Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Morreu Fernando Peres

Rui Gomes, em 10.02.19

 

F800025Peres67.jpg.281x394_q85_box-0,189,1339,2063img_920x518$2014_09_16_04_07_00_898305.jpg

 

Fernando Peres, antigo futebolista do Sporting, morreu este domingo aos 76 anos.

 

O antigo internacional português encontrava-se internado no Hospital Egas Moniz, em Lisboa.

 

Recorde-se que Fernando Peres começou a sua carreira profissional no Belenenses onde esteve entre 1960 e 1965, transferindo-se então para o Sporting, onde ficou durante oito anos. Pelo meio teve uma passagem pela Académica.

 

Fez parte dos “Magriços”, equipa que ficou em terceiro lugar no Mundial de 1966. Peres passou ainda pelo Brasil, onde venceu um Campeonato Brasileiro pelo Vasco da Gama e um Campeonato de Pernambuco pelo Sport Recife, antes de terminar carreira. 

 

Marcou 40 golos de "leão ao peito", conquistando dois campeonatos nacionais, uma Taça de Portugal e a Taça de Honra.

 

As nossas sentidas condolências à família enlutada.

 

publicado às 12:01

 

f80_186.pngimg_770x433$2014_09_16_04_07_00_898305.jpg

 

Fernando Peres, natural de Algés, representou o Sporting enquanto jogador entre 1965 e 1973, com uma passagem pela Académica pelo meio (1968/69).

 

De "leão ao peito", sagrou-se campeão nacional por duas ocasiões e venceu duas Taças de Portugal. Chegou ainda a ser campeão brasileiro pelo Vasco da Gama, em 1974. Foi internacional português em 27 ocasiões, apontando quatro golos.

 

Como treinador, orientou o GD Peniche, União de Leiria, Vitória de Guimarães, Estoril, Sanjoanense e Atlético.

 

Agora, com 76 anos, ainda vibra o Sporting e não pode, sequer, ouvir falar em Bruno de Carvalho, quem ele apelida de "monstro e louco".

 

Em declarações à Rádio Renancença, Fernando Peres acredita que o presidente destituído deverá responder judicialmente por "falcatruas" em Alvalade:

 

"Como uma entidade grandiosa, com 112 anos, o Sporting livrou-se de um monstro e de um louco. O sr. Bruno de Carvalho tem de prestar contas judiciais. Aí é que vamos saber, concretamente, o que há por trás do sr. Bruno de Carvalho e de todos os seus 'capangas'. Diz-se que Carlos Vieira é um crânio excepcional mas parece-me que está louco.

 

Acredito que, a partir de agora, o Sporting CP vai voltar a ser o Sporting com nobreza, dignidade e sem falcatruas. Ao contrário do que muita gente pensa, não acredito que o Sporting ande à deriva nos próximos anos.

 

Apelo aos sportinguistas para, cada vez mais, apoiarem o seu clube de coração porque o Sporting é sempre um candidato ao título. Actualmente, tem gente honesta, séria e vai reactivar tudo aquilo que nós, sportinguistas, esperamos".

 

publicado às 17:00

 

2B0XG3R7.jpg

 

Fernando Peres

 

«Penso que este jogo não vai ter influência nenhuma para a atribuição da Bola de Ouro. Se há justiça, a Bola de Ouro já está entregue ao Cristiano Ronaldo porque de longe é o que merece mais. Não é por ser português, mas o Cristiano Ronaldo tem batido os recordes todos que um jogador pode ter imaginado, tem feito uma época extraordinária. Recentemente bateu o recorde dos melhores marcadores Europeus. Não sei o que é preciso fazer mais para que seja feita justiça para que lhe seja atribuída mais uma Bola de Ouro. A não ser que o senhor Platini queira mais uma vez desrespeitar o valor de um português em prol de um alemão.»

 

José Augusto

 

«Eu não vejo este jogo como sendo entre Ronaldo e Messi. Não concordo que seja determinante para a atribuição da Bola de Ouro. Não concordo porque nas últimas exibições, tanto do ano passado com deste ano, o Ronaldo em sido muito superior a Messi. E não há dúvidas nenhumas que o Ronaldo merece indiscutivelmente ser considerado o melhor jogador do mundo. Não podemos colocar que essa questão de que um jogo poderá atribuir a qualquer um deles o troféu.»

 

publicado às 17:15

Ponto de vista de um antigo "leão"

Rui Gomes, em 13.11.14

 

67-68 sporting.jpg

 

«Bruno de Carvalho é um óptimo orador, que tem resposta para tudo, tentou esclarecer bem os assuntos, mas na minha opinião, e recordando o que ele escreveu no Facebook, em relação aos profissionais, demonstrou a sua imaturidade. Esqueceu-se que são os jogadores e as equipas técnicas que defendem o clube, nas vitórias e nas derrotas. Este presidente é um jovem que quer a mudança no Sporting mas que devia aprender mais um pouco do que é o futebol e a paixão do futebol, que não é aquilo que ele demonstra ter. Os jogadores são humanos, têm sentimentos, e ele não pode dizer que os jogadores são indignos, como disse. Esquece que em todas as equipas do Mundo há sempre um ou dois jogos maus ao longo da época. Toda a gente sabe isso. Guimarães foi um jogo mau e esta equipa já fez coisas muito boas ao longo da época. Devia ter maior respeito pelos profissionais. Devia dar o exemplo de tratar assuntos entre muros e num momento mau devia apoiar os jogadores. Em relação à Liga, resumo em duas palavras: o Sporting não vai a lado nenhum se se isolar.»

 

Fernando Peres - o primeira à nossa direita na fila de

baixo, nesta foto da época de 1967/1968. 

 

Fernando Peres representou o Sporting durante oito anos, além do Belenenses, Académica e FC Porto. Foi internacional A, por Portugal, 27  vezes.

 

publicado às 10:55

 

 

Em cima: Laranjeira, Pedro Gomes, Gonçalves, Presidente da República Américo Tomás, Manaca, Marinho e José Carlos; em baixo: Vítor Damas, Chico Faria, Nélson, Fernando Peres e Dinis.

 

A equipa que derrotou o Benfica, por 4-1, e conquistou a Taça de Portugal 1970-1971.

 

Taça de Portugal - Sporting 21 Mindelense 0

24 de Maio de 1971

 

Ficará na história como a maior goleada oficial registada no estádio José Alvalade. Os oitavos-de-final da Taça de Portugal colocaram, olhos a olhos, o Sporting e o Mindelense, de Cabo Verde.

 

«Não conhecíamos a equipa adversária. Tínhamos a noção que era mais fraca que a nossa, mas não estávamos à espera de uma goleada daquelas. A partir de uma certa altura tornou-se fácil demais. Tornou-se num passeio ! Foi tão fácil que acabámos por abrandar o ritmo quase como se estivéssemos a fazer um treino, mas respeitando sempre o adversário e co futebol. Para eles, coitados, já foi uma festa terem vindo a Alvalade e jogarem com a equipa principal do Sporting.

A partir de uma certa altura perdi a noção do resultado efectivo. Virei-me para o Lourenço e perguntei-lhe: "É pá, quantos é que já marcámos ? E tu, quantos é que já marcaste ?" Como sabia que tínhamos marcado mais ou menos o mesmo número de golos, lancei-lhe o desafio, "olha lá, se calhar vou marcar mais do que tu !" O jogo foi tão fácil que até deu para fazer uma espécie de aposta com o Lourenço: "Vamos ver quem marca mais." Tudo isto no bom sentido é claro !

Os rapazes cabo-verdianos nem saíam do meio-campo. Já era uma felicidade para eles virem aqui. Foi como se viessem a uma festa. Apesar da goleada, nunca perdemos a compostura: nunca humilhámos os jogadores do Mindelense. era nosso timbre respeitar o adversário, fosse quem fosse. E acabou tudo com abraços. É claro que houve comentários da parte deles: "É pá, vocês jogam bem demais ! Vocês são muito fortes !»

 

Do livro Estórias d'Alvalade por Luís Miguel Pereira.

 

Nota: Fernando Peres marcou 7 golos nesse jogo.

 

publicado às 03:07

«Eu era ainda jogador do Belenenses quando fomos jogar a Alvalade. Num lance normalíssimo, o Godinho, um colega meu do Belenenses, numa disputa de bola com o Pedro Gomes fracturou-lhe a perna. Foi um lance grave mas que não afectou o jogo. O pior foi à saída do estádio: saímos pela porta 10-A e eu levei uns valentes pontapés porque me confudiram com...o Godinho. Éramos os dois canhotos, tínhamos mais ou menos a mesma altura, fazíamos os dois a asa esquerda, mas eu é que levei os pontapés por ele.

A polícia tinha feito um cordão, mas eles apertaram tanto que a policia não conseguiu estancar os adeptos. Só os ouvi gritar: «foi este que lhe partiu a perna!!!» E depois só me lembro das caneladas. Como não consegui romper para o autocarro tive que voltar para trás e entrar novamente pela porta 10-A. Passados pouco minutos chegaram os dirigentes do Sporting. Entretanto os adeptos aperceberam-se que não tinha sido eu e lá fomos acompanhados ao autocarro.

Na altura fiquei com um hematoma, mas foi coisa pouca. Não me impediu de jogar no fim de semana seguinte. Tudo isto aconteceu, curiosamente, um ano antes de eu ir para o Sporting. É claro que depois só recebi carinho naquela porta e em todas as outras. Ainda hoje as pessoas me abordam, com manifestações de apreço e carinho e que, ironicamente, fazem-me lembrar este episódio. «É pá, você ainda fazia uma perninha!», dizem os adeptos.

 

* Do livro «Estórias d'Alvalade» por Luís Miguel Pereira

 

publicado às 23:53

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo