Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



img_920x519$2019_09_02_23_10_39_1596704.jpg

Considerações de Jesé Rodriguez em entrevista concedida ao jornal espanhol Marca:

“Quando cheguei houve pessoas muito boas comigo e com a minha família, mas no plano desportivo não foram correctos. Nem sinceros, nem honestos. Chegou um treinador (Silas) que não tinha licença e nem sequer conseguiu ganhar o controlo da equipa. Eu sentia-me muito bem, tinha perdido peso e estava ao nível do meu melhor no Real Madrid. O PSG sabe que trabalhei para isso, fui um profissional e eles não me deram a oportunidade. Agora tenho contrato [mais um ano] com o PSG e estou à disposição deles".

Não sei bem a que se refere ao afirmar que o Sporting não foi correcto nem honesto com ele no plano desportivo. Provavelmente queria mais tempo de jogo e sentiu-se frustrado por isso.

É muito difícil aceitar que estava ao nível do "seu melhor" no Real Madrid. No Sporting actuou em 17 jogos, 9 dos quais como titular, acumulando 748 minutos de jogo (média de 44' por jogo) e marcou apenas um golo.

Nestas oportunidades que lhe foram concedidas, nunca teve performances convincentes, muito menos ao nível que chegou a atingir enquanto no clube da capital espanhola.

Compreendi a intenção da Sporting SAD ao assegurar o empréstimo do jogador ao PSG, mas era sempre uma aposta de alto risco que acabou por ser um fracasso. Tudo é avaliado em função do resultado e esta experiência em nada beneficiou o Sporting.

publicado às 05:48

Poucos minutos... mas muitos títulos

Rui Gomes, em 02.05.20

image.jpg

Ultrapassada uma passagem sem brilho pelo Sporting, Jesé foi devolvido ao PSG e ainda foi a tempo de se sagrar campeão francês. Na quarta jornada da liga francesa, ainda antes de rumar aos leões por empréstimo, o avançado espanhol foi utilizado por Thomas Tuchel durante um minuto do jogo com o Metz e esses "míseros" 60 segundos chegam para o jogador fazer parte do lote de campeões, à luz do regulamento da competição.

Desta forma, Jesé conseguiu o único título que lhe faltava num palmarés deveras invejável: com o Real Madrid venceu duas Ligas dos Campeões, uma Liga espanhola, uma Taça do Rei e uma Supertaça, enquanto em Paris já tinha conquistado uma Taça de França, três Supertaças e uma Taça da Liga.

publicado às 05:02

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo