Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A hipocrisia patente

Rui Gomes, em 01.03.13

 

Neste início de campanha eleitoral já se ouviu diversos disparates lapidares e exemplos de hopocrisia patente. Afirmou ontem Bruno de Carvalho: «A minha candidatura é Jesualdo e os atletas que lá estão. Quem quiser ser presidente do Sporting tem de transmitir uma mensagem de tranquilidade e esperança para os que lá estão agora. Caso tenha a tranquilidade, o Sporting tem todas as hipóteses de vencer (FC Porto).»

 

É por de mais curioso que ao longo dos passados dois anos de oposição activa ao Conselho Directivo de Godinho Lopes, ao futebol do Clube e, por inerência, ao Sporting, nunca se preocupou com «esperança e tranquilidade» e até foi ao extremo de ridicularizar manifestações nesse sentido. Pela visita ao Núcleo de Aveiro no dia 24 de Novembro de 2012 - uma de muitas do género da sua campanha oposicionista - declarou não compreender os constantes apelos à união porque, na sua óptica, esta já existia. Dividir para conquistar, uma estratégia muito antiga e conhecida.

 

Exemplos deste género dão para perceber que este homem não tem o perfil nem o carácter para ser líder do Sporting.

 

publicado às 04:06

A hipocrisia patente (3)

Rui Gomes, em 04.02.13

Começamos agora a ouvir as expressões mais convenientes, pese a falta de sinceridade: «O clube tem de estar acima das pessoas». Raramente esteve, de há uns tempos a esta parte, e não é agora que vai estar. De uma forma ou outra, a minha expectativa, havendo eleições em 45 dias, é debates sem profundidade e substância, com o intuito único de iludir o sócio e manipular o seu voto. A última campanha eleitoral evidenciou-se pela inexistência de qualidade e projectos plausíveis e nada leva a crer que esta que se aproxima - aliás, alguns apenas dão continuidade à outra -  seja diferente. Porventura, os candidatos vão ser poupados as promessas de treinadores e jogadores, para não destabilizar, ainda mais, Jesualdo Ferreira e os seus comandos, mas não vão faltar milagres a sair do bolso para resolver os problemas financeiros do Clube: fundos russos, chineses, americanos, angolanos, etc.. A preocupação vai ser em apontar o que está mal para distrair as atenções da incapacidade de encontar soluções concretas.

Se já não concordava com a destituição dos órgãos sociais pelos meios conhecidos e nesta altura, também não posso concordar com eleições em 45 dias. O clima de guerra evidente poderá levar uma anestesia, mas vai permanecer nesse estado apenas até ser reavivado por um qualquer incidente. Acima de tudo, não vejo como é que a equipa vai ser salvaguardada do sensacionalismo diário que vai surgir e que incluirá tudo menos paz e tranquilidade.

De uma forma ou outra, não vejo qualquer hipótese para este Sporting do momento. Não é o Sporting que eu tenho vindo a apoiar desde que me conheço e não me revejo, no futuro, com o mesmo sentido de fervor no apoio. Chega-se ao ponto que se entrega a causa à «bicharada» e vira-se as costas para sempre.

 

publicado às 15:23

A hipocrisia patente (2)

Rui Gomes, em 04.02.13

 

Verifica-se, em seguimento do primeiro post sob esta temática, de que o espaço da blogosfera onde, por erro de juízo, colaborei durante cerca de oito meses, aparece hoje com a foto do notório líder da revolução, Bruno de Carvalho - com timing impecavelmente premediato - a pretexto de começar já a apresentar potenciais candidatos para as próximas eleições do Sporting. O mentor desse espaço, que nem merece que eu o mencione por nome, deu-se ao desplante de publicar um comentário que serve apenas e tão só para sublinhar a sua desde sempre hipocrisia - apoiando o candidato derrotado desde o primeiro dia por de trás das cortinas da imoralidade:

 

«Os interesses do clube são mais importantes do que os interesses

das pessoas que o servem em dado momento, sejam elas quem forem.»

 

Curiosamente, foi esta mesma pessoa que me repreendeu pelas minhas críticas à imprópria conduta do presidente da Mesa da Assembleia Geral e íntimo aliado de Bruno de Carvalho. Nem uma só vez, pelas inúmeras justíssimas oportunidades para o efeito, ele se deu à moral de afirmar que «os interesses do clube são mais importantes do que os interesses» de Eduardo Barroso. Dois pesos e duas medidas, à hipócrita conveniência, além da censura que eu sei - repito, que eu sei - que ele usa, mesmo pela inexistência de linguagem ofensiva, apenas pela mesma conveniência.   

 

E os interesses do seu candidato que têm sido, desde sempre, tão mais importantes do que os do clube, que deram para ele manter uma campanha incessante de oposição em paralelo com o mandato dos órgãos sociais democraticamente eleitos pelos sócios ?... Que deram para ele aparecer publicamente, ao mais pequeno ensejo, a criticar a existência do Sporting sempre que surgiu algum resultado negativo ou qualquer outro contratempo...Que deram para ele manter uma pseuda-campanha eleitoral, durante estes últimos muito meses, reunindo com sócios em diversas partes do país, sob o falso pretexto do convívio sportinguista, quando, na realidade, estava a fomentar o clima de guerra que entretanto se verificou.

 

Se os sócios do Sporting surgirem pelo próximo acto eleitoral a dar a esta personagem o «trono» que ele tem vindo tão obcecadamente a perseguir, desde o primeiro dia, será a maior injustiça jamais ocorrida na história centenária deste Clube. É de esperar que o universo sportinguista venha a ser impiedosamente «massacrado» com esta demagogia conspiratória nas próximas semanas.

 

Qualquer hipótese de um futuro mais risonho e próspero para o Sporting, reside com o surgimento de pessoas credíveis, fora do leque dos conhecidos «iluminados» da praça, cujo único objectivo tem sido de destabilizar o Clube, tanto quanto possível, na perseguição dos seus interesses e objectivos.

 

Quando e se surgir um candidato com essa formação pessoal e profissional, assumirei, frontalmente, o meu apoio. Não me esconderei por de trás das cortinas da hipocrisia.

 

 

publicado às 11:13

A hipocrisia patente

Rui Gomes, em 04.02.13

 

Falando cá com os meus botões e meditando sobre a trágica novela que se enredou em torno do Sporting, ainda hoje sinto imensa dificuldade em acreditar em tudo que se tem visto, ouvido e lido de há uns tempos a esta parte. A explicação mais conveniente será apontar culpabilidade a Luiz Godinho Lopes e ao Conselho Directivo que ele tem vindo a liderar. Isto explicará alguma coisa, pelos problemas à vista, mas como explicar que a primeira página desta mesma novela começou a ser escrita escassos minutos após a sua eleição como presidente do Sporting e sem ele ainda ter dado mais do que dois passos das urnas eleitorais ?

 

Uma passagem relâmpago por alguns espaços da blogosfera, servem somente para confirmar a hipocrisia patente daqueles colaboradores que desde o primeiro dia apoiaram a oposição activa e sem nunca terem a frontalidade e honestidade de assumirem a sua parcialidade. Têm vindo a escrever com a pena venenosa - na maioria dos casos inflacionados pela sua ilusória auto-importância - aproveitando o mais pequeno ensejo, deturpando factos e deixando verdades omissas à conveniência. Até a fotografia da inocente pose de um jogador do Sporting no banco de suplentes, serviu como veículo da sua falsidade, do seu cinismo e como pretexto para fazer públicas mais umas farpas desprestigiantes ao clube que clamam ser a sua fé. Aliás, com o passar do tempo e a incessante recorrência desta desdenhosa forma de estar e agir, deu para chegar à incontornável conclusão que estão tão viciados na hipocrisia, que já deixaram de perceber a sua falsidade, mentindo com sinceridade.

 

E é neste estado das coisas que nos aproximamos do termo de mais um inglorioso capítulo  da nossa Instituição centenária, para dar início a outro que, neste momento, somente nos oferece apreensão e incerteza. Como a atitude em voga é «logo se vê», limitamo-nos a esperar para ver.

 

Foi o filósofo Olavo de Carvalho que disse: «Se a hipocrisia é a

 homenagem que o vício presta à virtude, o cinismo é a

afirmação ostensiva do vício como virtude.»

 

publicado às 09:39

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo