Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (195)

Artur José Pereira, o Sporting e a fundação do Belenenses

Leão Zargo, em 26.04.20

21783476_4B0Bh.jpeg

“Ó Jorge, diz ao Artur que vá à merda e que funde o tal clube em Belém”. Na verdade, qual é o momento fundacional de um clube desportivo? Por exemplo, quando a maior estrela do futebol do seu tempo se liberta do clube onde está a jogar para finalmente poder fundar o clube do seu coração.

A história conta-se rapidamente. Em 1919, Artur José Pereira jogava no Sporting depois de ter protagonizado em 1914 a maior transferência no futebol português até essa altura. Por razões disciplinares tinha sido suspenso pelo Benfica durante seis meses e ele aceitou uma proposta de Francisco Stromp para jogar nos leões a troco de uma determinada quantia mensal. Tratou-se de um acordo meramente verbal.

O jogador vestiu de verde e branco durante cinco anos, mas acalentou sempre o sonho de fundar um clube na zona de Lisboa onde tinha nascido (na Rua do Embaixador, perto das Salésias). Mário Duarte diria mais tarde que “[Artur José Pereira] não queria abandonar o futebol sem deixar em Belém, berço de muitos dos melhores futebolistas lisboetas, um grupo digno e capaz de defender brilhantemente a sua terra que ele tanto estimava como depois tive ocasião de apreciar”.

Artur José Pereira considerava-se em dívida para com Francisco Stromp, pela amizade e pelo tratamento cortês que sempre recebeu. Assim, para evitar o temperamental capitão-geral do Sporting, recorreu ao seu amigo Jorge Vieira, futebolista leonino, para que este metesse um empenho que o libertasse do compromisso que assumira. Foi aí que, irritado, Stromp proferiu uma frase profética: “Ó Jorge, diz ao Artur que vá à merda e que funde o tal clube em Belém”. De facto, pouco tempo depois, em 23 de Setembro de 1919 na Praça Afonso de Albuquerque, era fundado o Clube de Futebol “Os Belenenses”!

Na fotografia, equipa do Sporting em 1915-16 com os três protagonistas desta história.

Em cima - Artur José Pereira, Raul Barros, Augusto Paiva Simões, Boaventura da Silva, Jorge Vieira e Amadeu Cruz;

Em baixo - Marcelino Pereira, Jaime Gonçalves, Alfredo Perdigão, Francisco Stromp e John Armour.

publicado às 13:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo