Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

image.jpg

 

Finalmente que José Sousa Cintra "veio à terra"!... Um dos maiores aliados de Bruno de Carvalho - um cínico até diria que é uma aliança assente em gratidão, pela auditoria de gestão não ter atingido o seu consulado na cadeira da presidência do Sporting.

 

Que eu tenha detectado, ainda não se tinha pronunciado sobre a crise de momento e os "maus lençóis" em que o seu amigo presidente se encontra. À margem da comemoração do 25.º aniversário do Núcleo do Sporting de Ourém, esta sexta-feira, o antigo presidente teve isto para dizer:

 

"Fui presidente e fiz três mandatos no clube, sei como as coisas se passam. Nem sempre somos bem interpretados, nem sempre somos felizes em algumas coisas que dizemos, ninguém é perfeito na vida. Mas acho que devemos pensar em coisas positivas. Ele [Bruno de Carvalho] ganhou as eleições com 90 por cento dos votos, foi uma vitória esmagadora, em que os sócios lhe deram as condições para poder governar o Sporting.

 

Na minha opinião, não foi feliz nas decisões, podia ter evitados os comunicados para os jogadores, mas tenho que reconhecer que fez um bom trabalho no Sporting. Só os sócios podem demitir o presidente e, aí, o presidente da mesa da Assembleia Geral [Jaime Marta Soares] precisava de convocar uma assembleia.

 

Não pode haver vencedores nem vencidos. Tem de haver união, paz e tranquilidade. Têm que fazer o melhor trabalho possível para que as coisas corram bem. Não quero que se fale em coisas que não devem ser faladas. A preocupação do Sporting é acabar o campeonato da melhor forma possível. Não posso deixar de apoiar o presidente. Isto não é um momento de guerra, é de paz e sossego. Quero é que o Sporting saia vencedor".

 

Para quem conhece e/ou lidou com Sousa Cintra, é impossível não achar (pouca) piada a algumas das suas afirmações, especialmente sobre paz e sossego. O presidente que entrava no balneário da equipa com a mesma facilidade como acendia um dos seus notórios charutos. Já nem falo no despedimento do treinador com o Sporting em primeiro lugar no campeonato.

 

Creio que já relatei esta breve história aqui no Camarote Leonino, e não me quero tornar repetitivo. De qualquer modo, um belo domingo, antes de um jogo salvo erro com o Paços de Ferreira (aqui a memória pode falhar), estava eu na Tribuna do velho Alvalade a conversar com o Hilário, quando surgiu o defesa central holandês Stan Valckx, com quem eu me dava muito bem, num estado de evidente excitação. Questionado sobre o que se passava, o Stan explicou que já se estava a equipar para ir fazer o aquecimento quando o presidente entrou no balneário e à frente de toda a equipa anunciou que ele não estava autorizado a jogar naquele dia (palavras para o efeito).

 

Aparentemente, o Stan tinha dado uma "boca" durante a semana que não agradou ao presidente, e a reacção deste foi aquela. Prova evidente que Sousa Cintra é o último com moral para reprovar as acções de Bruno de Carvalho, mesmo que fosse esse o seu desejo, que não é, salvo meia dúzia de palavras politicamente correctas.

 

publicado às 04:03

Os usuais ruídos....

Rui Gomes, em 29.09.14

 

 

Acho sempre uma certa piada quando determinadas figuras do universo sportinguista aparecem na praça pública em ocasiões de maior relevo mediático. Em entrevista à Rádio renascença, o antigo presidente, José Sousa Cintra, pronunciou-se sobre o "grande empenho e vontade de vencer por parte dos jogadores do Sporting, perante uma equipa fortíssima, uma das melhores do mundo, senão a melhor", a sua ligação de amizade com outros clubes e presidentes, nomeadamente Jorge Nuno Pinto da Costa e, ainda, sobre a proposta a ser apresentada na Assembleia Geral da SAD, com o objectivo de levar a tribunal os já divulgados antigos dirigentes do Sporting, declarando que "os sócios e accionistas estão do lado de Bruno de Carvalho, que está a realizar um excelente trabalho na liderança do Sporting."

 

Um conhecido aliado do actual presidente, Sousa Cintra, por vezes, quase dá indicações que teme que o seu mandato também venha a ser alvo de alguma investigação, e até há ampla razão para o efeito, designadamente no que diz respeito às suas constantes interferências no balneário leonino, no foro de decisões do treinador e, sobretudo, por ter despedido o lendário Sir Bobby Robson, sem cerimónias, à entrada da Porta 10-A, com a equipa em primeiro lugar no campeonato. Isto, a propósito de decisões que prejudicaram o Sporting.

 

E... sobre tudo isto, sinto-me perfeitamente à vontade para comentar, por ter conhecimento de causa pessoal e directo, tendo assistido a algumas das suas peripécias enquanto presidente do Sporting.

 

publicado às 13:14

«O meu primeiro dia como presidente do Sporting foi memorável. Ver a alegria daquela gente toda foi fastástica. O clube vivia momentos muito difíceis, a situação era negra, os jogadores já não recebiam há sete meses e os funcionários há nove. Liquidei tudo a toda a gente, voltou a haver esperança de que as coisas iriam, a partir dali, correr bem. No dia 1 de julho de 1993, entrei no estádio de Alvalade com o Paulo Sousa e o Pacheco depois de terem abandonado o Benfica. O estádio encheu-se, vivemos três semanas de grande intensidade, o país parou. Preocupei-me sempre em dar o melhor aos atletas. Mandei construir novos balneários com todas as condições e mandei vir dos Estados Unidos as mais avançadas máquinas para o departamento médico. Tinha uco Silva. Tinha uma boa relação com os jogadores e era muito amigo deles. Brincávamos muito, mas também quando perdíamos tinham que levar com o meu mau feitio!

Na tribuna de Alvalade vivi uma situação única no futebol português: consegui juntar no mesmo jogo o Presidente da República, Mário Soares, e o Primeiro Ministro, Cavaco Silva. Por regra, ou ia um ou outro, nunca os dois ao mesmo tempo. Quebrou-se a tradição! Sentei-me no meio dos dois.»

 

* Do livro «Estórias d'Alvalade» por Luís Miguel Pereira

 

publicado às 03:18

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo