Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (135)

Leão Zargo, em 17.02.19

 

Bruno Fernandes Sporting - Villarreal.jpg

 

O tempo é um bem escasso

 

Trata-se de uma fotografia com história dentro da História centenária leonina. Talvez uma história com sessenta anos, pelo menos desde Dezembro de 1961 quando o jornal Sporting (nº 568) publicou um extenso artigo de Couto e Santos, redactor do Mundo Desportivo, com o título “Um Sporting campeão faz falta ao futebol português”.

 

Os sportinguistas que assistiram aos festejos dos títulos de campeão nacional em 1962 e 1966 recordam-se bem da intensidade emocional com que foram vividos. Ainda estava presente a memória do período mítico dos “cinco violinos” e muitos ainda os tinham visto jogar.

 

Pela sua profundidade e extensão, o que era meramente conjuntural adquiriu um carácter estruturante. No seu período hegemónico, entre 1940 e 1954, o Sporting foi nove vezes campeão nacional. Depois disso, até à actualidade, conseguiu o mesmo número de títulos de campeão. Sabemos como se chegou até aqui, como o Clube deixou de ser ganhador e a crença e o entusiasmo dos adeptos foram substituídos pela frustração e pelo desespero. Até a Formação perdeu brilho e capacidade de produzir talentos.

 

Bruno Fernandes caído e cercado por adversários simboliza o tempo que se vive. Frederico Varandas apresentou os seus conhecimentos sobre o futebol como uma séria mais valia. O problema é que o tempo se tornou num bem escasso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

 

img_920x518$2019_01_30_19_32_58_1499612.jpg

 

O editorial do Jornal Sporting, assinado pelo presidente Frederico Varandas, em que o alvo principal é o dirigismo do Benfica por Luís Filipe Vieira:

 

"Nós e o Futebol

O Sporting Clube de Portugal respeita e quer respeitar todos os outros clubes do Futebol Português e, naturalmente, o Sport Lisboa e Benfica integra esse lote. 

Infelizmente, neste momento, o Sport Lisboa e Benfica, em resultado de um tipo de dirigismo que há muito devia ter sido erradicado do Futebol Português, carece de uma transformação, mas não de personificar em Paulo Gonçalves todos os males e toda a vergonha. Esse problema tem de ser encarado seriamente, ainda para mais tendo em conta o presidencialismo inequívoco que caracteriza a gestão deste nosso rival.

Aliás, ainda nesta última semana, o seu presidente veio publicamente transmitir o que pretende de imediato para o "seu" futebol: condicionar, limitar, impedir e penalizar a liberdade de actuação de árbitros e de órgãos independentes como o Conselho de Arbitragem deve ser.
 
Este foi só mais um episódio lamentável a juntar a outros. E independentemente do que poderá nunca ser cabalmente esclarecido ou provado, independentemente do que não se apaga, existem processos judiciais em curso com um elemento comum que ninguém, seja em que clube for, pretende no Futebol Português: suspeita de violação da VERDADE DESPORTIVA.

Não entramos e não queremos entrar em questões internas de outros clubes, mas ninguém em Portugal ignora ou pode ignorar factos graves que ocorreram.
 
E também ninguém desmentiu ou pôde desmentir tantas vergonhas que vieram a público, tantos comportamentos deveras estranhos, tantas condutas promíscuas, tantos exemplos grotescos, que só revelam um modus operandi que jamais pode ser aceite num País civilizado.
 
Acreditamos que em todos os clubes, e obviamente que incluímos o Sport Lisboa e Benfica nesta crença, existem pessoas que querem um Futebol Profissional transparente, justo, decente e entendemos ser um dever de TODOS proteger o Desporto-Rei em Portugal.

Há um desgaste, uma decadência moral, mas uma decadência e um desnorte também a vários níveis que vaticina o fim de um ciclo no dirigismo. Como em todas as instituições centenárias, há sempre referências, existirá consciência e, mais cedo ou mais tarde, acreditamos que haja um esforço e capacidade de regeneração.
 
Mas essa é uma tarefa que não é nossa, esse é um dever ético e quiçá, até histórico, de outros e não nosso. Mas a nós, em linha com os princípios e valores que defendemos, com a exigência de que não abdicamos, não é possível ignorar a realidade do que ainda hoje subsiste.

O Sporting Clube de Portugal receberá institucionalmente o Sport Lisboa e Benfica em Alvalade, cumprindo as regras, atribuindo no próximo Domingo os habituais lugares em zona específica da Tribuna, mas rejeita promover qualquer iniciativa particular que conte com a presença do actual presidente do Sport Lisboa e Benfica.

Acreditamos que é possível um Futebol Português melhor. É possível termos uma das melhores ligas da Europa se os principais clubes portugueses estiverem genuinamente imbuídos de um espírito são e, pelo exemplo, dando passos firmes nesse sentido.
 
O Futebol Português deu, ao longo da sua história, através dos seus clubes, das suas selecções, dos seus atletas, dos seus treinadores, inúmeras demonstrações de qualidade, variadíssimas provas de superação.
 
Lutemos por aquilo que o Futebol tem de melhor. Saibamos preservar o que há de bom e, com coragem, seja onde for, seja em que clube for, que se erradique a cultura serôdia do "velho dirigismo", que o caudilhismo e as vassalagens acabem de vez e que, cada vez mais, todos possamos disputar uma competição muito mais justa, mais sã, num quadro de concorrência leal.
 
Que, em liberdade e com segurança para todos os agentes desportivos, com serenidade e sem medo, numa competição fair, que os jogadores joguem, que os treinadores treinem, que os árbitros arbitrem, que os dirigentes dirijam, que os jornalistas noticiem e que os adeptos possam ter o privilégio de ter um futebol positivo, pleno, cada vez melhor, com as melhores práticas e com os valores que o desporto deve ter.
 
Se a UEFA nos diz a todos: "We care about Football", que se entenda, de uma vez por todas neste País, que Portugal está na Europa, que Portugal é o Campeão Europeu em título, que Portugal tem o melhor jogador do Mundo, que temos responsabilidades, que temos de dar o exemplo, que estamos incluídos neste "We" e que também "NÓS" nos preocupamos com o Futebol".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:48

 

image (3).jpg

 

Considerações do presidente Frederico Varandas após a conquista a Taça da Liga:

 

"No dia da meia-final, o nosso treinador perdeu um familiar próximo, não conseguiu dar nenhum treino entre a meia-final e a final. Tivemos apenas 48 horas de repouso, dois jogadores com fracturas nos ossos próprios do nariz [André Pinto e Petrovic], foram dois verdadeiros leões. Tudo nos aconteceu. Este título, com menor ou maior dificuldade, é do Sporting Clube de Portugal.

 

Isto só foi possível porque o Sporting tem um grupo muito forte e solidário e que mostrou muita luta, muita competitividade e muita crença.

 

Este troféu é dedicado aos sócios do Sporting Clube de Portugal e ao próprio Sporting Clube de Portugal: um Clube, que passou o que passou, deu uma lição de vitalidade e de força. A verdade é que fomos nós a arrecadar o primeiro título da temporada. Foi uma final-four com jogos muito competitivos, intensos e com as quatro melhores equipas.

 

Foi um jogo com uma excelente arbitragem. Nesta final ficou bem patente a importância do VAR. Se não fosse o VAR este título não teria saído ao Sporting.

 

Enquanto Sportinguista, o que quero para o meu Clube são títulos e este, o primeiro, é nosso."

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:31

 

image.jpg

 

No final da partida com o SC Braga, o presidente Frederico Varandas falou aos jornalistas:

 

Jogo: "Queria dedicar esta vitória ao nosso treinador, Marcel Keizer, que hoje teve a infelicidade de perder um familiar muito próximo e, com grande profissionalismo, fez o jogo. Com grande dificuldade foi à conferência de imprensa e esta vitória é para ele".

 

Arbitragem: "O Sporting, eu enquanto presidente, perdi em Tondela e perdi bem. Perdi porque o Sporting foi inferior. Perdi com o Portimonense, perdi bem porque fui inferior ao Portimonense. Empatei com o FC Porto, empatei bem. Hoje foi justo o resultado e certamente houve erros de um lado e do outro nestes três jogos que eu enunciei.

 

Para mim há três formas de lidar com a derrota. Com dignidade, conseguindo perceber porque se perdeu, olhar para dentro; a versão histeria e eu admito que frustração de perder uma final em casa, mais uma vez, não é fácil; e a versão cobarde que é refugiar-nos noutras pessoas, em linhas.. Porque se há coisa que eu sei, neste momento, é isto: a arbitragem está com o VAR muito melhor do que sempre foi. Erram? Erramos todos. Erram os árbitros, erram os treinadores,... E hoje vive-se, sinto eu, com uma arbitragem mais livre.

 

E o que me preocupa mais nisto tudo é ver um presidente a dizer que um determinado árbitro não pode voltar a arbitrar e hoje ter a notícia que pede uma licença por tempo indeterminado para não arbitrar. Isto é que não pode voltar a acontecer e é preciso ter coragem de dizer as coisas. Há um tempo que não pode voltar atrás e a minha direcção, enquanto Sporting, não vai deixar que isto volte para trás".

 

Braga: "Eu não comentei as arbitragens. O Braga não foi prejudicado. Há um penálti claríssimo sobre o Coates, há uma falta antes que antecede um golo do Braga que é bem anulado e eu percebo que depois é a fase emocional, que leva as pessoas a dizer alguns disparates. Depois há uma terceira via que é a de fazer das pessoas idiotas.

 

abel_ferreira_braga_foto_jose_coelho_lusa12290c9b_

 

Neste momento existem erros de arbitragem que vão sempre existir. Acho que o VAR é importantíssimo, há que melhorar a qualidade dos árbitros? Há. Há que melhorar a qualidade dos treinadores? Há. Há que melhorar a qualidade dos dirigentes? Há".

 

Nota: O discurso histérico do treinador Abel Ferreira, com murros na mesa à mistura, em conferência de imprensa, assim como o de António Salvaldor, após a derrota frente ao Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:01

 

fredericovarandas16.jpg

 

Algumas considerações de Frederico Varandas, em entrevista à Sporting TV, sobre os seus primeiros cem dias como presidente do Sporting:

 

"Foram 100 dias intensos, de muito trabalho diário, sério e honesto. Se me perguntassem há 100 dias se era possível estar assim, diria que sim. De uma forma geral, fazendo um exame global destes 100 dias, o primeiro objetivo foi atingido: hoje, o Sporting é saudável nos funcionários, no futebol, nas modalidades e um Sporting que voltou finalmente a ser notícia por bons motivos. Já não somos notícias por coisas que intoxicavam. O orgulho foi devolvido aos sportinguistas. O nome do Sporting já não é alvo de chacota, para brincar. Esse foi o principal objetivo da minha equipa".

 

Marcel Keizer

 

"A escolha define muito o que é esta Direcção. Não pode haver algo que dê mais força a quem tenha de decidir do que ter independência. Não tivemos de agradar a nenhuma facção. Quando se decide com independência, sem ter a preocupação de tomar decisões por causa do mandato e de eleições. Para mim a aposta não teve risco nenhum. E disse isto antes de ele fazer o primeiro jogo. Assenta em quatro factores, como disse antes.

 

Esta era a opção que me dava mais tranquilidade. Muito se fala dele hoje e merece, é um grande treinador, um grande senhor. Nem ele próprio acreditava que ia correr assim tão facilmente. Não é fácil chegar a meio sem ter feito pré-época. O sucesso que está a ter como nosso timoneiro vem da estrutura do Sporting.

 

No dia em que ele der uma entrevista, jamais poderá esquecer esta equipa à volta dele. Beto e Hugo Viana têm feito um trabalho fantástico, e são muito discretos a trabalhar. De um profissionalismo e competência fantásticos. Mas não só: secretários-técnicos, toda a parte logística à volta, departamento médico, Unidade de Performance já implementada.

 

Quando lancei o nome dele [Keizer] muita gente ficou em pânico. Vamos pensar pelas nossas cabeças. Há algum tempo que reparei em Keizer, no futebol do Ajax. Depois, houve oportunidade de o conhecer melhor. Sou uma pessoa racional mas sigo sempre o mesmo instinto. Em conversas com ele, vi como as equipas dele jogavam, a forma como lidera um grupo, trocámos informações sobre jogadores e a sua forma de ser. Todas as peças para ter o mínimo risco possível.

 

E depois tínhamos uma estrutura preparada para receber Keizer. Dificilmente trocava esta estrutura por qualquer outro clube, e não falo apenas de Portugal. Sei o que quero para um treinador, para um grupo, para o departamento médico, etc. Tive a sorte de conseguir trazer estas pessoas e não é preciso ter muito dinheiro".

 

José Peseiro

 

"Seria a pessoa mais feliz se tivesse continuado com ele até final da época, era sinal que tinha corrido bem. Mas o dever do Sporting é um clube com exigência. O Sporting tem de dominar 32 jogos por ano no mínimo. Pode até não ganhar mas tem de ser favorito e mandar. Agradeço a Peseiro tudo o que fez mas não era aquilo que o Sporting precisava neste momento. Admito que isto cause frustração. Se foram dias complicados para mim? Não. Nem estou arrependido. Foi uma decisão altamente tranquila e segura. Vem de trás, vem do que vi e senti, da minha experiência".

 

Processos de rescisão

 

"Estão a decorrer negociações sobre Gelson. Acredito que até final de Janeiro teremos o dossiê fechado. Com acordo... se for bem fechado. 

 

Não sei se os clubes - Olympiacos (Daniel Podence) e Lille (Rafael Leão) - terão capacidade e vontade para fazer um bom acordo e se assim não acontecer, vamos ter de ir até às últimas consequências. É um dado adquirido, está mais do que preparado. Podemos, se houver condições para bom acordo, parar a meio".

 

Claques

 

"Não quero acabar com claques. Eu era da Juve Leo e pagava bilhete da claque. Estão a haver reuniões civilizadas entre nós e as claques. Vamos chegar a um acordo para que o Sporting fique satisfeito e não o presidente. A minha missão é defender o Sporting. Neste momento existe espaço para adeptos, sócios e claques. O que temos de estar é num espírito de ajudar o Sporting, seja claque, adepto ou sócio. 

 

Obviamente que há coisas que já mudaram, outras que estão a mudar... Isso é óbvio! Não é correcto dizer [o que será mudado], porque estamos a conversar."

 

Sturaro

 

"É mais uma pasta que herdámos. Houve uma altura, quando vencemos eleições, duas semanas depois, que me perguntaram como era essa situação, para preparar integração, e eu disse 'esperem'. Quis perceber todo o dossiê. Percebi que é um jogador que não joga há muitos meses, que a recuperação não correu bem, que foi operado e que está a recuperar dessa mesma operação. Como é a minha área e sou muito exigente na mesma, falei com o meu colega da Juventus - ele já me conhece. O Sturaro estava para vir, isto em Novembro, e eu disse 'não'. Só virá quando estiver a 100%, quando fizer os exames médicos e for aprovado. Não queremos fazer recuperação a jogadores para ficarem bons em 2019. Entrará quando estiver bom e se estiver bom. Logo se verá".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:33

 

img_817x460$2018_06_26_14_31_05_334010.jpg

 

Considerações do presidente Frederico Varandas, esta quarta-feira, num jantar de Natal entre atletas do Sporting e patrocinadores:

 

"Este é um ano muito atípico, difícil, e a prova de hoje estarmos aqui com a sala cheia de parceiros e patrocinadores, pessoas que acreditaram e investiram no clube, é sinal da força e vitalidade. Obrigado pela maneira como continuam a confiar e seguramente confiam num futuro risonho, porque é assim que vai ser.

 

Estamos com três meses intensos. Hoje está praticamente concluída a primeira fase, de reforma e reorganização do clube. Esta Direcção não olha a caras, acredita na competência e é com competência e inteligência que vamos vencer. Não vai ser à força ou com barulho. Fomos formando uma estrutura altamente competente nas várias áreas, criámos uma máquina que ainda vai ser afinada, mas a grosso modo a reestruturação já está feita. E vamos terminar o ano como acreditei que íamos ter neste Natal: acreditava que íamos virar o ano a lutar pelo título, no futsal, hóquei, voleibol... Muito trabalho sério e honesto se faz neste Clube.

 

47498954_10155654840331555_7675378502396280832_n.j

 

Quando ganhei as eleições os sócios na rua diziam-me: 'presidente, este ano só peço o terceiro lugar'. E era sentimento honesto pela realidade como os adeptos sentiam o clube. Hoje já me dizem: 'presidente, acredito no título'. Independentemente do realismo das previsões, foi devolvido o orgulho, as pessoas acreditam no Sporting dentro e fora de campo. Vamos entrar numa nova fase, de grande dinâmica de uma onda verde, que vai começar e onde o futebol vai ajudar, como as modalidades já fazem.

 

Quero deixar um agradecimento especial aos nossos atletas, treinadores, elementos do staff, técnicos de equipamentos, médicos, administrativos, funcionários... Tenho muito orgulho em liderar esta máquina feita de soldados que são vocês. Acreditam como eu que é com competência e trabalho que lá vamos. O Sporting está de pé, saudável e cheio de força.


Um bom Natal e viva o Sporting".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:34

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 17.11.18

 

Varandas nos Rugidos.jpg

 

Considerações do presidente Frederico Varandas, na 37.ª Gala Rugidos do Leão, em Leiria, esta sexta-feira:

 

"Apesar dos boicotes, das cunhas, das altas traições, das inqualificáveis manobras de bastidores que se verificam para que não houvesse empréstimo obrigacionista. Quando se diz impunemente e irresponsavelmente que a SAD está em falência, apesar das manobras incríveis para que não houvesse empréstimo obrigacionista, com os brutais prejuízos que isso teria para o Sporting, conseguimos lançar o empréstimo . Uma vez mais também ouvi as vozes do costume, com as encomendas do costume que dizem que o Sporting não vai conseguir vencer esta batalha, mas vamos vencer haja o que houver. Vão tentar rasteirar, mas vamos superar tudo. Vamos abanar, mas não vamos cair.

 

image.jpg

 

Proteger o Sporting. Como? Dando o exemplo. Cuidando, respeitando, defendendo e preservando. Se cada um de nós fizer isso teremos um clube mais saudável, forte, digno e independência. Todos gostamos desta ideia, pois então saibamos lutar por isso. Vamos garantir a independência e a dignidade com provas de amor ao Sporting. Hoje, e nos próximos dias, pelo Sporting e só pelo Sporting todos têm a oportunidade de fazerem o que puderem pelo nosso e vosso Sporting. Como? Dando o exemplo. Estes órgãos sociais subscreverão o empréstimo obrigacionista, se alguém subscrever o valor mínimo de 100 euros daremos uma enorme demonstração de força ao país. Estaremos a investir no presente e no futuro".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 05.11.18

 

download (2).jpg

 

Após o apito final no Santa Clara - Sporting e antes da partida de Ponta Delgada rumo a Lisboa, Frederico Varandas falou aos jornalistas presentes, deixando uma garantia quanto à necessidade de tomar decisões na qualidade de líder do Sporting Clube de Portugal:

 

"Treinador não é conversa para agora. Dedicamos estes três pontos ao Battaglia [saiu lesionado]. A segunda palavra vai para os sportinguistas que encheram o estádio com chuva e vento, apoiando a equipa até ao fim. A terceira palavra vai para todos os outros sportinguistas: enquanto aqui estiver, posso dar a garantia de que nunca me vai faltar coragem para as decisões que entender para o Sporting. E essas decisões virão sempre da minha razão e do meu instinto. Podem registar isto, o Sporting vai voltar a ser muito forte".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 03.11.18

 

img_293x165$2018_11_03_11_47_34_1467906.jpg

 

Quero realçar como hoje se trabalha bem no Sporting. Em 48 horas vi mais de quinze nomes na imprensa e nenhum desses será o futuro treinador.

 

Há um que existiu interesse real, que foi o Leonardo Jardim. Como sabem, é meu amigo, mas nunca chegou a ser opção, porque sei que ele e a família não querem voltar a curto prazo.

 

Os restantes nomes citados merecem o nosso respeito, mas na realidade nunca foram contactados, nunca foram opção. Não é verdade que tenha existido nega a nenhum treinador, ou que tenha pedido muito salário. Nada saiu sobre o futuro treinador, mas está escolhido e acertado com ele. Não posso dizer quem é porque falta a rescisão com o clube no qual está a trabalhar”.

 

Frederico Varandas

 

Nota: Fica, então, a grande dúvida no ar sobre a identidade do novo treinador. Partindo do princípio que é holandês, ou que pelo menos está actualmente a trabalhar na Holanda, não será nenhum das equipas de topo, a exemplo do PSV Eindhoven, Ajax ou Feyenoord, que lideram o campeonato.

 

O treinador do quarto classificado Heracles é Frank Wormuth, alemão de 58 anos; do quinto classificado Vitesse, é Leonid Slutsky, russo de 47 anos; e do sexto classificado VVV-Venlo é Maurice Steijn, holandês de 47 anos.

 

Mas ainda refiro o sétimo classificado, porque algo me diz que é aqui que encontraremos a resposta que procuramos. O Utrecht FC é liderado pelo bem conhecido Dick Advocaat, holandês de 71 anos que já orientou inúmeros clubes e várias selecções. A idade preocupa, mas é obviamente um técnico muito bem credenciado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50

"Perguntar não ofende"

Rui Gomes, em 02.11.18

 

45090991_2068829483184488_4985678739632291840_n.jp

 

Entrevista ao presidente do Sporting, Frederico Varandas, pelo jornalista Daniel Oliveira, no programa radiofónico online Perguntar Não Ofendefeita um dia depois da vitória do Sporting frente ao Boavista mas antes da derrota com o Estoril. Nela, Frederico Varandas já deixava entender que Peseiro não era o seu treinador, dependia dos resultados e poderia não durar uma época:

 

"Defendo os interesses do Sporting e muito dos que votaram em mim disseram-me 'Frederico, agora é correr com o Peseiro'. Eu sei o que significa mudar o treinador a meio da época, os riscos e as vantagens que pode ter (...) José Peseiro sabe o que é o futebol português e sabe que está dependente dele".

 

Não menos curioso, a sua afirmação sobre a disponibilidade de Leonardo Jardim, quase deixando a entender que já tinha contactado o técnico madeirense que saiu do Mónaco há poucos dias:

 

"Um dia o Sporting vai ter novamente Leonardo Jardim e comigo como presidente. E quando ele regressar não será por dinheiro. Mas não é a fase em que ele está neste momento. Leonardo Jardim não quer voltar a Portugal a curto prazo".

 

Em nota separada, e a título de curiosidade, sabe-se agora que José Peseiro soube do seu despedimento através de Hugo Viana, logo após o jogo com o Estoril.

 

No que a novos treinadores diz respeito, Jorge Jesus, Leonardo Jardim, Rui Faria e Rui Jorge já foram descartados, e que sobre a mesa estão os nomes de Paulo Sousa (não vai ser muito barato), Aitor Karanka (antigo adjunto de José Mourinho e actual treinador do Nottingham Forest da Segunda Liga inglesa) e Miguel Cardoso (ex-treinador do Rio Ave, despedido do Nantes no dia 1 de Outubro).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:03

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 27.10.18

 

mw-860.jpg

 

"Os casos do Benfica - os emails, o e-toupeira, tudo isso - são uma vergonha para o futebol português.

 

Eu ando no futebol há alguns anos e obviamente presenciei e sei de coisas. Já contei tudo o que sabia às instituições do futebol português: FPF, Liga e Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol. E acredito que se vai fazer justiça. Digo-lhe mais: tenho a certeza que o futebol português jamais voltará a ser o mesmo, o dirigismo mudará, tudo será muito mais transparente.

 

Na cimeira dos presidentes da Liga eu disse que ia arrumar a minha casa, mas que eles também tinham de arrumar a casa deles. Nós vamos ser implacáveis na defesa da transparência".

 

Entrevista a Frederico Varandas na edição deste sábado do jornal Expresso.

 

Mais algumas considerações do presidente:

 

O empréstimo obrigacionista está montado e intermediado pelo banco Montepio, com cerca de 30 milhões de euros, para emitir em Dezembro. E o empréstimo anterior, cujo pagamento já fora adiado, iremos pagar tudo aos investidores na data prevista.

 

- O Wolverhampton paga 18 milhões de euros pelo Rui Patrício e o Sporting encaixa 14 milhões; os outros quatro milhões serão para os intermediários, sendo que a Gestifute, que era credora de sete milhões de euros do Clube, abdicou de três. E o Rui abdicou de um milhão de euros, do ano de contrato que restava do Sporting e de cinco milhões de euros, pelo prémio de assinatura. Não foi fácil e não posso explicar tudo.

 

- Já estamos a preparar 2019 e a agir em áreas específicas, que nos ajudam a ganhar. Na área de scouting, por exemplo, estamos a reformular o departamento e acabámos de contratar o José Guilherme Chieira, que esteve no FC Porto durante muitos anos. No departamento clínico, virá outro médico, João Pedro Araújo, que é melhor que eu.

 

- No Sporting que eu idealizo, a equipa tem de jogar melhor que o adversário pelo menos em 32 jornadas do campeonato. Pode nem ganhar, mas tem essa obrigação.

 

- Só dispenso jogadores ou treinadores quando tenho uma solução melhor em carteira.

 

- O primeiro passo é tornar o Sporting imune a essa fogueira e a própria comunicação social também está numa espécie de ressaca, estranha este vazio mediático. Se eu não falar durante duas semanas é estranho, mas já repararam, nos outros clubes, se os respectivos presidentes falam? Não.

 

- Como presidente, nunca entrarei dentro do balneário: é uma área de jogadores. Tal como eles nunca entrarão numa área de presidente. Também nunca farei uma crítica aos jogadores publicamente, porque essa será feita cara a cara.

 

- Quando cheguei à Direcção do Clube, uma das primeiras coisas com que me deparei  foi a validação de uma despesa de hotel no valor de 80 euros de um jogador que estava a fazer uns exames médicos.

 

- Uma empresa com receitas de milhões, 300 funcionários, mais de mil atletas - e uma despesa de 80 euros tem de ser validada pelo presidente? Isto só demonstra como o Sporting estava montado, tudo concentrado numa pessoa. Eram práticas da Idade da Pedra.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:59

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 13.10.18

 

fredericovarandas2_467x467_acf_cropped-200x200.jpg

 

Ainda uma outra consideração do presidente Frederico Varandas, à margem da recém-realizada Cimeira de Presidentes:

 

"O que garanto é que defenderei o Sporting. E isso significa, muitas vezes, estar calado".

 

Nem tanto ao mar nem tanto à terra, diria um cínico, mas enquanto o que se deseja é moderação, não deixa de ser um contraste muito considerável quando comparado com a asfixiante e por vezes carnavalesca sobredose dos últimos cinco anos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30

Frase do dia

Rui Gomes, em 11.10.18

 

21199064_IaO1j.jpeg

 

"Perdemos porque fomos piores, não foi por causa da arbitragem ou do cansaço. E se queremos recuperar os quatro pontos para os líderes, temos de ser melhores em campo".

 

Frederico Varandas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:35

 

img_920x518$2018_10_01_23_37_24_1455277.jpg

 

Não sei se "teste" é o termo adequado, até porque o presidente Frederico Varandas tem coisas muito mais importantes no seu "prato" para resolver, mas não deixa de ser um desafio, face às circunstâncias.

 

No próximo domingo o Sporting viaja até ao Algarve, para defrontar o clube de Portimão, em jogo da 7.ª jornada da Liga NOS.

 

Temos o incidente que viu o presidente da SAD portimonense agradir Rafael Barbosa, um atleta do Sporting cedido ao emblema algarvio esta época. O jogador já terá regressado a Lisboa e aguarda a resolução do caso.

 

O episódio é considerado grave e com possíveis consequências no plano institucional. O Sporting emitiu um comunicado ontem em que, entre outras coisas, exige um pedido de desculpas. Mais grave, a queixa-crime que o jogador apresentou na PSP e a participação do Sporting ao Conselho de Disciplina da FPF.

 

Perante este cenário, caberá ao presidente decidir se irá ao estádio e para que sector, sendo público que o clube da casa está obrigado, pelos regulamentos da Liga, a ceder um camarote ao visitante. Certo é que Varandas não irá para o... banco, como aliás sempre deixou claro ao longo da campanha. "Banco é para treinador, diretor-desportivo, team manager, médico e jogadores".

 

Partindo do princípio que Frederico Varandas vai assistir ao jogo, deverá ele "passar por cima" do incidente e sentar-se na Tribuna junto ao homólogo da SAD do Portimonense ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:21

 

image.jpg

 

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, discursou esta segunda-feira perante cerca de 400 sportinguistas, sócios de mais de 17 núcleos da região de Braga e garantiu que a sua presidência será marcada pela "verdade desportiva":

 

"Seremos um Sporting aliado da verdade desportiva, com os valores de 1906, mas não de uma forma passiva. Vamos à luta, de forma limpa, mas vamos exigir que os outros também o façam.

 

Pegando nas palavras do Daniel [Pereira, presidente do Núcleo de Braga], passámos um tempo conturbado, um tempo de convulsão. Vou dizer-vos, agora como presidente do Sporting: por muita crise, por muita convulsão que haja, com esta massa associativa, o Sporting tem sempre o futuro garantido.

 

No próximo acto eleitoral, quem vai decidir o futuro vai ser mesmo o Sporting Clube de Portugal, com mais de um ponto de voto espalhados pelo país, não só em Lisboa, mas no Norte, no Centro e no Sul. Não queremos só 22 mil a votar. Temos que ir para os 30, para os 35 mil. Não pode ser penalizado aquele sócio que vive na Guarda, em Olhão, ou em Braga.

 

Aprendi muito nestes três meses de campanha, a percorrer o país, a conhecer núcleos. Elvas, Portalegre, Guarda, Braga, Barcelos, Aveiro, Portimão, e uma coisa percebi: o nome de Portugal no nosso Clube deve-se a vocês.

 

E há uma coisa que presenciei no dia 8, na análise às eleições. Mesmo continuando a ter o nome de Portugal, se calhar 80%, para não dizer mais, dos sportinguistas que decidem o futuro do Sporting, são de Lisboa. Isso é inaceitável, isso é intolerável.

 

Qualquer crise, qualquer presidente estará sempre de passagem. Sempre! O Sporting será sempre nosso, dos sócios. O clube tem de estar unido. Repito: unido. E não é de boca. É de facto. É como já ouvi aqui vários sócios dizer: 'Não votei em si, mas acredito em si, é o meu presidente'. É isso que quero ouvir. Todos votaram pelo Sporting e é essa a minha missão. O Sporting tem cerca de 170 mil sócios, mas só metade são pagantes. O Sporting precisa de uma massa associativa mobilizada".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:52

Foto do dia

Rui Gomes, em 17.09.18

 

img_920x518$2018_09_16_21_44_01_1448798.jpg

 

O presidente do Sporting, Frederico Varandas, partilhou uma foto nas redes sociais ao lado de João Benedito, antigo candidato à liderança dos leões. "Sporting acima de tudo" é a legenda da foto, o que mostra uma clara mensagem de união no universo leonino.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:02

Reflexão do dia

Rui Gomes, em 16.09.18

 

nova-gente-66243-noticia-eleicoes-no-sporting-saib

 

Raios-X ao Clube


"Não só não estou arrependido como estou ainda mais otimista, porque há tanto para melhorar e fazer... É um desafio interessante e tenho a certeza que vamos levar o Clube a bom porto."

 

Situação financeira


"Está como esperávamos. Não me tira o sono".

Primeira semana


"Foi muito intensa, a minha equipa e eu dedicámo-nos a arrumar a casa e a devolver a alegria e prazer em servir o Sporting aos funcionários. É altura de olharmos para dentro para nos tornarmos fortes depois lá fora."

Conversa com o plantel


"Estão muito confiantes".

Relações institucionais com rivais 


"Sócios podem estar descansados que a minha equipa defenderá sempre os interesses do Sporting."

Casos que envolvem o Benfica


"Vivemos num estado de direito, estou à espera que se faça justiça e acredito na justiça portuguesa."

 

Frederico Varandas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:18

Foto do dia

Rui Gomes, em 13.09.18

 

download (3).jpg

 Frederico Varandas recebido por Fernando Gomes na Cidade do Futebol

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:01

Frederico Varandas tomou posse

Rui Gomes, em 10.09.18

 

img_920x519$2018_09_09_21_08_08_1445881.jpg

 

"Nasci Sporting, cresci Sporting, respiro Sporting mas não sou o Sporting. A missão é servir o Sporting. A minha prioridade é unir o Sporting. Ontem, começámos a vencer o adversário mais terrível da nossa história: o Sporting fracturado. Ontem já começámos a vencer e hoje é uma nova era, de um Sporting unido.

 

Enquanto presidente, é minha obrigação dar o exemplo. Se consigo unir um sócio que possa ter discordado, então vocês conseguem unir com quem quer que seja. Enquanto não formos unidos, não nos vamos conseguir bater com os nossos adversários. É um dia emocionante para mim. Por muito que estivesse preparado, é sempre diferente ".

 

Frederico Varandas - Presidente do Conselho Directivo

 

 

img_920x519$2018_09_09_20_15_47_1445866.jpg

 

"As regras (votantes) são claras e devemos viver com elas. Há um vencedor, que é Varandas, e há alguém que não perdeu, que é João Benedito, mas que pela sua dignidade e postura sai das eleições como vencedor. Mostrou que é um grande sportinguista e um homem com grande formação. Assim não será difícil unir o Sporting. Não tendo ganho as eleições sai delas como vencedor".

 

Rogério Alves - Presidente da Mesa da Assembleia Geral

 

 

P.S.: Não sei quem é aquele "cavalheiro" devidamente trajado para ir à pesca, mas comigo nem pisava o palco!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:34

 

21164449_fCZCA (2).jpeg

 

Frederico Varandas obteve 42,32% dos votos e foi eleito presidente do Sporting Clube de Portugal nas eleições mais concorridas de sempre. Participaram 22 400 sócios, sendo a percentagem de brancos e nulos praticamente insignificante (2,52%). Segundo Luís Paixão Martins, o novo presidente leonino deve a sua vitória ao apoio que conseguiu entre os associados “Efectivo A” com direito a entre 5 a 10 votos, e que constituem 55% do universo eleitoral. Isto é, aqueles que têm entre quinze anos e quarenta e quatro anos de pagamento de quotas.

 

Frederico Varandas beneficiou do facto de ter apresentado mais cedo a sua candidatura, rompendo desde logo com o poder vigente na altura. Gerou uma expectativa positiva inicialmente, foi cuidadoso na abordagem da questão do treinador e comprometeu-se com a estabilidade no Clube. No entanto, caiu na armadilha de constituir uma “Comissão de Honra” que nada acrescentou e principalmente foi desastroso nos debates ou intervenções públicas. Valeu-lhe o facto de a campanha eleitoral ter sido fraca em geral, com muitos lugares comuns, pouca imaginação e sobranceria excessiva nuns ou agressividade a mais noutros. Todas as candidaturas tinham virtudes e defeitos, mas Varandas conseguiu colocar-se no “centro” e levar o seu discurso racional aos que têm uma maior capacidade de decidir as eleições.

 

Agora, depois de tomar posse como o 43º Presidente do Sporting, Frederico Varandas terá os olhos dos sportinguistas fixados nele e é certo que não vai ter um prolongado estado de graça. Os adeptos de Bruno de Carvalho que se lhe referem como “traidor” e “fivelas” não lhe darão descanso e o facto de João Bendito ter obtido cerca de 1 100 votantes a mais do que ele estará sempre presente na memória de muitos. Na vida nada é permanente e no futebol pouco é previsível.

 

De certa forma, os novos órgãos sociais leoninos dependem do sucesso, mesmo que relativo, da equipa principal de futebol. É sempre assim. O Conselho Directivo precisa de tempo para pôr em prática um plano de acção que convença a maioria dos adeptos. Um modelo de governo do Clube com práticas efectivas de transparência e de exigência, a organização competente e eficaz do futebol, a continuação do sucesso nas modalidades, uma gestão financeira e fontes de financiamento adequadas às necessidades a curto e médio prazo, um relacionamento institucional inteligente e um estilo de comunicação abrangente para todos os sportinguistas. E, evidentemente, aquilo que está em cima da mesa: os processos de rescisão litigiosos de jogadores.

 

Apesar do sentido único para a sua governação, Frederico Varandas pode encarar o futuro com uma nesga de optimismo.  Os sportinguistas estão mais convictos do que nunca de que unanimismos e caudilhismos não permitem que, permanentemente, se descortinem as melhores soluções para o Clube. Nem um subliminar providencialismo, próprio de quem se considera o salvador, irá resgatar o Sporting dos seus males e insucessos desportivos. Por isso, muitos estarão mais atentos à qualidade do modelo de governo do que aos aspectos acessórios e mediáticos que fizeram história no passado recente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:27

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo