Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

download.jfif

 

A Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal encerrou esta madrugada o primeiro processo que lhe foi legalmente remetido por sócios do SCP contra os membros do Conselho Directivo que se encontravam em funções - Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Roque, Luís Gestas e Alexandre Godinho.

 

A suspensão preventiva e interdição de entrada nas instalações, decretada a 8 de Junho, tinha em conta a gravidade dos factos apontados. Recorde-se que, entre estes, se destacava a oposição continuada e acirrada à realização da Assembleia Geral de dia 23 de Junho passado, legalmente convocada pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, e que tinha entre os pontos da Ordem de Trabalhos a possibilidade de destituição do mesmo Conselho Directivo. Esta AG apenas se realizou depois de intervenção judicial e dela resultou o afastamento, por 71% dos votos a favor, deste Conselho Directivo.

 

Estatutariamente foram convocadas eleições para dia 8 de Setembro, com o prazo de entrega de listas até 8 de Agosto. A mera descrição cronológica faz, pois, cair por terra as insinuações de que a suspensão visava apenas impedir alguns candidatos de apresentarem as suas listas. Quando foram suspensos não havia no horizonte qualquer eleição e esta Comissão estava impedida de entrar nas instalações do Sporting Clube de Portugal. Ao contrário, os ora visados não se coibiram de desrespeitar a interdição de o fazerem e de anunciarem que jamais teria lugar a AG de 23. Acresce que criaram – e este é outro dos pontos graves da acusação – órgãos não estatutários com os quais tentaram iludir os sócios. Convocaram ilegalmente duas Assembleias Gerais e desrespeitaram não só órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal, como diversos sócios sobre os quais não pouparam insultos.

 

Todos estes factos são firmemente condenados pelos Estatutos e pelo Regulamento Disciplinar, que entrou em vigor a 17 de Fevereiro passado.

 

A sanção mais grave prevista no Sporting Clube de Portugal é a expulsão de sócio. Tendo legitimidade para tomar essa medida, e havendo matéria suficiente para o fazer, não quis esta CF deixar de considerar atenuantes e de respeitar o passado do clube.

 

A segunda sanção mais grave, à data em que correram os factos (anteriores à AG de 23 de Junho) era, pelos estatutos então em vigor, um ano de suspensão.

 

Por ter sido, inegavelmente o principal artífice e responsável da situação grave e anti-estatutária criada, foi esta a pena que o CF aplicou ao ex-presidente Bruno de Carvalho.

 

A todos os restantes elementos, à excepção de Luís Roque, foi aplicada a pena de 10 meses de suspensão.

 

Por último, a Luís Roque, que conseguiu provar a sua ausência das reuniões onde estes actos mais graves foram decididos, embora não provasse a sua oposição activa aos mesmos, aplicou-se a pena de repreensão registada.

 

Todos os visados poderão apresentar recurso para a Assembleia Geral, nos termos dos Estatutos.

 

A presente decisão, unanimemente tomada pelos cinco elementos desta, decorre de inúmeros dias de trabalho inteiramente voluntário, ouvindo testemunhas, respondendo a requerimentos e esclarecimentos e coligindo um processo que contém mais de 500 páginas de documentos.

 

Em curso estão mais processos nesta CF, nomeadamente contra elementos que aceitaram pertencer a órgãos não estatutários, bem como outros requerimentos de sócios que visam o comportamento dos mesmos visados e, nomeadamente do ex-presidente Bruno de Carvalho, durante e nos dias posteriores à Assembleia Geral.

 

A Comissão de Fiscalização

 

Henrique Monteiro
João Duque
António Paulo Santos
Luís Sousa
Rita Garcia Pereira

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:19

 

image.jfif

 

Poiares Maduro encabeça um comunicado no qual expressa a preocupação relativamente ao clima de "profunda divisão" e multiplicação de candidaturasneste momento já são nove -, que podem originar "um resultado eleitoral incapaz de legitimar os próximos órgãos sociais".

 

Neste manifesto, subscrito também pelo empresário Rodrigo Roquette, o fiscalista Samuel Fernandes de Almeida e o publicitário Jaime Mourão Ferreira, entre outros, faz-se um apelo a "um esforço genuíno de convergência entre os diversos potenciais candidatos, de modo a colocar de pé um projecto que seja mobilizador e reflicta a diversidade do clube, promovendo a coesão e uma forte legitimação da solução de liderança resultante das próximas eleições", marcadas para o dia 8 de Setembro.

 

Os subscritores deste comunicado garantem que não vão participar em nenhuma das listas já anunciadas, pois "nenhuma representa a solução agregadora necessária", mas deixam a certeza que admitem apoiar "uma convergência entre listas" que "reduza a solução integrada e sustentável".

 

Poiares Maduro lembra que "o Sporting vive um dos momentos mais traumáticos e difíceis da sua história" devido a um "período conturbado", que causou "uma situação financeira complexa". Como tal, antecipa que não existem "condições óptimas para a obtenção de sucesso desportivo", o que poderá originar "riscos de instabilidade e mesmo contestação por parte de uma massa associativa profundamente dividida".

 

O comunicado fala de "uma profunda fragmentação" entre os sócios leoninos, mas não defende "consensos artificiais" e como tal espera que a campanha eleitoral não seja "uma competição entre personalidades assente em preconceitos geracionais ou sociais" que possa "agravar ainda mais o clima de profunda divisão", mas sim um momento para a discussão de projectos. Nesse sentido apela para que todos coloquem "os interesses do Sporting acima" dos individuais.

 

Por forma a que haja uma maior legitimação política dos futuros órgãos sociais, defendem ainda que as "eleições se processassem depois de clarificada a situação disciplinar dos membros do anterior Conselho Directivo", nomeadamente o ex-presidente Bruno de Carvalho e o ex-vice-presidente Carlos Vieira, que se encontram suspensos de sócios, aguardando o resultado do processo disciplinar em curso. Isto porque as decisões da Comissão de Fiscalização sobre estes casos "estão sujeitas a recurso" para a Assembleia Geral, o que a acontecer, no entender dos subscritores, podem "contaminar" o resultado eleitoral.

 

E, nesse sentido, apontam dois caminhos possíveis aos candidatos: "a procura de uma convergência ainda dentro do actual calendário eleitoral"; ou "o adiamento das eleições, usufruindo, por exemplo, do prazo máximo de seis meses em que pode funcionar a Comissão de Gestão".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

 

download.jfif

 

A Comissão de Fiscalização do Sporting emitiu um comunicado para fazer o ponto da situação e marcar uma posição quanto às declarações proferidas por Bruno de Carvalho bem como do seu mandatário, Pedro Proença. 

Eis o comunicado na íntegra:

Perante afirmações e acusações de candidatos sobre esta Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal, é esta a informar

 

a) A Comissão tem a legitimidade sufragada por decisões judiciais sucessivas.

b) O Regulamento Disciplinar que aplicou encontra-se em vigor desde a data em que foi aprovado, por iniciativa do anterior Conselho Directivo, presidido pelo Dr. Bruno de Carvalho, a 17 de Fevereiro de 2018, consoante o artigo 23.º do mesmo.

c) A suspensão dos membros, entretanto destituídos em AG, do Conselho Directivo, entre os quais os drs. Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, resulta de uma participação de sócios com plenos direitos e encontra-se na sua fase final de averiguação.

d) A resolução do processo será comunicada oportunamente, dependendo, entre outros, da colaboração dos testemunhos dos visados.

e) A CF não comenta a especificidade de processos a correr e espera de todos, incluindo os visados, algum recato de forma a poder concluir-se com êxito o desígnio comum, que se materializa no superior interesse do Sporting Clube de Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:33

Comunicado da Comissão de Gestão

Rui Gomes, em 25.06.18

 

download.jfif

 

Na sequência da realização e das deliberações tomadas ontem, dia 23 de Junho, pela Assembleia Geral do SCP, a Comissão de Gestão do SCP, reunida em 24 de Junho de 2018, deliberou:

 

1 - Congratular-se com a massiva participação dos Associados, a qual deu expressão clarificadora à mobilização dos Sportinguistas em torno da defesa intransigente dos superiores interesses e valores do nosso Clube do coração;

 

2 – Transmitir em particular aos adeptos, simpatizantes e Associados do SCP a sua determinação em contribuir para que desapareçam quanto antes as sequelas de divisões recentes no seio do Clube, e para que o retorno a um clima de paz, de tranquilidade, e de convivialidade permita ao SCP concentrar-se com eficácia nos pesados desafios que tem pela frente;

 

3 - Comunicar ao Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sporting SAD a substituição do actual representante das acções de tipo A do Sporting Clube de Portugal na administração da Sporting SAD, Sr. Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho, pelo ex-Presidente do Sporting Clube de Portugal e Vice-Presidente da Comissão de Gestão, Sr. José Sousa Cintra;

 

4 – Concretizar as indispensáveis diligências tendentes a uma recomposição urgente do Conselho de Administração da Sporting SAD em linha com as decisões ontem tomadas em Assembleia Geral de forma inequívoca pelos Associados do Sporting Clube de Portugal;

 

5 – Convocar para a manhã da próxima terça-feira, dia 26 do corrente, no Auditório Artur Agostinho, uma reunião com os funcionários e colaboradores desportivos do Sporting Clube de Portugal para lhes transmitirmos a nossa confiança e a nossa vontade em trabalharmos juntos em prol e na defesa dos verdadeiros interesses do Sporting Clube de Portugal.

 

Lisboa, 24 de Junho de 2018

 

O Conselho de Gestão 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

 

59336f3b2973b8ee43d2dc9839738e6a.jpg

 

 COMUNICADO DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

 

Na sequência dos mais recentes e preocupantes acontecimentos vindos a público, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral vem relembrar todos os Sócios do Sporting Clube de Portugal que:

 

a) Tem na sua posse, desde 24 de Maio passado, um requerimento para a deliberação da revogação do mandato dos membros do actual Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal, com assinaturas representativas de mais de três mil votos;

 

b) Posteriormente a essa data, tem recebido mais requerimentos com o mesmo teor;

 

c) Está convocada uma AG para o próximo dia 23 de Junho de 2018, de forma legítima, legal e estatutária, para, entre outros pontos, deliberar sobre a revogação do mandato de cada um dos membros do actual Conselho Directivo;

 

d) Como é do conhecimento público, foi já feita uma tentativa de validação da totalidade das assinaturas constantes do requerimento recebido, tendo sido impedida pelo CD a colaboração dos serviços do Clube necessária para se proceder a essa validação;

 

e) O Presidente da MAG mantém a intenção de proceder à validação dessas assinaturas antes da Assembleia Geral, pelo que aguarda que o Conselho Directivo dê indicações aos serviços do Clube para colaborarem nesse sentido;

 

f) A validação das assinaturas cabe exclusivamente ao Presidente da MAG;

 

g) A Assembleia Geral de dia 23 de Junho de 2018 (a única actualmente convocada de forma legítima, legal e estatutária) irá decorrer conforme previsto no Altice Arena, pelas 14:00 horas;

 

h) Esclarece-se, de todo o modo, que a Assembleia Geral convocada irá realizar-se ainda que o Conselho Directivo continue a incumprir com o seu dever de colaboração para a organização e realização da Assembleia Geral, órgão máximo do Clube;

 

i) Os Sócios do Sporting CP requereram a palavra, nos termos estatutários, e essa palavra ser-lhes-á conferida para os efeitos que entenderam necessários, e no estrito cumprimento da lei e dos Estatutos do Clube, pois o Sporting Clube de Portugal é uma unidade indivisível constituída pela totalidade dos seus associados (artigo 3º, n.º 1 dos Estatutos).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

Só acredita quem quiser !

Rui Gomes, em 03.06.18

 

img_770x433$2018_01_01_22_15_06_1349062.jpg

 

Este é o comunicado emitido hoje pelo rastejante lunático do presidente, reforçado pelos sete "anões" do Conselho Directivo.

 

Não estou disposto a escrever o "livro" que seria necessário para devidamente comentar tudo o que é declarado nesta missiva, mas deixo uma simples pergunta a todos:

 

Depois de mais de cinco anos de mentiras deste presidente, com acentuado acréscimo nas últimas semanas/meses, como é humanamente possível acreditar seja no que for que ele diz/escreve agora?

 

No que diz respeito ao Estatutos do Sporting, é deveras espectacular que só o golpista e os "anões" é que possuem a capacidade intelectual para ler e interpretar as regras que regem o Clube.

 

Já o disse em comentário e reitero agora, que muito mais do que estar agarrado ao poder, só por si, Bruno de Carvalho teme as consequências, para a sua pessoa, com o Sporting CP a ser gerido por outras pessoas num futuro próximo. O epicentro da "tempestade" é mesmo esse e o que o motiva a fazer tudo e mais alguma coisa, legal ou ilegal, para impedir essa ocorrência.

 

Eis o comunicado:

 

1. Hoje ouvimos falar em providências cautelares para suspender, de imediato, a actual Direcção das suas funções.

 

Queremos esclarecer que estando o Clube em normal actividade, sendo que este ano já é o melhor da nossa história no que respeita a títulos europeus e nacionais, estando as contas equilibradas e registando-se nos últimos 5 anos um crescimento de 60.000 Associados, não consideramos credível que um tribunal considere não ser dos superiores interesses do Clube a continuação de uma Direcção que tem no currículo os melhores resultados desportivos e financeiros de sempre.


Também não tem a menor credibilidade que isso aconteça na Sporting SAD, pois esta Administração foi a única na história do Clube a apresentar um mandato positivo e a apresentar, já esta época, contas positivas. Uma SAD que tem em mãos um empréstimo obrigacionista, que tem conseguido não parar mesmo perante todos os ataques que tem sofrido, e uma contratualização jurídica das melhorias da reestruturação financeira que também conseguiu não parar perante todas as adversidades, mostra estar a assegurar o normal funcionamento da SAD. Para além disso, tem em mãos negociações de compras e vendas de jogadores da SAD na preparação da próxima época, assim como o Clube está a fechar os planteis das restantes 54 modalidades.


Não terá qualquer credibilidade uma decisão de tribunal que se pronuncie a favor da destituição de uma Direcção e Administração, por causa de processos de rescisão sem sentido e por chantagens de que, se sairmos, voltam a ter condições psicológicas para ficar ou ser negociados. A lei é muito pragmática e não pode decidir com base em chantagens ou no diz que disse. Tem de se cingir a factos, e esses apontam todos para que os superiores interesses do Clube e da SAD seja a manutenção da actual Direcção e Comissão Executiva da SAD.

 

2. Apelamos novamente aos jogadores que apresentaram as rescisões para refletirem bem no conteúdo das mesmas, nas implicações desportivas e financeiras, e nas denúncias caluniosas que estas encerram, e para que voltem atrás nos dias que a Lei lhes permite. E voltamos a apelar a todo o plantel para que tenha muita serenidade, para não se deixar manipular e para que tenham umas boas férias, limpem a cabeça de uma época que nos frustrou a todos e ficarem prontos para mostrarem, na próxima época, que com Atitude e Compromisso continuamos todos com o objectivo de levar o Sporting CP a ser Campeão.

 

3. Em face de notícias tornadas hoje públicas, reiteramos que condenamos quaisquer actos de violência e todas as formas de coação, pelo que todos os atletas das 55 modalidades do Sporting CP, bem como equipas técnicas e elementos do staff, que sejam alvo de ameaças, a si ou às suas famílias, devem comunicar de imediato os factos à Administração da SAD e à Direcção do Sporting CP, para que sejam tomadas todas as medidas necessárias à sua protecção.

 

4. Sobre o assunto da transferência de Rui Patrício, escusam de existir mais comunicados da Gestifute ou actuações circenses dos cartilheiros. Fazemos esta pergunta simples para um simples sim ou não da Gestifute: A Gestifute exigiu ou não, para que a transferência de Rui Patrício se fizesse, mais de 7 milhões de euros para liquidar acertos de contas que eles acham devidos por cláusulas que existiam nos contratos de renovação de Rui Patrício e de Adrien Silva no tempo de Godinho Lopes? Basta de tantas mentiras e manipulações! Pediram esses 7 milhões ou não?

 

5. Queremos aqui deixar uma palavra de força ao presidente do Vitória de Guimarães e seus atletas, treinadores e staff que, conforme já foi publicamente confirmado pelo Presidente e pelo treinador Pedro Martins, também sofreram um acto hediondo, criminoso e terrorista na Academia em Guimarães, com cerca de 50 indivíduos encapuçados, com tochas e que bateram violentamente em todos. Tudo foi relatado às entidades respectivas que, infelizmente, não deram a relevância que foi dada no caso de Alcochete quando, apesar das supostas dimensões dos Clubes, os seres humanos são todos iguais. É também de louvar a atitude destes treinadores, atletas e staff que se mantiveram em treino na sua academia, em actividade e não apresentaram qualquer rescisão.

 

6. Queremos desde já voltar a afirmar que a constituição da Mesa da Assembleia Geral Transitória está suportada na Lei. Não basta a ignorância para se falar. Os estatutos mais a lei e a jurisprudência são claros, e o que foi feito é absolutamente legal, tal como todas as decisões seguintes da MAG transitória.

 

7. Não entendemos nem aceitamos esta continuação de tentativa de golpe por parte dos antigos órgãos sociais que se demitiram, MAG e CFD do Clube. Já estão marcadas eleições para esses 2 órgãos para 21 de Julho. Se já não se identificam com este projecto ganhador, então devem deixar os Associados decidir os novos órgãos sociais, MAG e CFD, nessas eleições.

 

8. Uma AG para destituição tem preceitos legais e regulamentares que podem ser cumpridos pelos associados a qualquer momento. A de dia 23 estava ferida na sua legalidade, mas podem os Associados cumprir esses preceitos e entregar à MAG transitoria ou à nova MAG que será eleita dia 21 de Julho para o efeito. Não se retirou qualquer possibilidade de dar a voz aos Associados, nem lhes foi retirado qualquer direito. Relembramos que a AG do próximo dia 17 também tem um ponto, que estava no programa eleitoral sufragado, e os Associados terão a possibilidade de dizer tudo e de colocarem todas as questões que acharem pertinentes. Esperamos que os Associados tenham ficado esclarecidos de vez sobre estes assuntos, quer por este comunicado, quer pelas 3 sessões de esclarecimento que foram realizadas de Norte a Sul, em Portugal continental, onde durante um total de 18h a Direcção respondeu a todas as questões que lhe foram colocadas com frontalidade, sinceridade, lealdade e sentido de responsabilidade. Todos aqueles sportinguistas que andam de programa em programa a dizer mal de tudo no Sporting, ou mesmo nas redes sociais, demonstrando uma irresponsabilidade total e falta de sentido de defesa dos superiores interesses do Clube, não apareceram em nenhuma sessão de esclarecimento, o que demonstra claramente a falta de argumentos ou de vontade de ser esclarecido, mas sim e apenas estarem motivados pelo ódio e pela tentativa de assaltar o poder a todo o custo.

 

9. É totalmente falso que, alguma vez, Jorge Jesus tenha sido despedido, que lhe tenha sido oferecida a renovação de contrato ou que o treinador tenha feito qualquer tipo de chantagem com uma possível rescisão por justa causa. São mais mentiras para ir alimentando esta campanha de calúnias, difamações e chantagens, a que nenhuma instituição pode ceder.

 

O Conselho Directivo do Sporting CP e a Comissão Executiva da Sporting SAD

 

Conselho Directivo 
do Sporting CP

 

Bruno de Carvalho
Carlos Vieira 
Rui Caeiro
Alexandre Godinho
José Quintela
Luís Gestas 
Luís Roque

 

Comissão Executiva 
da Sporting SAD

 

Bruno de Carvalho
Carlos Vieira 
Rui Caeiro
Guilherme Pinheiro

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:05

 

download (3).jpg

 

Para ser sincero, fui alertado para o recém-comunicado do Conselho Directivo do Sporting por uma publicação do Record, publicação essa que fui obrigado a reler duas vezes, só para ter a certeza que não eram os meus olhos que me estavam a enganar. Mesmo agora, na preparação do post, não quero acreditar no que estou a ler.

 

O leitor manifestará a sua opinião, decerto, mas sem sequer ponderar os quês e porquês de Direito, acho que chegou a altura de Jaime Marta Soares, como presidente legítimo da Mesa da Assembleia Geral, exigir intervenção judicial.

 

O comunicado dos usurpadores - nas circunstâncias, acho que é o termo mais adequado - está disponível aqui, mas para os efeitos deste post limito-me a transcrever a reportagem do Record, que descreve o escandaloso cenário em síntese:

 

O Conselho Directivo do Sporting anunciou esta sexta-feira de madrugada a convocação de uma Assembleia Geral Ordinária para 17 de Junho e ainda uma Assembleia Geral Eleitoral para a Mesa da Assembleia Geral (MAG) e para o Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), neste caso para 21 de Julho. Ao mesmo tempo, a direcção leonina garante que a AG de destituição que estava agendada para dia 23 de Junho "não se realizará".

Após a renúncia em bloco da MAG e do CFD, o Conselho Directivo tomou a deliberação de substituir a Mesa da Assembleia Geral demissionária e ainda Jaime Marta Soares por uma Comissão Transitória da MAG, composta por três elementos (Elsa Tiago Judas, Trindade Barros e Yassin Nadir Nobre), que por sua vez decidiu "substituir o CFD demissionário por uma Comissão de Fiscalização" de cinco pessoas: José Maria Subtil de Sousa, Miguel Varela, Sérgio Félix, Fernando Carvalho e Pedro Miguel Monteiro Carrilho.

Relativamente à AG ordinária do próximo dia 17, a mesma servirá, segundo o comunicado, para aprovação do orçamento para a época de 2018/19, aprovação de duas alterações estatutárias, análise da situação do clube e prestação de esclarecimentos aos sócios.

O Conselho Directivo entende que "com estas medidas consegue o normal funcionamento do clube, a defesa dos superiores interesses do Sporting e ainda a continuidade dos vários processos como o empréstimo obrigacionista na SAD, a contratualização da reestruturação financeira e o normal funcionamento da época desportiva que está a a decorrer em várias modalidades, bem como a preparação da próxima época desportiva das 55 modalidades, entre elas o futebol."
 
O presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou esta sexta-feira que a substituição dos membros por parte do Conselho Directivo do clube não tem cobertura estatutária e por isso é ilegal:
 
"Não tem sustentação legal. Não está contemplado em nenhuma parte dos Estatutos. Não é o Conselho Directivo que por si faz leis ou estatutos, tem que seguir regras. Não tem qualquer sustentabilidade estatutária e é ilegal.
 
A decisão do Conselho Directivo é uma demonstração inequívoca de que há um assalto ao poder, do tipo golpe de estado e que tal não tem qualquer razão de ser".
 
Jaime Marta Soares clarificou, ainda, o seu suposto estado demissionário:
 
"Nunca apresentei formalmente a minha demissão do cargo. Para me demitir tinha de ter apresentado um pedido, ao Conselho Fiscal a dizer me demitia, só assim é que estaria consumada a minha demissão, mas eu nunca o fiz.
 
Apesar da demissão em bloco da MAG, o comandante é o último a abandonar o navio. Não deixaria o Sporting sem quem tivesse a responsabilidade de consolidar as eleições, de fazer tudo o que tinha de ser feito e isso é a assembleia.

Recorde-se que mesmo pedindo a demissão, a Mesa da AG continua em funções até ser substituída, pelo que o anúncio do presidente do clube, Bruno de Carvalho, de substituir a MAG e respectivo presidente por uma comissão transitória é ilegal".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:40

 

image.jpg

 

Num email enviado aos sócios, o Sporting divulgou quatro documentos, entre os quais os comunicados da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Directivo de segunda-feira à noite, assim como a Convocatória para a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) assinada por Jaime Marta Soares e com a data de 28 de Maio.

 

A Assembleia Geral, marcada para sábado, dia 23 de Junho, às 14h00, tem apenas dois pontos na Ordem de Trabalhos:

 

O primeiro diz respeito à Assembleia requerida pela Direcção, a 16 de Maio, e servirá para "Análise da situação do Clube e prestação de esclarecimentos aos sócios."

 

O segundo ponto diz respeito ao anúncio de Jaime Marta Soares, a 24 de Maio, ou seja, a deliberação sobre a "revogação colectiva, com justa causa", dos mandatos de Bruno de Carvalho e restantes elementos da Direção. Em nenhuma parte da convocatória é referido um eventual pedido dos sócios para a realização desta AG, nomeadamente na recolha de assinaturas, pelo que MAG assume a iniciativa da realização da mesma.

 

O outro documento que MAG fez distribuir aos sócios diz respeito à logística da própria Assembleia que o Conselho Directivo reclama ser ilegal - "pedido de apoio logístico ao Sporting para a organização de uma AG que, por ser ilegal, não se pode realizar".

 

No documento revelado e assinado por Jaime Marta Soares, este solicita, de forma oficial, ao Conselho Directivo, que assegure todas as condições para a realização da mesma, nomeadamente a reserva da Altice Arena, mobilização dos funcionários, contratação da Universidade do Minho para a votação em urna e apresentação de um Plano de Segurança.

 

No corpo do email a MAG faz questão ainda de referir que o Conselho Directivo pediu que fosse informado sobre a data para as eleições dos orgãos que estão demissionários - Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar - e que está ainda pedida uma outra AG Ordinária, que deverá realizar-se até 15 de Junho, para aprovação do Orçamento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

 

Jaime-Marta-Soares.jpg

 

A Mesa da Assembleia Geral do Sporting emitiu esta sexta-feira um comunicado em que lamenta o facto de na reunião da véspera o Conselho Directivo, liderado por Bruno de Carvalho, ter rejeitado todas as propostas que lhe foram apresentadas, nomeadamente a realização de eleições a 2 de Setembro.

 

Ainda lamenta que os membros da Mesa, assim como os do Conselho Fiscal e Discplinar, tenham sido sujeitos a ameaças, no ambiente deveras intimidatório da reunião.

 

Eis o comunicado da Mesa da Assembleia Geral:

 

1) Para a Mesa da Assembleia Geral é inequívoca a situação de profunda instabilidade e crescente divisão que atingiu o Clube e a necessidade de, o mais rapidamente possível, repor a normalidade e a coesão do mesmo, e considera também que apenas os Sócios têm plena legitimidade para apurar a responsabilidade por esta situação e determinar a solução mais adequada para os destinos do Clube. 

2) A Mesa da Assembleia Geral não pode de modo algum ignorar os inúmeros pedidos de sócios, correspondentes a milhares de votos, para a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária para destituição do Conselho Directivo. 

3) Importa assinalar que a Mesa da Assembleia Geral apresentou ao Conselho Directivo uma solução que teria permitido a sua continuidade em funções até novas eleições, a realizar na data de 2 de Setembro de 2018, solução que teria evitado qualquer hiato na gestão do Clube e mais teria contribuído para limitar os danos resultantes da situação de instabilidade criada nos últimos meses. 

4) A Mesa da Assembleia Geral constatou a insistente rejeição por parte do Conselho Directivo dessa solução, o que obriga à realização de uma Assembleia Geral Extraordinária visando a destituição dos membros do Conselho Directivo. Esta é a solução que mais respeita a vontade dos Sócios e mais rapidamente pode reestabelecer a normalidade no e do Clube, à luz do comportamento do Conselho Directivo e a sua reiterada oposição a qualquer outra das alternativas sugeridas pela Mesa da Assembleia Geral. 

5) A Mesa da Assembleia Geral lamenta profundamente o comportamento do Conselho Directivo, incluindo a tentativa de obrigar os membros dos outros Órgãos Sociais a assinar uma suposta acta da reunião anterior (21 de Maio), sem qualquer correspondência com o que ocorreu no decurso da mesma.

 

A Mesa da Assembleia Geral lamenta também profundamente as ameaças e o ambiente intimidatório criado a que foram sujeitos os seus membros e os membros do Conselho Fiscal e Disciplinar nas próprias instalações do Clube. Estes factos são inaceitáveis e não correspondem à História do Sporting Clube de Portugal.

 

A Mesa da Assembleia Geral continuará sempre a agir no sentido de respeitar essa mesma História e promover a união entre todos os verdadeiros Sportinguistas. 

6) A Mesa da Assembleia Geral reitera a todos os Sócios que continuará a agir em prol dos superiores interesses do Clube, sempre com toda a independência e imune a qualquer tipo de pressão. 

Lisboa, 25 de Maio de 2018 

A Mesa da Assembleia Geral

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:22

 

bruno_de_carvalho_e_mustafa_festejam_taca.artigo.j

 

Em comunicado, a Direcção do Sporting anunciou a "suspensão imediata dos benefícios protocolados" à Juventude Leonina, na sequência das agressões ocorridas na Academia em Alcochete, na última terça-feira.

 

Pede ainda aos sportinguistas para apoiarem os atletas do clube, numa altura em que se fala da possibilidade de rescisões por justa causa, e solicita uma "audiência urgente" com António Costa – que já foi aceite faltando agendar a data.

 

Na véspera da final da Taça, o ainda rastejante lunático do presidente culpabiliza Rui Patrício e os restantes jogadores pelos eventos da semana, e agora vem pedir apoio. Muito bem, perfeitamente lógico!?!

 

Além do mais, um cínico diria que antes desta medida ser anunciada, deve ter havido uma reunião entre o acima referido figurante e os líderes da Juve Leo, para minimizar ondas destabilizadoras ao presidente.

 

Eis o comunicado, publicado para "inglês ver":

 

"Passado o jogo da Final da Taça de Portugal em Futebol, entende o Sporting Clube de Portugal prestar os seguintes esclarecimentos:

 

1 – Apesar de todo o sentimento de frustração, vem o Sporting CP pedir a todos os Sportinguistas que apoiem os nossos atletas do futebol profissional, uma vez que temos pela frente uma nova época, cuja preparação já está em curso, e que necessita do máximo de união para que seja possível alcançar o sucesso que todos desejamos.

 

2 – O Sporting CP solicita ainda a todos os Sportinguistas que apoiem as restantes 54 modalidades em que, na sua maioria, aquelas que ainda não conquistaram os respectivos títulos de campeões nacionais, continuam a lutar e a trabalhar, diariamente, para que seja alcançada a Glória nacional e europeia, e para isso todos somos fundamentais.

 

3 – Na sequência dos gravíssimos acontecimentos ocorridos na Academia Sporting, foi decidido tomar medidas que vigorarão até à conclusão da investigação do Ministério Público em curso e do processo de averiguações interno que logo se desencadeou:

 

1 - Chamar o líder da Juventude Leonina a quem foi comunicada a suspensão imediata dos benefícios protocolados com o Sporting CP;

 

2 - Reforço das medidas de segurança na Academia e no Estádio José Alvalade, uma vez que a SAD e o Clube continuam a trabalhar e a ter actividade para lá do fim da época do futebol profissional;

 

3 - Audiência urgente com o Primeiro-Ministro – que já foi aceite faltando agendar a data – para discutir todos os assuntos relacionados com o combate à violência no desporto, bem como as propostas que têm vindo a ser apresentadas ao longo do tempo pelo Sporting CP sobre esta matéria;

 

4 - Manifestação, mais uma vez, de total disponibilidade ao Secretário de Estado do Desporto por parte do Sporting CP – já aceite também – para reforçar, desenvolver e melhorar as propostas e aplicação de medidas que visam o combate à violência no desporto;

 

5 - Solicitar às forças de segurança, em particular à GNR de Alcochete e à 3ª Divisão do Comando Metropolitano de Lisboa, a realização de uma reunião com carácter de urgência de modo a que haja uma maior articulação entre o sistema de segurança da Academia e do Estádio com as autoridades;

 

6 - Solicitação de várias reuniões com diversos elementos do Universo Sporting para que, no momento actual, seja possível conseguir a união e coesão da Família Sportinguista de modo a assegurar com sucesso a prossecução dos trabalhos que estão em curso".

 

img_770x433$2018_05_21_15_07_12_1400836.jpg

 

António Pires de Lima, antigo Ministro da Economia e conhecido adepto sportinguista, em entrevista à Rádio Renascença, reagiu prontamente ao comunicado da Direcção do Sporting, classificando os esclarecimentos como "anúncios hipócritas e fora do tempo":

 

"O principal instigador do clima de hostilidade à equipa de futebol e à equipa técnica nos últimos meses foi o presidente. Ele foi o autor moral da degradação do ambiente que se viveu no Sporting.

É de uma enorme hipocrisia intelectual e moral, o principal instigador deste ambiente vir, no final do ano, com este tipo de comunicados que não convencem ninguém. Nem o próprio Bruno de Carvalho tem qualquer credibilidade para falar de paz no futebol".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:00

Comunicado do Grupo Inforphone

Rui Gomes, em 19.05.18

 

23498133_502351366817459_1675517972539506688_n.jpg

 

 

Comunicado, 18 de Maio 2018

 

O Grupo Inforphone atual parceiro oficial tecnológico (Official Office Equipment Partner) do Sporting Clube de Portugal com ligação contratual até 2019, fazendo-se representar publicamente através da sua "brand" Inphtech vem, por este meio, informar que o Grupo irá desencadear os mecanismos legais para a desvinculação do contrato assinado entre as partes, nomeadamente por a marca Sporting estar a prejudicar o bom nome e imagem da nossa marca.

 

Perante todos os acontecimentos e tomada de posição por parte da direção do Sporting Clube de Portugal, como administrador do Grupo Inforphone entendemos que já não existem condições para estarmos ligados a uma imagem que nos origina um sentimento de vergonha, arrogância e, acima de tudo, desrespeito pelo nosso esforço em investir no clube e estar associado ao mesmo.

 

Como aficionado ao Sporting Clube de Portugal, o amor e acompanhamento a este clube será eterno, no entanto não poderei misturar emoções pessoais com as profissionais pois, nós vivemos da nossa imagem e marca, contudo a minha forma de estar e objetivo de vida não se identifica com o que é vivido no clube neste momento, independente da vitória ou de alcance de resultados este clube tinha e espero que retome os seus valores, aqueles que sempre me cativaram desde criança.


O Sporting Clube de Portugal irá certamente ter força no seu símbolo para ultrapassar esta fase negativa.

 

Tiago Ramos 
CEO Grupo Inforphone

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:21

Não nos vamos demitir !

Rui Gomes, em 17.05.18

 

img_770x4332016_06_15_23_47_18_1115804.jpg

 

Num comunicado em Alvalade, com outros membros da Direcção e do Conselho Fiscal ao seu lado, Bruno de Carvalho garantiu que não se vai demitir da liderança do Sporting, pese os recém- acontecimentos no Clube e as demissões em massa na Mesa da Assembleia Geral, Conselho Directivo e Conselho Fiscal, explicando os seus motivos:
 

"Digo aos sportinguistas que estão aqui presentes membros da Direcção, Comissão Executiva e Conselho Fiscal. O Sporting está a ser alvo de um ataque sem precedentes. Mas não nos vamos demitir!

 

Temos empréstimo obrigacionista e pedimos agendamento de AG para vos ouvir sobre o que tem ocorrido, para tudo ser tratado de forma tranquila. Mas em vez disso são os de dentro a ajudar nestes ataques, quando temos um jogo importante.

 

O Presidente da MAG tinha agendado reunião com órgãos sociais. Da nossa reunião saiu a vontade de dar voz aos sócios, que poderia ser marcada no espaço de uma semana. Como dizer que esta Direcção quer ganhar tempo? Nos próximos tempos vamos averiguar os interesses cruzados na vida do Clube.

Não no demitimos a bem do Sporting, pelas responsabilidades que assumimos. Não por estarmos agarrados ao poder.

 

Estamos disponíveis para prestar todos os esclarecimentos, como ficou claro no pedido de uma Assembleia Geral extraordinária. Esse é o local próprio para esclarecer tudo.

 

Temos pela frente temas e números, responsabilidades tremendas e compromissos, como seja um empréstimo obrigacionista, uma reestruturação financeira, uma nova época e tantos objectivos nesta época. Estes compromissos exigem união e coesão.

 

Os que sempre garantiram o normal funcionamento do Sporting Clube de Portugal são os únicos órgãos executivos que estão comigo e sempre estiveram. E sempre continuarão".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06

Comunicado dos jogadores do Sporting

Rui Gomes, em 16.05.18

 

image (2).jpg

... a confirmar a sua participação na final da Taça de Portugal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:45

 

sporting_lisbon_logo_88270.jpg

 

O Sporting reagiu em comunicado à reportagem do notório Correio da Manhã, em que é alegado que "O título de andebol da época 2016/2017, ganho pelo Sporting, está sob suspeita de fraude face a um gigantesco esquema de corrupção com a compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o FC Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder".

 

Sem ser surpresa, a questão polémica levantada pelo matutino terá origem/motivação "encarnada", como sempre, aliás, com tudo proveniente deste jornal. (Retirei a minha indicação do "duplo alvo", para evitar confusões).

 

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República confirmou a existência de "um inquérito relacionado com a matéria" e dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Armando Pinho, antigo árbitro, actual observador e delegado, recusa-se a acreditar que no andebol português existam árbitros que se deixem corromper. "Se eu alguma vez soubesse de um esquema de corrupção denunciava na hora. Ponho as mãos no fogo pela idoneidade destes árbitros de topo. Eram incapazes de fazer alguma coisa destas, isso é mais do que impossível", considera aquele responsável, em declarações a Record.


COMUNICADO DO SPORTING

 

Em face das notícias vindas hoje a público através do Correio da Manhã, entende o Sporting Clube de Portugal afirmar o seguinte:

 

1 – Estamos perante o primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting CP, a qual se estenderá, já o sabemos, a todas as modalidades do Clube;

 

2 – Repudiamos de forma veemente estas notícias, o modo como são construídas e a intenção que lhes está associada. De igual modo, não nos revemos em qualquer prática que desvirtue a verdade desportiva ou que sejam ética, moral e socialmente censuráveis;

 

3 – Não deixa de ser espantosa a quantidade de agentes e empresários, que não conhecemos, que se atrevem a falar em público sobre o Sporting CP. Em relação a esses tomaremos as medidas que em cada caso se imponham para que sejam responsabilizados nas instâncias competentes;

 

4 – Porque não estamos em crise, não vamos, em momento algum, constituir qualquer “gabinete de crise”, apesar de haver uma intenção clara de nos confundirem com vouchers, emails e toupeiras;

 

5 – O Sporting CP é um alvo a abater porque é o único clube que, genuinamente, continua a lutar e a querer transparência e verdade desportiva em Portugal;

 

6 – O Sporting CP confia na Justiça e no Estado de Direito e deseja que a alegada investigação anunciada pelo Ministério Público seja célere e que vá até às últimas consequências no apuramento da verdade;

 

7 – O Sporting CP está obviamente disponível para colaborar em todas as diligências que se entendam necessárias.

 

E o burro sou eu...

 

O Benfica, como não podia deixar de ser, reagiu à reportagem do CM. Fonte do clube teve isto para dizer:

 

"O Benfica considera de enorme gravidade, caso se confirmem, os factos hoje publicados pelo jornal Correio da Manhã. Acompanhamos a sua evolução e designadamente as investigações que seguramente as entidades competentes irão promover. Para a percepção da dimensão deste caso importa saber se estas alegadas práticas se estendem a outras modalidades".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:01

Mais um recuo estratégico de Bruno

Rui Gomes, em 19.04.18

 

maxresdefault (1).jpg

 

A sentir o proverbial "tapete" a fugir-lhe por baixo dos pés, Bruno de Carvalho tem vindo a recuar com determinadas medidas da sua autoria, numa tentativa de recuperar "terreno" perdido, ou melhor, populismo "amarrotado".

 

Os Supporting, banda de apoio aos leões, colocaram esta quinta-feira um ponto final no diferendo que existia com o ainda presidente, considerando que acima de tudo está o amor pelo Sporting.

 

Comunicado

Tendo em consideração os desenvolvimentos ocorridos nos últimos dias, nomeadamente a reaproximação entre a Direcção do SCP, encabeçada pelo senhor presidente, Bruno de Carvalho, e o conjunto os Supporting, de forma a ultrapassar diferendos, mal entendidos ou simplesmente pseudo problemas sem importância absolutamente nenhuma, perante a dimensão do nosso Sporting Clube de Portugal, e pelo amor que todos devotamos ao mesmo, informamos todos os Sportinguistas, em especial aqueles que nos seguem, nos ouvem e nos honram com a seu apoio, que não é mais que o apoio ao Clube, sem o qual não existiríamos, do seguinte:

O material da autoria dos Supporting, nomeadamente os CDs "Força Brutal" e "Onda Verde" voltaram a estar disponíveis na Loja Verde, sendo que as músicas dos Supporting voltaram a ecoar pelo Estádio José de Alvalade e pelo Pavilhão João Rocha, sendo que também os videoclips já regressaram à SportingTV.

Acima de tudo está a nobre Instituição, e os Supporting são apenas um veículo que tenta, dentro das suas possibilidades, capacidade e sempre com humildade, honrar, celebrar e expandir a história e o nome do nosso grande amor, Viva o Sporting Clube de Portugal!
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50

 

mw-860.jpg

 

Bruno de Carvalho decidiu retirar “de imediato” todos os processos “relativos à publicação pelos atletas de um comunicado nas suas redes sociais”. Esta quarta-feira, o presidente reuniu-se com a Comissão Executiva e a decisão foi tomada. No entanto, a atitude dos jogadores foi criticada:

 

“A atitude dos jogadores da equipa principal de futebol profissional foi incorreta para com a sua entidade patronal. Entendeu-se que o momento atual tem de ser ainda de maior união e coesão, de forma a que possamos cumprir aquelas que são as naturais aspirações do universo sportinguista, isto é, a conquista das provas em que estamos a competir”.

 

Com esta decisão, o presidente espera mostrar que “os superiores interesses do Sporting estão e estarão sempre acima de qualquer situação ou decisão”. Haverá quem diga que é um exemplo clássico de "faz o que eu digo, não faças o que eu faço".

 

Bruno de Carvalho anunciou inicialmente que iria instaurar processos disciplinares a 19 jogadores, que tinham publicado nas redes sociais uma nota que foi entendida como uma crítica ao presidente.

 

download (1).jpg

 

Eis o comunicado na íntegra:

 

"Após reunião do Presidente do Conselho de Administração da SAD com a sua Comissão Executiva, foi deliberado o seguinte:

 

Retirar de imediato os processos disciplinares relativos à publicação pelos atletas de um comunicado nas suas redes sociais.

 

Muito embora tenha sido unânimemente considerado, pela Administração da SAD e pelo Conselho Directivo do Sporting CP, que a atitude dos jogadores da equipa principal de futebol profissional foi incorrecta para com a sua entidade patronal, entendeu-se que o momento actual tem que ser ainda de maior união e coesão, de forma a que possamos cumprir aquelas que são as naturais aspirações do Universo Sportinguista, isto é, a conquista das provas em que estamos a competir.

 

Com este gesto, a Administração da SAD e a Direcção do Clube querem mostrar, mais uma vez, que os superiores interesses do Sporting CP estão e estarão sempre acima de qualquer situação ou decisão. Por vezes, estes superiores interesses, justificam que seja dado um passo atrás, tendo a humildade de reconhecer estar a contribuir para que a Equipa possa, dentro de campo, dar todos os passos em frente que sejam necessários à conquista da Glória, que todos pretendemos alcançar."

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:48

A propaganda chantagista já começou

Rui Gomes, em 10.04.18

 

image9.jpg

 

Bruno de Carvalho nunca olhou a meios para atingir fins e não é agora que vai mudar, especialmente considerando que se vê no epicentro de uma crise - criada por ele próprio, aliás - que o poderá levar a abdicar da muito desejada cadeira da presidência do Sporting Clube de Portugal.

 

Diz hoje o seu amigo e apoiante Daniel de Oliveira, numa crónica sua no jornal Expresso, que "A saída de Bruno de Carvalho não vai ser pacífica porque ele ignora o que muitos megalómanos ignoram.", com razão de ser.

 

O comunicado enviado esta segunda-feira à CMVM, pela Sporting SAD, alegando que as recém-polémicas no Clube prejudicam a emissão do empréstimo obrigacionista de 30 milhões de euros (ME), só pode ser considerado como propaganda chantagista da autoria de Bruno de Carvalho. 

 

Além dos conhecidos vassalos e aqueles que o apoiam 'no matter what' - a desprezo dos interesses superiores do próprio Sporting - o ainda presidente do Conselho Directivo ambiciona "apanhar na rede" um número suficiente de distraídos que lhe permitam preservar o poder, quando chegar a hora de decisão:

 

Eis um breve excerto do acima referido comunicado à CMVM:

 

"As recentes tomadas de posição públicas por terceiros vêm prejudicar gravemente a concretização da nova oferta obrigacionista; com efeito, a realização de uma possível assembleia de accionistas da Sporting SAD ou uma AG de sócios do Sporting, quer para destituição dos seus órgãos sociais, quer para eleição de novos órgãos sociais, impediria a concretização atempada da referida nova oferta obrigacionista, desta forma colocando deveras em causa os fins da mesma, concretamente o reembolso da actual emissão, e, consequentemente, a estabilidade financeira da Sporting SAD".

 

Até que ponto o recém-comunicado da Holdimo influenciou esta acção, é difícil de determinar nesta altura, contudo, é de esperar mais do mesmo por vários meios nos próximos dias e semanas. Como diz Daniel Oliveira, "a saída de Bruno de Carvalho não vai ser pacífica"!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:20

 

img_FanaticaBig$2018_04_08_22_17_36_1384906.jpg

 

É difícil ter palavras nesta altura perante as preocupantes acções de Bruno de Carvalho. Não satisfeito com o estado de crise precipitado exclusivamente por ele e após a reunião de ontem com o plantel, o ainda presidente do Sporting emitiu novo comunicado, desta vez em nome do Conselho de Administração da SAD e do Conselho Directivo, no qual, entre muitas outras coisas, anuncia processos disciplinares contra os jogadores.

 

Depois de tudo isto e sendo o homem que é (com um "h" muito pequeno), ainda se deu a marcar presença no banco de suplentes no jogo com o Paços de Ferreira, que vai começar dentro de instantes. Ouviu-se uma estrondosa assobiadela pela sua entrada no relvado em Alvalade, em contraste com os muitos aplausos para os jogadores.

 

img_770x443$2018_04_08_08_25_55_1384831.jpg

  

Leia o comunicado na íntegra: 

"Quando a equipa de futebol regressou de Madrid, os jogadores pediram uma reunião com o Presidente. A mesma ficou de imediato marcada para este domingo, após o jogo com o Paços de Ferreira. Em seguida, foram ter com o treinador abordando o mesmo assunto. A reunião voltou a ser confirmada, com acordo de todos, e contaria também com a presença do treinador e outras pessoas da estrutura do futebol. Para espanto do Presidente, do treinador e demais pessoas da estrutura, e ao arrepio de tudo o que estava combinado entre todos, os atletas decidiram tratar através dos seus Instagram, aquilo que tinha sido reclamado pelos próprios como devendo ser tratado internamente.

Ontem realizaram-se duas reuniões em que, além do Presidente, estiveram presentes o team-manager, o treinador e os atletas do plantel principal. Coisa estranha, quisemos tratar de tudo em família e dentro de casa, como aliás nos tem sido pedido, e eis que hoje está tudo na praça pública, plantado em todos os jornais, com vários factos deturpados, truncados ou, simplesmente aldrabados. E por isso aqui estamos, outra vez, obrigados a repor a verdade do que se passou.

Na primeira reunião, ficaram claras duas coisas: a total lealdade do treinador perante o Presidente e quem foram os grandes mentores de toda esta questão, de que fazem parte jogadores que, há anos, exigem sair do Clube de todas as maneiras e feitios. Aliás, essa situação ainda foi mais vincada quando, a dada altura, um atleta confrontou o Presidente com o facto - quenotóriamente já tinha partilhado com o grupo -, de que o Presidente teria ligado no dia anterior ao líder da Juventude Leonina, pedindo-lhe que batesse nos jogadores, num acto que deixou o Presidente totalmente enfurecido.
O Presidente, recusando este tipo de insinuações, intrigas e manipulações de grupo, que já vêm sendo modus operandi habitual dos que, por várias vezes, tentaram desestabilizar o plantel, ligou em frente aos atletas para o líder da referida claque. Não sabendo que estava em alta voz perante toda a equipa, desmentiu categoricamente esse atleta, e os colegas puderam perceber o nível de manipulação a que se chega dentro deste balneário.

Na referida reunião, a que depois se seguiu outra na Academia, não houve nem poderia haver qualquer tentativa por parte dos atletas para que o Presidente se retratasse, nem dentro do grupo nem publicamente, até porque existe o sentimento e reconhecimento de que, por muito que possa desagradar a alguns, o Presidente coloca e colocará sempre os interesses do Sporting CP acima de tudo. É claro para todos que quem manda no Clube é o Presidente, pelo que, os retratamentos ou não que possa ter necessidade de fazer, acontecerão sempre em actos eleitorais ou AG's com os Associados, e nunca por exigência de assalariados ou colaboradores do Clube.

O Presidente foi claro e reafirmou que no Sporting CP não podemos estar perante grupos de atletas que se queiram comportar de forma sobranceira, e que têm, de uma vez por todas, que se focar na obrigação e missão de conquistar títulos e agradar e fazer felizes os Sócios e Adeptos do Sporting CP. Não podemos compactuar com joguinhos de "bastidores" internos, prejudicando os grupos e com atitudes de "ameaças e pressões" a colegas, sobretudo quando já havia uma reunião marcada para hoje, após o jogo, acordada por todos - Presidente, treinador e atletas. Isto tem sempre na sua base a tentativa de esconder insucessos, e promover na opinião pública um novo sentimento de revolta, cujos mentores terão aprendido a fazer, certamente, com as lições que tiveram durante o célebre e triste episódio protagonizado por alguém que, com uma agenda própria, tentou, com relativo sucesso, virar os sportinguistas contra o seu Presidente.

Estamos a fazer este comunicado pois não permitiremos, através do nosso silêncio como fizemos no passado, uma nova situação como a que ficou conhecida no universo sportinguista como "o caso Marco Silva". Foi, aliás, por gerir esse assunto só "dentro de casa", que se permitiu a criação de um mito e que se deixou que uma pessoa alimentasse uma "guerra" dos sportinguistas contra o seu Presidente, com constante passagem de informação falsa e deturpada para a Comunicação Social.

O mesmo se pode concluir da leitura das notícias de hoje. Alguém dentro daquelas duas salas, apressou-se, ao estilo do episódio já aqui referido, a colocar uma série de notícias falsas por todos os jornais. São este tipo de hipocrisias em que se apela publicamente para que os assuntos sejam tratados dentro de casa, para que depois, com recurso a serem "fontes anónimas", poderem livremente conspurcar uma Comunicação Social que, já por si, inventa todos os dias novas mentiras sobre o Sporting CP - facto que é intolerável - que não podemos nem iremos permitir.

Neste Clube, apesar das lições tristes que, há 3 anos, alguns jogadores tiveram, não iremos compactuar com atitudes dissimuladas, manipuladoras e desestabilizadoras, ficando, do nosso lado, em silêncio. Não se pode combater quem luta de forma "suja", recorrendo ao anonimato para atacar o Presidente e com isso o Clube, sem os desmascarar a cada passo.

Sobre as várias restantes notícias hoje veiculadas, há que salientar alguns aspectos. Desde logo, é totalmente falso que aquelas pessoas a quem os jornais chamam de "VIP's" - que para nós são os mais de 3.5 milhões de sportinguistas -, tenham tido qualquer conversa com o Presidente sobre o tema em questão. Aliás, das pessoas referidas e em que constam nomes como José Maria Ricciardi ou José Eduardo, apenas Eduardo Barroso ligou ao Presidente, num gesto de grande elevação como é seu apanágio, com a única preocupação de saber como estava a sua saúde, a da sua esposa e a da filha que está para nascer. Ainda existem muitos, num meio pejado de hipócritas e oportunistas, como por exemplo Paulo Abreu, Carlos Seixas, Menezes Rodrigues ou Madeira Rodrigues, que nestes momentos sabem demonstrar a sua total confiança e amizade plena.

Também são de salientar os telefonemas do Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar do Clube, Nuno Silvério Marques, do Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar da SAD, Rui Moreira Carvalho, e do Presidente da MAG do Clube, Jaime Marta Soares, dando conta da sua total solidariedade. É nestes momentos em que, como diz o povo, conseguimos distinguir o trigo do joio, e conseguimos perceber quem, de forma discreta e directa, demonstra a sua solidariedade, como foram os casos das pessoas já referidas ou de toda a Direcção do Clube e Administração da SAD, dos outros que não resistem aos holofotes da Comunicação Social ou das pressões mediáticas ou no seu meio de "amigos" e, ao invés de deixarem os que por direito, estatutos e regulamentos, podem e devem apagar os fogos que vão existindo de forma natural em todas as instituições, tentando intrometer-se e conseguindo atear ainda mais o fogo de um incêndio que já estava controlado em todas as suas frentes, não respeitando a autonomia de cada órgão e podendo pôr em causa o princípio da lealdade institucional entre órgãos sociais.
 

img_770x443$2018_04_08_08_03_02_1384823.jpg


No final do dia, todos temos que tirar as nossas lições:

1. O Presidente faz e age como quer e onde quer, sendo que a única coisa que o move é e será sempre a defesa dos superiores interesses do Sporting CP e honrar a confiança dos Sócios que o elegeram;

2. O Presidente não age a mando nem de atletas, nem de treinadores, nem de presidentes ou membros de outros órgãos sociais;

3. O Presidente exigirá sempre, pelas formas que considere adequadas, a excelência, a atitude, o compromisso e o respeito pelas hierarquias e autonomias e, sobretudo, por aqueles que são de facto o maior activo e património do Clube, os seus Sócios e Adeptos;

4. O Presidente chegou à conclusão que a suspensão imposta aos atletas, não teria efeito de castigo mas apenas serviria para ser mais uma desculpa para que não pudessem cumprir as suas funções e as obrigações para que são pagos;

5. Perante a situação grave que se viveu, com a atitude dos jogadores que acabou por manchar o bom nome do Presidente e do Clube, serão mantidos os processos disciplinares;

6. Existem coisas que, mesmo sendo de casa, nunca podem ser ditas ou feitas, pois um Clube e uma SAD podem ser uma família, mas também serão sempre instituições com hierarquias, regras e princípios, e onde uma das normas basilares - além do respeito pelas mesmas -, é e será sempre, pelo menos enquanto esta Direcção e Administração continuarem à frente do Clube e da SAD, o nunca se poder faltar ao respeito aos Sócios e Adeptos. Nem por atitudes, nem por palavras, nem por falta de empenho.

Do nosso lado, se os jornais não continuarem a ser inundados por "fontes" que sabemos bem quem são, iremos remeter-nos, a partir daqui, ao silêncio sobre este assunto. Se assim não for, continuaremos na nossa política de transparência de que os Sócios e Adeptos têm sempre o direito de saber o que se passa dentro da sua casa para que, ao contrário do que aconteceu até 2013, e no já referido episódio acima mencionado, não vivam na opacidade, no obscurantismo e na ignorância.

Dito isto, vimos pedir a todos os Adeptos e Sócios do Sporting CP que continuem, de forma apaixonada e genuína, a serem o 12° Jogador, demonstrando que são de facto os melhores do mundo, sem nunca terem receio de exigir a todos sem excepção, os que servem o Clube e a SAD, que se superem num clima de exigência máxima, que aquele que faz com que, apesar de passarmos décadas sem ser campeões no futebol sénior masculino, vemos a nossa família, a cada dia, crescer de forma exponencial.

É esta paixão e amor incondicionais que devemos continuar a passar aos que nos rodeiam e, sobretudo, exigindo a todos aqueles que são pagos para servir o Clube.

Quanto à Direcção do Clube e da SAD, continuaremos com o mesmo Esforço, Dedicação e Devoção a gerir estas instituições e a lutar pela verdade desportiva, que deve voltar a ser o foco de todos nós. Pois são casos como os vouchers, os e-mails, o E-toupeira ou os jogos para perder que nos podem também afastar do caminho da Glória que traçámos e pela qual trabalhamos diariamente, 24 horas, para conquistar".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:04

 

603a290cd0d5de2dcbf8d99e30ed5382.jpg

 

Juventude Leonina entendeu emitir um comunicado este domingo, na sua página de Facebook, sobre o momento de crise que o Clube atravessa. Tomei nota, em especial, da sua declaração que  "estará atenta e não irá permitir que ninguém ponha em causa o nome e imagem do Sporting".

 

Um discurso bonito, sem dúvida, mas o que deve fazer reflectir qualquer sportinguista, é o enaltecimento que este grupo de adeptos atribui a si próprio, como se tivesse uma posição de autoridade no Clube. Compreende-se e louva-se o apoio que presta a todas as equipas e atletas leoninos, mas fica a léguas de distância a presunção de permitir ou não permitir seja o que for, mesmo admitindo as suas boas intenções.


Leia o comunicado na íntegra:

"Relativamente aos recentes acontecimentos no seio do Sporting Clube de Portugal, principalmente no que diz respeito à equipa de futebol profissional, vem a Juventude Leonina tomar a seguinte posição:

A Juventude Leonina é uma claque com 42 anos de existência e com mais de 8 mil sócios, que fazem km e km, faça chuva ou faça sol, para apoiar o nosso grande amor Sporting Clube de Portugal. 

A Juventude Leonina não apoia um presidente, um treinador ou um jogador, nós apoiamos a instituição, pois acima de tudo e de todos está sempre, o grande Sporting Clube de Portugal.
 
Passam dirigentes, treinadores e jogadores, mas o maior património do clube fica, os sócios.

Não é com guerras de comunicados entre presidente e jogadores que as coisas se resolvem, é no seio da família leonina.

O que a Juventude Leonina exige a todos os profissionais que representam o Sporting Clube de Portugal é atitude, compromisso, que honrem e dignifiquem um clube centenário, pois acima de tudo está o Sporting Clube de Portugal!

A Juventude Leonina estará atenta e não irá permitir que ninguém ponha em causa o nome e imagem do Sporting Clube de Portugal.

Contra o Paços, faremos o nosso trabalho, o de apoiar do primeiro ao último minuto, a quem entrar em campo exigimos respeito, atitude, garra e querer.

Insubstituível só o Sporting Clube de Portugal!

UM DIA JUVE LEO, JUVE LEO ATÉ MORRER!"
 

image.jpg

 

Um outro episódio, quase surreal, indirectamente associado à Juventude Leonina, terá ocorrido durante a recém-reunião entre Bruno de Carvalho e o plantel leonino.
 
Muito além da tensão que se fez sentir neste encontro, é reportado que a um determinado ponto o presidente terá telefonado a Mustafá, líder da claque, e colocou-o em voz alta para este negar que Bruno de Carvalho alguma vez tenha pedido a alguém do grupo para bater em qualquer jogador do Sporting. 
 
Que isto tenha sido necessário, é nada menos do que incrível !
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:00

 

assembleia_geral_suspensa_9_1.jpg

 

Os 'sportingados " reagiram este sábado via comunicado (não identificado) ao convite feito por Bruno de Carvalho para participação nas sessões de esclarecimento:

 
Comunicado

O Sporting Clube de Portugal, ou melhor, o actual presidente do Conselho Directivo, através da utilização dos canais oficiais do mesmo, endereçou um convite para sessões de esclarecimento, a vários sócios da nossa centenária Instituição.

A vontade de participação de cada um dos sócios nas duas sessões de esclarecimento, dia 11 e 12 do corrente mês, será feita, seja pela comparência ou não comparência, em nome meramente individual.

Os "sportingados", como fomos apelidados, entre outros adjectivos como híbridos, ratazanas, lampiões, gentalha, traidores, desestabilizadores, etc. não são nenhum grupo ou grupinho organizado, nem aceitam lições de Sportinguismo de ninguém, inacluindo do actual presidente Bruno de Carvalho.

Somos sportinguistas, a esmagadora maioria com décadas de filiação ao Clube, tendo muitos inclusivamente servido o Sporting como dirigentes, atletas, funcionários, no limite das suas capacidades, com amor e dedicação.
 
O actual presidente pretende, além de reforçar o seu poder dentro do Clube, ver consumada a sua vontade de silenciar aqueles que o criticam, e se opõem ao seu estilo, postura e gestão.

Sinal disso mesmo foi a chantagem que fez aos associados do Sporting Clube de Portugal, indo mais longe, pois o novo regulamento disciplinar que deveria entrar em vigor, caso aprovado, no próximo mandato, será aplicado imediatamente após dia 17, se os sócios assim decidirem.

Ora entre o ultimato que foi feito em flagrante delito, à frente das câmeras de televisão, e microfones da rádio, e esta alteração de última hora, que pretende aplicar processos disciplinares no imediato, muita coisa se vislumbra.

E o que se vislumbra não é mais do que a possibilidade de a breve trecho, e conforme vontade manifestada pelo actual presidente, junto de pessoas que lhe são próximas, existirem várias tentativas de expulsão de sócios do Sporting.

É esse o vocabulário utilizado pelo actual presidente do Sporting "Desprezar, perseguir, expulsar, calar", junto daqueles que fazem parte dos órgãos sociais do clube, indo mais longe e reiterando essa vontade, sem qualquer pudor, aos seus apoiantes, familiares e amigos.

O Sporting Clube de Portugal fará brevemente 112 anos de vida, sempre foi uma Instituição onde os valores da pluralidade, democracia, e liberdade são uma das traves mestras da sua fundação e existência.

Não será o actual presidente, ou qualquer outro dirigente ou associado, que irá fazer do Sporting aquilo que ele não é, e nunca foi, ou irá desrespeitar as convicções, e valores defendidos pelos nossos fundadores e antepassados.

Também não queríamos deixar de afirmar que consideraremos o actual presidente, na parte ou no todo, responsável por qualquer influência negativa que esta sua demanda quixotesca venha a ter no desempenho desportivo do clube, em particular na equipa principal de futebol.

Apelamos à tranquilidade dos associados e simpatizantes do Sporting Clube de Portugal, e a que continuem a apoiar as suas equipas e atletas, com sempre foi nosso apanágio, deixando aos sócios a legitimidade de votarem de forma livre, consciente, e imune a pressões, na Assembleia Geral de dia 17 próximo.

Quanto a circos mediáticos, surtos comportamentais, e manifestações de personalidade antagónicas, confessamos não ter capacidade para as influenciar ou remediar, deixando isso para quem tem conhecimentos na área, como por exemplo o Dr. Daniel Sampaio, ou o Victor Hugo Cardinali, ilustres profissionais, cujos nomes nos ocorreram.

Viva o Sporting!
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:49

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




Cristiano Ronaldo