Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A falta que faz Gelson Martins

Rui Gomes, em 28.02.18

 

mw-680.jpg

 

É algo visível a olho nu, para qualquer adepto mais ou menos informado: Gelson Martins é um dos melhores jogadores do Sporting e vai fazer muita falta à equipa de Jorge Jesus, sexta-feira (20h30, SportTV1), no clássico no Dragão.

 

Certo? Certo. Mas é possível explicar essa ausência ainda de forma mais pormenorizada, recorrendo aos números de Gelson, o grande desequilibrador do Sporting, na Liga NOS, através do serviço InStat, uma plataforma de análise e observação de jogos e jogadores.

 

E o que dizem esses números? Gelson é, de longe, o jogador da equipa de Jorge Jesus que mais "vai para cima" dos defesas adversários, ou seja, que mais dribles faz: 176 em 24 jogos na Liga, com uma taxa de sucesso de 59% (completou 104).

 

À frente de Gelson na desestabilização das defesas adversárias só mesmo Brahimi, que já tentou 269 dribles, saindo-se bem em 174 deles - uma taxa de sucesso de 65%. Atrás de Brahimi e Gelson, há outro sportinguista, actualmente emprestado ao Chaves: Matheus Pereira, que já tentou 146 dribles, sendo bem-sucedido em 87 deles (60%). E, logo depois, Rúben Ribeiro, que chegou a Alvalade no mercado de inverno.

 

 

Isto quer dizer que Gelson tenta, em média, oito dribles por jogo, mesmo em jogos grandes. Foi isso mesmo que o extremo de 22 ano fez contra o FC Porto, a 7 de Fevereiro, na 1ª mão da Taça de Portugal, no Dragão (1-1): oito dribles, com uma taxa de sucesso de 63%.

 

No mesmo jogo, só Brahimi driblou tanto: também tentou por oito vezes ultrapassar os adversários dessa forma, mas só foi bem-sucedido em 25% das tentativas.

 

Mas, mesmo enganando frequentemente os adversários, Gelson não foi dos melhores em campo contra os portistas: só conseguiu acertar um de três passes "chave" (os passes que deixam um colega na cara do golo) - aspecto em que costuma ser dos melhores sportinguistas - e não conseguiu marcar, ainda que, esta época, já leve seis golos e cinco assistências na Liga.

 

E, do outro lado do campo, há um homem que também tem desequilibrado os ataques portistas através de passes importantes: Brahimi, claro.

 

 

Sem Gelson, é possível que o substituto escolhido por Jesus possa ser outro extremo de características semelhantes: o reforço Rúben Ribeiro - em 4º no top de dribles e em 1º no ranking de faltas sofridas - ou o jovem Rafael Leão - que já na equipa B se destacava pela média de dribles: sete por jogo.

 

Mas, sem Bas Dost, o Sporting terá o ataque bem mais fragilizado, enquanto o FC Porto tem outros trunfos na manga, como Alex Telles, de longe o homem que mais assistências tem na Liga portuguesa.

 

 

publicado às 18:43

Quem fez o quê entre os "leões"

Rui Gomes, em 13.12.16

 

584da2450cf20177501f4afa.jpg

 

A fonte é a InStat, que compilou estas estatísticas sobre as acções dos jogadores do Sporting no jogo de domingo. É óbvio que não podemos confirmar ou refutar a informação revelada, mas partimos do princípio que é correcta.

 

Passes de ruptura. Joel Campbell fez nove passes de ruptura, cinco bem direccionados. Os restantes jogadores do Sporting somaram 16.

Cruzamentos. Autor de assistência para golo, Campbell cruzou sete vezes. Igual, nos leões, só João Pereira. Gelson tentou quatro centros.

 
Ataques. Oito dos 10 ataques mais perigosos do Sporting foram ou construídos ou finalizados pela esquerda. Já Campbell esteve em quatro desses 10 ataques (um pela direita acabou no poste).

Combinações. Sinal de dinâmica na esquerda, os jogadores que mais trocaram a bola entre si, no Sporting, foram Zeegelaar e Campbell (19 ocorrências).

Acções com sucesso. O jogador dos verdes e brancos com maior percentagem de acções acertadas foi Rúben Semedo (64 em 72, equivalente a 89%).

Passes recebidos. William e Adrien assumiram-se como pivôs da manobra do Sporting: cada um recebeu 42 passes dos companheiros, o máximo dentro da equipa.

Recuperações. William recuperou quatro bolas no meio-campo do Benfica e Adrien três. Dost não fez sequer uma recuperação. Bryan Ruiz limitou-se a uma.

Perdas de bola. Gelson (13), Bryan (12) e Dost (12) perderam juntos 37 bolas. O resto da equipa perdeu 56. Gelson tentou 15 dribles e só foi bem sucedido em cinco.

publicado às 12:49

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds