Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



GoalPoint-Gil-Vicente-Sporting-Liga-NOS-201920-90m

Já muito foi comentado sobre o jogo de ontem, mas, nas circunstâncias, é de prever que ainda há mais para dizer.

Em distinto contraste com a exibição de quinta-feira, frente ao PSV Eindhoven, o Sporting esteve muito mal em Barcelos, frente ao Gil Vicente.

O sistema de jogo implementado por Jorge Silas é bom e resulta, mas não sem dinâmica e intensidade. Posse de bola numa área recuada e muito limitada não leva a equipa aos golos que necessita para vencer jogos.

Não deixa de ser interessante que quarta-feira vamos ter a repetição do mesmo cenário, ou seja, a equipa leonina de visita a Barcelos. Teremos de esperar para ver se o jogo de ontem serviu de lição, tanto para os jogadores como para o treinador.

img_920x518$2019_08_11_11_13_36_1587247.jpg

Os comentários de alguns leitores obrigam-me a alterar este post, porque, pelos vistos, na sua óptica, Bruno Fernandes terá cometido um crime capital com a sua apreciação aberta e honesta sobre a performance da equipa.

Eis o que o «capitão» teve para dizer no final da partida em Barcelos:

"Faltou personalidade e faltou atitude. Não estivemos no jogo. Deixámos que o Gil Vicente fosse sempre mais agressivo do que nós e conseguiram chegar primeiro às segundas bolas, às primeiras, criando mesmo mais oportunidades do que nós, o que é impensável.

O problema da equipa foi começar a segunda parte como começou a primeira, sem agressividade, sem intensidade, deixando que o Gil chegasse primeiro à bola, fazendo com que o nosso jogo se tornasse mais difícil.

Não há explicação 'para ir do céu ao inferno'. Agora é fazer a análise do jogo, que foi mau e pensar já no próximo".

_____________________________________

E, depois, ainda temos Vítor Oliveira, que nas suas declarações pós-jogo, indiferente se tem razão ou não com determinadas questões, demonstrou uma muito maior preocupação com o Sporting do que com a sua própria equipa:

"Sendo frontal, como sou, o plantel do Sporting fica muito longe do plantel do FC Porto e do Benfica. Tem alguns bons jogadores mas não tem muitos bons jogadores. Depois do que aconteceu na Academia vai demorar dois, três anos a recompor-se. Com poucos resultados a situação agrava-se. Mas o plantel do Sporting não é tão bom como os de Benfica e FC Porto. Daí a diferença pontual.

Se analisarem os jogadores de top, o Sporting tem muito poucos. Não é simpático dizer isto mas é a opinião de um homem do futebol. O Sporting precisa de melhores jogadores para ter melhores resultados. Pode mudar de treinador ou presidente mas o que precisa é de um plantel mais com mais reforços, como Benfica e FC Porto".

img_476x268$2019_12_02_00_10_55_1633923.jpg

Eis o que Silas teve para dizer no final do jogo:

"Uma derrota é sempre penalizadora e até ao segundo golo tínhamos o jogo controlado. O primeiro golo é uma oferta nossa, que não pode acontecer a este nível. Levantámo-nos desse erro crasso, mas cometemos novo erro e sentiu-se muito a instabilidade emocional que reina nesta equipa desde o início da temporada.

Custa-nos muito reagir à adversidade, mas não podemos ser equipa só quando estamos a ganhar. Depois fica mais difícil dar a volta aos jogos. O nosso desafio é conseguir fazer com que um golo não nos mande abaixo da maneira como nos mandou.

Tem muito a ver com o cansaço físico e psicológico, que dá pouco tempo para recuperar e preparar os jogos. Tivemos muito controlo do jogo, mas podíamos e devíamos ter sido mais efectivos nas oportunidades. A partir do minuto oito da segunda parte deixámos de fazer aquilo que tínhamos combinado. Cada um passou a jogar à sua maneira e não há equipa que resista.

Gostava de dizer que íamos ganhar os jogos todos até ao final da época, mas eu próprio não espero jogos como o de hoje. Cometemos erros em lances aparentemente inofensivos e sofrer golos criados por nós fica mais difícil de explicar. 

Como se trabalha a capacidade de reacção? Não é fácil, mas acho que se trabalha com vídeos e com muita bola. A bola dá-nos muito equilíbrio, mas quando começamos a ficar desequilibrados deixamos de ter bola e perdemos imensos espaços. Isso cria ainda mais apupos, desconcentração e instabilidade emocional. Depois tem a ver com a experiência dos jogadores e se calhar precisamos de pensar nisso".

publicado às 03:18

Faltou o mais importante!

Rui Gomes, em 04.11.19

GoalPoint-Tondela-Sporting-Liga-NOS-201920-90m.jpg

O Sporting controlou o jogo do primeiro ao último minuto mas acabou derrotado por falta de eficácia ofensiva no último terço do terreno e frente à baliza do Tondela.

O 70% de posse de bola satisfaz o tipo de jogo que Silas exige da equipa, mas pouco ou nada serve se não houver golos, e foi precisamente isto que ocorreu em Tondela, enquanto o adversário marcou num lance de bola parada, praticamente na única ocasião (88') em que ameaçou a baliza de Renan.

download.jpg

Considerações de Jorge Silas no final da partida:

"Faltou-nos sorte, conseguimos meter o Tondela lá atrás na segunda parte, mas depois faltou também eficácia na zona de finalização. Já não é a primeira vez que acontece. É o segundo jogo seguido em que sofremos golo de bola parada, tem muito a ver com a concentração dos jogadores. Acabamos por perder três pontos assim...o futebol é um bocado isto, fizemos o que tínhamos de fazer, eles num lance de bola parada marcam. Tenho de lhes dar os parabéns pela vitória, mas nós não merecíamos perder este jogo.

Dez tentativas de golo e o Tondela teve uma. Eles fizeram um golo e nós não fizemos nenhum. Temos de fazer mais. Se não fizemos com 10 tentativas temos de fazer mais, a ver se conseguimos fazer com 20.

Espero que não tenha muito impacto no que será o nosso jogo, as derrotas aqui pesam, mesmo os empates não são bons. Houve muita coisa boa que fizemos, vamos tentar que esse impacto seja reduzido, mas vamos olhar para o futuro, olhar para o que fizemos mal, potenciar o que fizemos bem."

Não vamos recorrer à arbitragem para desculpar esta derrota do Sporting, mas as más decisões de Fábio Veríssimo, muito mal auxiliado pelo VAR, tiveram muita influência no jogo e no resultado. Primeiro, pelo cartão vermelho mal anulado, segundo, por uma outra expulsão que ficou por ser assinalada por falta grosseira sobre Vietto. Isto, entre outras decisões, a exemplo deste lance com Bolasie, aos 54 minutos.

publicado às 07:50

Ainda sobre o jogo na Mata Real

Rui Gomes, em 01.11.19

GoalPoint-Pacos-Sporting-Liga-NOS-201920-90m.jpgGoalPoint-Pacos-Sporting-Liga-NOS-201920-MVP.jpg

publicado às 04:01

Estatísticas do jogo em Villarreal

Rui Gomes, em 22.02.19

 

GoalPoint-Villarreal-Sporting-Europa-League-201819

 

publicado às 04:30

Estatísticas do jogo

Rui Gomes, em 31.01.19

 

GoalPoint-Setúbal-Sporting-LIGA-NOS-201819-Rating

 

publicado às 07:46

Estatísticas do jogo

Rui Gomes, em 27.01.19

 

Dx3nWC4W0AApPLU.jpg

 

publicado às 03:33

Ainda o dérbi

Rui Gomes, em 06.05.18

 

Dcdr6AdW4AEDQ9S.jpg

 

***Só não estão contabilizados os dois penáltis que ficaram por assinalar contra o Benfica, assim como a não expulsão de Rúben Dias por agressão a Gelson Martins. 

 

P.S.: Também não regista a choradeira monumental e murro na mesa de conferência de imprensa de Rui Vitória, o maior sonso da praça.

 

Em abono da verdade, também devia comentar a insuficiência de Jorge Jesus, mais uma vez amplamente demonstrada num  jogo em que a equipa foi uma sombra daquilo que é capaz. Será que vamos ser subjugados a mais uma época do mesmo ou o presidente vai abrir os olhos, e a carteira, que não é a dele, para contratar um treinador ao nível das aspirações do Clube?

 

publicado às 15:02

A falta que faz Gelson Martins

Rui Gomes, em 28.02.18

 

mw-680.jpg

 

É algo visível a olho nu, para qualquer adepto mais ou menos informado: Gelson Martins é um dos melhores jogadores do Sporting e vai fazer muita falta à equipa de Jorge Jesus, sexta-feira (20h30, SportTV1), no clássico no Dragão.

 

Certo? Certo. Mas é possível explicar essa ausência ainda de forma mais pormenorizada, recorrendo aos números de Gelson, o grande desequilibrador do Sporting, na Liga NOS, através do serviço InStat, uma plataforma de análise e observação de jogos e jogadores.

 

E o que dizem esses números? Gelson é, de longe, o jogador da equipa de Jorge Jesus que mais "vai para cima" dos defesas adversários, ou seja, que mais dribles faz: 176 em 24 jogos na Liga, com uma taxa de sucesso de 59% (completou 104).

 

À frente de Gelson na desestabilização das defesas adversárias só mesmo Brahimi, que já tentou 269 dribles, saindo-se bem em 174 deles - uma taxa de sucesso de 65%. Atrás de Brahimi e Gelson, há outro sportinguista, actualmente emprestado ao Chaves: Matheus Pereira, que já tentou 146 dribles, sendo bem-sucedido em 87 deles (60%). E, logo depois, Rúben Ribeiro, que chegou a Alvalade no mercado de inverno.

 

 

Isto quer dizer que Gelson tenta, em média, oito dribles por jogo, mesmo em jogos grandes. Foi isso mesmo que o extremo de 22 ano fez contra o FC Porto, a 7 de Fevereiro, na 1ª mão da Taça de Portugal, no Dragão (1-1): oito dribles, com uma taxa de sucesso de 63%.

 

No mesmo jogo, só Brahimi driblou tanto: também tentou por oito vezes ultrapassar os adversários dessa forma, mas só foi bem-sucedido em 25% das tentativas.

 

Mas, mesmo enganando frequentemente os adversários, Gelson não foi dos melhores em campo contra os portistas: só conseguiu acertar um de três passes "chave" (os passes que deixam um colega na cara do golo) - aspecto em que costuma ser dos melhores sportinguistas - e não conseguiu marcar, ainda que, esta época, já leve seis golos e cinco assistências na Liga.

 

E, do outro lado do campo, há um homem que também tem desequilibrado os ataques portistas através de passes importantes: Brahimi, claro.

 

 

Sem Gelson, é possível que o substituto escolhido por Jesus possa ser outro extremo de características semelhantes: o reforço Rúben Ribeiro - em 4º no top de dribles e em 1º no ranking de faltas sofridas - ou o jovem Rafael Leão - que já na equipa B se destacava pela média de dribles: sete por jogo.

 

Mas, sem Bas Dost, o Sporting terá o ataque bem mais fragilizado, enquanto o FC Porto tem outros trunfos na manga, como Alex Telles, de longe o homem que mais assistências tem na Liga portuguesa.

 

 

publicado às 18:43

Liga NOS à sexta jornada

Rui Gomes, em 20.09.17

 

infograficowebsite18set2017.jpg

 

publicado às 17:25

Estatísticas do Euro 2016

Rui Gomes, em 25.06.16

 

EURO2016-OMB-PES2016_1.jpg

 

Algumas estatítiscas interessantes da fase de grupos do Euro 2016, com alguma surpresa relativamente a Portugal, pelo registo positivo em alguns capítulos. A informação origina com a UEFA e não me dei ao trabalho de traduzir tudo para português.

 

Equipas que mais correram


337,179 metres: Italy
336,377: Ukraine
336,314: Czech Republic
334,159: Germany
330,270: Northern Ireland
329,982: Russia
328,101: Poland
326,452: Slovakia
326,180: England
324,766: Iceland
323,226: Switzerland
321,820: Hungary
321,536: Wales
321,324: Austria
320,492: Spain
319,860: Croatia
318,955: Portugal
318,050: France
316,042: Sweden
312,469: Turkey
311,729: Belgium
309,914: Romania
308,019: Republic of Ireland
286,713: Albania

 

Jogadores que mais correram


37,394 metres: Vladimír Darida (Czech Republic)
35,112: Amir Abrashi (Albania)
34,731: Taras Stepanenko (Ukraine)
34,551: Gylfi Sigurdsson (Iceland)
34,433: Jürgen Baumgartlinger (Austria)
34,401: Hamšík (Slovakia)
34,394: Jonas Hector (Germany)
34,311: Pekarík (Slovakia)
34,033: Xhaka (Switzerland)
33,898: De Bruyne (Belgium)

 

Equipas com mais golos marcados


6: Hungary, Wales
5: Croatia, Spain
4: Portugal, France, Iceland, Belgium

 

Equipas com mais remates


69: Portugal
65: England
59: Belgium, Germany

 

Equipas com mais remates aos "ferros"


4: France
3: Germany, Croatia
2: Portugal, Romania, Austria, Italy

 

Equipas apuradas com menos golos marcados


2: Poland, Northern Ireland, Republic of Ireland, Switzerland
3: England, Germany, Italy, Slovakia

 

Equipas com menos posse de bola


34%: Northern Ireland
35%: Iceland
42%: Albania

 

Equipas com mais posse de bola


66%: Germany
61%: Spain, Portugal
58%: Switzerland, England

 

Equipas com menos golos sofridos


0: Germany, Poland
1: France, Italy, Switzerland
2: Spain, Belgium, Italy, Northern Ireland

 

Equipas com mais eficácia de passe


93%: Spain
91%: Germany
91%: Switzerland
89%: Portugal, England

 

Equipas com mais faltas sofridas


46: Poland
45: Turkey
43: Italy, Albania, Portugal

 

Equipas com mais faltas cometidas


52: Romania
49: Republic of Ireland
45: Hungary, Ukraine

 

Jogador com mais remates à baliza


11: Gareth Bale (Wales)

 

Jogador com mais remates para fora


13: Cristiano Ronaldo (Portugal)

 

Jogador com mais remates aos "ferros"


2: Thomas Müller (Germany)

 

Jogador com mais remates bloqueados


11: Cristiano Ronaldo (Portugal)

 

 

Nota: As estatísticas indicam que Portugal marcou apenas em cada 17.25 remates, uma percentagem de eficácia extremamente baixa.

 

publicado às 04:30

Futebol não é matemática, mas...

Rui Gomes, em 05.03.16

 

 AcadémicaAroucaBelenensesBenficaBoavistaEstorilMarítimoMoreirenseNacionalPaços FerreiraFC PortoRio AveSp. BragaSportingVitória GuimarãesVitória Setúbal  

 

Disputa-se este sábado um jogo em Alvalade que não sendo decisivo é, sem margem para dúvidas, muito importante e se a história da prova nas últimas dez temporadas não der lugar à segunda excepção de registo, o vencedor será o campeão nacional de 2015/16.

 

Terminado o «derby» entre os rivais de Lisboa, ficam nove jornadas por disputar, e acontece que com uma única excepção em 2012/13 nas últimas dez épocas, a equipa que lidera a tabela classificativa a nove jornadas do fim da Liga é campeã.

 

Pela ironia do destino, a excepção, em 2012/13, foi o Benfica de Jorge Jesus, o primeiro classificado a nove jornadas do final da prova, mas acabou por ser o FC Porto a celebrar o título, graças à vitoria (2-1) conseguida no célebre jogo do golo de Kelvin, no minuto 90. O tal que fez Jorge Jesus ajoelhar-se no relvado do Dragão.

 

Dito tudo isto, o futebol não é matemática, como bem sabemos, mas esta estatística não deixa de ser um género de tónico suplementar para o «derby».

 

Indo um pouco além do resultado de hoje, verifica-se que o calendário até ao final da época é mais "simpático" para o Benfica. O clube da Luz terá como adversários, em casa, Tondela, SC Braga, V. Setúbal, V. Guimarães e Nacional, e fora o Boavista, Académica, Rio Ave e Marítimo.

 

Já o Sporting joga em casa com o Arouca, Marítimo, União da Madeira e V. Setúbal, e fora com o Estoril, Belenenses, Moreirense, FC Porto e SC Braga.

 

publicado às 05:18

Pela boca morre o peixe

Naçao Valente, em 01.03.16

 

19316603_TO5yq.jpg

As contas fazem-se no fim. É uma afirmação muito comum e usada, com frequência, no mundo do futebol. A verdade é que as contas se fazem, também, no dia-a-dia. Os títulos conquistam-se no final do percurso, mas vão-se conquistando ao longo do processo. Por exemplo, o Sporting está, neste momento, no primeiro lugar no campeonato e poderá vir a ser campeão, o que como qualquer sportinguista, espero que aconteça. Mas porque o clube já descartou, por opção ou incapacidade, outras provas, resta-lhe apostar na conquista do título todas as fichas. Se vencer, a estratégia merecerá elogios, mas se falhar será criticada, tendo como alvo o treinador e a estrutura que lhe deu apoio.


Seja qual for o resultado final, pode fazer-se , até ao momento, um balanço do decurso desta época futebolística. Jorge Jesus tem defendido que o Sporting está melhor que nos últimos dois anos. A validade da afirmação depende do prisma de análise. Está melhor, porque joga melhor futebol? Está melhor porque está mais competitivo? Está melhor porque ganhou um título e luta por outro? Está melhor porque conseguiu resultados mais positivos? Deixando de parte apreciações mais subjectivas, vejamos o que dizem as estatísticas disponíveis, que valem o que valem, mas que constituem um dado objectivo.


Nesta época, o Sporting foi batido oito vezes em 39 jogos oficiais. Na época 2013/2014, com Leonardo Jardim, o Sporting perdeu quatro jogos em 35 e na época anterior com Marco Silva teve sete derrotas em 53 partidas. Em relação aos jogos em casa, Jesus perdeu dois, e Jardim e Marco um. Conclui-se que Jorge Jesus já leva mais derrotas que os seus antecessores quando ainda estamos longe do fim da época. E em relação a empates veremos. (1)

 

Quer isto dizer que Jesus é pior treinador ? Independendetemente de opções, não é isso que está em causa. É um treinador competente, mas sujeito, como os outros, às muitas contigências do futebol, embora demonstre alguma arrogância, no discurso, em relação aos seus pares.

 

A mesma arrogância serviu de mote a incondicionais do presidente, no atabalhoado despedimento de Marco Silva, acusando-o de incompetente e de irresponsável. Uma lição que podemos extrair da estatística, é que abdicar do sentido crítico apenas para justificar actos injustos, venham de onde vierem, nos coloca no terreno do servilismo acéfalo. E ajuda a dar consciência ao ditado, "pela boca morre o peixe".

 


1) Fonte: SapoDesporto, Estatística, 19/2/2016

 

publicado às 22:18

Ainda alguns detalhes sobre o jogo

Rui Gomes, em 01.03.16

 

12805824_10153304567941555_6519744607213545089_n.j

 

É evidente que a apreciação sobre a performance individual de cada jogador é muito subjectiva e varia mediante o parecer pessoal de cada um, seja adepto ou jornalista. Eis um leque de apreciações que serve o efeito deste post:

 

- Os jogadores com a nota mais alta (4) foram William Carvalho e Bryan Ruiz. A mais baixa, é da pertença de Teo Gutiérrez (1); Slimani, Gelson Martins, Aquilani e Barcos com (2) cada, os restantes todos com (3).

 

- Os jogadores do Sporting não utilizados foram Jug, João Pereira, Ewerton e Carlos Mané.

 

- O Sporting fez  14 remates (5 e 9), 6 dos quais à baliza (3 e 3), 6 para fora (3 e 3) e 2 bloqueados (1 e 1). Isto, comparado ao Vitória de Guimarães que rematou 6 vezes e apenas 2 à baliza (2 e 0).

 

- Os jogadores mais rematadores foram Slimani, Bryan Ruiz, William Carvalho e Coates, com 2 remates cada.

 

- O Sporting marcou 9 cantos (6 e 3), o V. Guimarães apenas 4 (3 e 1)

 

- Foras de jogo (3).

 

- Cometeu 18 faltas (8 e 10), o V. Guimarães 19 (9 e 10). Os jogadores leoninos mais faltosos foram Zeegelaar (5) e Gekson Martins (3).

 

O homem do jogo, sem ser surpresa, foi o guarda-redes vimaranense Miguel Silva.

 

Estiveram 19.924 espectadores a assistir ao jogo no Estádio D. Afonso Henriques.

 

publicado às 14:33

Os números da I Liga

Rui Gomes, em 22.02.15

 

NOS.jpg

 

Os números da I Liga até ao termo da 21.ª jornada, porventura com algumas surpresas:

 

Equipas com mais remates

 

1.º Sporting - 349

2.º FC Porto - 348

3.º Benfica - 296

4.º SC Braga - 272

5.º V. Guimarães - 251

 

E com menos, o 18.º Penafiel com 150 remates.

 

* Equipa com mais remates concedidos: Gil Vicente, com 316

* Equipa com menos remates concedidos: FC Porto, com 155

* Equipa com mais remates num jogo: SC Braga (Gil Vicente), com 32

* Equipa com menos remates num jogo: Boavista (FC Porto e Benfica), Estoril (Marítimo) e Penafiel (Benfica), com 2

 

 

Equipa com mais cantos

 

1.º Sporting - 168

2.º FC Porto - 158

3.º V. Guimarães - 156

4.º SC Braga - 143

5.º Benfica - 126

 

E com menos, o 18.º Penafiel, com 79 cantos

 

* Equipa com mais cantos concedidos: Rio Ave., com 164

* Equipa com menos cantos concedidos: FC Porto, com 81

* Equipa com mais cantos num jogo: Sporting (Moreirense), com 18

* Equipa com menos cantos num jogo: Moreirense (FC Porto), Penafiel (Boavista) e Arouca (Moreirense), com zero

 

 

Equipas com mais faltas cometidas

 

1.º Boavista - 370

2.º Benfica - 364

3.º Penafiel - 359

(...) 13.º Sporting - 312

(...) 15.º FC Porto - 308

 

E com menos, o 18.º Paços de Ferreira, com 258

 

* Equipa com mais faltas sofridas: V. Guimarães, com 379

* Equipa com menos faltas sofridas: Sporting, com 283

* Equipa com mais cometidas num jogo: Benfica (FC Porto), com 28

* Equipa com menos faltas cometidas num jogo: Benfica (Moreirense) e P. Ferreira (Estoril), com 6

 

 

Equipas com mais foras-de-jogo

 

1.º Marítimo - 76

2.º Sporting - 56

3.º Belenenses - 55

(...) 10.º FC Porto - 47

(...) 15.º Benfica - 37

 

E com menos, o 18.º Penafiel, com 31

 

* Equipa que mis foras-de-jogo provocou: Benfica, com 80

* Equipa que menos foras-de-jogo provocou: SC Braga, com 15

*Jogo com mais foras-de-jogo: Boavista-Benfica (9-3), com 12

* Jogo com menos foras-de-jogo: SC Braga-Boavista, Sporting-Arouca, SC Braga-Rio Ave, FC Porto-Rio Ave, Moreirense-FC Porto e SC Braga-Arouca, com zero

 

publicado às 16:30

Apenas os factos

Rui Gomes, em 27.05.14
 

 

As estatisticas referentes à performance de Eric Dier durante a época de 2013/14. Isto, para evitar as deturpações, à conveniência dos argumentos, que se verificam nos comentários do prévio post:

 

I LIGA

 

- Titular em 8 jogos - suplente utilizado em 5 jogos - suplente não utilizado em 17 jogos - 864 minutos de jogo (9,6 jogos)

 

II LIGA

 

- Titular em 9 jogos - 860 minutos de jogo (9,6 jogos)

 

TAÇA DA LIGA

 

- Titular em 3 jogos - 283 minutos de jogo (3,1 jogos)

 

1.ª Arouca - SNU

2.ª Académica - SU - 18'

3.ª Benfica - SU - 36'

4.ª Olhanense - T - 94'

5.ª Rio Ave - T - 95'

6.ª SC Braga - SNU

7.ª V. Setúbal - SNU

8.ª FC Porto - SNU

9.ª Marítimo - T - 96'

10.ª Guimarães - T - 96'

11.ª Paços de Ferreira - SNU

12.ª Gil Vicente - SNU

13.ª Belenenses - SNU

14.ª Nacional - SNU

15.ª Estoril - SNU

16.ª Arouca - SU - 23'

17.ª Académica - SU - 32'

18.ª Benfica - T - 92'

19.ª Olhanense - SNU

20.ª Rio AVe - T - 94'

21.ª SC Braga - SNU

22.ª V. Setúbal - SNU

23.ª FC Porto - T - 95'

24.ª Marítimo - SNU

25.ª Guimarães - SNU

26.ª Paços de Ferreira - SNU

27.ª Gil Vicente - SNU

28.ª Belenenses - SU - 9'

29.ª Nacional - T - 94'

30.ª Estoril - SNU

 

Se há uma pergunta que eu gostaria de fazer a Leonardo Jardim - partindo do princípio que a decisão foi dele - é qual a razão da sua quase total não utilização a partir da sua excelente exibição na vitória sobre o FC Porto. Se Marcos Rojo não tivesse sido expulso no jogo com o Belenenses, a época para Eric Dier teria para todos efeitos terminado à 23.ª jornada. Há um outro ciclo intrigante: foi titular nas vitórias consecutivas sobre o Marítimo e Guimarães - 9.ª e 10.ª jornadas - mas depois não foi utilizado um único minuto nos seguintes 5 jogos.

 

Mais um daqueles casos em que há razões que a própria razão não compreende.

 

publicado às 12:42

A magia do "Leão" em 2013/14

Rui Gomes, em 25.05.14

 

 
* Liga dos Campeões Europeus
 
* Taça do Rei
 
* Bota de Ouro (partilhada com Luis Suárez)
 
* Único jogador a vencer a Bota de Ouro em duas Ligas diferentes
 
* Época 2013/14 - 51 golos em 47 jogos (média 1.08 golos/jogo)
 
* Liga dos Campeões - 17 golos (Recorde) em 11 jogos (média 1.55 golos/jogo)
 
* Melhor Marcador da Liga Espanhola - 31 golos em 30 jogos (média 1.03 golos/jogo)
 
* Sporting - Manchester United - Real Madrid
  
   » 375 golos em 569 jogos (média 0.65 golos/jogo)
 
* Real Madrid: 252 golos em 246 jogos (média 1.02 golos/jogo)
 

publicado às 09:08

 

 

Estatísticas são precisamente isso, estatísticas, o agrupamento metódico assim como o estudo de séries de factos ou de dados numéricos sobre qualquer evento, ou série de eventos, em qualquer ramo de actividade. Não dizem tudo, mas constituem o registo que fica para a história, neste caso concreto, dos confrontos futebolísticos entre o Sporting Clube de Portugal e o Futebol Clube do Porto, desde os seus encontros nos primórdios do Campeonato de Portugal até ao presente, em competições oficiais, que incluem também o Campeonato Nacional, Campeonato da Liga, Taça de Portugal, Taça da Liga e Supertaça.

 

O Sporting e o FC Porto foram dos clubes que mais cedo assumiram um forte rivalidade nacional decorrente dos seus encontros decisivos ao longo dos anos. Como o Sporting tinha presença forte em Lisboa e o FC Porto estava na mesma situação no seu campeonato regional, os dois acabavam por ter na mão as decisões quanto ao campeão português. O historial futebolístico está caracterizado pelo equilíbrio. O FC Porto tem mais duas vitórias, o Sporting tem mais 22 golos marcados.

 

Os dois clubes realizaram até ao momento - inclusive dos jogos realizados em 2013/14 - 215 jogos. O Sporting venceu 76, o FC Porto 78 e registaram-se 61 empates. O Sporting marcou 313 golos e o FC Porto 291.

 

A maior goleada aconteceu no dia 22 de Março de 1936, no Campo do Lima, com o FC Porto a vencer por 10-1. 

 

A resposta do Sporting surgiu no dia 4 de Abril de 1937, no Campo Grande, num jogo do Campeonato Nacional, com uma vitória por 9-1, com "poker" de Soeiro, "hat-trick" de João Cruz e "bis" de Pedro Pireza.

 

O Sporting, com três jogadores, lidera o recorde de golos marcados, nos jogos entre as duas equipas: Fernando Peyroteo tem 23 golos em 25 jogos, João Cruz 14 golos em 22 jogos e Albano 14 golos em 29 jogos.

 

A maior série de jogos consecutivos a vencer os "Dragões" foi cinco, entre 24/04/1945 e 20/04/1947.

 

A maior série de jogos consecutivos do Sporting sem perder foi oito, entre 12/02/1967 e 29/11/1970.

 

As maiores vitórias do Sporting em jogos no Porto, aconteceram em 22/04/1945, para a Taça de Portugal, por 1-4. E em 04/10/1959, para o Campeonato Nacional, também por 1-4.

 

O Sporting foi quem perdeu mais jogos em casa: 22 contra 17 do FC Porto.

 

O Sporting tem a melhor média de golos marcados por jogo, 1,46, o FC Porto 1,35.

 

O Sporting, nas cinco fases finais do Campeonato do Mundo de Selecções - África do Sul 2010, Alemanha 2006, Coreia/Japão 2002, México 1986 e Inglaterra 1966 - contribuiu com 24 jogadores, mais sete do que o FC Porto.

 

publicado às 17:42

 

 
Os números nem sempre dizem tudo, aliás, por vezes até são bastante ilusórios, mas no que à época de 2013/14 concerne, até à 12.ª jornada, ajudam a contextualizar o excelente trabalho de Leonardo Jardim e seus comandos, adjuntos e jogadores.
 
- Desde que as vitórias começaram a valer três pontos - 1995/96 - nunca o Sporting chegou à 12.ª jornada com 29 pontos, o melhor foi precisamente nessa mesma época, quando atingiu 27 pontos.
 
- Os 30 golos desta temporada, são também o número mais elevado. Para encontrar melhor com este número de jornadas, é preciso recuar à época de 1984/85, em que registou 35 golos em 12 partidas.
 
Apenas em termos de comparação - se é que comparação é possível - na histórica época de 1999/2000, quando o longo jejum de títulos foi quebrado, o Sporting à 12.º jornada registava 24 pontos, com 18 golos marcados e 10 sofridos. E, dois anos depois e mais um título de campeão: 23 pontos, 27 golos marcados e 10 sofridos.
 
O Sporting esta época ainda não ganhou nada, é certo, mas será justo afirmar que, no mínimo, terá ganho o respeito dos adversários. Dito isto, cautela, a época é longa e muito pode ainda acontecer. Não obstante o notório desaire de anos recentes e a pôr a nu alguns mitos em voga e para refrescar memórias fracas, à 12.ª jornada da época de 2011/12, o Sporting somava 26 pontos (apenas menos 3 do que agora) - 25 golos marcados (apenas menos 5 do que agora) e 11 sofridos (apenas mais 2 do que agora), no entanto, acabou em 4.º lugar com 59 pontos - menos 16 do que o campeão FC Porto - e marcou 47 golos e sofreu 26.
 
A época só termina quando chega ao fim !
  

publicado às 04:07

As realidades de Leonardo Jardim

Rui Gomes, em 04.12.13

 

 

As estatísticas da Liga conformam que Leonardo Jardim tem vindo a utilizar quase exclusivamente 12 jogadores nas primeiras 11 jornadas, acumulando 9865 minutos de jogo, com dois totalistas: Rui Patrício e Cédric Soares. Os restantes 8 somam, entre si, 978 minutos de jogo, com destaque para Marcelo Boeck que ainda não se estreou no campeonato. Vejamos o registo individual:

 

Rui Patrício: 11 jogos - 990 minutos

Cédric Soares: 11 jogos - 990 minutos

Maurício: 10 jogos - 900 minutos

Marcos Rojo: 8 jogos - 720 minutos

Jefferson: 9 jogos - 800 minutos

Adrien Silva: 11 jogos - 928 minutos

William Carvalho: 11 jogos - 978 minutos

André Martins: 9 jogos como titular/1 como suplente utilizado - 763 minutos

André Carrillo: 9 jogos como titular/2 como suplente utilizado - 760 minutos

Wilson Eduardo: 7 jogos como titular/3 como suplente utilizado - 604 minutos

Diego Capel: 5 jogos como titular/4 como suplente utilizado - 458 minutos

Fredy Montero: 11 jogos - 974 minutos

 

Estes são os acima referidos 12 jogadores que têm sustentado as equipas iniciais nas 11 jornadas. Vejamos então o tempo de jogo dos usuais suplentes:

 

Eric Dier: 4 jogos como titular/2 como suplente utilizado - 398 minutos

Iván Piris: 2 jogos - 180 minutos

Fito Rinaudo: 3 jogos como suplente utilizado - 35 minutos

Vítor Silva: 1 jogo como titular/4 como suplente utilizado - 166 minutos

Gerson Magrão: 1 jogo como titular/3 como suplente utilizado - 78 minutos

Islam Slimani: 7 jogos como suplente utilizado - 88 minutos

Carlos Mané: 3 jogos como suplente utilizado - 33 minutos

 

Ainda foram convocados Salim Cissé, Rúben Semedo e Filipe Chaby, mas sem registar minutos de jogo.

 

Rinaudo e Carlos Mané ainda nem sequer jogaram meio jogo cada e Magrão e Silami o equivalente a um jogo inteiro.

 

Mesmo considerando que o Sporting não participa nas competições europeias, está fora da Taça de Portugal e está a jogar praticamente apenas um jogo por semana, a dúvida que se apresenta é se o plantel - já curto à raiz e que ainda mais curto se torna, pela utilização dada aos jogadores por Leonardo Jardim - irá ou não ressentir a carga de jogos, especialmente durante os meses de Inverno. Isto, com o inevitável acréscimo de pressão sobre os atletas se o Sporting se mantiver em posição para lutar pelo título, declarações em contrário não obstante.

 

Adorava poder apresentar esta questão a Leonardo Jardim e saber a sua planificação da época. A dar ouvidos aos rumores que circulam na praça, o Sporting poderá contratar pelo menos um defesa central e um médio criativo no mercado de Janeiro. Confirmando-se, leva a questionar quem esses jogadores irão substituir no actual principal onze leonino. Eric Dier que é uma alternativa de qualidade, está relegado ao banco salvo surgirem lesões ou castigos e um médio criativo - quiçá, um 10 - só para o lugar de André Martins.

 

Por fim, considerando o tempo de jogo do jovem Carlos Mané - 33 minutos - não sei se não seria mais produtivo integrá-lo na equipa B onde poderia continuar o seu desenvolvimento, pese a competição inferior.

 

publicado às 05:18

Como vamos nós por aqui

Rui Gomes, em 06.06.13

 

Preza-nos informar que, dentro da nossa modéstia, o Camarote Leonino continua a progredir, tanto em termos de visitas, visualizações e comentários dos nossos leitores, originando um pouco por todo o Mundo. Durante os poucos mais de cinco meses de existência, este blogue verde-e-branco regista 30,197 visitas, 67, 759 visualizações e 3,033 comentários, com 1,475 posts publicados. Isto, sem contabilizar a nossa página no Facebook.

 

O país com o maior número de visitas continua a ser Portugal, seguido, em ordem, pelo Canadá, E.U.A., Brazil, Reino Unido, Alemanha, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Finlândia e Rússia. Em termos de cidades, Lisboa lidera a lista, seguida por Toronto, Amadora, Sintra, Porto, Tempe (EUA), Alverca, Almada e Oeiras.

 

Agredecemos a atenção que temos merecido dos nossos estimados leitores e continuaremos a fazer o possível para agradar e, até melhorar, com a qualidade das nossas publicações. Saudações Leoninas a todos, inclusive daqueles que nos visitam que são simpatizantes de outros clubes. Bem vindos.

 

publicado às 00:39

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo