Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



img_920x519$2020_01_01_20_31_44_1645140.jpg

Não há campeonato algum de topo sem situações polémicas por golos invalidados pelo VAR devido a foras de jogo milimétricos.

A imagem que publicamos é do jogo desta quarta-feira entre o Burnley e Aston Villa em que um golo foi invalidado pelo VAR à equipa visitante, porque o calcanhar do goleador estava, por milímetros, adiantado relativamente ao último oponente.

Entretanto, o Internacional Football Association Board (IFAB), organismo que regula as leis do jogo no futebol, decidiu tomar uma posição pública em relação à atuação do VAR, nomeadamente em lances de fora de jogo, manifestando que as indicações dadas para considerar um lance irregular não estão a ser bem interpretadas.

Lukas Brud, secretário-geral do IFAB, assegurou que novas directivas serão dadas no final da Assembleia Geral anual do organismo, agendada para o final de Fevereiro. O dirigente, acrescentou que no que confere aos foras de jogo, o VAR só deve intervir em "situações claras e óbvias". Mais, explicou que há um conceito de dúvida ou margem de tolerância que deve prevalecer em casos duvidosos:

"Se uma situação não é clara à primeira vista, então não deve ser considerada. Olhar para uma câmara de um ângulo é uma coisa, mas olhar a quinze, procurando encontrar algo pode estar ou não ali, essa não era a ideia original."

A realidade é que a lei de fora de jogo sempre foi controversa e as várias medidas que o IFAB implementou ao longo dos anos pouco ou nada melhoraram a situação.

Agora, com o VAR operacional, há de facto casos em que erros são detectados e corrigidos, contudo, há outros tantos que só resultam em decisões polémicas.

Parece-me que a essência do problema recai fundamentalmente sobre a lei de fora de jogo. Não recomendo que seja eliminada, mas há muito que exige ser algo simplificada.

O vídeo-árbitro (VAR) é uma outra discussão e é tudo menos consensual, especialmente no futebol português, onde a credibilidade das pessoas que exercem a função está muito em dúvida.

publicado às 04:31

2019-09-29 (2).png

Aos 68' do Rio Ave-FC Porto, o árbitro anulou a Tarem o que seria o golo do empate (1-1). O lance foi depois ao VAR que, após longa consulta, confirmou a decisão inicial do juiz Nuno Almeida.

O leitor consegue ver o fora de jogo?... Eu não consigo, mas talvez que o problema seja meu.

Que houvesse dúvidas da parte do árbitro-auxiliar, ainda se admite, mas a consulta ao VAR devia ter esclarecido o cenário. E esclareceu... com o que parece ser uma decisão errada.

Enfim... mais do eterno mesmo do futebol português!

publicado às 05:01

O inexistente fora de jogo

Ricardo Leão, em 17.04.16

 

19464249_z0zHk.jpg

19464250_1oRJu.jpg

Agora sem ironia. Basta ver as linhas nestas duas fotos.

 

publicado às 17:16

Quem é que disse que não estava em linha?

Ricardo Leão, em 17.04.16

 

19462729_CcHcb.jpg

 

Os "carnides" só se preocupam com o golo de Islam Slimani e dizem que "não está em linha"... Curioso, eu vejo uma claríssima linha na jogada.  E vamos andando.

 

publicado às 09:54

"O problema é do frame" !!!

Rui Gomes, em 01.11.15

 

 

"Você tem de pôr bem o frame da TV"

 

Segundo Jorge Jesus... no fora de jogo de Gutiérrez.

 

publicado às 04:36

Outra vez ?

Rui Gomes, em 22.12.14

 

keep-calm-que-vai-ser-limpinho-limpinho.png

 

Mais um golo, uma vitória e três pontos à custa do "limpinho, limpinho" !!!

 

A jogada pode ser vista aqui.

 

publicado às 03:43

 

 

Surgiu uma questão que me ultrapassa completamente e ficaria agradecido aos leitores se me auxiliassem a compreender:

 

A jogada que deu em golo para o Sporting foi iniciada por William Carvalho sensivelmente aos 51:30 minutos de jogo. A foto que publicámos no último post, com a bola já em movimento por passe do médio leonino, indica o tempo de jogo como sendo 51:36 minutos. O registo oficial da Liga tem o golo como tendo sido marcado aos 52 minutos, muito embora, na realidade, tenha sido aos 51:42 minutos. Estes são os factos comprovados.

 

O pasquim dos Cofinas, que passa pelo nome de "Record" - sob a tutela do super-lampião João Querido Manha - publicou uma foto do lance do golo esta segunda-feira, com a linha virtual para explicitar a exacta posição dos jogadores envolvidos na jogada, com a seguinte legenda:

 

"Dois erros graves de Pedro Proença: aos 44' não viu o penálti de Cédric sobre Jackson e aos 52' deixou passar um fora-de-jogo milimétrico a André Martins, que dali cruzou para o golo leonino. Decisivo, portanto."

 

A acima referida foto, com a respectiva legenda, publicada pelo pasquim pode ser vista aqui

 

Vejamos então o meu dilema: o tempo de jogo na foto em questão é 55:12 minutos, repito, 55:12 minutos.

 

Até haverá algo muito significativo que me ultrapassa, mas confesso que não compreendo como é que um golo que foi marcado aos 51:42 minutos de jogo, pode surgir em foto, como sendo um lance iniciado aos 55:12 minutos. E mesmo admitindo que reflecte o momento da repetição e não o da jogada em si, como explicar as diferenças entre imagens ?

 

Recuso acreditar que é mais uma obra de adulteração do pasquim, a exemplo do emblema do Sporting rasurado da toca do nadador leonino Alexis Santos. Não quero acreditar que um histórico diário desportivo recorra novamente a um tão desprezível acto, para não dizer pior. Não quero acreditar... mas como não compreendo, agradeço, então, uma qualquer explicação plausível sobre este fenómeno editorial.

 

publicado às 02:22

NÃO há fora de jogo !!!

Rui Gomes, em 17.03.14

 

 
Recebi esta foto há instantes pela gentileza de um simpático Amigo (Obrigado), que ilustra que com o esférico já em movimento (a perna de William Carvalho já está no ar pela execução do passe) André Martins está em linha com o defesa portista situado no centro do terreno ao lado de Slimani.
 

publicado às 22:21

Ainda o fora de jogo

Rui Gomes, em 17.03.14
 

Como já expliquei a um leitor na caixa de comentários, dei-me ao trabalho de extrair três imagens do resumo em vídeo cujo link está indicada no post "Resumo do jogo e comentários", e muito embora não as tenha publicado, apurei o seguinte:
 
Imagem nº 1 - Com a bola ainda no pé de William Carvalho, André Martins não está em posição irregular.
 
Imagem nº 2 - No momento que a bola parte do pé de William Carvalho, André Martins aparenta estar em linha, não com o defesa portista mais próximo dele, mas sim com um outro mais no centro do terreno.
 
Imagem nº 3 - Com a bola a meio caminho, André Martins já corre isolado, como era de esperar e sem significância alguma, dado que o que conta para a lei do fora de jogo é a sua posição no momento em que a bola parte.
 
A minha conclusão pessoal é que não há clara evidência, baseado nestas imagens, tanto em sustento da decisão feita pelo árbitro auxiliar, como no sentido inverso. Num outro site, também já vi uma imagem semelhante, com uma linha virtual a especificar o posicionamento dos jogadores, e nessa imagem André Martins tem um pé no local da linha e o outro e o resto do corpo em posição irregular.
 
É tudo muito subjectivo porque ainda não se viu uma imagem com uma câmara exactamente em linha com os jogadores, mas sim em diagonal. As regras do jogo da FIFA indicam que quando em dúvida, neste tipo de lance, o benefício da dúvida deve ser concedido ao atacante. Dito isto, desconhece-se o raciocínio do árbitro auxiliar naquele exacto momento. 
 

publicado às 19:56

 

 

Há cerca de um ano a FIFA nomeou uma comissão liderada por Franz Beckenbauer para rever algumas Leis do Jogo e apresentar sugestões para o seu melhoramento. Ainda nada foi divulgado do trabalho deste grupo mas, entretanto, o organismo que superintende o futebol Mundial anunciou uma nova interpretação sobre quando deve ser, ou não, assinalada posição irregular a um jogador. Já comentámos esta abordagem à Lei do Fora de Jogo neste post do dia 8 de Julho de 2013, mas o árbitro Jorge Sousa comentou recentemente esta alteração mediante o que já foi conversado pelos elementos da arbitragem portuguesa:

 

«Agora um jogador para ser punido terá de ter uma intervenção muito mais directa na jogada do que tinha até agora. Estar fora de jogo por si só não era motivo de punição, agora para ser punido será ainda mais restritiva essa punição. Só será fora de jogo quando o jogador intervém directamente na jogada ou influencia o adversário. A nova Lei refere que em vez dos "gestos que podiam ser factor de engano ou diversão" - tal como se lia no texto anterior - o fora de jogo será assinalado quando um jogador impede um adversário de disputar a bola, "obstruindo claramente o seu campo de visão ou disputando a bola". Ou seja, quando a posição irregular for assinalada, o jogador em causa terá uma interferência física no jogada e terá de estar, no máximo, a um metro e meio da bola.»

 

Nunca concordei com o todo da nova lei e acho que esta recém-interpretação irá ainda provocar maior confusão e irregularidade na sua aplicação em campo. Adicionalmene curioso é que decidiram implementar a acima referida interpretação ao talvez menos utilizado critério no fora de jogo. Não tenho memória da última vez que assisti a um fora de jogo a ser assinalado porque um jogador que não tocou na bola interferiu na jogada.

 

Algo muito mais de concreto tem que ser alterado com o fora de jogo e esperamos que a referida comissão de Beckenbauer apresente uma solução viável.

 

publicado às 02:26

Lei do fora de jogo - Alterações

Rui Gomes, em 08.07.13

 

Alterações à Lei 11 das Leis do Jogo da FIFA - fora de jogo - foram aprovadas pelo «International Board» e entraram em vigor no dia 1 de Julho. Como tal, são aplicáveis em todos os jogos, amistosos ou oficiais, a partir dessa data. Estas alterações não afectam tanto a letra da Lei, mas sim a sua interpretação em determinadas situações de jogo, mediante as clarificações enunciadas pela acima referida entidade.

 

Será prudente o adepto ler estas alterações cuidadosamente, para evitar confusão e discussões desnecessárias mais tarde.

 

publicado às 03:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo