Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Screenshot (918).png

Algumas considerações de Rúben Amorim mais em destaque, na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Santa Clara.

Se pudesse pedir uma prenda ao presidente

“Nada, o mesmo de sempre, temos uma forma de trabalhar, já estávamos a planear há algum tempo a próxima época, o mesmo de sempre, o mesmo bom ambiente, a relação que temos — por vezes concordamos, outras discordamos —, por isso não peço prenda nenhuma, apenas continuar o nosso projecto".

Nota que daria ao Sporting desta época

“No futebol é tudo ou nada: ou se ganha e é 10, ou não se ganha num clube grande e é zero. Não quero estar a dar quaisquer números, no futebol é tudo ou nada, portanto, se não ganhámos o campeonato, é nada".

Eventuais saídas de jogadores

“Os clubes portugueses têm sempre de vender, não me preocupo muito com isso, o que faço é entregar uma lista de jogadores que acho que são fundamentais para o nosso projecto, mas depois já não passa pelas minhas mãos e há que entender que o mercado é mesmo assim, que os clubes vivem de receitas. A minha preocupação é ter capacidade de explicar o porquê deste ou aquele jogador não poderem sair e, depois, entendo que há jogadores que têm de sair".

A chegada do central Jeremiah St. Juste

“Do mercado falaremos mais para a frente, quando há o fecho do mercado comento sempre todas as alterações, nunca fugi a isso, mas o foco agora é ganhar este jogo e terminar a época, o St. Juste pertence à próxima época e ainda tem um jogo para fazer pelo Mainz".

As arbitragens e o título

“Fiz aquilo que tinha de fazer como treinador da instituição que sou, dei os parabéns ao campeão, coisa que não aconteceu em relação a nós, eu fiz o meu papel porque é mesmo assim que temos de gerir as coisas. Não vou fazer avaliação de árbitros, nunca falei de arbitragem e isso foi sempre a minha forma de estar. Volto a dizer: comentei quando há uma ou outra situação que muda o jogo, como comento um remate na barra ou uma oportunidade falhada. Não vou fazer avaliação nenhuma de árbitros, não me interessa".

publicado às 02:33

img_476x268$2022_05_06_11_35_36_1991780.jpg

Algumas considerações de Rúben Amorim na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Portimonense:

Sobre o título

“Quando estamos no Sporting temos sempre de pensar em título. Sabemos o momento em que estamos e da diferença de pontos. Independentemente do que acontecer no jogo antes, temos de ganhar o jogo e fazer os nossos pontos, penso que somos a melhor defesa e temos de ser a melhor defesa, marcar mais golos e melhorar em todos os aspetos, porque no fim destas duas jornadas este campeonato vai acabar, haverá um campeão, mas o nosso projeto é muito longo".

Instado a comentar os rivais

“Não vou fazer esse tipo de avaliação, obviamente, isso é para os comentadores, estou aqui como treinador do Sporting para falar do jogo com o Portimonense, o nosso foco está aí, não me interessa mesmo nada quem está pior ou melhor, isso é assunto para outros treinadores, o que me interessa é vencer o Portimonense".

Sobre Slimani

“Em relação ao Slimani, é um assunto completamente encerrado, já falámos disso em várias conferências de imprensa. Eu vou seguir o meu caminho e o meu caminho passará pelo Sporting, o Slimani não fará parte daquilo que penso ser a ideia do próximo ano, será tudo conversado com o Slimani e a direcção, para mim, como treinador, é um assunto encerrado".

Instado a comentar o jogo do FC das Antas com o Portimonense

“O treinador do Portimonense tem o direito de escolher os jogadores que entende para cada jogo e eu escolho os meus. A verdade é que o Paulo Sérgio atingiu os seus objectivos e nós tínhamos como objetivo o título e não o atingimos. Não vou comentar situações onde o treinador de cada equipa tem o direito e o dever de escolher os jogadores que pretendem para os seus jogos. Não me vou intrometer aqui nesse assunto, nós estamos preparados para enfrentar qualquer tipo de jogador que o Portimonense apresente".

Instado a comentar se já tinha "mandado a toalha ao chão"

“Já se falou bastante sobre isso, sou muito pragmático, desde a derrota com o Benfica que não acredito muito e sou sincero quando estou a falar com vocês. Digo que não acredito muito porque não muda a nossa forma de abordarmos os jogos, os jogadores do Sporting têm de jogar sempre da mesma forma, senão perdem o lugar e isso aqui é muito claro.

Os projectos não acabam hoje e estas coisas ficam marcadas em alguém como eu, eles conhecem-me bem. Não tenho problemas nenhuns que eles baixem a guarda ou a capacidade de treino por eu dizer que não acredito que o FC Porto perca tantos pontos, porque não acredito. O grau de optimismo é muito grande em relação ao futuro do Sporting, em relação ao FC Porto perder os dois jogos finais é pouco, é muito pequenino, mas tudo pode acontecer".

Sobre Tiago Tomás

“Posso falar do TT porque é nosso jogador, tem uma nuance de o empréstimo ser prolongado ou não ao Estugarda, mas isso é uma parte mais do [Hugo] Viana, vamos fazer essa avaliação e falar com os jogadores, porque é importante. Temos o Rodrigo Ribeiro também a aparecer e, olhando para ele, percebemos que num clube desta dimensão, com esta exigência, se calhar é um bocadinho cedo. Vamos olhar para tudo e escolher o melhor plantel para começar a época.”

publicado às 03:02

img_404x433$2022_04_30_13_58_33_1989689.jpg

Algumas considerações de Rúben Amorim na antevisão ao jogo com o Gil Vicente...

Sobre o Gil Vicente

"Olhamos muito para os jogos, não só para o resultado, e eles têm falhado muitos golos, há fases assim. Muitos dos jogos que não conseguiram ganhar, mereciam-no. Têm um 4-3-3 de equipa grande, é muito bem trabalhado. São muito bons na transição defensiva. O treinador teve um grande impacto na equipa. Vai ser um jogo difícil, as duas equipas ainda têm objectivos na época, e apesar de também termos vindo de derrotas difíceis de digerir, vamos tentar vencer".

Sobre Coates

"Coates não vai estar. Estava em dúvida e achámos melhor não o ter, precisamos de todos no máximo, até porque o Gil Vicente é muito rápido e ele podia ter um problema mais grave se arriscássemos. Jogo tem essa aliciante, para além de termos de ganhar todos os jogos no Sporting. Ir à Champions League é essencial, e claro que adiar o título também é bom para animar o campeonato, mantendo viva uma réstia de esperança, apesar de não acreditar muito".

Sobre Tiago Tomás

"É um se. Uma coisa responde à outra. Quando há blocos baixos há menos profundidade, e o Tiago Tomás sofreu muito com isso, por isso é que fomos buscar o Slimani. Somos muito melhores em ataque continuado, passamos mais tempo nesse aspeto. Temos jogadores que se adaptam a isso, e os jogos com Tondela e Boavista provam isso. Blocos baixos são difíceis de penetrar, e não tendo o Pedro Porro faltou-nos o um para um. Isso é algo que planeámos para a próxima época. Já começámos a preparar a próxima época, com tempo, e principalmente aqui, que tem de ser muito tempo antes. O Tiago fez uma adaptação boa ao Estugarda, nós vemos os jogos do Estugarda. É um futebol completamente adequado às caraterísticas dele, e tenho de falar com ele, é muito importante para mim. Os jogadores têm de saber para o que vêm. Logo vemos, falarei com o Viana. O Tiago tem muito talento e tem caraterísticas específicas, mas para o ano veremos".

Sobre Slimani

"Rumores de comportamento violento, obviamente que é mentira. Até para o Slimani não é nada positivo, porque ele terá que arranjar soluções para jogar. Nem sequer tivemos uma discussão. Esse assunto está arrumado de vez, mas ele não teve qualquer comportamento desse género, e não é justo dizer isso. Eu sou o treinador, nunca me baixaria a esse nível de andar à 'porrada' com um jogador".

publicado às 03:03

Screenshot (877).png

Algumas das considerações (em síntese) de Rúben Amorim na antevisão ao Boavista...

Sobre o jogo

“Amanhã [hoje] vamos entrar com 11, vamos jogar como costumamos jogar, vamos ter jogadores que não são referências ofensivas, o ano passado jogamos várias vezes sem uma referência de primordial no ataque e vamos a jogo para vencer. Os rapazes estão focados e concentrados, sabemos da responsabilidade que é ficar em segundo lugar".

Sobre Geny Catamo

“O Geny [emprestado ao Vitória de Guimarães] pode ter espaço no próximo ano porque é muito forte no um para um e isso falhou nos últimos dois jogos. Mais do que substituir jogadores, eu quero melhorá-los".

O futuro de Feddal

"Feddal fez um treino antes do FC Porto, neste jogo [contra o Boavista] está convocado. Em relação ao próximo ano, o Feddal foi o primeiro a saber, há um mês e meio, da minha opção para o próximo ano"-

Sobre Slimani

"Em relação ao Slimani já disse tudo o que tinha a dizer, é um assunto encerrado e não vai estar no Bessa. Não é um acaso. Está um assunto arrumado na minha cabeça. É de realçar a grande preocupação em querer informar os adeptos do Sporting. Tenho uma responsabilidade completamente diferente do Slimani, não há nada a dizer, tudo o que tinha a dizer disse ao Slimani, à direcção e aos meus jogadores, tudo cara a cara. Para mim é um assunto encerrado".

Sobre o seu trabalho e a sua responsabilidade

Desde que cheguei aqui - e sempre fui avisando que os resultados ditam muito - disse que tenho de fazer o meu trabalho. Posso não tomar decisões que são populares, mas não posso perder. Os adeptos estão com o treinador enquanto o treinador tiver resultados e eles acharem que está a fazer o melhor pelo clube. Quanto a mim, a minha função é fazer o melhor que posso fazer. O meu foco é ganhar e deixar o Sporting, seja daqui a quanto tempo for, num momento melhor do que encontrámos. Há coisas mais importantes que eliminatórias e títulos. Às vezes não defendo o grupo para defender outras coisas importantes, mas isso são opiniões. Vou sempre fazer o meu trabalho de acordo com o que penso. Tenho algo que todos os treinadores devem ter, e acho que alguns às vezes não têm noção disso... o que interessa são os resultados. Já não conseguimos ganhar, mas no próximo ano vamos tentar novamente. Percebo os adeptos, não estão satisfeitos comigo, mas isso faz parte e nem sempre temos que fazer acções populares".

P.S.: Contrário à afirmação de Rúben Amorim, a vasta maioria de adeptos está muito satisfeita com o grande trabalho que ele tem vindo a desenvolver no Sporting. A má fé de uma mão cheia de oposicionistas ou o negativismo de outros, conta muitíssimo pouco ou mesmo nada.

publicado às 04:34

O vídeo está disponível para quem tem algum interesse e hoje não vou pormenorizar as considerações de Rúben Amorim, salvo uma, sobre os bitaites de Sérgio Conceição:

"Em relação aos castigos, não vou estar a fazer comentários porque não vale a pena, até porque há coisas que dão vontade de rir, como certas pessoas dizerem que não vale tudo para ganhar. Não vou fazer mais comentários, deu-me vontade de rir, comunicados que me dão vontade de rir. Não deveria falar disso, vamos passar para outra coisa".

Referimos o nosso outro post, onde comentamos essa monumental impostura do técnico do FC das Antas.

publicado às 03:17

Algumas das considerações de Rúben Amorim...

"Deixamos de fazer contas para o segundo lugar em caso de vitória, portanto juntamos aí duas coisas, contas que não fazemos e limpamos essa luta. Esse é um objectivo, sabendo que vamos defrontar um adversário que pode fazer em Alvalade o que fizemos na Luz. Temos plena noção disso, temos de estar muito concentrados".

"A homenagem a Mathieu tem um significado muito especial para o jogador, que sempre demonstrou um grande carinho pelo clube. Para os adeptos, era um dos preferidos deles. Para mim, foi um prazer trabalhar com ele, não foi o tempo certo. Seria diferente se ele integrasse nesta equipa, neste ambiente. Era um momento completamente diferente, teve o grande azar de ter a lesão e de não poder fazer essa despedida. O Sporting teve essa atenção porque não nos despedimos claramente do Mathieu. Era algo que lhe devíamos e por isso vamos fazer neste momento, sabendo que o foco não dá para grandes festas nem despedidas. É um bonito gesto".

“Acreditamos que podemos vencer todos os jogos, é a única maneira de ter esperança de ser ainda campeão. Enquanto matematicamente for possível, a motivação está sempre no máximo. Eles andam a lutar também por um lugar, não só nesta época como na próxima época, está muito difícil manter o lugar na nossa equipa. Temos feito uma rotação mesmo sem jogos durante a semana, os jogadores assim o obrigam. É uma grande motivação porque, garantindo a Champions, podemos planear a próxima época cada vez com mais certezas. A competição, em nós, tem um grande impacto, vamos jogar com um clube para o qual se calhar não tem assim tanto impacto financeiro, para nós é essencial".

"Esperamos ter um Sporting que seja sempre favorito em qualquer jogo, portanto não sei o que mudou, a equipa é melhor, está melhor classificada do que o Benfica, vem de uma série de vitórias seguidas no campeonato, tudo isso tem influência. O que aconteceu é que mudou o momento das equipas, o Sporting vive um momento muito bom. Mas, lá está, antigamente, quando era mais jovem, diziam sempre que a pior equipa ganhava os dérbis. Eu não acredito nisso, portanto acredito que o Sporting vai voltar a vencer o dérbi".

publicado às 02:33

Screenshot (828).png

Considerações de Rúben Amorim na conferência de imprensa de antevisão ao Tondela...

Sobre a equipa

"Em relação à equipa, temos dois castigados. Feddal sentiu dor no treino e vai estar fora, teremos o Marsà na convocatória e os restantes estão todos aptos. Estamos num bom momento para voltar a fazer grandes exibições. O Tondela mudou de treinador, jogam num sistema diferente, com miúdos talentosos. Têm de fazer pontos mas sabem que vão defrontar uma equipa que está na luta pelo título. Jogadores como o Tiago Dantas, Rafael Barbosa, têm formação em clubes grandes. Jogar bem, fazer golos e tentar não sofrer".

Sobre a luta pelo título

"Temos a crença de que podemos vencer todos os jogos. Se o fizermos, teremos uma pontuação muito grande, e depois logo se vê o que vai acontecer. O FC Porto está muito forte, não perde pontos. O fim aproxima-se rápido e temos que acreditar até ao último momento. Se perdermos, fica muito mais difícil. O foco é vencer e esperar pelo que acontece com o FC Porto".

Eventual influência da arbitragem

"Não vou comentar. Tenho a certeza que podemos vencer os nossos jogos. O resto não está sob nosso controlo".

Continuidade de Sarabia

Adaptou-se muito bem a uma realidade completamente diferente e a um espírito de equipa completamente diferente, onde a equipa é o centro de tudo. Tem uns números fantásticos, cresceu muito táctica e defensivamente, e vejo com agrado ter um jogador desse calibre, com uma humildade forte e grande vontade de se adaptar a um estilo completamente diferente, mas não diria que é a melhor contratação. Vejo o Pote, o Nuno Santos, o Ugarte a jogar... todos cresceram muito, deram contribuição muito grande. O próprio Tabata, Matheus Reis, que veio a custo zero. Não gosto de enumerar mas meto todos no mesmo patamar. Podem dar um grande retorno ao clube, meto todos no mesmo patamar.

A realidade do Pablo Sarabia é muito clara para nós. Temos um patamar que não vamos ultrapassar por ninguém, já aconteceu com o João Mário. Não sei o dia de amanhã mas sabemos a realidade do futebol, e a nossa é muito diferente dos grandes clubes de futebol. O que acontecer, acontecerá, sem qualquer tipo de stress. Se for preciso arranjar outras soluções, é o que vamos fazer. Muito satisfeito por ter mais uns jogos para usufruir do talento do Pablo".

Sobre o suposto interesse em Morita

"Vamos só falar do mercado quando estivermos nessa fase. O foco é o Tondela. Estou muito satisfeito com os médios que temos e obviamente estamos a preparar a próxima época, é o que estamos a fazer. Temos de nos precaver. O foco neste momento é o jogo do Tondela".

Possível chegada de Roger Schmidt ao Benfica

"É uma opção. Para nós, o treinador do Benfica é o Nélson Veríssimo, é nele que nos vamos focar. Não tenho opinião sobre a vinda de treinadores estrangeiros. Há muitos portugueses no estrangeiro. Só melhora os campeonatos porque há influências globais".

publicado às 13:00

Algumas considerações de Rúben Amorim mais em destaque...

As contas

"Não damos nada como garantido, podemos perder pontos em qualquer momento. Não perdemos assim tantos pontos, mas estamos a 6 pontos do 1º. O FC Porto tem perdido menos do que nós ainda e qualquer jogo pode fazer a diferença na luta pelo título. As equipas vêm sem pressão [depois da paragem das seleções], outras têm a pressão dos pontos, mas não garante nada. Temos de vencer os jogos todos para garantir o título ou o segundo lugar. Só depois de garantir o segundo podemos pensar no 1º.

É muito possível ganhar os jogos todos e é isso que vamos tentar fazer. Depois o que tiver de acontecer acontecerá. Deixei de fazer contas há algumas semanas, a última jornada foi a prova disso".

Sem medo dos amarelos

"Vão jogar os que entendermos ser os melhores para este jogo, não vou poupar ninguém. Se alguém levar amarelo, tenho outros jogadores. Temos muita qualidade, este é o jogo mais importante, não sabemos qual vai ser o mais difícil. Sempre pensámos assim e vamos seguir este caminho. O que fazemos é apresentar a melhor equipa".

Três ou cinco substituições

"Vou mudando a minha opinião, era muito tradicional mas acho bom para futebol as 5 substituições. Temos outra capacidade no banco, dá-nos mais 'nuances' tácticas e ajuda a mexer com o jogo. É muito importante na gestão do plantel e do grupo, cada vez mais os treinadores têm atenção a toda a gente, para todos estarem motivados. Acho que as 5 substituições deviam ficar, mudei a minha opinião, faz todo o sentido em campeonatos em que as equipas estão sempre a jogar".

A recuperação de Slimani

"A recuperação do Slimani, mais do que física, tem de ser mental. Foi difícil para ele perder o acesso à fase final do Mundial da forma como perdeu, está desiludido e temos de lhe aumentar os índices de alegria e de motivação. Está apto para ir a jogo, vamos ver se entra de início ou começa no banco".

publicado às 03:01

Algumas considerações de Rúben Amorim merecedoras de destaque...

O que espera do jogo? Sporting não sofre golos há três encontros...

"Não sofrendo golo costumamos marcar sempre, tirando o recém-jogo do Manchester City. Costumamos sempre marcar e estamos sempre mais perto de vencer. É a forma como atacamos, como preparamos transições... o foco não é não sofrer golos, é marcar, jogarmos bem, defendermos bem. A maior parte das vezes precisamos de estar concentrados porque defendemos subidos, e mantendo a baliza a zero estamos mais perto de vencer os jogos".

Diferenças entre Ajax que venceu Sporting e que perdeu contra o Benfica. Como está o kickboxing?

"Não vi os jogos, mas o Benfica eliminou uma grande equipa, contra um país com o qual estamos em confronto relativamente aos pontos. Em relação ao kickboxing, é um hobby. Não tenho redes sociais, mas o Pedro [Kol] meteu o vídeo nas dele. Não tenho muito jeito para aquilo e detesto correr, acho que já corri muito durante a carreira e aproveito esses momentos para aliviar a pressão".

img_920x518$2021_05_13_02_59_23_1849905.jpg

Hugo Viana apontado a director desportivo do PSG...

"A obrigatoriedade do director desportivo depende muito dos resultados e de como está estruturado o clube. No nosso caso, ele é imprescindível e a ligação que tenho com ele vem muito além do trabalho, é como se fosse um familiar. Trabalhamos em prol do Sporting, só pensamos no clube, a forma como ele não requer atenção e está sempre pronto a ajudar o treinador e a estrutura a tornar a equipa muito mais forte... tem sido crucial. Para nós é imprescindível, em relação aos outros clubes cada um tem a sua forma de trabalhar, que têm managers que tratam de tudo, mas aqui não. Faz o trabalho como ninguém".

Densidade competitiva vai diminuir. É mais complicado gerir egos, agora que todos querem jogar? Há algum jogador indisponível?

"Matheus Reis teve um problema no pé mas recuperou, de resto está tudo bem, mas ainda temos um treino. Em relação aos egos, o Sporting está em primeiro lugar. Eles sabem que têm todos hipótese, mas que têm de trabalhar porque todos os outros podem jogar. Eu fui sempre aquele que era polivalente e trabalhava e ficava para segundo plano, mas sempre vivi bem com isso. Não vou recompensar quem tiver ego grande, mas sim quem trabalha. Não há qualquer problema. A melhor equipa vai jogar, porque eles sabem que isso não significa que ninguém é melhor que o outro. Eles entendem isso com naturalidade".

publicado às 02:33

Algumas considerações de Rúben Amorim mais em destaque...

“São equipas muito competitivas que lutam pelos seus objectivos e com o desenrolar do campeonato torna-se tudo mais difícil. Temos de ganhar como sempre, temos os nossos objetivos também. Será um jogo completamente distinto do jogo com o Man City, temos de mudar o chip. Em relação aos jogadores, o João Palhinha recuperou, o Pote já tinha recuperado durante a semana, o Dani também vai. Vamos levar toda a gente para vencer um jogo que é crucial”.

“O nosso objectivo é vencer os jogos todos e tudo pode acontecer. Obviamente que temos de olhar para cima, sabendo da importância do segundo lugar, que dá acesso à Liga dos Campeões. Mas o objectivo é vencer todos os jogos, temos essa capacidade, mas temos de jogar muito bem e preparar os jogos”.

"Matheus Nunes é o mesmo em relação a outros jogadores. É uma parte que é para o Hugo Viana e para o presidente. Eu sei que já houve propostas mesmo em Janeiro. Isso é bom sinal, obviamente que a montra da Liga dos Campeões aumentou muito a cobiça. Eu vou fazer o meu papel que é a cada ano que passa ter uma equipa melhor e trazer jovens jogadores para começarem a integrar a equipa. Esse é o meu papel. O papel do Hugo Viana e do presidente é tratar desses assuntos. Por isso não faço ideia como está a situação dele ou de outro qualquer jogador. O objectivo é ter a melhor equipa para o próximo ano”.

"O empate do Benfica não arruma o 2.º lugar, senão estaria aqui a dizer que se o FC Porto ganhar hoje estaríamos fora do título. Por isso tudo pode acontecer, muitos pontos se podem perder. Eu acho que tudo ainda é possível. Eu acho que o Benfica ainda pode ser campeão, o FC Porto pode ser campeão, o Sporting pode ser campeão. Tudo é possível e há que ganhar jogo a jogo”.

publicado às 05:02

Algumas considerações de Rúben Amorim sobre o jogo da segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões frente ao Manchester City:

“Sabemos que vamos defrontar uma grande equipa. O Manchester City, tendo baixas, tem jogadores mais do que suficientes para apresentar grandes equipas. Vamos fazer o mesmo: apresentar a melhor equipa. A única gestão que temos feito é a carga física e proteger os jogadores. Vai jogar a melhor equipa e a que nos oferece mais garantias para ter um bom resultado".

"O nosso projecto passa muito pela formação, mas há que entender os momentos em que vamos meter os jogadores ou não. Isso foi pensado. O Dário [Essugo] podia ser uma opção para jogar de início, não vai jogar de início. Entendi que não deveria ser este jogo. Vamos fazer essa gestão, sabendo que temos uma grande responsabilidade. Não interessa se a eliminatória está fechada. É um jogo, queremos lutar pela vitória".

"Os jovens são o nosso futuro. Não temos de pensar que temos as fornadas que tivemos. A evolução é isso mesmo, a exigência vai sendo cada vez maior, não é fácil ter Matheus Nunes e Nuno Mendes todos os anos. Acreditamos muito nestes que têm vindo, há um crescimento muito grande na Academia Sporting. O investimento que está a ser feito no Clube demora tempo. São a base do nosso projecto.

O City demorou talvez 10 anos a construir a equipa que tem hoje e tem muito dinheiro. O Liverpool demorou quantos anos para ser campeão europeu? O [Jürgen] Klopp demorou cinco anos para ganhar o primeiro título. Nós não temos o investimento de fora, estamos a tentar criar riqueza para investir nos jogadores e na nossa formação. Temos qualidade. Nem todos os anos vamos conseguir fazer isso, há que ter essa noção".

“Tenho contrato com o Sporting e sou muito feliz no Sporting. Já estamos a trabalhar na próxima época há uns meses. Temos tudo planeado, ainda hoje falámos na pré-época. No futebol, tudo pode acontecer. Mas a vontade das partes é continuar, temos muito para fazer. Essa é a ideia".

publicado às 04:34

DESTAQUES

“Jogar na Madeira é sempre complicado, é uma equipa com confiança que, apesar da derrota, vem de um momento claramente favorável, está a crescer e recuperou um jogador como o [Bruno] Xadas, que lhe dá outra qualidade. Temos de ganhar os jogos, não deixar o terceiro aproximar-se e chegarmo-nos ao primeiro. Hoje em dia, todos os jogos são difíceis".

“O Pedro Gonçalves está fora do jogo e parece-me que vai estar alguns jogos fora. Em relação ao Pote, arriscámos um bocadinho no jogo com o Manchester City, mas depois ainda fez o tempo todo com o Estoril. São coisas que acontecem, sobrecarga, também é a habituação de jogarem muito mais jogos, há quem já tenha batido recordes de minutos e jogos que costumavam ter. E depois há coisas que acontecem na vida privada, que não sabemos. São coisas naturais da profissão".

"Somos mais equipa agora do que éramos na primeira volta. O facto de não termos esses jogadores [além de Pote, também Sarabia, Palhinha e Tabata não podem jogar], temos outros, que podem dar nuances diferentes ao jogo e isso é bom, para os outros treinadores não terem as nossas referências, existe alguma incerteza em relação ao onze que vamos apresentar. Portanto, podemos olhar para aquilo que falta, mas também para o que pode mudar no nosso jogo e a fome dos jogadores que podem ganhar o lugar".

GettyImages-1238471703-1536x1024.jpg

“O grupo acredita sempre, vivemos isto o ano passado, mesmo com 10 pontos a mais o grupo estava sempre desconfiado. Tudo pode acontecer até ao fim. Está muito confiante e o que têm de fazer é correr muito e jogar bem. Se fizermos isso, somos uma equipa muito difícil de bater".

“Tenho uma ligação diferente com esta direção por razões óbvias. Não quero estar a apoiar este ou aquele porque não é o meu papel. Apesar de ser sócio, como todos os funcionários, não me sinto no direito de me intrometer numa decisão que é da exclusividade dos sócios do Sporting. Acredito que esta Direcção vai ganhar, mas é uma decisão que tem de ser dos sócios, não irei opinar sobre essa questão nem irei votar, porque não me sinto no direito. Sou funcionário do Sporting e vou-me cingir a esse papel".

publicado às 02:34

Considerações de Rúben Amorim em síntese...

"Uma das grandes facetas desta nossa equipa é a fé, é o acreditar. Trabalham muito e acreditámos na nossa ideia, sabendo que vamos defrontar uma das melhores equipas do mundo e, claramente, o melhor treinador do mundo na atualidade, com uma base muito forte. Mas essa fome de vencer, às vezes, faz acontecer coisas muito especiais e é isso que esperamos no jogo, tendo essa grande obrigação de deixar os sportinguistas orgulhosos. Os jogadores têm a ideia de enfrentar isto da melhor forma, tudo é possível”.

“É muito difícil tirar o foco dos jogadores deste desafio. O jogo do FC Porto e o que se passou não terá qualquer consequência na abordagem ao jogo por parte dos jogadores. Não vai ter influência nenhuma”.

“O que se passou no Estádio do Dragão não foi bonito, os intervenientes têm muita culpa. Mas estamos aqui a falar de uns oitavos-de-final da Liga dos Campeões contra a melhor equipa do mundo e está-se a focar em coisas que não têm nada a ver com o jogo".

"Eu estou aqui para responder a coisas relacionadas com a Liga dos Campeões, se quisesse falar de outra coisa dava entrevistas, como eu não dou entrevistas, vou passar a focar-me só nisso. O futebol português não vai mudar, por isso não vale a pena estar a chatear-me”.

"Não podemos estar a manipular a nossa equipa de forma a tapar qualquer ideia que o City tenha, porque eles mudam. Tivemos muita atenção na observação da equipa do Man City e vemos o seu treinador a mudar completamente o posicionamento dos jogadores, porque as equipas se apresentam a tentar bloquear o jogo. Para nós, nesse aspecto, foi muito fácil".

"O segundo golo do Sporting no Dragão vem muito dos posicionamentos, já fizeram aquilo e saiu bem. Se repararem, foi quase tudo de primeira e isso tem a ver com o talento dos jogadores, calhou tudo bem. Mérito da equipa técnica e, principalmente, dos jogadores”.

"Pote é um rapaz bem robusto, que não costuma ter lesões. Nunca o vi tão sério a falar com uma equipa médica e um treinador a dizer que estava bem. Fez todos os testes e deu apto para o jogo. Vamos ver, é mais uma opção".

"Acredito que a passagem é possível, mas não vou falar em números ou probabilidades. É possível acontecer, temos de acreditar. Os meus jogadores já me surpreenderam muitas vezes, já fizeram alguns milagres. É mais importante eles acreditarem. Eu acredito que é possível, tenho mais alguns anos disto que eles. Gosto dos meus jogadores também pela forma como acreditam no processo”.

publicado às 04:32

Algumas considerações de maior interesse de Rúben Amorim...

Tirar pontos ao FC Porto

“É uma oportunidade de tirar pontos e é muito mais que isso, há o confronto direto que pode fazer diferença. Em caso de vitória do Porto, são nove pontos, em caso de vitória do Sporting, são três pontos, é um campeonato completamente diferente. Não é preciso dar muita volta à cabeça, são essas as nossas contas. Temos de encarar esse jogo como o do Famalicão, é uma final. Não podemos perder pontos, temos de ganhar os nossos jogos. E contra um rival direto que está em primeiro lugar, que ainda não perdeu e nós sabemos que isso é uma aura que dá muita força às equipas. Tirando isso ao FC Porto, não são só três pontos, é muito mais que isso. É isso que vamos tentar fazer, sabendo que vamos defrontar uma grande equipa, num estádio que tem um apoio muito forte".

Elogios de Conceição

“O que o Sérgio Conceição fez foi não deixar a equipa adormecer, eu faria a mesma coisa. Todos os treinadores gostam de ouvir elogios, acho que todos os treinadores conseguem fazer uma avaliação certa da equipa, sabemos o momento das equipas e como estamos a jogar. O FC Porto está bem, e o Sporting CP também cresceu muito, é um facto. Encaro da mesma forma. É um elogio que vale pouco para os treinadores. Para nós, é obrigatório vencer".

img_920x519$2022_02_10_21_47_54_1960798.jpg

Ganhar vs Não perder

“Para nós, é absolutamente obrigatório vencer. Claro que perder são nove pontos, empatar são seis. Não podemos esquecer que temos um rival atrás, portanto temos de ganhar. Não podemos de modo algum diminuir a vantagem que temos para o Benfica e, se queremos lutar pelo campeonato, temos de vencer. Não fica nada definido. Já estive do outro lado e sei que se torna muito difícil. A obrigação deste clube é ganhar".

Slimani e Edwards

“De acordo com as características do Edwards, concordo [com o Sérgio Conceição], é um dos melhores jogadores do campeonato. O Slimani é um jogador que chegou agora, tem de se ambientar. Tem um passado muito bom com o Porto, pode fazê-lo, quer do banco quer jogando de início. Percebo os adeptos, já o esperava, não vai mudar nada. Tenho a minha ideia, vou segui-la. Quando o Slimani tiver de jogar, vai mesmo jogar. E aqui somos todos titulares, são todos iguais, temos de fazer o nosso trabalho em prol da equipa".

Gestão para a Champions

“Seria pouco coerente estar a fazer gestão quando não fiz com o Famalicão. Quem estiver apto, estão praticamente todos, vai a jogo. A melhor equipa, a que achamos que é melhor para vencer o Porto, é a que vamos apresentar".

Jogo mais importante da carreira?

“Não. Para mim, o mais decisivo foi logo o primeiro, o que estava mais nervoso e ansioso. Agora, não. Sei muito bem da importância para nós, para equipa e Clube, para a definição do campeonato, é realmente importante. É um jogo de campeonato que pode ter um papel muito importante na decisão do maior troféu que as equipas portuguesas lutam".

publicado às 04:04

Entre as suas várias considerações, destaque para a situação dos "amarelados" jogadores do plantel - Porro, Esgaio, Sarabia, Palhinha e Pote -, assim como a eventual utilização dos dois recém-reforços, Marcus Edwards e Slimani.

“Este é o jogo mais importante, por ser o próximo. Nós temos soluções para todas as posições e o mais importante é chegar ao Dragão, no mínimo, com os seis pontos de diferença. Se algum jogador não puder ir, não vai. Temos um jogo muito difícil, não temos ganho ao Famalicão e não vamos estar a fazer poupanças”.

"Slimani é, obviamente, um jogador de qualidade. Eu não o conhecia bem. É melhor na ligação do que aquilo que eu pensava. Tem de ganhar ritmo, tem poucos minutos de jogo, mas vai já para a convocatória. Tem características diferentes dos nossos homens da frente e, portanto, estou muito satisfeito com ele. Integrou-se muito facilmente. Claro que estou muito satisfeito por ter o Slimani junto do grupo. Se vai ter minutos depende do jogo. Está na convocatória. Eu não planeio substituições antecipadamente, só quando são aspectos físicos, quando nós sabemos que algum jogador não pode passar daquele minuto. Dependerá do jogo, é mais uma opção para entrar no jogo, porque não vai jogar de início”.

“Temos muito menos tempo para treinar do que o ano passado, vamos utilizar os jogos e os vídeos. Mas quando falamos em preparar os jogadores pelos jogos, depende do que o jogo pedir. O Edwards é um grande talento, um grande jogador, vai aprender a posição, mas também ainda temos o Bruno Tabata e depende do que o jogo pedir: pode pedir o Edwards, pode pedir o Tabata. É preparar bem os treinos para que eles possam crescer rapidamente”.

Bem... sabemos que nem sempre o discurso para consumo público reflecte a totalidade do que ocorre no balneário, mas, mesmo assim, gostaria de ter o à vontade de Rúben Amorim no que diz respeito à possibilidade de perder jogadores importantes na visita ao Dragão.

Por outro lado, pode muito bem ser uma estratégia sua, a fim de não deixar a ideia de uma equipa antecipadamente intimidada/condicionada pela vertente disciplinar.

NOTA: O jogo vai afinal ser dirigido por André Narciso, que antes fora nomeado para o Leixões-Rio Ave. Esta alteração, aparentemente, resulta do facto de ter sido detectado um caso positivo de Covid-19 na equipa de arbitragem liderada por Vítor Ferreira, que tinha sido escolhida inicialmente. Os assistentes de André Narciso serão Paulo Brás e Marco Vieira. O quarto árbitro e a equipa VAR permanecem sem alterações.

publicado às 03:34

Algumas considerações interessantes de Rúben Amorim. Apesar da antevisão ao jogo com o Belenenses SAD, o principal destaque foi para o último dia do mercado e as decisões do Sporting.

Sobre Slimani

“O Slimani é um tipo de avançado diferente, também a nossa equipa mudou um pouco a forma de jogar, jogamos mais subidos. Tivemos imensos jogos com muitos cruzamentos e faltou-nos uma referência na área. Quando perdemos o Coates não tivemos solução para o jogo aéreo na frente. É um jogador que vem a custo zero, conhece bem o clube, tem 33 anos e hoje em dia isso é ser novo. Faz golos, é intenso na pressão. Nós reparámos que era uma boa solução para este momento da equipa. No passado já tínhamos tido essa hipótese e eu disse que não o queria. Mas isto mudou, a nossa forma de jogar mudou, precisamos dessa referência por vezes que nos vai ajudar a ganhar jogos".

Screenshot (626).png

Sobre Marcus Edwards

“O Edwards já tínhamos interesse desde o ano passado. Não havia condições então, desta vez houve e o jogador teve muita vontade de vir para o Sporting. Foi muito importante ele vir já. Quando falei com ele, ele é muito introvertido e eu sei que vai demorar o seu tempo até conhecer os colegas, pelas características dele. Agora futebolisticamente tem condições muito boas, é um talento, muito forte entrelinhas, no um para um. Vai adaptar-se bem, tem muitos jovens aqui, muitos deles falam inglês. Esperamos uma adaptação rápida dos dois, não é apenas já para amanhã, mesmo o Slimani é já a contar para a próxima época, o Edwards é a contar para muitas épocas”.

Sobre um defesa central

“Não chegou a ser equacionado um defesa central, temos jogadores e fazemos também adaptações nos laterais direitos e esquerdos. Começámos a ver que não precisamos de tantos jogadores na equipa. O Matheus Reis adaptou-se bem à posição, o Esgaio ainda agora mostrou que consegue fazer bem. Central não procurámos".

Sobre Tiago Tomás

O Tiago foi responsabilidade minha. A minha ideia e eu tive essa iniciativa era procurar um clube em Portugal que se adaptasse a ele, ou que ele se adaptasse bem. Surgiu outro caminho, essa escolha foi dele, temos de entender. O TT não ia ter espaço, é um miúdo com talento e já estava frustrado e com razão, porque foi dos jogadores mais utilizados em termos de jogos. Mas o futebol é mesmo assim, as coisas mudam muito rápido, as ideias do treinador também. Eles ajudaram a criar um grande grupo, ajudaram o Sporting a ser campeão e portanto desejo o melhor para todos eles. Se voltarem ao Sporting que voltem melhores jogadores”.

Sobre Jovane Cabral

“Tem todas as condições para ficar na Lazio porque é um grande jogador. Tenho saudades deles mas sei que isto é a nossa vida, eles não tiveram nenhum problema de saúde. Só outros objectivos e eles têm aqui sempre pessoas para os ajudar. Sabemos dos riscos e é uma opção nossa. O Jovane foi emprestado e poderá ser comprado".

Sobre Geny Catamo

O Geny é jogador do Sporting, não sei se há opção de compra mas sei que posso repescá-lo. Acredito muito nele. Vai ter oportunidade de trabalhar com um grande treinador, num clube com exigência muito grande. Aqui estaria entre a equipa principal e a equipa B".

Necessidade de um homem de área

“Nestes últimos jogos eu e a equipa técnica reparámos muito mais nessa necessidade de um homem na área. No início de época crescemos muito no ataque posicional, encostámos as equipas, daí a dificuldade do Tiago Tomás em ter minutos porque precisa de espaço para melhor explorar e muda-se aí as características dos avançados. Sempre que o Seba subiu criámos bastante perigo, mesmo no jogo com o Santa Clara. Fizemos uma adaptação do plantel. O Marcus Edwards era uma coisa pensada desde a época passada, o Slimani uma adaptação. O que fizemos foi uma avaliação e tendo um jogador disponível a custo zero, já conhecendo o clube, passou por aí a nossa escolha”.

Alterações e adaptação dos reforços

“Vamos fazer alterações porque achamos que é o melhor para manter a intensidade para o jogo com o Belenenses SAD. Vamos ver quanto tempo os reforços vão demorar a adaptar-se, depende deles, da forma como se adaptam ao sistema de jogo, aos colegas, o Slimani já conhece Lisboa, o Edwards não, mas o Edwards vai ser já convocado porque temos poucas soluções. Tivemos também saídas. A equipa B tem jogo e não vamos lá tirar jogadores. Vamos meter já o Edwards a interagir com os colegas, hoje já percebeu um pouco a ideia. O Slimani só chega amanhã, vai ter menos problemas a adaptar-se. O grupo é forte, é uma família e de certeza que os vão ajudar”.

publicado às 03:34

Muitos adeptos não andam satisfeitos com o rendimento de Paulinho e o recém-falhanço à boca da baliza do Santa Clara não contribuiu para uma melhor imagem do jogador.

Dito tudo isto, há uma opinião que conta mais do que todas as outras. Instado, novamente, a comentar o lance da meia-final com o clube açoriano, Rúben Amorim teve isto para dizer:

"Já disse o que tinha a dizer sobre o lance, falhou num dia, vai marcar noutros. Continua a ser para mim o melhor avançado português e o que eu quero para a nossa equipa. O que acontecer no mercado, cá estarei depois para explicar":

E não alimentou especulações sobre a parte activa do Sporting no mercado:

"Em relação ao mercado, daqui a poucos dias fecha e eu cá estarei para responder de acordo com o que eu entender. Será feito o melhor para toda a gente, segundo a minha ideia. Eu falho às vezes, mas será de acordo com tudo, com o futuro da equipa e dos jogadores".

Por fim, comentou o adversário na final que será hoje disputada:

"Em relação à pressão, o Benfica de certeza que não tem mais pressão do que nós. Para mim, está até mais do nosso lado porque temos de ganhar. O facto de termos títulos há menos tempo do que o Benfica não nos coloca numa posição mais confortável. As duas derrotas mexeram um bocadinho com tudo o que está à volta do Clube. Amanhã temos mais um título para vencer e é isso que queremos fazer".

Não me agrada nada ele ter dito que as duas derrotas "mexeram um bocadinho com tudo o que está à volta do Clube". Até é verdade, mas não me agrada, porque não contribuirá para um futuro dele no Clube a longo prazo. Deve ter ficado a pensar... 'se reagem assim após duas derrotas, o que não será se vier pior'. E não deixa de ter razão.

publicado às 03:03

DESTAQUES

A disputa por mais um troféu

“Obviamente que é bom lutar por títulos, são boas sensações, sabemos que esta semana vamos decidir um título e isso é sempre bom. Mas, mesmo que fosse num particular, é sempre importante essa sensação de vencer, é bom para qualquer grupo. Vamos jogo a jogo, mas sempre a pensar que queremos vencer a Taça da Liga”.

O ambiente no balneário

“As sensações são diferentes para toda a gente que anda na Academia e isso é bom, é sinal de exigência, sinto que o grupo sente as derrotas. O que fizemos foi olhar para os jogos, retirar aquilo que falhou e percebemos que as derrotas com o Santa Clara e o SC Braga foram diferentes. Foram situações em que estivemos a correr atrás e isso nunca aconteceu o ano passado, são sensações novas a que os jogadores têm de se adaptar. Alguns já viveram noutros clubes, mas, todos juntos, são sensações diferentes, não tão agradáveis como as do ano passado”.

A possibilidade de João Palhinha ser vendido

“Estamos sempre preparados para tudo, também não queríamos perder o Nuno Mendes nem o Wendel. Apareceu o Daniel Bragança, que se calhar estava atrás de outros médios e cresceu muito; apareceu o Matheus Nunes. Ganhámos um campeonato, uma Super Taça e uma Taça da Liga, mas isto foi um ano e meio, o clube não mudou assim tanto e ainda temos dores de crescimento. Claro que gostávamos de não perder ninguém, mas temos noção do caminho que o Sporting tem de percorrer e nada vai mudar isso”.

A última exibição de Gonçalo Inácio

“Teve um crescimento muito grande, relembro que, quando o puxámos para cima, às vezes até jogava a defesa esquerdo. Adaptou-se muito bem à equipa, teve um crescimento se calhar diferente do que as pessoas da Academia pensavam em relação, por exemplo, ao Quaresma. Acho que devem fazer barulho em relação à última exibição, dizerem que tem muito que melhorar, é da maneira que continua no clube. Está pronto para ir a jogo com o Santa Clara e tenho a certeza que vai dar uma excelente resposta”.

publicado às 03:01

DESTAQUES

“Nunca vi o Braga a jogar em blocos baixos, escolheu foi o momento certo para pressionar. Lembro-me de um jogo no ano passado em que o SC Braga nos pressionou muito, logo na saída de bola. Na Supertaça não foi tanto assim, em Braga não foi tanto assim. Sabem que somos bons na profundidade. Creio que vai haver esse jogo: por vezes pressão alta, outras vezes vão esperar mais o momento, vão-nos bloquear certos jogadores, como nós fazemos. Temos de ter muita atenção à profundidade e 1×1 com Galeno. É completamente diferente [jogarem] com Iuri [Medeiros], só o pé é diferente, a capacidade de isolar jogadores é diferente. O SC Braga vai-se adaptar ao jogo e nós também. Sabemos os pontos fortes do Braga. Quem tiver mais inspirado e concentrado a defender, percebendo melhor o jogo, vai certamente vencer".

“Quando falei do Matheus Nunes foi para deixá-lo em alerta, para dar atenção também ao que o Dani tinha estado a fazer. Nada mais que isso. Fiz o mesmo que todos os treinadores fazem, porque nós somos uma equipa onde temos de trabalhar muito. Temos um ano a trabalhar juntos, somos melhores. Mas, se não estivermos no máximo, não vamos ganhar os jogos, portanto, sentindo aqui ou ali, que alguns jogadores possam baixar, os outros aparecem em certos jogos. Mas frisei que o Matheus, para mim, é um bom exemplo. É um miúdo fantástico. É um exemplo de trabalho. Tentamos usar as oportunidades que temos, publicamente e com eles nos treinos, para deixá-los sempre em alerta e no máximo. Só dessa forma podemos ganhar jogos e o título".

"Não vou comentar Marcus Edwards. Quem vier, será a pensar no futuro, e obviamente para o presente. Estou muito contente com os meus jogadores, são mais do que suficientes para garantir resultados até ao final da temporada. Quero apenas realçar as qualidade dos meus jogadores. O que tiver de acontecer vai acontecer".

“Fiz um reparo que não deveria ter feito, porque me parece que foi utilizado para justificar um castigo sobre o que nunca aconteceu. Não me quero alongar muito sobre isso. Estive a ver as imagens e, não sabia na altura em que falei, foi o Nuno Santos a mandar água. No relatório vem ‘gesto obsceno’. Vi as imagens todas, para saber todos os lados da história, não vi imagens desse gesto obsceno. Se mostrarem, estarei aqui na próxima semana e poderão confrontar-me com isso. Não vi nada disso. Perguntei ao jogador e ele disse-me que não.

A ilação que tiro, mais do que ficar sem o Nuno Santos e ele falhar um jogo, é ter atenção ao relatório. O Sporting CP faz muito bem em defender-se e defender um dos nossos. Podemos fazer um reparo ao nosso jogador, que levou um cartão amarelo, e levou um castigo que nunca aconteceu. Não me parece justo. Volto a dizer, o Nuno tem de aprender com estas situações, e o treinador de certeza que aprendeu com esta situação. Não estou aqui para parecer bem a ninguém ou dar reparos aos meus jogadores publicamente. Pensei que estava a ajudar o Nuno e o que vi foi que não ajudei o Nuno, apenas ajudei a justificar um castigo. Eu aprendi, o Nuno tem de aprender".

“Não gosto muito de me pronunciar, mas obviamente que alguém que aposta em mim… E a relação que tenho com a Direcção, não vou estar a mentir: tenho uma ligação diferente com a Direcção. As eleições são para os sócios do Clube, para olharem para o todo, futebol e modalidades, para tudo o que consta o Clube em si e decidirem, e não olharem só para o futebol, se gostam ou se não gostam do treinador. Deixo para os adeptos. Obviamente que tenho uma ligação especial a esta Direcção e não o vou esconder.”

publicado às 02:48

Screenshot (588).png

DESTAQUES

"Espero um jogo difícil, diferente da primeira volta. Estão mais habituados ao momento, fizeram bons jogos e cresceram. Nós também, jogamos de forma diferente em alguns aspectos. Espero um jogo melhor, com o mesmo resultado. Precisamos de vencer, manter a nossa posição e tentar algo mais".

"Todos os jogos são perigosos. Os nossos rivais estão fortes, perdem poucos pontos, nós também. Temos de vencer e jogar melhor. Temos de ter mais agressividade e intensidade, esse é o grande foco. Olhámos muito para nós, vimos o que temos de fazer melhor, não deixar o adversário chegar com tanta frequência à nossa área. Sofremos tantos golos em duas jornadas como nos outros jogos da Liga, isso são sinais. Qualquer derrota pode fazer abanar os sportinguistas. Já tivemos uma desvantagem maior para o primeiro e com a Champions pelo meio e soubemos dar a volta".

"Os jogadores que vierem são a pensar no presente e futuro. O Vitinha desmentimos para que não existam mal entendidos. Quem vier será a pensar nesta e nas próximas épocas".

"Se perdermos algum jogador não vou comentar. Passa por mim. É um pouco hipócrita dizer o que sinto por trocar jogadores. Vamos fazer o melhor para o grupo. O Paulinho foi um exemplo, esperámos até o ter. Que os adeptos saibam que temos uma ideia muito bem clara. Olhamos para a formação, jogadores com formação e que possam vir ajudar. Estou muito satisfeito com o nosso grupo. O plantel dá garantias para o resto do campeonato".

"O que eu quero é que o Pote aumente a agressividade na pressão e os golos vão aparecer. É um jogador que nos oferece muito mais do que golos. Ele tem de continuar a trabalhar porque os golos vão aparecer".

"O Pedro Porro não está e não sei quando vai estar. O Jovane começou agora a incorporar os exercícios. É um jogador que nos faz falta".

"Ugarte já provou que está pronto para ser o 6 este ano. Dormimos mais descansados porque o Palhinha no ano passado teve um desgaste muito grande. Se falhar o Palhinha, este ano estamos mais descansados. Foi uma grande contratação".

publicado às 02:33

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D




Cristiano Ronaldo