Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



img_920x519$2019_07_11_17_35_55_1574781.jpg

Aproveitando o estágio de pré-época que o Sporting está a realizar na Suíça, Frederico Varandas esteve reunido esta quinta-feira com Gianni Infantino, presidente da FIFA.

Em declarações à Sporting TV, o presidente leonino explicou que abordou dois temas com o dirigente máximo do organismo mundial: o mercado de transferências e a necessidade de proteger os clubes formadores:

"Mostrei as minhas duas grandes preocupações. Uma delas é a falta de regulação do mercado de transferências. Vivemos numa fase em que há um mercado verdadeiramente selvagem, em que os clubes estão cada vez mais pobres. As receitas vão aumentando, mas, cada vez, o dinheiro fica menos nos clubes e tem de, de uma vez por todas, haver coragem para uma regulação das tranferências.

O segundo aspecto foi falar da nossa história, da nossa tradição, como um clube que formou dois 'bolas de ouro', um dos quais, o melhor jogador português de todos os tempos e um dos melhores do mundo, tem de ser protegido. Não falo só do Sporting, falo de todos os clubes formadores, e hoje estes clubes têm uma grande dificuldade a lutar contra gigantes, que chegam a estes jogadores mesmo antes de eles assinarem o primeiro contrato profissional. e nós não temos qualquer tipo de protecção".

 

Regular... mas como?

A visita de Frederico Varandas à FIFA não irá mudar o Mundo, nem sequer o mundo do futebol. Porque, apesar das palavras simpáticas de Gianni Infantino em relação ao emblema de Alvalade, os problemas de clubes como o Sporting – grandes num contexto regional – não estão na primeira linha de preocupações da FIFA, até porque a sua resolução não depende apenas de regulamentos que possam emanar de Zurique.

A grande mensagem que Varandas passou após a reunião foi sobre a necessidade de regular o mercado de transferências, que classificou de "verdadeiramente selvagem", pedindo especial proteção aos clubes formadores. Uma evidência para quem anda atento – e não é preciso muito – aos meandros da bola, mas a questão é a mesma de sempre: como? Porque há regulamentos de transferências, mas depois também há leis nacionais e europeias, como nos lembrou Jean-Marc Bosman há mais de 20 anos.

Os problemas do Sporting são comuns a muitos clubes formadores e a falta de dinheiro deixa esses emblemas mais expostos do que nunca. Mas se os leões podem queixar-se num contexto global, também é verdade que estão do lado dos tubarões num contexto local. E basta lembrar, para citar um dos exemplos referidos por Infantino, que Cristiano Ronaldo foi recrutado ao Nacional por causa de uma dívida de 5 mil euros.

Artigo de Sérgio Krithinas, jornal Record, aqui.

 

Nota: O Director Adjunto do diário desportivo não devia abordar assuntos sobre os quais não tem conhecimento algum. O recrutamento de Cristiano Ronaldo em 1997, aos 12 anos, em nada se relacionou com a então dívida do Nacional ao Sporting, sendo esta apenas uma circunstância à data.

Acontece que uma colega de blogue nossa esteve pessoal e directamente envolvida no caso que viabilizou a vinda de CR7 para Alvalade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:49

download.jpg

A FIFA abandonou a ideia de antecipar o aumento do número de participantes no Mundial do Qatar em 2022, que continuarão a ser 32 e não 48 como chegou a ser equacionado.

Em nota divulgada esta quarta-feira, o organismo que dirige o futebol mundial esclareceu que a proposta de 48 participantes já não irá a votação no próximo congresso, em Paris a 05 de Junho, face às "actuais circunstâncias desfavoráveis".

O estudo de viabilidade efectuado, permitiu determinar que existem dificuldades políticas para encontrar vizinhos do Qatar com capacidade para receber jogos do torneio.

Actualmente, e face à oposição da Arábia Saudita e dos Emiratos Árabes Unidos, apenas Omã e Kuwait seriam alternativas credíveis para a FIFA, mas nenhum mostrou interesse na iniciativa.

Neste quadro, a FIFA recua e o projecto de Mundial a 48 poderá voltar a ser equacionado para 2026, na edição que será organizada por Estados Unidos, México e Canadá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:01

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 26.04.19

 

012701700_1444211819-490007862.jpg

 

A FIFA anunciou esta semana que irradiou oito jogadores e um agente desportivo, da zona asiática, africana e do caribe, devido a inúmeras tentativas de manipulação de resultados em jogos de futebol.

 

Karlon Murray e Keyeno Thomas (Trindade e Tobago), Hellings Mwakasungula (Malaui), Ibrahim Kargbo (Serra Leoa), Kudzanai Shaba (Zimbabúe), Séïdath Tchomogo (Benin), Leonel Duarte (Cuba) e Mohammad Salim Israfeel Kohistani (Afeganistão) foram todos punidos com suspensão vitalícia, ficando impedidos de ter qualquer atividade relacionada com futebol, a nível nacional e internacional.

 

Também por manipulação de resultados, o queniano George Owino Audi foi suspenso por 10 anos e multado em 15 mil francos suíços (13.162 euros).

 

A Comissão Disciplinar da FIFA deu início a um vasto processo de combate à manipulação de resultados, na sequência de um estudo do Departamento de Integridade da FIFA, que levantou suspeitas a centenas de jogos nos últimos anos em todo o Mundo.

 

Com tudo isto em mente, falta apenas perguntar quando é que a Comissão Disciplinar da FIFA chega a Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 04:03

 

IFAB-300x169.jpg

 

Um lance involuntário com a mão que resulte em golo vai levar à anulação do mesmo, revelou este sábado o International Board (IFAB), organismo que regula as leis do futebol, em reunião realizada em Aberdeen, na Escócia.

 

"Em relação às faltas com a mão, o IFAB decidiu dar uma definição mais precisa e detalhada do que constitui uma falta com a mão, em especial no que diz respeito às acções em que uma mão involuntária/acidental seja sancionada".


Como exemplo, o IFAB indica que "um golo marcado com a mão ou braço (mesmo de maneira acidental), ou um jogador que marque ou crie uma oportunidade para marcar depois de ter a posse/controlo da bola com a mão/braço (mesmo de maneira acidental), não será tolerado".


A Lei 12, respeitante a faltas e incorrecções, prevê sancionar com um livre (ou grande penalidade) o toque "deliberado da bola com a mão". A noção de intencionalidade foi suprimida em toda a acção respeitante ao golo.


Na reunião da IFAB, com representantes da FIFA e das quatro federações britânicas pioneiras do futebol, outros pontos foram modificados, nomeadamente nas substituições ou na posição dos guarda-redes nas grandes penalidades.


Nas substituições, os jogadores têm de sair pelo caminho mais curto e não ir ao meio-campo, à zona tradicional de substituição, e nos penáltis os guarda-redes passam a poder ter apenas um pé na linha de golo e não obrigatoriamente os dois.

 

Parecem-me medidas positivas, nomeadamente a definição de mão na bola, para reduzir a margem de interpretação dos árbitros, que, como sabemos, varia imenso com a "visão" do artista.

 

A alteração nas substituições é uma medida clara para reduzir as estratégias de "queimar tempo". Já nos penáltis, teremos de ver o efeito nos jogos, mas é provável que venha a aumentar as probabilidades de defesa pelo guarda-redes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:48

FIFA: revolução no futebol mundial

Rui Gomes, em 03.02.19

 

naom_57f60c70eee77.jpg

 

A próxima reunião do Comité Executivo da FIFA. agendado para os dias 14 e 15 de Março, em Miami, promete provocar uma autêntica revolução no futebol mundial, cujos detalhes são, este sábado, revelados pelo jornal espanhol Marca.

 

Antes de ir a votação, em Junho, o presidente do organismo que superintende o futebol mundial, Gianni Infantino, pretende aprovar uma série de alterações nas competições, quer de clubes, quer de selecções.

 

Uma das primeiras estará relacionada com o Mundial de Clubes, cujo formato tem os dias contados. Ao invés de ser realizado todos anualmente, com os campeões de cada um dos continentes, poderá adoptar um mecanismo bem diferente.

 

O objectivo da FIFA, refere a publicação, passe por que este seja disputado de quatro em quatro anos, e contemple a participação de 24 ou 32 equipas. Um torneio que custaria cerca de 18 mil milhões de euros, que seriam pagos por um consórcio japonês.

 

O regresso da Taça Intercontinental, que colocaria, frente a frente, os vencedores da Liga Europa e da Taça Sul-Americana, é outro dos projectos em cima da mesa, e colhe o apoio, quer da UEFA, quer da CONMEBOL.

 

Esta revolução pode, inclusive, até chegar ao Campeonato do Mundo. Agradado com o desempenho da Liga das Nações, Gianni Infantino acredita que um formato semelhante poderia ser transportado para a maior prova planetária de selecções.

 

Muito além de passar a contar com 48 selecções em competição, o Mundial contaria com classificações continentais, de onde se apurariam um total de oito equipas, que, a cada dois anos, disputariam uma fase final. Caso seja aprovada, irá ocupar o espaço da Taça das Confederações, que deverá ser abolida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:30

 

download.jpg

 

Pedro Proença marcou presença esta sexta-feira na Assembleia Anual do World Leagues Forum (WLF), que decorreu na Cidade do México e onde foram debatidos vários temas que fazem parte da reforma que a FIFA pretende introduzir na regulamentação do futebol à escala mundial.

 

No final, o presidente da Liga reforçou a "grande preocupação das ligas internacionais, e particularmente da Liga, com as imposições da FIFA e da UEFA no que concerne aos novos calendários e às novas competições internacionais, bem como aos novos horários e obrigação de redução do número de equipas participantes nas competições internas", falando também sobre a distribuição dos "direitos comerciais internacionais".

 

Para Pedro Proença, as imposições anunciadas pela FIFA e pela UEFA, que colidem com os direitos nacionais de cada uma das ligas profissionais, "colocam em perigo o seu futuro podendo determinar a sua extinção nos moldes actuais".

 

Entre outras alterações discutidas na reunião magna destacaram-se a regulamentação dos intermediários, empréstimos internacionais de jogadores, mecanismo de solidariedade interno e casa de transferências da FIFA.

 

Também na reunião com a FIFA, a WLF manifestou as suas preocupações com a vontade que a FIFA tem vindo a manifestar na criação de competições mundiais de clubes e de nações, em que o valor estimado para as mesmas é de 25 mil milhões de dólares.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:15

 

img_920x519$2018_09_24_21_36_24_1452240.jpg

 

Luka Modric, o médio do Real Madrid e capitão da selecção croata foi eleito esta segunda-feira o Melhor Jogador do Mundo para a FIFA, com 29,05% dos votos. Em segundo, Cristiano Ronaldo com 19,08%, seguido por Salah com 11,23%. Lionel Messi ficou num distante 7.º lugar com apenas 9,81%.

 

Não discordo deste resultado, muito embora, na minha opinião, Cristiano Ronaldo tenha sido injustiçado pela entrega do Melhor Jogador do Ano da UEFA ao mesmo Modric.

 

As ausências de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi vão dar origem a algumas críticas e muito embora desconheça as razões dos atletas, acho que não agiram bem. Era importante dar a cara mesmo em derrota, se é que pode ser assim considerado.

 

Já o golo do ano, relativo ao Prémio Puskas, foi atribuído a Salah, do LIverpool, marcado ao Everton num encontro da Premier League na época passada. A concorrência era a "bicicleta" à Juventus de Cristiano Ronaldo. Um caso em que o jogador português tem justa causa para reclamar.  Aliás, o golo de Salah nem sequer foi o melhor do mês da Premier League.

 

Eis as observações de Fernando Santos:

 

"Não tem a ver com a escolha. Votei Ronaldo, Modric e Hazard. Há que olhar para o todo e para a época. Modric é um grande jogador, mas o melhor nesta época foi CR7 e não tenho dúvidas. É quem contribui mais, marcou 50 e tal golos. O que era válido há um ano, dois ou três parece que deixou de ser.

 

E quando o melhor golo da carreira do melhor do Mundo não ganha um prémio há algo muito estranho. Já marcou 500 ou 600 e este foi o melhor. Há alguma coisa que não está bem, é só isso que eu digo. Não tenho o direito de estar a fazer juízos de valor. Foi injusto como já tinha sido o prémio da UEFA".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:51

FIFA e os empréstimos

Rui Gomes, em 14.09.18

 

2710557_full-lnd.jpg

 

A FIFA está a estudar uma reforma que promete revolucionar o mercado. Segundo avança o Sports Bild, o órgão que gere os destinos do futebol mundial está a equacionar restringir para oito o número de jogadores que cada clube poderá emprestar.

 

A medida servirá para combater o elevado número de cedências do actual panorama do futebol mundial, com particular incidência na Serie A italiana. Os clubes do principal escalão cederam 592 futebolistas.

 

No entanto, o fenómeno também é transversal a outros países ou equipas. Em Portugal, de acordo com dados do Transfermarkt, FC Porto, Benfica e Sporting têm mais de dez futebolistas cedidos cada.

 

Uma medida que a FIFA já devia ter implementado, mas ficamos com a ideia que a defesa de interesses especiais é alta prioridade. Há muito que este problema se evidencia, com disparatado exagero no futebol italiano.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:16

FIFA aumenta prémios do Mundial 2018

Rui Gomes, em 08.05.18

 

bola_copa_2018_telstar_adidas_3.jpg

 

Ao longo dos anos, a FIFA tem vindo a aumentar o prémio das selecções que participam no Mundial e, este ano, o vencedor da competição que terá lugar na Rússia vai receber 31,7 milhões de euros, sendo este o maior prémio alguma vez pago ao vencedor deste torneio de futebol, informa o organismo, num nota publicada através do seu site oficial.

 

O segundo prémio – vice-campeão mundial – arrecada 23,4 milhões de euros. No total, a FIFA vai distribuir 334,3 milhões de euros aos 32 países participantes da fase final do Mundial 2018.

 

Recorde-se que a prova vai disputar-se a partir do dia 14 de Junho  e termina praticamente um mês depois, dia 15 de Julho. Portugal está inserido no Grupo B, juntamente com Espanha, Irão e Marrocos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:30

Uma liga global de futebol ?

Rui Gomes, em 04.05.18

 

1.jpg

 

A FIFA enviou aos membros do comité executivo uma carta com os planos para a criação de uma liga global de futebol, projecto no qual o organismo prevê um investimento de 20 mil milhões de euros.

 

A carta, a que a agência noticiosa AP teve acesso, prevê a criação de uma liga das nações a disputar ao longo de dois anos por mais de 200 selecções, e a transformação do formato do Mundial de Clubes.

 

Segundo o documento, assinado por Gianni Infantino, presidente da FIFA, o Mundial de Clubes, que actualmente junta todos os anos sete equipas, deverá ser transformado numa competição quadrienal, a disputar por 24 equipas.

 

O plano da liga global foi originalmente desenvolvido pela UEFA, organismo do qual Infantino foi secretário-geral até 2016 e tem como principal objectivo substituir os encontros particulares de selecções.

 

As 55 federações filiadas na UEFA começarão em Setembro deste ano a disputar a liga europeia, divididas em quatro grupos, determinados pelo ‘ranking’.

 

O formato da liga global é complexo e prevê a criação de sete divisões com promoções e despromoções e um mini-torneio a disputar por oito equipas dos cinco continentes, das quais três europeias e duas sul-africanas.

 

Segundo a FIFA, o novo formato, que poderá permitir às federações da UEFA arrecadarem um total de 62,5 milhões de euros, não ameaçará o Mundial, que a partir de 2026 será ampliado de 32 para 48 selecções.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:02

FIFA multa Sporting e Benfica

Rui Gomes, em 19.04.18

 

1def8f235d01b61e4580ffdf987680e4_920_420.jpg

 

A FIFA anunciou esta quinta-feira ter multado o Sporting e Benfica devido a infracções ao Regulamento Internacional de Transferências, nomeadamente a proibição de detenção de propriedade de passes de futebolistas por parte de terceiros (TPO).

 

Em comunicado, a FIFA informou que o Sporting foi punido com uma multa de 110 mil francos suíços (cerca de 92 mil euros), por ter feito dois contratos que "permitiam a uma terceira parte influenciar a independência do clube", assim como por não ter divulgado a existência de um contrato de TPO e de não ter preenchido correctamente uma informação obrigatória no ITMS (sistema de transferências).

 

Também por semelhante apresentação de dois contratos que "permitiam a uma terceira parte influenciar a independência do clube", o Benfica foi multado em 150 mil francos suíços (cerca de 125 mil euros).

Os encarnados foram ainda multados em 15 mil francos suíços (12,5 mil euros) por um negócio com o Celta de Vigo - terá sido a mudança de Nolito em 2013 - totalizando assim 165 mil francos suíços (cerca de 138 mil euros).

O clube da Luz foi absolvido das acusações de ter ficado com possibilidade de influenciar a independência do clube espanhol.

A FIFA esclarece que a versão de 2012 do seu regulamento de transferências "não tinha base legal para sancionar um clube que adquirisse a possibilidade de influenciar outro clube".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:28

 

BN-BS902_marcot_GR_20140302111438.jpg

 

Jogadores de futebol não poderão mais levantar suas camisas para exibir uma mensagem na roupa de baixo, mesmo que o conteúdo dela seja de cunho educativo ou solidário, decretou no sábado - dia 1 de Março de 2014 - o International Football Association Board (IFAB). O órgão que regulamenta as regras do futebol também autorizou o uso de vestes para cobrir a cabeça das mulheres, após um período de testes de dois anos, o que também se aplicará a homens.

 

A exibição de mensagens nas camisas de baixo já havia sido banida pela FIFA, órgão máximo do futebol, mas os jogadores continuavam a mostrar mensagens parabenizando alguém ou celebrando o nascimento de uma criança.

 

Nenhuma frase ou imagem em qualquer roupa de baixo poderá ser mostrada, nem mesmo aquelas com boa intenção. A regra valerá a partir do dia 1 de Junho de 2014 e estará em vigor no Campeonato do Mundo, disse o então secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, em entrevista, após reunião com o International Board.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:19

 

fifa-logo-design-history-and-evolution-wkuq7omm-21

 

A FIFA divulgou esta terça-feira um relatório que apresenta o valor das comissões pagas nos últimos cinco anos aos intermediários de transferências de futebolistas, sendo que Portugal está num pódio liderado pela Inglaterra.

 

Desde 2013, os clubes portugueses pagaram 135 milhões de euros em comissões, apenas batidos pelos italianos, com 288,5 milhões, em ‘ranking’ liderado claramente pelos ingleses, com 410 milhões.

 

No total, os clubes gastaram 1,33 mil milhões de euros em comissões desde Janeiro de 2013, de acordo com dados da FIFA-TMS, a plataforma que regista as transferências internacionais.

 

Em 2017, os clubes pagaram 374 milhões de euros em comissões a intermediários – agentes, representantes ou outros – envolvidos em transferências de jogadores, contra os 183 milhões verificados em 2013.

 

Desde Janeiro de 2013, de cerca de 70 mil transferências internacionais registadas, cerca de 20 por cento foram consumadas por pelo menos um intermediário, de acordo com os números oficiais.

 

Durante o último período de transferências, no Verão de 2017, destacou-se o empresário israelita Pini Zahavi, envolvido no registo de transferência do brasileiro Neymar que trocou o FC Barcelona pelo Paris Saint-Germain a troco de 222 milhões de euros.

 

De acordo com o jornal francês L'Equipe, o agente de 74 anos teria embolsado 12 milhões de euros na operação, montante que não foi confirmado pelo clube nem futebolista.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:51

 

2018-FIFA-World-Cup1.jpg

 

A FIFA anunciou que vai pagar sete mil euros diários aos clubes que cedam os seus jogadores às respectivas selecções que vão participar no Campeonato do Mundo de 2018, que se realiza entre Junho e Julho na Rússia.

 

São 209 milhões de euros que o organismo máximo do futebol mundial tem disponíveis para pagar aos clubes, um número bastante mais alto que aquele pago em 2014, por altura do Mundial do Brasil. Nesse ano a FIFA pagou 'apenas' 60 milhões de euros, pelo que agora há um aumento de quase 150 milhões de euros.

 

Os clubes que pretendem receber este dinheiro terão, no entanto, de preencher um formulário onde terão de assumir uma série de obrigações impostas pela FIFA, sendo que o mesmo terá de ser preenchido até ao próximo dia 10.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:37

FIFA rejeitou recurso do Leicester

Rui Gomes, em 05.10.17

 

mw-860.jpg

 

É oficial: Adrien Silva, vai ficar sem jogar até Janeiro. O recurso interposto pelo Leicester City e a Federação Inglesa de Futebol à FIFA para a inscrição do ex-capitão do Sporting fora da janela de transferências foi rejeitado.

 

“Podemos confirmar que a decisão do Comité do Estatuto dos Jogadores: o recurso apresentado pela Federação Inglesa para a emissão do certificado internacional do jogador Adrien Silva no Leicester foi rejeitado”, anunciou em comunicado a FIFA.

 

O médio português, vendido por 25 milhões de euros, viu o seu futuro embargado em Setembro, depois da FIFA ter recusado emitir o certificado internacional referente à sua transferência, dado que os documentos foram enviados 14 segundos após o fecho do mercado de transferências.

 

O Leicester City pondera recorrer da decisão para o TAS.

 

Entretanto, a acreditar no que está a ser noticiado, o Leicester ainda não procedeu ao pagamento de qualquer valor acordado, defendendo que não o fará enquanto o futebolista não puder representar o clube em competições oficiais.

 

Embora se desconheça os termos do negócio selado entre os dois clubes, parece-me uma tomada de posição injusta dado que para todos os efeitos Adrien deixou de ser um activo do Sporting e, pelas informações disponíveis, a responsabilidade do timing da inscrição é inteiramente do emblema inglês. Gostaria de ver o Sporting esclarecer esta questão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:46

 

ng7535422.jpg

 

Bruno de Carvalho, em declarações à Sporting TV, confirmou que a FIFA recusou a inscrição de Adrien Silva, mas esclareceu que a transferência mantém-se e o jogador é agora, portanto, do Leicester City:

 
«Ouvi muito disparate durante o dia de hoje. A FIFA não se pronunciou sobre a transferência, mas sim sobre a inscrição. A transferência está feita. Espero que o consigam inscrever, que verifiquem todas as opções. Isto é tudo muito bonito mas as negociações têm o seu timing e introduzir os documentos dentro do TMS traz estes dissabores.

Nós colocámos os documentos dentro do horário. A informação que tenho é que eles colocaram a maioria dentro do timing e o último alguns segundos depois… Estamos a falar da vida de um atleta. Tenho pena e espero que o Leicester faça de tudo, pois precisa dele e é um excelente atleta. É a segunda vez que temos relações com eles, também já o tivemos com o Carrillo em que se comportaram optimamente, mas ele, numa jogada de génio, decidiu abortar o negócio. Falei várias vezes com o Adrien durante a noite. É um atleta que vai deixar saudades mas são 15 anos que não vamos esquecer. Será sempre a sua casa, partiu numa nova aventura e de certeza que vão arranjar uma solução, agora ou em Janeiro».

 

Toda a imprensa britânica diz exactamente o mesmo e muito embora o Sporting ainda não tenha revelado os valores da transferência, todas as informações disponíveis, em Portugal e Inglaterra, indicam 24 milhões de euros mais 5 milhões por objectivos.

 

Uma situação muito ingrata, tanto para o Leicester como para Adrien Silva, estando este obrigado a parar durante cerca de quatro meses. Confesso que desconheço se há meios para recorrer desta decisão, mas não creio que haja. Que a FIFA seja tão rigorosa com tudo como é com questões desta natureza, aceitando que o que Bruno de Carvalho revelou corresponde com exactidão ao que ocorreu no processo.

 

 

ADENDA: A BBC revela esta quarta-feira que a FIFA rejeitou o pedido do Leicester City para registrar a inscrição Adrien Silva devido a um atraso de 14 segundos sobre o encerramento da janela de Verão do mercado de transferências - meia-noite de 31 de Agosto. O clube inglês vai recorrer, informa ainda a estação de televisão britânica.

 A decisão da entidade que tutela o futebol a nível mundial foi comunicada ao médio leonino, que assim corre o risco de não poder jogar até Janeiro de 2018, quando reabrem as inscrições.

Todavia, a transferência para os foxes, acordada por um valor que pode chegar a 29 milhões de euros (24 milhões directos, mais cinco em objetivos) não está em risco. O Leicester City assumirá o pagamento dos salários a Adrien Silva, mesmo que este fique sem jogar até Janeiro, avança ainda a BBC.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:17

 

fifa-the-best-trophy (2).jpg

 

A FIFA anunciou uma novidade para a segunda edição dos prémios The Best, que se realizará a 23 de Outubro deste ano: a partir de agora, o organismo que rege o futebol mundial vai passar a atribuir o prémio de melhor guarda-redes do mundo.

 

"O papel do guarda-redes no futebol é tão importante como especifico, apesar de nem sempre ter o reconhecimento que merece. Por essa razão estamos orgulhosos de introduzir esta categoria", referiu o secretário-geral da FIFA, a antiga estrela croata Zvonimir Boban. A escolha ficará a cargo de um grupo de lendas do futebol mundial, que incluirá antigos guarda-redes e também avançados.

 

Assim, serão nove os troféus a ser entregues na segunda edição dos prémios The Best: melhor jogador, melhor guarda-redes, melhor treinador, melhor golo, equipa do ano, melhor jogadora, melhor treinador de futebol feminino, prémio jogo limpo e prémio dos adeptos. O processo de eleição começa a 17 de Agosto, com a revelação dos 23 candidatos a jogador do ano, das 10 candidatas a jogadora do ano e dos dez candidatos a treinador do ano (masculino e feminino). Os três finalistas de cada categoria serão revelados em Setembro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12

 

soccer-ball-on-the-field-1680x1050-wide-wallpapers

 

Com algumas ideias a serem testadas actualmente, como o vídeo-árbitro, as quatro substituições e um novo sistema no desempate por grandes penalidades, a FIFA já estuda novas medidas a implementar no futebol de forma a torná-lo mais fluído e goleador.

 

O International Board, que gere as regras do jogo, tem seis propostas em mãos que serão analisadas em Março de 2018 e algumas delas configurariam uma autêntica revolução ao futebol que conhecemos, a começar pelo tempo de jogo.

 

1. Partidas de 60 minutos de tempo útil. Em vez dos actuais 45 minutos por cada parte do jogo, seriam contabilizados apenas 30 minutos, mas de tempo útil. Ou seja, o cronómetro estaria parado em cada interrupção do jogo, bolas fora, faltas ou golos, à semelhança do que acontece no hóquei em patins, por exemplo.

 

2. Fim ao tempo de compensação. Se a primeira medida for avante, deverá terminar o tempo de compensação. Assim que terminar o tempo cronometrado, o árbitro dará por terminada a partida à primeira interrupção no jogo, ou seja, quando houver uma falta, a bola sair de campo ou, eventualmente, um golo.

 

3. Golo em vez de penálti. Caso um defesa evitasse um golo certo ao cortar a bola com a mão dentro da área, o árbitro daria de imediato golo em vez de marcar penálti.

 

4. Penálti por atraso ao guarda-redes. Actualmente os atrasos ilegais ao guarda-redes são penalizados com livres indirectos. Nas novas regras, passariam a ser punidos com grandes penalidades.

 

5. Bola corrida nas faltas. Para a marcação de uma falta a bola deixaria de ter de estar parada, o que poderia aumentar a velocidade com que as faltas são marcadas e aumentar o efeito surpresa, criando jogadas perigosas.

 

6. Mudança na marcação das faltas ou cantos. Um jogador poderá sair a jogar numa marcação de faltas ou cantos. Acabaria a necessidade de passar a bola a um colega.

 

Por este caminho e com a introdução do vídeo-árbitro - que já está a dar que falar pela negativa - chegará o dia em que a essência do jogo será completamente alterada. Acho que é um autêntico exagero, até porque não faz sentido algum alterar o que funciona em pleno, há muitas décadas, pese algumas imperfeições.

 

A única potencial medida que subscrevo - e isto porque a argumento há muitos anos - é a paragem do cronómetro sempre que a bola estiver parada. Após um período experimental, se se chegar à conclusão que fazendo isto o jogo torna-se excessivamente longo, assente nos actuais 90 minutos, então ponderar reduzir para duas partes de 30 minutos cada. A realidade, já de há uns bons anos, é que o tempo útil de jogo, em média, raramente é superior a 45 minutos.

 

Todas as outras medidas aqui apresentadas não fazem sentido algum e só resultarão na adulteração do jogo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:22

 

hqdefault.jpg

 

As selecções participantes na Taça das Confederações vão poder realizar 4 substituições caso os jogos cheguem a prolongamento, anunciou esta quinta-feira o director-geral de desenvolvimento da FIFA, Marco van Basten, em conferência de imprensa, em São Petersburgo:

"É o sítio ideal para testar a experiência da substituição de um quarto jogador durante o prolongamento".

 
A Taça das Confederações vai ser disputada entre sábado e 2 de julho, na Rússia, com Portugal, campeão da Europa, a integrar o Grupo A, juntamente com México, primeiro adversário da seleção lusa, no domingo, Rússia e Nova Zelândia.

Além da substituição suplementar, possível nas meias-finais, na final e na atribuição do terceiro lugar, Van Basten revelou ainda que os jogos da prova vão contar com mais tempo de compensação, tendo sido dadas ordens aos árbitros para maior controlo do tempo das interrupções e do anti-jogo.

"Habitualmente acrescenta-se um minuto na primeira parte e três na segunda. Mas os incidentes consomem mais tempo, incluindo as comemorações dos golos, e os adeptos querem jogos mais dinâmicos. A FIFA instou os árbitros a controlarem de forma mais rigorosa o tempo de compensação".

O holandês recordou o tempo limite de seis segundos para os guarda-redes deterem a bola, que é continuamente infringida, admitindo, por seu turno, que ainda não está na agenda, mas é uma questão de tempo, o fim do fora de jogo, ao qual Van Basten já se mostrou favorável.

Refira-se que o vídeo-árbitro também será testado nesta competição.
 
Nota: Coincidência curiosa, Van Basten ter mencionado o tempo limite de seis segundos que um guarda-fredes pode deter a bola. A única ocasião que me vem à memória - ou melhor, o único jogo a que eu assisti - em que o árbitro assinalou falta contra um guarda-redes por ter infringido esta regra, foi no Campeonato do Mundo de Sub-20 de 2007, realizado no Canadá, e o guarda-redes chama-se... Rui Patrício. Se não estou em erro, sucedeu no jogo contra a Argentina de Di Maria.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:51

 

fifa-logo_1jamybb7lla9d18onyadsxxbin.jpg

 

A FIFA pretende levar a cabo um ‘play off entre seis equipas, para preencher os últimos dois lugares no modelo de 48 participantes, numa proposta que precisa de rectificação do Conselho do organismo.

 

No novo figurino de um Mundial alargado, proposto pelo presidente da FIFA, Gianni Infantino, a Europa terá 16 entradas directas, África nove, Ásia oito, América do Norte, Central e Caraíbas (CONCACAF) seis, assim como a América do Sul, e Oceânia um, restando duas vagas, a serem definidas num mini-campeonato de seis.

 

A ampliação está prevista para o Mundial2026 e este ‘play-off’ deverá ser aprovado pelo Conselho da FIFA na sua próxima reunião, agendada para 09 de maio, no Bahrein, dois dias antes do congresso da FIFA.

 

No ‘play-off’ a seis, cada Confederação, com excepção da UEFA, terá direito a uma equipa, mais uma para a Confederação que organize o Mundial, cujo anfitrião ainda está por definir.

 

Na proposta está também previsto que nesse torneio dois países serão cabeças de série, de acordo com o ‘ranking’ mundial da FIFA, e jogarão com os vencedores dos outros dois jogos, com as restantes quatro equipas ‘repescadas’.

 

Este pequeno torneio irá disputar-se em Novembro de 2025, no ano que antecede o Mundial, e no país que o organizará, servindo de competição teste.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:18

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds