Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



img_920x518$2018_06_24_11_57_29_1414056.jpg

Em entrevista à agência espanhola EFE, Frederico Varandas acusa o governo português de ter abandonado o futebol, por continuar a insistir que os jogos sejam disputados à porta fechada:

"O futebol está abandonado, sem apoio do Estado. É absurdo que dentro de um mês se venha a disputar em Portugal competições como o MotoGP e Fórmula 1 e não possa haver público nos estádios, como acontece noutros espectáculos, como as touradas.

Hoje já se sabe que a partir do 10.º dia em que o paciente testou positivo não existe risco de transmissão e em Portugal o doente continua ter de cumprir 14 dias de isolamento. Em Espanha ou Inglaterra os jogadores são isolados durante 10 dias.

Não se pode perder nunca o critério científico, o que está a acontecer devido ao ruído e à pressão, pois os verdadeiros grupos de risco são os idosos e os que têm já patologias associadas.

Não existe risco se os estádios receberem entre 20 a 30 por cento da sua capacidade. É impossível a sobrevivência económica dos clubes se esta restrição se mantiver durante muito mais tempo".

publicado às 16:34

Foto do dia

Rui Gomes, em 23.09.20

119810361_10157220729281555_6945642150292562925_n.

Leões da equipa B de futebol

publicado às 04:16

O futebol voltou, mas não de forma igual. Depende das divisões em que se joga. Repare-se no exemplo que chega dos Açores este domingo.

Nos jogos da I Liga continua a não haver público nas bancadas e o Santa Clara - Marítimo decorre à porta fechada.

acores77483f7cdefaultlarge_1024.png

Já no Estádio Municipal da Praia da Vitória, nos Açores (Ilha Terceira), em jogo da Série G do Campeonato de Portugal, a partida entre Fontinhas e Estrela tem “lotação esgotada” com público nas bancadas.

O Governo Regional dos Açores permite 10% de público nos estádios, à excepção do Santa Clara, que acatou as recomendações da Liga Portugal e da DGS para os encontros das Ligas profissionais.

Este domingo, a DGS confirma 552 novos casos e 13 mortes em Portugal.

publicado às 04:48

monicamendes_1.jpeg

Mónica Mendes, internacional portuguesa, é a mais recente contratação da equipa sénior de futebol feminino do Sporting Clube de Portugal. Aos 27 anos, a central - que também pode actuar como lateral-esquerda - chega ao emblema Leonino proveniente das italianas do AC Milan para trabalhar às ordens de Susana Cova em 2020/2021.

Em Portugal, Mónica Mendes representou a SR Bairro da Bela Vista, o Beira Mar AC Almada e a SU 1.º Dezembro, tendo sido ao serviço deste último clube que ganhou mais notoriedade – vencendo três Campeonatos Nacionais e três Taças de Portugal entre 2009/2010 e 2011/2012. Seguiram-se vários anos no estrangeiro, com a jogadora a representar diversas equipas nos EUA, Chipre, Noruega, Suíça e Itália. No estrangeiro, conquistou títulos ao serviço do Apollon Limassol FC (Chipre), FC Neunkirch (Suíça) e ACF Brescia (Itália).

"Estive nove anos no estrangeiro e a vida levou-me a tomar esta decisão agora. Nunca fechei as portas a Portugal e sempre disse que estavam abertas para o meu regresso. Quis o destino também que fosse para o Clube pelo qual tenho muita estima e um carinho muito grande desde que sou pequena devido à minha família. Cresci com o gosto pelo Sporting CP, o que torna este projecto ainda mais especial para mim".

publicado às 03:46

ines2.jpg

Inês Gonçalves, avançada de 19 anos que está a realizar a pré-época com a equipa principal de futebol feminino do Sporting CP, assinou esta sexta-feira contrato profissional com o Clube.

Contando já com 11 internacionalizações pelas selecções de sub-16 e sub-19 no currículo, a jogadora verde e branca na época passada somou 17 golos em 18 jogos ao serviço da equipa B e juniores.

“É um sonho realizado. Há dois anos cheguei ao Sporting CP depois de sair da minha zona de conforto e hoje fui recompensada. Este é o caminho que quero seguir, trabalhar mais todos os dias para conseguir alcançar objectivos a nível pessoal e colectivo”.

publicado às 05:01

A propósito de uma bota

Naçao Valente, em 29.07.20

Já aqui no blogue se discutiu a polémica questão da bota que tirou o terceiro lugar da Liga ao Sporting, a escassos minutos do final do jogo, com todas as consequências. Concordo que o SCP podia e devia ter arrumado este assunto, antes do último jogo da época. Teve essa grande oportunidade, mesmo descontando erros graves de arbitragem. Não concordo, porém,  com alguns sportinguistas que aqui defenderam veementemente que a decisão do árbitro/VAR foi totalmente correcta.

21866744_KKeSZ.png

Pode concluir-se, que de acordo com as imagens e a colocação das malfadadas linhas, determinadas em cada momento pelo VAR, se descobriu que havia uma nesga de bota a pôr o marcador do golo em jogo. Mas também se pode questionar se a colocação da câmara utilizada  que dá azo ao traçamento da linha, era a mais correcta, de acordo com a realidade, como também aqui foi defendido. E muito mais se pode questionar se a decisão seria a mesma, noutro contexto.

21866745_FUDgm.png

Mas quero, a partir deste caso concreto, que prejudicou o Sporting, ir um pouco mais além nesta questão da marcação ou não, de foras-de-jogo ao milímetro. É um preciosismo de pretenso rigor, que prejudica as equipas em jogo e o próprio futebol. Na lei do fora de jogo beneficia-se quase sempre o infractor que é precisamente quem procura tirar alguma vantagem do adiantamento. E tem evidentes reflexos no posicionamento das defesas, que se organizam com base nesse pressuposto. No fundo, o que se perde é a fluidez de jogo.

Na minha perspectiva, esta medição falível dos fora-de-jogo, a partir de linhas virtuais só por si susceptíveis de erro, que decide  por uma unha do pé ou da mão, é uma aberração. A perfeição nunca existiu , nem existirá. Por isso, seria de bom senso alterar a lei de fora-de-jogo, no sentido de criar uma margem de segurança, que não deixe dúvidas, como por exemplo o corpo ou parte dele, na totalidade. Ganharia a dinâmica do jogo e a verdade desportiva. Isto para não pôr em causa a própria regra, o que talvez merecesse profunda reflexão.

Numa última nota, parece-me não merecer qualquer discussão, que em caso de dúvida se decide sempre contra o Sporting CP. Ou por um pé, ou por uma pretensa falta ofensiva, ou por um qualquer derrube na área considerado normal. Eu não sou de assumir atitudes de “calimero”, mas o histórico das arbitragens nos jogos do Clube, tem um saldo fortemente negativo em casos menos claros. E se nalguns pode não ter efeitos graves, noutros já tem custado títulos.

E faço esta pergunta: que raio de influência tem uns centímetros de um pé, na sequência de uma jogada?

publicado às 02:50

pz5d2314-min.jpeg

Depois de um ano de empréstimo ao GD Estoril Praia, Duarte Carvalho está de regresso ao Sporting Clube de Portugal e assinou contrato profissional esta quinta-feira. O jogador de 18 anos parte para o segundo ano como sub-19 em 2020/2021.

Pelos juniores dos canarinhos, realizou 22 partidas e marcou 4 golos.

"Estou no Sporting CP desde que me conheço e desde que dou uns toques na bola. Entrei no Sporting CP quando ia fazer seis anos. É a minha segunda casa e já conheço todos os cantos. É bom estar de volta e espero que seja um bom ano.

Volto assim ao Clube do meu coração e espero ficar aqui durante muito mais tempo. (...) Contem connosco, que queremos dar muitas alegrias ao Sporting CP".

publicado às 06:45

f1dafea6-c396-43fa-b6b3-607aeaaae3a0.jpg

Mariana Rosa, lateral direita de 19 anos, na formação do Clube desde 2016/17, assinou contrato profissional com o Sporting Clube de Portugal e em 2020/2021 vai ser aposta na equipa principal de futebol feminino.

“Tudo isto é o cumprir de um grande sonho. Sou Sportinguista desde sempre, costumo ir ao Estádio José Alvalade e estou no futebol feminino do Sporting CP desde o início do projecto. Nem tenho palavras para descrever o que sinto.

whatsapp_image_2020-07-03_at_19.03.09.jpeg

O futebol feminino do Sporting tem melhorado muito, tem feito muito bem a aposta na formação. Está melhor em todos os aspectos, ano após ano, e isso é óptimo para o Clube e para mim também.

Vai ser difícil lutar pelo mesmo lugar da Ana Borges, que é a minha jogadora preferida. Ela joga muito bem e tem muita experiência”.

publicado às 03:46

A "ala dos namorados"

Naçao Valente, em 03.07.20

1199px-Batalla_de_Aljubarrota.jpg

A batalha de Aljubarrota, onde um muito pequeno exército português, sem a sua cavalaria tradicional que se passou para o inimigo, venceu o gigante castelhano, tem sido objecto de estudo. Em linhas gerais, a vitória de Aljubarrota é resultado de uma táctica de guerra inovadora, conhecida como o “quadrado” e por alguma displicência do inimigo, que convencido da sua superioridade, julgava que “eram favas contadas”. Mas explica-se também pela determinação de um exército, bem mentalizado e dirigido, pelo jovem Nuno Álvares Pereira. À sua fiel imagem havia muitos jovens naquele exército, muitos deles agregados numa ala que ficou conhecida pela “ala dos namorados”, tendo em conta a sua juventude.

Mas não é dessa batalha que garantiu a independência nacional que pretendemos falar neste contexto. Queremos falar de futebol e do nosso “novo Sporting”. A introdução do texto vem a propósito de se encontrar alguma similitude, com as devidas distâncias, com a actual equipa principal do Clube.

hj17.jpeg

Nesse sentido, pode-se considerar que temos também uma equipa guerreira, motivada e determinada, que vai ganhando batalhas, conseguindo vitórias, nas quais muitos não acreditavam e que outros “castelhanos” não desejavam. Dessas vitórias fazem parte um comandante jovem, ambicioso e sem medo algum de arriscar. Dessas vitórias fazem muitos jovens imberbes que podemos classificar como uma “ala dos namoradas”. Dessas vitórias fazem parte as tácticas adequadas a cada situação.

A questão que se coloca é: vão-se ganhando batalhas, mas pode-se ganhar a guerra com a “ala dos namorados”? Pode-se desde que a equipa seja composta também por veteranos com experiência. O que acontece, na minha perspectiva, é que não existem em qualidade e quantidade. Em campo temos Coates, Ristovski, Battaglia. Fora dele (lesionados) Vietto, Acûna e alguns jovens com mais experiência, como Jovane e Francisco Geraldes, para além de alguns emprestados.

img_900x508$2020_07_01_23_43_33_954778.jpg

Na preparação da próxima época deve seguir-se esta estratégia, mantendo em campo a “ala dos namorados”, mas enquadrada com atletas de boa qualidade e mais experiência, necessários para ganhar uma guerra. Neste momento, creio que não existem, e portanto é preciso ir ao mercado providenciar esses meios. E estou convicto que o timoneiro, com a sua competência, estará atento à situação.

Na simbiose entre juventude aguerrida e experiência competente estará a solução. E para poder dar passos neste caminho a formação é vital. Pena foi ter sido descurada, sobretudo na fase de aproveitamento dos novos talentos., aos quais não foram concedidas todas as oportunidades. Por outro lado. para que esta tarefa tenha total êxito, precisamos de um Sporting unido e ao lado da equipa, nos bons e nos maus momentos. Aljubarrota também é consequência da vontade de toda a nação.

publicado às 04:19

Cândido Portinari, “Futebol”, 1958

Leão Zargo, em 17.06.20

Cândido Portinari Futebol 1958.jpg

Cândido Portinari, Futebol, 1958

Óleo sobre madeira, 35,2X26,8 cm, Casa-Museu Portinari, S. Paulo, Brasil

A pintura Futebol retrata a cena de um jogo de futebol entre meninos e tem por cenário o campo de Brodowski, terra natal de Portinari. O futebol de rua, em Brodowski, apareceu nos primeiros anos do século XX, antes mesmo de se construir o campo de jogos no antigo largo da Igreja de Santo António, onde rapazes de todas as idades jogavam com bolas de meia ou de bexiga de boi. Mais tarde, como tema da arte de Portinari, que transporta as lembranças da infância para a sua obra, a cena ficaria eternizada pelo pintor.

A Casa-Museu Portinari, em Brodowski, pratica o intercâmbio com a comunidade em que se insere, valorizando manifestações da identidade, da cultura e do património brasileiro. Também, será uma forma de revalorizar a obra através de uma leitura para os dias atuais, cultivando a presença dos “meninos” e dos cidadãos na esplanada do Museu e na Praça onde este está instalado e valorizando, assim, as manifestações culturais, a identidade e o património paulista.

O “Brodowski Futebol Clube” e o “Clube Atlético Bandeirante” fazem parte da identidade cultural desportiva da cidade de S. Paulo, tendo contribuído para a formação de campeões locais, regionais e estaduais. Também as inúmeras equipas de “várzea” (futebol amador) mobilizaram, e ainda mobilizam, atletas e adeptos fiéis e abnegados (In Enciclopédia Itaú Cultural).

publicado às 12:00

mw-1280.jpg

A Ministra da Saúde, Marta Temido, sublinhou a severidade de ocorrerem concentrações de pessoas para assistirem aos jogos da I Liga, que vão ser retomados em 3 de Junho, sem público e transmitidos em canais pagos:

“Por ocasião de competições desportivas, haver concentrações em determinados espaços, é evidente que isso não vai poder acontecer da forma como estávamos habituados".

As dez últimas jornadas da edição 2019/20 da I Liga portuguesa de futebol vão decorrer à porta fechada, entre 03 de Junho e 26 de Julho, depois de a competição ter sido suspensa em 12 de Março.

“Nós cá estaremos para dar as explicações que entendam necessárias e a Direcção-Geral da Saúde (DGS) para produzir os normativos adequados para que todos se sintam então devidamente enquadrados", referiu a Marta Temido, recusando, no entanto, criar uma “sociedade excessivamente normatizada, em que não é possível prever tudo e os riscos de falhas também acontecem”.

“Há um momento em que cada um tem de se responsabilizar pelos seus comportamentos individuais e ainda pelo ambiente de eventual risco em que se coloca. O comportamento individual tem sido o melhor garante dos resultados alcançados”.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado este domingo pela DGS, Portugal contabiliza 1.316 mortos associados à Covid-19 em 30.623 casos confirmados de infecção.

Relativamente a sábado, há mais 14 mortos (+1%) e mais 152 casos de infecção (+0,5%).

Mais 14 mortos... Para alguns, e não só em Portugal, o registo diário de fatalidades é quase uma estatística desportiva, tal a sua irresponsabilidade em movimentarem-se na sociedade convencidos que são "à prova de bala".

publicado às 16:53

731258.png

Graça Freitas afirmou este domingo que, caso os testes às equipas de futebol derem um número elevado de casos positivos de Covid-19, terá de ser equacionada pelas autoridades “a avaliação de risco”:

É uma situação muito complexa, conciliar o retorno da actividade do futebol com regras sanitárias e de segurança. É difícil definir linhas vermelhas. Se os testes feitos às equipas derem um número elevado de casos positivos, terá forçosamente de ser equacionada pelas autoridades de saúde de nível local, regional e nacional a respectiva avaliação do risco em concreto”, disse a Directora-Geral da Saúde, na sua conferência diária sobre a evolução pandemia.

De acordo com os resultados, está prevista a intervenção da autoridade de saúde. Qualquer decisão de avaliação do risco e de medidas em concreto envolve os três níveis: local, regional e nacional. As regras vão ser cumpridas, aguardemos os resultados e depois vamos avaliar os riscos”, acrescentou.

Recorde-se que três jogadores do V. Guimarães tiveram, este sábado, resultados positivos à Covid-19, nos testes efectuados pelo clube.

Estes são os primeiros casos detectados em jogadores de equipas da I Liga de futebol.

publicado às 17:00

Mario Zanini, Futebol

Leão Zargo, em 07.05.20

Mario Zanini Futebol.jpg

Mario Zanini, Futebol, óleo sobre tela, 51,5X73 cms, Colecção Particular

O brasileiro Mario Zanini foi pintor, desenhista, gravador, ceramista e professor de artes plásticas. Filho de emigrantes italianos, Zanini desenvolveu a sua trajetória artística em São Paulo, onde residia no bairro operário do Cambuci. Em 1927, tornou-se amigo de Alfredo Volpi, vindo a integrar, juntamente com este artista, o Grupo Santa Helena. 

Na pintura Futebol, à maneira dos fauvistas, Zanini recorre a pinceladas largas para a definição das formas e à explosão libertária da cor através das cores primárias - amarelo, azul e vermelho, num diálogo com o branco e o preto dos equipamentos. As formas (a humana e a natureza) são sugeridas, não existindo preocupação com o desenho formal e realista.  Os tons de castanho (claro e escuro) permitem o tratamento da forma humana num diálogo com a paleta dos equipamentos. O uso livre da cor cria tensão entre uma pintura emocional e a formalização da estratégia do jogo: a expectativa da concretização da jogada e o voo livre na diagonal do guarda-redes que procura a defesa. Afinal, o diálogo entre forças antagónicas - o dinamismo e o bloqueio da jogada pelos futebolistas.

publicado às 14:00

Recordar é viver

Rui Gomes, em 30.04.20

publicado às 13:15

Recordar é viver

Rui Gomes, em 29.04.20

publicado às 13:06

O Futebol e a Pandemia

Rui Pedro Barreiro, em 14.04.20

078117_e809bf1498a54cc38d212c69913eb6cf_mv2.jpg

Todos os amantes do desporto-rei anseiam pelo regresso do futebol, pelas idas ao estádio, pelos grandes jogos televisionados, pela emoção e paixão que só este desporto nos dá. Todavia, vivemos hoje num Mundo em que a pandemia destrói vidas, economia, finanças e em que a incerteza continua a ser a maior certeza que temos.

Em Portugal já se fala no regresso dos campeonatos profissionais, havendo até notícias de treinos e trabalhos preparatórios do regresso ao trabalho, para além de um documento produzido pela Liga denominado "Retoma Progressiva à Competição". De acordo com o divulgado, o documento prevê 3 fases de adaptação no quadro da retoma da competição:

"FASE 1 - Regresso progressivo aos treinos; treinos individualizados no campo durante duas semanas, com avaliações antes das sessões (com máscaras e salas próprias), na presença de treinador e elemento do departamento médico (com máscaras e respeitando distâncias de 2 metros). Não há cruzamento com outros jogadores ou staff. E é admissível a presença de 2 jogadores, cada qual no seu meio-campo.

FASE 2 - Treinos de grupo com contacto (3.a e 4.ªa semanas), mas respeitando ‘normas básicas’.

FASE 3 - Campeonato inicialmente à porta fechada, na qual os jogos ‘fora’ obedecem a viagens mesmo no próprio dia da competição, com autocarros higienizados e os jogadores distribuídos segundo as normas de segurança (1 atleta para cada 2 lugares e com máscara). Nos balneários, 1 jogador por cada 25m2 e, nos ginásios, já agora, recomendação de distância mínima de 5 metros entre atletas."

Ora, tudo leva a crer que o estado de emergência vai continuar. Será que o futebol não tem que cumprir as regras impostas a todas as outras actividades? Afinal, quanto vale uma vida? De certeza que o futebol é importante para muitos de nós, mas neste momento é talvez o menos importante desta luta em que nos encontramos. De certeza que há soluções para resolver tudo o que tem que ser resolvido. Precisamos de ser campeões, mas noutro campeonato. Haja juízo.

publicado às 17:00

img_467x599$2020_03_11_01_33_24_1674025.jpg

Já não há volta a dar. Os efeitos do surto do coronavírus já se sentem em praticamente todo o desporto nacional, afectando provas de praticamente todas as modalidades. Das mais mediáticas, como o futebol, às de menor nomeada, já praticamente todas anunciaram várias medidas que visam ajudar a combater uma epidemia que se tem alastrado de forma bastante rápida um pouco por todo o mundo.

O caso mais sonante, conforme dissemos acima, passa pelo futebol, que viu esta terça-feira a Liga Portugal anuncia a disputa de todos os encontros dos campeonatos profissionais à porta fechada. Além dos jogos dos dois principais escalões disputados à porta fechada, também os jogos das competições nacionais de futsal vão ser disputadas sem público, e foi ainda determinado que "os jogos das provas nacionais seniores não-profissionais de futebol não poderão ter mais de cinco mil pessoas nas bancadas".

Para rever quem pode ir aos estádios dos jogos à porta fechada, pode consultar este nosso post.

publicado às 03:46

Juniores do futebol vencem o Estoril

Rui Gomes, em 07.03.20

88434876_10156680562791555_8178699243003838464_o.j

A equipa de juniores do Sporting venceu este sábado o Estoril, por 2-1, em jogo a contar para a 4.ª jornada da fase de apuramento de campeão do Campeonato Nacional.

Os dois golos leoninos foram marcados por Tiago Tomás.

O golo do Estoril Praia só surgiu aos 85 minutos. O marcador manteve-se inalterado nos 7 minutos que o árbitro concedeu de tempo adicional.

Com este resultado, os leões passam a somar cinco pontos e estão a quatro de Rio Ave e Benfica, que se defrontam este domingo.

publicado às 18:09

at.png

Segundo avança a Sábado, as casas de Pinto da Costa, Luís Filipe Vieira, Frederico Varandas (é visado mas por negócios não realizados pela sua gestão), António Salvador (presidente do Braga), dos jogadores Casillas, Jackson Martinez, Maxi Pereira, Danilo Pereira são outros dos alvos que constam nos processos, um total de, pelo menos, seis mega investigações aos negócios obscuros do futebol português que contaram com uma ajuda preciosa: as revelações feitas pelo pirata informático Rui Pinto no caso Football Leaks.

Para além de clubes, a agência de jogadores Gestifute também é um dos alvos.

Sociedades de Advogados também foram inspecionadas.

As buscas procuram dados em torno de transferências, contratos, impostos, direitos de imagem e comissões.

Ao que consta,  está em curso, esta quarta-feira, a maior operação de buscas realizada pela Autoridade Tributária.

Comunicado da Sporting SAD:

"A Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD confirma a realização de buscas aos seus escritórios por parte da Autoridade Tributária, que reportam a um processo iniciado em 2017 e que decorrem desde as 08h00 de hoje.

A Sporting CP - Futebol, SAD congratula-se por estar a colaborar com as autoridades competentes em prol de uma maior verdade desportiva e transparência, contribuindo para a dignificação do futebol português, neste e noutros processos."

publicado às 13:09

Foto do dia

Rui Gomes, em 26.01.20

4bab50a2-aacd-48b9-9b4e-69b58ddd7120.jpeg

Juniores a celebrar um golo. Fantástica imagem da emoção de momento.

publicado às 04:32

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds