencialmente e os sócios nada terão a temer. O grande "Génio da Quinta das Conchas" poderá palrar durante quinze minutos (se comparecer para usar da palavra) e à excepção dos pobres Orgãos Sociais e funcionários que têm obrigatoriamente que estar presentes, ninguém mais terá que o aturar. Ficará a falar em "circuito fechado" para os seus apaniguados .

A "maioria silenciosa" poderá entrar, votar em segurança e sair, e esperar que esta batalha termine com a guerra e a partir daqui chutaremos para canto o destino do lunático; será o Poder Judicial a decidir o seu futuro e com sorte pode ser que ele emigre para a Nova Caledónia, Papua Nova Guiné ou Pyongyang... ou quiçá, que fique na Carregueira ....

Nota: Pode ler aqui as regras para a Assembleia Geral do próximo sábado.

___________________________________________________________________

*** Aproveito este espaço da minha colega para informar que o post de ontem 10 razões porque devemos votar pela expulsão de BdC, foi escrito por um devoto sportinguista, médico de profissão, e amigo de quem merece a minha imensurável estima. Não é por mera coincidência que a fidelidade da mensagem do autor e o tema abordado mereceram cerca de 100 comentários e mais de 1400 Likes de Facebook.

publicado às 04:04

 

woman hiding her face.png

 

A Sra. D. Elsa Judas, ex-presidente da auto-denominada Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, anunciou que não vai comparecer na Assembleia Geral deste sábado e teceu algumas tristes e lamentáveis considerações, muito do género a que nos habituou durante o breve período em que ousou invadir as nossas vidas enquanto sportinguistas:
 
"Não poderei estar presente, por motivos pessoais, e mesmo que pudesse não iria. Seria um desrespeito comigo mesma. Não participo em circos.
 
Enviei alguns pontos para o presidente da Mesa da AG ler, se tiver coragem, ou mandar alguém ler. Não é uma defesa, porque essa já está escrita e esteve disponível para os sócios que a quisessem consultar.
 
Não são 15 minutos que me vão permitir defender aquilo que está em 30 páginas, muito menos com uma votação às 15 horas. A sentença já está escrita há muito tempo. Eu sou a sétima pessoa a falar, o que deve acontecer ao final da tarde, e vou defender-me de uma decisão jurídica que será tomada às 15 horas, quando for a votação?
 
A acusação não tem ponta por onde se lhe pegue, mas serei expulsa de sócia. Não me podem expulsar de adepta e o meu sportinguismo será o mesmo."
 
O indecoro desta oca personagem em evocar "desrespeito" e "circos" depois de tudo o que disse e fez. Enfim, resta dizer adeus, para sempre, e desejar boa viagem!!!
 

publicado às 03:41

 

image.jpg

 

O homem por quem eu sempre tive enorme respeito, já há algum tempo tem vindo a dar indicações que a sua ideia de unir o Sporting é ajoelhar-se perante aqueles que tudo fizeram para desunir e desrespeitar a nossa Instituição centenária, tentando criar no processo uma ditadura irrevogável.

 

O seu anúncio que os sócios visados por suspensões, inclusive o lunático ex-presidente, não só vão poder estar presentes na reunião magna agendada para o próximo sábado, dia 15, como também vão poder intervir 15 minutos durante a sessão, é o cúmulo do indecoro:

 

"Os Estatutos do Sporting não definem se as pessoas suspensas podem ou não participar na AG. Mas a AG decidiu que sim. Claro que é uma decisão com carácter excepcional, porque se estão suspensas não deveriam participar.

 

A decisão da Assembleia Geral teve em conta dar a possibilidade do contraditório aos sócios em causa, pelo que, no que toca aos sócios suspensos, foi permitida a sua participação para fazerem uma intervenção de 15 minutos na qual poderão dizer o que entendem sobre a sanção que sobre eles recai.

É esse o comportamento adequado num clube democrático, de um país democrático, de um continente democrático. No caso das pessoas que foram expulsas, o recurso para a AG tem um efeito suspensivo, isto é, continuam sócios de pleno direito até à decisão formal da reunião magna.

Nos dois casos de expulsão, os sócios em causa podem dirigir-se à AG para exporem os seus pontos de vista.

Relativamente ao presidente anterior, o que vai ser deliberado, é a suspensão de Bruno de Carvalho, e não a expulsão como tem vindo a ser noticiado em diversos órgãos de comunicação social.

Vai ser votada a suspensão por um ano do ex-presidente. As sanções aplicadas não podem ser alteradas pela Assembleia Geral, ou se mantêm, ou são revogadas. o que vai estar em apreço relativamente ao antigo presidente Bruno de Carvalho é a suspensão.

Ou a sanção aplicada se mantém ou é revogada. Não pode ser alterada, nem diminuída, nem aumentada".

 

Já tínhamos amplo conhecimento do que consta a Ordem de Trabalhos e dispensávamos mais esta explicação supérflua. A decisão da Mesa da Assembleia Geral é incorrecta e este seu gesto de democracia obsequiadora não vai injectar o bom senso no ânimo de gente que só sabe estar fomentando a desunião.

 

Queremos a união, mas não a qualquer preço !!!

 

 

O parecer muito pertinente da Dra. Rita Garcia Pereira sobre este assunto:

 

"Tenho uma opinião muito própria sobre este tema. A concessão de minutos para defesa, à qual adiro sem problemas ao abrigo do princípio do contraditório, foi precedida de uma reunião que era para ser secreta mas que veio a ser divulgada por mim. Foi nesta sede que isto foi combinado e, curiosamente, os membros da Comissão de Fiscalização que aplicaram a dita sanção não foram tidos nem achados e só souberam da mesma depois de eu a ter divulgado.

 

Já tinham corrido vários dias quando o PMAG se dignou a fazer um telefonema ao Presidente da Comissão, sendo que, nessa altura, o facto estava já consumado. Direi isto e repetirei as vezes que forem necessárias porque corresponde à verdade, por mais pressões que tentem fazer-me. 

 

Concordando com o princípio em termos ideais, fica por explicar porque é que também ninguém se preocupou com o contraditório da Comissão. E, de caminho, espero que existam mesmo condições de segurança porque, conforme já escrevi, não aceito menos do que sair nas exactas condições em que entrei".

 

Estas observações de Rita Garcia Pereira vêm confirmar o que eu já suspeitava pelas palavras de Rogério Alves: há aqui uma agenda não revelada do Conselho Directivo e/ou Mesa da Assembleia Geral. A falar de democracia...

 

publicado às 04:30

 

image.jpg

 

Rogério Alves confirmou, em entrevista na Sporting TV, a realização de duas Assembleias Gerais do Clube, uma já dia 30 de Novembro, para votação de Relatório e Contas do ano anterior e orçamento para o seguinte, mas também uma outra, a 15 de Dezembro, focada nos processos de sanções a sócios do Sporting, entre eles Bruno de Carvalho:

 

"Vamos debater todos os recursos das sanções aplicadas pela Comissão de Fiscalização. Sanções que vão da suspensão à expulsão. O Conselho Fiscal entendeu que os recursos estão em prazo e vamos votar essas sanções. Os estatutos dizem que as sanções que podem ser aplicadas são a suspensão e a expulsão; que as pessoas em questão podem ser alvo de recurso e que as suspensões não têm efeito suspensivo em caso de recurso. A Assembleia Geral (AG) vai deliberar se estas penas se mantêm ou se são revogadas.Não vamos deliberar a expulsão, isso compete ao Conselho Fiscal e Disciplinar.  Se votarmos a manutenção das sanções, mantêm-se. Se as revogarmos, a AG, no uso do seu poder soberano, destruirá o efeito do processo (...)".

 

*** O leitor pode verificar aqui a informação disponível no site oficial do Sporting.

 

publicado às 04:19

 

Assembleia-Geral (1).jpg

 

A pergunta que vai ser feita aos sócios nesta Assembleia Geral de 23 de Junho de 2018:

 

Pretende ou não a revogação colectiva, com justa causa,

do mandato dos membros do Conselho Directivo ?

 

S I M  

 

 

A Assembleia Geral vai decorrer na sala Atlântico do Altice Arena, a partir das 14:00, embora a abertura das portas aconteça pelas 12:00 para que todos possam ir ocupando os seus lugares.

A votação encerra às 20:00, mas todos os sócios que estejam ainda na fila para votar poderão fazê-lo.

 

 

img_970x545$2018_06_23_09_34_51_1413618.jpg

 

Jaime Marta Soares revelou durante a Assembleia Geral deste sábado que serão marcadas eleições para 8 de Setembro, independentemente dos resultados da AG que hoje tem lugar na Altica Arena.

 

Caso os sócios votem a favor da continuidade da direcção liderada por Bruno de Carvalho, as eleições servem para decidir os próximos membros da Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal. Por outro lado, se a destituição for consumada, a esses dois órgãos junta-se também o sufrágio para o Conselho Directivo.

O Conselho Directivo do Sporting não compareceu à primeira Assembleia Geral (AG) de destituição da história do Sporting, na qual os sócios decidirão o futuro do presidente, estando a votação e intervenções a decorrerem em simultâneo.

 

Álvaro Sobrinho, também presente na Assembleia Geral, teve isto para dizer enquanto esperava para votar:

 

"Que tudo corra com o máxmo de civismo, votação em massa e contundente. Precisamos de um Sporting CP forte e fiável nas próximas épocas. É importante votar num novo modelo, nova gestão e nova esperança para os sportinguistas.

 

Bruno de Carvalho devia estar aqui também. A alegação que a saída dele estaria a justificar a justa causa dos jogadores é uma estupidez. Eles podem defender as teses que quiserem, pois o número de pessoas aqui presentes é sinal claro que querem um novo Sporting".

 

Ao fim e ao cabo, Bruno de Carvalho compareceu no Altice Arena:

 

Bruno de Carvalho chegou à Assembleia Geral por volta das 19 horas. Depois de seguir a AG via Facebook - onde, até meio da tarde, fez 24 publicações -, seguiu então para o Altice Arena, para seguir os trabalhos. Refira-se que todo o Conselho Directivo também está agora presente.

 

Se desejar, poderá falar, mas não votar. Isto devido a um conflito de interesses, visto que é a destituição dele próprio que está em causa. É o que explicita o Código Civil, no artigo 176º, referente à privação do direito de voto e cujo ponto 1 diz "o associado não pode votar, por si ou como representante de outrem, nas matérias em que haja conflito de interesses entre a associação e ele, seu cônjuge, ascendentes ou descendentes."

 

Bruno de Carvalho votou ?

 

De acordo com o que está a ser reportado, Bruno de Carvalho colocou-se na fila para votar e conseguiu mesmo depositar o seu voto, minutos antes de Jaime Marta Soares declarar como terminado o período de votação. Contudo, pelo Código Civil, não poderia ter votado...

 

Antes, dirigiu-se à Mesa pedindo para usar a palavra, mas tal foi-lhe recusado, uma vez que já tinha terminado o período previsto para que os sócios usassem da palavra.

 

Comentario de Rui Morgado, advogado e antigo secretário da Mesa da AG:

 

"O Código Civil é absolutamente claro. O presidente do Conselho Directivo não pode votar. Se fosse na SAD também não poderia votar. O Código das Sociedades Comerciais também não permite. Há conflito de interesses. É mais um acto ilegal permitido pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral.

 

Se ele tiver 7 votos e ganhar a AG por 7 votos, a AG pode ser impugnada. A consequência maior é o presidente da MAG permitir uma ilegalidade e violar a lei".

 

publicado às 17:25

Mais uma vergonha dos nossos tempos

Rui Gomes, em 21.06.18

 

img_FanaticaBig$2018_06_21_15_24_40_1413040.jpg

 

Dirigentes dos núcleos sportinguistas de Viana do Castelo e Matosinhos estão a organizar uma excursão à Assembleia Geral de sábado, recorrendo às redes sociais para divulgar a iniciativa. A inscrição na viagem vem com condições: o autocarro só transportará para Lisboa apoiantes de Bruno de Carvalho. Quem não estiver ao lado do suspenso presidente e dos seus sete anões amestrados , não poderá integrar a viagem.

 

Que esta indecorosa iniciativa está a gerar enorme polémica entre sportinguistas, não é surpresa alguma, mas é caso óbvio para nos deixar boquiabertos quanto ao baixo nível que alguns seres desprezíveis que se dizem sportinguistas, estão dispostos a ir, agindo como seguidores desvairados de um lunático-mor, o suspenso presidente.

 

Em princípio, compete aos associados dos próprios núcleos lidar com eles, mas se eu tivesse palavra no assunto, seriam expulsos de sócios do Sporting Clube de Portugal à primeira oportunidade.

 

ADENDA

 

Andava eu hoje descansadinho a passear pela Internet e deparei-me com uma série de comentários que me deixaram curioso graças ao seu conteúdo... Ora, como as pessoas estão convencidas que são as mais espertas lá da rua, esquecem-se que o mundo é grande e pode haver sempre alguém mais esperto... assim, posso dizer que comecei a seguir o rasto, até porque algumas mensagens efectivamente mostravam que estava a haver uma concertação de alguns núcleos para esta história dos autocarros, e dei de caras com um Sr. de nome Fernando Filipe que pertence à direcção do Núcleo de Viana do Castelo, sendo este Sr. um dos organizadores de tal evento. O que é engraçado é que este sujeito ainda teve a "cromice" de se ir gabar para o FB de Bruno de Carvalho, relatar ao mestre (qual lambe cus) o que estava a fazer.


Mas a história não acaba aqui... este cromo, faz parte da admin da página "O norte é verde" que o Rui aqui colocou, tendo mesmo como referência no seu perfil que essa página seria o seu emprego, tal como o núcleo de Viana. Pois bem, como entretanto começou a circular pela Comunicação Social este caso, o cromo, cheio de medo o que fez? "Despediu-se" (hoje às 19:26) da página do Facebook e assim espera que não haja consequências por estar neste esquema e ao mesmo tempo na direcção de um núcleo, tendo até tentado registar o "despedimento" como tendo sido a 1 de Janeiro de 2018.


Este pessoal mete-se em cada uma e depois como são "cromos amadores", ao fugirem, ainda fazem mais estardalhaço... Se é verdade que os Homens caem de pé, estes brunistas mostram bem que de Homens têm muito pouco. 

 

RAMPANTE 

 

publicado às 20:09

 

img_818x455$2017_08_11_14_57_08_657955.jpg

 

Jaime Marta Soares anunciou esta terça-feira que os equipamentos informáticos que deveriam estar disponíveis para a Assembleia Geral de dia 23 não foram disponibilizados pelo Conselho Directivo:

 

"Os equipamentos foram comprados no último acto eleitoral para que houvesse sempre voto electrónico mas o Conselho Directivo entendeu distribuí-los pelas várias secções (do clube). O voto eletrónico não será possível por este facto. A recusa, se existiu, não foi à MAG porque o convite não é da competência da MAG. Se o fez em relação ao Clube, isso é da responsabilidade de quem tinha de cumprir as normas e as regras. É porque o Sporting não deu as condições para que o voto fosse eletrónico.

 

Os equipamentos foram comprados por minha ordem para que se ficasse com uma estrutura de computadores e tudo o que é necessário, para ser utilizada a qualquer momento e quando houvesse actos eleitorais. Quando disse que queria o voto eletrónico, responderam-me que o equipamento já não existia. Só as urnas transparentes. O sistema informático e os equipamentos para sustentarem o voto electrónico foram distribuídos pelos serviços. Não devia ter acontecido. Aconteceu. É mais uma atitude que não cumpre com aquilo que foram as solicitações da mesa".

 

Absolutamente incrível os extremos obscuros a que estes desprezíveis estão dispostos a ir para dificultar os sócios de manifestar a sua vontade sobre o futuro do Clube.

 

Já não há palavras para verdadeiramente expressar a indignação e a revolta que se sente por tudo do mais vergonhoso que está a acontecer no Sporting.

 

Basta !!!

 

publicado às 18:29

 

Ultima-hora-sport2.jpg

 

A informação ainda é muito limitada e carece de confirmação oficial, mas está a ser reportado pela media que o Tribunal deu provimento à Providência Cautelar interposta por Jaime Marta Soares, proibindo, portanto, a realização da pseudo-assembleia geral convocada pelos apóstolos de Bruno de Carvalho e marcada para domingo, dia 17. 

 

Faz sentido antecipar que o mesmo acontecerá com o outro encontro agendado para 21 de Julho.

 

Segundo ainda o jornal A Bola, o juiz, além de deferir a providência cautelar, terá também ordenado a intimação de todos os requeridos, Sporting Clube de Portugal, os elementos da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, Elsa Tiago Judas, Bernardo Trindade Barros e Yassin Nadir Nobre, a não realizar as assembleias gerais referidas, sob pena de incorrerem ao crime de desobediência qualificada por infringirem providência cautelar decretada.

 

Como já referi, a informação disponível ainda é muito limitada e carece de oficialização, daí os rumores que circulam na praça. Um destes, indica que esta Providência Cautelar foi interposta por um sócio do Sporting e não pela Mesa da Assembleia Geral. Vale o que vale.

 

A decisão do Tribunal pode ser lida aqui na íntegra.

 

publicado às 16:08

 

sporting16-lg.jpg

 

Há sócios do Sporting com disponibilidade para suportar as despesas da Assembleia Geral agendada para o próximo dia 23, a fim de destituir o Conselho Directivo liderado por Bruno de Carvalho. 

 

Desconhece-se os detalhes da iniciativa neste momento, mas esta surge pela recusa da Direcção em providenciar os meios necessários para a realização da reunião magna, considerando, interesseira e maliciosamente, que esta é ilegítima.

 

É estimado que para a realização da Assembleia Geral, são necessários cerca de 150 mil euros. Só o aluguer da Altice Arena, a maior sala de espectáculos do país, aproxima-se de 70 mil euros.

 

O Tribunal Cível de Lisboa indeferiu a providência cautelar relacionada com o pedido de realização da Assembleia Geral Extraordinária por questões de segurança, reconhecendo, no entanto, que não há dúvidas sobre a legitimidade da acção, já que foi interposta pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral.

 

publicado às 03:52

 

image.jpg

 

Jaime Marta Soares, confirmou esta terça-feira, em conferência de imprensa, a realização da Assembleia Geral Extraordinária no dia 23 de Junho.

 

O presidente da Mesa da Assembleia Geral reiterou que a reunião magna é destinada a deliberar sobre a revogação colectiva, com justa causa, do mandato dos elementos do Conselho Diretivo, sublinhando a intenção de dar a palavra aos sócios:

 

“O presidente da MAG, e a MAG, são os pilares da defesa intransigente dos estatutos. Como tal, têm o dever estatutário de defender a realidade, cumprir e fazer cumprir as regras do nosso clube.

 

O que tem acontecido no Clube é um autêntico golpe de Estado, liderado pelo presidente do Conselho Directivo Bruno de Carvalho. Uma situação inimaginável que se vive, que por ser tão fora dos regulamentos e estatutos são de uma ilegalidade grave.

 

A única AG legitimamente convocada, e pelo único órgão com poderes para tal, a MAG, está legalmente agendada para o próximo dia 23, no Altice Arena, e desde já se convidam todos os sócios para que nela participem com elevação e sentido democrático que os caracteriza, e onde desejamos que se possam afirmar em liberdade total e plena para o futuro do Sporting".

 

Bem... a lidar com um verme sem escrúpulos como Bruno de Carvalho, tudo é possível e veremos se a AG em causa será mesmo realizada. A ir avante, é imperativo a presença de muitos sócios para garantir, de uma vez por todas, a sua expurgação do Clube, assim como de todos aqueles que o apoiam.

 

publicado às 20:03

 

assembleia2.jpg

 

Deparei com uma reportagem do Diario Notícias, em que aborda a crise do Sporting, em geral, e a Assembleia Geral do dia 23 de Junho, em particular.

 

Com referência à reunião magna, cita uma fonte não identificada que indica que haverá uma grande dificuldade a ultrapassar para que a Assembleia Geral anunciada para a Altice Arena se possa realizar:

 

"De forma a acolher o maior número possível de sócios, os custos dessa AG nunca serão inferiores a cem mil euros. Já se percebeu que o Conselho Directivo não irá avançar com a verba e, por outro lado, a mesa da AG também não tem disponibilidade financeira para tal. A não ser que um grupo de sócios junte essa quantia, não haverá AG."

 

Dei uma vista de olhos pelos Estatutos, mas não encontrei uma referência específica, no entanto, acho um autêntico disparate a informação (ou desinformação) que a fonte anónima adiantou.

 

Salvo no caso de uma AG ser convocada pelos sócios, e esta de 23 de Junho não é, as despesas serão sempre da responsabilidade do Clube, através do Conselho Directivo, uma vez que a Mesa não dispõe de tesouraria independente, indiferente do local onde o evento é realizado.

 

Além do mais, os citados 100 mil euros de custo parece-me excessivo, contudo, é uma questão não relacionada com a legalidade da Assembleia Geral.

 

Já depois de ter preparado este texto, surgiu o comunicado do Conselho Directivo, através do qual entre outras coisas, aborda esta questão. Na minha opinião, sem fazer sentido algum:

 

"Por outro lado, o Presidente da MAG solicitou ontem apoio técnico ao clube para a realização da Assembleia Geral Extraordinária. Sobre este assunto, queremos desde já alertar que o expediente que está a ser utilizado pelo Presidente da MAG é o de fingir que não está demissionário, para tentar pedir uma AG destituitiva que não seja a que deriva da alínea C (associados), mas sim de algo que fosse de iniciativa dele próprio. Sendo que, estando ou não demissionária, a MAG não o pode fazer. Assim, os serviços do Sporting CP prestarão o apoio técnico quando forem verificados os prossupostos legais para a realização da Assemblei Geral; quando forem verificadas as assinaturas que constam no requerimento e que nunca foram mostradas; quando for efectuado o depósito em conta, por parte dos requerentes, para garantir os custos dessa mesma AG".

 

publicado às 05:30

 

mw-860.jpg

 

Jaime Marta Soares, ainda durante a conferência de Bruno de Carvalho que se seguiu à reunião dos órgãos sociais demissionários, a refutar várias das acusações feitas pelo ainda rastejante presidente:

 

"Nós falámos apenas meia hora e ele duas horas e meia. Não deixou falar ninguém só enxovalhou, insultou. Cheguei a dizer-lhe que só me insultava quem eu deixava, não quem queria. Depois, também quis que assinássemos a acta da reunião anterior, só que era a acta Bruno de Carvalho, onde estavam as coisas que ele tinha dito e também as que não tinha dito. Avisei-o, também, que este não era o melhor caminho para ele, porque eu tenho vergonha de um dia dizer as coisas que, efectivamente, sei sobre ele.

 

Bruno de Carvalho é um mentiroso compulsivo. Nós demos-lhe todas as possibilidades, dissemos que a situação não pode continuar assim, que devíamos consensualizar um entendimento para ultrapassar as dificuldades, porque o que está a acontecer é muito perigoso e uma Assembleia Geral será difícil. Foram-lhe dadas todas as hipóteses mas ele a tudo dizia que não. A postura dele era de acusações, de insinuações, de chantagear. Dramatizava todas as questões. Os outros é que são culpados, nós é que estamos a inventar, a arranjar álibis. Diz que é um linchamento, que são estratégias políticas".

 

Sobre a reunião desta quinta-feira, Marta Soares negou que estivesse em cima da mesa a formação da propalada comissão de gestão e confirmou que já tem em mão quatro mil assinaturas para a convocação de uma Assembleia Geral de destituição:

 

"Apresentámos a proposta A: se aceitasse renunciar ao cargo esta quinta-feira, ele manter-se-ia na gestão do clube e marcaríamos eleições para 19, 26 ou 29 de agosto. Ele escolheria a data que melhor lhe servisse. Esta, disse-lhe eu, era a melhor forma de parar com esta instabilidade. Disse-lhe também que a MAG tinha quatro mil assinaturas, quando são apenas precisos mil votos, e que as apresentaria quando ele accionasse os serviços para a sua validade. Nunca falámos numa comissão de gestão, isso é uma mentira, mentira, mentira".

 

Fica uma ideia do que ocorreu na reunião, mais vírgula, menos vírgula. Dispensamos ler as declarações do ignóbil Carvalho, um autêntico embusteiro que se agarra ao poder por todos meios ao seu alcance.

 

O resultado da reunião não surpreendeu minimamente, e agora vamos ser bombardeados com a usual propaganda avulsa. Por muito que alguns sportinguistas patéticos teimam em não reconhecer, atravessamos o período mais negro da história do Sporting e nem sequer quero pensar no que ainda está para vir, inclusive a possibilidade deste lunático ser autorizado a continuar a ocupar a cadeira da presidência.

 

Por fim, regressando às declarações de Jaime Marta Soares, se ele tem conhecimento de "coisas" por obra do ainda presidente, tem a obrigação de as revelar. Haja honestidade e dignidade!!!

 

publicado às 03:49

 

jaime marta soares2.jpg

 

Tudo indica que Jaime Marta Soares já tem em seu poder o requerimento - devidamente verificados ontem pela MAG em cooperação com uma sociedade de advogados - que reune o patamar mínimo de 1000 votos de sócios efectivos do Sporting a exigir uma Assembleia Geral para a destituição de Bruno de Carvalho e os restantes elementos do Conselho Directivo. Na realidade, fonte próxima do processo confirma que em menos de 48 horas foram recolhidas assinaturas com milhares de votos acima desse patamar mínimo.

 

Recorde-se que o requerimento em questão evoca a sucessão de actos lesivos ao Clube, a desprestigiante actuação pública dos membros do Conselho Directivo, a postura constante de divisão do Clube, quando se deveria pugnar pela sua união, as suspeitas e investigações de corrupção no desporto perpetrado pelo Clube, o incentivo a actuações agressivas e anti-desportistas, a demissão massiva dos membros dos vários órgãos sociais, o afastamento de parceiros de longa data e a preocupante degradação de património do Clube que exigem uma reflexão urgente e conjunta dos sócios do Sporting Clube de Portugal.

 

Consequentemente, Jaime Marta Soares já irá para a reunião desta quinta-feira dos órgãos sociais do Sporting com o requerimento em mão, e terá de convocar uma Assembleia Geral Extraordinária a realizar-se no prazo de trinta dias, caso Bruno de Carvalho e os outros dirigentes continuem a recusar demitir-se.

 

Uma fonte conhecedora do processo garante que será explicado aos sete membros do CD que a Assembleia de destituição pode vir a ficar marcada na história do Sporting pelos piores motivos e que não há necessidade de voltar a colocar o clube no topo da actualidade por razões que nada têm que ver com a sua actividade desportiva.

 

Os vogais Luís Roque e Luís Gestas têm sido muito pressionados a apresentar a carta de renúncia, e não terão sido os únicos. Por isso, há a esperança de que algum dos sete membros - basta um para o Conselho Directivo perder o quórum apesar de Marta Soares ter dito na semana passada que eram necessários dois - ceda durante uma reunião que se prevê de resolução imprevisível, embora o mais expectável passe pela marcação da AG Extraordinária tendo como base o requerimento que Marta Soares levará para a reunião.

 

publicado às 05:59

E agora Senhor Comandante ?

Rui Gomes, em 18.05.18

 

img_770x433$2018_04_10_01_09_13_1385294.jpg

 

Em entrevista à TVl24, após o comunicado de Bruno de Carvalho a revelar que se iria manter em funções, Jaime Marta Soares, apesar de demissionário, como presidente da Mesa da Assembleia Geral, garantiu que continua a manter estatutariamente todos os poderes e que, caso não consiga que Bruno de Carvalho saia pelo próprio pé, vai ponderar marcar uma Assembleia Geral para destituí-lo:

 

"O poder não cai na rua, a MAG mantém os mesmos poderes. Não conseguindo que Bruno de Carvalho saia é isso que temos de fazer: uma Assembleia Geral com nota de culpa para a destituição. Não disse que ia marcar mas tenho de analisar. A MAG não molda a bel-prazer as regras estatutárias. Tenho legitimidade de marcar uma AG em que se diga que a nota de culpa para destituição é esta.

 

Que ele reflectisse e apresentasse a demissão. Está isolado!

No entanto, depois das demissões em bloco de dois órgãos, terei de marcar eleições mais restritas. A Mesa continua, se sai cai o poder na rua. Vou manter-me em funções até que marque eleições para os dois órgãos. Se caísse o Conselho Directivo, eu nomeava uma Comissão de Gestão. Estamos demitidos e vamos fazer eleições para esses dois órgãos".

 

Confesso que não consultei os Estatutos, mas estou algo céptico quanto ao que a solução proposta se propõe, não só porque questiono a permissibilidade estatutária, como também hesito, e muito, em depositar a minha confiança em Jaime Marta Soares, por múltiplas razões de registo.

 

Convencer o lunático rastejante do presidente a demitir-se voluntariamente é uma mera impossibilidade. Ele preferirá, indubitavelmente, arrastar o Sporting para o inferno.

 

Que hajam ainda consciências desprezíveis que o apoiam, tanto entre dirigentes como entre adeptos, é uma infame disposição que vai ficar na história desta honrosa Instituição centenária.

 

publicado às 04:32

 

sporting_lisbon_logo_88270.jpg

 

Esta sexta-feira, dia 29 de Setembro, a partir das 20:00h, a Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal reúne no piso 3 do Estádio José Alvalade (Edifício Multidesportivo).

 

Para mais informações úteis sobre a realização da reunião magna, pode consultar este comunicado.

 

A Assembleia Geral terá a seguinte Ordem de Trabalhos:

 

Ponto Um: Discutir e deliberar sobre o Relatório de Gestão e as Contas do Sporting Clube de Portugal, respeitantes ao exercício de 1 de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2016 elaborado pelo Conselho Diretivo e acompanhado do Relatório e Parecer do Conselho Fiscal e Disciplinar, nos termos dos artigos 33.º número 1 e 43.º número 1 alínea j) dos Estatutos.

 

Ponto Dois: Discutir outros assuntos do interesse dos sócios.

 

ADENDA: Há um erro no comunicado do Sporting, em que indica que a Assembleia Geral será realizada na "sexta-feira, dia 30 de Setembro". Ora, dia 30 é sábado e não sexta-feira. A reunião magna terá lugar na sexta-feira, dia 29.

 

publicado às 13:04

 

bruno_de_carvalho_5_1177f404.jpg

 

A Sporting SAD vai apresentar as Contas de 2015/16 - período em que regista um prejuízo de 32 milhões de euros - em uma Assembleia Geral convocada para o próximo dia 30.

 

Nestas Contas não entram ainda as transferências de João Mário para o Inter de Milão (40 milhões de euros + 5) e de Slimani para o Leicester (30 milhões de euros + 5), assim como os custos das mais recentes contratações, a exemplo de Bas Dost (10 milhões de euros + 2).

 

De acordo com o comunicado enviado à CMVM, a Ordem de Trabalhos é a seguinte:

 

"1. Deliberar sobre o Relatório e as Contas relativos ao exercício findo em 30 de Junho de 2016.
 
2. Deliberar sobre a proposta de aplicação de resultados.


3. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade.


4. Apreciar e aprovar a declaração sobre a política de remuneração dos titulares dos órgãos sociais da Sociedade elaborada pela comissão de accionistas relativa ao exercício de 2016/2017.


5. Ratificação da designação, por cooptação, do Senhor Dr. Nuno Jorge Lopes Correia da Silva, para exercer o cargo de Vogal do Conselho de Administração até ao final do mandato em curso."

 

Na data da divulgação da presente Convocatória, 8 de Setembro de 2016, serão postos à disposição dos senhores Accionistas, na sede social e no sítio da internet www.sporting.pt, os seguintes elementos: a própria convocatória, o número total de acções e dos direitos de voto reportados, também, à data da divulgação da convocatória, incluindo os totais separados para as acções da categoria A e as acções da categoria B, os formulários de documento de representação e de voto por correspondência, as propostas de deliberação apresentadas, bem como o texto integral dos documentos relativos às mesmas, e ainda, a informação indicada no art. 289 nº 1 do Código das Sociedades Comerciais".

 

publicado às 03:56

Será melhor esperar sentado...

Rui Gomes, em 09.06.16

 

image.jpg

 

Mário Costa, Presidente da Mesa da Assembleia Geral, da Liga de Clubes, anunciou que da reunião extraordinária desta quarta-feira, realizada no Auditório João Aranha, na Sede da Liga, no Porto,  saiu uma decisão deveras interessante. Vejamos: 

 

«Serão sancionados todos os agentes que, directa ou indirectamente, coloquem em causa a boa imagem do futebol em Portugal. Para os comentadores televisivos alusivos aos clubes as multas serão pesadas».

 

Isto é uma questão de Direito que exige alguma ponderação. Depreende-se que "agentes" é em referência a agentes desportivos e, neste contexto, a jurisdição da Liga é amplamente reconhecida. Já o mesmo não se pode dizer no que a "comentadores televisivos alusivos aos clubes" diz respeito.

 

É muito possível que a linguagem do Regulamento seja mais específica, mas fica no ar se o termo é aplicável apenas a comentadores televisivos que, em simultâneo, ocupam cargos oficiais num clube, a exemplo de Rui Gomes da Silva do clube da Luz (não podia deixar de ser) ou, no caso do Sporting, a Augusto Inácio.

 

Quanto aos restantes comentadores, indiferente da sua simpatia ou até associação clubista, parece-me claro que se situam completamente fora da jurisdição da Liga e que a imposição de uma sanção seria uma violação do seu direito a liberdade de expressão.

 

Dito isto, vem-me à ideia as Ligas profissionais norte-americanas, onde o mesmo direito a liberdade de expressão é preservado, no entanto, é por de mais evidente que os comentadores televisivos são bastante cautelosos com as suas críticas, nomeadamente no que diz respeito a arbitragem.

 

De qualquer modo, recorrendo ao título do post, vou esperar sentado pelas sanções que vão ser aplicadas aos ditos comentadores. E se forem do mesmo nível das que são actualmente impostas a treinadores, vai dar para rir muito.

 

publicado às 04:19

 

naom_56c7762ff1d08.jpg

  

Segundo o que está a ser noticiado e entretanto confirmado pelo antigo comandante dos bombeiros, Marta Soares, vários elementos do Sporting vão reunir e conversar sobre vários temas, antes da Assembleia Geral do dia 24, com foco na permanência ou destituição de Rui Barreiro, membro do Conselho Leonino.

 

Isto, sem ser surpresa alguma, uma vez que já na Assembleia Geral de 17 de Janeiro, o presidente da Mesa tinha dito que que ia propor a sua exoneração. Eis a sua recém-confirmação:

 

«Vamos analisar a quebra da disciplina regulamentar por parte do dr. Rui Barreiro, o que pode levar à sua destituição». 

 

A pessoa de Rui Barreiro é-me indiferente, mas é por de mais evidente que o objectivo é punir - já que não é possível silenciar - uma voz crítica, mesmo estando integrado no Conselho Leonino. O que vai ser debatido por Marta Soares e outros elementos, na acima referida reunião, não será a causa e a legalidade da destituição de Rui Barreiro - optando por essa via, arranja-se sempre argumentos - mas sim os prós e os contras mediáticos desse eventual acto, e o seu impacte na campanha eleitoral de Bruno de Carvalho.

 

Todavia, não obstante quaisquer manejos finórios, dificilmente não vai ficar a impressão de que tudo isto não é mais do que uma medida ditatorial por quem tem o poder entre mãos e "os trunfos na manga".

 

Rui Barreiro garante não ter conhecimento das “razões formais que levam a que surja essa proposta”“não recebi nada, zero”, garante – e lamenta que este tipo de questões surja numa “fase extremamente importante para o Sporting no campeonato nacional”.

 

“Quanto menos ondas houver, melhor. Pelos vistos, os dirigentes gostam de criar manobras de diversão nestas alturas, que julgo não serem úteis. Prefiro falar com propriedade após a reunião do Conselho Leonino de terça-feira, sendo certo que não vislumbro nenhuma razoabilidade jurídica, nem formal, para uma proposta dessas. Apenas, eventualmente, aquela lógica de ‘quem não está comigo, está contra mim e deve ser silenciado'".

 

publicado às 08:39

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds