Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

e885d7f617fdd95a88f5fe3460a25ac6-e1497556716572 (1

 

Segundo a Sábado, é no armário dos arquivamentos da 15ª secção do Departamento de Investigação de Acção Penal de Lisboa (DIAP) que se encontra o processo relativo à descoberta, em Abril de 2015, de mais de 100 petardos numa casa de banho do Estádio da Luz.

 

Apesar de recentemente a PSP ter garantido que "todos os dados sobre quem tinha a posse dos artigos", apreendidos durante o clássico Benfica-FC Porto foram transmitidos "às autoridades a quem competia ter conhecimento detalhado", o processo 1047/15.8PYLSB revela uma realidade diferente: ninguém foi identificado, nem sequer uma claque, e não houve investigação posterior à descoberta.

 

Pois... a tal justiça à boa portuguesa, que é mais igual para uns do que para outros!

 

publicado às 03:46

Justiça "Made in Portugal"

Rui Gomes, em 07.04.13

 

Como muito do que ocorre na sociedade portuguesa, em geral, verifica-se, de igual modo ou pior ainda, no futebol português. Num lado da balança temos «Lei» - «Justiça» - «Democracia» - «Senso Comum» e «Opinião Pública», do outro, «Corrupção» - «Caios» - «Política» e «Leis para fins lucrativos». Como a Justiça não funciona, há que premiar os pecadores, por todos os meios ao alcance:

 

A Assembleia Geral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional aprovou ontem o alargamento da I Liga para 18 clubes - já a partir da próxima época - de modo a permitir a inclusão do Boavista. Para o efeito, vai recorrer à velha e notória «liguilha» - entre os dois últimos classificados da I Liga e o terceiro e quarto da II Liga - para apurar o clube que irá preencher a 18.ª vaga - o Boavista ocupará, automaticamente, a 17.ª.

 

A proposta do Executivo da LPFP foi aprovada com 29 votos a favor, 13 contra e quatro abstenções. Para o processo, os clubes da I Liga têm direito a dois votos cada, e os da II Liga a um voto.

 

Preza-me verificar que o Sporting Clube de Portugal votou contra a proposta, tanto no Conselho de Presidentes como na Assembleia Geral extraordinária. Além de não abordar a temática pertinente ao clube do Bessa, a «liguilha» parece-me ridícula, já que seria suficiente promover o terceiro classificado da II Liga, em vez de premiar os dois últimos da I Liga que estão, pelas regras da competição, condenados à despromoção. Mas isto é a lógica e o bom senso, pelo menos na minha óptica, elementos totalmente não relacionados com um processo em que interesses vários são a preeminente consideração.

 

O documento será agora submetido à Federação Portuguesa de Portugal para ratificação e em linha com a mesma ordem de ideias, não se prevê quaisquer impedimentos.

 

Entretanto, já este domingo, o Marítimo solicitou esclarecimentos ao Conselho de Justiça da FPF sobre as consequências do acórdão de 17 de Junho de 2009, que confirma a aplicação da sanção de descida de divisão da Boavista SAD, considerando que essa é final e definitiva e que constitui um julgado desportivo.

 

publicado às 17:57

Um exemplo a seguir

Rui Gomes, em 23.11.12

 

O Tribunal de Braga condenou três adeptos do Benfica a multas de 750 euros para um, 1050 para outro e 1680 para o terceiro e, como pena acessória, proibiu-os de entrarem em recintos desportivos durante 16 meses, pelos desacatos provocados no Estádilo Axa, em maio de 2011. Segundo a sentença, os três arguidos, membros da claque «No Name Boys», ficam ainda obrigados a apresentarem-se no órgão da polícia criminal da área da sua residência sempre que a equipa do Benfica intervenha em jogo de futebol oficial ou particular e durante o período de tempo estritamente necessário em que decorra o jogo.

Os factos remetem a 5 de maio de 2011, quando o Braga recebeu e venceu o Benfica por 1-0, um resultado que valeu o apuramento da equipa da casa para a final da Liga Europa. A polícia identificou os três arguidos, dois dos quais «com longo historial de factos ilícitos» tanto no exterior como no interior de estádios de futebol.

Um exemplo a seguir para punir todos aqueles que se evidenciam por este tipo de comportamento nos recintos desportivos, indiferente das cores emblemáticas.

 

 

publicado às 03:20

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo