Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

download.jpg

 

Sporting e Vitória de Guimarães emitiram esta quarta-feira um comunicado conjunto,  dando conta que a SAD minhota desistiu do pedido de insolvência que tinha interposto contra o Sporting devido ao incumprimento na transferência de Raphinha:

 

"SCP SAD e a VSC SAD comunicam que iniciaram negociações tendentes à resolução do incumprimento contratual verificado na transferência do jogador Raphael Dias Belloli. Tentando antecipar a boa conclusão dessas negociações, o que se espera, as partes mais comunicam que já alcançaram um acordo para a desistência da instância do processo de insolvência".

 

Os dois presidentes, Júlio Mendes e Frederico Varandas, estiveram reunidos no passado dia 8 de Março, em Guimarães, na tentativa de alcançar um acordo. Em causa uma dívida de 4,1 milhões de euros do Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:02

 

21120704_dl3Da.jpeg

 

COMUNICADO DO CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

 

(Processo 7/2018)

 

O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal vem comunicar aos sócios ter sido proferida decisão final no âmbito do processo disciplinar número 7/18, em que são arguidos os sócios visados Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho (“Bruno de Carvalho”), Carlos Fernando Barreiros Godinho Vieira (“Carlos Vieira”), Rui Pereira Caeiro (“Rui Caeiro”), José Eduardo da Câmara Correia de Lemos Quintela (“José Quintela”), Luís Filipe Teixeira Gestas (“Luís Gestas”), Luís Miguel Salgueiro Roque (“Luís Roque”) e Alexandre António Gaspar Carvalho Godinho (“Alexandre Godinho”).

 

Assim, foi deliberado pelo Conselho Fiscal e Disciplinar aplicar as seguintes sanções:

 

- O Sócio Visado Bruno de Carvalho foi punido com a sanção de Expulsão;

 

- O Sócio Visado Alexandre Godinho foi punido com a sanção de Expulsão;

 

- O Sócio Visado Carlos Vieira foi punido com a sanção de Suspensão por nove meses;

 

- O Sócio Visado Luís Gestas foi punido com a sanção de Suspensão de seis meses;

 

- O Sócio Visado Rui Caeiro foi punido com a sanção de Repreensão Registada.

 

Mais foi deliberado arquivar os autos quanto aos sócios visados:

 

- Luís Roque;

 

- José Quintela.

 

A decisão, em detalhe, do Conselho Fiscal e Disciplinar, disponível aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:33

Comunicado do Conselho Directivo

Rui Gomes, em 17.02.19

 

11350501_435186369994715_9029993473815943424_n.jpg

 

"O Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal informa que na próxima sexta-feira, 22 de Fevereiro, fará um balanço e exposição da situação do Clube desde Setembro de 2018, altura da sua tomada de posse.

 

É nossa firme convicção que a situação do nosso Clube exigia, por estrito sentido de responsabilidade, uma gestão silenciosa. 

 

Neste momento, e porque o Sporting Clube de Portugal é e será sempre dos Sócios, impõe-se a verdade sobre o “Estado da Nação”, o que faremos em Conferência de Imprensa, sem prejuízo da apresentação mais detalhada, a fazer na próxima Assembleia Geral.

 

O Sporting Clube de Portugal precisa do sentido de responsabilidade de todos. 

 

Todos são necessários para recuperarmos a essência, o nosso ADN. É fundamental voltar a semear, organizar, investir. E com a grande força dos nossos Sócios e Adeptos, com o profissionalismo e entrega de todos os que vestem a nossa camisola, por mais dificuldades, por mais rasteiras, por mais adversidades que existam, o Sporting Clube de Portugal resistirá a tudo, continuará o seu caminho e vai reerguer-se".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:10

 

20973671_TOhCZ.jpeg

 

Em face da informação ontem e hoje trazida a público sobre o recurso interposto pelo atleta Ristovski, a Sporting SAD entende como oportuno referir o seguinte:
 
Em primeiro lugar, é de lamentar profundamente que os órgãos federativos tenham optado por discutir publicamente um processo disciplinar e seu recurso, para mais omitindo pormenores que seriam relevantes para o cabal esclarecimento da questão;
 
Em segundo lugar, esclarecer o seguinte:
 
2.1. O mapa de castigos contendo a sanção de suspensão por 2 jogos aplicada ao jogador Ristovski foi divulgado no dia 01 de fevereiro, às 16.58;
 
2.2. Às 17.52 do mesmo dia, foi solicitada à FPF a documentação que fundamenta a decisão;
 
2.3. A esse pedido, respondeu a FPF, às 10.00H do dia 4/2;
 
2.4. O recurso foi preparado e deu entrada nos serviços da FPF às 20:47 do mesmo dia 4/2.
 
O recurso interposto foi julgado sem ouvir qualquer testemunha, analisando apenas a prova videográfica apresentada;
 
Tal decisão poderia, obviamente, ter sido tomada de imediato, a partir das 20.47H do dia 4/2, desconhecendo a Sporting SAD por que razão foi designada a inquirição de uma testemunha cujo depoimento, afinal, se entendia ser inútil para a decisão que veio a ser tomada.
 
É incompreensível, portanto, que, em face dos factos referidos supra, se refira uma alegada demora do Sporting, quando a FPF – porventura porque os serviços estarão encerrados ao fim de semana – demorou mais de 60 horas (!!) a enviar a documentação que fundamenta a decisão.
 
Sublinhe-se: o recurso foi interposto 75 horas e 49 minutos após a divulgação do mapa de castigos. Desse lapso temporal, são atribuíveis ao jogador 11 horas e 41 minutos para a solicitação dos fundamentos e a elaboração do recurso após a recepção e análise daqueles; as remanescentes 64 horas e 08 minutos correspondem ao tempo que a FPF tardou em proceder ao mero envio dos elementos solicitados (que nem careciam de ser elaborados, porque já existiam), de que depende o início do prazo para recurso.

 

ristovski3.jpg

 

É igualmente incompreensível, e caricato, que a FPF aplique uma sanção de suspensão por dois jogos por mapa de castigos, com a mera indicação da norma aplicável, mas já sinta a necessidade de lavrar 23 (vinte e três!) páginas de texto para reduzir essa sanção para um jogo.

 

Quantas horas tomou essa redacção? Porque não comunicar de imediato ao interessado o sentido da decisão, que se sabe ser urgente, e remeter os fundamentos posteriormente, se solicitados?
 
É fundamental que os órgãos dirigentes da FPF dotem o organismo dos meios que possam assegurar que os recursos são decididos em tempo útil, sendo obviamente descabido responsabilizar os recorrentes por isso não ter acontecido.
 
A Sporting SAD lembra que o primeiro jogo em que o castigo foi cumprido se realizou no Domingo e que foi a FPF que tornou manifestamente impossível recorrer do castigo, nessa parte.
 
E termina lembrando que o atleta Ristovski foi despenalizado do segundo jogo de castigo que lhe foi aplicado, o que bem atesta que tinha razão no recurso que interpôs. E que, por isso, foi injustamente afastado do jogo de ontem.
 
A Sporting SAD vai requerer à FPF uma reunião de urgência sobre o tema da adequação dos regulamentos e procedimentos à lei e sobre a necessidade de a FPF garantir o julgamento dos recursos em tempo útil.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:54

 

fc090965ba11f497b9a7401b512cfb46.jpg

 

A mensagem que o Sporting enviou por "falha informática aos sócios aniversariantes" e que fazia referência ao acidente sofrido por Serguei Cherbakov causou mal-estar junto do antigo jogador leonino.

 

Num comunicado emitido pela sua assessoria, é alegado que o seu nome foi "utilizado de forma torpe e totalmente despropositada pela comunicação do Sporting", com referência adicional a um  "processo" que terá sido abandonado desde o mandato do ex-presidente Sousa Cintra.

 

Eis o comunicado:

 

"1. Foi com profundo lamento e mágoa que tivemos conhecimento que o nome do ex-jogador Serguei Cherbakov se encontrava a ser utilizado de forma torpe e totalmente despropositada pela comunicação do Sporting Clube de Portugal;

2. A data em que ocorreu o trágico acidente que envolveu Serguei Cherbakov, não deve ser aproveitada como forma de felicitar o aniversário de sócios do Sporting Clube de Portugal. Ora, misturar uma data trágica com uma data de felicidade, além de despropositado, reveste-se de uma deselegância extrema para o ex-jogador do Sporting, bem como para a esmagadora maioria da massa adepta do Sporting Clube de Portugal;

3. A data do trágico acidente deveria sim, ser lembrada, para retomar um processo que desde o mandato do ex-Presidente Sousa Cintra, foi abandonado. O Serguei continua a aguardar, pacientemente, que uma Direcção do Sporting Clube de Portugal tome as rédeas do processo em definitivo e limpe uma mancha que se tem vindo a arrastar de Direcção em Direcção;

4. O nome de Serguei é lembrado sempre em campanhas eleitorais, e lamentavelmente, agora, é também recordado de uma forma rude e extremamente agressiva em campanhas de comunicação do Sporting Clube de Portugal;

5. Recordamos que o Serguei Cherbakov nunca deixou de carregar consigo o sangue de leão, e embora maltratado, nunca abandonará o clube do Seu coração."

 

Um episódio lamentável e evitável, sem dúvida. Confesso, no entanto, que desconheço ou não me recordo neste momento do "processo" que remonta ao mandato de Sousa Cintra.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:23

Sporting oficializa Marcel Keizer

Rui Gomes, em 09.11.18

 

xxl.jpg

 

A Sporting SAD oficializou, esta quinta-feira, a contratação de Marcel Keizer como o novo treinador.

 

Em comunicado enviado à CMVM, a SAD confirmou a chegada do técnico holandês a Alvalade, consumada que está a desvinculação do Al Jazira, clube dos Emirados Árabes Unidos.

 

Keizer assina um contrato válido duas épocas e meia, ou seja, válido até ao Verão de 2021. Não há ainda indicação quanto a uma eventual apresentação oficial.

 

Eis o comunicado enviado pelo Sporting à CMVM:

 

"A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD, vem, nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º-A do Código dos Valores Mobiliários, informar que chegou a acordo com Marcel Keizer para a celebração de um contrato de trabalho desportivo como treinador da sua equipa principal sénior de futebol, válido de 12 de Novembro de 2018 até ao dia 30 de Junho de 2021". 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:33

Dezoito milhões por Rui Patrício

Rui Gomes, em 31.10.18

 

sporting-sad.jpg

 

A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD (adiante Sporting SAD ou Sociedade) vem, nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248.º-A, n.º 1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, informar o mercado que, na presente data, celebrou um acordo relativo à transferência de RUI PEDRO DOS SANTOS PATRÍCIO para o WOLVERHAMPTON WANDERERS FOOTBALL CLUB (1986) LIMITED no valor de €18.000.000,00 (dezoito milhões de euros).

 

Por via do acordo celebrado o Jogador e a Sociedade renunciaram a quaisquer direitos de que pudessem ser titulares em virtude do contrato de trabalho desportivo e da resolução unilateral promovida pelo Jogador.

 

Lisboa, 31 de Outubro de 2018


O Representante das Relações com o Mercado 

 

*** Na realidade, os mesmos valores que já tinham sido negociados pelo ex-dirigente Guilherme Pinheiro e o clube inglês, e que só a irresponsável intervenção do presidente destituído impediu a transferência na altura, exigindo mais dois milhões de euros à última da hora.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:41

 

download.jfif

 

A Administração da Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD e a da Portimonense Futebol SAD reuniram com o intuito de solucionar o diferendo ocorrido no passado sábado na sequência do jogo das respectivas equipas de Sub-23.

 

Foi por ambas concluído que não existem condições para a permanência do jogador Rafael Barbosa no Portimonense e, como tal, o jogador integrará de imediato a equipa de Sub-23 da Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD.

 

A Portimonense Futebol SAD agradece à Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD a confiança na cedência temporária do jogador Rafael Barbosa para esta época e deseja as maiores felicidades pessoais e desportivas ao jogador.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:49

O adeus de Pedro Madeira Rodrigues

Rui Gomes, em 04.09.18

 

image.jpg

 

Quando se colocou o cenário de eleições, não tinha como condição imprescindível voltar a avançar e, na altura em que decidi fazê-lo, foi sobretudo por não ver em nenhum dos candidatos assumidos até à data em que avancei, a capacidade para assumir a condução do Sporting.

 

Para além disto, decidi avançar a partir do momento em que tinha asseguradas boas soluções para o futebol e para a área financeira. Estou habituado a tomar decisões e decidir pelo que entendo ser o melhor e não pelo que é politicamente correcto.

 

Chegando a este ponto e após reflexão e por nunca ter estado obcecado em ser presidente do Sporting Clube de Portugal, mas antes empenhado em contribuir para uma solução eficaz que traga de volta o grande Sporting e para evitar que o seu rumo fique entregue a experimentalismos, decidi apoiar José Maria Ricciardi. Dos actuais candidatos é aquele que reconheço que tem capacidade de gestão e liderança para colocar o Sporting no caminho do sucesso.

 

Dou assim um distinto sinal de união que é fundamental no momento que o nosso Clube atravessa. Agradeço a toda a minha equipa e aos meus apoiantes pela disponibilidade e confiança que em mim depositaram.

 

Pedro Madeira Rodrigues

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

 

image (2).jpg

 

Dias Ferreira, um homem com aspirações a ser presidente do Sporting Clube de Portugal, não reconhendo ou ignorando a sua total inaptidão para o cargo, escolheu esta altura para emitir um extenso comunicado a atacar a Comissão de Gestão, com foco na gestão de jogadores, nomeadamente aqueles oriundos da formação, e ainda acusando os elementos da Comissão de terem prestado vassalagem ao Benfica, pela sua presença na tribuna da Luz no recém-dérbi.

 

Diz ainda este pseudo-candidato que esperou até este momento de forma a não perturbar a estabilidade da equipa, tendo em conta o fecho do mercado de transferências e o jogo da 4.ª jornada frente ao Feirense.

 

Mais do que alguns factos incontestáveis, fica o registo das intenções do homem que clama condições fictícias para liderar a Instituição centenária que é o Sporting Clube de Portugal.

 

Eis o comunicado, na íntegra:

 

Após o encerramento do mercado a 31 de Agosto, aguardámos pacientemente e em nome da estabilidade da equipa principal de futebol, a realização do jogo da 4ª jornada frente ao Feirense que, para alegria de todos, terminou com uma vitória suada mas merecidíssima.

 

No entanto, não podemos mais travar a nossa indignação, tendo ficado absolutamente claro para todos os sportinguistas que a política de gestão e aquisição de jogadores terá de ser profundamente alterada, após o dia 9 de Setembro.

 

Nos últimos 6 anos, o Sporting contratou praticamente 200 jogadores para um plantel de cerca de 25 atletas, a maioria nem sequer é conhecida pelos sócios, vários nunca chegaram sequer a jogar. O que explicita a forma desequilibrada e irracional como foram geridos alguns dos investimentos realizados.

 

O Sporting não pode continuar a ser um refúgio para os empresários gerirem as suas carteiras de jogadores, sem com isso retirar benefícios. Somos um dos maiores viveiros de jogadores do mundo!

 

Precisamos de valorizar os atletas com origem na formação, rentabilizando a compra de profissionais de futebol através de uma política ponderada, em que o nosso Clube reassumirá a total liderança do processo.

 

Para esse efeito, é nossa intenção criar um departamento específico de acompanhamento dos jogadores do Sporting que não fazem parte do plantel principal cuja principal função será a de monitorizar, avaliar e projectar uma estratégia de permanente avaliação dos activos do Clube que estão ao serviço de outros clubes.

 

Estivemos atentos ao mercado e às contratações realizadas, bem como às cedências feitas pelo Sporting de valores oriundos da formação. Mais uma vez, com o nosso silêncio quisemos privilegiar, como sempre, a estabilidade no seio do actual plantel profissional de futebol.

 

No entanto, e uma vez encerrado o mercado, é muito difícil entender que o Sporting tenha deixado partir atletas da formação com grande qualidade, como são Francisco Geraldes, João Palhinha e Matheus Pereira. É, também, muito difícil não ficarmos muito tristes quando nos deparamos com mensagens de atletas como foi o caso de Fábio Coentrão, assumido Sportinguista como o demonstrou em campo na última época, sem que o Sporting tenha feito tudo o que estava ao seu alcance para o contratar. Apesar de, com todo o respeito pelos jogadores que permanecem no plantel, sermos deficitários nessa posição específica.

 

Após o dia 9 de Setembro se, como esperamos, formos a escolha dos Sportinguistas tudo faremos para dar total prioridade e atenção à evolução dos referidos jogadores no sentido de garantir, o mais rápido possível, o seu regresso ou a sua contratação.

 

O Sporting CP não pode continuar a dispensar atletas altamente qualificados quando não dispõe de melhores soluções dentro de casa.

 

Mantivemos o silêncio em prol da estabilidade da equipa mas, neste momento, também não podemos mais calar a nossa revolta, perante os sinais que a arbitragem já nos ofereceu no jogo de ontem.

 

Coincidência ou não, esse comportamento dentro das quatro linhas surge uma semana depois dos responsáveis do Sporting terem prestado vassalagem na tribuna do estádio do nosso rival com trocas de beijinhos, abraços e lembranças (esperemos que não tenham sido vouchers...), verificando-se que o Sporting se fez representar ao mais alto nível mas não foi, de todo, recebido ao mais alto nível.

 

Sem qualquer mandato para o efeito, os responsáveis do Sporting contribuíram para que se continue a branquear os comportamentos inadmissíveis e intoleráveis dos nossos rivais e as faltas de respeito para com adeptos do Sporting falecidos, dos quais os seus dirigentes nunca se demarcaram, nem apresentaram as devidas desculpas!

 

A Comissão de Gestão deve cingir a sua acção à prática de actos de gestão de necessidade inequívoca e urgente.

 

Lisboa, 2 de Setembro de 2018

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:18

 

download.jfif

 

Hoje, numa manifestação de desespero de quem já não respeita nada nem ninguém, o ex-Presidente destituído pelos sócios deu uma nova prova da permanente irresponsabilidade com que intervém ilegal e abusivamente na vida do Sporting Clube de Portugal, lançando a confusão e semeando a divisão no Clube.

 

Invocando os mesmos documentos com que na passada sexta-feira ilegalmente pretendeu usurpar funções que comprovadamente não são suas, hoje permitiu-se enviar durante o dia cartas a bancos com os quais o SCP mantém relações comerciais, nas quais, na qualidade abusivamente invocada de Presidente do Conselho Directivo do SCP, se permitiu pressionar os referidos bancos para impedir que as contas bancárias do SCP continuem neles a ser movimentadas pelos órgãos do Clube legitimamente em funções.

 

Esta desesperada iniciativa não obteve sucesso, tendo as referidas entidades bancárias recusado participar nesta tentativa de fraude.

 

Atendendo à gravidade destes factos, a Comissão de Gestão do SCP decidiu:


1 - Participar criminalmente do ex-Presidente destituído pelos sócios junto do Ministério Público por fraude e usurpação de funções;


2 - Participar à Comissão de Fiscalização estes factos para os efeitos tidos por convenientes.

 

Lisboa, 20 de Agosto de 2018


A Comissão de Gestão do Sporting Clube de Portugal

 

Foi William Shakespeare que disse:

 

"As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram. Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão".

 

O princípio do muito que está para vir!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:53

 

download.jfif

 

José Dias Ferreira, candidato a Presidente do Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal, colocou em dúvida a transparência da decisão da Comissão de Gestão (CG) no prolongamento do contrato de “catering” com a empresa “Casa do Marquês”, de que é sócio um membro da candidatura de.José Maria Ricciardi. A Comissão de Gestão repudia a referida insinuação, pelos seguintes motivos:

 

1. Quando a CG tomou posse em 16 de Junho, decorriam os procedimentos de um concurso aberto pelo anterior Conselho Directivo para os fornecimentos dos serviços de “catering”, cuja concessão terminou na época desportiva 2017/18. Das sete empresas consultadas apenas uma tinha realizado a vistoria técnica, procedimento indispensável à apresentação final de propostas.


2. Face ao evidente atraso de todo o processo, iniciado em 12 de Junho, ficou evidente que seria difícil tomar uma decisão em tempo útil, dado que a empresa vencedora do referido concurso tinha como obrigação estar em condições de iniciar a prestação dos serviços no início da época 2018/19.


3. Face ao exposto, a Comissão de Gestão decidiu pedir um relatório aos serviços internos que acompanhavam o concurso em causa. Nesse relatório, entregue a 9 de Julho, fica claro que seria impossível finalizar o concurso a tempo de iniciar a nova época desportiva com estabilidade no fornecimento do serviço de “catering” no estádio de Alvalade.


4. Face a esta informação e sob proposta dos serviços internos, a Comissão de Gestão propôs à empresa “ Casa do Marquês” no dia 12 de Julho a prorrogação do contrato para a época desportiva 2018/19, o que a empresa, embora manifestasse reservas à continuação da prestação dos serviços, acabou por aceitar.


5. Desta forma a Comissão de Gestão assegurou a continuidade, sem rupturas, do serviço de “catering” na nova época, permitindo que o Conselho Directivo a eleger na eleições de 8 de Setembro disponha de tempo suficiente para elaborar um novo cadernos de encargos, se assim o entender e, lançar nesse caso um novo concurso, ou concluir o concurso que estava em curso.


6. Fica assim claro que a Comissão de Gestão decidiu em defesa dos superiores interesses do Sporting e não para favorecer um fornecedor em particular e muito menos um membro de uma candidatura, situação que, aliás, nem sequer era conhecida à data em que estes factos ocorreram.

 

20 de Agosto de 2018

 

A Comissão de Gestão do Sporting Clube de Portugal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:51

 

download.jfif

 

A Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal encerrou esta madrugada o primeiro processo que lhe foi legalmente remetido por sócios do SCP contra os membros do Conselho Directivo que se encontravam em funções - Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Roque, Luís Gestas e Alexandre Godinho.

 

A suspensão preventiva e interdição de entrada nas instalações, decretada a 8 de Junho, tinha em conta a gravidade dos factos apontados. Recorde-se que, entre estes, se destacava a oposição continuada e acirrada à realização da Assembleia Geral de dia 23 de Junho passado, legalmente convocada pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e que tinha entre os pontos da Ordem de Trabalhos a possibilidade de destituição do mesmo Conselho Directivo. Esta AG apenas se realizou depois de intervenção judicial e dela resultou o afastamento, por 71% dos votos a favor, deste Conselho Directivo.

 

Estatutariamente foram convocadas eleições para dia 8 de Setembro, com o prazo de entrega de listas até 8 de Agosto. A mera descrição cronológica faz, pois, cair por terra as insinuações de que a suspensão visava apenas impedir alguns candidatos de apresentarem as suas listas. Quando foram suspensos não havia no horizonte qualquer eleição e esta Comissão estava impedida de entrar nas instalações do Sporting Clube de Portugal. Ao contrário, os ora visados não se coibiram de desrespeitar a interdição de o fazerem e de anunciarem que jamais teria lugar a AG de 23. Acresce que criaram – e este é outro dos pontos graves da acusação – órgãos não estatutários com os quais tentaram iludir os sócios. Convocaram ilegalmente duas Assembleias Gerais e desrespeitaram não só órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal, como diversos sócios sobre os quais não pouparam insultos.

 

Todos estes factos são firmemente condenados pelos Estatutos e pelo Regulamento Disciplinar, que entrou em vigor a 17 de Fevereiro passado.

 

A sanção mais grave prevista no Sporting Clube de Portugal é a expulsão de sócio. Tendo legitimidade para tomar essa medida, e havendo matéria suficiente para o fazer, não quis esta CF deixar de considerar atenuantes e de respeitar o passado do clube.

 

A segunda sanção mais grave, à data em que correram os factos (anteriores à AG de 23 de Junho) era, pelos estatutos então em vigor, um ano de suspensão.

 

Por ter sido, inegavelmente o principal artífice e responsável da situação grave e anti-estatutária criada, foi esta a pena que o CF aplicou ao ex-presidente Bruno de Carvalho.

 

A todos os restantes elementos, à excepção de Luís Roque, foi aplicada a pena de 10 meses de suspensão.

 

Por último, a Luís Roque, que conseguiu provar a sua ausência das reuniões onde estes actos mais graves foram decididos, embora não provasse a sua oposição activa aos mesmos, aplicou-se a pena de repreensão registada.

 

Todos os visados poderão apresentar recurso para a Assembleia Geral, nos termos dos Estatutos.

 

A presente decisão, unanimemente tomada pelos cinco elementos desta, decorre de inúmeros dias de trabalho inteiramente voluntário, ouvindo testemunhas, respondendo a requerimentos e esclarecimentos e coligindo um processo que contém mais de 500 páginas de documentos.

 

Em curso estão mais processos nesta CF, nomeadamente contra elementos que aceitaram pertencer a órgãos não estatutários, bem como outros requerimentos de sócios que visam o comportamento dos mesmos visados e, nomeadamente do ex-presidente Bruno de Carvalho, durante e nos dias posteriores à Assembleia Geral.

 

A Comissão de Fiscalização

 

Henrique Monteiro
João Duque
António Paulo Santos
Luís Sousa
Rita Garcia Pereira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:19

 

image.jfif

 

Poiares Maduro encabeça um comunicado no qual expressa a preocupação relativamente ao clima de "profunda divisão" e multiplicação de candidaturasneste momento já são nove -, que podem originar "um resultado eleitoral incapaz de legitimar os próximos órgãos sociais".

 

Neste manifesto, subscrito também pelo empresário Rodrigo Roquette, o fiscalista Samuel Fernandes de Almeida e o publicitário Jaime Mourão Ferreira, entre outros, faz-se um apelo a "um esforço genuíno de convergência entre os diversos potenciais candidatos, de modo a colocar de pé um projecto que seja mobilizador e reflicta a diversidade do clube, promovendo a coesão e uma forte legitimação da solução de liderança resultante das próximas eleições", marcadas para o dia 8 de Setembro.

 

Os subscritores deste comunicado garantem que não vão participar em nenhuma das listas já anunciadas, pois "nenhuma representa a solução agregadora necessária", mas deixam a certeza que admitem apoiar "uma convergência entre listas" que "reduza a solução integrada e sustentável".

 

Poiares Maduro lembra que "o Sporting vive um dos momentos mais traumáticos e difíceis da sua história" devido a um "período conturbado", que causou "uma situação financeira complexa". Como tal, antecipa que não existem "condições óptimas para a obtenção de sucesso desportivo", o que poderá originar "riscos de instabilidade e mesmo contestação por parte de uma massa associativa profundamente dividida".

 

O comunicado fala de "uma profunda fragmentação" entre os sócios leoninos, mas não defende "consensos artificiais" e como tal espera que a campanha eleitoral não seja "uma competição entre personalidades assente em preconceitos geracionais ou sociais" que possa "agravar ainda mais o clima de profunda divisão", mas sim um momento para a discussão de projectos. Nesse sentido apela para que todos coloquem "os interesses do Sporting acima" dos individuais.

 

Por forma a que haja uma maior legitimação política dos futuros órgãos sociais, defendem ainda que as "eleições se processassem depois de clarificada a situação disciplinar dos membros do anterior Conselho Directivo", nomeadamente o ex-presidente Bruno de Carvalho e o ex-vice-presidente Carlos Vieira, que se encontram suspensos de sócios, aguardando o resultado do processo disciplinar em curso. Isto porque as decisões da Comissão de Fiscalização sobre estes casos "estão sujeitas a recurso" para a Assembleia Geral, o que a acontecer, no entender dos subscritores, podem "contaminar" o resultado eleitoral.

 

E, nesse sentido, apontam dois caminhos possíveis aos candidatos: "a procura de uma convergência ainda dentro do actual calendário eleitoral"; ou "o adiamento das eleições, usufruindo, por exemplo, do prazo máximo de seis meses em que pode funcionar a Comissão de Gestão".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

 

download.jfif

 

A Comissão de Fiscalização do Sporting emitiu um comunicado para fazer o ponto da situação e marcar uma posição quanto às declarações proferidas por Bruno de Carvalho bem como do seu mandatário, Pedro Proença. 

Eis o comunicado na íntegra:

Perante afirmações e acusações de candidatos sobre esta Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal, é esta a informar

 

a) A Comissão tem a legitimidade sufragada por decisões judiciais sucessivas.

b) O Regulamento Disciplinar que aplicou encontra-se em vigor desde a data em que foi aprovado, por iniciativa do anterior Conselho Directivo, presidido pelo Dr. Bruno de Carvalho, a 17 de Fevereiro de 2018, consoante o artigo 23.º do mesmo.

c) A suspensão dos membros, entretanto destituídos em AG, do Conselho Directivo, entre os quais os drs. Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, resulta de uma participação de sócios com plenos direitos e encontra-se na sua fase final de averiguação.

d) A resolução do processo será comunicada oportunamente, dependendo, entre outros, da colaboração dos testemunhos dos visados.

e) A CF não comenta a especificidade de processos a correr e espera de todos, incluindo os visados, algum recato de forma a poder concluir-se com êxito o desígnio comum, que se materializa no superior interesse do Sporting Clube de Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:33

Comunicado da Comissão de Gestão

Rui Gomes, em 25.06.18

 

download.jfif

 

Na sequência da realização e das deliberações tomadas ontem, dia 23 de Junho, pela Assembleia Geral do SCP, a Comissão de Gestão do SCP, reunida em 24 de Junho de 2018, deliberou:

 

1 - Congratular-se com a massiva participação dos Associados, a qual deu expressão clarificadora à mobilização dos Sportinguistas em torno da defesa intransigente dos superiores interesses e valores do nosso Clube do coração;

 

2 – Transmitir em particular aos adeptos, simpatizantes e Associados do SCP a sua determinação em contribuir para que desapareçam quanto antes as sequelas de divisões recentes no seio do Clube, e para que o retorno a um clima de paz, de tranquilidade, e de convivialidade permita ao SCP concentrar-se com eficácia nos pesados desafios que tem pela frente;

 

3 - Comunicar ao Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sporting SAD a substituição do actual representante das acções de tipo A do Sporting Clube de Portugal na administração da Sporting SAD, Sr. Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho, pelo ex-Presidente do Sporting Clube de Portugal e Vice-Presidente da Comissão de Gestão, Sr. José Sousa Cintra;

 

4 – Concretizar as indispensáveis diligências tendentes a uma recomposição urgente do Conselho de Administração da Sporting SAD em linha com as decisões ontem tomadas em Assembleia Geral de forma inequívoca pelos Associados do Sporting Clube de Portugal;

 

5 – Convocar para a manhã da próxima terça-feira, dia 26 do corrente, no Auditório Artur Agostinho, uma reunião com os funcionários e colaboradores desportivos do Sporting Clube de Portugal para lhes transmitirmos a nossa confiança e a nossa vontade em trabalharmos juntos em prol e na defesa dos verdadeiros interesses do Sporting Clube de Portugal.

 

Lisboa, 24 de Junho de 2018

 

O Conselho de Gestão 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

 

59336f3b2973b8ee43d2dc9839738e6a.jpg

 

 COMUNICADO DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

 

Na sequência dos mais recentes e preocupantes acontecimentos vindos a público, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral vem relembrar todos os Sócios do Sporting Clube de Portugal que:

 

a) Tem na sua posse, desde 24 de Maio passado, um requerimento para a deliberação da revogação do mandato dos membros do actual Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal, com assinaturas representativas de mais de três mil votos;

 

b) Posteriormente a essa data, tem recebido mais requerimentos com o mesmo teor;

 

c) Está convocada uma AG para o próximo dia 23 de Junho de 2018, de forma legítima, legal e estatutária, para, entre outros pontos, deliberar sobre a revogação do mandato de cada um dos membros do actual Conselho Directivo;

 

d) Como é do conhecimento público, foi já feita uma tentativa de validação da totalidade das assinaturas constantes do requerimento recebido, tendo sido impedida pelo CD a colaboração dos serviços do Clube necessária para se proceder a essa validação;

 

e) O Presidente da MAG mantém a intenção de proceder à validação dessas assinaturas antes da Assembleia Geral, pelo que aguarda que o Conselho Directivo dê indicações aos serviços do Clube para colaborarem nesse sentido;

 

f) A validação das assinaturas cabe exclusivamente ao Presidente da MAG;

 

g) A Assembleia Geral de dia 23 de Junho de 2018 (a única actualmente convocada de forma legítima, legal e estatutária) irá decorrer conforme previsto no Altice Arena, pelas 14:00 horas;

 

h) Esclarece-se, de todo o modo, que a Assembleia Geral convocada irá realizar-se ainda que o Conselho Directivo continue a incumprir com o seu dever de colaboração para a organização e realização da Assembleia Geral, órgão máximo do Clube;

 

i) Os Sócios do Sporting CP requereram a palavra, nos termos estatutários, e essa palavra ser-lhes-á conferida para os efeitos que entenderam necessários, e no estrito cumprimento da lei e dos Estatutos do Clube, pois o Sporting Clube de Portugal é uma unidade indivisível constituída pela totalidade dos seus associados (artigo 3º, n.º 1 dos Estatutos).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

Só acredita quem quiser !

Rui Gomes, em 03.06.18

 

img_770x433$2018_01_01_22_15_06_1349062.jpg

 

Este é o comunicado emitido hoje pelo rastejante lunático do presidente, reforçado pelos sete "anões" do Conselho Directivo.

 

Não estou disposto a escrever o "livro" que seria necessário para devidamente comentar tudo o que é declarado nesta missiva, mas deixo uma simples pergunta a todos:

 

Depois de mais de cinco anos de mentiras deste presidente, com acentuado acréscimo nas últimas semanas/meses, como é humanamente possível acreditar seja no que for que ele diz/escreve agora?

 

No que diz respeito ao Estatutos do Sporting, é deveras espectacular que só o golpista e os "anões" é que possuem a capacidade intelectual para ler e interpretar as regras que regem o Clube.

 

Já o disse em comentário e reitero agora, que muito mais do que estar agarrado ao poder, só por si, Bruno de Carvalho teme as consequências, para a sua pessoa, com o Sporting CP a ser gerido por outras pessoas num futuro próximo. O epicentro da "tempestade" é mesmo esse e o que o motiva a fazer tudo e mais alguma coisa, legal ou ilegal, para impedir essa ocorrência.

 

Eis o comunicado:

 

1. Hoje ouvimos falar em providências cautelares para suspender, de imediato, a actual Direcção das suas funções.

 

Queremos esclarecer que estando o Clube em normal actividade, sendo que este ano já é o melhor da nossa história no que respeita a títulos europeus e nacionais, estando as contas equilibradas e registando-se nos últimos 5 anos um crescimento de 60.000 Associados, não consideramos credível que um tribunal considere não ser dos superiores interesses do Clube a continuação de uma Direcção que tem no currículo os melhores resultados desportivos e financeiros de sempre.


Também não tem a menor credibilidade que isso aconteça na Sporting SAD, pois esta Administração foi a única na história do Clube a apresentar um mandato positivo e a apresentar, já esta época, contas positivas. Uma SAD que tem em mãos um empréstimo obrigacionista, que tem conseguido não parar mesmo perante todos os ataques que tem sofrido, e uma contratualização jurídica das melhorias da reestruturação financeira que também conseguiu não parar perante todas as adversidades, mostra estar a assegurar o normal funcionamento da SAD. Para além disso, tem em mãos negociações de compras e vendas de jogadores da SAD na preparação da próxima época, assim como o Clube está a fechar os planteis das restantes 54 modalidades.


Não terá qualquer credibilidade uma decisão de tribunal que se pronuncie a favor da destituição de uma Direcção e Administração, por causa de processos de rescisão sem sentido e por chantagens de que, se sairmos, voltam a ter condições psicológicas para ficar ou ser negociados. A lei é muito pragmática e não pode decidir com base em chantagens ou no diz que disse. Tem de se cingir a factos, e esses apontam todos para que os superiores interesses do Clube e da SAD seja a manutenção da actual Direcção e Comissão Executiva da SAD.

 

2. Apelamos novamente aos jogadores que apresentaram as rescisões para refletirem bem no conteúdo das mesmas, nas implicações desportivas e financeiras, e nas denúncias caluniosas que estas encerram, e para que voltem atrás nos dias que a Lei lhes permite. E voltamos a apelar a todo o plantel para que tenha muita serenidade, para não se deixar manipular e para que tenham umas boas férias, limpem a cabeça de uma época que nos frustrou a todos e ficarem prontos para mostrarem, na próxima época, que com Atitude e Compromisso continuamos todos com o objectivo de levar o Sporting CP a ser Campeão.

 

3. Em face de notícias tornadas hoje públicas, reiteramos que condenamos quaisquer actos de violência e todas as formas de coação, pelo que todos os atletas das 55 modalidades do Sporting CP, bem como equipas técnicas e elementos do staff, que sejam alvo de ameaças, a si ou às suas famílias, devem comunicar de imediato os factos à Administração da SAD e à Direcção do Sporting CP, para que sejam tomadas todas as medidas necessárias à sua protecção.

 

4. Sobre o assunto da transferência de Rui Patrício, escusam de existir mais comunicados da Gestifute ou actuações circenses dos cartilheiros. Fazemos esta pergunta simples para um simples sim ou não da Gestifute: A Gestifute exigiu ou não, para que a transferência de Rui Patrício se fizesse, mais de 7 milhões de euros para liquidar acertos de contas que eles acham devidos por cláusulas que existiam nos contratos de renovação de Rui Patrício e de Adrien Silva no tempo de Godinho Lopes? Basta de tantas mentiras e manipulações! Pediram esses 7 milhões ou não?

 

5. Queremos aqui deixar uma palavra de força ao presidente do Vitória de Guimarães e seus atletas, treinadores e staff que, conforme já foi publicamente confirmado pelo Presidente e pelo treinador Pedro Martins, também sofreram um acto hediondo, criminoso e terrorista na Academia em Guimarães, com cerca de 50 indivíduos encapuçados, com tochas e que bateram violentamente em todos. Tudo foi relatado às entidades respectivas que, infelizmente, não deram a relevância que foi dada no caso de Alcochete quando, apesar das supostas dimensões dos Clubes, os seres humanos são todos iguais. É também de louvar a atitude destes treinadores, atletas e staff que se mantiveram em treino na sua academia, em actividade e não apresentaram qualquer rescisão.

 

6. Queremos desde já voltar a afirmar que a constituição da Mesa da Assembleia Geral Transitória está suportada na Lei. Não basta a ignorância para se falar. Os estatutos mais a lei e a jurisprudência são claros, e o que foi feito é absolutamente legal, tal como todas as decisões seguintes da MAG transitória.

 

7. Não entendemos nem aceitamos esta continuação de tentativa de golpe por parte dos antigos órgãos sociais que se demitiram, MAG e CFD do Clube. Já estão marcadas eleições para esses 2 órgãos para 21 de Julho. Se já não se identificam com este projecto ganhador, então devem deixar os Associados decidir os novos órgãos sociais, MAG e CFD, nessas eleições.

 

8. Uma AG para destituição tem preceitos legais e regulamentares que podem ser cumpridos pelos associados a qualquer momento. A de dia 23 estava ferida na sua legalidade, mas podem os Associados cumprir esses preceitos e entregar à MAG transitoria ou à nova MAG que será eleita dia 21 de Julho para o efeito. Não se retirou qualquer possibilidade de dar a voz aos Associados, nem lhes foi retirado qualquer direito. Relembramos que a AG do próximo dia 17 também tem um ponto, que estava no programa eleitoral sufragado, e os Associados terão a possibilidade de dizer tudo e de colocarem todas as questões que acharem pertinentes. Esperamos que os Associados tenham ficado esclarecidos de vez sobre estes assuntos, quer por este comunicado, quer pelas 3 sessões de esclarecimento que foram realizadas de Norte a Sul, em Portugal continental, onde durante um total de 18h a Direcção respondeu a todas as questões que lhe foram colocadas com frontalidade, sinceridade, lealdade e sentido de responsabilidade. Todos aqueles sportinguistas que andam de programa em programa a dizer mal de tudo no Sporting, ou mesmo nas redes sociais, demonstrando uma irresponsabilidade total e falta de sentido de defesa dos superiores interesses do Clube, não apareceram em nenhuma sessão de esclarecimento, o que demonstra claramente a falta de argumentos ou de vontade de ser esclarecido, mas sim e apenas estarem motivados pelo ódio e pela tentativa de assaltar o poder a todo o custo.

 

9. É totalmente falso que, alguma vez, Jorge Jesus tenha sido despedido, que lhe tenha sido oferecida a renovação de contrato ou que o treinador tenha feito qualquer tipo de chantagem com uma possível rescisão por justa causa. São mais mentiras para ir alimentando esta campanha de calúnias, difamações e chantagens, a que nenhuma instituição pode ceder.

 

O Conselho Directivo do Sporting CP e a Comissão Executiva da Sporting SAD

 

Conselho Directivo 
do Sporting CP

 

Bruno de Carvalho
Carlos Vieira 
Rui Caeiro
Alexandre Godinho
José Quintela
Luís Gestas 
Luís Roque

 

Comissão Executiva 
da Sporting SAD

 

Bruno de Carvalho
Carlos Vieira 
Rui Caeiro
Guilherme Pinheiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:05

 

download (3).jpg

 

Para ser sincero, fui alertado para o recém-comunicado do Conselho Directivo do Sporting por uma publicação do Record, publicação essa que fui obrigado a reler duas vezes, só para ter a certeza que não eram os meus olhos que me estavam a enganar. Mesmo agora, na preparação do post, não quero acreditar no que estou a ler.

 

O leitor manifestará a sua opinião, decerto, mas sem sequer ponderar os quês e porquês de Direito, acho que chegou a altura de Jaime Marta Soares, como presidente legítimo da Mesa da Assembleia Geral, exigir intervenção judicial.

 

O comunicado dos usurpadores - nas circunstâncias, acho que é o termo mais adequado - está disponível aqui, mas para os efeitos deste post limito-me a transcrever a reportagem do Record, que descreve o escandaloso cenário em síntese:

 

O Conselho Directivo do Sporting anunciou esta sexta-feira de madrugada a convocação de uma Assembleia Geral Ordinária para 17 de Junho e ainda uma Assembleia Geral Eleitoral para a Mesa da Assembleia Geral (MAG) e para o Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), neste caso para 21 de Julho. Ao mesmo tempo, a direcção leonina garante que a AG de destituição que estava agendada para dia 23 de Junho "não se realizará".

Após a renúncia em bloco da MAG e do CFD, o Conselho Directivo tomou a deliberação de substituir a Mesa da Assembleia Geral demissionária e ainda Jaime Marta Soares por uma Comissão Transitória da MAG, composta por três elementos (Elsa Tiago Judas, Trindade Barros e Yassin Nadir Nobre), que por sua vez decidiu "substituir o CFD demissionário por uma Comissão de Fiscalização" de cinco pessoas: José Maria Subtil de Sousa, Miguel Varela, Sérgio Félix, Fernando Carvalho e Pedro Miguel Monteiro Carrilho.

Relativamente à AG ordinária do próximo dia 17, a mesma servirá, segundo o comunicado, para aprovação do orçamento para a época de 2018/19, aprovação de duas alterações estatutárias, análise da situação do clube e prestação de esclarecimentos aos sócios.

O Conselho Directivo entende que "com estas medidas consegue o normal funcionamento do clube, a defesa dos superiores interesses do Sporting e ainda a continuidade dos vários processos como o empréstimo obrigacionista na SAD, a contratualização da reestruturação financeira e o normal funcionamento da época desportiva que está a a decorrer em várias modalidades, bem como a preparação da próxima época desportiva das 55 modalidades, entre elas o futebol."
 
O presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou esta sexta-feira que a substituição dos membros por parte do Conselho Directivo do clube não tem cobertura estatutária e por isso é ilegal:
 
"Não tem sustentação legal. Não está contemplado em nenhuma parte dos Estatutos. Não é o Conselho Directivo que por si faz leis ou estatutos, tem que seguir regras. Não tem qualquer sustentabilidade estatutária e é ilegal.
 
A decisão do Conselho Directivo é uma demonstração inequívoca de que há um assalto ao poder, do tipo golpe de estado e que tal não tem qualquer razão de ser".
 
Jaime Marta Soares clarificou, ainda, o seu suposto estado demissionário:
 
"Nunca apresentei formalmente a minha demissão do cargo. Para me demitir tinha de ter apresentado um pedido, ao Conselho Fiscal a dizer me demitia, só assim é que estaria consumada a minha demissão, mas eu nunca o fiz.
 
Apesar da demissão em bloco da MAG, o comandante é o último a abandonar o navio. Não deixaria o Sporting sem quem tivesse a responsabilidade de consolidar as eleições, de fazer tudo o que tinha de ser feito e isso é a assembleia.

Recorde-se que mesmo pedindo a demissão, a Mesa da AG continua em funções até ser substituída, pelo que o anúncio do presidente do clube, Bruno de Carvalho, de substituir a MAG e respectivo presidente por uma comissão transitória é ilegal".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

 

image.jpg

 

Num email enviado aos sócios, o Sporting divulgou quatro documentos, entre os quais os comunicados da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Directivo de segunda-feira à noite, assim como a Convocatória para a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) assinada por Jaime Marta Soares e com a data de 28 de Maio.

 

A Assembleia Geral, marcada para sábado, dia 23 de Junho, às 14h00, tem apenas dois pontos na Ordem de Trabalhos:

 

O primeiro diz respeito à Assembleia requerida pela Direcção, a 16 de Maio, e servirá para "Análise da situação do Clube e prestação de esclarecimentos aos sócios."

 

O segundo ponto diz respeito ao anúncio de Jaime Marta Soares, a 24 de Maio, ou seja, a deliberação sobre a "revogação colectiva, com justa causa", dos mandatos de Bruno de Carvalho e restantes elementos da Direção. Em nenhuma parte da convocatória é referido um eventual pedido dos sócios para a realização desta AG, nomeadamente na recolha de assinaturas, pelo que MAG assume a iniciativa da realização da mesma.

 

O outro documento que MAG fez distribuir aos sócios diz respeito à logística da própria Assembleia que o Conselho Directivo reclama ser ilegal - "pedido de apoio logístico ao Sporting para a organização de uma AG que, por ser ilegal, não se pode realizar".

 

No documento revelado e assinado por Jaime Marta Soares, este solicita, de forma oficial, ao Conselho Directivo, que assegure todas as condições para a realização da mesma, nomeadamente a reserva da Altice Arena, mobilização dos funcionários, contratação da Universidade do Minho para a votação em urna e apresentação de um Plano de Segurança.

 

No corpo do email a MAG faz questão ainda de referir que o Conselho Directivo pediu que fosse informado sobre a data para as eleições dos orgãos que estão demissionários - Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar - e que está ainda pedida uma outra AG Ordinária, que deverá realizar-se até 15 de Junho, para aprovação do Orçamento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo